Você está na página 1de 20

Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

COMO AS IDEOLOGIAS MUDARAM O MUNDO.

Neste módulo você vai:

• Compreender que o homem, através de suas idéias e ações é um agente


transformador da natureza;

• Relacionar a conquista de novos espaços com a idéia de poder;

• Compreender que os sistemas socioeconômicos ideológicos podem


definir espaço terrestre;

• Entender como as ideologias alteram o mundo “O homem é impulsionado


por suas idéias”. E é por meio de suas idéias que organizou e se organiza
no espaço terrestre.

2 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

O espaço da idéias

Você sabe, o que é idéia?

Não? Então, saiba que idéia é uma concepção intelectual, uma opinião, juízo,
conhecimento da lembrança.

A idéia está presente no nosso dia-a-dia, nosso cotidiano, na nossa maneira de


ver e agir neste mundo. Um bom exemplo de como a idéia se manifesta está no modo
de como a sociedade se veste, ou seja, como o homem cobre o seu corpo.

Mas será que vestir é simplesmente colocar um tecido sobre o corpo?

Com certeza não, pois independente do grupo social que façamos parte, iremos
vestir uma roupa que é socialmente aceita.

Mas, o que é socialmente aceita?

Uma roupa socialmente aceita, é aquela que nossa cultura determina como
normal. É considerada normal porque ela foi idealizada no espaço das idéias e se
tornou convencional, ou seja, se tornou aceito pela sociedade.

Mas será que a humanidade ou todas os seres humanos têm a mesma maneira
de se vestir ?

É claro que não, as pessoas pelo mundo têm costumes diferentes e também
maneiras diferentes de se vestir. Na Escócia, por exemplo, é socialmente aceito que os
homens vistam saia, nas sociedades indígenas é normal andarem sem roupas, em
outros lugares, as mulheres só podem mostrar os olhos, tendo que cobrir o restante do
corpo sendo assim a cada povo expressa por meio de suas roupas as suas idéias.

3 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
Veja nas fotos abaixo a grande diversidade das idéias sobre o que vestir, em
diferentes lugares no mundo.

Mas, as idéias podem ser aceitas ou não pela sociedade, é o que acontece com
a moda.

Então, o que é moda?

A moda nada mais é que o hábito ou estilo variável no tempo e no espaço,


resultante de determinada idéia, capricho e influência da sociedade. Mas por trás da
moda estão os interesses ideológicos dos grandes empresários que através da mídia
influencia e interferem no dia-a-dia das pessoas.

Assim como a moda, a mídia é capaz de veicular a idéia de forma assustadora


em extensão e em durabilidade.

Várias vezes levamos um choque ao vermos certa roupa ou ouvirmos


determinadas músicas, mas pela freqüência, aos nossos olhos e aos nossos ouvidos
acabam parecendo normais e aceitos pela sociedade. Esse processo ocorre quase em
todos os lugares do mundo, embora a aceitação seja rápida para alguns e mais lenta
para outros.

Acontecendo muitas vezes o fato de você não conseguir acompanhar o ritmo de


certas modas e já ter que habituar as novas. Mas o jeito de vestir, a moda, não é a
única maneira das idéias se manifestar no mundo de hoje. Também é comum surgirem
na cabeça das pessoas idéias como:

• Por que há tanta violência?


• Quem foi gênio que inventou isso ou aquilo?
• Como podem existir tantas desigualdades?
• Para que estudar?
• O que comer?

4 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Em todos esses questionamentos são motivados por alguma idéia. A idéia é o


primeiro passo para a organização espacial, na sua casa quando você vai reformar ou
construir, por exemplo, você faz um planejamento de que tipo, de que cor, de que
forma, etc. que eu vou utilizar para reformar ou construir.

A idéia é sempre o primeiro passo para a organização não só espacial, mas


também social, política, econômica de um lar, de uma comunidade, do município, do
estado e do país. Hoje para ser ter uma família bem estruturada é necessário planejar
como utilizar o espaço, como conviver harmoniosamente como todos os membros da
casa, como estabelecer certas normas para que ninguém extrapole, passe de seus
limites (direitos e deveres) e principalmente, como distribuir a renda para que não haja
o desperdício ou a falta de suprimentos, e com a sociedade, é a mesma coisa.

As diferentes maneiras de produzir, mercadorias, os conflitos existentes, a


mobilidade dos grupos sociais são determinados pelas idéias de âmbito nacional e
internacional, que contribuam muito nas formas de produzir os meios de sobrevivência
e na circulação de produtos, capitais e pessoas.

Portanto as idéias são colocadas em prática e com o passar do tempo vão


tornando-se comuns entre as pessoas de determinado espaço-local, é o tempo-espaço
que as socializa. São essas práticas que formam as particularidades culturais,
históricas, econômicas e sociais de cada povo.

Por um lado existe idéias que não apresentam uma vinculação direta e imediata
com a forma de produzir o necessário para sobrevivência, é o que acontece com certas
idéias que nos são repassadas, por interesse de uma minoria, ou seja, aquelas idéias
que interessam a classe dominante de um país, isto é, (donos de fábricas, bancos,
fazendas, etc.).

Para você entender melhor esse tipo de idéia, temos como exemplo a região do
Nordeste, que associamos a miséria e a seca.

O que na verdade, na região semi-árida onde as secas prolongadas, destróem


as plantações e matam uma parte do gado, entretanto passam-nos a idéia que só há
miséria nessa região, no sertão nordestino.

O que não é verdade.

Onde predomina a pobreza é na Zona da Mata, que é a área mais povoada e


industrializada do Nordeste, como a maioria dos trabalhadores recebe menos de um
salário mínimo, vivem em moradias subumanas. Porém, fica em nossa mente, que o
problema no Nordeste é só a seca. Esse problema chama-se de indústria da seca.

5 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Mas o que vem a ser a indústria da seca?

A indústria da seca é o procedimento de políticos, fazendeiros nordestinos


que tiram proveitos das secas. Conseguem todo tipo de ajuda do governo, verbas,
empréstimos, obras e servem-se disso em benefícios próprio, tornando-se mais
rica e poderosa a cada seca.

Dessa forma a idéias ou um conjunto delas formam uma ideologia, ou seja,


indica a maneira de pensar e de agir de uma sociedade.

Responda em seu caderno.

• Como é a organização do espaço dentro da sua casa?


• Você vive correndo atrás de cada novidade que pinta nas lojas? Sim ou não. Por
quê?

Mas, o que é o poder?

“O poder corresponde à habilidade humana de não apenas agir, mas do agir de


comum acordo”.

O poder jamais é propriedade de um indivíduo; pertence a um grupo e existe


apenas enquanto o grupo se mantiver unido. Quando dizemos que alguém está “no
poder”, estamos na realidade nos referindo encontrar esta pessoa investida numa
função que detém poder, por um certo número de pessoas, para atuar em seu nome.
No momento em que o grupo, de onde se originara o poder (sem um povo ou um grupo
não há poder).

É por isso que dentro do território nacional encontramos territórios específicos,


como por exemplo, o do tráfico de drogas do Comando Vermelho, do Terceiro
Comando ou os jogos do bicho. São territorialidades muito diferentes, mas com uma
organização social -política fortemente centralizada em que se denota a dimensão
espacial do poder.

6 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Para você entender, interpretar e compreender as territorialidades em com suas


ocorrências naturais e humanas precisamos recorrer a diferentes níveis de análise:
local, nacional e mundial e estabelecer relações quanto à extensão, a duração e à
velocidade das repercussões dessas ocorrências. Só assim teremos visão de poder
em escala mundial.

Portanto, o poder modificou o espaço terrestre.

Quando o poder se mundializou?

Como você, já sabe, quando a população vivia em grupos isolados uns dos
outros a idéia de poder e seus exercícios eram restritos.

O poder foi se fortalecendo na medida que os grupos foram crescendo e se


unindo espontaneamente ou através de conquistas territoriais. Veja o exemplo do
Império Romano. Por volta do século III depois de Cristo, os romanos haviam
conquistado o sul da Europa, o norte da África e parte da Ásia, tendo a cidade de Roma
como centro de um imenso império, como podemos observar no mapa a seguir.

Para os romanos, manter o seu império surgiu à idéia de que contra o poder do
império nada se podia fazer, era largamente difundido através do uso da força e da
propaganda ideológica.

Ideológica.- derivado de ideologia, é o conjunto de idéias que temos. Todos têm ideologia, mas
prevalece a desenvolvida pelo segmento dominante da sociedade para o conjunto da população.
Produz em anos em escala de valores e um modo de agir.

7 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Com as constantes revoltas de escravos, disputas internas pelo poder e freqüentes


guerras ocasionaram o fim do império.

Os antigos domínios fragmentaram-se em centenas de unidades rurais, dando a


origem ao novo tipo de organização européia, a chamada Europa Feudal. Durante o
feudalismo, a única instituição comum em toda Europa Ocidental era a Igreja Católica,
até o monarca (reis e imperadores) eram submissos a ela.

Os senhores feudais (donos de terras) tinham o poder econômico e político e


também detinham o poder ideológico, devido à estreita ligação com a Igreja Católica.

Com o aumento da população e da instalação dos servos, tiveram que desenvolver


novas atividades: artesanato e o comércio. Ao mesmo tempo surgia uma nova classe
social a chamada burguesia.

Quando os reis e a burguesia estabeleceram uma aliança e criaram condições para


formação de Estados Nacionais, ou países. Assim sendo, o espaço europeu foi
reorganizado em países, semelhantes ao que conhecemos hoje.

Mas com o passar do tempo, os burgueses tornaram - se donos do poder


econômico e político de toda a Europa e mundializaram a expansão marítima –
comercial, isto é, ultrapassaram os mares.

Leia o quadro a seguir para saber um pouco mais sobre esta época.

SAIBA MAIS!

Europa feudal – sistema econômico-social que marcou toda Idade Média na Europa.
Período em que a terra era a única riqueza, pois dela tirava-se o alimento e o poder.
Servos – trabalhadores explorados pelos senhores feudais. Não eram escravos,
trabalhavam para si e eram donos de sua vida, porém tinham que entregar parte do que
produziam ao senhor feudal.
Burguesia – formada, de início, pela classe oprimida pelos senhores feudais. Dedicou-
se ao comércio, depois á indústria e hoje, de certa forma responsável pela evolução do
Estado, dos modos de produção e dos meios de comunicação e cultura, e principalmente
da informática. A burguesia desempenhou um papel revolucionário ao longo da História.

Mas com o poder mundializado dos europeus tornou-se mais evidente quando as
massas continentais foram divididas, observe.
• Velho Mundo, formado pela Ásia, Europa e África;
• Novo Mundo, composto pela América do Norte, América do Sul e América
Central;
• Novíssimo Mundo, a Oceania;
• Antártida

8 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
Na realidade não existe diferença de idade entre os continentes. Trata-se de uma
divisão resultante da história natural ou geológica do nosso planeta em porções líquidas
(oceanos) e as partes sólidas (continentes e ilhas).

Curiosidade.
“Você sabia que a única diferença entre ilhas e continentes é o tamanho
porque ambos são porções de terras cercadas de águas por todos os lados”.

A superfície terrestre está em constante transformação. Onde, hoje, existem


altas montanhas, podem ser rebaixadas pela ação do homem ou pela erosão.
Também no futuro podem surgir novas cadeias montanhosas, espaços onde hoje
estão planos.

Portanto, o termo Velho, Novo e Novíssimo Mundo refere-se ao processo de


conquistas européias, ou seja, colonização e dominação dos diversos espaços no
planeta.

Em todos os continentes, os espaços foram construídos de formas diferentes,


formando sociedades simples. No decorrer da história, umas se desenvolveram mais
que as outras.

Na América existiam impérios, como o dos Maias, Astecas e Incas, que eram
sociedades com poder centralizado e forma de produção coletiva. Estas foram tão
desenvolvidas ou até mais que muitas sociedades antigas da Europa, porém não foram
aceitas pelos europeus como civilização, por não estarem nos padrões idéias do
capitalismo.

A idéia de que o Velho Mundo é formado pela Europa, Ásia e África são
baseados em razões históricas que durante milênios desenvolveram sociedades
distintas e que exerceram grande influência na formação cultural dos povos europeus.

É do ponto de vista dos europeus que o continente americano é chamado de


Novo Mundo, pois as suas terras foram conquistadas e ocupadas a partir do século XV.

O Novíssimo mundo compreende a Austrália e as ilhas continente da Oceania, e


foi colonizado a partir do século XVII.

A Antártida, ao contrário, não pode ser colonizada por nenhum povo. Até hoje ela
não pertence a nenhum país. Apesar de várias nações manterem aí bases cientificas.

Além dessas evidências, foi na Europa que surgiu a civilização ocidental, que
através da colonização impôs seus costumes, sua cultura, sua religião, suas festas e
sua economia.

9 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
Por outro lado, os povos conquistados foram aos poucos adotando o modo de
vida europeu. Seja por imposição ou pela obtenção de lucro como principal objetivo das
atividades econômicas, ou pela divisão territorial dos continentes em países, ou ainda,
pela ascensão social.

A idéia da divisão internacional do trabalho surgiu nessa época na Europa.


Estabelecia que as potências européias colonizadoras exportariam os bens
manufaturados para suas colônias a um preço muito baixo. Foi este processo que deu
início ao “mundo unificado” e às enormes desigualdades internacionais conhecida até
hoje.

As ideologias também formam novos espaços, modificando a divisão do planeta.

Como você pode ver comparando nos mapas a seguir:

Como você pode observar no mapas acima espaço do antigo Império Romano
foi reorganizado em países.

10 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
Já no século XX, as guerras mundiais redefiniram as fronteiras dos países.
Foram momentos de desestabilização entre as nações poderosas e acirradas disputas
entre as grandes potenciais.

Depois da Segunda Guerra Mundial, devido às ideologias diferentes, há uma


nova ordem Geopolítica Mundial e o mundo passou a ser dividido em dois blocos:
Um capitalista, liderado pelos EUA (Estados Unidos) e outro socialista, liderado pela
União Soviética.

A disputa pela hegemonia (domínio) mundial das duas potências passou a ser
conhecida por Guerra Fria, isto é, uma guerra não declarada entre os Estados Unidos e
a União Soviética. A Guerra Fria foi uma competição econômica, política, tecnológica,
aeroespacial e até ecológica na qual cada nação procurou mostrar sua superioridade,
na tentativa de conseguir mais aliado. Também foi um período de grande perigo para a
humanidade.

Mas perigo por quê?

Durante esse período, a partir de 1949, tanto a União Soviética, como os


Estados Unidos começaram a investir uma boa parcela do seu PIB (Produto Interno
Bruto) na fabricação de armas, cada vez mais sofisticadas. Chegando ao absurdo de
terem armas suficientes para acabar com a humanidade várias vezes.

Mas não só os Estados Unidos e a União Soviética, que faziam parte da Guerra
Fria. A partir da criação dos blocos militares como a OTAN (Organização do Tratado do
Atlântico Norte) que agregava os países capitalistas e o Pacto de Varsóvia que unia os
países socialistas. Vários países embarcaram nessa idéia armamentista e gastaram
muito mais com armas que com educação, saúde, cultura e lazer. Por exemplo: Veja
que absurdos alguns países chegaram a recorrer aos empréstimos internacionais, ou
fizeram acordos comercias para adquirirem armas, isto acabou gerando um gigantesco
sacrifício para a população da maioria dos países ou nações, tantos socialistas como
capitalistas.

Mas, existe diferença entre o socialismo e o capitalismo, para poder gerar tanta
discórdia e disputa no planeta?

Claro que sim, ambos os sistemas poli-econômico que visa alcançar lucros. Já
no socialismo temos uma organização social que procura atender às necessidades
básicas da população, educação, saúde, emprego, moradia etc.

Para você compreender o mundo de hoje, é necessário conhecer pelos menos


as principais características de cada um desses sistemas.

Então, veja a seguir um pouco mais sobre capitalismo e socialismo.

Você já ouviu falar em capitalismo selvagem, economia de mercado, que tudo


tem um preço, etc.

11 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
Então o que vem a ser capitalismo?

O capitalismo é sistema econômico e político bastante antigo. Surgiu entre os


séculos XII e XV na Europa Ocidental em substituição ao feudalismo. Como você já viu,
durante o feudalismo a riqueza era produzida e gerada a partir da exploração da terra e
do trabalho de servos. Já no capitalismo a riqueza vem do lucro obtido do comércio, da
indústria, e o trabalho assalariado. Hoje o capitalismo é adotado pela maioria dos
países do mundo, sejam eles pobres ou ricos.

A palavra capitalismo tem origem em uma outra palavra capital-significa


dinheiro investido ou tudo aquilo que pode gerar dinheiro ou lucro (imóveis,
terras, fábricas, lojas etc.).

O capitalismo tem como características principais:

 Propriedade privada (particular) dos meios de produção, indústrias, fazendas, etc.


 Divisão de classes sociais:
 Os burgueses ou capitalistas: que são os donos dos meios de produção;
 Proletários ou assalariados: que os trabalhadores que vendem sua força de
trabalho em troca de um salário.
 Livre iniciativa: nesse sistema todas as pessoas são livres para abrir seus próprios
negócios, desde que tenham capital, dinheiro.
 Economia de mercado: funcionamento da economia é regulado por todos os que
produzem, vendem ou consomem algo. Esta economia é dirigida por duas leis:
 A lei da oferta e procura que funcionam da seguinte maneira: quando a oferta de
um produto ou serviço é maior que a procura, o preço tende a baixar. Quando a
procura, é maior o preço tende subir, é o que acontece nas entre safras, quando a
produção de tomate é pequena, por exemplo, então o preço do tomate, vai lá em
cima, por um outro lado quando a produção aumenta o preço começa a baixar.
 A lei da livre concorrência: onde qualquer pessoa ou empresa tem liberdade de
oferecer qualquer bem ou serviço, mas seu sucesso vai depender da competição
com os demais concorrentes. Geralmente vence aquela que possui mais capital,
pois pode vender seus produtos a preços menores ou divulgar melhor seus
produtos.

Fique sabendo que...

Com a livre iniciativa ou a livre concorrência nos trás a idéia que todos
podem ter a mesma oportunidade a de ficarem ricos, mas, o próprio sistema
capitalista não oferece as mesmas condições para todos.

Já as empresas, no regime capitalista, sempre visam o lucro e procuram:


• Aumentar cada vez mais a produção, conforme seus interesses particulares;
• Incentivar o consumo, para que seus produtos tenham saída.

12 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
Para não serem superadas pela concorrência, as empresas são obrigadas a
aperfeiçoarem constantemente sua produção. Esse processo desenvolve a iniciativa
particular nos mais variados setores.

Atualmente, há grande valorização dos produtos que promovem lucros rápidos,


mesmo que não sejam fundamentais para a população – como certos eletrodomésticos,
carros de luxo, etc. - ao invés dos implementos agrícolas, tratores, colheitadeiras, etc.,
que ajudariam a fazer caírem os preços dos alimentos. Os meios de propaganda
ajudam a valorizar os produtos supérfluos

Uma parte do lucro da empresa capitalista deve ser paga ao estado, sob a forma
de impostos: quanto mais lucro, mais pago imposto. O governo investe o dinheiro dos
impostos em obras de interesse para toda a população, como estradas, telefones,
água, esgotos, energia, escolas, hospitais, etc. Graças a esses investimentos feitos
pelo governo, boa parte da população dos países capitalistas desenvolvidos desfruta de
elevado padrão de vida. Nos países capitalistas subdesenvolvidos isso não ocorre.

O Estado capitalista também pode eventualmente, intervir na economia do país


ou de uma determinada região. Mas havia e continua havendo, entre eles, grandes
diferenças tanto no que se refere ao regime político quanto no que se refere ao
desenvolvimento econômico.

Lendo o texto a seguir você terá uma idéia, mais clara de como o sistema
capitalista acentua as diferenças entre os povos.

...Para assegurar a defesa de seus interesses econômicos, os donos do capital


controlam as outras três esferas da sociedade: a política, a jurídica e a ideológica.
Na esfera política controlam o Estado, impedindo que ele venha a ser ocupado pelos
trabalhadores; reforçam o poder de seus partidos políticos, para que eles elejam a
maioria dos deputados, prefeitos, vereadores, senadores, governadores e, sobretudo
o presidente da República ao controlar o Estado, eles controlam as Forças Armadas e
as polícias estaduais.
Na esfera jurídica procuram aprovar leis que defendam os interesses do capital e
impeçam que os trabalhadores prejudiquem esses interesses (...) Enfim, a ideologia
nos ensina a pensar de acordo com interesses dominantes...
Para a ideologia dominante, pensar diferente é sinal de subversão.
Frei Beto.

É com essas idéias que os países desenvolvidos ou ricos tornam-se cada vez
mais poderosos e, em contra partida, os países que não conseguem adequar-se a eles
ficam cada vez mais pobres.

13 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

O SOCIALISMO

Mas, o que vem a ser o socialismo?

O socialismo é um sistema político, econômico e social que surgiu neste século,


na extinta União Soviética.

Nos países socialistas todos os meios de produção e todas as fontes de riqueza


– tais como terras, água, recursos do subsolo, edifícios, equipamentos, máquinas,
meios de transporte, meios de comunicações, etc. – pertencem ao Estado, que
administra todos esses bens em nome do povo.

A economia de um país socialista é planificada. Isso significa que o Estado


elabora planos que regulam o que produzir e quanto produzir e de que forma distribuir
essa produção os lucros de toda produção pertencem ao Estado, que os aplica em
benefícios de toda a nação.

Porém, o indivíduo, ou cidadão é quase sempre um empregado do Estado. Em


troca de seu trabalho ele recebe, além de um salário, educação e assistência médica e
dentária gratuita. É também o Estado que decide quanto cada trabalhador deve
receber, de acordo com sua produção ou sua capacidade.

Você sabia que...


Nos países socialistas, apenas os bens de uso pessoal podem ser propriedade
particular: casas, automóveis, roupas, sapatos, livros, móveis e outros produtos
consumíveis. Os trabalhadores do campo podem possuir um pequeno pedaço de terra e
algumas cabeças de gado.
Então nem tudo pertence ao Estado.

Saiba mais...
Veja o que dizia o artigo 6° da constituição Soviética. “A terra, o
subsolo, as águas, os bosques, as fábricas, as minas de carvão e de minérios, as
estradas de ferro, os transportes por água e por ar, os bancos, os meios de
comunicação, as grandes empresas agropecuárias organizadas pelo Estado, assim
como as empresas de serviços municipais e a parte fundamental das moradias nas
cidades e nos centros industriais, são propriedades do Estado, quer dizer, patrimônio
do povo”.

Como a economia é planificada, o governo pode estabelecer um certo equilíbrio


entre a produção agrícola e a industrial e um desenvolvimento, também equilibrado,
entre os setores da economia.

14 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Os países que adotaram esse sistema político econômico formaram um conjunto


conhecido como bloco socialista ou de economia planificada.

Esse bloco tinha mais de trinta países e cerca de 1,6 bilhão de pessoas. Entre
eles também haviam diferenças, principalmente no campo do desenvolvimento
econômico.

E, na prática, os princípios do socialismo tiveram vida curta, cerca de 70 anos.


Nem sempre foi possível uniformizar a distribuição dos bens. Foram comuns sérios
problemas enfrentados no campo da agropecuária, que acabaram se refletindo em
outros setores da economia, da vida política e social. Os problemas se agravaram nos
últimos anos da década de 80. E, a partir de 1990, desmorona o sistema socialista na
Europa. Com a queda do muro de Berlim, a unificação da Alemanha a fragmentação
da União Soviética.

O mundo deixa de ser dividido em capitalistas e socialistas e passa a ser dividido


em países ricos ou pobres, ou seja, Norte e Sul.

Responda em seu caderno.

1. Quais as características do sistema socialista?

2. O Brasil é um país capitalista? Sim ou Não? Justifique a sua resposta.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a União Soviética e os Estados Unidos


saíram como potências.

E as outras nações?

Importantes nações como a Itália, Inglaterra, Alemanha, Japão, França e outros


saíram da Guerra aniquilada e cheia de dívidas. Então, a solução que encontraram para
se fortalecer foi formar novos grupos. Para isso, nada melhor do que se juntarem a uma
das grandes potências: os países da Europa Oriental ficaram com a ex-União Soviética
e os da Europa Ocidental, como os Estados Unidos.

Concluindo, as duas potências transformaram-se em super potências, tornando-


se os principais centros, ou pólos, de influência política e econômica do mundo de hoje.
O chamado por muitos como o Mundo Bipolar.

15 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Como resultado, os países de menor força passaram a depender em maior ou


menor grau, de um dos dois líderes Estados Unidos ou União Soviética. Surgiu, então,
uma intensa rivalidade entre as superpotências.

Nesta competição entre os dois blocos, um capitalista, liderado pelos E.U.A e um


outro bloco socialista, liderado pela União Soviética. O bloco liderado pelos americanos
foi se distanciando cada vez mais do bloco liderado pelos soviéticos. Essa distância
cada vez mais ampla mergulhou o mundo num período de transição.

Mas, o que vem a ser esse período de transição?

Logo nos primeiros anos da década de 90, o mundo assistiu admirado e


apreensivo as mudanças tão rápidas e tão significativas que alteraram profundamente a
ordem das nações.

Você sabe o que significa isto?

Que os anos 89,90 e 91 determinaram o fim do mundo bipolar, que dividiu os


países em dois blocos, por quase meio século (50) anos. Foi o fim das divergências de
idéias e dos desacordos econômicos entre as duas superpotências.

Veja no mapa a seguir como se determinavam as nações desse período.

16 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia
O fim do Mundo Bipolar foi marcado por vários fatos importantes. O maior deles
sem duvida, foi o fim da União Soviética.

O Mundo Bipolar, a Guerra Fria e as divergências entre os capitalistas e


socialistas terminaram. O poder de uma nação, que até, então, era medido pela força e
quantidade de suas armas, míssil, etc., passou a ser medido pela sua economia, suas
riquezas. Mas as desigualdades entre as nações continuaram, porque há uma grande
e séria diferença formada pelos contrastes econômicos e sociais entre as nações ricas
(desenvolvidas) e pobres (subdesenvolvidas).

Nos últimos tempos, enquanto as diferenças ideológicas iam enfraquecendo, as


diferenças econômicas aumentavam e aumentam a cada dia. Como isso, aumentado o
espaço entre os dois grupos, que passou a ser dividido de acordo com sua economia.
Ficando assim:

 Os países ricos (desenvolvidos): donos de modernas e altas tecnologias, um


seleto grupo. (capaz de caminhar por suas próprias pernas).
 Os países pobres (subdesenvolvidos): enorme e bastante heterogêneo.(não é
capaz de caminhar por si).

Como você pode notar, o mundo continuou dividido. Os países deixaram de se


agrupar de acordo com suas idéias, capitalistas ou socialistas, mas, como as nações
não conseguem viver isoladas, se reagruparam de acordo com a sua riqueza, o seu
desenvolvimento tecnológico e o nível de vida da sua população.

No mapa a seguir temos o mundo dividido entre Norte e Sul, ou seja, entre
nações pobres e ricas.

17 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

Leia e pense. Porque há tanta gente excluída?

Uma das idéias postas em prática é a de que a produção e manutenção de


minorias do Sul são a garantia de riquezas dos países do Norte. É por isso que existem
as elites que nos passam a idéia de que seriam “os donos” do país, podendo fazer o
que quiserem impunemente. Essa situação é comum nos países subdesenvolvidos.
Com o avanço da tecnologia menos matéria-prima e menos mão-de-obra,
conseqüentemente ocorre um declínio acentuado no número de emprego em todos os
setores e em todo mundo, principalmente no industrializado.
Hoje, a relação de poder fundamenta-se na alta tecnologia (informática,
biotecnologia, robótica, mecânica e química fina, aeroespacial). No mesmo espaço há
uma complexa integração entre os laboratórios de pesquisas estatais, as indústrias e as
universidades, favorecendo a criação de novos produtos.
Os novos produtos são frutos das idéias de modernização econômica, o que leva
à idéia de modernização tecnológica. Não se restringem apenas as faces econômicas,
mas à cultural, à esportiva, à turística, aos meios de comunicação, à ecológica, etc.
Por exemplo, ”sob o ponto de vista cultural a internet funciona como vanguarda
da difusão da língua inglesa, que se consolida como idioma internacional. O seu poder
de disseminação dos modos de pensar e enxergar o mundo gerado nos Estados
Unidos”.
Essas tendências integradas e globalizadas da economia colocam novos
desafios para os Estados nacionais. Estes se posicionaram no interior da economia
mundial e escolhe políticas capazes de moldar o próprio processo de globalização,
como:
As grandes corporações (multinacionais) e bancos tomam as decisões de
governos e ao mesmo tempo, tornam-se componentes do Estado, por exemplo, as
parcerias.
Os conflitos no governo do território exigem a participação crescente da
sociedade civil nas decisões e ações.
Certamente as sociedades com uma força de trabalho qualificado (resultado de
um ótimo sistema educacional) tecnologia avançada é que terão condições ideais para
o desenvolvimento. Mas nenhuma sociedade pode sobreviver sem a combinação dos
três espaços: o das idéias, o da produção e o da circulação.

18 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

BIBLIOGRAFIA

ADAS, Melhem. Geografia. São Paulo. Editora Ática, 1994.


ALMANAQUE ABRIL. CD ROM, 8ª Edição, 2000.
BELTRAME, Zoraide Victoréllo. Geografia Ativa. São Paulo. Editora Ática,
1995.
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL, 1998.
DIAMANTINO, Alves C. Pereira e outros, Ciências dos Espaço. São Paulo.
Editora Atual, 1994
DIMENSTEIN, Gilberto. Aprendiz do Futuro. São Paulo. Editora Ática, 2000.
JORNAIS: Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Cruzeiro do Sul.
LUCCI, Elian Alabi. Geografia. O homem no espaço global. São Paulo. Editora
Saraiva, 1997.
MAGNOLI, Demétrio e. Projeto de Ensino de Geografia. São Paulo. Editora
Moderna, 2000.
MÉDICI, Miriam de Cássia e. Coleção Nova Geração. São Paulo. Editora Nova
Geração, 1999.
MOREIRA, Igor. O espaço geográfico. São Paulo, Editora Ática, 1998.
NIDELCOFF, Maria Teresa. A escola e a compreensão da realidade. São
Paulo. Editora Brasiliense, 1990.
OLIVA, Jaime. Espaço e Modernidade. Temas da Geografia Mundial. São
Paulo. Editora Atual, 1995.
PROFESSOR PC, Geografia, CD ROM
REVISTAS: Veja, Isto é, Super Interessante, Época, Globo Rural.
RODRIGUES, Rosicler Martins. As cidades brasileiras. São Paulo, Editora
Moderna, 1995.
SENE, Eustáquio de e. Espaço geográfico e globalização. São Paulo. Editora
Scipione, 1998.
SIMIELLI, Maria Helena. Atlas Geográfico. São Paulo. Editora Ática, 2000.
TELECURSO 2000, Geografia, Vol. 1 e 2 .
VESENTINI, J. William. Sociedade e Espaço. São Paulo. Editora Ática, 1997.

19 CEESVO
Módulo 2 O Espaço Das Idéias Geografia

ELABORADO PELA

EQUIPE DE GEOGRAFIA CEESVO - 2004

Deise Quevedo Bertaco


Jaime Aparecido da Silva
Maria de Fátima Pinto

COLABORAÇÃO

Luiz Gustavo Cerqueira Ferreira


Júlia de Oliveira Rodrigues Vieira
Neiva Aparecida Ferraz Nunes

DIREÇÃO

Elisabete Marinoni Gomes


Maria Isabel R. de C. Kupper

APOIO.

Prefeitura Municipal de Votorantim.

20 CEESVO