Você está na página 1de 11

ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

Se Deus é por nós

SE O SENHOR NÃO ESTEVESSE DO NOSSO LADO

Salmo 124

Cântico de peregrinação

vv1-8 SE O SENHOR NÃO ESTEVESSE DO NOSSO LADO. Este cântico de ação de graças dá
credito a quem ele é devido: AO SENHOR. Depois que ficamos livres do problema é fácil
esquecer como isso aconteceu. A pratica constante de ação de graças e de louvor nos ajuda a
lembrar disso e manter foco. “O nosso socorro está no nome do SENHOR”v.8
Explicação

Salmos 124

124.1-8 Um salmo da recordação dos beneficias recebidos de Deus.

124.1-3 Uma referência poética às várias ocasiões na história de Israel, nas quais o povo quase
sucumbira ás ameaças fatais.

124.4.5 Águas. As grandes civilizações pagãs, os impérios do Egito, Assíria e Babilônia sempre
ameaçavam inundar o povo de Deus com seus exércitos e também com seus vis costumes. O
mundo é perigo constante..

124.6, 7 A preservação nacional do povo de Deus era considerada uma prova e um antegozo da
salvação eterna. Laço. O laço do inferno é a tentação e inclinação para o pecado.

Só Deus pode livrar seu povo. O salmo tem duas partes, a primeira fala do perigo [1-5) e a
segunda de livramento(6-8). Não pode haver livramento onde não há perigo, e se não
reconhecemos o perigo não procuraremos o livramento“.

Quais são os perigos que encontramos descritos neste Salmo?

“Notemos as figuras empregadas pelo salmista: as águas impetuosas(4,5]. a fera (6), o laço do
passarinheiro (7)"

Os perigos e lutas:

124.3 — Nos teriam engolido vivos. O salmista fala de seus inimigos primeiro como feras
famintas, depois como águas turbulentas; mas Deus os derrotou a todos.

124.4,5 — Águas. Como em outros salmos, a referência a águas furiosas tem duas fontes — a
história da criação e os mitos cananeus, segundo os quais deuses malévolos seriam divindades
marinhas (Sl 93).

124.6,7 — Bendito seja o Senhor. Bendizer a Deus significa identificá-Lo como fonte de nossas
bênçãos (Sl 103.2).

Por presa. A imagem animalesca dos inimigos (v. 3) prossegue neste louvor a Deus. A imagem de
um pássaro indefeso que escapou de uma armadilha é frequente nos Salmos (Sl 11.1-3).
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

6-8. Ação de Graças. Bendito o Senhor. O salmista emprega mais adiante figuras de linguagem
para descrever a difícil saída e para exaltar a expressão de gratidão. O último versículo se
refere ao ato de invocar o nome do Senhor na oração, reconhecendo-o como fonte de ajuda.

Olhando para trás, para tudo que passaram e para o modo como o Senhor os protegeu, Davi chega a três
conclusões do fato de Deus se colocar ao lado dos seus servos.

A primeira conclusão é o que aconteceria sem Deus estar ao lado (vv.1-5)

A segunda conclusão é o que aconteceu por Deus estar ao lado (vv.6,7).

A última conclusão é o que significa Deus estar ao lado (v.8).

Felizmente, tais conclusões não apenas valem para nós, igreja de Cristo, como podem até ser observadas a
partir da nossa experiência com o Senhor. Quantas coisas Deus já fez por nós? De quantos males ele nos
livrou? De quantos perigos nos protegeu? E quantas lições já tivemos sobre o que significa ter Deus ao nosso
lado? A primeira conclusão é que não podemos de modo algum querer andar longe de Deus.

Para mostrar a voracidade dos inimigos que a comunidade enfrentou, usa alguns elementos comuns da
tradição judaica:
1. A tradição do Sheol engolindo-os ainda vivos (Pv 1,12; Nm 16,33);

2. As ondas como inimigos mortais ( Gn 6; Sl 18,5);

3. Diante dos inimigos vorazes, Javé concede a libertação (Ex 13);

4. A libertação concedida é figurada com escape da armadilha (Pv 6,5);

5. Por fim Javé o libertador, é o Criador de todas as coisas (Gn 1 e 2).


De acordo com as tradições localizadas no Salmo 124, nos parece que a intenção do salmista, além de
corrigir a teologia da retribuição presente em sua época, focalizando que Javé está atuando e presente na
história da humanidade, criando – e se necessário for recriando-, momentos que gerem esperança nos
corações da humanidade desgastada.

A estrutura do Salmo é a seguinte: (1) conclamação para que as pessoas reconheçam a ajuda de
Deus (v. 1-5); (2) exaltação ao Senhor por Sua ajuda (v. 6-8).

Os filhos e filhas de Deus, firmados na sua palavra, consolidados na fé e em constante oração,


escapam destas e de outras armadilhas por estarem unidos ao Senhor Jesus: “Tornem-se cada vez
mais fortes, vivendo unidos com o Senhor e recebendo a força do seu grande poder. Vistam-se com
toda a armadura que Deus dá a vocês, para ficarem firmes contra as armadilhas do Diabo. Pois nós
não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal…” (leia Ef 6.10-
18 e notas).
124.7,8 - Vocé já se sentiu preso a situações incomuns? Com Deus. existe sempre uma saída,
porque Ele é o Criador de tudo. Nenhum problema está alem de sua capacidade de resolver;
nenhuma circunstância é dificil demais para Ele. Podemos voltar-nos para o Criador, a fim de
sermos ajudados em momentos de necessidade, pois Ele está ao nosso lado. Deus proverá uma
saída: precisamos apenas confiar nEle e procurar a saída que nos oferece. Davi comparou o
livramento concedido por Deus ao de um passaro que escapa da armadilha do caçador.
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

Sl 94. l6 Quem será por mim contra os malfeitores? Quem se porá ao meu lado contra os que
praticam a iniqüidade? 17 Se o SENHOR não fora em meu auxílio, já a minha alma habitaria
no lugar do silêncio.

124:1-5 Vamos Israel reconhece que só o Senhor tem a salvou de extinção (ver 20:07 ; 94:17 ).

124:2 homens atacados. As pessoas orgulhosas e arrogantes ( 123:4 ) podem atacar, mas o
Senhor é a ajuda de Israel ( v. 8 ).

124:3 nos engoliu. Como a morte (ver nota sobre 49:14 ). Mas veja 69:15 .

124:4-5 inundação ... de torrent ... Raging Waters. Veja 18:16 ; ver também 32:6 ; 69:1-2 e
notas.

124:6-8 Resposta de louvor para a libertação, com um enriquecimento vívida das imagens.

124:6 dilacerado por seus dentes. Como por animais selvagens (ver nota sobre 07:02 ).

124:7 Escapamos, como um pássaro, do laço do passarinheiro. A figura mais apto para a
libertação de Israel do cativeiro babilônico (cf. nota sobre 09:15 ).

124:8 No clímax, a grande confissão (ver 121:2 e nota).

O PECADO E A MORTE

A ENTREDA DO PECADO NO MUNDO E PELO PECADO A MORTE Rm 5.12

Seria está a mensagem da ultima Santa Ceia de 2018.

O Pr. Orlando resolveu falar para a Igreja e falou no Salmo 51.10 -12.

Se Deus é por nós

SE O SENHOR NÃO ESTEVESSE DO NOSSO LADO

Salmo 124

Cântico de peregrinação

vv1-8 SE O SENHOR NÃO ESTEVESSE DO NOSSO LADO. Este cântico de ação de graças dá
credito a quem ele é devido: AO SENHOR. Depois que ficamos livres do problema é fácil
esquecer como isso aconteceu. A pratica constante de ação de graças e de louvor nos ajuda a
lembrar disso e manter foco. “O nosso socorro está no nome do SENHOR”v.8
Explicação

Salmos 124
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

124.1-8 Um salmo da recordação dos beneficias recebidos de Deus.

124.1-3 Uma referência poética às várias ocasiões na história de Israel, nas quais o povo quase
sucumbira ás ameaças fatais.

124.4.5 Águas. As grandes civilizações pagãs, os impérios do Egito, Assíria e Babilônia sempre
ameaçavam inundar o povo de Deus com seus exércitos e também com seus vis costumes. O
mundo é perigo constante..

124.6, 7 A preservação nacional do povo de Deus era considerada uma prova e um antegozo da
salvação eterna. Laço. O laço do inferno é a tentação e inclinação para o pecado.

Só Deus pode livrar seu povo. O salmo tem duas partes, a primeira fala do perigo [1-5) e a
segunda de livramento(6-8). Não pode haver livramento onde não há perigo, e se não
reconhecemos o perigo não procuraremos o livramento“.

Salmos (Comentário Bíblico Moody)

Salmo 124. O Libertador dos Peregrinos

Aqui a comunidade livremente expressa a ação de graças. Embora o propósito original fosse
sem dúvida louvar a Deus por um determinado ato de livramento, o lugar deste poema na
coleção dos peregrinos indica também um uso generalizado. Estando os viajantes
constantemente sujeitos ao perigo, as palavras deste salmo poderiam proporcionar-lhes
segurança, fortalecendo a sua fé. ( Somos peregrinos na terra Hino 204- 1ªest.)

1-5. Livramento Operado por Deus. Não fosse o Senhor. A repetição nos versículos 1 e 2 é
litúrgica; a congregação (mais tarde os peregrinos) repetia as palavras do líder. Observe que o
uso efetivo das cláusulas condicionais como apódose tripla (teriam vs. 3-5) completa a prótase
dupla (vs. 1, 2). Se não fosse o Senhor, então o fim seria certo e completo.

6-8. Ação de Graças. Bendito o Senhor. O salmista emprega mais adiante figuras de linguagem
para descrever a difícil saída e para exaltar a expressão de gratidão. O último versículo se
refere ao ato de invocar o nome do Senhor na oração, reconhecendo-o como fonte de ajuda.

Olhando para trás, para tudo que passaram e para o modo como o Senhor os protegeu, Davi chega a três
conclusões do fato de Deus se colocar ao lado dos seus servos.

A primeira conclusão é o que aconteceria sem Deus estar ao lado (vv.1-5)

A segunda conclusão é o que aconteceu por Deus estar ao lado (vv.6,7).

A última conclusão é o que significa Deus estar ao lado (v.8).

Felizmente, tais conclusões não apenas valem para nós, igreja de Cristo, como podem até ser observadas a
partir da nossa experiência com o Senhor. Quantas coisas Deus já fez por nós? De quantos males ele nos
livrou? De quantos perigos nos protegeu? E quantas lições já tivemos sobre o que significa ter Deus ao nosso
lado? A primeira conclusão é que não podemos de modo algum querer andar longe de Deus.
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

124.1 SE NÃO FORA O SENHOR, QUE ESTEVE AO NOSSO LADO. Se Deus não for conosco, não
teremos qualquer possibilidade de escapar dos perigos ocultos da vida, nem de repelir
nosso inimigo espiritual. Os perigos e lutas que se nos apresentam parecem tão invencíveis,
que somente Deus com seu poder miraculoso pode salvar-nos. Por outro lado: Se Deus é
por nós, quem será contra nós? (Rm 8.31). Inimigo algum ou situação desfavorável poderá
nos derrotar quando Deus está do nosso lado.

124.7,8 - Você já se sentiu preso a situações incomuns? Com Deus. existe sempre uma
saída, porque Ele é o Criador de tudo. Nenhum problema está alem de sua capacidade de
resolver; nenhuma circunstância é difícil demais para Ele. Podemos voltar-nos para o Criador, a
fim de sermos ajudados em momentos de necessidade, pois Ele está ao nosso lado. Deus
proverá uma saída: precisamos apenas confiar nEle e procurar a saída que nos oferece. Davi
comparou o livramento concedido por Deus ao de um pássaro que escapa da armadilha do
caçador.

Estudo Devocional

Salmo 124
Deus, o Salvador do seu povo
Canção de peregrinos. De Davi.

124.1-6 Se o SENHOR não estivesse do nosso lado. Veja 120—134, nota. O rei Davi obteve
grandes vitórias nas batalhas, mas sempre as atribuía ao Senhor Deus, porque tinha consciência da
ação salvadora de Deus na vida dos israelitas. O novo Israel, firmado pela aliança em Jesus Cristo,
igualmente tem muitos inimigos. Esses novos inimigos não batalham montados a cavalo ou em
carros de guerra, pois utilizam outra estratégia: avançam sutilmente, aparentemente pacatos,
fingindo-se de amigos e sorrateiramente atacam. As armas utilizadas pelos inimigos de hoje não têm
lâminas afiadas como a espada e nem são pontiagudas como a lança e a seta: são aparentemente
inofensivas, mas injetam venenos potencialmente fortes que escravizam as vítimas matando-as
lentamente. Por exemplo, uma dessas armas que tem destruído boas famílias e avançado pelo
planeta ameaçando sociedades inteiras como uma correnteza violenta é a dependência química,
das drogas. Para enfrentar todas as ameaças, é importante investir numa forte estrutura emocional
e especialmente apoiar-se na pessoa de Deus, buscando ter o Senhor ao nosso lado: adotando a
prática da oração, alimentando-se da Palavra de Deus — a Bíblia —, achegando-se a irmãos de fé,
assim buscando forças e sustentação em Jesus Cristo, que está com o Pai, permanentemente
intercedendo pelos seus amigos e irmãos. Veja o quadro “Armadilhas da vida moderna”.

124.1-5 teríamos morrido afogados na correnteza violenta. Se não fosse Deus em sua graça
alcançando-nos amor, como suportaríamos a tristeza em nosso coração, ao ver o coração
endurecido do inimigo maltratando o que há de mais frágil no ser humano, que é lutar pela
sobrevivência?

124.6-8 que não deixou que… nos destruíssem. A graça de Deus nos alcançou instruindo-nos a
olharmos para o inimigo com olhos convictos de que a Vida em Jesus está muito acima de qualquer
outra proposta. Demos graças ao Senhor, fragilizando o domínio do inimigo que recua com suas
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

armadilhas sem compreender ao certo de onde vem o poder da Vida. Então poderemos olhar de
novo nos olhos do inimigo, certos de que o socorro está naquele que a tudo criou.

124.8 o nosso socorro vem do SENHOR Deus. Percebemos aqui, por esta repetição quase
idêntica do tema do Sl 121, que as armadilhas que nos aparecem ao longo da vida parecem ofertas
de ajuda, promessas de solução de dificuldades, mas que não pertencem ao caminho de Deus. Veja
Sl 121.1-8, notas, e os quadros “Busca de proteção e apego doentio” (Sl 121), e “Armadilhas da vida
moderna”.

Armadilhas da vida moderna


“Escapamos da armadilha do caçador” (Sl 124.7). Esta é mais uma figura de comparação utilizada
pelo Salmista para ensinar preciosa lição. Estrategicamente, o passarinheiro coloca armadilhas para
capturar os pássaros. As armadilhas são atraentes e sedutoras. Na vida real elas são colocadas
pelo inimigo (o Diabo) para prejudicar e prender os servos de Deus. Aplicando-se esta metáfora aos
nossos dias e contextualizando-a, observamos que as armadilhas mais comuns são:

(1) Corrupção: No incontido desejo de enriquecimento fácil, algumas pessoas se corrompem,


sonegam impostos, roubam e forjam contratos para juntarem dinheiro. O dinheiro em si pode trazer
grandes benefícios quando bem adquirido e bem utilizado; mas o amor ao dinheiro, a maneira ilícita
de adquiri-lo e seu uso egoísta o tornam nocivo e se transformam em perigosa armadilha; assim
escreveu o apóstolo Paulo a Timóteo (1Tm 6.10): “Pois o amor ao dinheiro é uma fonte de todos os
tipos de males. E algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram
a sua vida de sofrimentos”. Veja também o quadro “A dificuldade das riquezas” (Lc 18).

(2) Promiscuidade sexual: O sexo é uma dádiva preciosa de Deus para a humanidade, é o modo
que Deus escolheu para a satisfação amorosa e sentimental do casal e para a procriação da raça
humana, a fim de constituir família e formar a sociedade. É lindo, é bom para a saúde e anima a vida
de quem o pratica (veja também o quadro “A beleza da sexualidade” (Ef 5)). No entanto, seu uso
inadequado e de maneira prostituída produz efeito contrário, provoca desarmonia entre os casais,
entre famílias e até destrói vocações ministeriais: é uma perversa armadilha (veja o quadro
“Sabedoria na sexualidade” (1Ts 4)).

(3) Infidelidade conjugal: Inúmeros casamentos têm sido destruídos por causa de infidelidade
conjugal, provocando separação dos filhos e destruição de vínculos familiares. Comumente a
infidelidade passa por dois estágios: (1) Inicia-se imperceptivelmente pela falta de atenção entre o
casal, falta de cultivo da relação conjugal, excesso de trabalho em detrimento do convívio conjugal;
provocando vazio na relação, tornando-se rotineiro e sem inovações, desenvolvendo carência
afetiva. Comumente, a infidelidade se agrava quando um dos cônjuges se interessa por leituras
pornográficas, por acessar sites de relacionamentos impróprios, assistir regularmente filmes eróticos
e pornografia, frequentar ambientes sociais libertinos e relacionar-se com esse meios, enfim,
alimentar prazer em conviver com essas práticas. (2) Segue-se a isso uma forte e quase irresistível
atração por começar uma experiência sexual fora da aliança conjugal. Neste estágio, convém
procurar imediatamente ajuda terapêutica ou cercar-se de um idôneo conselheiro espiritual e,
principalmente, firmar-se na força do Senhor Jesus para não entrar nessa terrível armadilha. Veja os
quadros “Sexualidade, casamento e espiritualidade” (Jo 4), e “Sexualidade no aconselhamento
pastoral e na psicoterapia” (1Tm 5).

(4) Dependência química: Começa pela simples experimentação, por curiosidade, de produtos que
levam ao vício, como o cigarro, o álcool, a maconha, a cocaína, ecstasy, crack e outros. A pessoa
emocionalmente fraca é facilmente induzida a entrar nessa armadilha, que sustenta e enriquece um
verdadeiro exército de traficantes em todo o mundo. Infelizmente pessoas que se declaram cristãs
também têm entrado nesse caminho quase sem volta.

Os filhos e filhas de Deus, firmados na sua palavra, consolidados na fé e em constante oração,


escapam destas e de outras armadilhas por estarem unidos ao Senhor Jesus: “Tornem-se cada vez
mais fortes, vivendo unidos com o Senhor e recebendo a força do seu grande poder. Vistam-se com
toda a armadura que Deus dá a vocês, para ficarem firmes contra as armadilhas do Diabo. Pois nós
não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal…” (leia Ef 6.10-
18 e notas). Veja também o quadro “O uso do álcool” (Jo 2).
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

Significado de Salmos 124


O Salmo 124, um salmo de louvor declarativo, é um dos quatro Cânticos dos Degraus atribuídos a
Davi (Sl 122; 131; 133). Este salmo provavelmente foi criado para ser lido em voz alta como antífona
(Sl 118.1-4; compare com Sl 121; 129; 134; 135; 136). A estrutura do poema é a seguinte: (1)
conclamação para que as pessoas reconheçam a ajuda de Deus (v. 1-5); (2) exaltação ao Senhor
por Sua ajuda (v. 6-8).

124.1.2 — O Senhor, que esteve ao nosso lado amplifica o sentido do nome divino de Deus (Ex
3.14,15). Os termos do texto em hebraico são mais dramáticos ainda: 0 Senhor estava conosco. Os
sacerdotes podem ter proferido as palavras ora, diga Israel para animar o povo a recapitular sua
história nacional em voz alta (Sl 129).

124.3 — Nos teriam engolido vivos. O poeta fala de seus inimigos primeiro como feras famintas,
depois como águas turbulentas; mas Deus os derrotou a todos.

124.4,5 — Águas. Como em outros salmos, a referência a águas furiosas tem duas fontes — a
história da criação e os mitos cananeus, segundo os quais deuses malévolos seriam divindades
marinhas (Sl 93).

124.6,7 — Bendito seja o Senhor. Bendizer a Deus significa identificá-Lo como fonte de nossas
bênçãos (Sl 103.2).

Por presa. A imagem animalesca dos inimigos (v. 3) prossegue neste louvor a Deus. A imagem de
um pássaro indefeso que escapou de uma armadilha é frequente nos Salmos (Sl 11.1-3).

124.8 — O nosso socorro está em o nome. A importância do nome de Deus, Yahweh, é


reafirmada em vários pontos dos Salmos. E em Seu nome que Deus revela que Ele está com Seu
povo (mensagem do v. 1). As palavras que fez o céu e a terra se parecem com os termos de Salmos
121.2; 134.3. Estas expressões litúrgicas eram provavelmente recitadas pela comunidade durante
sua viagem para Jerusalém e, quando lá chegava, cantadas na adoração comunal.

Comentário de Matthew Henry

Versículos 1-5: A libertação da Igreja; 6-8: O agradecimento pela libertação.

Vv. 1-5. Às vezes Deus tolera que os inimigos de seu povo prevaleçam contra este, para que o seu
poder possa ser visto de uma melhor forma na libertação dos oprimidos. Feliz é o povo cujo Deus é
Jeová, o Deus absolutamente suficiente. Além de aplicar este fato a qualquer libertação em
particular, realizada em nossos dias e nas épocas antigas, devemos ter em nosso pensamento a
grande obra de redenção realizada pelo Senhor Jesus Cristo, pela qual os crentes, foram
resgatados de Satanás.

Vv. 6-8. Deus é o autor de todas as nossas libertações, e somente Ele deve ter a glória. Os inimigos
colocam armadilhas contra o povo de Deus, para levá-lo ao pecado e aos problemas, e para que
possam retê-los nestes. Às vezes, parecem vencer; porém, depositemos toda a nossa confiança no
Senhor e não seremos confundidos. Os crentes darão toda a honra de sua salvação ao poder, à
misericórdia e à verdade de Deus, e olharão para trás, maravilhados e agradecidos pelo caminho
através do qual o Senhor os dirigiu. Regozijemo-nos de que o nosso socorro para o tempo vindouro
esteja naquEle que criou os céus e a terra.

Está claro no Salmo 124 que o contexto é de conflito. O salmista reconhece a presença de Javé em meio
a esses conflitos como essencial à sua sobrevivência, podemos perceber em outros textos o mesmo
reconhecimento tais como (Sl 56,9; Sl 118,10-12).
Mas além deste reconhecimento triunfal da presença de Javé, também podemos perceber no livro de
Salmos situações de extremo desespero em vista do povo estar acuado. Esses textos são : Sl 44,9-14; Sl
74,10-11; Sl 108, 11-13.
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

Me parece que a intenção do Salmo 124 é retomar a chamada teologia da retribuição tão vigente
em sua época, que praticamente “pregava” a prosperidade do povo justo em todos os sentidos possíveis,
e a desgraça divina que estava entregue o ímpio, o destituído da presença de Deus.
Em outras palavras, o justo não sofria porque Deus estava ao seu lado, já o pecador não poderia se
contentar a não ser sofrer nas mãos de um deus irado.

Me parece que o Salmista corrige esta deficiência, e declara no Salmo 124 que a presença de Deus não
exime o sofrimento, se une a voz profética declarando que Javé É o Senhor da história
da humanidade, não sendo um simples espectador na história humana.

Para mostrar a voracidade dos inimigos que a comunidade enfrentou, usa alguns elementos comuns da
tradição judaica:
1.
A tradição do Sheol engolindo-os ainda
vivos (Pv 1,12; Nm 16,33);

2.
As ondas como inimigos mortais ( Gn 6;
Sl 18,5);

3.
Diante dos inimigos vorazes, Javé concede
a libertação (Ex 13);

4.
A libertação concedida é figurada com
escape da armadilha (Pv 6,5);

5.
Por fim Javé o libertador, é o Criador
de todas as coisas (Gn 1 e 2).
De acordo com as tradições localizadas no Salmo 124, nos parece que a intenção do salmista, além de
corrigir a teologia da retribuição presente em sua época, focalizando que Javé está atuando e presente na
história da humanidade, criando – e se necessário for recriando-, momentos que gerem esperança nos
corações da humanidade desgastada.

Exegese

Assim
como pudemos observar, na época pós-exílica havia uma forte influência do
pensamento da chamada “teologia da retribuição”; sendo desmascarada
pelo salmista, pois segundo foi exposto na Análise de Detalhes os homens que
na perícope eram os representantes da opressão, os quais pervertiam o
direito, bem como subornavam os tribunais, foram alvos do julgamento de
Javé.
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

Desta
forma, Javé se Revelou mostrando-se favorável à causa das vítimas, defendeu
o direito do indefeso, do oprimido, mostrando-se favorável as situações que
gerem vida, pois Ele é a Fonte da Vida.

Desta
forma a vida é resultado da ação de Javé manifesta na criação dos céus e da
terra, bem como libertando o seu povo (Kraus, 1985, 85). Como
reconhecimento deste ato libertador de Javé, os peregrinos entoam cânticos de
louvor e exaltação à caminho do Templo. Assim Javé é o Deus vivo que está
presente e atuante na história humana, ouvindo os clamores do seu povo,
agindo em favor do homem oprimido, humilhado pelos poderosos deste mundo.

Assim
a idéia do Sheol está apresentado de uma forma bem sutil no Salmo 124, pois
no pensamento judaico o “reino dos mortos” é uma residência provisória o qual
se aguarda a ressurreição e o juízo (Martin-Achard, 2005, 61), lugar que
assegura
a separação entre justos, bem como a sua felicidade; e pecadores reservando
o sofrimento. Desta forma o Sheol é um lugar “onde não há lembrança de
Deus”
(Brown, 1989, 431), estando até mesmo distante da presença de Javé
(Schmidt,
2003, 458).

Desta
forma Javé é a origem da vida; é na vida humana que Javé demonstra que
está
próximo revelando-se na história humana. Assim quem deseja participar da
vida
deve se aproximar de Javé ( Kraus, 1985, 219) e suplicar a sua assistência.

Assim
Javé não é somente a origem da vida, mas seu domínio se estende até
mesmo
ao Sheol, libertando do mundo dos mortos. Todas as coisas estão submetidas
à soberania de Javé; assim aqueles que cantam como expressão comunitária
de
ações de graças, testemunham aos atos libertadores de Javé.

Desta
forma, mesmo não escrevendo claramente a respeito da liberdade, ela está
implícita
na perícope, pois não há vida plena de significado sem liberdade
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

(Westermann,
2005, 180).

A
liberdade não é vista somente sob o ângulo da morte, mas também é vista
dentro
da opressão que aquelas famílias estavam submetidas, principalmente pelo
direito
que fora extorquido. Quando falamos sobre liberdade, uma coisa que os
judeus
conheciam bem de perto era situações pelas quais se viam tolhido desta
liberdade.

Javé
para Israel significava muito mais do que um mero deus, mas era aquela que
havia liberto o povo da escravidão do Egito (Pixley, 2004, 10). Pensar em
um sistema religioso opressor seria contra-senso; pensar em uma sociedade
opressora seria caminhar contra a direção apontada por Javé no evento do
êxodo.

Por
fim, porque Javé é Senhor Soberano da História o salmista conclama a toda
a comunidade reunida a exaltar e glorificar o Nome de Javé. Ele é o Senhor
de todas as criaturas, Éo Senhor de Israel, por isso o auxílio está em suas
mãos; a confiança em Javé é justificada “pelo seu poder Criador” (Weiser,
1994, 589).
A
tradição teológica da criação é forte entre os juedeus, principalmente porque
a terra segundo o relato de Gênesis é visto como sendo “um conjunto de água
e terra sem possibilidades para a vida” (Von Allmen, 1972, 76). Assim esta
terra sem qualquer perspectiva de vida é tornada em algo sob o qual é
“possível
a vida onde antes não era” (Von Allmen, 1972, 76).

Javé
é o Deus que liberta o povo de Israel dos cativeiros, criador do céu e da
terra. O salmista unifica as tradições em respeito ao Sheol – dentro da
perspectiva
de uma situação caótica da terra sem vida, próximo do não mundo, dominado
pela opressão dos poderosos, com a criação de uma nova possibilidade de
vida.
ULTIMA SANTA CEIA DO ANO 2018 23/12/18

Nesta
nova possibilidade vida Javé está criando um mundo melhor, basta que a
comunidade aguarde esperançosamente pela “Dia de Javé”.

Assim
nesta expectativa pelo agir de Javé, o salmista convida a comunidade reunida
expressar a sua confiança com louvores e ações de graças, não temendo o
que os poderosos possam fazer; não temendo as suas armas e sua fúria, pois
Javé liberta o seu povo das garras dos opressores; o povo foi liberto do “reino
dos mortos”, a história humana está em Suas Mãos.

Mas
esta expectativa por uma nova possibilidade de vida criada por Javé, não pode
estar desassociada da justiça individual e coletiva, o qual somente é possível
quando está presente na sociedade a preservação da paz através do
cumprimento
dos mandamentos em relação ao próximo (Harris, 2001, 1879).

Assim
justos diante de Javé são aqueles que assumem uma atitude de serviço tanto
ao Senhorio de Javé, bem como acolhe o necessitado e desamparado.

No
ambiente de culto o povo de Deus é convidado a quebrar as barreiras que
promovem a separação da comunidade, bem como destruir as injustiças
através da solidariedade, fraternidade e igualdade.

Mas
quando os homens falham no cumprimento dos mandamentos voltados ao
próximo, poderá encontrar abrigo, proteção, defesa da causa em Javé Aquele
que resgata
e continua fiel à sua aliança com Seu povo, agindo em favor dos oprimido e
esquecidos pela sociedade.

Interesses relacionados