Você está na página 1de 42

INTRODUÇÃO AO DIACONATO

1
INTRODUÇÃO AO DIACONATO

Pois os diáconos que fazem um bom trabalho conquistam o


respeito dos irmãos na fé e são capazes de falar com coragem
sobre a sua fé em Cristo Jesus. 1Tm 3.13

INTRODUÇÃO: A palavra diáconos vem do vocábulo grego DIAKONOS,


vocábulo este que era empregado para designar ou significar servos,
assistentes ou serventes, prestando os mais variados serviços.

A ORIGEM DO DIACONATO

Podemos ver a origem do Diaconato no relato de Atos 6.1-7, onde vemos o


problema que estava acontecendo na igreja primitiva relacionado à distribuição
dos alimentos para as viúvas de fala grega e as de fala hebraica, onde são
levantados sete homens com os requisitos de terem um bom Testemunho,
serem cheios do Espírito Santo e de Sabedoria. Podemos ver que desde sua
origem o ministério do Diaconato é levantado para servir e para resolver
problemas. Além disso, vemos que não eram quaisquer pessoas que foram
separadas para servir a mesa, mas pessoas com características muito
distintas, as quais se destacam Felipe, o primeiro missionário da Igreja, e
Estevão, o primeiro mártir da Igreja.
Na igreja primitiva a palavra diácono e suas variações, eram utilizadas no
sentido amplo. Mas esta patente em certos textos mostra a existência de um
tipo de ofício na Igreja, a que Paulo designou de diaconato. Aqueles que
exerciam o diaconato Paulo chama de Diáconos.

Vejamos alguns textos como exemplos:


1- Mt. 23:11 “Mas o maior dentre vós será vosso servo”
2- Marcos 10:44- “e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos.”
De igual modo podemos aqui substituir o vocábulo servo por diácono.
3- João 2:5 “Então ela falou aos serventes...”

2
4- Atos 6:2 “..Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para
servir as mesas”.
5- Romanos 16:1-2 “Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que está servindo à
Igreja de Cencréia.
6- Diácono – com o sentido de ministério da parte de Deus em favor dos
homens (mais claramente ministrador das coisas do evangelho).
- Rm. 15:8 – Ministro da circuncisão.
- I Co. 3:5 - servos e ministros da Palavra. - Fil. 1:1 – servos e ministros da
Palavra.

O diácono tem que ser alguém que se coloca á disposição da Igreja como
servo

O diácono tem que entender que não está desempenhando um serviço


qualquer, mas um ministério da parte de Deus.

PERFIL BÍBLICO DO DIÁCONO E DAS DIACONISAS

Atos 6.1-7; 1 Timóteo 3.8-13 e Tito 1.5-9


 Homens e Mulheres que sejam respeitáveis.
 Homens e Mulheres que sejam de uma só palavra.
 Homens e Mulheres não inclinados a muito vinho.
 Homens e Mulheres não cobiçosos de sórdida ganância.
 Homem que seja marido de uma só mulher.
 Homem que governe bem a sua casa.
 Homens e Mulheres de boa reputação (boa fama);
 Homens e Mulheres cheios do Espírito Santo;
 Homens e Mulheres cheios de sabedoria.
 Homens e Mulheres que conservem o ministério da fé com a consciência
limpa.

3
A FUNÇÃO DO DIÁCONO (MODO GERAL)

 Honrar o seu pastor;


 Facilitar o trabalho dos Pastores;
 Servir e ser capaz de colocar em prática os ensinos de Jesus;
 Servir com responsabilidade e amor, assim como Jesus veio nos servir;
 Servir com disposição assim como a Igreja espera e precisa;
 Servir tendo consciência de que o diácono deve ser o modelo da Igreja;
 Servir com zelo, estímulo e de forma organizada;

A FUNÇÃO DO DIÁCONO EM LAGOINHA

 Zelar pelo bom andamento do culto;


 Funcionar como assistente do Pastor;
 Recolher os dízimos e as ofertas;
 Cuidar da preparação e distribuição dos elementos na celebração da Ceia;
 Visitar e levar ceia para os doentes e hospitalizados, participar dos
departamentos dentro ministério;
 Recepcionar os irmãos da melhor maneira possível conforme orientado pelo
coordenador (entrega do boletim, servir água, etc.)
 Participar de um culto fora de seu plantão.
 Servir, facilitar o trabalho dos Pastores, cuidando dos assuntos
temporais e materiais da Igreja de tal maneira que os pastores possam
se dedicar à oração e ao Ministério da Palavra. (At 6:4);
 Servir em obediência a Deus e seu Pastor bem como a liderança do
Diaconato;

O QUE DESQUALIFICA UM DIÁCONO E O QUE NÃO PODE SER


FEITO DURANTE OS PLANTÕES

 Falta de compromisso com o Ministério;


 Falta de fidelidade ao seu pastor e a visão que Deus lhe deu; (I Pedro 2:17)
 Não ser dizimista fiel; (Mal 3:8-10)
 Não saber perdoar e não saber pedir perdão; (Mt 6:12)
 Não estar enquadrado nas exigências bíblicas para o diaconato. (I
Tessalonicenses 4:4)
 Não estar em célula.
 Ser disseminador de conversas alheias.
 Ocupar-se, durante o plantão, com atividades alheias ao diaconato.
4
 Formar grupos de bate-papo nas entradas, corredores ou nas escadas do
Templo;
 Ausentar-se do posto onde foi escalado;
 Receber oferta e dízimos dos irmãos;
 Perder a salva de vista;
 Encaminhar bilhetes ou pedidos aos pastores no púlpito.

ESTRUTURA DO MINISTÉRIO DIACONATO


NA LAGOINHA SEDE

1. O Diácono tem um plantão semanal de responsabilidade e pode


apoiar outros plantões durante a semana;
2. Seu local de plantão não é fixo por culto.
3. A igreja te fornece uma blusa, você adquire o restante do
uniforme (calçados, saia ou calça e agasalho).
4. A igreja não se responsabiliza pela sua alimentação ou
transporte em seus respectivos plantões (ainda que esporadicamente
ela possa te fornecer se combinado previamente).
5. A igreja indica o pastor para a liderança do ministério e ele
indica a equipe dos plantões; líderes e coordenadores.
6. Estes líderes e coordenadores respondem pelo seu plantão e a
eles se deve a prestação de contas quanta a falta ou mudança de
setor ou plantão. (dia de culto para servir)
7. O diácono ou diaconisa vai escolher o culto em que vai servir,
juntamente com a demanda de necessidade do plantão, levando em
consideração sua identidade com o estilo de culto e as condições
para o mesmo hora/local, início e término, pois o mesmo deve
chegar 30 min. Antes e sair somente após o término do mesmo.

5
HISTÓRIA DA IGREJA BATISTA DA LAGOINHA

6
História da Igreja Batista da Lagoinha

Estudar a História de Lagoinha, não se resume a decorar datas e


nomes, isso é somente uma parte do conhecimento que essa matéria pode
oferecer. Mais importante é relacionar fatos e acontecimentos anteriores para
demonstrar a unção e graça que O Senhor derrama na Lagoinha, e a
cronologia dos acontecimentos mostram que a igreja está no caminho certo,
visto o crescimento que a Lagoinha tem.

20 de dezembro de 1957 - FUNDAÇÃO DA IGREJA BATISTA DA


LAGOINHA
A Igreja Batista da Lagoinha nasceu diretamente do coração de Deus,
para cumprir o mandamento do “IDE” de Nosso Senhor Jesus Cristo. Cerca de
20 irmãos oriundos da Igreja Batista do Barro Preto alugaram um salão na Rua
Formiga, 322 e convidaram em 15 de maio de 1958, o Pastor José Rego do
Nascimento para pastorear a nova igreja, ele era pastor de uma igreja em
Vitória da Conquista, BA, qual era conhecida em todo o Brasil.

Ano de 1958 para 1959 - A PRIMEIRA CRISE…


Alguns irmãos começaram a ficar descontentes com a forma de
pregação do Pastor Rego, pois ele pregava com muita unção e ficaram
descontentes devido ao fato de que o Pastor Rego não haver preparado
nenhum conferencista para o primeiro aniversário da igreja, fato sem
importância, mas que se tornou explosivo, o motivo era atingir o Pastor Rego,
que era batista com convicções batistas. Realizada uma assembleia em que
todos votaram em papeizinhos onde cada irmão diria se considerava o pastor
Rego “batista” ou “pentecostal”. A surpresa foi que a maioria votou em “batista”.
Contudo do grupo descontente era justamente no nome de quem estava o
aluguel do galpão da Rua Formiga, assim a igreja foi fechada.
Os irmãos foram acomodados na Terceira Igreja Batista, no bairro Santa
Ifigênia, pastoreada pelo Pastor Aquiles Barbosa, mais tarde a igreja mudou-se
para o bairro Floresta e os congregados do Pastor Rego começaram a procurar
um local para a igreja, essa procura durou exatamente 40 dias (mesmo tempo
da peregrinação do povo judeu pelo deserto) quando acharam duas lojas para
alugar na Rua Manoel Macedo, onde a igreja teve um novo e forte recomeço.
Com a chegada da missionária Rosalee Apleby que tinha um sonho de um
avivamento espiritual para o Brasil, a influência e unção desta missionária
foram tão fortes que marcaram essa fase da Lagoinha, muitas mães
registravam o nome da missionária para suas filhas. Nessa época começou a ir
ao ar o programa “Renovação espiritual”, na Rádio Guarani, nome do programa
escolhido pela Missionária Rosalee, programa este que tinha alcance nacional.
As pessoas ouviam a emissora e começaram a se identificar com as
mensagens do pastor Rego, que começou a ser convidado a pregar em igrejas
espalhadas por todo Brasil.
7
O ano de 1964 - ANO DE MUDANÇAS
Foi o ano de mudanças, tanto na vida natural, como o movimento onde
os militares tomaram posse do governo do Brasil, como na vida espiritual pois a
Lagoinha foi excluida da Convenção Batista Brasileira, exatamente na
convenção desse ano em Niterói-RJ, quando os irmãos estavam votando a
exclusão a luz se apagou sendo a votação feita à luz de velas, sendo que sete
igrejas de Minas Gerais permaneceram com a Lagoinha.

O ano de 1965 - COMEÇAR… MAIS UMA VEZ


No ano de 1965 foi programado o primeiro encontro de renovação
espiritual em Belo Horizonte, exatamente na Lagoinha, sendo o encontro
destinado somente a pastores, mas veio muito povo também e irmãos de
diversos locais do Brasil.

No ano de 1966 - ENCONTRO DE RENOVAÇÃO ESPIRITUAL


Neste ano houve o segundo Encontro de renovação espiritual, no qual já
estava presente o nosso pastor Márcio que havia se convertido em 19/05/1966
Vieram diversas denominações participar do encontro, tais como irmãos
da Presbiteriana, Metodista, Congregacional e outras que foram alcançadas
com o batismo do Espírito Santo e com a realidade dos dons espirituais.
Nessa época foi formada a Associação Missionária Evangélica – AME,
que funcionava como uma cooperativa de igrejas, ressaltando que havia em
Belo Horizonte o STEB – Seminário Teológico Evangélico, dirigido pelo pastor
Wilson Reges de caráter visionário e pregador abençoado.

ano de 1966 - PROPÓSITOS…


Pastor Rego adoece, mas não de uma doença física, mas sim
inexplicavelmente emocional. Após adoecer o Pastor Rego foi para o Rio de
Janeiro. Quem ficou em seu lugar foi o Pastor Airton.

Em 1967 - RETORNO DO PASTOR REGO


A diretoria da igreja tinha um relacionamento muito direto com o Pastor
Rego e no retorno dele o Pastor Airton convidou o Pastor Rego a assumir
novamente o pastorado da Lagoinha. Nessa época iniciou-se a construção do
Tabernáculo.
Nesse ínterim somente existia como pentecostal a Assembléia de Deus
com seus costumes e doutrinas, e a Lagoinha tinha característica
assembleiana em função do pastoreio do Pastor Airton, e o Pastor Rego
sempre foi de cunho espiritual, voltado ao batismo com o Espírito Santo e dons
espirituais.

Ano de 1970 - CONCLUSÃO DO NOVO TEMPLO (TABERNÁCULO)


Na meio tempo a Lagoinha estava construindo o Tabernáculo, que
somente ficou concluído em 1970.
Nessa época aconteceu a crise : Pastor Airton de cunho assembleiano e
o Pastor Rego de cunho pentecostal, os dois já não falavam a mesma “língua”
e nenhum dos dois permaneceu na igreja e a Lagoinha ficou sem pastor.
8
1968 a 1971- PASTOREIO DO PASTOR REUEL
Com a igreja sem pastor foi convidado o Pastor Reuel Feitosa, que
assumiu o pastoreio da Lagoinha, permanecendo de 1968 até 1971, ficando
como pastor interino o pastor Hilton Quadros, que era Secretário Executivo da
Convenção Batista.

Em 1971 – PASTOR REUEL DEIXA A IGREJA


Pastor Reuel deixa a Igreja, assume como pastor interino, o Pastor Hilton
Quadros, Secretário Executivo da Convenção Batista

26 de março de 1972 - ESCOLHA DE NOVO PASTOR


Os irmãos começaram a orar e a buscar em Deus para que
designassem um novo pastor permanente.
Nessa ocasião o carro do pastor Hilton capota em viagem à Brasília e a
Igreja ficou novamente sem pastor, quando o Pastor Márcio chega a BH é
convidado pelo Pastor Hilton a pregar. Mesmo tendo estado como pastor no
Paraná, o Pastor Márcio nunca deixou de ser membro da Lagoinha, e aceitou o
convite do Pastor Hilton e começou a pregar em Lagoinha.

30 de julho de 1972 - O POVO PREFERE FICAR COM O PASTOR


MARCINHO
O povo continuava a orar buscando a Deus por um pastor. O Pastor
Hilton convoca a comissão para o processo de busca por um pastor, quando os
membros da comissão afirmaram que o “Marcinho” estava indo bem e o povo
gostava dele.
No dia 30/07/72 toma posse do pastorado da Igreja da Lagoinha, o nosso
Pastor Márcio, solteiro e com apenas 23 anos de idade. Na época a Lagoinha
tinha aproximadamente 300 membros, com costumes batistas e estava
dividida, uns se consideravam batistas pentecostais conforme o Pastor Rego e
outros assembleianos conforme o Pastor Airton.
Mas o Senhor tinha um plano para a Lagoinha, e o Pastor Márcio
sempre na dependência do Senhor, tinha uma visão e a igreja crescia
conforme os planos do Senhor, com abertura de novas congregações e foram
abertas cerca de 100 delas.
Havia culto aos domingos. Às segundas e às quintas feiras aconteciam
as reuniões, os membros ficavam felizes, mas, existia uma inquietação, pois os
membros queriam mais de Deus

21 de abril de 1987 - EMANCIPAÇÃO DAS IGREJAS


Nessa época houve a emancipação de todas as congregações, elas se
tornaram independentes e a cada uma delas ficou com o patrimônio existente,
algumas delas se tornaram “referência” para todas as outras, como exemplo
citamos a Igreja Batista Getsêmani, do Pastor Jorge Linhares.
Permaneceram na Lagoinha cerca de 1200 membros que tiveram que se
recadastrar, antes da emancipação a Lagoinha contava com cerca de 5000
9
membros.
Conforme a visão do pastor, de se investir mais nos membros, foram
criadas a Casa Pastoral e investidos pastores em tempo integral.
Nessa ocasião foi criado o movimento dos Grupos de Crescimento GC,
na visão de investir mais nos membros para que mais e mais pessoas se
rendessem aos pés de Jesus.
O Pastor Jonas, começou a viajar pelo Brasil estudando como as outras
igrejas desenvolviam os Grupos de Crescimento e como era feito o trabalho,
foram visitadas igrejas no Brasil e até no exterior como na Coréia e Argentina.

Abril de 1997 - INAUGURAÇÃO DO NOVO TEMPLO


Neste ano foi inaugurado o novo templo da Lagoinha com capacidade de
até 6.000 pessoas.

ANO DE 1997 - MINISTÉRIO DIANTE DO TRONO


Na direção do Senhor a partir de 1997, Ana Paula Valadão inicia os
trabalhos do Diante do Trono, que marcou época na vida das igrejas no Brasil,
gravações de CD como o “Preciso de Ti” gravado no Mineirão, onde mais de
250.000 irmãos estiveram presentes. Em Brasília, DF, mais de 1.000.000 de
pessoas estiveram para acompanhar a gravação do Diante do Trono “Nos
Braços do Pai”, e outros eventos de gravação memoráveis.
Também o André Valadão, hoje Pastor, lançou-se na música gospel,
sendo muito abençoado e premiado por suas canções que já venderam
milhares de cópias, além de que o Pastor viaja constantemente apresentando
sua música e ministrando suas canções.

Novembro de 1999 - AVIVAMENTO EM LAGOINHA


Nesta época chegou o tempo de avivamento em Lagoinha, milhares de
vidas tem se convertido ao Senhor através das ministrações de Lagoinha. É
tempo de colheita, tempo de abundância, tempo de multiplicação.
Todas as dificuldades, crises e recomeços, lágrimas fazem parte da obra do
Senhor, para moldar a Lagoinha para que seja conforme a igreja que o Senhor
quer aqui na terra, uma igreja modelo.
Estamos vivendo o tempo de ser uma igreja que ajuda outras pessoas,
que serve como inspiração, buscando sempre a glória de Deus. E somente Ele
pode fazer isso, Só mesmo a bondade do Senhor!

Em 17 de junho de 2002- INAUGURAÇÃO DA REDE SUPER DE TELEVISÃO


Neste ano, a Igreja Batista da Lagoinha adquiriu a Rede Super de
Televisão, iniciando a transmissão para todo o Brasil, 24 horas de programação
genuinamente evangélica. Marcaram época programas como Tio Uli e os
bonecos, Programa Balaio, Super Sônika, Sempre Feliz, Programa Diante do
Trono, Programa Fé, Noite e Cia, dentre outros, além de cultos transmitidos ao
vivo.
Com a modernidade da tecnologia, hoje a Rede Super transmite ao vivo,
além de via satélite, via cabo e UHF, transmite pela internet alcançando todo o
Brasil além do mundo todo.
Nesse mesmo período foi adquirida a Rádio Super FM, transmitida na
10
frequência de 90.3 mhz, que é ouvida na grande BH, anunciando sempre o
Reino de Deus.
Essas duas “ferramentas” que o Senhor colocou nas mãos do Pastor
Márcio fizeram e fazem com que a Lagoinha seja conhecida nacionalmente e
internacionalmente, potencializando o IDE DE NOSSO SENHOR na pregação
de boas novas do Reino de Deus.

Nos dias de hoje :


A história da Lagoinha é assim… Há muitos detalhes… Às vezes dores,
lágrimas, sofrimento, mas, por outro lado, muitas vitórias alcançadas pelo
poder do Senhor. Vemos a Igreja da Lagoinha como resposta das orações de
dona Rosalee, esta irmã que já está na glória! Ela orava por um avivamento no
Brasil. Cremos que isso está acontecendo, pois só a Convenção Batista
Nacional abriga mais de 1.200 igrejas no País. E estas igrejas, por sua vez,
alcançam com as congregações mais de 2.500 igrejas.
Destacamos alguns eventos principais, ligados ao setor “mídia” da
história da Lagoinha:
● 1980 - Programa Encontros de Paz, transmitido pela Rádio
Atalaia
● Março de 1981 - Início da publicação do Jornal Atos Hoje
● 1990 - Programa Profetizando Vida pela Rádio Bandeirantes
● Abril de 1994 – Início do Ministério Publicações
● Março de 1997 – Início da programação da rádio comunitária
● Em 2000- início da revista bi-mensal Profetizando Vida
● 29/06/2001 – inauguração do portal na internet lagoinha.com
● Em 2002 – Início da publicação dos livros Mensagens do
Pr.Márcio
● 17/06/2002 – Início da programação da Rede Super de Televisão

Isso é fruto de um trabalho que começou lá trás, e a Igreja Batista da


Lagoinha teve a oportunidade de ser uma semente dentro de todo esse
processo.
Devemos destacar o trabalho missionário que a Lagoinha executa,
mantendo missionários em diversos locais no Brasil, como o Vale do
Jequitinhonha, e em diversos países, tais como Índia, Inglaterra, Portugal,
Moçambique, Cabo-Verde, Rússia, Peru, Finlândia, Albânia, Nepal e tantos
outros onde O Senhor tem enviado seus missionários.
Hoje a Lagoinha conta com mais de 150 “Lagoinhas” somente dentro de
Belo Horizonte e outras “Lagoinhas” pelo Brasil e até no exterior, como
Londres, Miami, Boston, Madri, Porto, Lisboa, EUA.
A Lagoinha conta com mais de duzentos ministérios, trabalhos esses
que demonstram o amor do Senhor pelas almas.
Essa é a história. E vai continuar…

11
HISTÓRIA DO DIACONATO

12
O Corpo Diaconal da Lagoinha remonta à época do crescimento da Igreja e
existe até hoje para servir à ela.
Salão dos Diáconos
O salão dos diáconos, preparado e equipado especialmente para uso
dos diáconos, ficava na Rua Juazeiro, 29, local onde os diáconos pudessem se
reunir uns com os outros, mas acima de tudo ter comunhão com o Senhor.
Este espaço também foi aproveitado para outros ministérios, equipes e células
da igreja, para cursos e palestras e cultos, bem como reuniões do “Chá com
Deus”, “Rede de Esportes”, “Abrigo pró Criança”, “Culto Siloé”, “Aliança
Universitária”, “Homens da Promessa” e tantos outros.

Diaconato em Equipes de Plantão


Antigamente a estrutura do Corpo Diaconal era formada por quatro
equipes, que semanalmente se revezavam no serviço da Igreja. Havia uma
reunião todas às sextas-feiras da equipe que iria servir na semana vindoura.
Essa reunião aconteceu no Salão dos Diáconos. Na reunião os diáconos eram
informados pelo coordenador da equipe das ordens, orientações e preceitos,
bem como das atividades, congressos que iriam acontecer na Lagoinha na
semana entrante. Não raro era o próprio Pastor Márcio que comparecia a
essas reuniões para instruir os diáconos.
Nas reuniões havia confraternização geral, orações pelos
aniversariantes do grupo, orações pelos que porventura estivessem com
problemas ou enfermos; e sempre no final das reuniões havia um lanche
acompanhado de refrigerantes.

Diaconato em Equipes por Culto


A partir do pastoreio do Pastor Omar foram desfeitas as equipes que
faziam plantões semanais e implantaram-se equipes que servem
semanalmente em equipes fixas por culto.

Uniformes
O uniforme utilizado antigamente sempre fornecido pela igreja era, para
os diáconos terno preto, camisa branca e gravata listrada, e havia um boton
com o nome do diácono, para as diaconisas saia e blusa com o logotipo da
Lagoinha, veste esta de cor verde, além do boton com o nome da diaconisa.
Depois o uniforme dos diáconos e diaconisas foi substituído para os homens,
além da calça preta, uma camisa de jérsei com o logotipo Corpo Diaconal da
Lagoinha, para as diaconisas, calça ou saia preta e camisa igual aos diáconos,
usava-se um crachá que além do logotipo da Lagoinha mostrava o nome do
diácono / diaconisa. Este uniforme foi substituído pelo atual, camisa preta e
calça preta para todos, as diaconisas podem usar também saia preta.
Liderança
Hoje com o Pastor Leonardo Arcoverde e o ministro Lucas Picote fazem-
se reuniões mensais, onde são repassadas aos diáconos às orientações do
Pastor Márcio, além de eventos e novidades concernentes à Lagoinha e ao
Diaconato.
13
A Importância das Boas Maneiras e da
Excelência no Atendimento ao Público

14
A Importância das Boas Maneiras e da
Excelência no Atendimento ao Público

A Etiqueta Social, também conhecida como Boas Maneiras, e a


Excelência no Atendimento, fazem o trabalho do diácono/diaconisa serem uma
bênção para outras pessoas e também para a igreja.
A Palavra de Deus é suficiente para nos trazer toda a inspiração
necessária para estarmos preparados para servir bem.
Colossenses 3:23-24 diz: “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o
coração, como para o Senhor e não para homens, cientes de que recebereis
do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais
servindo.” Portanto, precisamos sempre nos lembrar ‘para quem estamos
trabalhando’ e fazer sempre o nosso melhor.
O atendimento é culto ao Senhor e por isto precisa ser exemplar,
transmitindo o amor de Deus e também a boa imagem da igreja. Atender bem,
com civilidade, com boa postura, com gentileza, acolhendo quem chega com
atenção e amor, são demonstrações de que podemos usar nossas
características a favor do reino de Deus.
Ao serem recebidas na igreja as pessoas percebem: acolhimento
agradável e simpático, disponibilidade e interesse por elas, cordialidade ao
recebê-las, boa vontade para atendê-las, gentileza, carinho, atenção, cortesia,
delicadeza, postura de prontidão ... ou o contrário de tudo isto, se você
diácono/diaconisa não se preparar adequadamente para o atendimento ao
público. As pessoas sempre ficarão com uma lembrança ou um sentimento
após um atendimento. Queremos que o nosso atendimento resulte em boas
lembranças e bons sentimentos!
Algumas características de perfil psicológico são essenciais ao diácono
e à diaconisa:
1. Amabilidade: ternura, delicadeza, comportamento que revela educação,
fineza.
2. Sensibilidade: sentir compaixão e simpatia pelo outro.
3. Sociabilidade: viver com prazer na companhia de outras pessoas.
15
4. Bom senso: está ligado à sabedoria, à razoabilidade, à capacidade de fazer
a coisa certa.
5. Disciplina: obediência às regras e aos superiores.
6. Simpatia: sentimento de afinidade, facilidade de estabelecer harmonia com o
outro.
7. Empatia: do grego ‘empatheia’, significa estar dentro do sentimento do outro.
8. Alegria: fruto do Espírito, é o contentamento, felicidade, júbilo.
9. Discrição: ser discreto, não chamar a atenção sobre si.
10. Iniciativa: disposição natural para agir.
11. Prestatividade: ser solícito, qualidade de quem oferece para ajudar.
12. Percepção: captar impressões sobre as pessoas e o ambiente.
13. Trabalho em equipe: esforço conjunto para realizar o trabalho.
14. Entusiasmo: do grego ‘théos’ (=Deus), significa ter Deus dentro de si.
Mateus 7:12: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam,
assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.” Amém?
Cientes das características psicológicas que devemos cultivar e
aperfeiçoar, vejamos agora algumas condutas adequadas ao bom
atendimento.
Primeiramente vamos compreender melhor o que significa a palavra
conduta: “é o tratamento dispensado às pessoas, está muito relacionamento
com quem faz o atendimento, com suas atitudes e o seu modo de agir.
Portanto, está ligado às características individuais de cada um”. Mais uma vez,
é importante lembrar que podemos e devemos usar nossas características a
favor do reino de Deus. Estando dispostos a praticar os frutos do Espírito,
dificilmente erraremos na missão de atender com excelência.
Vejamos então algumas condutas adequadas que o diácono/diaconisa
precisam conhecer e praticar:
1. Entender o seu VERDADEIRO PAPEL, que é o de servir com amor, o de
compreender e de atender às necessidades das pessoas.
2. Entender o lado HUMANO do seu trabalho, percebendo as necessidades
das pessoas.
3. Gostar de lidar com gente.

16
4. Ter uma fisionomia amistosa.
5. Ter humildade.
6. Ser elegante e gentil no comportamento.
7. Ter postura de abertura e receptividade.
8. Olhar nos olhos e ter um aperto de mão firme, mas sem exagerar.
9. Ir ao encontro das pessoas, demonstrando interesse sincero por elas.
10. Saber escutar.
11. Dar as boas-vindas a quem chega.
12. Sempre demonstrar boa vontade.
Do mesmo modo, é importante conhecer e identificar as condutas
inadequadas, para jamais praticá-las:
1. Escorar-se nas paredes.
2. Mascar chicletes durante os plantões.
3. Cuspir ou colocar o dedo no nariz.
4. Coçar ou bocejar diante dos outros.
5. Cumprimentar as pessoas com mão suada, suja ou pegajosa.
6. Usar perfume forte.
7. Roer as unhas.
8. Chegar atrasado.
9. Assoviar.
10. Usar o celular durante o atendimento.
11. Aproximar-se demais das pessoas, dando a impressão de invasão de
privacidade, falta de respeito ou intimidação.
12. Deixar o mau humor transparecer.
Embora o diaconato seja um ministério específico, a diaconia é uma
missão de todo crente. O ministério de Jesus na terra evidenciou que Ele foi
diácono também (Mt. 20:28), além de apóstolo, profeta, evangelista. Na
véspera de sua crucificação, o Senhor Jesus reuniu os seus 12 discípulos para
comer a última ceia. Tomando uma toalha e uma bacia com água, Ele começou
a lavar os pés dos discípulos, um a um (Jo. 13:4-5). Em tudo, o Senhor Jesus é
o nosso maior exemplo. Em seu ministério na terra, Jesus lidava com pessoas
o tempo todo, pois veio para cumprir o plano redentor para a humanidade. Em

17
Mt. 8:3 Jesus estendeu a mão ao leproso e o curou; em Mt. 8:15 Jesus tomou a
sogra de Pedro pela mão e a curou; Em Mt. 9:22 Jesus animou a mulher que
sofria com a hemorragia ... e a curou; Em Mt. 20:32 Jesus parou para atender
os cegos de Jericó ... Jesus os chamou; em Mc 8 vemos a compaixão de Jesus
pelas multidões ao multiplicar pães e peixes; em Lc 7:13 lemos a compaixão de
Jesus pela viúva de Naim; em João 5:6 Jesus importou-se com o paralítico de
Betesta; em João 8 lemos a misericórdia de Jesus com a mulher adúltera; em
João 9 Jesus cura o cego de nascença; em Jo 11:35 Jesus chorou por causa
de Lázaro; em Jo 13 Jesus lavou os pés dos discípulos. Estes são alguns
exemplos, entre tantos, os quais não caberiam nos livros do mundo inteiro, de
tudo o que Jesus fez e continua a fazer. Ele é a nossa inspiração e a nossa
referência suprema do que é servir com amor!
Condensando os pontos apresentados até aqui, podemos visualizar o
padrão de atendimento que iremos praticar no ministério diaconal:

18
E a boa aparência, é essencial?
É, sem dúvida!
Em I Cor 6:19 diz: “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do
Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não
sois de vós mesmos?”
Então agora falaremos sobre Regras de Etiqueta, que também podem
ser entendidas como Boas Maneiras.

Regras de Etiqueta

A etiqueta social vem nos ensinar o respeito ao próximo, a delicadeza, o


bom senso e o bom convívio entre as pessoas. É um conjunto de regras
recomendadas para haver um bom relacionamento entre as pessoas. É a
ferramenta que faz com que a pessoa pareça e seja bem educada.
Etiqueta não é frescura. É uma ferramenta de trabalho, um diferencial
para todas as pessoas e não somente para os especialistas no assunto.
Portanto, a etiqueta tem muito a contribuir com o trabalho de atendimento do
diácono/diaconisa, que precisam conhecer as boas maneiras para comportar-
se e relacionar-se de modo a promover um bom testemunho da igreja e do
ministério diaconal.
Nos dias atuais, fala-se muito tem etiqueta social. Há um interesse em
aprender a colocar em prática o aperfeiçoamento do conviver. Infelizmente,
assistimos a muitas desconstruções de valores, de princípios e de modos de
relacionamentos que já foram exemplares, mas que encontram-se
praticamente dissolvidos por uma sociedade sem Deus. Chegamos ao ponto
de ter que reaprender comportamentos que as gerações passadas praticavam
com naturalidade. A ética tem sido uma discussão do nosso tempo. Então,
nada melhor do que falar da ‘etica cotidiana’, ou seja, da etiqueta, que ao pé da
letra, significa ‘pequena ética’. Nos nossos dias, a civilidade, a cordialidade e a
boa educação, cederam lugar para a agressividade e a indelicadeza. Vivemos
num estado de abandono da gentileza e da cortesia. Hoje assistimos a um
desleixo no modo de falar, de apresentar-se, de comportar-se. Precisamos
19
reaprender velhos costumes. Por isto, a etiqueta social é tão necessária, pois
em nossos dias os códigos morais parecem ter entrado em crise. Precisamos
reaprender a conviver e, por isto, precisamos nos conscientizar da
necessidade de aprender a lidar com as outras pessoas.

História da Etiqueta:
Pesquisas bibliográficas evidenciam que a etiqueta social não é um
fenômeno recente. As regras de comportamento que classificamos de etiqueta,
existem a séculos.
A Biblioteca de Nova York aponta um papiro egípcio de 2.500 a.C.,
considerado o primeiro documento a falar de normas de conduta. Atualmente, o
papiro encontra-se na Biblioteca de Paris, considerado a semente de muitas
regras de etiqueta.
As “boas maneiras” também foram objeto da filosofia grega, pois, por
serem conduta humana, integravam o universo de interesse dos pensadores.
Platão preocupava-se com a atitude em relação aos mais velhos e orientava
seus parentes a respeitarem os idosos.
Leonardo da Vinci (1452-1519), foi outro autor ilustre do comportamento
à mesa. O gênio criador é o inventor do guardanapo. Da Vinci trabalhou 13
anos como mestre de banquete e de cozinha, na época em que as toalhas de
mesa eram usadas como guardanapo. Foi então quando um pano individual foi
colocado diante de cada convidado. Da Vinci chegou a elaborar um catálogo de
boas maneiras à mesa para os nobres da época.
Em 1440, com a invenção da imprensa (J. Gutemberg), surgiu o primeiro
volume impresso: o Livro da Cortesia.
E em 1487 a Inglaterra lançou o “Livro das Boas Maneiras”.
Na La Belle Epoque, séc. XIX (expressão francesa que significa bela
época) foi o auge do rigor cerimonial, e no nosso tempo ... século XXI ... a era
do avanço tecnológico e total flexibilização das regras! Mas, a função da
etiqueta social vem sendo mantida em toda sua essência: possibilitar um
convívio social agradável. A inspiração da etiqueta está no cuidado e respeito
com o próximo, baseada em regras simples. Etiqueta social deve ser uma

20
preocupação de todos, não apenas de especialistas. Precisamos conscientizar-
nos de que o relacionamento humano necessita de cuidados especiais para
que as gerações seguintes sejam norteadas por respeito e amor.

Para quê a etiqueta serve?


A etiqueta serve para todas as formas de convivência humana. Vejamos
algumas utilidades da etiqueta em nossos dias:
1. A etiqueta ajuda em seus relacionamentos pessoais, sociais e profissionais.
2. Ela torna você bem-vindo, aonde quer que você chegue.
3. A etiqueta ajuda a fazer e a conservar amizades.
4. A etiqueta dá segurança em ocasiões cerimoniosas.
5. Orienta sobre as roupas certas para as diversas ocasiões.
6. Ensina a respeitar o semelhante.
7. Etiqueta dá consciência social e ajuda a ser um bom cidadão.
8. Etiqueta ajuda a educar os filhos.
9. Etiqueta torna a vida mais leve.
10. Etiqueta é imprescindível ao bom convívio humano.
Vejamos então a aplicação da etiqueta ao cotidiano do trabalho no
ministério diaconal:

1. Etiqueta e Postura corporal


Algumas regras de postura: mantenha as costas retas ao sentar-se; pessoas
elegantes não se jogam nos assentos; apoiar as duas mãos na cintura,
imitando açucareiro ou com uma mão só, como uma xícara de chá, não fica
bem; enrolar uma mecha de cabelo ou roer unhas também está fora de
questão para quem quer ser elegante; ao se sentar, procure não entrelaçar as
pernas num ato de contorcionismo; em pé, devemos evitar que as pernas
fiquem afastadas; olhos sempre nos olhos, sem medo; em pé, as mãos podem
ficar à frente do corpo, apoiadas uma na outra e os homens podem fazer isto
com as mãos para trás.

2. Etiqueta e o Visual (Como eu quero e preciso ser visto?)

21
Algumas regras de elegância feminina: usar maquiagem, pelo menos o
batom, tendo o cuidado de não manchar a roupa das outras pessoas; excesso
de perfume causa efeito contrário (use apenas uma água de colônia, de
preferência, ou não use perfumes fortes nos plantões); cabelos deverão estar
arrumados sempre, com aspecto de limpos; cuidado com os trajes (saia ou
calça justas demais, não são adequadas para uma mulher cristã); não se deve
usar calça leg nos plantões, muito menos com blusa curta; as unhas deverão
estar aparadas e lixadas, o suficiente para um bom aspecto e apresentação;
sapatos sempre limpos (evite andar fazendo barulho com o salto do sapato,
especialmente nas escadas); acessórios como lenços, echarpes, colares,
brincos muito grandes, não podem ser usados com o uniforme do diaconato.

Regras de elegância masculina: roupa sempre limpa e passada; sapatos


empoeirados são um atentado à elegância; barba sempre feita e bem cuidada
são essenciais; perfumes fortes devem ser evitados durante os plantões; hálito,
unhas e cabelos sempre bem cuidados; bonés não combinam com o uniforme
do diaconato, por serem acessórios esportivos (portanto, não deverão ser
usados).

3. Etiqueta e Comportamento (Para causar uma excelente primeira


impressão)
Regras de etiqueta do comportamento: gentileza é fundamental (em
qualquer porta, quem sai tem preferência em relação a quem entra); segurar a
porta para quem vem atrás de você é muito simpático; abra portas sempre com
suavidade; pontualidade é sempre elegante (diácono/diaconisa tem que chegar
com pelo menos 30 minutos de antecedência); não fique parado conversando
nas escadas e não se assente nelas; homens devem descer escadas na frente
e subir atrás da mulher para ampará-la, caso aconteça algum imprevisto; sendo
possível, abra a porta do carro para quem está chegando na igreja e ofereça o
guarda-chuva quando necessário; converse em tom de voz baixo e aproxime-
se de quem você precisa falar; cochilar, espreguiçar ou bocejar em público é
deselegante; ao tossir ou espirrar, use o antebraço e não as mãos; tome a

22
iniciativa de receber quem está chegando, dando o primeiro passo no
cumprimento e no sorriso; acompanhe as pessoas aos locais que elas estão
procurando (vá além de apenas mostrar onde fica); mulher acompanha mulher
e homem acompanha homem até os banheiros; evite dar tapinhas nas costas
das pessoas ou cutucá-las com os dedos; mascar chicletes em dias de plantão
é deselegante (não adianta estar impecável e mascar chicletes).

“Saber se vestir é bom; saber se comportar é melhor ainda.”

4. Etiqueta e Comunicação (Você tem boas maneiras?)


Algumas regras: o celular não deve ser usado durante os plantões; o
cumprimento deve ser caloroso e simpático (cumprimente com as mãos e com
o olhar); cabe à mulher tomar a iniciativa de estender a mão para cumprimentar
o homem, mas existe outra regra importante, que é não deixar alguém com as
mãos estendidas, caso a cumprimente. Caso o homem estenda a mão, é de
bom tom corresponder; homens devem se levantar sempre para cumprimentar
quem chega; mulher não precisa se levantar, mas deve usar de bom senso
com as mais velhas; evite gírias e chamar as pessoas pelo apelido; saber ouvir
é uma qualidade (não interrompa quem estiver falando); use o pronome de
tratamento “senhor/senhora” ou “irmão/irmã”; sempre que possível, chame as
pessoas pelo nome (o nome é como uma melodia que gostamos de ouvir);
evite participar das controvérsias, discussões sobre pontos de vista polêmicos
(mantenha-se sereno diante de opiniões contrárias – Ef 4:31-32); procure
manter-se bem informado sobre todos os eventos da igreja e sobre as
dependências do prédio; não economize “obrigado(a), por favor e desculpe”,
você só tem a ganhar; cumprimente a todos com quem cruzar; seja discreto;
mantenha o bom humor nos relacionamentos.

23
A principal regra de Etiqueta Moderna: prestar atenção no outro.

Além de serviço, diaconia também é: obediência, intimidade, unidade,


amor, dependência de Deus, humildade, simplicidade, vida de oração e leitura
da Palavra.
Obediência, intimidade com Deus Pai, Filho e Espírito Santo, alimentar-
se da Palavra de Deus e cultivar vida de oração transforma a vida de todos os
comissionados a servir.
Diaconia é para os que querem entrar pela porta estreita e andar pelo
caminho apertado (Mt 7:14).
Em Rm 13:8 lemos: “a ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o
amor com que vos ameis uns aos outros.”

24
TRABALHO EM EQUIPE

25
TRABALHO EM EQUIPE

A IMPORTÂNCIA DO DIACONATO

Porque os que servirem bem como diácono adquirirão para si uma boa posição e muita
confiança na fé que há em Cristo Jesus" (I Tm 3.13)
A essência do ministério cristão é justamente o serviço. E o diácono foi
chamado para desdobrar-se em serviços a Cristo e sua Igreja. Essa função é
um ofício e um ministério.
O ofício é uma ocupação que exige um grau mínimo de habilidade. E o
ministério é um trabalho, ou função eclesiástica, exercido por aqueles que são
biblicamente ordenados (Atos 6.6).
Assim como os apóstolos haviam sido chamados para auxiliar a Jesus, foram
os diáconos separados para dar assistência aos apóstolos e pastores.
Convém a eles entender que, embora ministros, jamais devem ignorar a
autoridade que tem o pastor sobre todos os ministérios; reconhecerem sempre
a verdadeira dimensão do seu cargo e estarem sempre à disposição do seu
pastor.
As qualidades diaconais são requisitos imprescindíveis que tornam o obreiro
apto a exercer o ministério. (I Tm 3: 1 a 13).

VÍDEO: IGREJA SEM DIÁCONO

FORMAÇÃO DE GRUPOS
Para melhor entender o trabalho em equipe precisamos entender a equipe.
Sabemos que o homem é um ser social. A humanidade é uma construção
grupal. Durante toda a vida, fazemos parte de diversos grupos: familiar,
escolar, trabalho, futebol, cursinhos, religiosos, lazer.

‘’O próprio Deus viu que não é bom o homem andar só e lhe fez uma adjutora’’ Gênesis 2:18

Sendo assim, o homem não consegue viver isoladamente.


Ex1: No filme O Náufrago, o ator (Tom Hanks), cria para si um amigo: a bola de
vôlei Wilson.
Ex2: Quantas vezes nos pegamos falando conosco mesmos? Temos esta
necessidade de comunicação.

26
Em nossa igreja até os cultos são diferenciados: adolescentes, infantis
(salinhas), terceira idade, mocidade. Mas por que isto acontece? Por que esta
separação? Porque são grupos!

CONCEITO DE GRUPO
Conjuntos de pessoas que partilham dos mesmos interesses, objetivos e
comportamentos.

As pessoas se sentem motivadas a participar de um grupo quando suas


atividades têm sentido para elas. Assim nascem os grupos: AA, grupo de
mulheres etc. Dificilmente os indivíduos atingem seus objetivos individualmente
por isso se associam a outros, formando assim equipes.
Uma das diferenças básicas entre grupo e equipe é que o grupo é
caracterizado pela responsabilidade individual. Já na equipe a responsabilidade
é individual e mútua e os resultados são frutos do trabalho em equipe.

CONCEITO DE EQUIPE
É a associação de pessoas que partilham objetivos e estão engajadas para atingi-los
estando unidas entre si, com prazer de fazer parte desta equipe. Suas diferentes
habilidades possibilitam alcançar objetivos partilhados, elevando o respeito, a
cumplicidade e a cooperação.

COMPARAÇÃO ENTRE GRUPOS E EQUIPES


A diferença entre os dois está nas relações interpessoais.
Meta/ Objetivo Característica
Compartilhar informações Grupo
Desempenho coletivo Equipe

Sinergia Característica
Nula, negativa Grupo
Positiva (todos se ajudam) Equipe

Responsabilidade Característica
Individual (cada um faz o que quer) Grupo
Individual e mútua Equipe

Habilidades Característica
Aleatórias e variadas (individuais) Grupo
Complementa a outra Equipe

27
EXEMPLIFICANDO:
Duas equipes de futebol na copa do mundo no Brasil em 2014: seleção
brasileira e alemã.
Ambas tinham o mesmo objetivo que era vencer, ser campeã. Mas a seleção
brasileira se mostrou ser apenas um grupo, porque suas responsabilidades e
habilidades eram individuais. Focaram apenas nos bons talentos, não em um
trabalho de equipe.
‘’O Brasil perdeu porque faltou organização e trabalho de equipe, e é o que a Alemanha teve
em todo tempo: habilidades complementares. Fazer gols(góis) é bom e importante, mas o
trabalho em equipe falhou focando apenas em habilidades individuais’’. (Juliet Cristino – Vitória,
ES. 10/07/14)
‘’ A culpa dos 7 gols (gois) não foi toda de Felipão, mas sim dos 11 jogadores. Não se justifica
em um time, uma falta de sinergia e vontade. Pareciam apáticos dependentes de Neymar.
Faltou trabalho em equipe, coesão, unidade. ‘’ (Cleiton Chicocheta – Teutônia , RS.
09/07/14)
A equipe brasileira deveria ter alguém que unificasse o grupo, e não focar
somente em uma habilidade individual. Já a Alemanha venceu porque foi a
melhor equipe, pois, alcançou a meta com o desempenho coletivo, teve uma
colaboração positiva, responsabilidade de todos, além de habilidades
complementares.

COMO SE FORMA UMA EQUIPE?


As equipes não nascem prontas. Por isto elas possuem estágios de
desenvolvimento. Podem ser comparadas a uma plantação. Onde inicialmente
se prepara a terra para o plantio das sementes, acompanhando-os
cuidadosamente em todas as etapas até a colheita.
1. Início: Onde os indivíduos estão aprendendo a lidar uns com os outros.

2. Os componentes aprendem a valorizar as habilidades uns dos outros.

3. Quando os papéis de cada integrante são aceitos e as informações


trafegam livremente.

4. As equipes atingem a maturidade e as execuções das atividades


atingem níveis de eficiência e eficácia.
Quem acompanha a evolução destas equipes? O líder (figura imprescindível
diante da equipe). É a referência para seus liderados e sua atitude perante
eles, influencia no comportamento da equipe. A equipe é o reflexo do seu líder.
O bom líder é aquele que vai à frente de sua equipe, elogia em público, e
corrige no particular.
No diaconato - a postura de um líder deve se assemelhar a Paulo:
- Sede meus imitadores como também sou de Cristo. (1 Co 11:1)

28
RELACIONAMENTO INTERPESSOAL
O relacionamento é uma forma como as pessoas se tratam e se comunicam.
Principalmente para nós da Igreja, pois só existe equipe quando há um
relacionamento interpessoal.
Pilares do Relacionamento Interpessoal:

1. Autoconhecimento: fundamental para administrar bem os


relacionamentos. Implica em reconhecer nossos traços de
comportamento e o impacto que causamos nos outros. Reconhecendo
meus pontos fracos e fortes, saberei entender o outro.
2. Empatia: Trata-se de considerar os outros, suas opiniões, nos fazer
enxergar além dos nossos próprios umbigos, nos colocarmos no lugar
do outro. Sabe ouvir e atentar-se à opinião do outro.
3. Assertividade: O ápice da comunicação verbal. Não basta ouvir, é
preciso também falar, expressar nossas opiniões, vontades e
dificuldades. É a habilidade de nos expressar de forma franca, direta,
clara, serena e respeitosa.
4. Cordialidade: É ser gentil, solícito e simpático. Demonstrar apreço uns
aos outros. Pode ser com um bom dia, segurar uma porta, pegar um
objeto no chão, um ‘’ obrigado, obrigada’’ olhando nos olhos, ‘’ a paz’’. É
um facilitador do bom relacionamento.
5. Ética: É ter atitudes que não prejudica os outros. Não quebrem acordos
e não contrariem, o que se considera sério e justo.

Podemos ter autoconhecimento, ser altamente empáticos e assertivos, mas se


não nos conduzirmos com Ética, não teremos relacionamentos equilibrados.
Fortalecer esses pilares, traz melhorias em várias áreas: familiar, afetiva, social
e ministerial. E quem se relaciona bem, tem mais facilidade para trabalhar em
equipe e também de liderar, e para obter colaboração e conquistar pessoas.

29
PRÍNCIPIOS BÁSICOS DE UMA EQUIPE

1. Comprometimento/ responsabilidade: Êxodo 18:21-22 Jetro e Moisés

2. Motivação: 1 Samuel 22:2 Davi e sua equipe


O trabalho em equipe é um princípio básico da liderança eficaz, inclusive na
casa do Senhor.
3. União/unidade: Amós 3:3
O versículo mais mal interpretado da bíblia, usado para explicar
separações. Fala de comunhão, estar no mesmo caminho, mesmo alvos e
objetivos.
4. Disposição para aprender: Mt 11: 28-30
Na equipe devemos querer aprender a cada dia mais uns com os outros.
Cristo é o professor e só através dele podemos receber a instrução de
relação homens com Deus.
‘’ Aprendam de mim’’ / SOU DISCIPULO.
Jesus é a medida para todas as coisas e a sabedoria que devemos buscar.

EQUIPES NO CORPO DIACONAL


O corpo diaconal, trabalha em forma de plantões. Chamamos de plantão, cada
culto onde as equipes são formadas, em um regime de quadros fixos. Sempre
contendo na equipe um líder, um ou vários coordenadores e liderados.
Ao ingressar em uma equipe:
● Procure o líder de plantão, devidamente uniformizado.
● Seja pontual.
● Procure se envolver com a equipe.
● Não se esqueça das regras básicas estudadas no curso.

● FÁBULA: O melhor relacionamento não é aquele que une as


pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver
com os defeitos dos outros e admirar suas qualidades.

30
JESUS, O MAIOR LÍDER QUE EXISTIU
Por que Jesus era um líder fantástico? Um exemplo?
Se quer ser um líder fantástico, além da excelência seja como Jesus.
Comprometido, responsável, motivador e sábio. Tinha disposição de
ensinar, caminhar junto com sua equipe e com ela tinha unidade.
Pegou 12 homens simples, comuns e os transformou em uma equipe capaz
de mudar o mundo (como conseguiu em apenas 3 anos, formar equipes e
líderes).
Tirava o que as pessoas tinham de bom, lapidava e fazia acreditar que ela
podia ser melhor. Fazia as pessoas se sentirem amadas, ia junto com a
equipe ensinando, orientando, discipulando e formando líderes.
Ele mudou o mundo, fez a diferença. Mostrou que devemos ter fé. Cada
discípulo seu se tornou um líder em potencial, fazendo novos e muitos
discípulos e líderes.

31
A mordomia do dinheiro no corpo de Cristo

32
A mordomia do dinheiro no corpo de Cristo
Dízimos e Ofertas

1. A mordomia cristã refere-se à administração correta de todos os bens


que Deus colocou à nossa disposição.

2. O mordomo, portanto não é dono, mas o que cuida o que foi entregue
pelo Senhor Jesus. Salmos 24:1.

3. Tudo o que temos e somos pertence a Ele, somos responsáveis,


portanto, de que essas coisas sejam usadas para o propósito e Glória de
Deus. A mordomia inclui tudo, tempo, talentos, posses. Todas as áreas
das nossas vidas devem estar sobre os cuidados do Espírito Santo.

4. Deus pedirá contas desta nossa administração, por isso vemos em


(1 Coríntios 4:2) que se exige fidelidade dos administradores.

Deus é criador e mantenedor do universo, de suas mãos recebemos todas as


provisões para a nossa sobrevivência. Ele nos colocou como administradores
das riquezas.
Deus expressou seu amor por nós e deu o que tinha de mais precioso no Céu.
Seu único filho o Senhor Jesus Cristo. João 3:16.

Dízimos

1. Dízimos - devolução da décima parte de tudo que você ganha como


lemos em provérbios 3: 9 e 10.
● Malaquias 3 : 10.
● Abraão aprendeu a dar o dízimos antes da Lei do povo de Israel.
Gênesis 28:20 a 22.
● Hebreus 7: 1 a 10 volta da batalha de Abraão.

1. Motivação errada: quando dizimamos pensando em lucros, ou seja, só


para dar receber em dobro fazer negociata.
● Isso não vai dar certo, dízimo não é investimento financeiro, não é
aposta, não é jogo da sorte onde as pessoas só pensam no lucro, não é
barganha, não é base de troca, não é caderneta de poupança.
● Dizer que vai dar o dízimo para ser abençoado, buscar a benção, fazer
isso para ganhar aquilo, é puro egoísmo, tudo para seu próprio deleite.
Isto não é fidelidade, isto é ganância

2. Motivação certa: quando você entende sobre dízimo da maneira bíblica, o

33
mais certo e o mais correto; dízimo é sobre aquilo que Deus já te deu através
da benção de seu trabalho , não tem como obter lucro e nem prejuízo…

● Deus é o dono da prata e do ouro, criador de tudo que existe, a terra, os


céus e tudo que existe pertence ao Senhor, tudo que foi criado por Ele,
pertence a Ele, enfim, você é criação de Deus, sua família é de Deus,
teu trabalho é de Deus, o seu dinheiro é de Deus, o mundo que você
vive é de Deus, veja o que a Bíblia diz sobre isso:
● Salmo 24.1
● A primeira menção do dízimos na Bíblia encontra-se em Gen. 14 :18-24
quando Abraão após ter retornado vitorioso de uma batalha e trazendo
muitos despojos encontra-se com Melquisedeque , um sacerdote do
Deus Altíssimo. Profundamente grato a Deus pela vitória e
reconhecendo que Dele tinha vindo à força , espontaneamente, entrega
com gratidão 10% de tudo o que havia conseguido , nas mãos do
sacerdote.
● Com isso vemos que a entrega do dízimos é anterior à lei . Abraão viveu
430 anos antes da lei.
● No novo testamento vemos Jesus fazendo referência a esta prática dois
ocasiões
● Mct. 23:23 ;Lc 11;42 .
● Não entregá-lo é roubar a Deus Ml 3:8.
● Não darmos é ficar com algo que não nos pertence.
● Não devem ser entregue às pessoas, mais à Igreja Ml 3:10.
● A Bíblia é clara quando diz que o dízimo deve ser levado à casa do
tesouro.
● O dízimos é para ser entregue na casa de Deus para ser administrado
pelo sacerdote.
● Deve ser primícias da nossa renda Pv 3:9
● A palavra fala em Lv. 27:30 que o dízimo é sagrado.
● Dízimos é fidelidade.

Princípios na entrega das ofertas

● A oferta é algo maravilhoso , não tem algo melhor quando você dar com
alegria no coração. Isto é agradável a Deus.
● Oferta é prosperidade.
● Quando acontece isso ele já tem uma colheita no coração para derramar
sobre você.
● Já aconteceu com alguém?
● Ter um coração generoso (Pv 11:24).
● Aos olho de Deus , a verdadeira base para as nossa doações é um
coração amoroso , generoso e compassivo.
● Quem dá recebe (LC 6:38).
● A oferta gera uma colheita (2co 9:7)
● Seremos abençoados com a mesma medida pela qual fazemos as
nossas doações. Semearmos pouco , colhermos pouco , mas se formos
generoso em dar , Teremos como recompensa uma grande colheita.

34
● O que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que tem me feito ?
● (Salmos 116 : 12).
● O que o Senhor tem feito ao seu favor? veículos, dinheiro, roupas e
alimentos.

Todas as ofertas agradam a Deus?

● Ofertas com espírito de barganha, neste tipo de oferta ,o ofertante não


visa o Senhor e sua obra , mas unicamente a si próprio.
● A oferta defeituosa não honra ao Senhor.
● A oferta ,não estou sentindo no coração de não dar.
● A oferta com sentimentos de quem se livra de uma prestação.
● Ananias e Safira morreram, por quê?
● A resposta se encontra em Atos 5 v: 3 e 4 – mentiram ao Senhor! Eles
venderam um terreno e afirmaram que ofertaram o valor total da venda
para ajudar os irmãos pobres. Eles queriam parecer pessoas generosas,
mas, ao mesmo tempo, queriam ficar com uma parte do dinheiro.
Decidiram mentir, dizendo que sua oferta foi o valor integral da venda do
terreno.
● Deus não obrigou ninguém a vender terras ou a dar o valor total de suas
propriedades. Pedro reconheceu o direito de Ananias e Safira de ficar
com o seu terreno: “Conservando-o, porventura, não seria teu?” (5:4).

● Ananias e Safira queriam o “crédito” por uma doação generosa, sem o


sacrifício de perder todo o valor do terreno. Mentiram aos homens, e
Deus cobrou!
● Oferta segundo tiver proposto no coração (2 Coríntios 9:7). O amor, a
generosidade e a prontidão para a obra do Senhor são características
do servo de Deus. Antes de ofertar o nosso dinheiro, devemos nos
entregar ao Senhor (2 Coríntios 8:5).
● Ofertas feitas para participar da graça de Deus (2 Coríntios 8:1-7).
Tendemos a pensar em graças concedidas como bênçãos para nosso
próprio consumo. Mas, biblicamente, graças concedidas são
oportunidades para servir e glorificar ao nosso Senhor. O privilégio de
participar do trabalho do reino de Deus é uma enorme bênção.

Como funciona a coleta dos dízimos / ofertas

A coleta dos dízimos e ofertas funciona de maneira simples mas ao mesmo


tempo de grande responsabilidade , principalmente na hora em que está
passando a salva. Segue abaixo alguns procedimentos que devem ser feitos
na hora dos recolhimentos:
● Ficar atento a qualquer movimento suspeito.
● Se acontecer algo de diferente como alguém se apropriar de envelopes
ou até mesma a salva, chame o pessoal da segurança em último caso,

35
mas para tomar esta atitude você tem que ter certeza absoluta que viu.
Alguém sabe me falar o que pode ocorrer se isto não for verdade?
● Ficar atento às posições junto aos bancos na hora de recolher.
● Não conversar com o irmão nesta hora.

Outro detalhe importante jamais pegar um envelope da


mão do dizimista. Por
quê ? Ficar atento às máquinas de cartões. Por quê ?

Promessas

● Esperei confiantemente no Senhor; e ele se inclinou para mim e ouviu


quando clamei por socorro. (Salmos 40.1)
● Nunca se viu, nem jamais se ouviu falar de um Deus semelhante ,que
trabalha para que nele espera (Isaías 64:4).
● Aos seus amados ele o dá enquanto dormem .(Salmos 127.2).
● Bendito o Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem
abençoado com toda sorte de bênçãos espirituais nas regiões celestiais
em Cristo....Efésios 1: 3-4.
● Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm
o que deveriam dar,
● E caem na pobreza.
● Provérbios 11:24

Jesus sentou-se em frente do lugar onde eram colocadas as contribuições e


observava a multidão colocando o dinheiro nas caixas de ofertas. Muitos ricos
lançavam ali grandes quantias. Então, uma viúva pobre chegou-se e colocou
duas pequeninas moedas de cobre, de muito pouco valor. Chamando a si os
seus discípulos, Jesus declarou: "Afirmo que esta viúva pobre colocou na caixa
de ofertas mais do que todos os outros. Todos deram do que lhes sobrava;
mas ela, da sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver". (Marcos 12:41-
44)

36
SANTA CEIA

37
SANTA CEIA
Definição: A Santa Ceia é uma ordenança do Senhor Jesus Cristo. Na véspera
de sua morte expiatória, ele a instituiu.
O pão e o vinho são os elementos que compõem a celebração da Ceia, em
memória do sacrifício de Cristo. Através dela, somos incentivados a uma fé
mais viva e a termos maior zelo, no que diz respeito ao viver de maneira
agradável ao Senhor.

Jesus usou estes símbolos para representar seu corpo e seu sangue. Ele deu
aos discípulos pão para representar seu corpo e o fruto da videira para
representar o sangue que estava para ser derramado na cruz. Ele não deixou
dúvida sobre a relação deste sacrifício com nossa salvação (cf. Mt 26:28).

A ÚLTIMA PÁSCOA E A PRIMEIRA CEIA

No livro dos Números 9:1-2, falou o SENHOR a Moisés no deserto do Sinai,


no segundo ano da sua saída da terra do Egito, no primeiro mês, dizendo:
Que os filhos de Israel celebrem a Páscoa há seu tempo determinado.
Em Lucas 22, a Bíblia menciona a instituição da Ceia, dos versículos 14 ao
20.
Apesar das poucas horas que restavam para que o Senhor Jesus Cristo
fosse entregue aos homens para ser atormentado, e ainda sob a égide da lei,
Ele quebrou a tradição e o paradigma da celebração das festas da Páscoa, e
juntamente com os seus apóstolos, celebrou e instituiu ali a primeira ceia, e
recomendou: Fazei isso em memória de mim.
Esta celebração, não ocorreu nos padrões da páscoa dos judeus, com
abundância de alimento e bebida, mas com um pequeno pedaço de pão e um
cálice de vinho. E distinguiu: O pão é o meu corpo, que por vós é dado, e o
vinho é o cálice do Novo Testamento no meu sangue, que é derramado por
vós.
Os pontos-chave desta ordenança são os seguintes:

38
a) Celebração (conforme 1 Co 11:24).
Cada vez que um grupo de cristãos se congrega para celebrar a Santa Ceia,
estão obedecendo a uma ordenança da Palavra de Deus.
b) Exposição dos fundamentos do Evangelho
- A encarnação: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1:14). O
próprio Jesus disse: “... o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao
mundo.” (Jo 6:33)
- A expiação: o pão e o vinho simbolizam dois resultados da morte: a
separação do corpo e da vida e a separação da carne e do sangue. O
simbolismo do pão partido é que este deve ser quebrantado na morte e ser
distribuído entre os espiritualmente famintos; o vinho derramado nos diz que o
sangue de Cristo é outorgado às pessoas, com seu poder purificador e
vivificante.
c) Inspiração: os elementos, especialmente o vinho, nos lembram que pela
fé podemos ter comunhão com Cristo, receber o Espírito Santo e refletir o seu
caráter.
d) Segurança: “Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue” (1 Co
11:25). Nos tempos antigos, a forma mais solene de aliança era o pacto de
sangue. A aliança feita com Israel no Monte Sinai foi um pacto de sangue.
Depois que Deus expôs as suas determinações e o povo as recebeu, Moisés
tomou uma bacia cheia de sangue sacrificial e aspergiu a metade sobre o altar
do sacrifício; a outra parte, ele aspergiu sobre o povo (cf. Ex. 24:3-8).
Através do sangue de Cristo, Deus se comprometeu a salvar os que vierem
a Ele (cf. Hb 9:14-24). A nossa parte nesta aliança é crer na morte expiatória
de Cristo (cf. Rm 3:25-26).
e) Responsabilidade: quem deve ser admitido ou excluído da Mesa do
Senhor? Paulo trata da questão dos que são dignos do sacramento em 1 Co
11:25-34.
Quem dentre os filhos dos homens é digno das misericórdias de Deus?
Entretanto, o apóstolo Paulo não está falando da indignidade das pessoas, mas
da indignidade das suas ações. Por mais estranho que possa parecer, uma
pessoa indigna pode participar da ceia dignamente, desde que ela reconheça
que é salva pela graça, mediante a fé, e não esteja moldada aos padrões de
vida pecaminosos, nos quais se enquadram aqueles que ignoram a Palavra de
Deus. De certa forma, somente aqueles que sinceramente sentem a sua
indignidade estão aptos para se aproximar da mesa; os que se justificam a si
mesmos nunca serão dignos. Percebe-se que as pessoas mais espirituais são
as que mais sentem a sua indignidade. Paulo descreve-se a si mesmo como o
“principal dos pecadores” (1 Tm 1:15).
O apóstolo nos avisa contra os atos indignos e a atitude indigna ao
participar desse sacramento. Como pode alguém participar indignamente?
Praticando alguma coisa que lhe impeça de identificar o significado da Santa
Ceia e de se comportar reverentemente, “carregando nas costas” pecados não
confessados ou vivendo deliberadamente de forma contrária aos preceitos
cristãos.
39
Antes de participarmos da Santa Ceia, devemos avaliar:
I - O NOSSO RELACIONAMENTO COM O PRÓXIMO
JESUS LAVA OS PÉS DOS SEUS DISCÍPULOS
No Evangelho de João, a palavra descreve o ato de Jesus lavar os pés dos
seus discípulos, após a ministração da Ceia: “levantou-se da Ceia, tirou os
vestidos e, tomando uma toalha, cingiu-se. Depois deitou água numa bacia e
começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugá-los com a toalha com que
estava cingido”. (Jo 13:4-5)

II - O NOSSO RELACIONAMENTO COM A IGREJA


Uma lição de unidade (Jo 13:34-35).

III - NOSSO RELACIONAMENTO COM DEUS


Celebrar a Santa Ceia está relacionado à pratica da fé na Palavra de Deus e à
esperança da glorificação que será consumada na ressurreição. "E digo-vos
que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da videira, até aquele dia
em que o hei de beber, novo convosco no reino de meu Pai". Mateus 26:29

Os diáconos e a Santa Ceia


Todos devem participar tendo no coração uma convicção e não um prazo de
validade, além de um alinhamento da conduta moral e espiritual diante de Deus
e dos homens em sua volta. A ceia representa a morte e a ressurreição de
Jesus, mas também a nossa morte para o mundo, bem como a nossa
identidade espiritual com a nova realidade celestial, da qual nós já fazemos
parte. Sendo assim, nós os diáconos devemos participar e distribuir a ceia com
grande temor, sabendo que em nós muitas pessoas se inspiram, para
manifestar também sua espiritualidade no processo de santificação diante de
Deus e dos Homens.

A Ceia do Senhor: Passado, Presente e Futuro

Os discípulos de Cristo são privilegiados ao participarem da Ceia do Senhor.


Deste modo, ligamos o passado, o presente e o futuro.

Passado: Olhamos para trás, para o sacrifício que Jesus fez na cruz.
Entendemos isto como sendo o fundamento e o centro de nossa salvação.

Presente: Quando meditamos no terrível preço que Jesus pagou para nos
redimir de nosso pecado, nossa decisão de resistir à tentação é fortalecida.

Futuro: Entendemos que a morte de Jesus é a base de nossa esperança, e


40
assim proclamamos nossa fé nele, quando olhamos em frente, para a volta do
Senhor e para nossa salvação eterna.

Não podemos esquecer nunca o dia em que Jesus deu sua vida para salvar a
nossa!

OBSERVAÇÕES PRÁTICAS SOBRE A CEIA:


- Servimos a ceia, quando o pastor anuncia de púlpito que devemos iniciar a
distribuição dos seus elementos;
- fiquemos atentos se em outra região alguém ficou sem ser servido, para que
possamos dar suporte uns aos outros;
- Após a ministração, as bandejas devem ser agrupadas e redirecionadas à
Sala da Ceia.

Fontes de Consulta:
- Pearlman, Myer (Conhecendo as doutrinas da Bíblia), Ed. Vida, 1970;
- Pearlman, Myer (Através da Bíblia), Ed. Vida, 2006;
- caminhovida.blogspot.com.br;
- apostila anterior do Curso de diaconato da IBL.

41
Escola de diáconos

‘’Sonho que Deus colocou no coração de uma liderança com visão de voluntariado’’.

Belo Horizonte - 2017

42