Você está na página 1de 1

Acompanhamento Licença Maternidade

A Comissão de Graduação do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no uso de suas
atribuições vem, por meio desta, ESTABELECER MEDIDAS DE ACOMPANHAMENTO ÁS ALUNAS EM LICENÇA
MATERNIDADE conforme art. 65º da Resolução 11/2013 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.
RESOLVE
A Licença Maternidade será acompanhada de Atividades Pedagógicas Domiciliares, como compensação da ausência às
aulas, sempre que compatíveis ao estado de saúde da estudante e às características da disciplina, desde que atendidas as
seguintes orientações:

1. A discente deve informar-se com os professores sobre os conteúdos programáticos das disciplinas em que está
matriculada, as atividades pedagógicas domiciliares correspondentes e as avaliações parciais e/ou finais da
disciplina, avaliando as condições para a sua conclusão;
2. De posse do registro da solicitação da Licença Maternidade na Divisão de Saúde e Junta Médica da
Universidade, a discente deve assinar termo de solicitação do Plano de Acompanhamento das atividades
pedagógicas domiciliares junto a COMGRAD-EDU;
3. A Licença libera a aluna da frequência às aulas, mas não das atividades previstas para a disciplina, como
trabalhos e provas. A discente deve realizar as atividades pedagógicas domiciliares previstas no Plano de
Acompanhamento, e acordadas com o docente responsável, como condição de pretensão de aprovação na
disciplina;
4. As atividades pedagógicas domiciliares estarão descritas no Plano de Acompanhamento das referidas
atividades, a ser assinado pelo docente da disciplina e pelo discente, e entregue à COMGRAD em até 10 dias
após o término do período de concessão da Licença, estipulado em Laudo pela Junta Médica da Universidade;
5. O regime de atividades pedagógicas domiciliares não é concedido para disciplinas com atividades práticas, cuja
carga horária tenha sido destinada a saídas de campo, laboratórios, estágios supervisionados, trabalhos de
conclusão de curso e demais atividades complementares, previstas no curso de graduação;
6. A discente que estiver nesta situação pode ser submetida a avaliações posteriormente, conforme necessidades
e adequações feitas em concordância com o docente responsável pela disciplina, desde que a postagem do
conceito final seja feita até o prazo máximo do semestre letivo subsequente (em substituição ao NI), conforme
Resolução 11/2013 do CEPE;
7. Cabe à aluna ficar atenta aos prazos e é de sua responsabilidade a renovação da matrícula quando a licença
maternidade coincidir com o período de matrículas da Universidade.
8. Conforme o Artigo 65 da Resolução 11/2013 do CEPE, quando a Licença ultrapassar 90 dias letivos esta poderá,
a critério da Comissão de Graduação do curso da aluna, ser convertida em Afastamento, sem prejuízo dos
trancamentos de matrículas voluntários.

Porto Alegre, 04 de abril de 2014.


Profa. Dra. Luciane Uberti
Coordenadora da COMGRAD/EDU
FACED – UFRGS

FONTE: http://www.ufrgs.br/pedagogia/news/resolucoes/resolucao-no-01-2014