Você está na página 1de 33

0

ESCOLA BRASILEIRA DE MEDICINA CHINESA – EBRAMEC


CURSO DE FORMAÇÃO EM MEDICINA TRADICIONAL CHINESA
FERNANDA FERNANDES TIBÚRCIO

A UTILIZAÇÃO DA ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DAS


DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES

SÃO PAULO
2011
1

FERNANDA FERNANDES TIBÚRCIO

A UTILIZAÇÃO DA ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DAS


DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES

Trabalho apresentado a EBRAMEC – Escola


Brasileira de Medicina Chinesa, como requisito
parcial para obtenção do certificado de Especialista.

SÃO PAULO
2011
2

FERNANDA FERNANDES TIBÚRCIO

A UTILIZAÇÃO DA ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DAS


DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES

BANCA EXAMINADORA

___________________________________

___________________________________

___________________________________

FERNANDA FERNANDES TIBÚRCIO

São Paulo, ____ de _____________de 2011


3

RESUMO

A acupuntura é um método terapêutico muito antigo, utilizado no oriente por


aproximadamente 5000 anos. Esta terapia, teve sua origem na China, sendo utilizada também mais
tarde pela medicina de outros países orientais.
Os criadores desta terapia, vem ao longo destes anos descrevendo a existência de mais ou
menos 1.000 pontos de acupuntura, onde 361 destes pontos distribuem-se em canais de energia no
corpo humano, chamados de meridianos, onde a energia vital “Qi”, faz a sua circulação. Estes
meridianos são os responsáveis pela conexão energética dos órgãos internos Zang-Fu e também de
muitos tecidos e muitos órgãos da porção superficial do corpo, criando a integridade orgânica.
Os distúrbios que podem ocorrer na circulação da energia vital, acarretam diversas
enfermidades que podem ser eliminadas após a realização do reestabelecimento do equilíbrio do Qi,
através da inserção de agulhas ou ainda sobre pontos de acupuntura específicos para cada tipo de
patologia, através de pressão.
A aplicação da acupuntura na Odontologia vem recebendo um grande destaque por parte de
pesquisadores e estudiosos na atualidade. Os estudos, vem ao longo dos anos concluindo que a
acupuntura é um grande complemento das modalidades convencionais dos tratamentos
odontológicos, capaz de oferecer analgesia e juntamente com outras práticas amenizar os
problemas.
Desta forma, este trabalho tem o intuito de realizar a descrição de como essa técnica milenar
pode ser de grande utilidade para os distúrbios que ocorrem com a articulação temporomandibular,
os quais são uma causa muito comum de dores da região orofacial na atualidade.
Assim sendo, serão descritos neste estudo quais são os meridianos afetados com este
distúrbio, como também o método de alcance de analgesia e relaxamento dos músculos através da
inserção de agulhas, tornando-se um valioso auxiliar dentro do tratamento das disfunções
temporomandibulares.

Palavras-chave: Acupuntura, disfunção temporomandibular, dor orofacial, analgesia


4

ABSTRACT

Acupuncture is a very old therapeutic method used in the east for about 5000 years. This
therapy originated in China and is also used later by other countries oriental medicine.
The creators of this therapy, has over the years describing the existence of about 1,000
acupuncture points, where 361 of these points are distributed in energy channels in the human body,
called meridians, where the vital energy "Qi", is its circulation. These meridians are the energy
responsible for the connection of the internal organs Zang-Fu and also many many tissues and
organs of the superficial part of the body, creating organic integrity.
Disorders that may occur in the circulation of vital energy, which cause various diseases can
be eliminated after the reestablishment of the balance of Qi through the insertion of needles or on
specific acupuncture points for each type of pathology, through pressure.
The application of acupuncture in dentistry has been receiving a great emphasis on the part
of researchers and scholars today. Studies, has over the years and concluded that acupuncture is a
great complement to conventional methods of dental treatment, capable of providing analgesia and
along with other practices reduce the problems.
Thus, this work aims to realize the description of how this ancient technique can be helpful
for disorders that occur with the temporomandibular joint, which are a common cause of pain in
orofacial region today.
Therefore, this study will describe what are the channels affected with this disorder, but also
the method of achieving analgesia and muscle relaxation through the insertion of needles, making it
a valuable aid in the treatment of temporomandibular disorders.

Keywords: Acupuncture, temporomandibular disorders, orofacial pain, analgesia


5

SUMÁRIO

I INTRODUÇÃO................................................................................................................ 8
I.1 PROBLEMA..................................................................................................................... 9
I.2 JUSTIFICATIVA.............................................................................................................. 9
I.3 OBJETIVOS..................................................................................................................... 10
I.3.1 OBJETIVO GERAL........................................................................................................... 10
I.3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS.............................................................................................. 10
II ACUPUNTURA................................................................................................................. 11
II.1 A MEDICINA TRADICIONAL CHINESA................................................................... 12
II.1.1 YIN & YANG..................................................................................................................... 12
II.1.2 ZANG-FU........................................................................................................................... 13
II.1.3 TEORIA DOS CINCO ELEMENTOS, WU XING........................................................... 15
II.1.4 OS CANAIS DE ENERGIA............................................................................................... 16
III O DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA.............................. 18
IV DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR................................................................... 20
IV.1 A ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR......................................................... 21
IV.2 DIAGNÓSTICO............................................................................................................... 23
IV.3 SINAIS E SINTOMAS..................................................................................................... 24
IV.4 CANAIS DE ENERGIA ACOMETIDOS NA DISFUNÇÃO
TEMPOROMANDIBULAR............................................................................................ 24
V PRINCÍPIOS E INDICAÇÕES DA ACUPUNTURA................................................... 27
V.1 A ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DAS DISFUNÇÕES
TEMPOROMANDIBULARES........................................................................................ 28
CONCLUSÃO................................................................................................................... 30
REFERÊNCIAS................................................................................................................ 31
6

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

FIGURA 1 Os Cinco elementos....................................................................................... 15


FIGURA 2 A Articulação Temporomandibular........................................................... 22
FIGURA 3 Articulação Temporomandibular............................................................... 22
FIGURA 4 Canais de Energia......................................................................................... 24
7

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

ATM Articulação Temporomandibular


DTM Disfunção Temporomandibular
MTC Medicina Tradicional Chinesa
SNC Sistema Nervoso Central
DCM Desordem Craniomandibular
8

I – INTRODUÇÃO

Todas as pessoas, necessitam de tratamentos de saúde, sejam eles médicos, odontológicos e


muitos outros. O grande motivo pelo qual as pessoas procuram estes tipos de tratamento,
certamente é a existência de dores, agudas ou crônicas, fazendo assim com que estas pessoas
busquem o sistema de saúde para tratar deste sintoma, que pode chegar a ser uma doença, em
alguns casos.
As dores, principalmente as agudas, são fundamentais para que o individuo possa garantir a
sua integridade física, pois estas dores, caracterizam possíveis acontecimentos, que variam desde
algumas lesões, traumas, diversas patologias, etc. Porém, as dores crônicas caracterizam algumas
incapacidades dos indivíduos, e ainda são problemas de difícil solução dentro da medicina.
Geralmente incidindo com uma maior freqüência na cabeça e no pescoço, caracterizam na
atualidade uma média de 40% dos casos estudados clinicamente.
Considera-se nos dias de hoje, as DTMs – disfunções temporomandibulares como sendo
uma das causas mais comuns de dores orofaciais tratadas por profissionais de saúde, dentistas,
médicos, fisioterapeutas, etc1.
A DTM, engloba vários problemas clínicos musculares e articulares da área orofacial, que se
caracterizam por dor, ruídos nas articulações, irregularidade e limitação da mandíbula. A DTM é
considerada na medicina e na odontologia como um subgrupo de desordens reumatológicas e
muscoesqueletais, que representam a principal causa de dores não dentárias na região orofacial 2.
Devido ao desconhecimento do problema, ou como forma de aliviar os sintomas da DTM, é
muito comum o uso excessivo de medicamentos analgésicos e antiinflamatórios, a partir de
automedicação e até mesmo por indicação médica. Afim de evitar esse uso irracional de
medicamentos e também como forma de reduzirem e solucionarem as reclamações recebidas nos
consultórios, muitos cirurgiões-dentistas vem aderindo nos dias de hoje à aplicação da acupuntura
para os tratamentos de DTM, como um analgésico.
Define-se o tratamento por acupuntura a partir da aplicação de estímulos através da pele,
trabalhando pontos específicos com a inserção de agulhas. Estes pontos específicos recebem o nome
de acupontos, são regiões localizadas na pele que tem relação íntima à nervos, tendões, vasos
sanguíneos, cápsulas articulares, etc., que quando estimuladas possibilitam o acesso ao SNC –
sistema nervoso central. Quando ocorre a analgesia por acupuntura, acontece a estimulação de
nervos com diâmetro pequeno e limiar diferenciado, ativando neurônios do tronco cerebral e do
hipotálamo.
9

Basicamente, a acupuntura se utiliza do próprio sistema proprioceptivo do corpo, causando a


liberação de endorfina, reduzindo desta forma as sensações dolorosas e bloqueando os impulsos
nocivos, reduzindo assim as sensações dolorosas.
O objetivo deste trabalho, é oferecer informações sobre a acupuntura no tratamento das
disfunções temporomandibulares, enfatizando os principais aspectos científicos do tema, através da
explicitação da acupuntura, sua história e evolução ao longo dos anos, do que vem a sem disfunção
temporomandibular e o seu tratamento através da aplicação das técnicas de acupuntura.

I.1 - Problema

As Disfunções Temporo-Mandibulares caracterizam-se por condições dolorosas, presentes


em um quadro agudo ou crônico, acometendo uma grande parte da população, principalmente
mulheres. As estruturas envolvidas, compõem-se da musculatura mastigatória, região da articulação
temporo-mandibular – ATM e cervical, a sua classificação está na origem muscular e articular.
Alguns dos principais sinais e sintomas das disfunções da ATM, são dores nos músculos da
mastigação, ruídos na articulação, abertura limitada, gengiva em retração, oclusão inadequada,
distúrbios na audição, dores de cabeça e sensibilidade em toda musulatura do sistema
estomagmático e cervical, de acordo com Favero (1999).
Para se tratar adequadamente casos de DTM, deve-se ter um conhecimento profundo sobre a
etiologia do problema. A origem do problema é multifatorial, envolve fatores estruturais, funcionais
e psicológicos. Um diagnóstico bem realizado, é a chave para que o tratamento seja bem sucedido.
É muito importante o entendimento de que os pacientes tem reações diferentes às terapias
utilizadas, assim sendo o profissional deve oferecer o tratamento mais adequado a cada paciente,
para que se possa alcançar os melhores resultados possíveis2 .
Alguns tipos de tratamento são empregados com êxito em casos de DTM. Além da
utilização de medicamentos, existe um efeito periférico em outros tipos de terapias. Aplicação de
gelo ou de calor no local, realização de automassagem e compressão são algumas das terapias
indicadas, fazendo parte das terapias não cirúrgicas e não invasivas, que devem ser sempre as
primeiras a serem utilizadas antes que seja indicada uma cirurgia.

I.2 – Justificativa

É muito comum que os pacientes se utilizem de antiinflamatórios e analgésicos de forma


indiscriminada, por indicação médica ou mesmo por automedicação, nos casos em que aparecem as
dores na região facial. Buscando uma redução das queixas recebidas nos seus consultórios, muitos
10

cirurgiões-dentistas tem aderido à indicação da acupuntura como um analgésico nos casos de dores
na Articulação temporomandibular – ATM.
A aplicação da Acupuntura gera analgesia de início lento e tem resultados prolongados,
tendo em muitos casos um efeito cumulativo, pois ativa a liberação de serotonina, encefalina e
endorfina3.
Mesmo sendo uma terapia praticada pelos orientais à milênios, no Brasil ainda é pequeno o
número de profissionais do ramo odontológico que são capacitados para a utilização da acupuntura,
demonstrando assim de forma clara a abertura de mais um campo terapêutico e de estudos.
A Organização Mundial de Saúde – OMS, recomenda que se utilize a acupuntura em 80
tipos de afecções e condições clínicas, incluindo nestas condições as dores. O instituto norte
americano, National Institute of Health, também reconheceu que a acupuntura tem a sua eficácia no
tratamento de muitos estados clínicos, como dores e náuseas, dentre outras patologias5 .
Assim sendo, o tratamento a partir da acupuntura surge como mais uma opção de utilização,
pois a partir do momento que o mundo ocidental começou a reconhecer a acupuntura como sendo
uma especialidade médica, ela passou a ser uma alternativa de tratamento e não considerada apenas
como um tratamento alternativo, como era vista no passado. As técnicas de acupuntura trabalhando
junto com as especialidades odontológicas, a fisioterapia e a medicina, constituem-se de mais uma
ferramenta eficaz no tratamento e combate da disfunção temporomandibular.

I.3 – Objetivos

I.3.1 – Objetivo Geral

Analisar os efeitos terapêuticos do tratamento por acupuntura na Disfunção


Temporomandibular.

I.3.2 – Objetivos Específicos

 Estudar as Disfunções Temporomandibulares e suas características gerais;


 Verificar os mecanismos de ação da acupuntura;
 Analisar a implementação da acupuntura nas Disfunções Temporomandibulares.
 Verificar a variação da amplitude do movimento antes e depois do tratamento com
acupuntura.
11

II - ACUPUNTURA

As pessoas reagem a dor de formas diferentes, em diferentes graus. Essa variabilidade de


resistência à dores, resulta-se em parte da capacidade que este indivíduo possui de suprimir a
entrada dos sinais de dores pelo Sistema Nervoso Central, ativando desta forma o sistema de
analgesia, que é caracterizado pelo controle da dor de forma natural. São várias as substancias que
se envolem no sistema de analgesia, essas substancias são chamadas de substancias
neurotransmissoras. As substancias que mais se envolvem neste processo, são a serotonina e as
encefalinas. O tratamento à base de acupuntura, age através da estimulação da liberação de
substancias através do próprio organismo, assim controlando a sensação de dores do individuo 3.
A acupuntura é um método de terapia chinesa. Tem a sua origem datada há mais de 3.000
anos. Basicamente, baseia-se na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo humano. Esta
inserção de agulhas busca a estimulação do sistema nervoso central e periférico, para que aconteça a
liberação de neurotransmissores, afim de favorecer todo o processo de manutenção e principalmente
restauração da saúde. A acupuntura, faz parte da Medicina Tradicional Chinesa. A Medicina
Tradicional Chinesa, abrange muitos conhecimentos em todos os campos e envolve muitos setores
que são ligados à área da saúde. A concepção deste tipo de medicina, está ligada ao estudo de
fatores ligados à causa das doenças, às maneiras de tratamento conforme o estado da evolução do
processo patológico e também ao estudo da prevenção, onde está presente a essência e a filosofia da
Medicina Chinesa4.
Por muito tempo, acreditava-se que a acupuntura tinha um mecanismo de ação puramente
energético. A partir da difusão no ocidente da Medicina Tradicional Chinesa, começou por parte
dos pesquisadores um questionamento sobre a participação de estruturas orgânicas na ação da
acupuntura, mais precisamente no seu mecanismo de ação. Neste momento, com o desenvolvimento
de pesquisas na área, começa-se a evidenciar a existência de uma estreita relação entre os efeitos da
acupuntura e os sistemas nervos central e periférico, como também os neuro-hormônios, nos seus
vários tipos3.
Mesmo o tratamento a partir da acupuntura existindo à milhares de anos para a supressão da
dor, apenas recentemente, seus mecanismos básicos de ação e a efetividade no controle da
sintomatologia da dor tem sido de uma forma cientifica estudados.
Os efeitos das técnicas de acupuntura para as disfunções somáticas e a dor, podem ser
explicados através dos mecanismos neurológicos e humorais4.
Reconhece-se nos dias de hoje que a inserção de agulhas nos pontos de acupuntura,
basicamente atua nos receptores nociceptivos, o que gera um potencial de ação elétrico e um
12

processo inflamatório pequeno, acontecendo a liberação de neurotransmissores, brandicinica e


histamina. Os estímulos são conduzidos ao Sistema Nervoso Central pelas fibras A-delta, que são
espessas e mielinizadas e também pelas fibras C, que são fibras finas e amielínicas, encontradas nos
músculos e também na pele.
Apesar de muito tradicional, não se pode considerar a Acupuntura como uma ciência
estagnada. Os estudos desta ciência não estão concentrados apenas na descoberta de novos pontos
de aplicação, mas especialmente em recentes técnicas que demonstram a estimulação dos pontos
existentes. A última tecnologia desenvolvida na atualidade, é a de estimular pontos tradicionais de
acupuntura utilizando-se de laser com baixa intensidade3.
A Medicina Tradicional Chinesa, considera os pontos de acupuntura como a área mais
externa do corpo energético do paciente, servindo de meio de comunicação entre os meios externos
e internos. À partir da punção, estimula-se as fibras nervosas consideradas como as responsáveis
pelo resultado final da acupuntura, fazendo com que o Sistema Nervoso Central produza
neurotransmissores e também as substâncias neuro-humorais que tem a função de viabilizar o
controle da dor e demais patologias, assim como também controlar demais processos possíveis de
controle a partir da utilização de acupuntura. Assim sendo, mesmo que algum ponto esteja situado
em uma determinada parte do corpo, este poderá ter sua ação em órgãos e estruturas diferentes.
Cada individuo tem uma seleção de pontos diferente, tudo vai depender da sensação à palpação e do
local onde acontece a dor, podendo estes pontos serem locais ou à distância. Mesmo alguns
pacientes possuindo patologias parecidas, podem ocorrer diferentes tipos de tratamento, após
avaliação partindo dos princípios da Medicina Tradicional Chinesa, dependendo desta avaliação, é
que se seleciona os pontos a serem utilizados5.

II.1 A Medicina Tradicional Chinesa

II.1.1 Yin & Yang

Basicamente, a teoria do Yin e Yang pode ser descrita por duas partes contraditórias, porém
que se complementam sobre os fenômenos da natureza, mutuamente se relacionando. De A
representatividade do Yin e Yang se apresenta a partir de aspectos opostos de substâncias e seus
conflitos aparentes, bem como a interdependência existente entre estas substâncias 6 .
Claramente pode-se observar que a teoria do Yin Yang é grandemente utilizada dentro da
Medicina Tradicional Chinesa para se explicar a estrutura histológica, função fisiológica e
13

mudanças patológicas que acontecem no organismo humano, como também servem de guias para
que ocorram diagnósticos e também a realização de tratamentos6 .
Yin e Yang, não possuem uma natureza absoluta, pois sua existência é influenciada e
determinada por condições internas ao organismo. Cada aspecto aglomera duas partes muito
contraditórias, que se transformam de acordo com determinadas circunstancias. A semente de Yang
está dentro do Yin como conseqüência a semente de Yang, está dentro de Yin 3,7.
A tabela a seguir, auxilia na demonstração das contradições entre Yin e Yang, onde pode-se
comparar Yin como sendo a noite e Yang como sendo o dia. Cabe então observar também que
dentro dos processos naturais da natureza, a noite sempre se transformará em dia e o dia logo
passará a ser noite8 .

Tabela 01 – Relações existentes entre Yin e Yang


YIN YANG
Úmido Seco
Frio Quente
Lento Rápido
Interno Externo
Escuro Claro
Noite Dia
Dor contínua e localizada Dor lacinante
Túrgido Volátil
Nutritivo Instável
Fonte: Hopwood et al. (2001)

Analisando o quadro anterior, compreende-se de uma melhor maneira, a relação existente


entre Yin e Yang, onde opostos podem se combinar em alguns momentos e em outros, estarem
completamente desligados, pela impossibilidade de se associarem para algum determinado fim.

II.1.2 Zang-Fu

Dentro da teoria Zang-Fu, pesquisa-se as funções fisiológicas, anatomia e alterações que


ocorrem na patologia dos órgão do corpo e suas relações. Os Zang-Fu são formados por pares,
sendo que o cérebro e o útero não fazem parte destes grupos, pois são considerados como órgãos
extraordinários, os demais são os seguintes7:
 Coração e instestino delgado;
 Baço, pâncreas e estômago;
 Pulmão e intestino grosso;
14

 Rim e bexiga;
 Fígado, vesicula biliar e pericárdio;
 Triplo aquecedor.

Alguns autores, descrevem cada função dos Órgãos Zang-Fu de acordo com sua
representatividade e importância dentro do organismo. A tabela abaixo exemplifica cada órgão e
suas especificidades 8,9 .
Tabela 2 – Função dos órgãos Zang-Fu
Órgão Descrição
Possui a função do controle da circulação do sangue e também dos
Coração vasos sanguineos. Abriga e governa o espírito Shen, controla a
Xin, órgão zang consciência, influencia o sono e os sonhos e tem relação com a língua e
com a face. O coração do homem, pode sofrer com alguns tipos de
sentimentos, como alegria e agitação
Intestino Delgado Tem a função de controlar recepção e transformação e separar os
Xiaochang, órgão fu fluídos.tem relação direta com o coração e também influencia os
sonhos.
O fígado tem como funções primordiais o armazenamento do sangue,
Fígado controle de dispersões, determinar as condições dos tendões e
Gan, órgão zang ligamentos, e também tem a responsabilidade pelo movimento dos
fluidos orgânicos. Tem influencia direta sobre o fluxo menstrual, e
nutrição de músculos e tendões.
Vesícula Biliar É um órgão ligado ao fígado, onde se armazena a bile, capaz de ajudar
Dan, Órgão Fu o estomago e o pâncreas na digestão. Tem influencia psicológica nos
sonhos e também em tomadas de decisões.
Suas funções estão relacionadas ao controle do transporte e
Baço / Pancreas transformação de nutrientes, manutenção da circulação do sangue
Pi, órgão zang dentro dos vasos, promoção do metabolismo da água. Abriga o
pensamento e relaciona-se com os músculos, membros e lábios.
Estômago A sua função é controlar o amadurecimento e a decomposição do
Wei, órgão fu alimento, controla o transporte de essência do alimento, origina fluidos
corpóreos e tem influencia direta com o estado mental.
É responsável pelo controle do Qi e da respiração, também por
Pulmão governar a superfície do corpo, cabelo e pele. O pulmão é considerado
Fei, órgão zang como o órgão zang mais externo, tendo o nariz como sua abertura,
reflete na pele, pêlo e penugem.
Intestino grosso A função básica do intestino é a transmissão dos alimentos digeridos e
Dachang, órgão Fu a sua excreção.
As funções do rim são a de armazenamento do Jing (essência),
Rim regulação do metabolismo da água, controle de nascimento,
Shen, órgão zang crescimento e reprodução, nutrir ossos e dentes, controlar as atividades
mentais, controlar e promover a inspiração, tem sua abertura nos
ouvidos, ânus e órgão urogenital, reflete nos cabelos.
Bexiga A sua principal função é a de acumular urina e posteriormente realizar
Pang Guan, órgão fu a sua eliminação.
Pericárdio Apresentado como circulação-sexualidade, relaciona-se estreitamente
Xinbao, órgão zang com o coração, tendo como função principal protegê-lo.
Triplo aquecedor É a generalização dos três Jiao, onde encontram-se os Zang-Fu e o
15

Sanjiao, órgão fu Sanjiao, controla a circulação de água no corpo.


Fonte: Adaptação da autora

II.1.3 Teoria dos cinco elementos, Wu Xing

A madeira, o fogo, a água, o metal e a terra são elementos fundamentais na constituição da


natureza. Estes elementos foram observados pelos antigos chineses através da prática e da vida,
após longos períodos de observações. Juntamente com a teoria do Yin e Yang, a teoria dos cinco
elementos constitui a base da Medicina Tradicional Chinesa10.

Figura 1 – Os cinco elementos

Fonte: http://www.portalterapiaoriental.com.br/5-elementos.html - Acesso em 10/12/2010

Cada um dos cinco elementos desta teoria, possui características distintas, onde cada uma
delas foi atribuída de acordo com a concepção da propriedade destes elementos, com as suas
similaridades e analogias.

Tabela 3 – Classificação dos cinco elementos


MADEIRA FOGO TERRA METAL ÁGUA
Órgãos Zang Fígado Coração Baço Pulmões Rins
Órgãos Fu Vesícula Intestino Estômago Intestino Bexiga
Biliar Delgado Grosso
Órgãos dos 5 Olhos Língua Boca Nariz Orelhas
sentidos
Cinco Tecidos Tendões Vasos Músculos Pele e Ossos
cabelo
16

Emoção Raiva Alegria Preocupação Desgosto Médio


Estação Primavera Verão Fim de verão Outono Inverno
Fator Ambiental Vento Calor Umidade Secura Frio
Crescimento e Germinação Crescimento Transformação Maturação Armazenamento
desenvolvimento
Cor Verde Vermelho Amarelo Branco Preto
Sabor Azedo Amargo Doce Picante Salgado
Orientação Leste Sul Centro Oeste Norte
Fonte: Ross (1994)

A teoria dos cinco elementos, elucida como ocorre as relações internas de todos os aspectos
da natureza pelo meio das leis de geração e dominância. A geração sugere a produção e promoção,
uma vez que o elemento que gera é chamado de mãe, e o elemento gerado é chamado de filho.

II.1.4 Os canais de energia

Através dos canais de energia, pode-se compreender os diversos aspectos patológicos,


fisiológicos, o diagnostico e os métodos terapêuticos utilizados na Medicina Tradicional Chinesa.
Dentro da MTC, existe no corpo humano um sistema de canais de energia que integram
todas as partes do corpo, formando desta forma um organismo unificado. O sangue e o Qi, circulam
dentro do corpo, por toda parte, através desta rede de canais , mantendo assim a conexão entre a
periferia e todos os órgãos3.
Cada um dos canais de energia, possui funções fisiológicas e patológicas importantes, de
acordo com as conexões que existem entre os órgãos e os tecidos.
As principais funções dos canais de energia são as seguintes6:
 Transporte de Qi e sangue
Compreende-se melhor o Qi como energia ou força necessária para a promoção da atividade
funcional, e o sangue como a fonte de umectação e lubrificação e também de alimentação. É
somente através dos canais de Qi que o sangue espalha-se pelo corpo e os tecidos
conseguem desempenhar suas atividades normalmente;
 Resposta para disfunção do corpo
As doenças tem a sua origem determinada por diversas causas, sejam internas ou externas.
Quando o individuo é acometido por algum tipo de doença, as funções normais do corpo são
interrompidas, afetando assim os canais e pontos de acupuntura que se tornam mais
sensíveis ao toque. Mesmo uma doença ocorrendo a partir de algum órgão interno, os
sintomas e os sinais podem claramente se manifestar em áreas distantes, relacionadas com o
17

canal de energia associado ao órgão. O relacionamento de determinado órgão com uma série
de sintomas, somente acontece quando se conhece o trajeto exato do seu canal de energia.

 Transmissão da doença e estimulação da acupuntura


Quando uma doença acomete alguma parte de um corpo, ela pode passar entre órgãos
através dos canais de energia. Uma doença de origem externa, atinge primeiramente os
poros da pele, onde a doença entre nos canais de energia de conexão, passando para os
canais de energia de conexão maiores, depois para os canais de energia principais e por fim
atingindo os canais internos, caracterizando os estágios através de aumento de gravidade.

Assim sendo, entende-se os canais de energia como sendo partes de um sistema complexo,
extremamente importante para o correto funcionamento do corpo humano. Desta forma, mantê-los
funcionando corretamente, é manter o organismo em perfeito estado, para que todas as funções
ocorram da forma com que devem ocorrer.
18

III – O DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

O diagnóstico dentro da medicina tradicional chinesa, baseia-se através de técnicas de


diagnose, onde o profissional realiza ações de indagação sobre a condição do paciente, inspeção,
tomada de pulso e palpação. São técnicas pessoais, onde não se utiliza de aparelhos tecnológicos,
necessitando apenas da sensibilidade e dos conhecimentos do profissional.
Quando o Yin e yang não conseguem manter equilíbrio e interação relativos, acontece a
separação um do outro, extinguindo assim a vida que deles depende6 .
Os oito princípios listados a seguir, permitiram aos chineses uma forma lógica de
diagnóstico que pudesse codificar as observações obtidas em seus pacientes: Yin/Yang, calor/frio,
excesso/deficiência e interno/externo8 .
Dentro da Medicina Tradicional Chinesa, existem três grupos principais de fatores
causadores de doenças, sendo: os fatores externos que advém do ambiente, os fatores internos que
aparecem dentro do corpo humano, e os fatores mistos, que são a participação de ambos, internos e
externos11.
A tabela a seguir, demonstra os fatores de doenças de acordo com a Medicina Tradicional
Chinesa.

Tabela 4 – Principais fatores de doenças de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa


Clima Emoção Estilo de Vida
Seis influencias perniciosas Sete emoções Mistos
Vento Alegria Nutrição
Frio Raiva Ocupação
Calor Preocupação Excesso de trabalho
Umidade Mágoa Exercício
Secura Medo Relacionamento
Calor de verão Temor Sexo
Aflição Trauma
Parasitas
Fonte: Ross (1994)

Para que aconteça o diagnostico através da Medicina Tradicional Chinesa, é necessário que
de faça um interrogatório com o paciente, afim de se construir uma anamnese. A anamnese é uma
conversa realizada entre o terapeuta e o paciente afim de se descobrir a forma como aconteceu a
patologia, descobrir as condições de vida do indivíduo, o meio ambiente em que este indivíduo está
inserido e seu ambiente familiar. O objetivo desta entrevista, é o de analisar a causa da patologia,
19

para que o paciente e o terapeuta possam em conjunto realizar um trabalho que vise unicamente
eliminá-la ou ao menos minimizá-la6 .
20

IV – DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

As disfunções temporomandibulares e dores orofaciais, caracterizam-se por condições


dolorosas dentro de um quadro na sua grande maioria agudo ou então por quadros crônicos. Estas
disfunções abrangem uma grande parcela da população, na sua grande maioria mulheres.
Classificam-se a musculatura mastigatória, a regia da ATM e cervical como estruturas envolvidas,
de origem muscular e articular. Dores nos músculos da mastigação ou na ATM, limitação de
abertura, oclusão inadequada, ruídos articulares, retração gengival, cefaléias, dentre outros, são os
principais sinais e sintomas que advém das disfunções12.
Diferentes genótipos podem interferir no quadro clínico da síndrome, bem como na resposta
do organismo do individuo ao tratamento, em muitos casos envolvendo até mesmo alguns tipos de
complicações. Muitos estudiosos acreditam que níveis de hormônio relacionam-se intimamente ao
aumento da vulnerabilidade genética do paciente à DTM, o que vem explicar a alta incidência da
síndrome em mulheres que estão em idade fértil. Os hormônios femininos, tem tido um papel
considerável para o risco, pela sua prevalência em mulheres e pelas modificações terapêuticas e
fisiológicas que seus efeitos podem causar devido ao nível de estrógeno em pacientes que possuem
DTM13.
Tratar casos de DTM, exige do terapeuta conhecimentos profundos acerca do problema.
Alguns fatores podem desencadear o problema, tais como fatores estruturais, funcionais e
psicológicos dando uma origem multifatorial ao problema. O correto e bem feito diagnóstico,
sempre foi e sempre será a chave do sucesso para o tratamento. O tratamento deve ser sempre
adequado à cada tipo de paciente e a cada tipo de necessidade, uma vez que as pessoas reagem de
forma diferenciada à diversas formas de terapias existentes. Assim sendo cabe ao profissional
realizar esta adequação para que se alcance os melhores resultados possíveis ao individuo e à sua
necessidade14 .
Nem todas as dores musculares ou articulares presentes na face podem ser consideradas
como sendo DTM. O termo disfunção temporomandibular, é utilizado para se fazer uma descrição
sobre as disfunções que tem relação com a articulação temporomandibular – ATM, englobando os
músculos mastigatórios e suas estruturas associadas, a sintomas de dores, abertura da boca limitada
e desvio mandibular considerável. Considera-se que as DTM’s são um conjunto de anormalidades
responsáveis por dores crônicas recorrentes, não progressivas e com associação a impacto leve ou
moderado na atividade do dia a dia do individuo.
21

A etiologia da DTM é multifatorial, significando que vários indivíduos podem apresentar


semelhantes sintomas, porém com causas muito diferentes. Vários fatores influenciam o controle da
dor: origem, variação, duração, efeito placebo e a habilidade do terapeuta de indicar e colocar em
prática o tratamento mais adequado. Desta forma, é extremamente importante que consiga
diferenciar o perfil clinico do paciente através da anamnese, buscando tratamentos individuais de
acordo com a necessidade de cada um15 .
No tratamento das DTM, envolve-se uma combinação de diferentes terapias. A ministração
de medicamentos capazes de aliviar as dores, a realização de tratamento fonoaudiólogo, sessões de
fisioterapia, etc. em muitos casos, quando técnicas conservadoras de terapia não são capazes de
resolver o problema, indica-se técnicas cirúrgicas16.
A importância de se ter conhecimentos profundos sobre a etiologia das DTM, para que se
possa fazer um correto tratamento. Conhecer a classificação, os principais sinais e sintomas, saber
realizar um correto diagnóstico, conhecer e analisar profundamente quais são as faixas etárias onde
ocorre a síndrome com maior freqüência, e sexo onde prevalece o maior número de indivíduos
afetados e o tratamento mais eficiente na busca pela solução do quadro, são ações indispensáveis
para entender a síndrome e aplicar melhor os conhecimentos14 .

IV.1 A Articulação Temporomandibular

A articulação temporomandibular é constituída por um órgão dinâmico caracterizado por


estruturas internas e externas. Cada uma destas articulações é composta de duas unidades articulares
capazes de proporcionar ações combinadas de charneira e deslize. A ATM, é uma das articulações
mais diferenciadas e especializadas do organismo, por ser capaz de realizar movimentos complexos
e ser relacionadas à quase todas as funções do aparelho estomagnatório. As funções deste aparelho,
dependem da saúde e da estabilidade da ATM, para a realização da mastigação, deglutição, fonação
e postura17.
A ATM (figura2), é uma articulação que desliza e roda à frente do ouvido, é formada pelo
osso temporal, lado e base do crânio, e pela mandíbula, maxilar inferior.
22

Figura 2 – Articulação Temporomandibular

NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Figura 3 – Articulação Temporomandibular

Fonte: NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
23

A ATM é o único osso móvel que existe no crânio, liga-se à base craniana por uma
articulação dupla bilateral, que se movimenta através de movimentos sinérgicos. O disco articular,
separa os componentes ósseos da articulação, e a limitação e integridade mantém-se através dos
ligamentos. O que une o maxilar inferior ao crânio, são os músculos de mastigação, permitindo
acontecer o movimento da mandíbula para frente e para o lado, bem como abrir e fechar a boca. O
funcionamento da articulação de forma adequada acontece quando o maxilar inferior e as suas
junções, direita e esquerda, encontram-se em perfeita sincronia durante a execução do movimento.
Em razão da ligação entre as articulações direita e esquerda pela mandíbula, o movimento de uma
das articulações, afeta diretamente o movimento da outra 17,18.
Conforme Soldberg (1989), normalmente, os problemas ligados à ATM ocorrem quando o
maxilar se torce ao abrir, fechar ou na realização de movimentos para o lado. Estes movimentos
realizados podem no momento afetar a articulação da mandíbula e os músculos que são
responsáveis pela mastigação17.
As causas mais comuns de disfunções temporomandibulares, são os distúrbios musculares,
que se referem à dor e disfunção miofascial, artropias da ATM, bruxismo e pacientes com
síndromes dolorosas sistêmicas. Em geral, estes distúrbios musculares são bem tratados, a partir de
uma variedade de métodos de tratamento não cirúrgicos na busca da redução da dor e do
desconforto, de inflamação de músculos e articulação, como também a melhora da função
mandibular. Ocorre com mais freqüência como causa do distúrbio da ATM uma combinação de
tensão muscular com problemas anatômicos intra-articulares. Em alguns casos, fazem parte também
também desta disfunção, fatores psicológicos19.
Os sintomas mais comuns dos distúrbios relacionados à ATM, incluem cefaléias,
sensibilidade dos músculos da mastigação e estalos e até mesmo bloqueio da articulação. Por muitas
vezes, a dor dá a impressão ao paciente de estar localizada próxima da articulação e não
propriamente nela. Distúrbios que acontecem na articulação temporomandibular, podem causar
cefaléias recorrentes que podem não responder ao tratamento clínico mais usual.

IV.2 Diagnóstico

Como já citado anteriormente, a DTM é multifatorial, assim sendo, para a realização de um


diagnostico acertado sobre esta patologia, é necessário que este diagnostico seja multidisciplinar,
pois é através dele que se coleta as informações sobre o paciente e pode-se descrever o melhor
tratamento.
24

A realização do diagnóstico costuma ser mais simples quando encontram-se presentes dores,
ruídos e limitações de mobilidade das articulações da ATM. Pode acontecer de surgir superposição
de sintomas, devido à fatores etiológicos que atuam em outras regiões, dificultando assim o
diagnostico. Sensibilidade, fadiga e dor de cabeça são alguns dos sintomas subjetivos26,27 .
A preocupação de muitos profissionais que atuam no tratamento das DTM’s e a dificuldade
que os indivíduos tem para saber o que se passa com o seu organismo, os indivíduos na busca da
solução de seus problemas, procuram diversos especialistas, ficando sujeitas a diagnósticos e
tratamentos inadequados que em muitos casos podem causar iatrogenias19.

IV.3 Sinais e Sintomas

O conjunto de sinais e sintomas da disfunção temporomandibular, compreendem resultados


de alterações quantitativas e qualitativas dos componentes do aparelho mastigatório, e estão na sua
grande maioria ligados à fatores psicológicos do paciente20.
Uma vez que se pode relacionar a articulação temporomandibular de forma íntima com os
elementos dentais, nos sentidos biológicos, mecânicos e fisiológicos, chega-se à conclusão de que
todos os problemas relacionados à má oclusão afetam direta e indiretamente a articulação, suas
estruturas internas e externas, ligamentos, cápsula e disco, músculo, bem como também tem a
capacidade de induzir alterações no padrão de informação proprioceptivo, a partir da própria
articulação temporomandibular para o sistema nervoso central 21 .
Alguns autores, relacionam como exacerbadas pela função da mandíbula, as dores
conhecidas como distúrbios extra-capsulares, sendo estas dores conhecidas como faciais. Maxilares,
dores pré-articulares, de ouvido e dores de cabeça. Desvios nos movimentos mandibulares,
movimentos madibulares assimétricos ou então limitados, podem resultar em uma hiperatividade
dos músculos responsáveis pelo fechamento da mandíbula, e também podem resultar em desordens
intra-capsulares19 .
Os disturbios intracapsulares ou internos, são considerados como processos anormais que
ocorrem nos limites das Articulações Temporomandibulares, incluindo os deslocamentos discais,
osteoartrose, artrite inflamatória, deformidades congênitas e do desenvolvimento21.

IV.4 Canais de energia acometidos na Disfunção Temporomadibular


25

Dentro dos canais de energia – Figura 3, o Qi e o sangue tem a função de alimentar e


proteger os tecidos do corpo e ajudar a manter as suas funções, tornando desta forma o corpo sadio.
Acontece que se por algum motivo o corpo estiver doente e a sua fisiologia normal afetada por
algum fator, o canal de energia afetado, pode apresentar alguns sintomas patológicos.

Figura 4 – Canais de energia

Fonte: Fonte: Wenbu,X.-Tratado de Medicina Chinesa, Editora Roca,S. Paulo,1993.

Dentro da teoria da MTC, a doença é vista como uma desarmonia, como um desequilíbrio
entre a interação do corpo com o meio ambiente. Para a medicina ocidental, a doença é vista dentro
da bioquímica e da bacteriologia, e não em termos da harmonia das partes que compõem o corpo
humano. O autor salienta os canais de energia que são acometidos quando da DTM 11.

 Canal de Energia do Estômago: Yaming do Pé.


Alguns sintomas relacionados ao trajeto deste canal são febre alta, transpiração e delírios,
dor nos olhos, herpes labial, intensa dor de garganta, desvio de boca, dor no tórax, distenção
ao longo da perna e dor no pé e membros inferiores, dentre outros.

 Canal de Energia do Intestino Delgado: Taiyang da Mão.


Alguns de seus sintomas incluem entorpecimento da língua, dor ao longo da região lateral
do ombro, dor e distensão no baixo ventre, dor ao redor da cintura e aos genitais externos,
diarréias, constipação, etc.

 Canal de energia do Triplo Aquecedor: Yang menor do Braço


26

Nota-se como sintomas inchaço e dor de garganta, dor na mandíbula, surdez, dor na face
lateral do ombro e braço, distensão abdominal, adiposidade do baixo ventre, micção
frequente, edemas, disúria, e outros.

 Canal de Energia da Vesícula Biliar: Yang Menor da Perna.


Este canal está diretamente ligado ao coração, estando associado a vesícula biliar e unindo-
se ao fígado. Tem como sintomas febre e calafrios, cefaléia, dor no olhou ou na mandíbula,
surdez e dor no trajeto do canal de energia na região do quadril, da perna ou do pé, dor nas
costas, gosto amargo na boca, etc.
27

V – PRINCÍPIOS E INDICAÇÕES DA ACUPUNTURA

O tratamento de condições patológicas através da acupuntura, vincula-se ao estímulo de


pontos específicos do corpo humanos com a inserção de agulhas especiais muito finas. A MTC
considera os pontos de acupuntura como a área mais externa do corpo energético do indivíduo,
tendo seu funcionamento como um meio de comunicação entre o meio interno e externo. Através da
inserção destas agulhas, as fibras nervosas responsáveis pelo resultado da acupuntura são
estimuladas, fazendo com que o SNC produza neurotransmissores e substancias neuro-hormonais
capazes de viabilizar o controle da dor, do estresse e da ansiedade, bem como outros processos
possíveis de serem tratados com a utilização da acupuntura 3.
A seleção dos pontos de acupuntura varia de pessoa para pessoa, o que depende da
localização da dor e da sensação à palpação, podendo estes pontos serem locais ou à distância.
Pacientes com patologias parecidas podem receber tratamentos diferentes após avaliação a partir
dos princípios da MTC, da mesma forma, os pontos a serem utilizados para aplicação das agulhas
dependerá desta avaliação da MTC5.
Apesar de ser tradicional, a acupuntura não pode ser considerada como sendo uma ciência
estática. Os estudos relacionados à ciência, não se concentram apenas na descoberta de novos
pontos de aplicação, mas sim na busca por novas técnicas de estimulação dos pontos. Uma das
tecnologias desenvolvidas para a acupuntura, consiste na estimulação dos pontos tradicionais com
laser de baixa intensidade, porém as pesquisas à este respeito ainda são muito recentes 3 .
A acupuntura tem contribuído muito para a prática odontológica, quando aplicada de
maneira convencional, através da estimulação manual das agulhas, ou então de formas mais
modernas através da associação de aparelhos de eletro-estimulação. As pesquisas mais recentes
mostram que a técnica chinesa também pode ser utilizada com sucesso na indução de anestesia
necessária em alguns procedimentos cirúrgicos, periodontais ou restauradores e no controle de
complicações pós-cirúrgicas4.
A eficácia da acupuntura no tratamento das dores crânio-faciais, como também as neuralgias
trigeminais idiopáticas, sinusites maxilares, dores dentais e cefaléias, disfunções
temporomandibulares, dores agudas, dor facial, etc, tem sido alvo de diversos estudos e pesquisas
no mundo inteiro. Portanto, esta técnica vem contribuindo de forma satisfatória para os tratamentos
odontológicos, podendo ser facilmente aplicada por profissionais habilitados, não apresentando
qualquer efeito colateral para o paciente4.
28

V.1 A acupuntura no tratamento das Disfunções Temporomandibulares

As dores na face são alguns dos problemas que oferecem grandes dificuldades para
diagnóstico ao terapeuta, acontecendo erroneamente indicações de tratamentos devido a falta de
conhecimento de muitos componentes que podem estar envolvidos ao quadro. Vários são os fatores
que podem estar relacionados aos quadros de dores faciais, como disfunções temporomandibulares,
traumas, cefaléias, neuralgias, sinusites, etc. para estas situações, o tratamento usual acaba por
muitas vezes resultar em procedimentos muito invasivos, acontecendo perdas de elementos
dentários em bom estado e outras intervenções cirúrgicas em muitos casos desnecessários, o que
acaba por alterar as funções do sistema estomatognático e consequentemente a qualidade de vida do
paciente4.
Acupuntura tem se mostrado ser uma excelente terapia no tratamento de pacientes com dor
facial crônica que resiste aos tratamentos convencionais, placa oclusal, ajuste oclusal ou exercícios
físicos mandibulares, principalmente quando se trata de dores de origem muscular. Estudos
comparativos entre utilização do tradicional método da placa oclusal e a milenar técnica da
acupuntura mostram resultados bem semelhantes de alívio e controle da sintomatologia dolorosa.
Ambas as terapias resultam em melhoria significativa dos sintomas subjetivos e sinais clínicos no
aparelho estomatognático.
Ao comparar a ação da acupuntura e da placa oclusal em pacientes com DTM, fizeram uma
avaliação sobre os efeitos das duas técnicas em questão após um ano de acompanhamento. Ambos
os tratamentos, todos os pacientes mostraram redução significativa da sintomatologia dolorosa,
durante os doze meses da pesquisa. As duas terapias não puderam ser comparadas em todos os
aspectos, já que a placa pôde ser utilizada sempre que o paciente sentisse necessidade, enquanto a
acupuntura atuou somente uma vez a cada semana. Apesar disso, os efeitos benéficos observados
imediatamente após o início de ambos os tratamentos não mudaram essencialmente durante todo o
período da pesquisa22.
Diferentemente da placa oclusal, a acupuntura atua basicamente através do mecanismo
central de inibição da dor, que envolve o bloqueio segmentar na medula espinal, o que provoca a
liberação de neuromoduladores, endorfinas e serotonina, alterando a sensibilidade dolorosa através
do mecanismo central de analgesia. Juntamente à liberação de opióides naturais, acontece o
relaxamento muscular, que reduz as tensões presentes. Assim sendo, a acupuntura age por meio do
decréscimo da excitabilidade dentro dos circuitos reflexos locais através ativação dos aferentes e
também o controle do sistema de indução da dor.
29

Ao realizar um trabalho de revisão de literatura, Rosted (2001) encontrou várias


semelhanças entre os procedimentos realizados, conseguindo estabelecer um padrão de
procedimentos para o tratamento das DTM com sessões de acupuntura. Nesta pesquisa o autor
constatou que a grande maioria das pesquisas não incluia pacientes com quadros patológicos da
ATM, e também que todas elas proporcionaram benefícios bastante parecidos aos tratamentos
convencionais com a utilização de placa oclusal. O autor verificou através do estudo que 27 pontos
foram utilizados, estimulados por técnica manual ou elétrica, em sessões semanais de 20 a 30
minutos. Os resultados confirmaram a efetividade da acupuntura nos tratamentos de DTMs, sendo
considerada um importante complemento - ou mesmo alternativa - à técnica convencional. O
tratamento pode ser conduzido semanalmente, num total de 6 sessões, podendo prosseguir por 3
meses, até a remissão dos sintomas4 .
Não existem protocolos clínicos na seleção dos pontos a serem utilizados na consecução do
tratamento. Ao contrário das terapias ocidentais, a aplicação da acupuntura baseia-se em bases
biopsicossociais que são obtidos através da anamnese do paciente, sendo que estes dados são
específicos para a realização de avaliação através da medicina tradicional chinesa. Mesmo os pontos
de acupuntura não sendo pontos específicos, existem alguns que são mais utilizados, como: pontos
localizados na face TA21, ID19, VB2, ID18, E6 e E7 e alguns pontos à distância, IG4, E36 e B60 3.
O tratamento exclusivo com a acupuntura torna-se eficiente quando a DTM se relaciona com
condições psicológicas e emocionais, já observando a presença de alterações no sistema
estomatognático, o tratamento através de acupuntura auxilia na obtenção de registros das relações
intermaxilares através de uma forma mais confiável, pois favorece o relaxamento dos músculos que
são responsáveis pelos movimentos da mandíbula, porém, o tratamento deve ser realizado atrelado à
medidas convencionais7.
Muitos estudos, demonstram que os tratamentos a partir de acupuntura são muito eficientes
em conjunto aos tratamentos convencionais para os pacientes que possuem DTM de origem
muscular, principalmente para os pacientes que possuem dificuldade na utilização da placa oclusal.
Porém, muitas pesquisas quanto à utilização da acupuntura nesta patologia, ainda são muito
necessários para que se possa fazer avaliações concretas na avaliação dos seus resultados, como
também a relação existente entre o perfil dos pacientes e as patologias. Estes estudos também são
muito importantes para que exista um melhor entendimento sobre como funciona o mecanismo da
ação da acupuntura para os profissionais, melhorando assim a sua aceitação e u ma melhor indicação
da técnica.
30

CONCLUSÃO

Diante dos princípios abordados e após a revisão de importantes pontos relacionados à


aplicação de acupuntura no tratamento das DTMs, é possível concluir que a acupuntura tem se
mostrado eficiente no controle de dores faciais, principalmente tratando-se de dores de origem
muscular.
Além disso, essa técnica utiliza o mecanismo de analgesia do próprio organismo sem
provocar quaisquer efeitos colaterais, podendo ser usada quantas vezes forem necessárias.
O correto diagnóstico sempre será a peça chave para o resultado positivo do tratamento, um
outro fator que pode também exercer grande influencia, é o estado emocional do paciente. O
profissional deve sempre compreender que os pacientes reagem de formas diversas às diferentes
terapias, desta forma, o profissional deve sempre adequar o tratamento ao paciente, na busca pelos
melhores resultados possíveis.
Pode-se verificar que a acupuntura surge como mais uma forma de tratamento da Disfunção
temporomandibular e que pode contribuir juntamente com a Odontologia, Fisioterapia e Medicina
na busca do bem-estar do paciente.
Com a evolução da ciência, pode-se verificar que ainda existe um vasto campo a ser
explorado, oferecendo oportunidades de trabalho diferenciado para os profissionais da área da
saúde, especialmente na área da fisioterapia, a partir de uma visão holística de seus pacientes.
Assim sendo, considero alguns pontos como sendo os mais relevantes no tratamento das
disfunções a partir da acupuntura:
 Além de ser uma alternativa de tratamento para pacientes com dores de origem muscular, a
acupuntura pode ser associada à diversas terapias convencionais, sem causar algum
problema à qualquer uma delas;
 A utilização de agulhas através da acupuntura, é extremamente eficaz para o mecanismo de
analgesia do corpo humano, pois através da liberação de neurotransmissores, acontece a
sensação de relaxamento;
 A acupuntura não possui efeitos colaterais, devido ser uma terapia natural;
 Deve sempre ser aplicada por profissionais capacitados e devidamente treinados para esta
finalidade;
31

REFERÊNCIAS

1 - MCNEILL, C. Management of temporomandibular dysfunction: concepts and controversies.


J Prosthet Dent. 1997

2 - OLIVEIRA, W. Disfunções temporomandibulares. São Paulo: Artes Médicas, 2002

3 - YAMAMURA, Y.. Acupuntura tradicional: a arte de inserir. 2. ed. São Paulo: Editora Roca;
2001.

4 - ROSTED P. Introduction to acupuncture in dentistry. Revista de Odontologia da UNESP


Dent J. 2000

5 - LINDE K, Vickers A, Hondas M, ter Riet G, Thormahlen J, Berman B, et al. Systematic


reviews of complementary therapies - an annotated bibliography. Part 1: acupuncture.
BMC complementary and alternative medicine 2001

6 - JUNYING, G; ZHIHONG, S.. Medicina Tradicional Chinesa Prática e Farmacologia –


Teoria e Princípios Básicos. Roca: São Paulo, 1996

7 - MACIOCIA, G.. Fundamentos da Medicina Chinesa. 9 ed. Roca: São Paulo, 1996

8 - HOPWOOD, V.; LOVESEY, M.; MOKONE, S. Acupuntura e Técnicas Relacionadas à


Fisioterapia. Manole: São Paulo, 2001

9 - SUSSMANN, D.. Acupuntura: Teoria y Práctica. Kier: Buenos Aires, 2000

10 - YAMAMURA, Y.. Tratado de Medicina Chinesa. Trad. Xi Wenbu, Beijing, China.


Roca: São Paulo, 1993

11 - ROSS, J.. Zang-Fu. Sistema de Órgãos e Vísceras da Medicina Tradicional Chinesa.


2ªed. Roca: São Paulo, 1994.

12 - MOLINA, O.; MAZZETTO, M.; STECHMAN, J., SANTOS JR., J.; FERNANDES, R.;
PIZZO, R.; ARAGON, L. Distúrbios internos articulares. Retrodiscite em pacientes com
Bruxismo e DCM-Características clínicas, diagnóstico e sugestões para tratamento.
Jornal Brasileiro de Oclusão, ATM e Dor Orofacial-Ano 1-v.1-n.1-Jan./Mar. 2001

13 - OAKLEY M, Vieira AR. The many faces of the genetics contribution to


temporomandibular joint disorder. Orthod Craniofac Res, 2008

14 - FAVERO, E.K.. Disfunção da articulação temporo-mandibular: uma visão terapêutica


multidisciplinar. Monografia (graduação em Fonoaudiologia) – Curso de Graduação
em Fonoaudiologia, CEFAC, São Paulo, 1999

15 - BRANCO CA, FONSECA RB, OLIVEIRA TRC, GOMES VL, FERNANDES NETO AJ.
Acupuncture as a complementary treatment option to temporomandibular
dysfunction: review of the literature. Rev Odontol UNESP. 2005

16 - OKESON, J. P.. Occlusion and functional disorders of the masticatory system. Dental
Clinics of North América, 39 (2), 2000
32

17 - SOLBERG, W.K.. Disfunções e Desordens Temporomandibulares. 2 ed. Ed. Santos:


São Paulo, 1999

18 - CABEZAS, N. T.. Desordens Temporo-Mandibulares. In: FILHO, O. L.. Tratado de


Fonoaudiologia. Roca: São Paulo, 1997

19 - SIQUEIRA, J. T. T. de. Dor Orofacial/ATM bases para o diagnóstico clínico. Ed.


Maio: Curitiba, 2001

20 - LEÓN, I. G.; SOLANA, L. S.; GARCÍA, J. Corrientes diadinámicas y ultrasonido en el


tratamiento de las disfunciones temporomandibulares, Instituto Superior de Ciencias Médicas
de la Habana, Facultad de Estomatología, v. 3, n.35, p. 80-85, 1998.

21 - MOLINA, O. F. Fisiopatologia craniomandibular. 2. ed. São Paulo: Pancast, 1995.

22 - LASKIN, D. M.; GREENE, C. S. Technological methods are the diagnosis and


treatment of temporomandibular disorders. Quintessence International, v. 23, n. 95,
1992