Você está na página 1de 2

QUESTÃO 21 - Juiz TJCE 2018

Considerando-se a doutrina consumerista dominante acerca da segurança e da


periculosidade de produtos e serviços, assinale aopção correta.

A Os requisitos de normalidade e previsibilidade devem estar presentes para o


reconhecimento da periculosidade inerente ou latente de produtos ou serviços.

B Periculosidade adquirida é aquela que não deriva de defeito e que tem como
característica principal a previsibilidade.

C A informação adequada serve para mitigar os riscos dos produtos dotados de


periculosidade exagerada, permitindo,assim, que eles sejam colocados no mercado.

D O chamado vício de qualidade por insegurança não se confunde com defeito do produto
ou do serviço.

E Um produto não será considerado perigoso se estiver em conformidade com a


regulamentação em vigor.

Resposta
A doutrina se baseia no artigo. 8º do Código de Defesa do Consumidor:

Art. 8° Os produtos e serviços colocados no mercado de consumo não acarretarão riscos à


saúde ou segurança dos consumidores, exceto os considerados normais e previsíveis em
decorrência de sua natureza e fruição, obrigando-se os fornecedores, em qualquer
hipótese, a dar as informações necessárias e adequadas a seu respeito.

Veja o seguinte trecho da doutrina sobre os requisitos da previsibilidade (previsível) e


normalidade (normal) necessários para o reconhecimento da periculosidade inerente:

“A periculosidade inerente ou latente (unavoidably unsafe product or service) trazem um


risco intrínseco atado a sua própria qualidade ou mero de funcionamento. Embora se
mostre capaz de causar acidentes, a periculosidade dos produtos e serviços, nesses casos,
diz-se normal e previsível em decorrência de sua natureza ou fruição, ou seja, está em
sintonia com as expectativas legítimas dos consumidores” ​(BENJAMIN, Herman;
MARQUES, Cláudia Lima; BESSA, Leonardo Roscoe. Manual de direito do consumidor. 6.
ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014. p. 166).

Veja também os tipos de periculosidades relacionadas ao consumo de bens, produtos e


serviços:

“O art. 12, §1º CDC estabelece que o produto é defeituoso quando não oferece a segurança
que dele legitimamente se espera. E qual grau de segurança qualifica o produto como
defeituoso? Há graus de segurança estabelecidos pela doutrina, a saber: a) periculosidade
inerente (risco intrínseco, periculosidade normal e previsível), b) periculosidade adquirida
(torna-se perigoso em razão de defeito – ou seja, ausente o vício, não traz risco superior) e
c) periculosidade exagerada (alto grau de nocividade inerente – são tidos como sendo
portadores de defeito de concepção – a informação é de pouca valia e os riscos são
excessivos). Apenas as últimas duas formas podem ser consideradas portadoras de vício
de qualidade por insegurança, pois possuem potencial danoso superior ao que
legitimamente se espera” (Fonte:
https://blog.ebeji.com.br/o-fabricante-de-medicamento-deve-ser-responsabilizado-por-acide
nte-de-consumo-oriundo-de-efeito-colateral/).

Gabarito: A