Você está na página 1de 3

A teoria das janelas quebradas

A teoria das janelas quebradas nos diz que os danos ao ambiente geram a sensação
de que a lei não existe. Quando não há lei, cada um pode fazer o que quiser. Quando
não existem regras, qualquer comportamento é aceitável, incluindo o vandalismo ou a
destruição de bens materiais.
Imagine que você está fumando um cigarro. Você termina de fumar. Onde você joga a
bituca? Se você está em uma rua limpa, sem um único lixo no chão, o mais provável é
que guarde a bituca e a jogue na lixeira mais próxima. Por outro lado, se a rua está
cheia de bitucas, nem sequer fará o esforço de se aproximar da lixeira e jogará a bituca
no chão. Isto é o que nos dizem os estudos.

A teoria das janelas quebradas afirma que o dano ao ambiente


gera a sensação de que a lei não existe.

As janelas quebradas de um carro


O professor Philip Zimbardo, autor de um dos experimentos mais conhecidos em
psicologia social, o experimento da prisão de Stanford, realizou outro experimento
igualmente valioso, porém menos conhecido. O experimento consistia em deixar dois
carros abandonados na rua. A única diferença era que um carro estava localizado em
um bairro conflituoso, em uma área pobre da cidade, e o outro carro em uma rua de
um bairro rico.
Se uma comunidade exibe sinais de deterioração e isso parece não importar a
ninguém, então ali ocorrerá o delito.
O que aconteceu com os carros? O esperado. O carro situado no bairro
conflituoso foi vandalizado em poucas horas, enquanto o outro carro
permaneceu intacto. A conclusão mais lógica foi pensar que a pobrezae a
marginalização eram a causa do delito. Mas não. O professor Zimbardo,
desconfiando do óbvio, continuou investigando.
O próximo passo que tomou foi mudar a situação do carro. Para isso, as janelas
do carro situado no bairro rico foram quebradas. O que aconteceu? Exatamente
o mesmo que havia acontecido com o carro que deixaram no bairro periférico.
Em poucas horas ambos os carros apresentavam o mesmo nível de destruição.

Qual foi a conclusão? Os resultados mostraram que estavam diante da teoria


das janelas quebradas. A marginalidade não era a única causa do vandalismo,
o ambiente também desempenhava um papel importante. O vidro quebrado do
carro transmitia uma ideia de deterioração, desinteresse e despreocupação, a
qual criava a ilusão de que não existiam leis, normas ou regras. O vidro
quebrado, assim como o estado do bairro marginal, transmitia a sensação de
que vale tudo.

As janelas quebradas do metrô


Tomando como ponto de partida a teoria das janelas quebradas, decidiu-se acabar com
um dos lugares mais perigosos de Nova Iorque: o metrô. Todas as falhas foram
corrigidas. A sujeira foi limpa e os grafites desapareceram. Começaram a controlar os
pequenos roubos e fizeram com que todas as pessoas que usavam o metrô
pagassem. O resultado foi que o metrô se tornou um lugar seguro.
Se permitimos atitudes violentas como algo normal no desenvolvimento das crianças, o
padrão de desenvolvimento será de maior violência quando elas se tornarem adultas.
Devido tal sucesso, a cidade de Nova Iorque adotou uma política de “tolerância
zero”. Para isso, foram proibidas todas as transgressões da lei e se instauraram regras
de convivência. Também foi promovida a limpeza e a ordem nas comunidades.
Novamente, o resultado foi positivo e o índice de criminalidade foi reduzido.

A teoria das janelas quebradas em casa


Como foi visto, se um vidro quebra e ninguém o repara, podemos adivinhar o destino
dos outros vidros. Se um bairro começa a mostrar sinais de deterioração, o próximo
passo será a delinquência ou o vandalismo. O ambiente nos influencia. Ter um ambiente
limpo, sem falhas, pode contribuir para uma melhor convivência. Além disso, a teoria
dos vidros quebrados se aplica a todos os ambientes. Se a pia fica alguns dias cheia de
pratos sem lavar…
Se são cometidos pequenos erros (estacionar em local proibido, excesso de velocidade,
ou não respeitar o sinal vermelho), e os mesmos não são punidos, então começarão a
surgir erros maiores e, em seguida, delitos cada vez mais graves.
O pequenos erros podem dar origem a transgressões da lei. Permitir um roubo pequeno
pode levar a roubos maiores, como é o caso da corrupção. Estabelecer regras claras,
deixando claro quais são as exceções, pode ser uma solução, desde que não chegue
tarde demais.

Interesses relacionados