Você está na página 1de 1

Dom III TQ (B)

I. Os “dez mandamentos” da Antiga Aliança foram dados por Moisés ao Povo em nome de Deus como normas práticas
para viver a Liberdade a que Deus convidava. É assim que Deus se apresenta: “Eu Sou o Deus que te libertei do Egipto!”
A observância da Lei de Moisés tinha como objectivo cultivar a fidelidade à Aliança de Deus e a realização efectiva da
Liberdade. No entanto, geração após geração, o Povo da Antiga Aliança caiu no legalismo: da Lei de Moisés fizeram
nascer centenas de outras leis e normas. A fidelidade do Povo passou a “medir-se” pela régua das normas e não pela
Verdade da Conversão do Coração. A Aliança passou a ser um “contrato selado na Lei”, e já não selado no compromisso
recíproco de Fidelidade entre Deus e o Seu Povo: “Eu serei o teu Deus, e tu serás o Meu Povo!” Deus inspirou os Profetas
para conduzir Israel, mas Israel inventou os Sacerdotes de Templo, os Doutores da Lei, os Fariseus… E estes, por sua vez,
inventaram os pecadores públicos, os impuros, os malditos de Deus e da Lei…

II. Jesus de Nazaré parte toda esta lógica “à chicotada”! Sim, ele chicoteou esta lógica ritualista farisaica e cultualista
sacerdotal! O Povo da Nova Aliança já não é o Povo dos “dez mandamentos”, mas o Povo das Bem Aventuranças! O
Povo da Nova Aliança já não é o Povo do Templo, mas o Povo que “adora a Deus em Espírito e Verdade”! O Povo da
Nova Aliança já não é o Povo do comércio com Deus, mas o Povo que celebra e proclama a Graça de Deus! O Povo da
Nova Aliança já não é o Povo dos cultos mágicos e dos ritos mecânicos, mas o Povo que celebra a comunhão com Deus
pela mediação de Jesus Ressuscitado na intimidade do Espírito Santo! O Povo da Nova Aliança já não é o Povo do
Antigo Testamento, mas o Povo da Páscoa, a Família Universal dos discípulos de Cristo aos quais o Espírito anima para
compreenderem comunitariamente os Mistérios da Fé e testemunhar o Evangelho da Liberdade! O Povo da Nova
Aliança… O Povo da Nova Aliança será mesmo tudo isto?! Ou continuamos a precisar que Jesus ainda purifique este
Templo Vivo que somos nós com o “chicote” da sua Palavra, o “vigor” do seu Espírito e o “braço” livre dos seus
profetas?

III. “O que é loucura de Deus é mais Sábio do que os Homens”, eis o que diz Paulo. Que a purificação deste Templo Vivo
aconteça hoje em nós para que o nosso Cristianismo seja cada vez mais um caminho de Loucura de Deus, ousadia no
Espírito e audácia no testemunho da Palavra! Acabe de uma vez esse “cristianismo assim-assim” que não Provoca nem
Convoca para nada!!! “Quanto a nós, anunciamos Cristo Crucificado!” Diante de um Crucificado por amor, quem não se
sentir chamado a mais do que a uma resposta “assim-assim”, das duas uma: ou não percebe nada do mistério do Amor
que se revela na injustiça da cruz, ou já se esqueceu há muito tempo do sítio onde deixou guardado o Coração…