Você está na página 1de 5

CRONOGRAMA

HISTÓRIA DA CULTURA JURÍDICA A PARTIR DA OBRA DE ANTÓNIO MANUEL HESPANHA


2018.2

Sala 1205

Data Conteúdo Leituras


1 22/08/2018 Apresentação da disciplina

2 29/08/2018 1. História da cultura jurídica: Obrigatórias:


balizas teórico-metodológicas
[I] 1.a HESPANHA, António Manuel. Cultura jurídica europeia: síntese de um milênio. Coimbra:
Almedina, 2012. p. 13-30; p. 48-55. p. 62-67.

1.b ______. Particularidades de método de uma história mundial do direito. In: Bernardo
Sordi (a cura di). Storia e Diritto. Esperienze a confronto. Milano: Giuffrè, 2013. Disponível
em: http://www.centropgm.unifi.it/cache/biblioteca/104/0490.pdf Acesso em:
06/06/2018 (10 p.).

1.c A história das categorias no panorama da história intelectual que hoje se faz, 2017 (3
páginas)

3 05/09/2018 2. História da cultura jurídica: Obrigatória:


balizas teórico-metodológicas
[II] 1.d HESPANHA, António Manuel. “Legal history and legal education”, em Rechtsgeschichte.
Debatte. Recherche. Kritik, Marginalien, 4(2004) 41-56 (http://rg.mpier.uni-
frankfurt.de/?id=97)

1.e ______. Dificuldades de uma história não tradicionalista da tradição do direito privado.
In: Gustavo Silveira Siqueira; Ricardo Marcelo Fonseca. (Org.). História do Direito Privado.
Olhares Diacrônicos. 1ed.Arraes editores: Belo Horizonte, 2015, v. 1, p. 5-25.
1.f ______. Form and content in early modern legal books. Bridging the gap between
material bibliography and the history of legal thought. Rechtsgeschichte, n. 12, 2018. p. 12-46.
Disponível em: http://data.rg.mpg.de/rechtsgeschichte/rg12_2008-recherche-hespanha.pdf

4 12/09/2018 2. A questão do Estado entre 2.a SUBTIL, José; HESPANHA, António Manuel. Corporativismo e Estado de Polícia como
Antigo Regime e modernidade Modelos de Governo das Sociedades Euro-americanas do Antigo Regime. O Brasil Colonial,
[I] n. 1, p. 127-166, 2014.
.
2.b ______. A questão do absolutismo no sistema político da época moderna. In: O caleidoscópio
do direito: O direito e a justiça nos dias e no mundo de hoje. Coimbra: Almedina
Editora, 2007. p. 115-128

5 19/09/2018 2. A questão do Estado entre 2.c HESPANHA, António Manuel. “O direito administrativo como emergência de um
Antigo Regime e governo activo (c. 1800- c. 1910)”, Revista de história das ideias, IHE, FL-UC 26(2005) 119-
modernidade [II] 159. Disponível em:
https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxhbnR
vbmlvbWFudWVsaGVzcGFuaGF8Z3g6NGYwYjBlNmUxY2IwMGExMQ

2.d ______. Que sentido tem estudar a “questão do Estado” (na monarquia constitucional
portuguesa”. Disponível em:
https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxhbnR
vbmlvbWFudWVsaGVzcGFuaGF8Z3g6NzY5MjE1ZGY5OTgzNDEwNw.

2.e ______. O debate acerca do Estado Moderno. Faculdade de Direito da Universidade Nova de
Lisboa Working papers, n. 1, 1999. 12 p.

6 26/09/2018 2. A questão do Estado entre 2.f HESPANHA, António Manuel. Razões de decidir na doutrina portuguesa e brasileira do
Antigo Regime e século XIX. Um ensaio de análise de conteúdo. Quaderni Fiorentini per la Storia del Pensiero
modernidade [III] Giuridico Moderno. XXXIX (2010), p. 109. Disponível em:
http://www.centropgm.unifi.it/quaderni/40/volume.pdf#page=113

2.g ______. The discrete empowerment of judiciary. The Portuguese Judiciary in Portuguese
Liberal Constitutionalism. Quaderni Fiorentini per la Storia del Pensiero Giuridico Moderno. XL
(2011), p. 111. Disponível em:
http://www.centropgm.unifi.it/quaderni/39/volume.pdf#page=111

7 03/10/2018 3. História do personagem 3.a HESPANHA, António Manuel. “Um poder um pouco mais que simbólico. Juristas e
social jurista [I] legisladores em luta pelo poder de dizer o direito”, em Ricardo Marcelo Fonseca e Airton C.
Leite Seelaender (coords.), História do direito em perspectiva, Do Antigo Regime à
modernidade, Curitiba, Juruá, 2008, 143-202.

8 10/10/2018 3. História do personagem 3.b HESPANHA, António Manuel. “Form and content in early modern lawyers’ books.
social jurista [II] Bridging material bibliography with history of legal thought”, Portuguese Studies Review
(2007, vol. 6.1); também, com algumas modificações formais, em Rechtsgeschichte, 12
(March, 2007). Disponível em: http://data.rg.mpg.de/rechtsgeschichte/rg12_2008-
recherche-hespanha.pdf

3.c ______. O modelo moderno do jurista perfeito. Tempo, Niterói , v. 24, n. 1, p. 59-88,
jan. 2018 . Disponível em
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-
77042018000100059&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 06 ago. 2018.
http://dx.doi.org/10.1590/tem-1980-542x2018v240105.

9 17/10/2018 4. O problema penal entre 4.a HESPANHA, António Manuel. Da “iustitia” à “disciplina”. Textos, poder e política penal
Antigo Regime e no Antigo Regime. In: ______ (org.). Justiça e Litigiosidade: história e prospectiva. Lisboa:
modernidade [I] Calouste Gulbenkian, 1993. p. 287-327

10 24/10/2018 4. O problema penal entre 4.b HESPANHA, António Manuel. A evolução da doutrina e do ensino do direito penal em
Antigo Regime e Portugal, c. 1800-c. 1910. In: Arno Dal Ri Júnior e Ricardo Sontag (orgs.). História do direito
modernidade [II] penal entre medievo e modernidade. Belo Horizonte: Del Rey, 2011. p. 299-378

4.c ______. “The pale shade of legality: the resilience of arbitrary criminal iudicia after the
Revolutions” [p. 208-229]. In: MARTYN, Georges; MUSSON, Anthony; PIHLAJAMAKI,
Heikki (ed.). From the Judge’s Arbitrium to the Legality Principle: Legislation as a Source of
Law in Criminal Trials. Berlin: Duncker & Humboldt, 2013.

11 31/10/2018 5. Legalismo e 5.a HESPANHA, António Manuel. “As fronteiras do poder. O mundo dos rústicos”, em
pluralismo jurídico entre Seqüência, 51(2005), 47-106. Disponível em:
Antigo Regime e https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/15171
modernidade
- 07/11/2018 Não haverá aula

- 08/11/2018 Evento “Encontros de


História do Direito”.

11:15h, Salão Nobre:


conferência prof.a Claudia
Storti (Università degli Studi di
Milano).
12 14/11/2018 5. Legalismo e 5.b HESPANHA, António Manuel. O direito dos letrados no império português. Florianópolis:
pluralismo jurídico entre Fundação Boiteux, 2007. p. 109-145.
Antigo Regime e
modernidade 5.c ______. O direito e a imaginação antropológica da cultura europeia no início da Era
Moderna. Revista de História das Ideias, v. 33, p. 81-100, 2012. Disponível em:
https://digitalis-
dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/41366/1/O_direito_e_a_imaginacao_antropologica.pdf
13 21/11/2018 6. Imperialismo e direito 6.a HESPANHA, António Manuel. Modalidades e limites do imperialismo jurídico na
entre Antigo Regime e colonização portuguesa. Quaderni fiorentini per la storia del pensiero giuridico moderno, vol. 41,
modernidade [I] 2012, p. 101-127. Disponível em:
<http://www.centropgm.unifi.it/cache/quaderni/41/0103.pdf>. Acesso em: 19/02/2016.

6.b HESPANHA, António Manuel. Direito comum e direito colonial: porque é que existe e
em que é que consiste um direito colonial brasileiro. Quaderni Fiorentini per la Storia del Pensiero
Giuridico Moderno, n. 35, T. I, 2006. p. 59-68 Disponível em:
<http://www.centropgm.unifi.it/cache/quaderni/35/0060.pdf>. Acesso em: 28/05/2015.
14 28/11/2018 6. Imperialismo e direito 6.c HESPANHA, António Manuel. “Antigo Regime nos trópicos ? Um debate sobre o
entre Antigo Regime e modelo político do Império colonial português”. In: FRAGOSO, José; GOUVÊA, Maria de
modernidade [II] Fátima. Na trama das redes. Rio de Janeiro: Civilização Brazileira, 2010, 43-94.

15 05/12/2018 6. Imperialismo e direito 6.d HESPANHA, António Manuel. A constituição do império português: revisão de alguns
entre Antigo Regime e enviesamentos correntes. Disponível em:
modernidade [III] https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxhbnR
vbmlvbWFudWVsaGVzcGFuaGF8Z3g6MjEwNzJiMjUyNmZmYjMxMw.

6.e ______. Estruturas político-administrativas do império português. Disponível em:


https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxhbnR
vbmlvbWFudWVsaGVzcGFuaGF8Z3g6MWE3NDQyNDYyZjA5ZTU3NA

Avaliações:

1) Resumo e questões para debate (30 pontos). Elaborar um resumo de 200 e 250 palavras sobre cada um dos textos indicados para cada aula.
Os resumos deverão compreender, pelo menos, objetivo, metodologia e conclusões principais. Elaborar, pelo menos, duas questões para debate
sobre os textos indicados para cada aula. Uma cópia dos resumos e das questões para debate deverão ser entregues no início de cada aula e outra
cópia deverá permanecer com o aluno para uso durante o debate.

2) Participação (50 pontos).

3) Ensaio (20 pontos).

Pasta com todos os textos da disciplina: https://www.dropbox.com/sh/bq7if986uny7188/AAClVqdEoKi5sPRpR2rsYCFZa?dl=0