Você está na página 1de 13

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 43 - 2013, Época especial (código 708)


Determine a sombra própria e a sombra projetada nos planos de projeção de um cone de revolução com base
horizontal, situado no primeiro diedro.
Destaque, a traço mais forte, as projeções de cone e o contorno da sua sombra projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as linhas invisíveis na parte ocultada do contorno da sua sombra projetada nos
planos de projeção. Identifique as áreas visíveis das sombras, própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou
com uma mancha clara de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às projeções da direção luminosa, nas áreas da sombra projetada.
Dados:
– o ponto O (0; 4; 9) é o centro da base do cone;
– a circunferência da base é tangente ao plano frontal de projeção;
– o vértice V pertence ao plano horizontal de projeção;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 42 - 2013, 2.ª Fase (código 708)


Determine a sombra própria e a sombra projetada nos planos de projeção de um cilindro oblíquo, de bases circulares
situadas em planos frontais, e situado no primeiro diedro. Destaque, a traço mais forte, as projeções do cilindro e o
contorno da sua sombra projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as linhas invisíveis, quer no sólido, quer na parte ocultada do contorno da sua
sombra projetada nos planos de projeção. Identifique as áreas visíveis das sombras, própria e projetada,
preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
− o ponto O (0; 4; 7,5) é o centro da circunferência com 3,5 cm de raio de uma das bases do cilindro;
− as geratrizes do cilindro são horizontais e fazem um ângulo de 60° de abertura para a direita, com o plano frontal
de projeção;
− a outra base do cilindro pertence ao plano frontal de projeção;
− a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 41 - 2013, 1.ª Fase (código 708)


Determine a sombra própria e a sombra projetada nos planos de projeção de um cone oblíquo, de base circular
situada num plano horizontal, e situado no primeiro diedro. Destaque, a traço mais forte, as projeções do cone e o
contorno da sua sombra projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as linhas invisíveis na parte ocultada do contorno da sua sombra projetada nos
planos de projeção. Identifique as áreas visíveis das sombras, própria e projetada, preenchendo- -as a tracejado ou
com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
− a base do cone tem 4 cm de raio e pertence a um plano horizontal com 1 de cota;
− a geratriz [AV] situada mais à esquerda é vertical, com 4 de abcissa e 6 de afastamento;
− a geratriz [AV] mede 8 cm;
− a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 40 - 2012, 1.ª Fase (código 708)


Determine a sombra própria e a sombra projetada nos planos de projeção de uma pirâmide quadrangular oblíqua, de
base regular contida num plano de perfil e situada no primeiro diedro.
Destaque, a traço mais forte, as projeções da pirâmide e o contorno da sua sombra projetada nos planos de
projeção. Identifique, a traço interrompido, as linhas invisíveis, quer no sólido, quer na parte ocultada do contorno
da sua sombra projetada nos planos de projeção. Identifique as áreas visíveis das sombras, própria e projetada,
preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
− os pontos A (0; 0; 3) e B (0; 4; 0) são dois dos vértices da base [ABCD] da pirâmide;
− a aresta lateral [AV] é fronto-horizontal;
− o vértice V tem – 10 de abcissa;
− a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 39 - 2011, 2.ª Fase (código 708)


Determine a sombra própria e a sombra real nos planos de projeção, de um cilindro oblíquo de bases circulares,
situado no primeiro diedro.
Ponha em destaque quer o contorno da sombra real nos planos de projeção, quer as projeções do cilindro.
Identifique, a traço interrompido, as linhas invisíveis, quer no sólido, quer na parte ocultada do contorno da sua
sombra projetada nos planos de projeção. Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada,
preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
− o cilindro tem bases frontais cujo raio mede 4,5 cm;
− o ponto O (0; 0; 8) é o centro de uma das bases;
− o ponto O', centro da outra base, tem 4,5 de cota;
− o eixo do cilindro é de perfil e faz um ângulo de 70º com o plano frontal de projeção;
− a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 38 - 2010, 2.ª Fase (código 708)


Determine a sombra própria e a sombra real de um prisma pentagonal regular, nos planos de projeção, de acordo
com os dados abaixo indicados.
Ponha em destaque, quer o contorno da sombra real nos planos de projeção, quer as projeções do prisma.
Identifique, a traço interrompido, as linhas invisíveis, quer no sólido, quer na parte ocultada do contorno da sua
sombra projetada nos planos de projeção. Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada,
preenchendo- -as a tracejado ou com uma mancha de grafite, clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– as bases estão contidas em planos de perfil;
– os pontos O (2; 4,5; 6) e A (2; 0; 6) são, respetivamente, o centro e um dos vértices da base [ABCDE];
– o plano de perfil da outra base tem – 5 de abcissa;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 37 - 2009, 1.ª Fase (código 708)


Represente, pelas suas projeções, um cone de revolução, de acordo com os dados abaixo apresentados. Determine a
sombra própria do cone e a sua sombra real nos planos de projeção, utilizando a direção luminosa convencional.
Identifique, a traço interrompido, a parte invisível da linha separatriz de luz/sombra, na sombra própria, e a parte
ocultada do contorno, na sombra projetada. Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada,
preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite, clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– a base está contida no plano frontal fí e tem 4 cm de raio;
– o centro da base é o ponto O, que pertence ao plano bissetor dos diedros ímpares e tem 2 de abcissa e 8 de
afastamento;
– o vértice é o ponto V, com 1 de afastamento.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 36 - 2008, 1.ª Fase (código 708)


Represente pelas suas projeções um cilindro de revolução, de acordo com os dados abaixo apresentados. Utilizando
a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do cilindro e a sua sombra real nos planos de
projeção.
Identifique, a traço interrompido, a parte invisível da linha separatriz de luz/sombra do sólido, na sombra própria, e
as partes ocultadas do contorno da sombra projetada. Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada,
preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite, clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– as bases são horizontais;
– o ponto O (4; 7; 8) é o centro de uma das bases;
– a base de centro O' tem 2 de cota;
– o raio das bases mede 4 cm.
SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 35 - 2007, 2.ª Fase (código 708)


Represente, em dupla projeção ortogonal, um cone de revolução de base horizontal, de acordo com os dados abaixo
apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do cone e a sua sombra real
projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as geratrizes invisíveis da linha separatriz de luz/sombra do sólido, na sombra
própria, e as partes ocultadas do contorno da sombra projetada. Identifique as áreas visíveis das sombras própria e
projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas areas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– o plano horizontal que contém a base do sólido tem 5,5 de cota;
– o vértice V do cone é um ponto do semiplano horizontal anterior com 2 de abcissa e 7,5 de afastamento;
– o raio da circunferência da base mede 3,5 cm.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 34 - 2007, 2.ª Fase (código 408)


Represente uma pirâmide pentagonal oblíqua de base horizontal, situada no primeiro diedro, de acordo com os
dados abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria da pirâmide e
sua sombra real projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, arestas invisíveis e a parte invisível do contorno da sombra projetada. Identifique
as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e
uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– a base da pirâmide é um pentágono regular, cujo centro é o ponto O (2,5; 6; 7);
– o ponto A, com 2,5 de abcissa e 2,5 de afastamento, é um dos vértices da base;
– o vértice da pirâmide é o ponto V (0; 2,5; 0).

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 33 - 2007, 1.ª Fase (código 408)


Represente um prisma triangular oblíquo de bases regulares, situado no primeiro diedro, de acordo com os dados
abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do prisma e sua
sombra real projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, arestas invisíveis; identifique, igualmente, a parte ocultada do contorno da sombra
projetada. Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma
mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nasáreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– as bases do prisma estão contidas em planos frontais;
– os pontos A (0; 6,5; 0) e B (5; 6,5; 1,5) são dois vértices consecutivos de uma das bases;
– o ponto A e o ponto D (0; 2,5; 4) são extremos de uma aresta lateral do prisma.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 32 - 2006, 1.ª Fase (código 708)


Represente, em dupla projeção ortogonal, uma pirâmide triangular regular de base frontal, de acordo com os dados
abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria da pirâmide e a sua
sombra real projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as arestas invisíveis do sólido e as partes ocultadas do contorno da sombra
projetada.
Identifique as áreas visíveis das sombras próprias e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de
grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– o ponto A (4; 7; 3) é um dos vértices da base [ABC];
– o vértice V tem 0 de abcissa, 1,5 de afastamento e 4,5 de cota.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 31 - 2006, 2.ª Fase (código 408)


Represente uma pirâmide quadrangular regular de base horizontal, situada no primeiro diedro, de acordo com os
dados abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria da pirâmide e a
sua sombra real projetada nos planos de projeção.
Represente, a traço interrompido, as arestas invisíveis do sólido e as partes invisíveis do contorno da sombra
projetada. Identifique as áreas visíveis das sombras próprias e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma
mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– o vértice da pirâmide é o ponto V (0; 6; 0);
– o ponto A (3,5; 8; 6) é um dos vértices da base [ABCD].

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 30 - 2006, 1.ª Fase (código 408)


Represente um cubo, situado no primeiro diedro, de acordo com os dados abaixo apresentados. Utilizando a direção
luminosa convencional, determine a sombra própria do cubo e a sua sombra real projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as arestas invisíveis e a parte invisível do contorno da sombra projetada.
Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de
grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– a face [ABCD] do cubo é paralela ao plano frontal de projeção;
– os pontos A e B são dois vértices consecutivos da face [ABCD];
– o vértice A tem abcissa nula, 2 de afastamento e 5 de cota;
– o vértice B tem 4 de abcissa e 3 de cota.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 29 - 2005, 2.ª Fase (código 408)


Represente um cone oblíquo de base circular, situado no primeiro diedro, de acordo com os dados abaixo
apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do cone e a sua sombra real
projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as partes invisíveis da separatriz e do contorno da sombra projetada. Identifique as
áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e
uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– a base é horizontal, tem centro no ponto O (0; 5; 6) e tem 4 cm de raio;
– o vértice V do cone tem 2 de abcissa, 5 de afastamento e 1 de cota.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 28 - 2005, 1.ª Fase (código 408)


Represente uma pirâmide hexagonal regular de base de perfil, situada no primeiro diedro, de acordo com os dados
abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria da pirâmide e a sua
sombra real projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, a parte invisível do contorno da sombra projetada. Identifique as áreas visíveis das
sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– os pontos A (0; 3; 0) e B (0; 6,5; 0) são vértices consecutivos do hexágono da base;
– o vértice da pirâmide, V, fica situado 7 cm à direita do plano da base.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 27 - 2004, 2.ª Fase (código 408)


Represente um cone de revolução de base horizontal, situado no primeiro diedro, de acordo com os dados abaixo
apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do cone e a sua sombra real
projetada nos planos de projeção.
Represente, a traço interrompido, as partes invisíveis da separatriz e do contorno da sombra projetada. Identifique
as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e
uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– a base tem centro no ponto O (3; 7; 2,5) e 3 cm de raio;
– o vértice V do cone tem 10 de cota.
SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 26 - 2004, 1.ª Fase (código 408)


Represente um prisma pentagonal oblíquo de bases horizontais, situado no primeiro diedro, de acordo com os dados
abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do prisma e a sua
sombra real projetada nos planos de projeção.
Represente, a traço interrompido, as arestas invisíveis e a parte invisível do contorno da sombra projetada.
Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de
grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– as bases do prisma são pentágonos regulares;
– os pontos O (0; 6; 0) e O' (2,5; 6; 6,5) são os centros das bases;
– o vértice A, da base de menor cota, tem abcissa nula e 2,5 de afastamento.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 25 - 2003, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 408)


Represente uma pirâmide quadrangular regular de base horizontal, situada no primeiro diedro, de acordo com os
dados abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria da pirâmide e a
sua sombra real projetada nos planos de projeção.
Identifique, a traço interrompido, as arestas invisíveis do sólido e a parte invisível do contorno da sombra projetada.
Identifique as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de
grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, devera fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– o vértice da pirâmide é o ponto V (0; 5; 9);
– o ponto A (2; 1; 2,5) é um dos vértices da base [ABCD].

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 24 - 2002, 2.ª Fase (código 408)


Represente uma pirâmide triangular regular, de vértice V, situada no primeiro diedro e com a base [ABC] paralela ao
plano horizontal de projeção, de acordo com os dados abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa
convencional, determine a sombra própria da pirâmide e a sua sombra real projetada nos planos de projeção.
Represente a traço interrompido as arestas invisíveis e a parte invisível do contorno da sombra projetada. Identifique
as áreas visíveis das sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e
uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, devera fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– o vértice A tem – 3,5 de abcissa, 1 de afastamento e 7 de cota;
– o vértice V pertence ao plano horizontal de projeção, tem abcissa nula e 4 de afastamento.
SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 23- 2002, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 408)


Represente um prisma triangular regular, situado no primeiro diedro e com uma das bases, [ABC], assente no plano
horizontal de projeção, de acordo com os dados abaixo apresentados. Utilizando a direção luminosa convencional,
determine a sombra própria do prisma e a sua sombra real nos planos de projeção.
Represente a traço interrompido a parte invisível do contorno da sombra projetada. Identifique as áreas visíveis das
sombras própria e projetada, preenchendo-as a tracejado ou com uma mancha de grafite clara e uniforme.
Nota: Se optar pelo tracejado, deverá fazê-lo com linhas paralelas ao eixo x, nas áreas de sombra própria, e com
linhas perpendiculares às respetivas projeções da direção luminosa, nas áreas de sombra projetada.
Dados:
– o vértice A tem abcissa nula e 2 de afastamento;
– o vértice B tem 5,5 de abcissa e 3 de afastamento;
– a altura do prisma é 6 cm.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 22 - 2002, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de uma pirâmide hexagonal oblíqua com base
frontal e existente no espaço do primeiro diedro.
Dados:
– a figura da base é um hexágono regular, com centro no ponto O (4; 4; 6) e do qual o ponto A (8; 4; 6) é um dos
vértices;
– o vértice do sólido é o ponto V (4; 12; 4);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 21 - 2001, 2.ª Fase (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de uma pirâmide pentagonal oblíqua com base
frontal.
Dados:
– a base é o pentágono regular [ABCDE], que se encontra inscrito numa circunferência com o centro em O (4; 0; 6),
sendo um dos seus vértices o ponto A (4; 0; 10);
– a aresta lateral [AV] é de perfil, perpendicular ao plano bissetor dos diedros ímpares, e o vértice V pertence ao
plano horizontal de projeção;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 20 - 2000, 2.ª Fase (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um prisma quadrangular oblíquo com bases
horizontais.
Dados:
– o quadrado [ABCD] admite, como uma das suas diagonais, o segmento de reta [AC], cujos extremos são os
pontos A (4; 2; 0) e C (4; 9; 0);
– as arestas laterais do sólido são frontais e têm uma inclinação, com o plano horizontal de projeção, de 45º de
abertura para a direita;
– a segunda base tem 7 de cota;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 19 - 1999, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um prisma hexagonal oblíquo, utilizando a
direção luminosa convencional.
Dados:
– uma base do prisma está contida no plano horizontal de projeção;
– esta base é um hexágono regular, inscrito numa circunferência com 4 cm de raio, cujo centro é o ponto O (5; 4; 0);
– o ponto A, com 5 de abcissa e pertencente ao eixo x, é um dos seus vértices;
– a segunda base é horizontal e tem centro no ponto O' (5; 6; 8);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 18 - 1998, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Utilizando a direção luminosa convencional, determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção pela
pirâmide hexagonal oblíqua.
Dados:
– a base está contida num plano horizontal e é um hexágono regular com centro no ponto O (4; 6; 4) e do qual o
ponto A (0; 6; 4)é um dos vértices;
– o vértice do sólido é o ponto V (4; 0; 12);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 17 - 1997, 2.ª Fase (código 121)


Represente um prisma oblíquo de bases pentagonais regulares horizontais. Uma das bases, que está inscrita numa
circunferência contida no plano horizontal de projeção, com centro no ponto O (0; 5; 0) e raio igual a 4 cm, admite,
como um dos seus vértices, o ponto A, com 1 de afastamento. O centro da segunda base é o ponto O' (0; 9; 10).
Utilizando a direção luminosa convencional, determine a sombra própria do prisma e a que este produz nos planos
de projeção.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 16 - 1996, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de uma pirâmide oblíqua de vértice V (– 10; 9; 9),
cuja base é um pentágono regular frontal, com centro no ponto O (– 4; 1; 4,5) e um vértice em A (– 4; 1; 1).
A direção luminosa é a convencional.
SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 15 - 1994, 2.ª Fase (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um prisma quadrangular oblíquo de bases
horizontais.
Dados:
– as bases do prisma têm 0 e 7 de cota, respetivamente;
– uma diagonal da base de cota nula é o segmento [AC] sendo A (– 4; 8; 0) e C (– 10; 6; 0), e a aresta lateral que
contém o ponto A tem o outro extremo em E (– 7; 9; 7);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 14 - 1993, 2.ª Fase (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um prisma hexagonal de base regular.
Dados:
– uma das bases do prisma pertence ao semiplano frontal superior, o lado [AB] mede 4 cm e pertence ao eixo x;
– as projeções horizontal e frontal das arestas laterais do prisma fazem com o eixo x, no semiplano horizontal
anterior e no semiplano frontal superior, respetivamente, ângulos de 45º de abertura para a direita;
– a altura do prisma é de 6 cm;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 13 - 1990, 2.ª Fase (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um cilindro cujas bases, existentes em planos
frontais, têm 3 e 7 de afastamento.
Dados:
– as projeções frontais e horizontais das geratrizes fazem com o eixo x ângulos de 45º com abertura para a esquerda;
– a base de menor afastamento é um círculo com 4 cm de raio cujo centro é o ponto O (3; 3; 5);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 12 - 1990, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Desenhe as projeções de um cubo e determine as suas sombras própria e projetada nos planos de projeção.
Dados:
– uma face do cubo está assente no plano horizontal de projeção e tem uma diagonal definida pelos pontos A (– 2; 1;
0) e C (– 2; 6; 0);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 11 - 1990, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 121)


Desenhe as projeções de uma pirâmide quadrangular e determine as sombras própria e projetada nos planos de
projeção.
Dados:
– a base é um quadrado [ABCD] frontal;
– A (0; 2; 0) e C (0; 2; 8) definem uma diagonal vertical do quadrado;
– o vértice é o ponto V (– 6; 7; 7);
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 10 - 1989, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um cone oblíquo cuja base existe num plano
frontal e tem 4 cm de raio, sabendo que o centro da base é o ponto O (0; 6; 10) e o vértice do sólido é o ponto V (– 1;
1; 9).
A direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 09 - 1989, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 121)


Desenhe as projeções de um cilindro, cujas geratrizes são de perfil, e determine as sombras própria e projetada nos
planos de projeção.
Dados:
– as bases são horizontais, com 4 cm de raio;
– uma das bases está assente no plano horizontal de projeção e tem centro num ponto com 5 de afastamento;
– a outra tem o seu centro com 9 de afastamento e 7 de cota;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 08 - 1988, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Desenhe as projeções de um cone e determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção.
Dados:
– a base frontal é uma circunferência com 4 cm de raio, cujo centroé o ponto O (– 10; 5, 5) e o vértice é o ponto do
eixo x que se situa 8 cm para a direita da linha de chamada do ponto O;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 07- 1988, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um cilindro oblíquo.
Dados:
– uma das bases do cilindro está contida no plano horizontal de projeção e tem como centro o ponto O (0; 8,5; 0);
– os pontos X (– 4; 8,5; 0) e Y (– 6; 9,5; 5) pertencem à mesma geratriz e cada uma delas a uma das bases do cilindro;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 06 - 1987, 2.ª Fase (código 121)


Desenhe as projeções de um cilindro e determine as sombras próprias e projetada nos planos de projeção.
Dados:
– as bases são circunferências horizontais com 3 cm de raio, uma delas está no plano horizontal de projeção, cujo
centro é o ponto O (5; 0) e a outra tem 3 de cota;
– as geratrizes do contorno aparente, em projeção horizontal e frontal, fazem com o eixo x respetivamente 60º e 45º
de abertura para a direita;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 05 - 1987, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um prisma cujas bases são pentágonos
regulares horizontais.
Dados:
– uma das bases [ABCD] está assente no plano horizontal de projeção e inscrita numa circunferência com 4 cm de
raio, cujo centro tem 6 de afastamento;
– o vértice A situa-se mais à esquerda, o vértice E é o de menor afastamento e o lado [CD], oposto ao vértice A, é de
topo;
– as arestas laterais são frontais e medem 10 cm, fazendo ângulos de 45º com o plano horizontal de projeção, de
abertura para a direita;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 04 - 1986, 2.ª Fase (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de um cone de base circular, sabendo que a base
é frontal, o seu centro é o ponto O (– 4; 6; 4), o raio do círculo de 4 cm e o vértice do cone é o ponto V (– 2; 0; 4).
A direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 03 - 1986, 1.ª Fase, 1.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e produzida nos planos de projeção de uma pirâmide octogonal de base regular
contida no plano horizontal de projeção, cujo centro é o ponto O de 5 de afastamento.
Dados:
– os vértices A e E, extremos do diâmetro de topo da circunferência circunscrita à base, têm de afastamento
respetivamente 1 e 9;
– o vértice A é o de menor afastamento e o E o de maior afastamento;
– a projeção horizontal do vértice da pirâmide coincide com a projeção do mesmo nome do vértice mais à direita da
base e tem 6 de cota;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS
EXERCÍCIO 02 - 1985, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)
Determine as sombras própria e produzida nos planos de projeção de um prisma hexagonal oblíquo situado no
primeiro diedro.
Dados:
– as bases são horizontais: uma pertence ao plano horizontal de projeção e a outra a um plano horizontal com 8 de
cota;
– os centros das bases são os pontos O (0; 5; 0) e O' (– 8; 5; 8);
– os lados do hexágono medem 4 cm;
– dois lados das bases de menor e de maior cota são paralelos ao eixo x;
– a direção luminosa é a convencional.

SOMBRAS DE SÓLIDOS

EXERCÍCIO 01 - 1984, 1.ª Fase, 2.ª Chamada (código 121)


Determine as sombras própria e projetada nos planos de projeção de uma pirâmide pentagonal do primeiro diedro.
Dados:
– a diretriz da superfície é um pentágono regular que está contida no plano frontal de projeção e inscrita numa
circunferência com o raio de 4 cm, cujo centro é o ponto O de 4 de cota;
– um vértice da diretriz é de cota nula e o lado que se lhe opõe é paralelo ao eixo x;
– a linha de chamada do vértice V (8; 10) da pirâmide dista 5 cm para a direita da linha de chamada do centro da
diretriz;
– a direção luminosa é a convencional.