Você está na página 1de 131

DIÁRIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

ELETRÔNICO
CADERNO EXTRAJUDICIAL
DMPF-e Nº 37/2015
Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SUMÁRIO

Página
Conselho Superior.............................................................................. 1
RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS Conselho Institucional ....................................................................... 1
Procurador-Geral da República 2ª Câmara de Coordenação e Revisão ................................................ 3
4ª Câmara de Coordenação e Revisão .............................................. 62
6ª Câmara de Coordenação e Revisão .............................................. 63
Procuradoria da República no Estado do Acre ................................. 79
ELA WIECKO VOLKMER DE CASTILHO Procuradoria da República no Estado de Alagoas ............................ 80
Vice-Procuradora-Geral da República Procuradoria da República no Estado do Amapá ............................. 83
Procuradoria da República no Estado do Amazonas ........................ 83
Procuradoria da República no Estado da Bahia ............................... 85
Procuradoria da República no Distrito Federal ................................ 85
LAURO PINTO CARDOSO NETO
Procuradoria da República no Estado do Espírito Santo .................. 87
Secretário-Geral Procuradoria da República no Estado de Goiás ............................... 88
Procuradoria da República no Estado do Maranhão ........................ 88
Procuradoria da República no Estado do Mato Grosso .................... 89
Procuradoria da República no Estado do Mato Grosso do Sul ......... 90
Procuradoria da República no Estado de Minas Gerais ................... 98
DIÁRIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República no Estado do Pará ............................... 109
ELETRÔNICO Procuradoria da República no Estado do Paraíba........................... 111
Procuradoria da República no Estado do Paraná............................ 113
Procuradoria da República no Estado de Pernambuco ................... 113
Procuradoria da República no Estado do Piauí .............................. 114
Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro................ 116
SAF/SUL QUADRA 04 LOTE 03 Procuradoria da República no Estado do Rio Grande do Norte ..... 119
Procuradoria da República no Estado do Rio Grande do Sul ......... 120
CEP: 70050-900 - Brasília/DF
Procuradoria da República no Estado de Rondônia ....................... 123
Telefone: (61) 3105-5100 Procuradoria da República no Estado de Santa Catarina................ 123
Procuradoria da República no Estado de São Paulo ....................... 125
http://www.pgr.mpf.mp.br Procuradoria da República no Estado do Tocantins ....................... 129
Expediente ..................................................................................... 131

CONSELHO SUPERIOR
##ÚNICO: | EXTRA-CSMPF - 37065|
SESSÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE PROCESSOS
Sessão: 14/2015 Data: 23/02/2015 Hora: 17:00

PROCESSOS DISTRIBUÍDOS AUTOMATICAMENTE

CSMPF : 1.00.001.000026/2015-87
Assunto : CORREIÇÃO
Origem : Brasília
Relator(a) : Cons. ANTONIO AUGUSTO BRANDAO DE ARAS
Interessado(s) : Corregedoria do Ministério Público Federal

RODRIGO JANOT MONTEIRO DE BARROS


Presidente do CSMPF

CONSELHO INSTITUCIONAL
##ÚNICO: | EXTRA-CIMPF - 36592|
SESSÃO: 2 DATA: 24/02/2015 15:41:08PERÍODO: 16/02/2015 a 24/02/2015
PROCESSOS DISTRIBUÍDOS AUTOMATICAMENTE

Processo:1.25.000.002669/2014-15
Assunto: PROMOÇÃO DE CONFLITO
Origem: PR-PR
Relator: ROBERTO LUIS OPPERMANN THOME(CONINST)

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.

Documento eletrônico assinado digitalmente.


Signatário(a): GUILHERME RAFAEL ALVES VARGAS:24714
Certificado: 4987ada27ade6304
Data/Hora: 25/02/2015 19:32:24
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 2

Processo:1.33.001.000555/2013-78
Assunto: RECURSO SOBRE O DECLÍNIO DE ATRIBUIÇÃO
Origem: PRM-BLUMENAU
Relator: JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA(CONINST)
Processo:1.28.000.000271/2012-71
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: FATIMA APARECIDA DE SOUZA BORGHI(CONINST)
Processo:1.28.000.000626/2013-11
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: MONICA NICIDA GARCIA(CONINST)
Processo:1.28.000.000585/2013-54
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: MARIO LUIZ BONSAGLIA(CONINST)
Processo:1.28.000.000569/2013-61
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: JOAO AKIRA OMOTO(CONINST)
Processo:1.35.000.000088/2014-01
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-SE
Relator: CARLOS FREDERICO SANTOS(CONINST)
Processo:1.28.000.000628/2013-00
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: ANA BORGES COELHO SANTOS(CONINST)
Processo:1.28.000.000681/2013-01
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: SANDRA VERONICA CUREAU(CONINST)
Processo:1.28.000.000701/2013-35
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: LUCIANO MARIZ MAIA(CONINST)
Processo:1.28.000.000703/2013-24
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: JOAO AKIRA OMOTO(CONINST)
Processo:1.28.000.000729/2013-72
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: MARIO LUIZ BONSAGLIA(CONINST)
Processo:1.28.000.000736/2013-74
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: SADY D ASSUMPCAO TORRES FILHO(CONINST)
Processo:1.28.000.000756/2013-45
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: ANA BORGES COELHO SANTOS(CONINST)
Processo:1.28.000.000757/2013-90
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: ROBERTO LUIS OPPERMANN THOME(CONINST)
Processo:1.28.000.000759/2013-89
Assunto: RECURSO SOBRE O ARQUIVAMENTO
Origem: PR-RN
Relator: JOSE ELAERES MARQUES TEIXEIRA(CONINST)

ELA WIECKO VOLKMER DE CASTILHO


Presidente do CIMPF

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 3

2ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO


##ÚNICO: | EXTRA-CCR2 - 36392|
ATA DA SEXCENTÉSIMA DÉCIMA PRIMEIRA SESSÃO ORDINÁRIA DE NOVEMBRO DE 2014

Aos dez dias do mês de novembro do ano dois mil e quatorze, em sessão realizada na Sala de Reuniões, presentes o Dr. José Bonifácio Borges de
Andrada, Coordenador, o Titular, Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá, bem como os Suplentes, Dr. José Osterno Campos de Araújo e Dr. Juliano
Baiocchi Villa-Verde de Carvalho, a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF julgou os seguintes procedimentos:
Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
ORIGEM JUDICIAL
NÃO PADRÃO
001. Processo: JF-CPS-0001118-82.2014.4.03.6181-INQ Voto: 8272/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 5ª
SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - CAMPINAS/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. APLICAÇÃO ANALÓGICA DO ART. 28 DO CPP C/C ART. 62, IV, DA LC Nº 75/93. CRIME
DE TRÁFICO INTERNACIONAL DE ENTORPECENTES. APREENSÃO DE SUBSTÂNCIA ASSEMELHADA À
MACONHA (SEMENTES) ORIUNDA DO EXTERIOR. APREENSÃO ALFANDEGÁRIA EM SÃO PAULO/SP.
LOCAL DA CONSUMAÇÃO. INSISTÊNCIA NO DECLÍNIO DE ATRIBUIÇÕES. 1. Inquérito Policial instaurado para
apurar suposto crime de tráfico internacional de drogas (Lei nº 11.343/2006, art. 33, caput, c/c art. 40, inc. I), tendo em vista
a apreensão de substância assemelhada à maconha, mais precisamente que poderia ser destinada ao seu cultivo (25 estruturas
vegetais compatíveis com frutos de Cannabis Sativa L), em encomenda oriunda do exterior e destinada a morador de
Hortolândia/SP, pelo Serviço de Remessas Postais Internacionais da Receita Federal na Alfândega da Secretaria da Receita
Federal do Brasil em São Paulo/SP. 2. O il. Procurador da República oficiante na PRM Campinas/SP requereu judicialmente
fosse suscitado conflito negativo de competência perante o TRF da 3ª Região, alegando que o juízo federal do local da
apreensão (São Paulo) possui competência para processar e julgar o crime de tráfico internacional de drogas. 3. O Juízo da
9ª Vara Federal de Campinas/SP indeferiu o pleito ministerial e firmou a sua competência, consignando, em síntese, que,
no caso de importação de droga apreendida na alfândega, o lugar da consumação da infração não é o critério mais adequado
para a definição da competência, devendo ser adotado o do local do domicílio do investigado para facilitar a colheita de
provas 4. Autos remetidos à 2ª Câmara de Coordenação e Revisão, para fins do art. 28 do CPP c/c art. 62, IV, da LC nº
75/93. 5. Para a consumação do crime em comento é desnecessário que a substância entorpecente enviada chegue ao seu
destinatário, o que configuraria mero exaurimento do delito. Aplicação do art. 70 do Código de Processo Penal. Precedentes
da Terceira Seção do STJ: CC 132.897/PR, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz, DJe 03/06/2014; CC 109.646/SP, Rel. Min.
Og Fernandes, DJe 01/08/2011; CC 41.775/RS, Rel. Min. Laurita Vaz, DJ 14/06/2004, p. 158. 6. Insistência no declínio de
atribuições.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela insistência no declínio de atribuições, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

002. Processo: JF-GO-0004502-02.2014.4.01.3500-INQ Voto: 8274/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL DO ESTADO


DE GOIÁS
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. CONFLITO DE ATRIBUIÇÕES ENTRE MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO
FEDERAL. CRIME DE TRÁFICO INTERNACIONAL DE ENTORPECENTES. APREENSÃO DE 30 (TRINTA)
SEMENTES DE MACONHA ORIUNDAS DO EXTERIOR (HOLANDA).APLICAÇÃO ANALÓGICA DO ART. 28 DO
CPP C/C ART. 62, IV, DA LC Nº 75/93. APREENSÃO ALFANDEGÁRIA EM SÃO PAULO/SP. LOCAL DA
CONSUMAÇÃO. PROCEDÊNCIA DO CONFLITO DE ATRIBUIÇÕES. 1. Trata-se de Inquérito Policial instaurado para
apurar suposto crime de tráfico internacional de drogas (Lei nº 11.343/2006, art. 33, caput, c/c art. 40, inc. I), decorrente da
apreensão de 30 (trinta) sementes de maconha, em uma encomenda oriunda da Holanda e destinada a morador de
Goiânia/GO. 2. O il. Procurador da República oficiante na PR/GO requereu judicialmente a declinação de competência em
favor da Seção Judiciária de São Paulo para o processamento e julgamento do crime, uma vez que a correspondência
contendo as sementes de maconha foi aprendida na cidade de São Paulo, local da consumação do delito. 3. A MMª Juíza da
5ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado de Goiás indeferiu o pleito ministerial e firmou a sua competência, aduzindo,
em síntese, que, em situações específicas, como de tráfico internacional de drogas por correspondência, prevalece seu caráter
ubíquo e deve ser processado e julgado pelo Juízo do local do endereço do destinatário da missiva, favorecendo a apuração
mais célere da autoria e materialidade do fato. 4. Conhecimento da remessa como conflito de atribuições entre membros do
Ministério Público Federal, nos termos do art. 62, VII, da LC 75/93, tendo em vista tratar-se de inquérito policial, não
havendo que se falar em competência pois não inaugurada a fase judicial. 5. Para a consumação do crime em comento é
desnecessário que a substância entorpecente enviada chegue ao seu destinatário, o que configuraria mero exaurimento do
delito. Aplicação do art. 70 do Código de Processo Penal. Precedentes da Terceira Seção do STJ: CC nº 132.897/PR, Rel.
Min. Rogerio Schietti Cruz, DJe 03/06/2014; CC nº 109.646/SP, Rel. Min. Og Fernandes, DJe 01/08/2011. 6. Fixação da
atribuição da Procuradoria da República em São Paulo/SP para prosseguir na persecução criminal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela fixação da atribuição da Procuradoria da
República em São Paulo/SP para prosseguir na persecução criminal, nos termos do voto do(a) relator(a). Participaram da
votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

003. Processo: JF-RJ-0031653-60.2014.4.02.5101-INQ Voto: 8199/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DO RIO DE
JANEIRO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 4

Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA


Ementa: Inquérito Policial. Supostos crimes de quadrilha (CP, art. 288) e de falsidade ideológica (CP, art. 299) e contravenção penal
de exercício ilegal da profissão (LCP, art. 47). Revisão de declínio de atribuições (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Condutas
ilícitas atribuídas a pilotos de voo livre que estariam exercendo voos duplos comerciais e credenciando os interessados no
voo turístico como se estivessem iniciando um curso de nivelamento. Perigo ao tráfego aéreo inexistente. Matéria que não
é regulada pela ANAC. Enunciado nº 37: Não é atribuição do Ministério Público Federal a persecução penal de
contravenções penais, ainda que ocorra, com a infração, prejuízo a bem, serviços ou interesse direto e específico da União,
suas entidades autárquicas ou empresas públicas. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição
do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

004. Processo: PR/SP-INQ-3000.2014.000555-3 Voto: 8273/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA EM SÃO PAULO - CAPITAL
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. POSSÍVEL CRIME PREVISTO NO ART. 33 C/C ART. 40, INC. I, DA LEI Nº 11.343/06.
IMPORTAÇÃO DE SEMENTES DE CANNABIS SATIVA. ARQUIVAMENTO INDIRETO. DISCORDÂNCIA DO
MAGISTRADO. REVISÃO (CPP, ART. 28 C/C LC Nº 75/93, ART. 62, INC. IV). CONDUTA TÍPICA E
ANTIJURÍDICA DE COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL. NÃO HOMOLOGAÇÃO DO DECLÍNIO DE
ATRIBUIÇÕES. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO PARA PROSSEGUIR NO FEITO. 1. Inquérito Policial
instaurado para apurar a suposta prática do crime previsto no art. 30 c/c art. 40, inc. I, da Lei nº 11.343/06, tendo em vista
que o investigado teria importado 16 (dezesseis) sementes da planta de espécie Cannabis sativa, conhecida como maconha.
2. O il. Procurador da República oficiante requereu a remessa dos autos ao Ministério Público do Estado de São Paulo,
sustentando tratar-se de importação de sementes de maconha para plantação e posterior consumo pessoal, conduta tipificada
no art. 28 da Lei 11.343/06, que, a seu ver, é uma contravenção penal. 3. Discordância da MMª. Juíza da 3ª Vara Federal
Criminal de São Paulo, para quem a competência é da Justiça Federal, haja vista que as sementes de maconha foram
remetidas do exterior para o território nacional, caracterizando hipótese prevista no art. 40, inc. I, da Lei nº 11.343/06 c/c
art. 109, V, da Carta Magna. 4. A suposta conduta do investigado reveste-se de potencialidade lesiva e de tipicidade formal
seja em relação ao art. 33 da Lei 11.343/06, seja em relação ao art. 28 do mesmo diploma legal (não é, frise-se, uma
contravenção penal) ou mesmo ao art. 334 do Código Penal, que, a princípio, são da competência da Justiça Federal. 5. Não
homologação do declínio de atribuições e designação de outro membro para dar prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

005. Processo: JF/SP-0015710-68.2013.4.03.6181-INQ Voto: 8271/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DE SÃO
PAULO/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. RADIODIFUSÃO. FUNCIONAMENTO SEM AUTORIZAÇÃO DO ÓRGÃO
COMPETENTE. MPF: ATIPICIDADE DA CONDUTA. DISCORDÂNCIA DO MAGISTRADO. CPP, ART. 28 C/C LC
N.º 75/93, ART. 62, IV. CRIME PREVISTO NO ART. 183 DA LEI Nº 9.472/97. TUTELA DA SEGURANÇA DOS
MEIOS DE COMUNICAÇÃO. DELITO FORMAL E DE PERIGO ABSTRATO. PROSSEGUIMENTO DA
PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de Inquérito Policial instaurado para apurar a prática do crime tipificado no art. 183
da Lei nº 9.472/97, consistente na exploração clandestina de emissora de rádio que operava com transmissor de 180W. 2.
A il. Procuradora da República oficiante promoveu o arquivamento por atipicidade da conduta, consignando que a
radiodifusão clandestina é de ordem técnica, da alçada da Administração Pública, e não da Justiça criminal, pois a conduta
não possui a apontada ofensividade. 3. O MM. Juiz da 3ª Vara Federal Criminal de São Paulo indeferiu o pedido de
arquivamento, enfatizando que a conduta do investigado amolda-se, em tese, ao previsto no art. 183 da Lei nº 9.472/97,
pelo que incabível a sustentada atipicidade do fato. 4. Remessa dos autos à 2ª CCR/MPF, para fins do art. 28 do Código de
Processo Penal c/c art. 62, IV, da LC nº 75/93. 5. Os serviços de telecomunicações, aí incluídos os de radiodifusão sonora
de sons e imagens, consistem em serviços públicos de exploração pela União ou por meio de concessão ou permissão. 6. O
bem jurídico tutelado, no presente caso, é a segurança dos meios de comunicação. A instalação e a utilização de aparelhagem
em desacordo com as exigências legais ou de forma clandestina, sem a observância de requisitos técnicos, podem causar
sérias interferências prejudiciais em serviços de telecomunicações regularmente instalados (polícia, ambulâncias,
bombeiros, aeroportos, embarcações, bem como receptores domésticos TVs e rádios adjacentes à emissora), pelo
aparecimento de frequências espúrias. 7. Cuida-se de crime formal, de perigo abstrato, pelo que dispensa a comprovação de
qualquer dano efetivo, bastando para caracterizá-lo a mera exposição ao perigo de lesão do bem juridicamente protegido,
qual seja, o regular funcionamento do sistema de telecomunicações. 8. É bem por isso que não se reconhece sequer a
aplicação do princípio da insignificância à conduta consistente na instalação e no funcionamento de estação clandestina de
radiofrequência, tendo em vista que o bem jurídico tutelado é a segurança, a regularidade e a operabilidade do sistema de
telecomunicações do país. Precedentes do STJ: AgRg no AREsp 277.964/BA; AgRg no AREsp 380.262/PA. 9. Desse
modo, a despeito do esforço argumentativo dispendido pela il. Procuradora oficiante, o caso não atrai a incidência do
princípio da não ofensividade. A exploração não autorizada (desenvolver clandestinamente) de emissora de rádio (atividades
de radiodifusão), mesmo quando voltada para fins comunitários e com baixa potência, caracteriza, em tese, o crime

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 5

tipificado no art. 183 da Lei nº 9.472/97. 10. Designação de outro membro do Ministério Público Federal para prosseguir
na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

ORIGEM INTERNA
NÃO PADRÃO
006. Processo: 1.34.001.002104/2014-19 Voto: 8268/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA - SAO PAULO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada a partir de solicitação de ajuda de menor no qual relata ser tratado, juntamente com sua mãe e
seu irmão, como escravo por seu genitor. Conflito negativo de atribuições que se recebe como declínio de atribuições
(Enunciado n° 32 2a CCR). Pedido de ajuda cujo teor revela a existência de problemas de ordem familiar, não sendo possível
extrair qualquer entendimento no sentido de tratar o caso de matéria criminal ou mesmo de competência da Justiça Federal.
Evidente carência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal para a persecução penal.
Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou por receber o conflito de atribuições como
homologação do declínio ao Ministério Público Estadual, nos termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o
Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

007. Processo: 1.34.001.007062/2014-11 Voto: 8275/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SAO PAULO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SUPOSTO CRIME CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO. OBTENÇÃO DE
FINANCIAMENTO PARA AQUISIÇÃO DE VEÍCULO MEDIANTE FRAUDE (LEI Nº 7.492/86, ART. 19). REVISÃO
DE DECLÍNIO DE ATRIBUIÇÕES (ENUNCIADO Nº 32 2ª CCR). USO DE MEIO FRAUDULENTO PARA
OBTENÇÃO DE FINANCIAMENTO JUNTO A INSTITUIÇÃO FINANCEIRA. CONDUTA QUE SE SUBMETE, EM
TESE, AO TIPO PREVISTO NA LEI Nº 7.492/86. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL. DESIGNAÇÃO DE
OUTRO MEMBRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARA PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL. 1.
Trata-se de Inquérito Policial instaurado para apurar possível prática do crime previsto no art. 19 da Lei nº 7.492/86,
consistente na obtenção fraudulenta de financiamentos para aquisição de veículos. 2. O il. Procurador da República oficiante
promoveu o declínio de suas atribuições, ressaltando que, dada a rigidez do princípio constitucional da reserva legal,
somente será típico e, portanto, penalmente punível, a fraude praticada em financiamento, de modo que todas as demais
modalidades contratuais cujo maior exemplo é o empréstimo escaparão do âmbito de incidência da Lei nº 7.492/86. 3. A
obtenção mediante fraude de qualquer tipo de mútuo com destinação específica e vinculada com recursos públicos ou não,
concedidos por instituições públicas ou privadas configura o crime previsto no art. 19 da Lei nº 7.492/86 (e não o de
estelionato), cabendo à Justiça Federal processar e julgar o crime em apuração. Precedentes do STJ (CC nº 112.244-SP e
CC nº 121.224/SC). 4. Não homologação do declínio de atribuições. Designação de outro membro do Ministério Público
Federal para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

PADRÃO
Homologação do Declínio de atribuição

008. Processo: 1.17.002.000094/2014-58 Voto: 117/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
COLATINA-ES
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: VOTO-VISTA Notícia de Fato. Suposto crime de estelionato mediante a obtenção fraudulenta de empréstimo consignado
junto à instituição financeira privada em nome de beneficiária do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Revisão de
declínio de atribuições (Enunciado n° 32 da 2a CCR). Prejuízo suportado unicamente por particular, vez que possível
restituição de valores, se ocorrer, será de responsabilidade da instituição financeira privada que realizou o contrato de
empréstimo. Inexistência de lesão à União ou a qualquer de suas entidades. Precedentes STJ Terceira Seção: CC nº
125.061/MG, DJe 17/05/2013, CC nº 120.016/SP, DJe 02/10/2012, CC nº 114.239/SP, DJe 03/08/2011, CC nº 100.725/RS,
DJe 20/05/2010. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para
a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do revisor. Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. Mário Ferreira
Leite, relator do processo.

009. Processo: SR/DPF/MG-02106/2013-INQ Voto: 8270/2014 Origem: GABPRM1-GSVA - GABRIELA


SARAIVA VICENTE DE AZEVEDO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 6

Ementa: Inquérito Policial instaurado a partir de representação formulada pela Superintendência Federal da Agricultura em Minas
Gerais para apurar a possível ocorrência dos crimes descritos nos arts. 259 (Difusão de doença ou praga) e 268 (Infração de
medida sanitária) do Código Penal e no art. 56 da Lei nº 9.605/98. Doença da Vaca Louca. Revisão de Declínio de
atribuições (Enunciado n° 33 2ª CCR). Utilização de subprodutos de origem animal em alimentos servidos a ruminantes.
Desrespeito a ato normativo que proíbe a utilização de proteínas e gorduras de origem animal na alimentação desses animais,
com o fim de prevenir a propagação da Encefalopatia Espongiforme Bovina, conhecida como doença da vaca louca. O fato
de a proibição ser veiculada em norma do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, bem como ter sido este
órgão federal o responsável pela fiscalização e detecção daquelas substâncias em amostras do alimento analisado, não têm
o condão, por si só, de atrair a competência da Justiça Federal para o processo e julgamento dos delitos em apuração, que,
no presente caso, apenas seria justificável se a conduta delituosa atingisse, de forma direta, os bens, serviços ou interesses
da União mais especificamente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento , o que não ocorre na espécie. A
atividade, em tese, criminosa atenta contra a saúde pública, atingindo de forma direta as pessoas que serão prejudicadas
com o consumo de produto animal no qual foi utilizada a substância proibida. Somente se verificaria a competência federal
se o crime atingisse a própria atividade fiscalizatória do órgão da União caso, por exemplo, o agente impedisse ou
obstaculasse a fiscalização por parte dos servidores do MAPA , não bastando que o objeto dessa fiscalização no caso, o
alimento servido a ruminantes seja atingido. A circunstância de o MAPA ser o órgão responsável pela regulamentação
sanitária do setor de produtos de origem animal, listando as substâncias consideradas de utilização proibida em animais
bovinos, não atrai a competência federal para os crimes consistentes no efetivo uso daquelas substâncias por parte de
terceiros. Caso se adotasse tal linha de raciocínio, em todas as hipóteses em que órgão ou entidade federal tenha a atribuição
de complementação de normas penais em branco (v.g., lei de drogas, estatuto desarmamento, comercialização de
combustíveis adulterados), ou o poder de edição de normas regulamentares que, de alguma forma, interfiram na
caracterização de ilícitos penais, os crimes que exijam tal complementação ou que sejam atingidos pela regulamentação,
quando praticados, seriam de competência da Justiça Federal. Precedentes do STJ em casos análogos (CC nº 122.341/PB,
Terceira Seção, DJe: 11/06/2012; RHC nº 26.483/AM, 5ª Turma, DJe: 29/08/2011). Ausência de elementos de informação
capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio ao
Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

010. Processo: 1.14.001.000452/2014-44 Voto: 8267/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
ILHÉUS/ITABUNA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar possível crime de apropriação indébita previdenciária por parte da Prefeitura de
Ibicaraí/BA, bem como prática de nepotismo e não pagamento de verbas relativas às férias de servidores municipais.
Revisão de declínio (Enunciado nº 32 2ª Câmara). Remessa dos autos à PRR da 1ª Região para apuração da suposta
ocorrência de apropriação indébita previdenciária. Nepotismo e não pagamento de férias. Ausência de verbas federais.
Inexistência de lesão a bens, serviços ou interesses da União de forma direta e específica. Carência de elementos de
informação capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal para a persecução penal. Homologação do declínio ao
Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

011. Processo: 1.14.004.000113/2008-90 Voto: 8240/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE FEIRA
DE SANTANA-B
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Procedimento investigatório criminal. Suposto crime de lavagem de capitais (Lei nº 9.613/98). Revisão de declínio de
atribuições (Enunciado nº 32 2ª CCR). Realização de movimentações financeiras atípicas verificadas pelo COAF. Conforme
dispõe o art. 2º, III, a e b, da Lei nº 9.613/98, o processo e o julgamento do crime de lavagem de dinheiro será da competência
da Justiça Federal quando praticado contra o sistema financeiro e a ordem econômico-financeira ou em detrimento de bens,
serviços ou interesses da União, de suas entidades autárquicas ou empresas públicas, ou ainda, quando a infração penal
antecedente for de competência da Justiça Federal. (CC 113.359/RJ, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, Terceira Seção, DJe
05/06/2013). Inexistência de elementos que denotem ofensa a bens, serviços ou interesse da União ou de suas entidades.
Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução
penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

012. Processo: 1.17.000.002762/2014-00 Voto: 8265/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada a partir de expediente recebido por e-mail denunciando suposto esquema de fraudes em
vestibulares de medicina de faculdades do Estado de Minas Gerais. Venda de vagas anunciadas em rede social. Revisão de

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 7

declínio de atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Postagens que fazem menção apenas a faculdades particulares, não
havendo qualquer referência a universidades federais. Inexistência de lesão a bens, serviços ou interesses da União ou de
suas entidades. Carência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal para persecução
penal. Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

013. Processo: 1.17.000.003323/2014-14 Voto: 8221/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de frustração de direito assegurado por lei trabalhista (CP, art. 203). Revisão de declínio de
atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Conduta praticada em detrimento de um único trabalhador. 1) Compete à Justiça
Federal processar e julgar os crimes contra a organização do trabalho, quando tenham por objeto a organização geral do
trabalho ou direitos dos trabalhadores considerados coletivamente (Súmula n. 115 do extinto Tribunal Federal de Recursos).
Tratando-se de lesão a interesses trabalhistas de sujeito específico, é reconhecida a competência da jurisdição estadual. (STJ,
AgRg no CC 130.112/SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, Terceira Seção, DJe 21/08/2014). Nesse sentido: AgRg no CC
129.181/MG, Rel. Min. Jorge Mussi, Terceira Seção, DJe 25/08/2014; CC 118.436/SP, Rel. Min. Alderita Ramos de
Oliveira (Desembargadora convocada do TJ/PE), Terceira Seção, DJe 29/05/2013. 2) Leitura da sentença trabalhista que
aponta possível falsificação de documento público (CP, art. 297, § 4º). Aplicação do Enunciado nº 62 da Súmula do STJ:
Compete à Justiça Estadual processar e julgar o crime de falsa anotação na Carteira de Trabalho e Previdência Social,
atribuído à empresa privada. Precedente: AgRg no CC 107.283/SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, Terceira Seção, DJe
21/08/2014. 3) Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para
a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, vencido o
Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá. Participou da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho.

014. Processo: 1.18.000.003754/2014-35 Voto: 8269/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - GOIAS/APARECIDA DE
GOIÂNIA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar possível crime de uso de atestado médico falso por parte de empregado para justificar
ausência ao trabalho. CP, art. 304. Revisão de declínio de atribuições (Enunciado n° 32 2a CCR). Exame dos autos da
reclamatória trabalhista. Constatação de que o empregado não usou o documento falso perante a Justiça do Trabalho. Crime
praticado em detrimento do empregador, não acarretando qualquer lesão à administração judiciária. Inexistência de lesão a
bens, serviços ou interesses da União. Carência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Parquet
Federal para persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

015. Processo: 1.23.003.000309/2014-23 Voto: 8291/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ALTAMIRA-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Crime ambiental (Lei n° 9.605/98, art. 69-A). Prestação de informações falsas ao Sistema de
Comercialização e Transporte de Produtos Florestais SISFLORA, operacionalizado por órgão estadual. Revisão de declínio
de atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Origem da madeira desconhecida. Ausência de elementos de informação
capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Precedente: STJ, RHC 35.551/PA,
Marco Aurélio Bellizze, Quinta Turma, DJe 19/06/2013. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

016. Processo: 1.26.000.003090/2014-32 Voto: 8264/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PERNAMBUCO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar suposta prática do crime de extorsão e/ou contra a honra. Vítima compelida a entregar
a quantia de R$ 2.000,00 (dois mil reais) para que o investigado não publicasse gravações íntimas de ambos em rede social.
CP, art. 139 e/ou 158. Revisão de declínio de atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Eventual prejuízo a interesse de
particular. Inexistência de lesão a bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades. Carência de elementos de
informação capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal para persecução penal. Homologação do declínio ao
Ministério Público Estadual.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 8

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

017. Processo: 1.26.000.003183/2014-67 Voto: 8276/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PERNAMBUCO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de racismo previsto no art. 20 da Lei nº 7.716/89, praticado em rede social na internet.
Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª Câmara). O fato de o crime ser cometido por meio da rede mundial de
computadores não é suficiente para firmar a competência da Justiça Federal, sendo necessária a existência de tratado ou
convenção internacional e a prova de que houve execução ou consumação do delito no exterior, ou vice-versa vale dizer,
da transnacionalidade da conduta, nos termos do art. 109, V, da Constituição da República. No caso apreciado, o primeiro
requisito encontra-se preenchido, pois o Decreto nº 65.810/1969 ratificou a Convenção Internacional sobre a eliminação de
todas as formas de Discriminal Racial. No entanto, no que concerne ao segundo requisito a transnacionalidade da conduta
nada há nos autos que demonstre sua ocorrência, limitando-se o fato descrito a um acontecimento tipicamente doméstico, o
que afasta a atribuição do Ministério Público Federal para persecução penal. Precedentes do STJ: AgRg nos EDcl no CC
120.559/DF, Rel. Min. Jorge Mussi, Terceira Seção, DJe 19/12/2013; CC 121.431/SE, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze,
Terceira Seção, DJe 07/05/2012. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

018. Processo: 1.29.017.000015/2014-29 Voto: 8290/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CANOAS-RS
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de fato. Crime de homicídio culposo (CP, art. 121, § 3º) supostamente praticado contra paciente de hospital
municipal, em atendimento médico-hospitalar realizado pelo SUS. Revisão de declínio de atribuições (Enunciado nº 32 da
2ª CCR). Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a
persecução penal. Compete à Justiça Estadual processar e julgar o feito destinado a apurar crime praticado contra paciente
do SUS quando o delito acarretar prejuízo apenas ao particular, sem ofensa a bens, serviços ou interesse da União.
Precedentes do STJ: AgRg no CC 115.582/RS, Rel. Min. Jorge Mussi, Terceira Seção, DJe 01/08/2012; CC 84.813/RS,
Rel. Min. Arnaldo Esteves Lima, Terceira Seção, DJe 29/06/2009; CC 36.081/RS, Rel. Min. Arnaldo Esteves Lima, Terceira
Seção, DJ 01/02/2005, p. 403; AgRg no CC 64.322/RS, Rel. Min. Og Fernandes, Terceira Seção, DJe 13/05/2009.
Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

019. Processo: 1.30.001.004021/2014-11 Voto: 8293/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. CRIME DE FALSIFICAÇÃO DE SELO PÚBLICO (CP, ART. 296). JUNTA COMERCIAL DO
ESTADO. REVISÃO DE DECLÍNIO (ENUNCIADO N. 32 2ª CCR). INEXISTÊNCIA DE LESÃO A BEM, SERVIÇO
OU INTERESSE FEDERAL. ATRIBUIÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL. HOMOLOGAÇÃO DO
DECLÍNIO. 1. Trata-se de notícia de fato instaurada para apurar a prática do crime de falsificação de selo público (CP, art.
296), cometido contra Junta Comercial. 2. As Juntas Comerciais são órgãos ou autarquias criadas por lei estadual e mantidas
orçamentariamente pelo Estado-membro com quadro de pessoal próprio. Administrativamente são vinculadas e
subordinadas ao governo da unidade federativa em que se encontram, situação que justifica o reconhecimento da
competência da Justiça Estadual para processar e julgar as causas em que são interessadas. 3. Atividade registral tipicamente
estadual em que à União só compete legislar concorrentemente para estabelecer apenas normas gerais, nos termos do art.
24, inc. III, e § 1º, da Constituição. 4. Considerando que o crime de falso em questão não compromete a lisura dos serviços
prestados pela Junta Comercial do Estado, a competência para processar e julgar o feito é da Justiça Estadual. (STJ CC
130.516/SP, Rel. Min. Rogerio Schietti Cruz, Terceira Seção, DJe 05/03/2014; CC 119.576/BA, Rel. Min. Marco Aurélio
Bellizze, Terceira Seção, DJe 21/06/2012; CC 81.261/BA, Rel. Min. Arnaldo Esteves Lima, Terceira Seção, DJe de
16.3.2009). 5. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

020. Processo: 1.30.017.001269/2014-43 Voto: 8218/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO
SJMERITI/N.IGUA/D.CAX
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 9

Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de ameaça (CP, art. 147) cometido entre particulares em razão da não aceitação da proposta
para a desapropriação de seu imóvel para a construção do arco metropolitano em Nova Iguaçu/RJ. Revisão de declínio de
atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do
Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

021. Processo: 1.32.000.000726/2014-97 Voto: 8263/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RORAIMA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar a prática do crime de estelionato por parte de membros de igreja evangélica. Vítima
que, mantida em erro, teria efetuado a doação voluntária de seus bens em troca de suposta prosperidade e salvação. CP, art.
171. Revisão de declínio de atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Suposto prejuízo suportado, unicamente, por particular.
Inexistência de lesão a bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades. Carência de elementos de informação
capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal para persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

022. Processo: 1.33.008.000502/2014-78 Voto: 8266/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ITAJAI/BRUSQUE
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar suposto crime de invasão de dispositivo informático, com alteração de perfil (dados
e fotos) de conta mantida em rede social. CP, art. 154-A. Revisão de declínio de atribuições (Enunciado n° 32 2a CCR).
Eventual ofensa a interesses particulares. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do
Ministério Público Federal para persecução penal. Precedente do STJ: AGEDCC nº 201103109409, Terceira Seção, Min.
Jorge Mussi, DJe 19/12/2013. Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

023. Processo: 1.33.011.000127/2014-15 Voto: 8189/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
JARAGUA DO SUL
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de fato. Suposto parcelamento irregular de solo urbano (Lei nº 6.766/79). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 2ª
Câmara). Possível irregularidade na doação de terreno, em área municipal, para a construção de posto de saúde. Inexistência
de prejuízo a bens, serviços ou interesse direto e específico da União, suas entidades autárquicas ou empresas públicas, uma
vez que o terreno supostamente doado não se encontra em terras de propriedade da União, tampouco em área que se encontre
no interior ou entorno de unidade de conservação federal. Ausência de elementos capazes de justificar a atribuição do
Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

024. Processo: 1.34.001.003999/2014-17 Voto: 8192/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SAO PAULO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Supostos crimes de falsidade ideológica (CP, art. 299) praticados contra médicas veterinárias. Utilização
indevida de seus nomes e assinaturas falsas para a expedição de laudos de exames de Mormo e Anemia Infecciosa Equina.
Revisão de declínio de atribuições (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Crime de falsidade ideológica que não causa prejuízo
direto e específico ao Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo. Precedente do STJ: CC
61.121/SP, Rel. Ministro Arnaldo Esteves Lima, Terceira Seção, julgado em 13/06/2007, DJ 06/08/2007, p. 463. Ausência
de atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério
Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 10

025. Processo: 1.34.006.000014/2014-43 Voto: 8262/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUARULHOS/MOGI
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime ambiental. Armazenamento de substâncias controladas (quatro cilindros de gás 410-A, três
cilindros de gás R-22, um cilindro de gás 470-C e 2 cilindros de HCFC 141-B). Lei nº 9.605/98, art. 56. Revisão de declínio
de atribuições (Enunciado n° 32 - 2a CCR). Necessidade de cumulação dos requisitos (tratado ou convenção internacional
e transnacionalidade da conduta) para a incidência do art. 109, V, da Constituição. Não obstante o Brasil seja signatário do
Protocolo de Montreal (acordo firmado no âmbito da Convenção de Viena para a Proteção da Camada de Ozônio), a conduta
ora apreciada não ostenta caráter transnacional. Precedente do STJ: AgRg no CC 115.159/SP, Terceira Seção, Min. Og
Fernandes, DJe: 21/6/2012. Inexistência de lesão direta a bens , interesses ou serviços da União. Ausência de elementos
capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal para persecução. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério
Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis
Callou de Araújo Sá.

Homologação de Arquivamento
026. Processo: DPF/GVS/MG-00166/2014-INQ Voto: 8251/2014 Origem: GABPRM1-PCB - PAULA
CRISTINE BELLOTTI
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Inquérito Policial instaurado para apurar possível prática do delito previsto no art. 183 da Lei nº 9.472/97. Atividade
clandestina de telecomunicação. Retransmissão de sinais de televisão sem a devida autorização do órgão competente.
Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Empresa investigada que já atuava com a devida autorização quando
da lavratura do auto de infração pelos fiscais da ANATEL, em setembro de 2013. Habilitação para retransmitir os sinais de
televisão no município de Nanuque/MG concedida em abril de 2013. Materialidade delitiva não evidenciada. Homologação
do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

027. Processo: 1.00.000.009789/2014-12 Voto: 8220/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Procedimento Administrativo. Transporte de carga com excesso de peso em rodovia federal. Revisão de arquivamento (LC
n° 75/93, art. 62, IV). Autuação decorrente de infração de trânsito, sem que se aponte qualquer ilícito penal. Ausência de
elementos mínimos de materialidade delitiva do crime de dano contra patrimônio público (CP, art. 163, parágrafo único,
inc. III) aptos a justificar o prosseguimento das investigações. Arquivamento que não gera coisa julgada, podendo as
investigações serem reabertas se houver notícia de novas provas (CPP, art. 18). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

028. Processo: 1.14.000.001211/2013-41 Voto: 8239/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - BAHIA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Procedimento investigatório criminal. Suposto crime de lavagem de capitais (Lei nº 9.613/98). Revisão de arquivamento
(LC nº 75/93, art. 62, IV). Realização de movimentações financeiras atípicas verificadas pelo COAF. Possível contratação
de seguro de vida por pessoa jurídica (shopping) em proveito de particular, filho do proprietário do terreno no qual o
empreendimento foi erguido. Conduta narrada que não indica a prática de qualquer crime. Arquivamento que não gera coisa
julgada, podendo as investigações serem reabertas se houver notícia de novas provas (CPP, art. 18). Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

029. Processo: 1.14.000.001874/2014-47 Voto: 8244/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - BAHIA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar suposto crime de aliciamento para o fim de emigração. CP, art. 206. Revisão de
arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Proposta e minuta de contrato enviadas a um único trabalhador e não a uma gama
de trabalhadores. Documentos que não sugerem a prática de infração penal. Verificação apenas de pontos alusivos a
qualquer tipo de contratação laboral internacional, tais como trâmite e assistência jurídica para expedição de visto de
trabalho, detalhes sobre as despesas de deslocamento, local da prestação do serviço, remuneração, descrição das atividades
a serem executadas, carga horária, duração do contrato e plano de saúde. Ausência de materialidade delitiva. Falta de justa
causa para persecução penal. Homologação do arquivamento.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 11

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

030. Processo: 1.17.000.002560/2014-50 Voto: 8260/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível fraude no requerimento de benefício de amparo ao idoso, mediante utilização de certidão de
nascimento falsa. Crime de estelionato contra o INSS. CP, art. 171, § 3º. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62,
IV). Fraude praticada há mais de 5 (cinco) anos por grupo nômade (ciganos), o que tornou inviável a identificação e/ou
localização dos seus autores, andarilhos por natureza. Registro no sistema da autarquia de um alerta quanto aos cuidados na
avaliação da documentação apresentada para fins de requerimento de novos benefícios. Ausência de qualquer elemento
indiciário demonstrativo da autoria. Inexistência de diligências capazes de modificar o panorama probatório atual.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

031. Processo: 1.17.000.003314/2014-15 Voto: 8249/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime ambiental decorrente de atividade de pesca irregular nas águas adjacentes à praia de
Camburi, no trecho compreendido entre a Ponta de Tubarão e o Farol de Santa Luzia, na Baia de Vitória/ES. Revisão de
arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Utilização de redes de arrasto de tração manual, no período de 19h às 7h.
Verificação da incidência, no caso, da excludente de tipicidade prevista no parágrafo único do art. 1º da Portaria nº 254 do
IBAMA. Falta de justa causa para eventual prosseguimento da persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

032. Processo: 1.20.000.001532/2014-20 Voto: 8255/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - MATO
GROSSO/DIAMANTINO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de falsa identidade. Ocorrência de recebimento de mensagem via e-mails em nome do MPF,
com supostas intimações para comparecer a audiências relativas a falsos procedimentos investigatórios. Revisão de
arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de Notícias de Fato (nºs 1.20.000.001139/2014-36,
1.20.000.001379/2014-31 e 1.20.000.001331/2014-22) com idêntico objeto de investigação. Aplicação do princípio do ne
bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

033. Processo: 1.22.000.000394/2014-97 Voto: 8256/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE TEÓFILO
OTONI-MG
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar possível crime de lavra ilegal de bem mineral. Lei nº 8.176/91, art. 2º. Revisão de
arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de Inquérito Policial (nº 177/07-DPF/GVS/MG) com idêntico objeto de
investigação. Ação Penal (nº 0004325-94.2013.4.01.3816) em curso perante o Juízo Federal da Vara Única da Subseção
Judiciária de Teófilo Otoni/MG. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

034. Processo: 1.23.000.002240/2014-01 Voto: 8247/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime ambiental decorrente do transporte de 3 (três) quilos de peixe pirarucu sem comprovante de
origem. Infração verificada durante fiscalização de rotina nas bagagens de passageiros no Aeroporto Internacional de Belém.
Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Infração ambiental punida com a aplicação de sanção de advertência.
Investigado que não faz do crime ambiental o seu modo de vida. Ausência de reiteração de conduta. Peixe destinado à
alimentação da própria família do infrator. Inexpressiva lesão ao bem jurídico tutelado. Precedente do STJ: HC nº
128.566/SP, 6ª Turma, DJe: 15/06/2011. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 12

035. Processo: 1.23.002.000326/2014-71 Voto: 8248/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SANTAREM-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime ambiental. Impedimento de regeneração natural de floresta, no interior da FLONA Saracá-
Taqueira (região oeste do Pará), em área de 0,5 hectare. Lei nº 9.605/98, art. 48. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93,
art. 62, IV). Infração ambiental derivada de pequeno roçado de mandioca que, de acordo com a realidade da região, era
destinado ao sustendo do investigado. Camponês que plantou em área (terreno de sua genitora) já desmatada e, por isso,
embargada. Pessoa que não faz do crime ambiental o seu modo de vida. Imposição de multa no valor de R$ 1.000,00 (um
mil reais). Sanção administrativa suficiente para reprimir a conduta. Inexpressiva lesão ao bem jurídico tutelado. Precedente
do STJ: HC nº 128.566/SP, Sexta Turma, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, DJe: 15/06/2011. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

036. Processo: 1.25.000.003304/2014-16 Voto: 8253/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE FOZ DO
IGUACU-PR
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Peças de Informação. Possível ocorrência do crime de contrabando. CP, art. 334. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93,
art. 62, IV). Existência de Ação Penal (nº 2006.70.02.010973-1) com idêntico objeto. Feito já sentenciado pelo Juízo da 5ª
Vara Federal de Foz do Iguaçu/PR. Pretensão punitiva julgada improcedente. Aplicação do princípio do ne bis in idem.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

037. Processo: 1.25.004.000503/2014-24 Voto: 8289/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUARAPUAVA-PR
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Revisão de arquivamento (LC nº 75/93,
art. 62, IV). Recebimento indevido de 01 (uma) parcela de benefício previdenciário após o óbito da titular, em 29/01/2014.
Valor pago que era quase integralmente devido e, ainda assim, foi integralmente devolvido pela responsável pelo saque,
filha da beneficiária. Evidente ausência de dolo específico de obter vantagem ilícita em prejuízo do INSS. Valores sacados
indevidamente que são utilizados, em regra, para custear despesas com hospitalização e funeral do titular do benefício.
Cumprimento da Orientação nº 04 da 2ª CCR/MPF. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

038. Processo: 1.25.011.000055/2014-70 Voto: 8219/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
PARANAVAI-PR
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Procedimento Investigatório criminal. Possíveis crimes tipificados no art. 15 da Lei nº 7.802/89 e art. 56 da Lei nº 9.605/98.
Importação irregular de agrotóxicos. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de inquérito policial
com idêntico objeto de investigação. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

039. Processo: 1.28.200.000092/2013-68 Voto: 8261/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CAICÓ-
RN
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO CRIMINAL. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO (LC Nº 75/93, ART. 62, IV).
APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA (CP, ART. 168-A). MUNICÍPIO. PARCELAMENTO ESPECIAL LEI
Nº 12.810/2013. EQUIPARAÇÃO AO PAGAMENTO PARA FINS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE.
HOMOLOGAÇÃO DO ARQUIVAMENTO. 1. Procedimento Investigatório Criminal instaurado para apurar crime de
apropriação indébita previdenciária (CP, artigo 168-A). 2. A Procuradora da República oficiante promoveu o arquivamento
do feito, levando em consideração que os débitos apurados foram incluídos no parcelamento especial da MP nº 589/2012
(convertida na Lei nº 12.810/2013). 3. No caso do inadimplemento, há previsão para a retenção e o repasse à Receita Federal
de recursos do Fundo de Participação dos Municípios, para a quitação, autorizados pelo art. 96 § 4º da Lei nº 11.196/05,
com as alterações decorrentes da Lei nº 11.960/09, ou mais recentemente pelo art. 3º da Lei nº 12.810/2013 (conversão da

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 13

MP nº 589/2012). 4. Muito embora existam hipóteses de rescisão do parcelamento, por outra razão as prestações não poderão
ser inadimplidas. É que inciso I do parágrafo único do art. 160 da Constituição autoriza a União e os Estados a
condicionarem o repasse de recursos ao pagamento de seus créditos. 5. Precedentes da 2ª Câmara: PA
1.15.000.000293/2010-27, 602ª Sessão de Revisão, de 04/08/2014, 2ª CCR; JF/CE-INQ-0014006-29.2013.4.05.8100, 602ª
Sessão de Revisão, de 04/08/2014, 2ª CCR. 6. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

040. Processo: 1.30.001.000151/2014-77 Voto: 7539/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Notícia de furto (art. 155, CP) de um aparelho e-book de passageira inglesa no
interior da aeronave em que veio para o Brasil. Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC 75/93). Ausência de indícios da
autoria delitiva. Aplicação do princípio da insignificância ante à mínima ofensividade da conduta, à nenhuma periculosidade
social da ação, ao reduzido grau de reprovabilidade do comportamento e à inexpressividade da lesão jurídica provocada.
Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

041. Processo: 1.30.001.000995/2014-18 Voto: 8277/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Procedimento investigatório criminal. Suposto crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Revisão de
arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Possível fraude no recebimento de benefício previdenciário. Saques indevidos
efetuados até 30/11/2006. Investigada que possui mais de 70 anos. Prazo prescricional reduzido à metade. Extinção da
punibilidade (CP, art. 107, IV). Prescrição da pretensão punitiva estatal (CP, art. 109, III c/c art. 115). Homologação de
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

042. Processo: 1.30.001.003438/2014-59 Voto: 8250/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - GOIAS/APARECIDA DE
GOIÂNIA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de apropriação indébita previdenciária e/ou sonegação previdenciária. CP, arts. 168-A, § 1º,
I, e 337. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Informação da Receita Federal no sentido de inexistir qualquer
ação fiscal em andamento, não tendo sido encontrados indícios que justifiquem o início de procedimento fiscal em face da
empresa representada. Falta de materialidade do delito. Precedentes do STJ (RHC nº 24.876/SC, 5ª Turma, DJe: 19/3/2012;
REsp nº 875.897/CE, 6ª Turma, DJe: 15/12/2008). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

043. Processo: 1.30.004.000110/2014-51 Voto: 8257/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ITAPERUNA-RJ
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada a partir de comunicação de prisão em flagrante de suspeito pela prática do crime previsto no art.
241-A do Código Penal. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Manifestação pela conversão da prisão em
flagrante em custódia preventiva. Ação Penal que será proposta com o envio do IPL relatado. Exaurimento do objeto.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

044. Processo: 1.31.000.000878/2014-27 Voto: 8252/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RONDONIA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Peças de Informação. Possível ocorrência de crime ambiental decorrente da destruição de 3,01 hectares de floresta nativa
localizada em assentamento do INCRA no município de Buritis/RO. Lei nº 9.605/98, art. 55-A. Revisão de arquivamento
(LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de IPL com idêntico objeto de investigação, conforme Despacho nº 22/2013-
COR/SR/RO, da lavra do Corregedor Regional da Superintendência da Polícia Federal em Rondônia. Aplicação do princípio
do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 14

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

045. Processo: 1.33.000.000476/2014-58 Voto: 8258/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SANTA CATARINA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada a partir de expediente oriundo do Juízo da 2ª Vara Federal da Seção Judiciária de Santa Catarina,
comunicando possível crime de disposição de coisa alheia como própria. CP, art. 171, § 2º, I. Revisão de arquivamento (LC
n. 75/93, art. 62, inc. IV). Fato que configura mero ilícito civil. Inadmissibilidade de constrição de liberdade do depositário
infiel. Enunciado n. 25 da Súmula Vinculante do STF: É ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a
modalidade do depósito. Ademais, havendo previsão de medida civil coercitiva para o caso de descumprimento do encargo
(CPC, art. 150), afasta-se a tipicidade da conduta apreciada. Precedente do STJ: REsp nº 1.280.328/DF, DJe: 4/9/2012; HC
nº 115.504/SP, DJe: 9/2/2009. Ausência de elementos mínimos aptos a justificar o prosseguimento da apuração.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

046. Processo: 1.33.004.000096/2014-83 Voto: 8254/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
JOAÇABA-SC
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Peças de Informação. Possível ocorrência do crime de contrabando de cigarros CP, art. 334. Revisão de arquivamento (LC
nº 75/93, art. 62, IV). Existência de Procedimento Administrativo nº 1.33.004.000095/2012-77 com idêntico objeto de
investigação. Denúncia ofertada. Ação Penal (nº 5001290-81.2013.404.7203) em curso. Aplicação do princípio do ne bis
in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

047. Processo: 1.33.009.000081/2013-94 Voto: 8196/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAÇADOR-SC
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO CRIMINAL. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO (LC Nº 75/93, ART. 62, IV).
SONEGAÇÃO DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA (CP, ART. 337-A). MUNICÍPIO. PARCELAMENTO
ESPECIAL LEI Nº 12.810/2013. EQUIPARAÇÃO AO PAGAMENTO PARA FINS DE EXTINÇÃO DA
PUNIBILIDADE. HOMOLOGAÇÃO DO ARQUIVAMENTO. 1. Procedimento Investigatório Criminal instaurado para
apurar crime de sonegação de contribuição previdenciária (CP, artigo 337-A), atribuído a gestor municipal. 2. O il.
Procurador da República oficiante requereu o arquivamento do feito, levando em consideração que os débitos apurados
foram incluídos no parcelamento especial da MP nº 589/2012 (convertida na Lei nº 12.810/2013). Remessa dos autos à 2ª
CCR/MPF, nos termos do art. 62, IV da LC n.º 75/93. 3. No caso do inadimplemento, há previsão para a retenção e o repasse
à Receita Federal de recursos do Fundo de Participação dos Municípios, para a quitação, autorizados pelo art. 96 § 4º da
Lei nº 11.196/05, com as alterações decorrentes da Lei nº 11.960/09, ou mais recentemente pelo art. 3º da Lei nº 12.810/2013
(conversão da MP nº 589/2012). 4. Muito embora existam hipóteses de rescisão do parcelamento, por outra razão as
prestações não poderão ser inadimplidas. É que inciso I do parágrafo único do art. 160 da Constituição autoriza a União e
os Estados a condicionarem o repasse de recursos ao pagamento de seus créditos. 5. Precedentes da 2ª Câmara: PA
1.15.000.000293/2010-27, 602ª Sessão de Revisão, de 04/08/2014; JF/CE-INQ-0014006-29.2013.4.05.8100, 602ª Sessão
de Revisão, de 04/08/2014. 6. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

048. Processo: 1.34.001.007534/2013-46 Voto: 8259/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SAO PAULO
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato instaurada para apurar possível crime de estelionato por parte de uma agência de viagens sediada no exterior
que vendia passagens na internet em nome de companhia aérea brasileira. CP, art. 171. Revisão de arquivamento (LC nº
75/93, art. 62, IV). Informação de que a empresa de fachada foi aberta em Zurique, na Suíça, e de que o suposto responsável
lá aplicou um golpe em diversos particulares, evadindo-se daquela localidade. Crimes cometidos no exterior e somente
alcançados pela lei brasileira nas hipóteses do art. 7º do Código Penal (extraterritorialidade). Notícia-crime sintética, que
sequer especifica as vítima da prática delitiva, que deve ser investigada pelas autoridades locais. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 15

049. Processo: 1.35.000.001672/2014-75 Voto: 8245/2014 Origem: PROCURADORIA DA REPUBLICA


- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de fato instaurada a partir de representação oriunda do ICMBio, comunicando possível prática de crime ambiental
em unidade de conservação situada no município de Pirambu/SE. Investigado flagrado trafegando de motocicleta em local
proibido, consistente em uma área de proteção de ninhos de tartarugas. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Conduta que caracteriza mera infração administrativa. Aplicação de multa no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais). Ausência
de dano ambiental à unidade de conservação. Tipicidade penal não caracterizada. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

050. Processo: 1.35.000.001676/2014-53 Voto: 8246/2014 Origem: PROCURADORIA DA REPUBLICA


- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de fato instaurada a partir de representação oriunda do ICMBio, comunicando possível prática de crime ambiental
em unidade de conservação situada no município de Pirambu/SE. Investigado flagrado trafegando de motocicleta em local
proibido, consistente em uma área de proteção de ninhos de tartarugas. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Conduta que caracteriza mera infração administrativa. Aplicação de multa no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais). Ausência
de dano ambiental à unidade de conservação. Tipicidade penal não caracterizada. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

051. Processo: 1.35.000.001893/2014-43 Voto: 8194/2014 Origem: PROCURADORIA DA REPUBLICA


- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA
Ementa: Notícia de Fato. Suposta atividade clandestina de telecomunicações (Lei 9.472/97, art. 183). Revisão de arquivamento (LC
nº 75/93, art. 62, IV). Instauração de inquérito policial com idêntico objeto de investigação. Aplicação do princípio do ne bis
in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA


ORIGEM JUDICIAL
NÃO PADRÃO
052. Processo: JF-CPS-0004515-86.2014.4.03.6105-INQ Voto: 8160/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 5ª
SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - CAMPINAS/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. REVISÃO (CPP, ART. 28, POR ANALOGIA). ANOTAÇÃO FALSA EM CTPS COM O
ESCOPO DE OBTER BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO. A CONDUTA AMOLDA-SE AO CRIME DE ESTELIONATO
QUALIFICADO, NA FORMA TENTADA (CP, ART. 171, § 3º, C/C ART. 14, II). APLICAÇÃO DO ART. 70 DO CPP.
COMPETÊNCIA DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM CAMPINAS/SP PARA DAR PROSSEGUIMENTO À
PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de inquérito policial instaurado para apurar suposta prática dos crimes de tentativa de
estelionato majorado (CP, art. 171, § 3º, c/c art. 14, II), falsificação de documento público (CP, art. 297, § 3º, II) e uso de
documento falso (CP, art. 304), tendo em vista que particular teria utilizado CTPS, com inserção de dados de vínculos
empregatícios supostamente falsos, com o intuito de auferir benefício previdenciário. 2. O Procurador da República atuante
em Piracicaba classificou os fatos no crime de estelionato tentado e promoveu o declínio de atribuição à PRM em Campinas,
por entender que, embora o pedido de aposentadoria tenha sido inicialmente formulado perante a APS de Limeira, foi
devidamente analisado pela agência da Previdência Social em Campinas/SP. 3. O Procurador oficiante em Campinas,
considerando que o crime de falso é mais grave do que o crime de estelionato qualificado tentado, entendeu que a
competência para processar e julgar o feito é da Subseção Judiciária de Limeira/SP, local da consumação dos delitos
capitulados nos arts. 297, § 3º, II, e 304 do CP. 4. A Juíza Federal da 9ª Vara Federal da 5ª Subseção Judiciária em
Campinas/SP considerou ser competente para julgar o presente feito, alegando que os fatos dizem respeito ao crime
tipificado no art. 171, § 3º, do CP, na forma tentada, e que o último ato de execução ocorreu dentro dos limites de sua
jurisdição. 5. Entendo que a falsa anotação feita na CTPS teve como único objetivo a obtenção fraudulenta de benefício
previdenciário. A falsificação não foi utilizada para outros fins. Conforme o princípio da consunção, os crimes de
falsificação de documento público e uso de documento falso crimes meio ficam absorvidos pelo crime fim, qual seja,
tentativa de estelionato. Precedentes do STF e STJ. 6. Analisando os autos, verifico que o último ato de execução ocorreu
no município de Campinas/SP, local em que o investigado, após a transferência do processo para concessão de
aposentadoria, apresentou outros documentos (para validar os vínculos empregatícios supostamente falsos constantes na
CTPS) e prestou depoimento perante o INSS. 7. Fixação da atribuição da Procuradoria da República em Campinas/SP para
dar prosseguimento à persecução penal.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 16

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

053. Processo: JF-CPS-0007704-72.2014.4.03.6105-PCD Voto: 8136/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 5ª


SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - CAMPINAS/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SUPOSTA PRÁTICA DE RADIODIFUSÃO SEM AUTORIZAÇÃO DO ÓRGÃO
COMPETENTE. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO (ART. 62, IV, LC Nº 75/93). CONDUTA QUE SE AMOLDA AO
TIPO PENAL DO ART. 183 DA LEI 9.472/97 E NÃO AO TIPO PENAL DO ART. 70 DA LEI Nº 4.117/62.
PRECEDENTES DO STF E DO STJ. PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA ESTATAL QUE SE REGULA PELO
PRAZO DE 8 ANOS. INOCORRÊNCIA DA PRESCRIÇÃO. PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL. 1.
Trata-se de inquérito policial instaurado para apurar a suposta prática de radiodifusão sem autorização do órgão competente.
2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito com base na prescrição da pretensão punitiva
estatal. Entendeu que a conduta configuraria, em tese, crime do art. 70 da Lei nº 4.117/62, com pena máxima cominada de
2 anos de detenção. Como o fato teria ocorrido em 8/7/2010, data da fiscalização da ANATEL, entre essa data e o momento
da promoção do arquivamento já teriam se passado mais de 4 anos (art. 109, V, c/c o art. 107, V, ambos do CP). 3. O juiz,
diversamente, entendeu que a conduta investigada não se amoldaria ao tipo penal descrito no art. 70 da Lei nº 4.117/62, mas
sim ao modelo previsto no art. 183 da Lei nº 9.472/97, cuja pena máxima, em abstrato, é de 4 anos, afastando assim a
prescrição. 4. Por força do art. 215, I, da Lei nº 9.472/97, o Código Brasileiro de Telecomunicações foi revogado, salvo
quanto à matéria penal não tratada pela lei e quanto aos serviços de radiodifusão, o que manteve em vigor, juntamento com
o delito tipificado no art. 183 da nova lei geral de telecomunicações, o tipo penal do art. 70 da Lei nº 4.117/62. Segundo o
STJ, o art. 183 da Lei n. 9.472/97 não revogou o art. 70 da Lei n. 4.117/62, haja vista a distinção dos tipos penais. Nos
termos da jurisprudência desta Corte, a prática habitual de atividade de telecomunicação sem a prévia autorização do órgão
público competente subsume-se ao tipo descrito no art. 183 da Lei n. 9.472/97, enquanto a conduta daquele que, previamente
autorizado, exerce atividade de telecomunicação de forma contrária aos preceitos legais e regulamentares encontra
enquadramento típico-normativo no art. 70 da Lei n. 4.117/62 (AgRg no REsp nº 1.387.258/ES; Min. Marco Aurélio
Bellizze; T5; DJe 20/11/2013). 5. No mesmo sentido é a jurisprudência do STF, segundo a qual, a atividade de
telecomunicações desenvolvida de forma habitual e clandestina tipifica delito previsto no art. 183 da Lei 9.472/1997 e não
aquele previsto no art. 70 da Lei 4.117/1962 (HC nº 115.137/PI; Min. Luiz Fux; T1; Dje de 13/2/2014). 6. Não homologação
do arquivamento e designação de outro Membro do Ministério Público Federal para dar prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

054. Processo: JF-GO-0023819-83.2014.4.01.3500-INQ Voto: 8162/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL DO ESTADO


DE GOIÁS
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SUPOSTO CRIME DE USO DE DOCUMENTO FALSO (CP, ART. 304). APRESENTAÇÃO
DE CERTIDÃO COM DATA DE VALIDADE ADULTERADA EM PROCEDIMENTO LICITATÓRIO.
ARQUIVAMENTO. DISCORDÂNCIA DA MAGISTRADA. REVISÃO (CPP, ARTIGO 28). CONDUTA, EM TESE,
TÍPICA, EXIGINDO O DEVIDO PROCESSO E AMPLA DEFESA. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO PARA
PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de inquérito policial instaurado para apurar suposto crime de uso
de documento falso (CP, artigo 304), consistente na apresentação de certidão negativa de débitos fiscais falsa (data de
validade adulterada) em procedimento licitatório que ocorreu junto à Secretaria Municipal de Saúde do município de
Inhumas/GO. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito com base na atipicidade,
considerando a falta de potencialidade lesiva do documento, a ausência de prejuízo à Secretaria Municipal de Saúde de
Inhumas, bem como a posterior comprovação da ausência de débitos junto à Receita Federal do Brasil. 3. A Juíza Federal,
por sua vez, indeferiu o arquivamento, por entender que o crime previsto no art. 304 do CP é formal, não sendo necessário,
para a sua configuração, resultado naturalístico. 4. A conduta narrada apresentação de documento público com data de
validade adulterada perante órgão público municipal caracteriza o crime de uso de documento falso, tipificado no art. 304
do CP, que é de natureza formal, consumando-se com a simples utilização de documentos comprovadamente falsos.
Precedentes do STJ. 5. Dessa forma, revela-se inadequado o arquivamento deste inquérito com base na atipicidade. 6.
Designação de outro membro do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

055. Processo: JF-RIB-0005167-15.2014.4.03.6102-JEF-ORD Voto: 8157/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 2ª


SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - RIBEIRÃO
PRETO/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO. CONTRABANDO DE CIGARROS (ART. 334-A, CP). ART. 28 DO CPP C/C
ART. 62, IV, DA LC Nº 75/93. ARQUIVAMENTO FUNDAMENTADO NO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA.
INAPLICABILIDADE AOS CASOS DE IMPORTAÇÕES SUPERIORES A 40 MAÇOS. EFEITO NOCIVO À SAÚDE
HUMANA. INOBSERVÂNCIA ÀS REGRAS DA LEI Nº 9.532/97. PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 17

1. Trata-se de procedimento investigatório instaurado para apurar a ocorrência do crime de contrabando de cigarros, previsto
no art. 334-A do Código Penal, em razão da apreensão de maços de cigarro de origem estrangeira em estabelecimento
comercial, no valor total de R$ 2.481,07. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito com
suporte no princípio da insignificância, já que o valor dos tributos devidos é inferior a R$10.000,00. 3. O Juiz Federal, por
sua vez, discordou do arquivamento por considerar inaplicável o princípio da insignificância ao crime de contrabando de
cigarros. 4. Com efeito, a natureza dos produtos (cigarros) introduzidos no país impõe maior rigor na adoção do princípio
da insignificância em razão do efeito nocivo à saúde e, consequentemente, do dever de rígido controle em sua
comercialização no território nacional. 5. Este Colegiado vem decidindo que as importações de até 40 maços de cigarro
possibilitam, excepcionalmente, a aplicação do princípio da insignificância. Já nas importações superiores a este patamar
não há que se falar em conduta insignificante. 6. Desrespeitadas as normas da Lei nº 9.532/97, que restringem, com rigor,
o comércio de cigarros no país. 7. Arquivamento inadequado. 8. Designação de outro Membro do Ministério Público Federal
para dar prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

056. Processo: JF-RIB-0005168-97.2014.4.03.6102-PCD Voto: 8020/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 2ª


SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - RIBEIRÃO
PRETO/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. CONTRABANDO DE CIGARROS (ART. 334-A, CP). ART. 28 DO CPP C/C ART. 62, IV, DA
LC Nº 75/93. ARQUIVAMENTO. PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. APLICABILIDADE AOS CASOS DE
IMPORTAÇÕES INFERIORES A 40 MAÇOS. INSISTÊNCIA NO ARQUIVAMENTO. 1. Trata-se de notícia de fato
instaurada para apurar a ocorrência do crime de contrabando de cigarros, previsto no art. 334-A do Código Penal, em razão
da apreensão de 2 (dois) maços de cigarro de origem estrangeira, em estabelecimento comercial. 2. O Procurador da
República oficiante promoveu o arquivamento do feito com suporte no princípio da insignificância, já que o valor dos
tributos devidos é inferior a R$ 10.000,00 e é inexpressiva a relevância da ofensa aos demais bens jurídicos tutelados pelo
tipo penal que combate o contrabando, a exemplo da saúde pública. 3. O Juiz Federal discordou do arquivamento por
considerar inaplicável o princípio da insignificância ao crime de contrabando de cigarros. 4. Com efeito, a natureza dos
produtos (cigarros) introduzidos no país impõe maior rigor na adoção do princípio da insignificância em razão do efeito
nocivo à saúde e, consequentemente, do dever de rígido controle em sua comercialização no território nacional. 5. Este
Colegiado, no entanto, vem decidindo que as importações de até 40 maços de cigarro, possibilitam, excepcionalmente, a
aplicação do princípio da insignificância, desde que acompanhadas da ausência de habitualidade específica do agente na
prática delituosa, como no caso. Já nas importações superiores a este patamar não há que se falar em conduta insignificante.
6. Insistência no arquivamento do feito.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

057. Processo: JFRJ/AGR-0001688-41.2013.4.02.5111-INQ Voto: 8134/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL DE ANGRA


DOS REIS
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Inquérito Policial. Notícia de suposta ofensa inflingida oralmente (palavras de baixo calão proferidas no ambiente de
trabalho) por servidor do IBAMA contra e na presença de outro servidor do IBAMA. Revisão de arquivamento (art. 62, IV,
LC n° 75/93). Depoimentos de dois outros funcionários do IBAMA que presenciaram o ocorrido e concluíram no sentido
de negar a existência das alegadas ofensas. Ausência de elementos mínimos necessários à deflagração da persecução penal
e de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

058. Processo: JF-RJ-0018734-39.2014.4.02.5101-INQ Voto: 8041/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DO RIO DE
JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. APREENSÃO DE SEMENTES DE MACONHA PROVENIENTES DO EXTERIOR.
SUPOSTO CRIME DE TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS. ARQUIVAMENTO IMPLÍCITO. APLICAÇÃO
ANALÓGICA DO ART. 28 DO CPP C/C ART. 62, IV, DA LC 75/93. PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL.
1. Trata-se de inquérito policial instaurado para investigar eventual prática do crime de tráfico internacional de drogas (art.
33 c/c o art. 40, I, da Lei nº 11.343/2006). Apreensão de 5g de sementes de maconha. 2. O Juiz Federal da 4ª Vara Federal
Criminal do Rio de Janeiro declinou de sua competência para a 9ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, entendendo que
a conduta relatada seria de menor potencial ofensivo e se amoldaria ao tipo do art. 28, §1º, da Lei nº 11.343/2006. 3. O
Parquet Federal, provocado pelo Juiz da 9ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, manifestou-se favoravelmente à
capitulação delitiva dada pela 4ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. 4. O Juiz da 9ª Vara Federal Criminal do Rio de
Janeiro, entendendo precipitada a nova capitulação, afirmou que a Procuradora oficiante ao concordar com o Juiz suscitante,
teria alterado e limitado, de maneira açodada, o objeto do inquérito, promovendo de forma implícita o arquivamento do
procedimento em relação ao crime de tráfico de drogas. 5. Precipitada, neste momento, a conclusão de que a conduta

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 18

investigada se amoldaria ao tipo penal do art. 28, §1º, da Lei nº 11.343/2006. A importação de sementes de maconha, no
caso, pode tanto ter tido a finalidade de cultivo para consumo próprio ou como para revenda da substância entorpecente,
devendo ser melhor investigada a conduta relativa ao tráfico de drogas. 6. Não homologação do arquivamento e designação
de outro Membro do Ministério Público Federal para dar prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

059. Processo: JF-SAN-0002377-52.2014.4.03.6104-INQ Voto: 8174/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 4ª


SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - SANTOS/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. POSSÍVEL CRIME DE CONTRABANDO (CP, ARTIGO 334). CIGARROS. ART. 28 DO CPP
C/C ART. 62, IV, DA LC Nº 75/93. PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO COM ESTEIO NO PRINCÍPIO DA
INSIGNIFICÂNCIA. INAPLICABILIDADE. EFEITO NOCIVO À SAÚDE HUMANA. INOBSERVÂNCIA ÀS
REGRAS DA LEI Nº 9.532/97. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA PROSSEGUIR NA
PERSECUÇÃO PENAL. 1. Inquérito Policial instaurado para apurar a possível prática do crime de contrabando (CP, artigo
334), em razão da apreensão de cigarros de origem estrangeira e sem registro na ANVISA, em estabelecimentos comerciais.
2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito por entender aplicável o princípio da
insignificância. 3. Discordância do Magistrado. 4. A natureza do produto (cigarro) impõe maior rigor na adoção do princípio
da insignificância, em razão do efeito nocivo à saúde e, consequentemente, do dever de rígido controle em sua
comercialização no território nacional. 5. A comercialização de cigarros de origem estrangeira, conhecendo o agente a
origem ilícita do produto, não pode ser considerada insignificante. Desrespeitadas as normas da Lei nº 9.532/97, que
restringem, com rigor, o comércio em questão. 6. Este Colegiado vem decidindo que as importações de até 40 maços de
cigarro possibilitam, excepcionalmente, a aplicação do princípio da insignificância. Já nas importações superiores a este
patamar não há que se falar em conduta insignificante. 7. Insistência no arquivamento em relação aos investigados que
possuíam uma pequena quantidade de cigarros, que se encontra abaixo do patamar estabelecido por este Colegiado, e
designação de outro membro do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal em relação aos demais,
cuja apreensão ultrapassa os 40 maços.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação parcial do arquivamento, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

060. Processo: JF/SP-INQ-0004111-98.2014.4.03.6181 Voto: 8159/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DE SÃO
PAULO/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. CP, ARTS. 171, § 3º, E 304. FRAUDE CONTRA CEF, MEDIANTE APRESENTAÇÃO DE
DOCUMENTAÇÃO FALSA. CPP, ART. 28 C/C LC Nº 75/93, ART. 62, IV. ARQUIVAMENTO PREMATURO.
AUSÊNCIA DE DILIGÊNCIAS. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA PROSSEGUIR NA
PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de Inquérito Policial instaurado para apurar a prática dos crimes tipificados nos arts.
171, § 3º, e 304, ambos do CP, tendo em vista a ocorrência de fraude contra a Caixa Econômica Federal, consistente no
saque de benefício do INSS, no valor de R$ 3.043,00, realizado no dia 31/07/2012, mediante apresentação de documentação
falsa. 2. A Procuradora da República oficiante promoveu o arquivamento do feito com base na ausência de indícios de
autoria e na insignificância da conduta, por considerar ínfimo o valor sacado. 3. O Juiz Federal, por sua vez, discordou do
arquivamento, aduzindo que é absolutamente prematuro o arquivamento do inquérito. Não estão nos autos sequer os
documentos que a Caixa Econômica Federal produziu. Eles podem indicar a autoria delitiva. Assim como outras diligências
que podem ser tomadas. 4. Inicialmente, embora o prejuízo suportado pela Caixa Econômica Federal (R$ 3.043,00) não
seja tão expressivo, não há como considerar insignificante a conduta investigada, uma vez que esta, além de ser altamente
reprovável, acarretou prejuízo ao erário e ofendeu a moralidade administrativa. Precedente do STJ. 5. Assim, afastada a
possibilidade de aplicação do princípio da insignificância ao caso concreto, e diante da ausência de diligências tendentes à
elucidação da autoria, impõe-se o prosseguimento da persecução penal, mostrando-se prematuro o arquivamento deste
inquérito policial. 6. Designação de outro membro do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

ORIGEM INTERNA
NÃO PADRÃO
061. Processo: 1.22.013.000277/2014-84 Voto: 8165/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPÚBLICA NO MUNICIPIO DE POUSO
ALEGRE-MG
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. POSSÍVEL CRIME DE ESTELIONATO MAJORADO (CP, ART. 171, § 3º). RECEBIMENTO
INDEVIDO DE SEGURO-DESEMPREGO. PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO. LC Nº 75/93, ART. 62, IV. NÃO
HOMOLOGAÇÃO. POSSIBILIDADE DE DILIGÊNCIAS. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA
DAR PROSSEGUIMENTO À PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de notícia de fato instaurada a partir de ofício

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 19

encaminhado pela Procuradoria do Trabalho no município de Pouso Alegre/MG, comunicando possível crime de estelionato
majorado (CP, art. 171, § 3º), consistente no recebimento indevido de seguro-desemprego, uma vez que os investigados
constam como sócios de sociedades empresárias. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento, por
entender que a simples figuração em contrato social não desqualifica o cidadão para o recebimento do seguro-desemprego,
exigindo, para tanto, que se comprove que a renda oriunda daquela atividade empresarial seja suficiente para o sustento e
manutenção de sua família. 3. Analisando os autos, verifico que nenhuma diligência foi realizada e não há demonstração
inequívoca, segura e convincente da ausência de justa causa para a persecução penal. 4. Somente após o exaurimento das
diligências capazes de esclarecer o ocorrido, é que o Ministério Público Federal poderá concluir, extreme de dúvidas, se
existem elementos suficientes para deflagrar a ação penal ou se deve promover o arquivamento das peças de informação. 5.
Não homologação do arquivamento e designação de outro membro do Ministério Público Federal para prosseguir na
persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

062. Processo: 1.30.004.000097/2012-78 Voto: 8163/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ITAPERUNA-RJ
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO CRIMINAL. SUPOSTO CRIME DE APROPRIAÇÃO INDÉBITA
PREVIDENCIÁRIA (CP, ART. 168-A). REVISÃO DE ARQUIVAMENTO (LC Nº 75/93, ART. 62, IV). CRIME
FORMAL. DESNECESSIDADE DE EXAURIMENTO DA ESFERA ADMINISTRATIVA PARA SUA
CONFIGURAÇÃO. PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de procedimento investigatório
criminal instaurado para apurar a suposta prática do crime de apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A) por parte
de gestores do município de Laje do Muriaé/RJ. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito,
por entender que se trata de um crime material, tornando-se imprescindível, para a sua configuração, o esgotamento da via
administrativa. 3. No entanto, o entendimento jurisprudencial de que o prévio exaurimento da via administrativa é condição
objetiva de punibilidade do crime contra a ordem tributária só é aplicável aos crimes materiais. 4. O STF sempre assentou,
de forma expressa, que os delitos previstos no art. 168-A, § 1º, I, CP, são formais, sendo desnecessário exaurimento da
esfera administrativa para sua configuração (STF - Inq: 3782 RR , Relator: Min. RICARDO LEWANDOWSKI, Data de
Julgamento: 30/05/2014, Data de Publicação: DJe-108 DIVULG 04/06/2014 PUBLIC 05/06/2014). 5. Não homologação
do arquivamento e designação de outro Membro do Ministério Público Federal para dar prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

063. Processo: 1.31.000.000525/2014-27 Voto: 8061/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUAJARÁ-MIRIM-RO
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO CRIMINAL. CONTRABANDO DE ARMA DE PRESSÃO. REVISÃO DE
ARQUIVAMENTO (ART. 62, IV, DA LC Nº 75/93). ARQUIVAMENTO BASEADO NA APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO
DA INSIGNIFICÂNCIA ANTE O ENQUADRAMENTO DA CONDUTA COMO CRIME DE DESCAMINHO.
APESAR DE O USO DE ARMA DE PRESSÃO SER PERMITIDO, A SUA REGULAR IMPORTAÇÃO EXIGE O
PREENCHIMENTO DE CERTOS REQUISITOS LEGAIS. A INOBSERVÂNCIA DESSES REQUISITOS
CARACTERIZA O CRIME DE CONTRABANDO E NÃO O DE DESCAMINHO. INAPLICABILIDADE DO
PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA AO CRIME DE CONTRABANDO. ARQUIVAMENTO INADEQUADO.
PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Procedimento Investigatório Criminal instaurado a partir de
representação fiscal para fins penais em razão da apreensão de uma arma de pressão introduzida clandestinamente em
território nacional pelo investigado. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito aplicando o
princípio da insignificância, uma vez que enquadrou a conduta no crime de descaminho. 3. O artigo 17 do Decreto-Lei nº
3.665/2000 dispõe que o uso desse tipo de arma é permitido. 4. No entanto, dizer que é de uso permitido não significa que
a mercadoria seja de livre importação. 5. As armas de ar comprimido são produtos controlados, cuja importação encontra-
se disciplinada nos arts. 183 e 204 do Decreto-Lei nº. 3.665/2000. Tais dispositivos preveem a necessidade de autorização
prévia do Exército para validar a introdução dessas mercadorias no País. 6. Assim, a inexistência dessa autorização,
legalmente prevista, caracteriza o crime de contrabando. 7. Sendo inaplicável o princípio da insignificância ao crime de
contrabando, o arquivamento do feito é inadequado. 8. Designação de outro membro do Ministério Público Federal para dar
prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-
Verde de Carvalho.

PADRÃO
Homologação do Declínio de atribuição

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 20

064. Processo: DPF/PS/BA-INQ-0061/2013 Voto: 8143/2014 Origem: SJUR/PRM-BA - SETOR


JURÍDICO DA PRM/TEIXEIRA DE
FREITAS
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Inquérito Policial instaurado para apurar a ocorrência dos crimes ambientais previstos nos arts. 38-A, 48 e 60 da Lei nº
9.605/98, tendo em vista que particular teria danificado, impedido a regeneração de vegetação nativa e construído obra
potencialmente poluidora em propriedade rural particular, localizada no entorno do Parque Nacional do Descobrimento,
sem autorização do órgão ambiental competente. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 2ª CCR). Fatos ocorridos no interior
de fazenda privada. Não houve constatação de lesão ao PARNA do Descobrimento. Inexistência de prejuízo a bens, serviços
ou interesse direto e específico da União ou de suas entidades. Ausência de elementos de informação capazes de justificar
a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

065. Processo: JF/CRU/PE-0000539-22.2014.4.05.8302-INQ Voto: 8023/2014 Origem: GABPRM2-LAMAS - LUIZ


ANTONIO MIRANDA AMORIM SILVA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Inquérito Policial. Suposto crime de lavagem de dinheiro (art. 1º, Lei 9.613/98). Revisão de declínio (Enunciado n° 32,
2ªCCR). Suposto crime antecedente de competência estadual. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a
atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério
Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

066. Processo: 1.14.004.000041/2011-86 Voto: 8075/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE FEIRA
DE SANTANA-B
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Supostos crime de falsidade ideológica (art. 299, CP), mediante inserção de
interposta pessoa (laranja) no quadro societário de empresa. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). A realização
de registro de empresas mercantis pela Junta Comercial sob a supervisão do Departamento Nacional do Registro do
Comércio (DNRC) não justifica, por si só, o reconhecimento da Justiça Federal para processar e julgar os crimes contra
aquela entidade. No caso, a União não foi ludibriada nem sofreu prejuízos diretos e específicos. Competência da Justiça
Estadual. Precedente do STJ (CC, 116529/MT, Rel. Min. Humberto Martins, DJe 03/05/2011, CC 81261/BA, Relator Min.
Arnaldo Esteves Lima, DJe 11//02/2009 e CC 109.526/SC, Relator Min. Maria Thereza de Assis Moura, DJe 26/05/2010).
Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução
penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

067. Processo: 1.17.000.003316/2014-12 Voto: 8099/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Noticia de fato instaurada para apurar maus tratos a animal doméstico (link do site OLX, anunciando a venda de uma cadela
para a prática da zoofilia). Suposto crime do art. 32 da Lei nº 9.605/98. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR).
Segundo o STJ, embora tratando-se de crime contra o meio ambiente, definido no art. 32 da Lei nº 9.605/98, compete à
Justiça Comum estadual processar e julgar a crueldade praticada contra animal doméstico de propriedade particular. No
caso, trata-se de infração penal que não atingiu bem ou interesse da União, mas, sim, de crime contra um cavalo, morto a
golpes de machado por um amigo e co-réu do acusado. Precedentes citados: CC 24.975-RS, DJ 24/5/1999; CC 20.928-SP,
DJ 17/2/1999, e CC 20.920-MG, DJ 17/8/1998. CC 27.198-SC, Rel. Min. Felix Fischer, julgado em 24/5/2000. Aplicação
analógica do Enunciado nº 44 da 2ª CCR: A persecução penal do crime previsto no artigo 29 da Lei nº 9.605/98 é da
atribuição do Ministério Público Federal apenas quando o espécime da fauna silvestre estiver ameaçada de extinção ou
quando oriundo de área pertencente ou protegida pela União. Inexistência de prejuízo a bens, serviços e interesses da União
(art. 109, IV, CF/1988). Ausência de atribuição do Ministério Público Federal para dar prosseguimento à persecução penal.
Homologação do declínio de atribuição ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

068. Processo: 1.20.000.000819/2014-32 Voto: 8014/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - MATO
GROSSO/DIAMANTINO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 21

Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA


Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposto crime ambiental (art. 68, Lei n° 9.605/98). Revisão de declínio (Enunciado
nº 32, 2ªCCR). Notícia de que empresa produtora de biodiesel deixou de enviar dados relativos às suas movimentações à
ANP. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a
persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

069. Processo: 1.23.000.002104/2014-11 Voto: 8203/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Inserção de informações falsas nos sistemas de controle de produtos florestais do Estado do Pará -
SISFLORA e no Cadastro Técnico Federal CTF/IBAMA. Revisão de declínio (Enunciado nº 32, 2ªCCR). O mecanismo de
controle burlado e falseado (o SISFLORA - mecanismo de controle e comercialização de produtos e subprodutos
madeireiros) é gerido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará. Quanto a esse fato, ausência de elementos de
informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do
declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual. Manutenção das investigações quanto à inserção de dados falsos no
Cadastro Técnico Federal CTF/IBAMA.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuições ao
Ministério Público Estadual, mantendo-se as investigações quanto à inserção de dados falsos no Cadastro Técnico Federal
CTF/IBAMA, nos termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr.
Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho.

070. Processo: 1.23.000.002174/2014-61 Voto: 8183/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Comunicação de suposta conduta tipificada no art. 29, §1º, III, da Lei nº 9.605/98. Posse de um espécime
de pássaro silvestre (sabiá minus saturninus) sem comprovação de autorização do órgão competente. Revisão de
arquivamento (LC 75/93, art. 62, IV). Enunciado nº 44 da 2ª CCR: A persecução penal do crime previsto no artigo 29 da
Lei nº 9.605/98 é da atribuição do Ministério Público Federal apenas quando o espécime da fauna silvestre estiver ameaçado
de extinção ou quando oriundo de área pertencente ou protegida pela União. Ausência de elementos de informação capazes
de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Recebimento do arquivamento como
declínio de atribuições. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

071. Processo: 1.24.000.000573/2014-50 Voto: 8147/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARAIBA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime ambiental (art. 56 da Lei n° 9.605/98). Revisão de declínio (Enunciado nº 32, 2ªCCR).
Transporte de substância perigosa em contrariedade às exigências legais. Ausência de elementos de informação capazes de
justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao
Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

072. Processo: 1.29.002.000343/2014-94 Voto: 7977/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CAXIAS
DO SUL-RS
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Representação sobre suposto crime de extorsão (art. 158, CP) em detrimento de particular. Revisão de
declínio (Enunciado n° 32, 2ªCCR). Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério
Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

073. Processo: 1.29.003.000454/2014-91 Voto: 7049/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE NOVO
HAMBURGO-RS
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de estelionato contra particulares. Revisão de declínio (Enunciado nº 32, 2ª CCR).
Expediente oriundo da Procuradoria Regional do Trabalho da 4ª Região relata suposta apropriação indevida de cartões de
segurados para saque dos cinco primeiros benefícios previdenciários. As irregularidades trabalhistas apontadas estão sendo

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 22

apuradas pelo Ministério Público do Trabalho, não havendo, ainda, elementos mínimos que indiquem a prática de crime
contra a organização do trabalho. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Parquet Federal
para persecução penal. Homologação de declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

074. Processo: 1.33.000.002724/2014-03 Voto: 8102/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SANTA CATARINA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Procedimento instaurado a partir de representação feita por pessoa que afirma estar sendo perseguida pela
Polícia Federal e por uma Juíza de Direito. Revisão de declínio (Enunciado nº 32, 2ªCCR). Representante que imputa ilícitos
à Polícia Federal e a uma Juíza de Direito sem qualquer fundamento, demonstrando sintomas de transtornos mentais.
Necessidade de providências específicas para a tutela de direito individual indisponível do representante que deve ser
apurada pelas Procuradorias de Justiça da Comarca de Florianópolis com atuação nos processos de interdição. Inexistência
de prejuízo a bens, serviços e interesses da União (art. 109, IV, CF/1988). Ausência de atribuição do Ministério Público
Federal para dar prosseguimento à persecução penal. Homologação do declínio de atribuição ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

075. Processo: 1.34.011.000931/2014-59 Voto: 8310/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SBCAMPO/S.AND/MAUA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposta tentativa do crime de homicídio (CP, art. 121 c/c art. 14, II). Conduta praticada por policiais
militares contra particular em estabelecimento comercial no município de Mauá/SP. Revisão de declínio (Enunciado n° 32,
2ªCCR). Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a
persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi
Villa-Verde de Carvalho.

Outras deliberações(Declínio)
076. Processo: 1.20.000.001422/2013-87 Voto: 6348/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA
DO GARÇAS-MT
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime ambiental (art. 34, Lei 9.605/98). Revisão de declínio (Enunciado nº 33, 2ªCCR). Fatos
ocorridos em 2005. Pena máxima prevista de 3 anos de detenção. Prazo prescricional de 8 anos (art. 109, IV, CP). Decurso
desse prazo. Prescrição da pretensão punitiva estatal. Recebimento do declínio de atribuições como arquivamento.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pelo recebimento do declínio de atribuições como
arquivamento. Homologação nos termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de
Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho.

077. Processo: 1.23.002.000024/2011-50 Voto: 8139/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SANTAREM-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposto crime de caça clandestina (art. 29 da Lei nº 9.605/98). Revisão de declínio
(Enunciado nº 32, 2ªCCR). Não identificação pelo IBAMA, INCRA e FUNAI da área na qual supostamente estaria
ocorrendo caça ilegal de animais silvestres. Não constatação de materialidade e autoria do suposto crime. Ausência de justa
causa para o prosseguimento do feito. Recebimento do declínio de atribuições como arquivamento. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pelo recebimento do declínio de atribuições como
arquivamento. Homologação nos termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de
Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde de Carvalho.

Homologação de Arquivamento
078. Processo: DPF/DF-IPL-1631/2013 Voto: 8034/2014 Origem: GABPRM1-OSA - ONESIO
SOARES AMARAL
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Inquérito Policial. Suposto crime de moeda falsa (art. 289, §1º, CP). Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93). O
único indício de que o investigado teria participado do crime praticado por réu de ação penal é uma conversa em que teria
demonstrado a intenção de adquirir cédulas falsas. Caracterizado mero ato preparatório, o qual não é punível pelo Direito

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 23

Penal pátrio. Ausência de elementos mínimos necessários à deflagração da persecução penal e de justa causa para o
prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

079. Processo: 1.00.000.017876/2013-62 Voto: 8022/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA
DO GARÇAS-MT
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Ofício do Ministério do Trabalho e Emprego encaminhando Relatório de Fiscalização em uma fazenda,
apontando para a existência de suposto crime de redução à condição análoga à de escravo na referida propriedade. Revisão
de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62-IV). Irregularidades trabalhistas. Autos de infração lavrados pelos fiscais do
Ministério do Trabalho. Não configuração do crime de redução à condição análoga à de escravo (art. 149, CP). Ausentes
elementos do crime, quais sejam, submissão a trabalhos forçados ou jornada exaustiva; sujeição a condições degradantes
de trabalho; restrição da locomoção dos trabalhadores em razão de dívida; ou frustração de direitos mediante fraude ou
violência. Fatos atípicos. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

080. Processo: 1.04.100.000053/2013-21 Voto: 8105/2014 Origem: PRR/4ª REGIÃO - PORTO ALEGRE
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Autos que investigam deputado estadual pela prática do crime do art. 350 do Código Eleitoral (falsidade ideológica na
prestação de contas referente às eleições dos anos de 2002 e 2004, por meio de omissão de arrecadação e gastos). Revisão
de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Ausência de prova da efetiva arrecadação e gasto em atos de campanha eleitoral
(elemento material do tipo), bem como a prova do dolo específico do parlamentar (elemento subjetivo do tipo). A
Procuradoria Geral da República, pelos mesmos fatos objeto do presente procedimento, determinou o arquivamento do feito
(fl. 15-23), por ausência de provas, em relação a outros dois investigados (deputados federais). Desnecessidade de novas
diligências. Ampla investigação promovida pelo Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul como se observa dos
autos e seus anexos (8 volumes ao todo). Espaço de tempo entre os fatos e o momento atual (aproximadamente 12 anos em
relação ao pleito eleitoral do ano de 2002 e 10 anos em relação ao pleito eleitoral de 2004) que levam à conclusão de que
não é razoável a manutenção da investigação, ressalvados o teor do art. 18 do CPP. Falta de justa causa para prosseguimento
da persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

081. Processo: 1.11.000.001277/2014-24 Voto: 8073/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - ALAGOAS/UNIÃO DOS
PALMARES
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime contra a ordem tributária (Lei 8.137/90). Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC 75/93).
Óbito do investigado. Extinção da punibilidade (art. 107, I, CP). Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

082. Processo: 1.11.001.000159/2014-99 Voto: 8306/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
ARAPIRACA/S IPANEM
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de sonegação de contribuição previdenciária (CP, art. 337-A), praticado, em tese, por gestor
municipal. Revisão de arquivamento (LC 75/93, art. 62, IV). Adesão ao programa de parcelamento de crédito tributário (Lei
nº 12.810/13). Equiparação ao pagamento para fins de extinção de punibilidade. Na hipótese de parcelamento ofertado aos
Municípios com base na Lei nº 12.810/13, que é o caso do autos, a adesão a referido Programa equipara-se ao pagamento
para fins de extinção da punibilidade, já que as prestações não poderão ser inadimplidas. A ausência de pagamento na data
do respectivo vencimento autoriza a retenção e o repasse à Receita Federal de recursos do Fundo de Participação do
Município, para sua quitação. Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito. Ressalvada a possibilidade de
desarquivamento dos autos em caso de rescisão do parcelamento. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 24

083. Processo: 1.14.000.002268/2014-49 Voto: 8001/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - BAHIA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Cópia de representação ajuizada por candidato a governador e sua coligação partidária em face da empresa
Google Brasil Internet Ltda. Suposta veiculação de vídeo no sítio eletrônico da representada (Youtube) de autoria anônima
e revestido de conteúdo difamatório (arts. 323, 325, 326 e 327, III, do Código Eleitoral Lei nº 4.737/65). Revisão de
arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93). Existência de inquérito policial, versando sobre os mesmos fatos. Aplicação do
princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

084. Processo: 1.14.004.000084/2014-12 Voto: 8021/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE FEIRA
DE SANTANA-B
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Alegação da representante que requereu revisão do seu benefício de pensão por
morte, mas nunca teria recebido tais valores.Suposto crime de estelionato previdenciário (art. 171, §3º, CP). Revisão de
arquivamento (art. 62, IV, LC 75/93). Cópia de manifestação da Seção de Cálculos Judiciais da 3ª Vara Federal da Seção
Judiciária da Bahia, informando que a revisão em comento fora feita administrativamente mas não havia mais valores a
receber pela representante, uma vez que, mesmo após revistas, as parcelas do benefício ficariam abaixo de um salário
mínimo, quantia que já vinha sendo recebida pela titular. Em outras palavras, mesmo com a revisão do benefício, a titular
não teve valores retroativos a receber, o que frustrou sua expectativa. Apesar disso, não há evidências da ocorrência de
qualquer subtração indevida. Ausência de materialidade do crime. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

085. Processo: 1.14.014.000097/2014-64 Voto: 8074/2014 Origem: PRR/1ª REGIÃO - BRASÍLIA


Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Representação sobre suposto crime de sonegação de contribuição previdenciária (art. 337-A, CP). Revisão
de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Inexistência de constituição definitiva do crédito e, consequentemente, de
condição objetiva de procedibilidade. Súmula Vinculante n° 24, do STF. Ausência de justa causa para o prosseguimento da
persecução penal. Homologação de arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

086. Processo: 1.15.003.000632/2014-79 Voto: 8016/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
ITAPIPOCA-CE
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de estelionato previdenciário (CP, art. 171, §3º). Recebimento indevido de 03 (três) parcelas
de benefício previdenciário após o óbito da titular, ocorrido em 19/05/2004. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62,
IV). Autoria que sequer restou identificada pelo INSS nos autos do processo administrativo. Ainda que identificada,
evidente a ausência de dolo específico de obter vantagem ilícita em prejuízo do INSS. Valores sacados indevidamente que
são utilizados, em regra, para custear despesas com hospitalização e funeral do titular do benefício. Cumprimento da
Orientação nº 04 da 2ª CCR/MPF. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

087. Processo: 1.20.005.000138/2014-24 Voto: 8000/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
RONDONOPOLIS-MT
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Representação Fiscal. Suposto crime de descaminho (art. 334, CP). Revisão de arquivamento (art. 62, IV,
LC n° 75/93). Existência de ação penal, em curso na Vara Única Federal da Subseção Judiciária de Rondonópolis/MT,
versando sobre os mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa para o prosseguimento
do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

088. Processo: 1.21.005.000303/2014-19 Voto: 8050/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE P.
PORA/BELA VISTA

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 25

Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA


Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de contrabando. Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93). Existência de ação
penal versando sobre os mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa para o
prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

089. Processo: 1.22.023.000240/2014-37 Voto: 8017/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE TEÓFILO
OTONI-MG
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de usurpação de recursos minerais (art. 2º da Lei nº 8.176/91). Revisão de arquivamento
(art. 62, IV, LC n° 75/93). Existência de ação penal, versando sobre os mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in
idem. Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

090. Processo: 1.23.000.001622/2014-17 Voto: 8166/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Exercer a pesca sem prévio registro no órgão ambiental competente (art. 37, Decreto n° 6.514/08). Revisão
de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Mera infração de natureza administrativa. Sanção pecuniária aplicada. Não
constatada a pesca em local ou período proibidos ou mediante o uso de petrechos, métodos ou técnicas vedadas. Não
configuração de crime. Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

091. Processo: 1.23.000.001786/2014-36 Voto: 8206/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Deixar de realizar o recadastramento junto ao Cadastro Técnico Federal CTF/IBAMA previsto no art. 17
da Lei nº 6.938/81 (Auto de infração nº 9046933-E). Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Descrição dos
fatos que constitui mero ilícito administrativo (art. 76 do Decreto nº 6.514/2008). Não configuração de crime. Ausência de
justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

092. Processo: 1.23.003.000503/2008-61 Voto: 8167/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ALTAMIRA-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a partir de denúncias de irregularidades no PDS Esperança, localizado no município de
Anapu/PA. Relato de que teria ocorrido fraude na obtenção de lote por servidora pública. Revisão de arquivamento (LC nº
75/93, art. 62, IV). Informação do INCRA de que a servidora, quando do momento em que foi cadastrada como beneficiária,
em 2005, preenchia os requisitos necessários. A questão agrária do PDS Anapu é acompanhada em procedimentos
específicos e os relatos de crimes ambientais foram encaminhados à Polícia Federal, dando ensejo a investigação policial
(IPL 059/2010-DPF/ATM) e operação pelo IBAMA. Ausência de elementos mínimos aptos a justificar o prosseguimento
deste feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

093. Processo: 1.26.001.000205/2014-27 Voto: 8307/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
PETROLINA/JUAZEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Supostos crimes de apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A) e sonegação de contribuição
previdenciária (CP, art. 337-A), praticado, em tese, por ex-gestor municipal. Revisão de arquivamento (LC 75/93, art. 62,
IV). Adesão ao programa de parcelamento de crédito tributário (Lei nº 12.810/13). Equiparação ao pagamento para fins de
extinção de punibilidade. Na hipótese de parcelamento ofertado aos Municípios com base na Lei nº 12.810/13, que é o caso
do autos, a adesão a referido Programa equipara-se ao pagamento para fins de extinção da punibilidade, já que as prestações

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 26

não poderão ser inadimplidas. A ausência de pagamento na data do respectivo vencimento autoriza a retenção e o repasse à
Receita Federal de recursos do Fundo de Participação do Município, para sua quitação. Ausência de justa causa para o
prosseguimento do feito. Ressalvada a possibilidade de desarquivamento dos autos em caso de rescisão do parcelamento.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

094. Processo: 1.26.002.000024/2014-91 Voto: 8035/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CARUARU-PE
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Procedimento de Investigação Criminal. Suposta recusa, retardamento ou omissão, por parte de gerentes do Banco do Brasil,
de dados técnicos indispensáveis à propositura de ação civil pública, quando requisitados pelo Ministério Público (art. 10
da Lei nº 7.347/85). Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC 75/93). Encaminhamento da impossibilidade de fornecimento
da informação requisitada com base na proteção do sigilo bancário, nos termos fundamentados pela assessoria jurídica do
Banco do Brasil. Independentemente do acerto ou equívoco da posição apontada pelo jurídico, verifica-se que a resposta ao
requisitado pelo Ministério Público Federal não derivou de uma desobediência dos gerentes de setor de ofício, mas de
posição assumida institucionalmente pelo Banco do Brasil. Manifesta ausência de dolo. Problema institucional entre o MPF
e o Banco do Brasil parcialmente resolvido com o recente compromisso (15/07/2014) do Banco de prestar informações de
contas públicas no Estado de Pernambuco. Nesse sentido, considerando a posição do Tribunal Regional Federal da 5ª
Região, os representantes do Banco do Brasil, informaram que, doravante, passarão a seguir o entendimento de tal corte e
fornecer as informações de contas públicas ao Ministério Público Federal. Ausência de justa causa para o prosseguimento
deste feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

095. Processo: 1.26.003.000131/2013-28 Voto: 8140/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SERRA
TALHADA-PE
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Omissão na entrega da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações
à Previdência Social GFIP. Supostos crimes de apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A) e sonegação de
contribuição previdenciária (CP, art. 337-A). Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). A simples omissão na
entrega da referida guia não caracteriza o crime previsto no art. 168-A do CP. Quanto ao crime de sonegação de contribuição
previdenciária, verifica-se a inexistência de constituição definitiva do crédito e, consequentemente, de condição objetiva de
procedibilidade. Súmula Vinculante n° 24, do STF. Ausência de justa causa para o prosseguimento da persecução penal.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

096. Processo: 1.28.200.000152/2014-23 Voto: 8213/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CAICÓ-
RN
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Deixar de realizar inscrição junto ao Cadastro Técnico Federal CTF/IBAMA previsto no art. 17 da Lei nº
6.938/81 (Auto de infração nº 9046291-E). Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Descrição dos fatos que
constitui mero ilícito administrativo (art. 76 do Decreto nº 6.514/2008). Não configuração de crime. Ausência de justa causa
para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

097. Processo: 1.30.001.001995/2014-35 Voto: 7441/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposto crime de desobediência (art. 330, CP). Revisão de arquivamento (LC 75/93,
art. 62, IV). Ausência de intimação pessoal, direta e inequívoca dirigida ao responsável pelo cumprimento da requisição.
Posterior cumprimento da ordem. Não configuração do crime. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 27

098. Processo: 1.30.002.000135/2014-74 Voto: 8018/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAMPOS-RJ
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Representação sobre suposto crime contra a ordem tributária. Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n°
75/93). Ausência de indícios de qualquer tipo de fraude, mas sim de má administração empresarial, que culminou nos
débitos fiscais objetos das ações de execução fiscal já ajuizadas. Ainda que houvesse a prática de crime, verifica-se que
estariam prescritos, uma vez que os fatos ocorreram entre 1996 e 1999. Ausência de justa causa para o prosseguimento do
feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

099. Processo: 1.30.017.000144/2014-04 Voto: 8040/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO
SJMERITI/N.IGUA/D.CAX
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Inquérito Policial. Suposto crime de desobediência (art. 330, CP). Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC 75/93). Notícia
de que perito teria deixado de cumprir decisão judicial. O perito realizou o exame pericial em apenas uma das autoras da
ação judicial em razão de sua genitora não ter levado a outra filha para o ato pericial. Posteriormente, em cumprimento à
decisão judicial, devolveu os valores recebidos pela perícia. Ausência de dolo em desobedecer à decisão judicial. Ausência
de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

100. Processo: 1.30.017.000318/2014-21 Voto: 8138/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO
SJMERITI/N.IGUA/D.CAX
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de fato. Suposto crime de estelionato previdenciário (art. 171, §3º, CP). Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC
75/93). Cinco saques de valores de benefício previdenciário após o óbito da segurada, em 04/07/2008. Ausência de dolo.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

101. Processo: 1.31.000.001527/2014-33 Voto: 8046/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RONDONIA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime ambiental. Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93). Existência de inquérito
policial versando sobre os mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa para o
prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

102. Processo: 1.34.001.006222/2014-04 Voto: 8002/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUARULHOS/MOGI
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Supostos crimes de descaminhou e/ou contrabando (art. 334, CP). Revisão de arquivamento (art. 62, IV,
LC n° 75/93). Notícia anônima não confirmada por investigação preliminar da Policia Federal. Ausência de elementos
mínimos necessários à deflagração da persecução penal e de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

103. Processo: 1.34.010.000907/2014-20 Voto: 8308/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
RIBEIRAO PRETO-SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Possível crime de contrabando (CP, art. 334-A). Apreensão de 03 (três) maços de
cigarros de origem estrangeira. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Os fatos já foram apurados nos autos
do processo nº 0005046-84.2014.4.03.6102. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa para o
prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 28

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

104. Processo: 1.34.012.000187/2014-82 Voto: 8091/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SANTOS-SP
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Ininteligibilidade da representação. Informações desconexas e não identificação de qualquer objeto de
investigação. Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93). Denunciante que narra várias questões de forma que seu
relato não permite qualquer conclusão coerente. Ausência de elementos mínimos necessários à deflagração da persecução
penal e de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

105. Processo: 1.35.000.001894/2014-98 Voto: 8215/2014 Origem: PROCURADORIA DA REPUBLICA


- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de exercício de atividade clandestina de telecomunicações (art. 183 da Lei nº 9.472/97).
Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93). Requisição de instauração de inquérito policial para apuração dos fatos.
Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

106. Processo: 1.36.001.000147/2014-95 Voto: 8169/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ARAGUAINA-TO
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato instaurada a partir de Informação Fiscal encaminhada pela Delegacia da Receita Federal em Palmas, a qual
propõe a reconsideração da requisição do MPF para abertura de procedimento fiscal em nome do particular investigado nos
autos do Procedimento Investigatório Criminal nº 1.36.001.000212/2013-00, considerando tratar-se de contribuinte de baixa
representatividade fiscal. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Não há interesse da Receita Federal em
instaurar procedimento fiscal. Ausência de elementos mínimos aptos a justificar o prosseguimento deste feito. Homologação
do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

107. Processo: 1.36.001.000273/2014-40 Voto: 7958/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ARAGUAINA-TO
Relator(a): Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de roubo a agência dos Correios. Revisão de arquivamento (art. 62, IV, LC n° 75/93).
Existência de ação penal versando sobre os mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência de justa causa
para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde
de Carvalho.

Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO


ORIGEM JUDICIAL
NÃO PADRÃO
108. Processo: JF-STM-0002397-10.2014.4.01.3902-INQ Voto: 7978/2014 Origem: SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE
SANTARÉM
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Inquérito Policial. Possíveis crimes de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido (Lei n° 10.826/03, art. 14) e de penetrar
em Unidade de Conservação conduzindo instrumento próprio para caça (Lei n° 9.605/98, art. 52). Revisão de declínio
(Enunciado nº 33). Segundo precedentes do STJ, o Estatuto do Desarmamento não modificou a competência para o processo
e julgamento dos crimes dessa natureza, que continua sendo da Justiça Estadual (CC 45483/RJ e 68529/MT), salvo quanto
ao tipo do art. 18 (tráfico internacional de arma de fogo). Ademais, o local em que as armas foram encontradas não está
situado no interior de Unidade de Conservação Federal. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a
atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério
Público Estadual.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 29

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

109. Processo: JF/MG-NOTCRI-0037793-63.2014.4.01.3800 Voto: 8036/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DE MINAS
GERAIS
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. POSSÍVEL CRIME DE FALSO TESTEMUNHO (CP, ART. 342). PROMOÇÃO DE
ARQUIVAMENTO. DISCORDÂNCIA DA JUÍZA FEDERAL. REVISÃO DO ARQUIVAMENTO (CPP, ART. 28, C/C
LC Nº 75/93, ART. 62, IV). POTENCIALIDADE LESIVA DOS DEPOIMENTOS PRESTADOS. CONTRARIEDADE
JURIDICAMENTE RELEVANTE PARA SOLUCIONAR A LIDE. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF
PARA PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de Notícia de Fato instaurada a partir de documentação
encaminhada pela Justiça do Trabalho, comunicando possível prática do crime de falso testemunho (CP, art. 342). 2. A
Procuradora da República oficiante promoveu o arquivamento do feito, por ausência de justa causa, entendendo que o crime
do art. 342 do CP tem como pressuposto um dano em potencial, o que não teria ocorrido na espécie, haja vista que a demanda
foi decidida independentemente das declarações prestadas. Ressaltou que os testemunhos não tiveram relevância para o
deslinde da causa, afigurando-se, portanto, em irrelevantes jurídicos, diante da insignificante potencialidade lesiva à
Administração da Justiça. 3. A Juíza Federal, por sua vez, discordou do arquivamento, por entender que há sim relevância
jurídica para o prosseguimento do feito, sendo que a sentença proferida pela Justiça Trabalhista é contundente ao atestar o
dano gerado pela contradição observada nos depoimentos prestados pelos investigados. 4. Para a configuração do crime de
falso testemunho, não se exige a efetiva influência na decisão judicial. Basta a existência de potencialidade lesiva das
declarações prestadas pela testemunha. Precedentes do STF e STJ. 5. A conduta se revestirá de potencialidade lesiva sempre
que versar sobre fato juridicamente relevante e estiver apta a influir no deslinde do processo, o que se verificou no caso
destes autos, em que foi constatado que as testemunhas foram totalmente contraditórias quanto aos locais e horários de
trabalho, o que impediu a verificação da verdade e deu ensejo a julgamento dos pedidos relacionados a jornada com base
nas regras processuais de distribuição do ônus da prova. 6. Designação de outro membro do Ministério Público Federal para
prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

110. Processo: JF/PR/CAS-5007898-73.2014.4.04.7005- Voto: 8126/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SUBSEÇÃO


PRIMPPI JUDICIÁRIA DE CASCAVEL
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. POSSÍVEL CRIME DE DESCAMINHO (CP, ART. 334). TRIBUTOS NÃO RECOLHIDOS
CALCULADOS EM VALOR INFERIOR AO PATAMAR PREVISTO NO ARTIGO 20, CAPUT, DA LEI Nº
10.522/2002. MPF: ARQUIVAMENTO COM ESTEIO NO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. DISCORDÂNCIA DO
MAGISTRADO. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO (CPP, ART. 28 C/C LC 75/93, ART. 62, IV). NOTÍCIA DE
REITERAÇÃO DA CONDUTA. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO PARA PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO
PENAL. 1. Notícia de Fato instaurada para a apuração da prática do crime de descaminho (CP, art. 334), devido a apreensão
de produtos de origem estrangeira desacompanhados de documentação comprobatória de sua regular importação, sendo os
tributos não recolhidos estimados em R$ 1.775,27. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento com
base no princípio da insignificância, por interpretação ao § 4º do art. 20 da Lei n° 10.522/202, com a redação dada pela Lei
nº 11.033/04. 3. Discordância do Juiz Federal, por considerar inaplicável o princípio da insignificância quando houver
habitualidade na prática da conduta delituosa. 4. Não se afigura possível, no caso, a incidência do princípio da
insignificância, devido à notícia de reiteração da conduta por parte do investigado. 5. Precedentes do STF, STJ e 2ª CCR.
6. Designação de outro Membro do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

111. Processo: JF-RJ-2010.51.01.809037-3-INQ Voto: 8060/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DO RIO DE
JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. POSSÍVEL CRIME DE LAVAGEM DE DINHEIRO (LEI N° 9.613/98, ART. 1°, V).
OCULTAÇÃO DA ORIGEM DE VALORES PROVENIENTES DE ATIVIDADE CRIMINOSA ANTECEDENTE.
PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO. DISCORDÂNCIA DO JUIZ FEDERAL. REVISÃO (CPP, ART. 28, C/C LC
75/93, ART. 62, IV). ARQUIVAMENTO PREMATURO. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA
PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de Inquérito Policial instaurado para apurar possível crime de
lavagem de dinheiro (Lei n° 9.613/98, art. 1°, V), em razão da notícia de que Agente de Polícia Federal teria ocultado a
origem de valores provenientes de atividade criminosa antecedente, consistente na participação em esquemas voltados à
prática de contrabando e descaminho, introduzindo tais valores, de forma dissimulada, no patrimônio de pessoas físicas e
jurídicas a ele vinculadas. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito, em razão da extinção
da punibilidade (CP, art. 107, I), tendo em vista que, no curso das investigações, constatou-se a morte do investigado. 3. O

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 30

Juiz Federal, por sua vez, discordou do arquivamento do Inquérito Policial, por reputar prematuro o encerramento das
investigações, uma vez que, não obstante a extinção da punibilidade decorrente do óbito do investigado primário, constatou
a necessidade do prosseguimento da apuração com relação às pessoas físicas e jurídicas a ele vinculadas. 4. No atual estágio
da persecução criminal, apenas seria admitido o arquivamento, se ausentes elementos mínimos da autoria e/ou da
materialidade delitivas, após esgotadas as diligências investigatórias, ou se existente demonstração inequívoca, segura e
convincente de causa excludente da ilicitude ou extintiva da punibilidade. Não é, contudo, o caso dos autos em relação às
pessoas que provavelmente concorreram para os mesmos crimes ou para delitos análogos àqueles que foram imputados ao
falecido investigado. 5. Necessidade de se estender as investigações às pessoas próximas ao investigado, conforme
ressaltado no próprio ofício de requisição de instauração do presente Inquérito Policial, uma vez que foram citadas pessoas
jurídicas cuja administração cabia a parentes e a pessoas ligadas ao falecido Agente da Polícia Federal, as quais participavam
do escoamento das mercadorias importadas pelas sociedades que ele administrava. 6. Por força dos princípios da
obrigatoriedade da Ação Penal Pública e do in dubio pro societate, somente após o exaurimento das diligências capazes de
esclarecer o ocorrido é que o Ministério Público Federal poderá concluir se existem elementos suficientes para deflagrar a
ação penal ou se deve promover o arquivamento do processo. 7. Designação de outro Membro do Ministério Público Federal
para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

112. Processo: JF-SAN-INQ-0008763-11.2008.4.03.6104 Voto: 8144/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 4ª


SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - SANTOS/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. POSSÍVEIS CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA (LEI N° 8.137/90, ART. 1°, I E III,
E ART. 2°, I). PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO. DISCORDÂNCIA DO JUIZ FEDERAL. REVISÃO (CPP, ART.
28, C/C LC 75/93, ART. 62, IV). PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA QUANTO AOS DELITOS DE NATUREZA
MATERIAL. ARQUIVAMENTO INADEQUADO. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA
PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL, EM RELAÇÃO AOS CRIMES MATERIAIS PREVISTOS NO ART. 1° DA
LEI Nº 8.137/90. 1. Trata-se de Inquérito Policial instaurado para apurar possíveis crimes contra a ordem tributária (Lei n°
8.137/90, art. 1°, I e III, e art. 2°, I), praticados, em tese, por representantes legais de pessoa jurídica. 2. O Procurador da
República oficiante promoveu o arquivamento do feito, por entender que a pretensão punitiva estatal teria sido fulminada
pela prescrição, considerando que a prática delitiva teria se consumado em 2001 (data da redução de tributos, mediante a
prestação de declaração falsa às autoridades fazendárias e/ou da omissão). 3. O Juiz Federal, por sua vez, discordou do
arquivamento, por entender que os créditos tributários existentes em face da pessoa jurídica investigada foram
definitivamente constituídos em 14/01/2008, não se verificando o lapso prescricional estabelecido para a espécie, uma vez
que o crime contra a ordem tributária somente se consuma com a constituição definitiva do crédito. 4. A conduta prevista
no art. 2º, I, da Lei n° 8.137/90, descreve um crime formal, diferenciando-se dos ilícitos previstos no art. 1º, I a IV, também
da Lei n° 8137/90, classificados como crimes materiais (Súmula Vinculante n° 24 do STF). 5. O termo inicial do prazo
prescricional nos crimes materiais contra a ordem tributária é a data da constituição definitiva do crédito tributário.
Precedentes do STF. 6. No presente caso, a consumação do delito do art. 1° da Lei n° 8.137/90 se deu no ano de 2008, com
a constituição definitiva do crédito tributário, sendo que a prescrição somente ocorrerá em 2020, considerando a pena
máxima em abstrato. 7. Designação de outro Membro do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal,
em relação aos crimes materiais previstos no art. 1° da Lei nº 8.137/90.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

113. Processo: JF/SP-0012231-33.2014.4.03.6181-INQ Voto: 8066/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DE SÃO
PAULO/SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. POSSÍVEL CRIME CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA (LEI N° 8.137/90, ART. 1°, I).
PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO. DISCORDÂNCIA DA JUÍZA FEDERAL. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO
(CPP, ART. 28, C/C LC 75/93, ART. 62, IV). PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. ARQUIVAMENTO INADEQUADO.
DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de
Inquérito Policial instaurado para apurar possível crime contra a ordem tributária (Lei n° 8.137/90, art. 1°, I), praticado, em
tese, por representante legal de pessoa jurídica. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito,
por entender que a pretensão punitiva estatal teria sido fulminada pela prescrição, considerando que a prática delitiva teria
se consumado em 31/05/2005 (data da apresentação da Declaração Simplificada Pessoa Jurídica Simples, ano-calendário
2004). Entendeu não haver interesse processual ou justa causa para processar o investigado criminalmente, pois eventual
pena-base em concreto que fosse imposta muito dificilmente ultrapassaria 4 (quatro) anos. 3. A Juíza Federal, por sua vez,
discordou do arquivamento, por entender que os créditos tributários existentes em face da pessoa jurídica investigada foram
definitivamente constituídos em 30/10/2009 e, considerando o entendimento estabelecido pela Súmula Vinculante n° 24 do
STF, não se verificou o lapso prescricional estabelecido para a espécie, uma vez que o crime de sonegação fiscal previsto
no art. 1°, I, da Lei n° 8.137/90 somente se consuma com a constituição definitiva do crédito tributário. 4. O termo inicial
do prazo prescricional nos crimes materiais contra a ordem tributária é a data da constituição definitiva do crédito tributário.
Precedentes do STF. 5. Este Colegiado entende pela impossibilidade jurídica da aplicação da prescrição da pretensão
punitiva em perspectiva, virtual ou antecipada (Enunciado n° 28 desta 2ª CCR; Súmula n° 438 do STJ e jurisprudência do

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 31

STF). 6. Fatos ocorridos no ano de 2009, sendo que o delito prescreverá, considerando a pena máxima em abstrato, apenas
em 2021. 7. Designação de outro Membro do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

ORIGEM INTERNA
NÃO PADRÃO
114. Processo: 1.34.001.001890/2014-37 Voto: 8098/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA - SAO PAULO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO CRIMINAL. CONFLITO NEGATIVO DE ATRIBUIÇÕES ENTRE
MEMBROS DO MPF. SUPOSTOS CRIMES DE ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA (CP, ART. 288), FALSIDADE
IDEOLÓGICA (CP, ART. 299), LAVAGEM DE CAPITAIS (LEI 9.613/98, ART. 1º) E CONTRA A ORDEM
TRIBUTÁRIA (LEI 8.137/90, ART. 1º). REVISÃO (LC 75/93, ARTIGO 62, INCISO VII). ATRIBUIÇÃO DO
PROCURADOR DA REPÚBLICA SUSCITADO, COM ATUAÇÃO NA VARA CRIMINAL ESPECIALIZADA. 1.
Procedimento Investigatório Criminal instaurado para apurar possíveis crimes de associação criminosa (CP, art. 288),
falsidade ideológica (CP, art. 299), lavagem de capitais (Lei 9.613/98, art. 1º) e contra a ordem tributária (Lei 8.137/90, art.
1º), em razão da existência de suposto esquema de desvio de recursos públicos e sonegação fiscal envolvendo várias
empresas, supostamente de fachada, e escritórios de contabilidade. 2. O Procurador da República com atuação perante as
Varas Criminais Especializadas da Subseção Judiciária de São Paulo não vislumbrou a prática de crime de lavagem de
capitais e declinou de suas atribuições para um dos Procuradores da República que integram o Núcleo Especializado
INSS/Receita, na Procuradoria da República em São Paulo, que, por sua vez, suscitou conflito negativo de atribuições. 3.
Conhecimento do conflito de atribuições entre os órgãos do Ministério Público Federal, cuja solução incumbe a esta Câmara
de Coordenação de Revisão, nos termos do disposto no artigo 62, inciso VII, da Lei Complementar 75/93. 4. Considerando
que as empresas investigadas, inexistentes de fato, simulavam transações comerciais entre elas, como se praticassem atos
de comércio, visando a produção de notas fiscais para servirem, supostamente, de acobertamento em outras transações, e
que tramitaram pelas contas correntes dessas empresas recursos financeiros que juntos somaram R$ 3.629.320.077,03 nos
anos calendários 2010 e 2011, não se pode concluir, de pronto, pela ausência de crime de lavagem de capitais. 5.
Conhecimento do presente conflito negativo de atribuições, para reconhecer a atribuição do Procurador da República
suscitado, oficiante perante as Varas Criminais Especializadas da Subseção Judiciária de São Paulo/SP.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela atribuição do suscitado, nos termos do voto
do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

115. Processo: 1.20.002.000124/2014-31 Voto: 8032/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SINOP-
MT
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. SUPOSTA PRÁTICA DE CONSTITUIÇÃO DE PIRÂMIDE FINANCEIRA. REVISÃO DE
DECLÍNIO (ENUNCIADO Nº 32 DA 2ª CCR). PROMOÇÃO DE DECLÍNIO FUNDADA NA OCORRÊNCIA DE
CRIMES CONTRA A ECONOMIA POPULAR E DE ESTELIONATO. INDÍCIOS DE POSSÍVEIS CRIMES CONTRA
O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL. LEI Nº 7.492/86, ARTS. 5º, 6º E 7º. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA
FEDERAL. NÃO HOMOLOGAÇÃO DO DECLÍNIO DE ATRIBUIÇÕES. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. 1. Procedimento instaurado a partir de denúncia apócrifa, dando conta de que grupo
empresarial estaria, de forma fraudulenta, angariando valores de inúmeras pessoas, prometendo, em contrapartida, lucros
exorbitantes, prática conhecida como pirâmide financeira. 2. O Membro do MPF oficiante promoveu o declínio de
atribuição por entender que os fatos relatados configuram, em tese, o delito de estelionato (CP, art. 171) ou eventual crime
contra a economia popular (Lei nº 1.521/51, art. 2º, IX), que não atraem a competência da Justiça Federal. 3. Esta Câmara
tem entendido que, nos casos em que há mera permuta de dinheiro pelo recrutamento de outras pessoas (Piramides ou
Ponzi), sem indícios de crimes federais, é atribuição do Ministério Público Estadual a apuração do feito, por se tratar de
crime contra a economia popular (Lei nº 1.521/51, art. 2º, inc. IX), em consonância com a Súmula nº 498 do STF
(Procedimento MPF nº 1.29.000.001676/2013-70, unânime, julgado na 582ª Sessão, realizada em 19/08/2013). 4. Ocorre,
todavia, que existem modelos mais sofisticados de pirâmides financeiras que buscam simular estruturas legítimas a fim de
afastar as suspeitas das potenciais vítimas e das autoridades. 5. Uma vez identificados indícios da prática de pirâmide mais
moderna, independentemente da forma utilizadas por essas empresas para camuflarem seus reais intuitos de captação de
dinheiro, os contratos ou títulos emitidos por elas constituem verdadeiro instrumento de investimento coletivo sendo,
portanto, necessário o registro na CVM, na forma do art. 19, caput e § 3º, da Lei 6.385/76. Tais empresas devem ser
equiparadas às instituições financeiras para fins penais, nos termos do art. 1º da Lei nº 7.492/86. 6. Existência de indícios
mínimos da prática de pirâmide financeira, a configurar crime contra o Sistema Financeiro Nacional, de competência da
Justiça Federal (Lei nº 7.492/86, art. 26). 7. Não homologação do declínio de atribuição ao Ministério Público Estadual e
encaminhamento do feito à Procuradoria da República em São Paulo, para reunião de elementos de informações aptos a
subsidiar atuação de Procurador da República que já oficia em procedimento de natureza criminal em curso contra as
empresas investigadas.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 32

116. Processo: JF-DF-INQ-0038886-97.2014.4.01.3400 Voto: 8083/2014 Origem: GABPRM1-OSA - ONESIO


SOARES AMARAL
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SUPOSTO CRIME DE DESENVOLVIMENTO CLANDESTINO DE ATIVIDADES DE
TELECOMUNICAÇÕES(ART. 183 DA LEI 9.472/97). ARQUIVAMENTO COM BASE NA PRESCRIÇÃO
ANTECIPADA (VIRTUAL). INADMISSIBILIDADE. ENUNCIADO Nº 28 DESTA 2ª CCR. PROSSEGUIMENTO DA
PERSECUÇÃO PENAL. 1. Enunciado nº 28 desta 2ª CCR: Inadmissível o reconhecimento da extinção da punibilidade
pela prescrição, considerando a pena em perspectiva, por ferir os primados constitucionais do devido processo legal, da
ampla defesa e da presunção de inocência. 2. Súmula 438 do STJ. 3. Designação de outro membro do MPF para prosseguir
na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

117. Processo: 1.17.003.000029/2014-12 Voto: 4807/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SAO
MATEUS-ES
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. POSSÍVEL TENTATIVA DE ESTELIONATO PREVIDENCIÁRIO (CP, ART. 171, §3º, C/C O
ART. 14, II). REQUERIMENTO DE BENEFÍCIO INSTRUÍDO COM DECLARAÇÕES FALSAS. REVISÃO DE
ARQUIVAMENTO (LC Nº 75/93, ART. 62, IV). EXISTÊNCIA DE MATERIALIDADE E DE INDÍCIOS DE AUTORIA
DELITIVA. NÃO HOMOLOGAÇÃO DO ARQUIVAMENTO E DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF
PARA PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Trata-se de Notícia de Fato instaurada para apurar a possível prática
de tentativa de estelionato previdenciário (CP, art. 171, § 3º, c/c o art. 14, II), em razão da comunicação de que a investigada
solicitou novo benefício assistencial junto à APS Montana/ES, mediante a declaração de que morava sozinha e possuía
renda mensal no valor de R$ 150,00 (cento e cinquenta) reais, esclarecendo que tal valor seria decorrente de ajuda financeira
prestada por parentes. 2. O Procurador da República oficiante promoveu o arquivamento do feito, considerando que, como
o INSS descobriu o falso em operação normal de verificação, não há de se cogitar em tentativa de estelionato, eis que a
autarquia previdenciária em momento algum foi mantida ou induzida em erro pela ação do potencial agente. 3. No caso, em
resposta ao ofício encaminhado pela APS à Prefeitura Municipal solicitando informações se a investigada estava inscrita na
relação de contribuintes/imóveis da municipalidade como proprietária de imóvel, bem como se estava incluída na folha de
pagamentos, foi informado que a requerente recebe mensalmente da Prefeitura de Montanha a quantia de R$ 800,00
(oitocentos reais), referente ao aluguel do terreno de sua propriedade localizado no centro da cidade. 4. Dessa forma, a
investigada prestou declarações falsas à referida Autarquia Federal, com o intuito de obter vantagem ilícita. Estando a
conduta, em tese, consubstanciada na prática do crime previsto no art. 171, §3º, c/c o art. 14, II, do Código Penal, afigura-
se prematuro o arquivamento do procedimento no atual estágio das investigações, porquanto, inexistente demonstração
inequívoca, segura e convincente da ausência de justa causa, impõe-se o prosseguimento da persecução penal. 5. Não
homologação do arquivamento e designação de outro membro para prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

118. Processo: 1.23.000.000890/2011-61 Voto: 8058/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO CRIMINAL. CRIME AMBIENTAL (LEI Nº 9.605/98, ART. 34, III). REVISÃO
DE ARQUIVAMENTO (LC Nº 75/93, ART. 62, IV). PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. INAPLICABILIDADE AO
CASO. PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Procedimento Investigatório criminal instaurado para apurar
o crime ambiental tipificado no art. 34, inc. III, da Lei nº. 9.605/98. Apreensão de 12 (doze) caranguejos-uçá em poder do
investigado. 2. Promoção de arquivamento consubstanciada no princípio da insignificância. 3. Não se pode ter por
insignificante o dano ambiental, haja vista que a lei visa a concretizar o direito da coletividade ao meio ambiente equilibrado,
considerando-o como um todo. Precedente do STF. 4. "A complacência no trato de questões ambientais constitui incentivo
aos infratores das normas que cuidam da proteção do meio ambiente a persistirem em suas condutas delituosas, gerando,
como consequência, a impunidade e desestimulando os Agentes de Fiscalização a cumprirem com suas obrigações." (TRF
1ª Região, RCCR 2001.43.00.001447-0/TO). 5. Designação de outro membro do Ministério Público Federal para prosseguir
na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

PADRÃO
Homologação do Declínio de atribuição
119. Processo: PRM/SJR-3409.2012.000396-9-INQ Voto: 8057/2014 Origem: SUBJUR/PRM-SP -
SUBCOORDENADORIA JURIDICA DA
PRM/SAO JOSE DO RIO PRETO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 33

Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO


Ementa: Inquérito Policial instaurado para apurar possível prática de ilícito criminal, tendo em vista a apreensão pela
Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso de produtos de uso veterinário não licenciados pelo Ministério
da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA. Revisão de declínio (Enunciado n° 33 da 2ª CCR). O fato de os produtos
não terem o registro em referência não têm o condão de, por si só, atrair a competência da Justiça Federal, posto que não há
ofensa direta e específica a bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades. Precedente do STJ (CC nº 120843/SP,
Rel. Min. Laurita Vaz, Terceira Seção, DJe de 27/03/2012), no sentido de que a conduta ora investigada só atrai a
competência da Justiça Federal quando há indícios de que os produtos foram importados de forma irregular, o que não é o
caso dos autos, já que constatado que foram fabricados no Brasil. Ausência de elementos de informação capazes de justificar
a atribuição do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao
Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

120. Processo: 1.11.001.000226/2014-75 Voto: 8026/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
ARAPIRACA/S IPANEM
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime ambiental (Lei nº 9.605/98, art. 56). Transporte de substância perigosa em desacordo com
as exigências legais. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Necessidade de cumulação dos requisitos (tratado
ou convenção internacional e transnacionalidade da conduta) para a incidência do art. 109, V, da CF. Não obstante o Brasil
seja signatário da Convenção da Basiléia sobre Controle de Movimentos Transfronteiriços de Resíduos Perigosos e seu
Depósito, não há indícios de que a conduta ora em análise ostente caráter transnacional. Ausência de elementos capazes de
justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Precedente da 2ª CCR (Processo n°
1.30.007.000033/2014-17, Voto n° 1210/2014, Sessão n° 593 de 17/03/2014). Homologação do declínio de atribuições ao
Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

121. Processo: 1.12.000.000355/2014-36 Voto: 8158/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - AMAPÁ
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Conflito referente a limites de imóvel rural. Notícia de que vigilantes de fábrica de
soja teriam invadido parte do imóvel da genitora da representante, que se encontra em processo de regularização fundiária,
e ameaçado os moradores com arma de fogo. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 - 2ª CCR). Competência da Justiça
Estadual para o processo e julgamento de ação penal em que se apure crime de esbulho possessório praticado em terra de
propriedade do INCRA na hipótese em que a conduta delitiva não tenha representado ameaça à titularidade do imóvel e em
que os únicos prejudicados tenham sido aqueles que tiveram suas residências invadidas. Precedentes do STJ: CC nº
65.750/SC e CC nº 121.150/PR. Inexistência de elementos que denotem ofensa direta a bens, serviços ou interesse da União
ou de suas entidades. Caso que envolve defesa de interesses particulares. Ausência de atribuição do Parquet Federal para
persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

122. Processo: 1.12.000.000565/2014-24 Voto: 8155/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - AMAPÁ
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Supostas irregularidades na expedição de Certificados de Registro de Licenciamento de Veículos (CRLV)
e no emplacamento de automóveis, com possível envolvimento de servidores do DETRAN/AP. Revisão de declínio
(Enunciado 32 da 2ª CCR). Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público
Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

123. Processo: 1.13.000.001648/2012-31 Voto: 7995/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - AMAZONAS
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Peças de informação. Relatório de Inteligência Financeira RIF encaminhado pelo Conselho de Controle de Atividades
Financeiras COAF. Supostas movimentações financeiras suspeitas (atípicas). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª
Câmara). Inexistência de repasse de verbas federais para o instituto investigado. Fato em apuração que não se enquadra em
nenhuma das alíneas previstas no inciso III, art. 2º, da Lei nº 9.613/1998. Conforme dispõe o art. 2º, III, a e b, da Lei nº
9.613/98, o processo e o julgamento do crime de lavagem de dinheiro será da competência da Justiça Federal quando
praticado contra o sistema financeiro e a ordem econômico-financeira ou em detrimento de bens, serviços ou interesses da

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 34

União, de suas entidades autárquicas ou empresas públicas, ou ainda, quando a infração penal antecedente for de
competência da Justiça Federal. (CC 113.359/RJ, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, Terceira Seção, DJe 05/06/2013).
Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução
penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

124. Processo: 1.14.008.000141/2014-15 Voto: 8100/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE JEQUIE
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de apropriação indébita (CP, art. 168). Comunicação de que o investigado, de posse do
cartão magnético e da respectiva senha, ficava com parte do benefício assistencial pago ao seu irmão incapaz, repassando a
este último valor menor do que o recebido do INSS. Revisão de declínio (Enunciado nº 32). Inexistência de prejuízo ao
INSS ou de envolvimento de servidor público federal. Constatação de deslealdade de um familiar com o outro, em que o
investigado se aproveitava da incapacidade mental do seu irmão para se apropriar de valores desse último. Eventual lesão a
bens e interesses do particular. Ausência de elementos de informações capazes de justificar a atribuição do Ministério
Público Federal para prosseguir na persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

125. Processo: 1.17.001.000222/2014-73 Voto: 8123/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE C.DE
ITAPEMIRIM-ES
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Expediente instaurado para apuração de ilicitudes na conduta de médico que estaria assediando sexualmente
funcionárias de hospital privado. Revisão de declínio (Enunciado n° 32 2a CCR). Inexistência de elementos que denotem
ofensa a bens, serviços ou interesse da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas. Ausência de elementos
de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do
declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

126. Processo: 1.18.000.002506/2014-77 Voto: 8027/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - GOIAS/APARECIDA DE
GOIÂNIA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime previsto no artigo 238, parágrafo único, do ECA. Revisão de declínio (Enunciado n° 32,
2ªCCR). Notícia divulgada em sítio de relacionamento dando conta da existência de família que estaria cedendo 03 (três)
crianças para adoção, de forma ilegal. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério
Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

127. Processo: 1.22.001.000554/2014-98 Voto: 8028/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JUIZ DE
FORA-MG
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Denúncia apócrifa. Supostos crimes de curanderismo (art. 283 do CP) e charlatanismo (art. 284 do CP)
praticado por meio da rede mundial de computadores. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Mero conflito de
interesses particulares. Ausência de elementos capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a
persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

128. Processo: 1.23.000.001854/2014-67 Voto: 7993/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Representação que noticia possíveis irregularidades na prestação de serviços profissionais por advogado
da empresa representante. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Condutas realizadas entre particulares.
Inexistência de elementos que denotem ofensa direta a bens, serviços ou interesse da União ou de suas entidades. Ausência
de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para persecução penal.
Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 35

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

129. Processo: 1.24.000.001361/2014-90 Voto: 8153/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARAIBA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Representação ofertada pelo Prefeito Municipal de Gurinhem/PB contra o ex-gestor. 1) Notícia de
dilapidação do patrimônio pelo ex-Prefeito. Existência de medida cautelar de indisponibilidade de bens em trâmite na Justiça
Federal. Extraídas cópias integrais dos presentes autos e encaminhadas ao Membro do Parquet Federal que acompanha a
medida cautelar. Arquivamento. 2) Possível sonegação fiscal, consistente na emissão de guias de Imposto sobre a
Transmissão de Bens Imóveis - ITBI abaixo do valor real do imóvel. Tributo municipal. Ausência de elementos de
informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Revisão de declínio
(Enunciado 32 da 2ª CCR). Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

130. Processo: 1.25.000.001634/2014-69 Voto: 7994/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CASCAVEL/TOLEDO-PR
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Relatório de Inteligência Financeira RIF encaminhado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras
COAF. Supostas movimentações financeiras suspeitas (atípicas). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª Câmara). Fato
em apuração que não se enquadra em nenhuma das alíneas previstas no inciso III, art. 2º, da Lei nº 9.613/1998. Possível
fraude à execução fiscal em trâmite na Justiça Estadual. Conforme dispõe o art. 2º, III, a e b, da Lei nº 9.613/98, o processo
e o julgamento do crime de lavagem de dinheiro será da competência da Justiça Federal quando praticado contra o sistema
financeiro e a ordem econômico-financeira ou em detrimento de bens, serviços ou interesses da União, de suas entidades
autárquicas ou empresas públicas, ou ainda, quando a infração penal antecedente for de competência da Justiça Federal.
(CC 113.359/RJ, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, Terceira Seção, DJe 05/06/2013). Ausência de elementos de informação
capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de
atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

131. Processo: 1.26.000.002382/2014-58 Voto: 8044/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PERNAMBUCO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível incitação ao crime (CP, art. 286). Representação particular informando a existência de sítio
eletrônico em rede social que estaria incitando a prática de crimes contra policiais. Revisão de declínio (Enunciado nº 32).
Ausência de indícios de lesão a bem ou interesse da União ou de qualquer de suas entidades autárquicas e fundacionais.
Precedente do STJ (CC 121.431/SE, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, Terceira seção, DJe de 07/05/2012). Inexistência
de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal.
Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

132. Processo: 1.26.000.003067/2014-48 Voto: 8090/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PERNAMBUCO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de furto qualificado ou estelionato (CP, art. 155, §4°, II ou art. 171). Representação particular
comunicando débito não autorizado na conta corrente do noticiante, mantida no Banco do Brasil, referente a empréstimo
pessoal. Revisão de declínio (Enunciado nº 32). Eventual lesão a bens e interesses do particular e/ou da instituição
financeira, que possui natureza de sociedade de economia mista. Súmula n° 42 do STJ. Ausência de elementos de
informações capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal.
Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

133. Processo: 1.28.000.001776/2014-14 Voto: 8047/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 36

Ementa: Notícia de Fato. Invasão de dispositivo informático (CP, art. 154-A). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR).
Publicação indevida de fotos e vídeos do representante na internet. Delito praticado contra particular. Fatos narrados que
não apontam qualquer infração penal em prejuízo a bem, serviços ou interesse direto e específico da União, suas entidades
autárquicas ou empresas públicas. Ausência de atribuição do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução
penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

134. Processo: 1.29.017.000198/2014-82 Voto: 7991/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CANOAS-RS
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de falsificação de documento público (CP, art. 297, §4º). Falsa anotação em Carteira de
Trabalho e Previdência Social (CTPS). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 - 2ª CCR). Ausência de prejuízo direto a bens,
serviços e interesses da União, mas somente via reflexa ou indireta, da Previdência Social na anotação na CTPS de valor
diferente da remuneração real, porquanto é na prestação de serviço que se encontra o fato gerador da contribuição
previdenciária. Precedentes: AgRg no CC 127.340/RJ, Rel. Min. Marilza Maynard (Desembargadora convocada do TJ/SE),
Terceira Seção, DJe 10/06/2014; CC 201001706595, Maria Thereza de Assis Moura, STJ - Terceira Seção, DJE 25/11/2010;
2ª CCR: 1.28.300.000017/2012-98, 1.32.000.000598/2013-09. Aplicação do Enunciado nº 62 da Súmula do STJ: Compete
à Justiça Estadual processar e julgar o crime de falsa anotação na Carteira de Trabalho e Previdência Social, atribuído à
empresa privada. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal
para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, vencido o
Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá. Participou da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde.

135. Processo: 1.30.001.000812/2014-64 Voto: 7989/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de falsidade ideológica (CP, art. 299). Suposta utilização de documento ideologicamente
falso na alteração contratual de sociedade empresária em Junta Comercial. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª
CCR). A inserção de dados ou apresentação de documentos falsos perante a Junta Comercial sob a supervisão do
Departamento Nacional do Registro do Comércio (DNRC) não justifica, por si só, o reconhecimento da Justiça Federal para
processar e julgar os crimes contra aquela entidade. No caso, a União não foi ludibriada nem sofreu prejuízos diretos e
específicos. Competência da Justiça Estadual. Precedente do STJ (CC 130516. Rel. Rogerio Schietti Cruz, 3ª Seção, DJe de
05/03/2014). Ausência de atribuição do Ministério Público Federal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério
Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

136. Processo: 1.30.001.002905/2014-23 Voto: 6984/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de injúria (CP, art. 140, caput e §3°). Representação relatando que ex-presidente de
Companhia Estadual de Águas e Esgotos teria injuriado e humilhado funcionários por meio de rede social. Comunicação,
ainda, de possível apropriação indébita (CP, art. 168), uma vez que o representado teria pedido emprestado o carro de um
engenheiro há quatro meses, não o havendo devolvido. Revisão de declínio (Enunciado nº 32). Inexistência de interesse
direto e específico da União. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público
Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

137. Processo: 1.30.001.002991/2014-74 Voto: 8113/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possíveis crimes de difamação (CP, art. 139), injúria (CP, art. 140) e/ou racismo (Lei n° 7.716/89, art. 20),
praticados por funcionário do Banco do Brasil, em posto localizado em prédio do MPF, contra funcionária terceirizada
(copeira) da Procuradoria da República. Revisão de declínio (Enunciado nº 32). Investigado que é funcionário de instituição
financeira com natureza jurídica de sociedade de economia mista e vítima funcionária terceirizada, que não executa
atividade típica da administração pública (CP, art. 327, §1°). Ademais, o simples fato de o delito ter ocorrido dentro de
prédio federal não é apto, por si só, a atrair a competência federal. Ausência de elementos de informações capazes de
justificar a atribuição do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal. Homologação do declínio ao
Ministério Público Estadual.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 37

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

138. Processo: 1.30.001.004124/2014-73 Voto: 8122/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Invasão de dispositivo informático (CP, art. 154-A). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR).
Representação que noticia apropriação indevida de senha de e-mail e de conta em rede social. Fatos narrados que não
apontam qualquer infração penal em prejuízo a bem, serviços ou interesse direto e específico da União, suas entidades
autárquicas ou empresas públicas. Ausência de atribuição do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução
penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

139. Processo: 1.31.003.000102/2014-87 Voto: 8124/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
VILHENA-RO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia da Fato. Supostos crimes de frustração de direito assegurado por lei trabalhista (CP, art. 203) e falsidade ideológica
(CP, art. 299). Empregado afirma que, apesar de constar registro da presença de representantes do sindicato, o Termo de
Homologação de Rescisão de Contrato de Trabalho foi firmado apenas entre a empresa e o trabalhador. Revisão de declínio
(Enunciado nº 32). Conduta praticada em detrimento de um único trabalhador. A expressão crimes contra a organização do
trabalho (CF, art. 109, VI) não abarca delito praticado pelo empregador que, fraudulentamente, viola direito trabalhista de
determinado empregado. São de competência da Justiça Federal apenas os crimes que ofendem o sistema de órgãos e
instituições que preserva, coletivamente, os direitos e deveres dos trabalhadores. Precedente: CC 200902161672, Jorge
Mussi, STJ Terceira Seção, DJE 19/04/2010. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do
Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

140. Processo: 1.33.001.000561/2014-14 Voto: 8092/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
BLUMENAU-SC
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Representação particular em que a noticiante alega estar sofrendo torturas por um leitor de mentes,
supostamente patenteado por empresa de software. Revisão de declínio (Enunciado nº 32). Ausência de elementos de
informações capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para prosseguir na persecução penal.
Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

141. Processo: 1.34.004.001108/2014-50 Voto: 7992/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAMPINAS-SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Representação que noticia possível crime de ameaça (CP, art. 147) e tentativa de homicídio contra particular
(CP, art. 121 c/c art. 14, II). Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Inexistência de elementos que denotem
ofensa a bens, serviços ou interesse da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas. Ausência de elementos
de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para persecução penal. Homologação do
declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

142. Processo: 1.34.006.000464/2014-36 Voto: 7997/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUARULHOS/MOGI
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Digi-Denúncia. Possível ocorrência de crime ambiental nas dependências de condomínio residencial.
Revisão de declínio (Enunciado nº 32 - 2ª CCR). Irregularidades no sistema de tratamento de esgoto, que corre a céu aberto.
Fato verificado em área particular. Inexistência de lesão direta e específica a bens, serviços ou interesses da União ou de

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 38

suas entidades. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para
prosseguir na persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

143. Processo: 1.34.011.000900/2014-06 Voto: 8055/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SBCAMPO/S.AND/MAUA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de frustração de direito assegurado por lei trabalhista (art. 203 do CP), praticado por empresa
de transporte. Arquivamento fundamentado na prescrição da pretensão punitiva estatal. Revisão (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Conduta praticada em detrimento de um único trabalhador. A expressão crimes contra a organização do trabalho (CF, art.
109, VI) não abarca delito praticado pelo empregador que, fraudulentamente, viola direito trabalhista de determinado
empregado. São de competência da Justiça Federal apenas os crimes que ofendem o sistema de órgãos e instituições que
preserva, coletivamente, os direitos e deveres dos trabalhadores. Precedente: CC 200902161672, Jorge Mussi, STJ Terceira
Seção, DJE 19/04/2010. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público
Federal para a persecução penal. Promoção de arquivamento que se recebe como declínio de atribuições ao Ministério
Público Estadual. Homologação.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pelo recebimento da promoção de arquivamento
como declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual. Homologação nos termos do voto do(a) relator(a).
Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

144. Processo: 1.34.022.000094/2014-39 Voto: 8030/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JAU-SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Possível crime de falsidade ideológica (CP, art. 299). Notícia de que o real
proprietário de sociedades empresárias utiliza-se de interpostas pessoas para a constituição de suas empresas. Revisão de
declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). A inserção de dados ou apresentação de documentos falsos perante a Junta Comercial
sob a supervisão do Departamento Nacional do Registro do Comércio (DNRC) não justifica, por si só, o reconhecimento
da Justiça Federal para processar e julgar os crimes contra aquela entidade. No caso, a União não foi ludibriada nem sofreu
prejuízos diretos e específicos. Competência da Justiça Estadual. Precedente do STJ (CC 130516. Rel. Rogerio Schietti
Cruz, 3ª Seção, DJe de 05/03/2014). Ausência de atribuição do Ministério Público Federal. Homologação do declínio de
atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

145. Processo: 1.34.028.000044/2014-00 Voto: 8056/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BRAG.
PAULISTA-SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Possível crime de estelionato tentado (CP, art. 171 c/c o art. 14, II), contra particular.
Falso boleto bancário encaminhado a segurado do INSS para pagamento de taxa referente a suposto recadastramento de
informações previdenciárias, tendo como cedente o nome da DATAPREV. Correspondência que não foi emitida pelo órgão
previdenciário. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR). Inexistência de elementos que denotem ofensa a bens,
serviços ou interesse da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas. Delito consumado ou tentado que
teve como eventual vítima um particular. Ausência de atribuição do Ministério Público Federal para prosseguimento da
persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

146. Processo: 1.35.000.000497/2014-07 Voto: 8119/2014 Origem: PROCURADORIA DA REPUBLICA


- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposto crime de estelionato (CP, art. 171). Integrantes do Movimento dos Sem Terra
teriam anunciado, falsamente, a construção de empreendimentos imobiliários com recursos do Programa Minha Casa Minha
Vida, auferindo valores depositados, em contas bancárias do MST, pelos pretensos compradores. Revisão de declínio
(Enunciado n° 32, 2ªCCR). Diligências. Informação da Caixa Econômica Federal da inexistência de contrato com o MST
para construção de imóveis no Município de Simão Dias/SE. Prejuízo suportado apenas por particulares. Ausência de
elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal.
Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 39

Outras deliberações(Declínio)
147. Processo: 1.23.003.000376/2010-14 Voto: 8053/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ALTAMIRA-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a partir de representação do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia
IMAZON que noticia suposto desmatamento em Unidade de Conservação Estadual (Floresta Estadual do Iriri).
Arquivamento fundamentado na existência de elementos de que o Ministério Público Estadual foi devidamente acionado.
Revisão (LC nº 75/93, art. 62, IV). Ausência de elementos capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal
para a persecução penal. Promoção de arquivamento que se recebe como declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual. Homologação.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pelo recebimento da promoção de arquivamento
como declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual. Homologação nos termos do voto do(a) relator(a).
Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

Homologação de Arquivamento
148. Processo: DPF/JFA-00340/2012-INQ Voto: 7990/2014 Origem: SJUR/PRM-MG - SETOR
JURÍDICO DA
PRM/MANHUAÇU/MURIAÉ
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Inquérito Policial. Possível crime de desobediência (art. 330 do CP). Depositário de penhora que não atendeu as
determinações expedidas pelo Juízo da Vara do Trabalho. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Pena máxima
cominada em abstrato de 06 (seis) meses de detenção. Fato ocorrido em 01/08/2011. Extinção da punibilidade (art. 107, IV,
CP). Prescrição da pretensão punitiva estatal (art. 109, VI, CP). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

149. Processo: DPF/JZO/BA-0081/2013-INQ Voto: 8132/2014 Origem: SUBJUR/PRM-PE -


SUBCOORDENADORIA JURIDICA DA
PRM/PETROLINA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Inquérito Policial. Tentativa de crime de roubo majorado (CP, art. 157, §2°, I e II c/c art. 14, II). Notícia de que dois
indivíduos armados, não identificados, entraram em agência dos Correios e anunciaram o assalto, não conseguindo
concretizar o roubo por razões alheias às suas vontades. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Diligência. O
gerente da agência afirmou que não foi possível identificar nenhuma característica particular dos assaltantes. O circuito
interno de TV não estava em funcionamento na ocasião. Ausência de indícios de autoria delitiva e de diligências capazes
de modificar o panorama probatório atual. Homologação do arquivamento, sem prejuízo do disposto no art. 18 do CPP.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

150. Processo: 1.12.000.000610/2014-41 Voto: 8106/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - AMAPÁ
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Suposta prática de crime contra a ordem tributária (Lei 8.137/90, art. 1º). Revisão de arquivamento (LC n°
75/93, art. 62, IV). Diligências. Informações, da Procuradoria da Fazenda Nacional, de que não foram encontrados registros
de débitos tributários ou previdenciários em nome da investigada e, da Receita Federal do Brasil, de que inexiste
procedimento administrativo fiscal em desfavor do contribuinte, referente aos débitos da denominada Operação Mãos
Limpas, que deram origem aos presentes autos. Inexistência de constituição definitiva do crédito tributário. Ausência de
elemento normativo do tipo, que impede a consumação do crime (art. 14, I, CP). Súmula Vinculante n° 24, do STF. Falta
de justa causa para persecução penal. Homologação do arquivamento, sem prejuízo do disposto no art. 18 do CPP.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

151. Processo: 1.13.001.000005/2014-22 Voto: 8156/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
TABATINGA-AM
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposto crime ambiental (Lei 9.605/98, art. 60) ou de usurpação (Lei 8.176/91, art.
2º). Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Os investigados foram abordados por agentes do IBAMA quando
se encontravam em uma balsa com draga no Rio Jutaí, que estava parada para reparos mecânicos, e se dirigiam ao Rio
Jandiatuba onde realizariam atividade garimpeira, sem portarem licença ou autorização para dragagem de recursos minerais
(ouro). Ausência de conduta criminosa. O auto de infração lavrado pelo IBAMA não indica a apreensão de qualquer produto
objeto de extração mineral na posse dos investigados. Atos preparatórios. Eventual posse de petrechos para possível extração
mineral é insuficiente para aperfeiçoar conduta prevista em qualquer dos aludidos dispositivos legais. Homologação do
arquivamento.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 40

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

152. Processo: 1.14.000.002146/2014-52 Voto: 8085/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - BAHIA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime eleitoral consistente na eventual compra de votos durante pleito eleitoral de 2012, no
Município de Prado/BA. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de Inquérito Policial em curso
(0044/2014-4) que apura os mesmos fatos. Duplicidade de investigações. Aplicação do princípio do ne bis in idem.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

153. Processo: 1.14.000.002445/2014-97 Voto: 8108/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - BAHIA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime previsto no art. 10 da Lei n° 7.347/85. Suposto retardamento no fornecimento de dados
técnicos indispensáveis à propositura/instrução de ação civil pública, quando requisitados pelo MPF. Revisão de
arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Os ofícios encaminhados foram recebidos por terceiros, que não os destinatários
das correspondências. Ciência pessoal e inequívoca da referida ordem por quem tinha o dever de cumpri-la não evidenciada
nos autos. Ademais, há informações de que as requisições foram atendidas, ainda que com atraso. Ausência de justa causa
para a persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

154. Processo: 1.14.000.002757/2014-09 Voto: 8125/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE IRECÊ-
BA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de sonegação de papel ou objeto de valor probatório (CP, art. 356). Revisão de arquivamento
(LC 75/93, art. 62, inc. IV). Não devolução de autos por advogado. Óbito do investigado (certidão judicial à fl. 10). Extinção
da punibilidade (CP, art. 107, inc. I). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

155. Processo: 1.14.009.000071/2014-95 Voto: 7943/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
GUANAMBI
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de exploração irregular de atividade de radiodifusão (Lei n° 4.117/62, art. 70 ou Lei n°
9.472/97, art. 183). Comunicação de que uma emissora que deveria funcionar como rádio comunitária estava sendo utilizada
para fins comerciais. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV). Notícia de que a emissora possui outorga de
rádio comunitária. Não verificação, até o momento, de conduta criminosa, mas sim de possíveis ilícitos administrativos em
razão de contrariedade aos regramentos da Lei n° 9.612/98. Ofício encaminhado à ANATEL, com cópia da representação,
para fiscalização e a devida aplicação das penalidades administrativas cabíveis, bem como solicitação de comunicação ao
MPF em caso de constatação de eventual ilícito penal. Homologação de arquivamento, com a ressalva do disposto no art.
18 do CPP.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

156. Processo: 1.14.009.000376/2014-05 Voto: 8121/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
GUANAMBI
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Revisão de arquivamento (LC nº 75/93,
art. 62, IV). 1) Recebimento indevido de 01 (uma) parcela de benefício previdenciário após o óbito do titular, em
09/03/2012. O valor irregularmente recebido foi ressarcido ao INSS, mediante pagamento de Guia da Previdência Social.
Evidente ausência de dolo específico de obter vantagem ilícita em prejuízo do INSS. Cumprimento da Orientação nº 04 da
2ª CCR/MPF. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

157. Processo: 1.15.000.002472/2014-22 Voto: 7987/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - CEARA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 41

Ementa: Notícia de Fato. Denúncia apócrifa. Notícia de possível apologia ao consumo de maconha por meio de sítio eletrônico.
Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Constatação de que o site comercializa peças de vestuário e acessórios
com a estampa da folha da cannabis sativa (maconha), além da divulgação de cenas de filmes, a exemplo do TED, em que
se observa o consumo de maconha. Inexistência, contudo, de indícios da prática de crime, vez que não há um comando que
incite a prática de fato criminoso. Ausência de justa causa para o prosseguimento do feito . Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

158. Processo: 1.15.000.002503/2014-45 Voto: 8089/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - CEARA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Recebimento indevido de 02 (duas) parcelas
de benefício previdenciário após o óbito da titular, ocorrido em 09/10/2004. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62,
IV). Evidente ausência de dolo específico de obter vantagem ilícita em prejuízo do INSS. Valores sacados indevidamente
que são utilizados, em regra, para custear despesas com hospitalização e funeral do titular do benefício. Cumprimento da
Orientação nº 04 da 2ª CCR/MPF. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

159. Processo: 1.15.000.002818/2014-92 Voto: 8054/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - CEARA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Cópia de nota de repúdio à Universidade Federal do Ceará UFC que teria expulsado uma aluna de seu
Campus por se encontrar com farda militar, o que, segundo a nota, inibiria o consumo de drogas pelos alunos dentro da
instituição. Revisão de arquivamento (LC 75/93, art. 62, inc. IV). Denúncia genérica que tem o tom de desabafo. Inexistência
de elementos indiciários mínimos de conduta criminosa a ser apurada. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

160. Processo: 1.15.001.000478/2014-55 Voto: 8042/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
LIMOEIRO/QUIXADÁ
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A) praticado por ex-Prefeito. Revisão
de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Acórdão do Tribunal de Contas dos Municípios TCM que atesta a regularidade
do Município de Limoeiro do Norte/CE perante o INSS. Ausência de justa causa para o prosseguimento da persecução
penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

161. Processo: 1.15.004.000111/2014-10 Voto: 8045/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CRATEÚS/TAUÁ-CE
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Possível crime de apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A), praticado
por Prefeitura Municipal. Revisão de arquivamento (LC 75/93, art. 62, IV). Diligências à Receita Federal do Brasil. Crédito
tributário com exigibilidade suspensa em face da adesão do município ao Parcelamento Especial regido pela MP nº 589/2012
(convertida na Lei nº 12.810/2013). Parcelamento que se equipara ao pagamento para fins de extinção da punibilidade, já
que as prestações não poderão ser inadimplidas. Isto porque a ausência de pagamento na data do respectivo vencimento
autoriza a retenção e o repasse à Receita Federal de recurso do Fundo de Participação do Municípios, para sua quitação.
Interpretação sistemática do art. 3º da Lei nº 12.810/2013 (conversão da MP nº 589/2012) c/c o inciso I do parágrafo único
do art. 160 da Constituição Federal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

162. Processo: 1.17.000.002557/2014-36 Voto: 8117/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Possível fraude no requerimento de benefício de
amparo ao idoso, mediante utilização de certidão de nascimento falsa. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Fraude praticada há mais de 5 (cinco) anos por grupo nômade (ciganos), o que tornou inviável a identificação e/ou
localização dos seus autores, andarilhos por natureza. Registro no sistema da autarquia de um alerta quanto aos cuidados na
avaliação da documentação apresentada para fins de requerimento de novos benefícios. Ausência de qualquer elemento
indiciário demonstrativo da autoria. Inexistência de diligências capazes de modificar o panorama probatório atual.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 42

163. Processo: 1.17.000.002566/2014-27 Voto: 8131/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Possível fraude no requerimento de benefício de
amparo ao idoso, mediante utilização de certidão de nascimento falsa. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Fraude praticada há mais de 5 (cinco) anos por grupo nômade (ciganos), o que tornou inviável a identificação e/ou
localização dos seus autores, andarilhos por natureza. Registro no sistema da autarquia de um alerta quanto aos cuidados na
avaliação da documentação apresentada para fins de requerimento de novos benefícios. Ausência de qualquer elemento
indiciário demonstrativo da autoria. Inexistência de diligências capazes de modificar o panorama probatório atual.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

164. Processo: 1.17.000.002572/2014-84 Voto: 8129/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Possível fraude no requerimento de benefício de
amparo ao idoso, mediante utilização de certidão de nascimento falsa. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Fraude praticada há mais de 5 (cinco) anos por grupo nômade (ciganos), o que tornou inviável a identificação e/ou
localização dos seus autores, andarilhos por natureza. Registro no sistema da autarquia de um alerta quanto aos cuidados na
avaliação da documentação apresentada para fins de requerimento de novos benefícios. Ausência de qualquer elemento
indiciário demonstrativo da autoria. Inexistência de diligências capazes de modificar o panorama probatório atual.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

165. Processo: 1.17.000.002574/2014-73 Voto: 8130/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Crime de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, § 3º). Possível fraude no requerimento de benefício de
amparo ao idoso, mediante utilização de certidão de nascimento falsa. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Fraude praticada há mais de 5 (cinco) anos por grupo nômade (ciganos), o que tornou inviável a identificação e/ou
localização dos seus autores, andarilhos por natureza. Registro no sistema da autarquia de um alerta quanto aos cuidados na
avaliação da documentação apresentada para fins de requerimento de novos benefícios. Ausência de qualquer elemento
indiciário demonstrativo da autoria. Inexistência de diligências capazes de modificar o panorama probatório atual.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

166. Processo: 1.17.000.003127/2014-31 Voto: 8004/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possíveis crimes previstos nos arts. 241-A e/ou 241-D da Lei n° 8.069/90. Representação anônima
comunicando a postagem de fotos com cenas de nudez em rede social, dentre as quais poderia haver imagens de menores.
Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV). O caso noticiado trata de um movimento na internet em que
mulheres tiram fotos de topless e com o sutiã nos olhos e as encaminham para a página na rede social. O movimento tem
como proposta esfregar os peitos na cara dos moralistas, sendo as imagens um símbolo na luta pela igualdade de direitos.
Promoção de arquivamento realizada em razão de não ter sido possível verificar a existência de crianças ou adolescentes
expondo sua nudez, principalmente em razão da maioria das pessoas se encontrarem com a face coberta, dificultando-se tal
aferição. Também não se vislumbrou que a proposta do referido desafio tenha como objetivo a divulgação de imagens com
conteúdo pornográfico envolvendo menores ou que tenha finalidade de aliciamento de crianças ou adolescentes.
Homologação de arquivamento, sem prejuízo do disposto no art. 18 do CPP.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

167. Processo: 1.19.000.001316/2014-03 Voto: 8128/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - MARANHAO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de redução a condição análoga à de escravo (art. 149 do CP). Relatório de inspeção realizado
pelo Grupo Especial de Fisalização Móvel do Ministério do Trabalho e Emprego em fazendas localizadas no interior do
Estado do Maranhão, dentre elas a investigada neste procedimento. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62-IV).
Segundo relatório de fiscalização, da verificação física realizada e mediante o exame documental, inúmeras irregularidades,
de cunho trabalhista, foram constatadas, as quais ensejaram a lavratura de diversos autos de infração relativos à legislação,
segurança e saúde no trabalho. Concluiu a fiscalização, no citado relatório, pela inexistência de trabalho degradante em
condições análogas à de escravo, no estabelecimento fiscalizado. Fatos atípicos na esfera penal. Homologação do
arquivamento.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 43

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

168. Processo: 1.19.000.001483/2014-46 Voto: 8118/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - MARANHAO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de ameaça (CP, art. 147). Relato de que servidores do INCRA teriam ameaçado a
representante, em reunião ocorrida nas dependências da referida Autarquia Federal. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93,
art. 62, inc. IV). Esclarecimentos. Não verificação de eventual prática de ameaça pelos servidores, uma vez que estes apenas
prestaram informações sobre a situação das terras da representante, no sentido de que o lote que ela ocupa pertence a
particulares. Os servidores se limitaram a lhe alertar sobre as consequências de continuar residindo irregularmente em lote
de terceiros, sobretudo porque se sabe o quão grave são as disputas de terras e os desastrosos resultados de tais conflitos,
muitas vezes fatais. Ausência de indícios da prática de crime. Homologação de arquivamento, sem prejuízo do disposto no
art. 18 do CPP.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

169. Processo: 1.22.002.000230/2014-40 Voto: 7988/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
UBERABA-MG
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de desobediência (CP, art. 330). Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Existência de Inquérito Policial em curso (0106/2014) que apura os mesmos fatos. Duplicidade de investigações. Aplicação
do princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

170. Processo: 1.22.023.000123/2014-73 Voto: 7998/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE TEÓFILO
OTONI-MG
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de fato. Possível crime de estelionato majorado (CP, art. 171, §3°). Simulação de rescisão de contrato de trabalho
para fins de recebimento de seguro desemprego. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, inciso IV). Os fatos ora
tratados já foram objeto de denúncia na Ação Penal n° 0001657-19.2014.4.01.3816 (IPL n° 0397/2012). Aplicação do
princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

171. Processo: 1.23.000.002346/2014-04 Voto: 8086/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Expediente instaurado a partir de ofício do IBAMA comunicando possível ocorrência de crime ambiental,
em virtude de pessoa jurídica autuada ter deixado de efetuar seu registro no Cadastro Técnico Federal. Revisão de
arquivamento (LC 75/93, art. 62, IV). Infração de natureza administrativa (art. 17 da Lei n° 6.938/81 e/ou art. 82 do Decreto
n° 6.514/08). Aplicação de multa pelo IBAMA. Ausência de justa causa para prosseguir na persecução penal. Precedente
da 2ª CCR (Processo n° 1.28.000.000503/2014-52, Voto n° 5355/2014, Sessão n° 602, 04/08/2014, unânime). Homologação
do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

172. Processo: 1.23.002.000104/2014-58 Voto: 8025/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SANTAREM-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Preparatório. Denúncia apócrifa que noticia suposto dano ambiental ocorrido na Comunidade de São
Raimundo do Eixo Forte. Revisão de arquivamento (LC 75/93, art. 62, inc. IV). Diligências. Informação do INCRA de que,
por inexistirem coordenadas geográficas, não foi possível localizar a área. Devido à extensão territorial das áreas entre os
Municípios de Santarém e Belterra, torna-se inviável saber se a área pertence ou não à União. Não identificado o bem a ser
tutelado. Inexistência de elementos de prova com vistas a conduzir a persecução penal. Ausência de indícios de
materialidade e autoria. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

173. Processo: 1.23.003.000110/2014-03 Voto: 8120/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ALTAMIRA-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 44

Ementa: Notícia de Fato. Apuração de possível crime ambiental (Lei 9.605/98, art. 50-A), consistente em cortar uma árvore no
interior da Reserva Extrativista Verde para Sempre, no Município de Porto de Moz/PA, sem autorização do órgão ambiental
competente. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Consta do Relatório de Fiscalização do ICMBio que a
infração ocorreu por motivo de subsistência familiar. Aplicação de multa administrativa. Evidenciada a excludente de
ilicitude prevista no art. 50-A, § 1º, da Lei nº 9.605/98. Homologação do Arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

174. Processo: 1.23.003.000176/2013-12 Voto: 7895/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ALTAMIRA-PA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de redução a condição análoga à de escravo (art. 149 do CP). Relatório de inspeção realizado
pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Ministério do Trabalho e Emprego em fazendas localizadas no interior do
Estado do Pará, dentre elas a investigada neste procedimento. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62-IV).
Encontradas irregularidades trabalhistas e lavrados Autos de Infração. O Grupo Especial de Fiscalização Móvel concluiu,
em seu relatório, que não foram encontrados trabalhadores em condições análogas às de escravo no curso da fiscalização in
loco. Adoção de medidas necessárias à regularização. Ausência de indícios de que os trabalhadores fossem submetidos a
trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, nem que laborassem em condições degradantes ou que tivessem sua locomoção
restringida em razão de dívida com o empregador. Inexistência de fraude ou violência. Fatos atípicos na esfera penal.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

175. Processo: 1.24.000.000030/2014-32 Voto: 8109/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARAIBA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Suposta prática de crime contra o meio ambiente (art. 40 da Lei nº 9.605/98). Despejar resíduos sólidos no
interior da Floresta Nacional da Restinga de Cabedelo, Unidade de Conservação Federal. Revisão de arquivamento (LC nº
75/93, art. 62, IV). Infração de ordem administrativa. Sanção devidamente aplicada ao infrator, que se comprometeu a retirar
os resíduos despejados. Consta do Relatório de Fiscalização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
ICMBio a inexistência de danos graves para o meio ambiente ou de comprometimento de recursos naturais, da qualidade
ambiental ou dos ecossistemas. Precedentes da 2ª CCR (1.24.000.000655/2014-02, 1.23.000.000714/2013-91).
Homologação de arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

176. Processo: 1.25.005.000509/2014-91 Voto: 8096/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
APUCARANA-PR
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível tentativa de estelionato contra o INSS (CP, art. 171, §3°, c/c art. 14, II). Suposta contradição por
parte da investigada em requerimento do benefício salário maternidade. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc.
IV). Não constatação de tentativa de obtenção de vantagem indevida perante a Autarquia Federal. Em qualquer das situações
declaradas pela investigada seria devido o benefício, uma vez que, com fulcro na legislação que rege a matéria, o salário
maternidade é, em tese, devido à requerente (Lei n° 8.213/91, arts. 71 e 72; e IN n° 45/2010 do INSS, art. 296). Ausência
de indícios da prática de crime. Homologação de arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

177. Processo: 1.28.000.000735/2014-19 Voto: 8095/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Representação encaminhada pelo IBAMA, noticiando que o investigado foi autuado
por descumprimento de embargo realizado pela referida Autarquia Federal. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62,
inc. IV). A autuação pelo descumprimento do embargo ocorreu em 23/08/2010. Quanto a eventual crime de desobediência
(CP, art. 330), verifica-se a ocorrência da prescrição da pretensão punitiva (CP, art. 109, VI). Fatos já apurados no âmbito
administrativo, com a imputação de multa no valor de R$ 10.000,00 (Decreto n° 6.514/2008, art. 79). Homologação de
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

178. Processo: 1.28.000.000897/2014-49 Voto: 7904/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 45

Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de falsidade ideológica (CP, art. 299). Informações de que o investigado teria inserido
informação inverídica em declaração assinada no ato de sua posse como Assessor Nível II, no Ministério Público Federal.
Afirmação de que não participava de gerência ou administração de sociedade privada, quando, na verdade, era sócio
administrador de empresa de engenharia. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Diligências. Em depoimento
prestado, o investigado informou que não providenciou sua substituição porque a empresa não participava mais de obras ou
licitação, encontrando-se totalmente inativa, de modo que, no seu entender, não havia impedimento para que continuasse a
figurar como sócio administrador no Contrato Social. Ausência de dolo. Conclusão do Procedimento Administrativo
Disciplinar pela não aplicação de penalidade ao servidor. Aplicação do princípio da subsidiariedade. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

179. Processo: 1.28.000.001128/2014-68 Voto: 8101/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de violência ou fraude em arrematação judicial (art. 358 do CP). Revisão de arquivamento
(LC nº 75/93, art. 62, IV). Arrematante que deixou de comprovar o pagamento do lanço referente à arrematação dos bens
penhorados. Ausência de elementos suficientes de que o arrematante agiu com dolo de impedir, perturbar ou fraudar
arrematação judicial. Anulação da arrematação. A Magistrada responsável pelo processo inscreveu o investigado no rol de
arrematantes inadimplentes. Mero inadimplemento civil. Atipicidade da conduta na seara criminal. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

180. Processo: 1.29.003.000563/2014-16 Voto: 8161/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE NOVO
HAMBURGO-RS
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Expediente instaurado a partir de ofício do IBAMA comunicando possível ocorrência de infração
ambiental, em virtude de pessoa jurídica ter deixado de apresentar relatórios ou informações ambientais nos prazos exigidos
pela legislação ou, quando aplicável, naquele determinado pela autoridade ambiental. Revisão de arquivamento (LC 75/93,
art. 62, IV). Infração de natureza administrativa (Decreto n° 6.514/08, art. 81). Aplicação de multa pelo IBAMA. Ausência
de justa causa para prosseguir na persecução penal. Precedente da 2ª CCR (Processo n° 1.28.000.001523/2014-41, Voto n°
7425/2014, Sessão n° 609, 28/10/2014, unânime). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

181. Processo: 1.29.004.000520/2014-12 Voto: 8038/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
P.FUNDO/CARAZINHO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal instaurado a partir de ofício da Vara do Trabalho de Carazinho/RS que noticia
possível crime de apropriação indébita (CP, art. 168), consistente na ausência de repasse de valor acordado a título de
arrecadação de contribuição sindical que caberia à Conta Especial Emprego e Salário, por federação de sindicatos de
servidores municipais. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62-IV). Diligências. Comprovação, embora tardiamente,
do depósito do montante cabível à União, com a incidência de juros de mora e correção monetária. Inexistência de indícios
de dolo. Ausência de justa causa para a persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

182. Processo: 1.30.001.003588/2013-81 Voto: 8039/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal instaurado a partir de ofício da 33ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro para apurar
possível crime de desobediência (CP, art. 330), por empresa reclamada, consistente no bloqueio de valores a serem
colocados à disposição do Juízo. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Diligências. Informação de que a
empresa executada está cadastrada no sistema de penhora desde 2012 e que já foram penhorados, até julho/2014, o valor de
R$ 1.370,64. Cumprimento da ordem. Ausente a intenção (dolo) da empresa investigada em descumprir a ordem judicial.
Conduta omissiva não caracterizada. Falta de justa causa para persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

183. Processo: 1.30.004.000011/2014-79 Voto: 8115/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ITAPERUNA-RJ
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 46

Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Possível crime de desacato (CP, art. 331). Informações de que Advogado teria
insultado servidores de Vara do Trabalho, em especial uma Oficiala de Justiça responsável pelo cumprimento de mandado
de imissão na posse. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Verifica-se, na hipótese, a ocorrência de
animosidades entre os envolvidos, uma vez que o investigado teria manifestado insatisfação e argumentado a falta de sentido
em se emitir um mandado de imissão na posse, quando, na verdade, seria realizada uma simples intimação, sendo
dispendioso e desnecessário o comparecimento das partes, como fora feito. Não obstante as diligências realizadas, não se
verificam elementos probatórios consistentes quanto à ocorrência do desacato, havendo somente o embate entre as
declarações das partes diretamente envolvidas, posto não haver sequer testemunhas que possam colaborar na elucidação do
caso. Homologação do arquivamento, sem prejuízo do disposto no art. 18 do CPP. Notícia, ainda, de possível crime de
denunciação caluniosa (CP, art. 339). Comunicação de que o Advogado formalizou reclamação disciplinar perante o CNJ,
aduzindo que a Juíza Trabalhista o teria ameaçado em audiência a se retratar, sob pena de remessa do processo ao MPF para
análise e tomada de atitudes cabíveis. Com relação a tal fato, o Procurador da República oficiante, considerando ter a
infração se consumado com a instauração do procedimento no CNJ, entendeu ser atribuição da PR/DF a apuração do
eventual crime do art. 339 do CP. Aplicação do Enunciado n° 25 desta 2ªCCR. Remessa dos autos à PR/DF.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento quanto ao crime
de desacato e pela remessa dos autos à PR/DF para apuração do eventual crime do art. 339 do CP, nos termos do voto do
relator. Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

184. Processo: 1.31.000.001130/2013-61 Voto: 8037/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RONDONIA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposta prática de crime de desobediência (CP, artigo 330) pelo Secretário de Saúde
do Estado de Rondônia. Revisão de arquivamento (LC 75/93, artigo 62, inciso IV). Ordem emanada do Superior Tribunal
de Justiça que determinou o imediato fornecimento do remédio Eculizumab Soliris, com o fim de dar prosseguimento ao
tratamento de paciente portadora da doença Hemoglobinúria Paroxística Noturna HPN. Iniciado o processo de importação
do medicamento pelo Estado, mas em razão da demora nos trâmites referentes à aquisição, a Secretaria de Saúde depositou
o valor correspondente em favor da paciente para que a própria realizasse a compra, vez que não estaria adstrita ao
procedimento de importação imposto à Administração Estadual. Ausência de indícios de elemento subjetivo (dolo
específico) por parte do Secretário de Saúde. Atipicidade. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

185. Processo: 1.33.000.001613/2014-71 Voto: 8154/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SANTA CATARINA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposta prática de crime de falso testemunho (CP, art. 342). Revisão de
arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Depoimento de testemunha prestado em reclamatória trabalhista. Testemunha
contraditada negou ter realizado ligação telefônica - que realmente ocorreu - para a reclamante no dia anterior ao
depoimento. O Julgador rejeitou a contradita e a desconsiderou na sentença, como meio de prova válido. Fato contraditório
que não possui capacidade para interferir na decisão do mérito da causa. Contradição que não diz respeito a fato
juridicamente relevante. Ausência de potencialidade lesiva. Precedentes do STJ: (REsp 659.512/RS, Rel. Ministro GILSON
DIPP, QUINTA TURMA, julgado em 21/10/2004, DJ 29/11/2004, p. 397) e (HC 14.717/SP, Rel. Ministro EDSON
VIDIGAL, QUINTA TURMA, julgado em 13/03/2001, DJ 09/04/2001, p. 373). Não configuração do crime. Homologação
do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

186. Processo: 1.33.000.001667/2014-37 Voto: 7907/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SANTA CATARINA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Possível crime de falso testemunho (CP, art. 342), praticado no curso de Reclamação Trabalhista. Revisão
de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV). Eventuais inconsistências no depoimento prestado pela testemunha do
reclamado. Sentença fundada em outros elementos de prova existentes nos autos. Ausência de relevância jurídica e de
aptidão para influenciar no deslinde do feito e, consequentemente, de potencialidade lesiva nas declarações. Atipicidade da
conduta. Precedente da 2ª CCR (Processo n° 1.23.000.002003/2013-51, Voto n° 6258/2014, Sessão n° 604, de 15/09/2014,
unânime). Homologação de arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

187. Processo: 1.33.004.000061/2014-44 Voto: 8151/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
JOAÇABA-SC
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato instaurado a partir de Representação Fiscal para Fins Penais em que se noticia a possível ocorrência de
crime previsto no art. 334 do Código Penal. Apreensão de 01 (uma) arma de choque de procedência estrangeira. Revisão
de arquivamento (LC 75/93, art. 62, inc. IV). Instada, a Receita Federal do Brasil informou que a mercadoria apreendida

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 47

foi destruída, o que inviabiliza a elaboração do necessário laudo pericial para comprovação da materialidade delitiva.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

188. Processo: 1.34.001.007230/2013-89 Voto: 8029/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - SAO PAULO
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de Fato. Digi-Denúncia. Suposto crime ambiental (Lei 9.605/98, art. 55) e usurpação de bem da União (Lei 8.176/91,
art. 2º), praticado por empresário ao enterrar veículo no jardim de sua residência. Revisão de arquivamento (LC 75/93, art.
62, inc. IV). Fato ocorrido em área particular não classificada como de proteção ambiental pelos órgãos competentes. A
porção do solo separada, in casu, não atingiu bem de interesse direto da União. Inexistência de conduta criminosa a ser
apurada. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

189. Processo: 1.34.003.000172/2014-23 Voto: 8116/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
BAURU/AVARE/BOTUCA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de fato. Possíveis crimes contra as patentes, os desenhos industriais e de concorrência desleal (Lei 9.279/96, arts.
183, I; 187 e 195, III). Representação formulada por particular, que noticia violação ao seu direito de invenção de
equipamento agrícola, registrado em seu favor no INPI, bem como comercialização, por meio de financiamento do BNDES,
desses equipamentos. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, IV). Denúncia genérica quanto à inobservância pelo
Banco Nacional do Desenvolvimento Social, das normas de propriedade industrial, quanto ao financiamento de produtos
patenteados. Ausência de indícios mínimos de prova da materialidade de condutas típicas penais, por parte da Empresa
Pública Federal. Demais denúncias atribuídas a terceiros, particulares, que estariam violando o direito de invençao do
representante e praticando concorrência desleal. Crimes cuja ação penal somente se procede mediante queixa (Lei nº
9.279/96, art. 199). Ausência de atribuição do Ministério Público Federal para promover a ação penal e, consequentemente,
de justa causa para o prosseguimento do feito. Declínio de atribuição que se recebe como promoção de arquivamento.
Homologação.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

190. Processo: 1.34.004.000418/2014-57 Voto: 8103/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAMPINAS-SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de fato. Representação encaminhada ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado GAECO,
por correio eletrônico, que noticia suposta venda de precatórios federais por advogada. Revisão de arquivamento (LC nº
75/93, art. 62, IV). Notificado, o representante afirmou que não prestaria mais nenhuma informação pois estaria sendo
ameaçado. Dos elementos apresentados não se vislumbra a prática de ato ilícito que justifique o início da persecução penal.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

191. Processo: 1.34.014.000358/2013-72 Voto: 8043/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO S.JOSE DOS
CAMPOS -SP
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal instaurado a partir de cópia do Relatório Final da Comissão Especial de Inquérito que
apura venda de plantas de imóveis de loteamento que se encontrava embargado por liminar judicial, por fiscal da Prefeitura.
Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Diligências. 1) Informação do Instituto Chico Mendes de Conservação
da Biodiversidade - ICMBio e da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo CETESB da inexistência de requerimentos
para licenciamento ambiental para os referidos imóveis. Ausência de elementos capazes de justificar a atribuição do
Ministério Público Federal para a persecução penal. 2) Informação do Ministério Público Estadual da existência de processo
( 0003235-44.2012.8.26.0543) em trâmite na 1ª Vara Criminal de Santa Isabel/SP que apura os mesmos fatos. Homologação
do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

192. Processo: 1.35.000.001801/2014-25 Voto: 7899/2014 Origem: PROCURADORIA DA REPUBLICA


- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO
Ementa: Notícia de fato. Possível crime de furto (CP, art. 155). Subtração de trezentos cocos de comunidade quilombola de pescadores
artesanais. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, inciso IV). Requisição de instauração de inquérito policial para

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 48

apurar os fatos narrados (Ofício GAB/PRR/GGM n° 539/14). Aplicação do princípio do ne bis in idem. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. Juliano Baiocchi Villa-Verde e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO


ORIGEM JUDICIAL
NÃO PADRÃO
193. Processo: JF-AL-0000666-24.2013.4.05.8001-INQ Voto: 8209/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL DE
ALAGOAS
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SUPOSTO CRIME DE TRÁFICO INTERNACIONAL DE ENTORPECENTES (LEI Nº
11.343/2006, ARTIGO 33 CC. O ARTIGO 40, INCISO I). ENCOMENDA ORIUNDA DO EXTERIOR CONTENDO
SUBSTÂNCIA ASSEMELHADA À MACONHA (SEMENTES) DESTINADA A PESSOA RESIDENTE EM
ARAPIRACA/AL. APREENSÃO ALFANDEGÁRIA EM SÃO PAULO/SP. MPF EM SP: PEDIDO DE DECLINAÇÃO
DE COMPETÊNCIA. JUÍZO FEDERAL EM SP: DEFERIMENTO. JUÍZO FEDERAL EM ARAPIRACA/AL:
RECEBIMENTO DO FEITO, FIXAÇÃO DA COMPETÊNCIA E ABERTURA DE PRAZO DE 10 DIAS AO PARQUET
PARA ADOÇÃO DE UMA DAS PROVIDÊNCIAS INSERTAS NO ART. 54 DA LEGISLAÇÃO DE DROGAS. MPF
EM ARAPIRACA/AL: DISCORDÂNCIA, COM AMPARO NA AUSÊNCIA DE ATRIBUIÇÕES PARA DAR
CONTINUIDADE AO APURATÓRIO. REMESSA DOS AUTOS A ESTA 2ª CCR (ART. 28 DO CPP, POR
ANALOGIA). CONFLITO DE ATRIBUIÇÕES. CONFIGURAÇÃO DO CRIME PREVISTO NO INCISO I DO § 1º DO
ARTIGO 33 DA LEI Nº 11.343/2006, QUE POSSUI AÇÃO MÚLTIPLA OU CONTEÚDO VARIÁVEL. MATÉRIA-
PRIMA DESTINADA À PREPARAÇÃO DE DROGAS. COMPETÊNCIA DO LOCAL DA APREENSÃO DAS
SEMENTES DE MACONHA. INCIDÊNCIA DO ART. 70 DO CPP. PRECEDENTE DO STJ. FIXAÇÃO DA
ATRIBUIÇÃO DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM SÃO PAULO/SP PARA PROSSEGUIR NA
PERSECUÇÃO CRIMINAL. 1. Inquérito policial instaurado para apurar suposto crime de tráfico internacional de drogas
(Lei nº 11.343/2006, artigo 33, caput, c/c artigo 40, inciso I), tendo em vista apreensão de substância assemelhada à
maconha, em encomenda oriunda do exterior e destinada a morador de Arapiraca/AL, pelo Serviço de Remessas Postais
Internacionais da Receita Federal na Alfândega da Secretaria da Receita Federal do Brasil em São Paulo/SP. 2. A
Procuradora da República oficiante em São Paulo/SP requereu ao Juízo da 7ª Vara Criminal Federal da 1ª Subseção
Judiciária daquela Unidade Federativa a declinação de competência para o Juízo do local do destino da mercadoria. 3.
Deferimento do pedido pelo Magistrado e remessa dos autos ao Juízo da 8ª Vara Federal da Subseção Judiciária de
Arapiraca/AL. 4. Julgador recebedor do feito que se deu por competente e abriu prazo de 10 (dez) dias ao MPF para adoção
de uma das providências insertas no art. 54 da indigitada legislação. 5. A Procuradora da República oficiante em
Arapiraca/AL, todavia, declarou-se sem atribuições para continuar no apuratório e determinou a remessa dos autos a esta 2ª
Câmara de Coordenação e Revisão, para o exercício de suas atribuições revisionais. 6. A presente remessa deve ser
conhecida como legítimo conflito de atribuições, considerando os convergentes pronunciamentos dos referidos Magistrados
Federais e, ainda, a atual fase deste procedimento, em que se fazem ausentes oferecimento de denúncia e pedido de declínio
de competência para Juízo Estadual, a afastar a figura do arquivamento indireto. 7. No mérito, tem-se que a conduta em
exame se amolda ao tipo penal previsto no inciso I do § 1º do artigo 33 da Lei nº 11.343/2006, cujo objeto material não é a
droga, em si, mas a matéria-prima, o insumo, ou produto químico, destinado à preparação de drogas; é dizer, são
incriminadas as etapas anteriores à produção dos entorpecentes. 8. O delito em testilha é de ação múltipla, ou de conteúdo
variado, por apresentar várias formas de infringência da mesma proibição, sendo suficiente, para sua consumação, a prática
de uma das ações ali previstas, isto é, a entrada da mercadoria em território nacional. 9. O local da apreensão é o competente
para processá-lo e julgá-lo, nos termos do artigo 70, caput, do Código de Processo Penal e dos precedentes do Superior
Tribunal de Justiça. 10. Fixação da atribuição da Procuradoria da República em São Paulo/SP para prosseguir na persecução
criminal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela atribuição do suscitado, nos termos do voto
do(a) relator(a).Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

194. Processo: JF-RJ-0037924-85.2014.4.02.5101-INQ Voto: 8295/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DO RIO DE
JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Inquérito Policial. Possível crime de falsidade de documento público e uso de tal documento falso (CP, arts. 297 e 304).
Atestado médico contrafeito e apresentado à empresa privada por seu empregado, com o intuito de justificar afastamento
do trabalho. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR/MPF). O documento falseado se deu em prejuízo de um
Estado da Federação (Rio de Janeiro), vez que o investigado se valeu de nome de instiutição hospitalar estadual. Posterior
apresentação do falsum a ente coletivo particular. Ausência de ofensa a bem, serviço ou interesse direto e específico da
União, de suas entidades autárquicas, ou empresas públicas federais. Inexistência de elementos de informação capazes de
justificar a atribuição do Ministério Público Federal. Homologação do declínio de atribuições.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 49

195. Processo: JF/MG-NOTCRI-0060407-62.2014.4.01.3800 Voto: 8442/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DE MINAS
GERAIS
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: VOTO-VENCEDOR PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO. CRIME DE SONEGAÇÃO DE CONTRIBUIÇÃO
PREVIDENCIÁRIA (CP, ART. 337-A). MPF: ARQUIVAMENTO FUNDADO NO PRINCÍPIO DA
INSIGNIFICÂNCIA. DISCORDÂNCIA DO MAGISTRADO (CPP, ART. 28, C/C A LC N. 75/93, ART. 62, INC. IV).
VALOR INFERIOR AO PREVISTO NO ART. 20 DA LEI 10.522/02. APLICABILIDADE. HOMOLOGAÇÃO DE
ARQUIVAMENTO. 1. Trata-se de procedimento instaurado a partir de representação fiscal para fins penais visando apurar
eventual crime de sonegação de contribuição previdenciária (CP, art. 337-A), em razão do não recolhimento de contribuição
previdenciária no valor de R$ 5.304,65. 2. Consoante entendimento firmado pelo Superior Tribunal de Justiça, é aplicável
o princípio da insignificância aos débitos tributários que não ultrapassem o limite de R$ 10.000,00, em decorrência do art.
20 da Lei nº 10.522/02. Dessa forma, como a Lei 11.457/07 considerou como dívida ativa da União também os débitos
decorrentes das contribuições previdenciárias, dando-lhes tratamento semelhante ao que é dado aos créditos tributários, não
há porque fazer distinção, na seara penal, entre os crimes de descaminho, de apropriação ou sonegação de contribuição
previdenciária, razão pela qual deve se estender a aplicação do princípio da insignificância a estes últimos delitos, quando
o valor do débito não for superior R$ 10.000,00 (dez mil reais). Precedentes STJ (AgRg no Resp 1348074/SP, Min. Moura
Ribeiro, Quinta Turma, Dje 26/08/2014; AgRg no Resp 1389169/MG, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, Sexta
Turma, Dje 04/11/2013; AgRg no Resp 1171559/RS, Min. Maria Thereza de Assis Moura, Sexta Turma, Dje 22/09/2011)
3. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do arquivamento, vencido o relator, Dr.
José Adonis Callou de Araújo Sá. Participou da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada.

196. Processo: JF-OSA-INQ-0003619-02.2013.4.03.6130 Voto: 7793/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - 30ª


SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA - OSASCO/SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. ART. 28 DO CPP C/C O ART. 62, IV DA LC Nº 75/93. CRIME CONTRA A ORDEM
TRIBUTÁRIA (LEI Nº 8.137/90, ART. 1º). ARQUIVAMENTO FUNDADO NA PRESCRIÇÃO VIRTUAL.
INADMISSIBILIDADE. PROSSEGUIMENTO DA PERSECUÇÃO PENAL. 1. Inquérito policial instaurado para apurar
a prática de crime contra a ordem tributária, tipificado no art. 1º da Lei nº 8.137/90. 2. O Procurador da República oficiante
promoveu o arquivamento, por entender ausente o interesse na persecução penal (interesse de agir), com fundamento na
prescrição virtual (em perspectiva). 3. O Juiz Federal discordou do arquivamento, tendo em vista que a aplicação da
prescrição pela pena em perspectiva carece de fundamentação legal. 4. Os autos foram remetidos à 2ª CCR/MPF, nos termos
do art. 28 do CPP c/c o art. 62, IV da LC nº 75/93. 5. Esta Câmara de Coordenação e Revisão já consolidou o entendimento
no sentido de ser inadmissível o reconhecimento da extinção da punibilidade pela prescrição, considerando a pena em
perspectiva, por ferir os primados constitucionais do devido processo legal, da ampla defesa e da presunção de inocência
(Enunciado nº 28, 464ª Sessão, de 15/04/2009). 6. Entendimento sedimentado pelo Superior Tribunal de Justiça ao editar a
Súmula nº 438, publicada em 13/05/2010, in verbis: É inadmissível a extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão
punitiva com fundamento em pena hipotética, independentemente da existência ou sorte do processo penal. 7. Tendo em
vista que o prazo prescricional da pena máxima abstratamente cominada ao crime em questão ainda não foi atingido,
injustificável é o arquivamento neste momento. 8. Designação de outro membro do Parquet Federal para prosseguir na
persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

197. Processo: JF-PB-0001364-15.2013.4.05.8200-INQ Voto: 8208/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DA PARAIBA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SONEGAÇÃO PREVIDENCIÁRIA (CP, ART. 337-A). REPRESENTAÇÃO FISCAL PARA
FINS PENAIS. AUTOS DE INFRAÇÃO LAVRADOS EM DESFAVOR DE CÂMARA MUNICIAPL, RELATIVOS AO
PERÍODO DE 01.2004 A 12.2006. PEDIDO DE ARQUIVAMENTO PELO MPF ANCORADO DA EXTINÇÃO DA
PUNIBILIDADE, NOS MOLDES DAS DISPOSIÇÕES DO ART. 3º DA LEI Nº 12.810/2013. DISCORDÂNCIA DO
MAGISTRADO. REMESSA DOS AUTOS A ESTA 2ª CCR/MPF (CPP, ART. 28 C/C LC Nº 75/93, ART. 62-IV).
PARCELAMENTO REGIDO PELA LEI Nº 12.810/2013 QUE SE EQUIPARA AO PAGAMENTO PARA FINS DE
EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE, JÁ QUE AS PRESTAÇÕES NÃO PODERÃO SER INADIMPLIDAS. AUSÊNCIA
DE PAGAMENTO NA DATA DO RESPECTIVO VENCIMENTO AUTORIZA A RETENÇÃO E O REPASSE À
RECEITA FEDERAL DO BRASIL DE RECURSO DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS, PARA SUA
QUITAÇÃO. INTERPRETAÇÃO SISTEMÁTICA DO ART. 3º DA PREFALADA LEGISLAÇÃO CC. O INC. I DO
PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 160 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. INSISTÊNCIA NO ARQUIVAMENTO. 1.
Inquérito Policial instaurado para apurar a ocorrência do crime de sonegação previdenciária, previsto no art. 337-A do
Código Penal, atribuído a ex-Presidente de Câmara de Município paraibano. 2. O Procurador da República oficiante pugnou
pelo arquivamento do feito, aduzindo inexistir justa causa para o prosseguimento da persecução penal, ao argumento de que
os créditos tributários previdenciários apurados foram parcelados com base na Lei n. 12.810/2013, que assegura, em caso
de inadimplemento, a satisfação do crédito por meio da retenção de valores do Fundo de Participação dos Municípios FPM.
3. Discordância do Juiz Federal, sob o argumento de configurar a hipótese dos autos caso de suspensão das investigações,
devendo o Parquet acompanhar o andamento do parcelamento do débito, com as cautelas legais. 4. Remessa dos autos a

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 50

esta 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, com base no art. 28 do CPP cumulado com o
inciso IV do art. 62 da Lei Complementar nº 75/93. 5. Inicialmente, registre-se que A suspensão da pretensão punitiva com
base no parcelamento do débito tributário através dos programas denominados REFIS e PAES não é causa para
arquivamento do procedimento investigatório criminal ou do inquérito policial; mas sim, para sobrestamento da
investigação, com comunicação à Câmara, independentemente de remessa dos autos, devendo estes permanecerem
acautelados, para eventual prosseguimento da persecução penal, na hipótese de descumprimento do acordo, ou
arquivamento formal, na hipótese de cumprimento do mesmo (Enunciado nº 19 da 2ª CCR/MPF). 6. Contudo, no caso do
parcelamento ofertado aos Municípios com base na Lei nº 12.810/2013, que é o caso do autos, a adesão a referido Programa
equipara-se ao pagamento para fins de extinção da punibilidade, já que as prestações não poderão ser inadimplidas. Isso
porque a ausência de pagamento na data do respectivo vencimento autoriza a retenção e o repasse à Receita Federal de
recursos do Fundo de Participação do Município, para sua quitação. Interpretação sistemática do art. 3º da Lei nº 12.810/13
c/c o inciso I do parágrafo único do art. 160 da Constituição Federal. 7. Insistência no arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

198. Processo: JF/PR/LON-PRIMPPI-5021846- Voto: 8346/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SUBSEÇÃO


31.2013.4.04.7001 JUDICIÁRIA DE LONDRINA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO. SUPOSTO CRIME DE DESCAMINHO (ART. 334 DO CP). PEDIDO DE
ARQUIVAMENTO PELO MPF ANCORADO NO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. DISCORDÂNCA DO
MAGISTRADO. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO (ART. 28 DO CPP CC. O ART. 62, INC. IV, LC Nº 75/93).
TRIBUTOS NÃO RECOLHIDOS CALCULADOS EM VALOR INFERIOR AO PATAMAR PREVISTO NO ARTIGO
20, CAPUT, DA LEI Nº 10.522/2002. AUSÊNCIA DE REITERAÇÃO DELITIVA. INSISTÊNCIA NO
ARQUIVAMENTO. 1. Procedimento Investigatório instaurado para apurar suposto crime de descaminho (CP, artigo 334),
tendo em vista ilusão no pagamento de tributos calculados no valor de R$ 2.360,04 (dois mil trezentos e sessenta reais e
quatro centavos). 2. O Procurador da República oficiante requereu o arquivamento do feito, ao argumento de que a conduta
do investigado é atípica, em razão da aplicação do princípio da insignificância, porquanto inexpressiva a ofensa ao bem
jurídico tutelado, considerando como parâmetro, para tal fim, o valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais) definido no art. 20 da
Lei nº 10.522/2002, alterada pela Lei nº 11.033/2004. 3. Discordância do Magistrado. 4. Firmado o dissenso, os autos vieram
a esta 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, nos termos do artigo 28 do Código de Ritos
Penais cumulado com o artigo 62, inciso IV, da Lei Complementar nº 75/93. 5. Razão assiste ao Membro do Parquet Federal.
6. Não há reincidência delitiva ou mercadorias proibidas (contrabando). 7. Aplicação do Enunciado nº 49 desta 2ª CCR:
Admite-se o valor fixado no art. 20, caput, da Lei nº 10.522/2002 (R$ 10.000,00) como parâmetro para a aplicação do
princípio da insignificância ao crime de descaminho, desde que ausente reiteração da conduta. (61ª Sessão de Coordenação,
de 04.03.2013). 8. Insistência no arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

199. Processo: JF/SP-0010558-05.2014.4.03.6181-INQ Voto: 8207/2014 Origem: JUSTIÇA FEDERAL - SEÇÃO


JUDICIÁRIA DO ESTADO DE SÃO
PAULO/SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: INQUÉRITO POLICIAL. SUPOSTO CRIME DE FRAUDE MAJORADA NO PAGAMENTO POR MEIO DE CHEQUE
(CP, ART. 171, INCISO VI, §3º). DESCONTO PELA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL DE DOIS CHEQUES
SUPOSTAMENTE FRAUDADOS. EXISTÊNCIA DE CÓPIA DE TAIS CÁRTULAS NOS AUTOS, ALÉM DE
DECLARAÇÕES DO REPRESENTATE LEGAL DA PESSOA JURÍDICA QUE CONTESTOU A EMISSÃO DOS
CITADOS TÍTULOS DE CRÉDITO. PEDIDO DE ARQUIVAMENTO PELO MPF FUNDADO NA AUSÊNCIA DE
MATERIALIDADE DELITIVA. DISCORDÂNCIA DO MAGISTRADO. REMESSA DO FEITO A ESTA 2ª CCR/MPF
(ART. 28 DO CPP). ARQUIVAMENTO INADEQUADO. EXISTÊNCIA DE PROVAS DA MATERIALIDADE
CRIMINOSA. POSSIBILIDADE DE OBTENÇÃO DO DOCUMENTO OU DE SUPRIMENTO POR OUTROS MEIOS
DE PROVAS. PRECENDENTE DO STJ. DESIGNAÇÃO DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA PROSSEGUIR NA
PERSECUÇÃO PENAL. 1. Inquérito Policial instaurado para apurar suposta fraude majorada no pagamento por meio de
cheque, crime previsto no art. 171, inciso VI, §3º, do Estatuto Repressivo, tendo em vista comunicação pela Caixa
Econômica Federal CEF de desconto de dois cheques supostamente fraudados, no valores de R$ 3.725,00 (três mil
setecentos e vinte e cinco reais) e R$ 3.670,00 (três mil seiscentos e setenta reais), ambos descontados em 10.04.2013, em
conta de pessoa jurídica que contestou junto à instituição, por meio de seu representante legal, a emissão de tais cártulas. 2.
A Procuradora da República oficiante pugnou pelo arquivamento do feito, considerando que somente as cópias dos
documentos falsos eram insuficientes a comprovar a materialidade delitiva, ressalvando, no entanto, as disposições do art.
18 da Lei Penal Adjetiva. 3. Discordância do Magistrado. 4. Remessa dos autos a esta 2ª Câmara de Coordenação e Revisão,
com fulcro no art. 28 do Código de Ritos Penais. 5. Com razão o Julgador. 6. Existem provas da materialidade criminosa
(cópias das cártulas e declarações do representante legal do ente coletivo que contestou os títulos), porquanto a ausência
dos documentos originais (cheques fraudados) pode ser suprida pelas respectivas cópias dos citados títulos acostadas ao
feito. 7. Precedente do Superior Tribunal de Justiça. 8. Ademais, não se pode olvidar a possibilidade de obtenção das cártulas
autênticas, (rastreamento da conta beneficiária, inquirição do depositário, rastreamento do papel utilizado na impressão dos

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 51

cheques, rastreamento das próprias cártulas emitidas pelo correntista lesado e que precederam à fraude etc.), ou de coleta
de outros meios de provas, a exemplo da testemunhal. 9. Designação de outro membro do Parquet Federal para dar
prosseguimento à persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

ORIGEM INTERNA
NÃO PADRÃO
200. Processo: 1.34.010.000177/2014-67 Voto: 8226/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO S. J. DO RIO
PRETO-SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. CONFLITO NEGATIVO DE ATRIBUIÇÕES. SUPOSTA PRÁTICA DOS CRIMES CONTRA A
ORDEM TRIBUTÁRIA (LEI Nº 8.137/90, ART. 1º, V) E USO DE DOCUMENTO FALSO (CP, ART. 304).
COMPETÊNCIA PARA O PROCESSO E JULGAMENTO QUE SE FIRMA PELO LOCAL ONDE SE CONSUMOU A
INFRAÇÃO, NOS TERMOS DO ART. 70 DO CPP. FATOS OCORRIDOS EM RIBEIRÃO PRETO. CONFLITO
CONHECIDO PARA DECLARAR A ATRIBUIÇÃO DO PROCURADOR DA REPÚBLICA EM RIBEIRÃO PRETO,
ÓRGÃO SUSCITADO. 1. Nos termos do art. 70 do CPP, a competência se firma, em regra, pelo local da consumação da
infração penal. 2. A persecução penal para apuração de prática, em tese, de crime contra a ordem tributária deve ocorrer no
local da consumação da suposta conduta delituosa, é dizer, no local do não fornecimento da nota fiscal. 3. Consta dos autos
que o município onde teria ocorrido os fatos criminosos seria Ribeirão Preto/SP, além da empresa também possuir domicílio
fiscal na referida cidade. Dessa forma, as investigações devem prosseguir na cidade Ribeirão Preto/SP. 4. Pelo conhecimento
do presente conflito negativo e, no mérito, por sua procedência para reconhecer a atribuição do Procurador da República
oficiante na Procuradoria da República no Município de Ribeirão Preto.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela atribuição do suscitado, nos termos do voto
do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

201. Processo: 1.22.006.000192/2014-95 Voto: 8179/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE PATOS
DE MINAS-MG
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. SUPOSTO CRIME DE FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTO PÚBLICO (CP, ART. 297).
CONTRAFACÇÃO DE DIPLOMA DE ENSINO. DECLÍNIO DE ATRIBUIÇÕES ARRIMADO NA COMPETÊNCIA
DA JUSTIÇA ESTADUAL PARA PROCESSAMENTO E JULGAMENTO DO FEITO, POR SE TRATAR DE FALSO
QUE SE DEU EM DETRIMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO PARTICULAR. REVISÃO (ENUNCIADO Nº 32
DA 2ª CCR/MPF). POSTERIOR USO DO DOCUMENTO INAUTÊNTICO PERANTE ÓRGÃO FEDERAL.
COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL, POR FORÇA DA SÚMULA Nº 122 DO STJ. DESIGNAÇÃO DE OUTRO
MEMBRO DO MPF PARA DAR PROSSEGUIMENTO À PERSECUÇÃO PENAL. 1. Notícia de fato instaurada para
apurar suposta prática dos crimes de falsificação de diploma de conclusão de ensino superior e posterior uso de tal
documento contrafeito perante conselho regional de educação física. 2. Declínio de atribuições ao MPE, sob alegativa de
ser da competência da Justiça Estadual processar e julgar falso em detrimento de instituição de ensino particular. 3. Remessa
dos autos a esta Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, nos termos do Enunciado nº 32. 4.
Revela-se inadequado o presente declínio. 5. Não se desconhece que a falsidade de documento público emitido por
instituição de ensino privada atrai as atribuições do Ministério Público Estadual e, ipso facto, a competência da Justiça
Comum Estadual para o processamento e julgamento do feito, nos moldes no que estabelece a Súmula nº 104 do Superior
Tribunal de Justiça. Isso porque a competência da Justiça Federal se firma, tão somente, quando há falsidade de documento
público cuja emissão é da competência de um órgão federal, na esteira do que vem acenando a Suprema Corte. 6. Sucede,
todavia, que tal documento foi utilizado, a posteriori, perante uma autarquia federal (Conselho Regional de Educação Física
CREF, em Santa Catarina), ou seja, em detrimento de serviço público federal, a atrair a competência da Justiça Federal para
o feito e, por conseguinte, a atuação do MPF, seja em razão eventual ante factum impunível, caso em que pode o crime de
falso restar (se contrafeito pelo próprio agente) absorvido, em tese, pelo uso, seja em razão de eventuais concurso material
e concurso de pessoas (falsificação por pessoa distinta da investigada, ou em conluio com esta), caso em que se mostra
inarredável a incidência da Súmula nº 122 do STJ. 7. Designação de outro membro do Ministério Publico Federal para
prosseguir na persecução penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

202. Processo: 1.33.009.000076/2014-62 Voto: 8200/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAÇADOR-SC
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: NOTÍCIA DE FATO. SUPOSTO CRIME CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA. PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO
ANCORADA NA AUSÊNCIA DE CONSTITUIÇÃO DEFINITIVA DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO. REVISÃO (ART. 62,
IV, DA LC Nº 75/93). NÃO HOMOLOGAÇÃO. ARQUIVAMENTO INADEQUADO. INDÍCIOS DE AUTORIA E
MATERIALIDADE DO DELITO DO ART. 2º, INCISO II, DA LEI Nº 8.137/90. CRIME FORMAL QUE SE CONSUMA

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 52

COM A DECLARAÇÃO FALSA OU OMISSÃO NA DECLARAÇÃO SOBRE RENDAS, BENS OU FATOS, OU


EMPREGAR OUTRA FRAUDE, PARA EXIMIR-SE, TOTAL OU PARCIALMENTE, DE PAGAMENTO DE
TRIBUTO. DISPENSABILIDADE DE CONSTITUIÇÃO DEFINITIVA DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO. DESIGNAÇÃO
DE OUTRO MEMBRO DO MPF PARA PROSSEGUIR NA PERSECUÇÃO CRIMINAL. 1. Notícia de fato instaurada
para apurar suposta prática de crime contra a ordem tributária, previsto na Lei nº 8.137/90, atribuído a representante(s)
legal(is) de empresa privada, que teria, no bojo de ação processo eleitoral, visando a justificar valores de doação à campanha,
eleitoral, indicado renda divergente da constante na Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica. 2. O Procurador
da República oficiante promoveu o arquivamento do feito, com arrimo na ausência de constituição definitiva do crédito
tributário, nos moldes da Súmula Vinculante nº 24 do Supremo Tribunal Federal 3. Os autos foram encaminhados a esta 2ª
Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, nos termos do artigo 28 do Código de Ritos Penais
cumulado com o art. 62, inciso IV, da Lei Complementar nº 75/93. 4. Revela-se inadequado o arquivamento do
procedimento em análise. 5. Existência de indícios de autoria e materialidade do crime previsto no art. 2º, inciso II, da Lei
nº 8.137/90. 6. Delito de natureza formal, que se caracteriza por: fazer declaração falsa ou omitir declaração sobre rendas,
bens ou fatos, ou empregar outra fraude, para eximir-se, total ou parcialmente, de pagamento de tributo.. 7. Dispensabilidade
de constituição definitiva do crédito tributário. 8. Designação de outro Membro do MPF para prosseguir na persecução
penal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

PADRÃO
Não Provimento do recurso
203. Processo: 1.00.000.011822/2014-74 Voto: 8378/2014 Origem: PROCURADORIA GERAL DA
REPUBLICA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO. INSTAURAÇÃO NO AMBITO DA 2ª CCR. SOLICITAÇÕES DE
PARTICULAR QUE NÃO SE INSEREM NAS ATRIBUIÇÕES PREVISTAS NO ART. 62 DA LC 75/93. DECISÃO
MONOCRÁTICA DE ARQUIVAMENTO. RECURSO DO INTERESSADO. NÃO PROVIMENTO. 1. Trata-se de
procedimento administrativo instaurado em razão dos documentos encaminhados por particular a esta 2º Câmara de
Coordenação e Revisão do MPF. 2. De acordo com a representação, a SUSEP editou a circular nº 365/2008 em desacordo
com o CDC, prejudicando os consumidores e beneficiando as empresas de capitalização. Ainda, afirma que a referida
circular considera, para efeitos de sorteios, os títulos cancelados, suspensos ou comercializados como pertencentes às
empresas de capitalização, permitindo que estas concorram com os consumidores utilizando a sobra das vendas sem arcar
com o valor do produto. Dessa forma, os consumidores seriam prejudicados por ter que dividir o valor dos prêmios com os
empresários. 3. Diante disso, instruiu os autos com cópias de diversos procedimentos abertos tanto em âmbito criminal
como de tutela coletiva, ocasião nos quais posteriormente tiveram seus arquivamentos homologados. Registre-se, por
oportuno, que o atual procedimento não diz respeito a impugnação de qualquer decisão tomada no âmbito desta 2º CCR. 4.
Por fim, tece críticas ao MPF, esclarecendo que o objetivo do atual procedimento se deve ao fato de que o MPF não
estabelece integração com os Ministérios Públicos Estaduais quanto ao desfecho das denuncias encaminhadas a ele, além
de não dar conhecimento aos Ministérios Públicos Estaduais quando dos conflitos de atribuições internos do MPF e a
ausência de integração entre a 2ª CCR e a 3ª CCR. Ainda, solicita que a 2º CCR, tal qual a 3º CCR vem fazendo, investigue
junto ao Sistema Financeiro Nacional, e se posicione quanto ao tema dos títulos de capitalização, requerendo que seja
realizada uma reunião entre a 2º CCR e a 3º CCR, junto à SUSEP, com peritos e assessores jurídicos, além de solicitar o
encaminhamento dos autos ao Conselho Superior do MPF e ao Corregedor Geral do Ministério Público Federal, de forma
que a 2º CCR possa interceder junto aos MP's Estaduais em relação a temática títulos de capitalização. 5. Arquivamento do
procedimento, tendo em vista que as questões levantadas pelo interessado já foram objeto de apreciação pelo Ministério
Público Federal no que tange aos possíveis aspectos de ordem criminal, bem como não impugnam nenhuma decisão tomada
por esta 2º CCR em procedimentos administrativos que tiveram seu regular trâmite. Ainda, tem-se que as solicitações
encaminhadas pelo interessado não se inserem nas atribuições elencadas no art. 62 da Lei Complementar nº 75/93, não
havendo providência a ser tomada nesta câmara. 6. Recurso do interessado. Recebo o recurso como Agravo Interno e
submeto ao Colegiado. 7. Decisão mantida por seus próprios fundamentos. 8. Não provimento do recurso.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pelo não provimento do recurso, nos termos do voto
do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá.

Homologação do Declínio de atribuição


204. Processo: 1.15.000.002957/2014-16 Voto: 8320/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA - CEARA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de estelionato (art. 171 do CP). Grupo que estaria enviando correspondências a servidores
públicos ativos e inativos, informando sobre valores a que teriam direito em face de ação popular movida contra a Caixa de
Pecúlio e Pensões Monteplos Beneficentes CAPEMI, mas o recebimento de tais valores estaria atrelado ao pagamento de
custas judiciais de valores elevados. Revisão de declínio (Enunciado nº 32, da 2ª CCR). Prejuízo suportado unicamente por
particular. Inexistência de prejuízo a bens, serviços ou interesses da União, suas autarquias ou empresas públicas federais.
Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução
penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 53

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

205. Processo: 1.17.000.003311/2014-81 Voto: 8241/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Possível incitação ao crime (CP, art. 286). Crime praticado via internet, atribuído a particular que estaria
fazendo apologia ao estupro. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª Câmara). Ausência de elementos de informação
capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de
atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

206. Processo: 1.17.000.003313/2014-71 Voto: 8223/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Noticia da suposta prática do crime contra a economia popular (Lei nº 1.521/51, art. 2º, inc. IX), mediante
o exercício da atividade denominada pirâmide financeira. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 - 2ª CCR/MPF). Fraude
conhecida como pirâmide, que envolve a permuta de dinheiro pelo recrutamento de outras pessoas para o esquema, sem que
qualquer produto ou serviço seja efetivamente entregue. Incidência do Enunciado n. 498 da Súmula do Supremo Tribunal
Federal (Compete a justiça dos estados, em ambas as instâncias, o processo e o julgamento dos crimes contra a economia
popular). Ausência de atividade bancária a configurar crime contra o Sistema Financeiro Nacional (Lei 7.492/86, art. 1º).
Precedente do STJ (CC 121146/MA, TERCEIRA SEÇÃO, DJe 25/06/2012). Ausência de elementos de informação capazes
de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio ao Ministério
Público Estadual.
Deliberação: Pedido de vista realizado por Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA.

207. Processo: 1.25.004.000179/2014-44 Voto: 8238/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUARAPUAVA-PR
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Suposto crime de falsificação de documento público (CP, art. 297, §4º). Notícia de que sociedade empresária
não estaria procedendo a anotação do vínculo empregatício na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Revisão
de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV) recebido como Revisão de declínio (Enunciado nº 32 - 2ª CCR). No caso, o
pedido de arquivamento se deu pela ausência de indícios do crime. Contudo, a mera ausência de anotação de vínculo
trabalhista em CTPS não atrai a competência da Justiça Federal para processar e julgar o crime correspondente. Precedentes
STJ (AgRg no CC 107283/SP, Rel. Min. Nefi Cordeiro, 3º Seção, Dje 21/08/2014; AgRg no CC 116740/SC; 3ª Seção, DJe
22/06/2012). Aplicação da Súmula nº 62 do STJ: Compete à Justiça Estadual processar e julgar o crime de falsa anotação
na Carteira de Trabalho e Previdência Social, atribuído à empresa privada. Ausência de atribuição do Ministério Público
Federal. Homologação do declínio de atribuição ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, vencido o
Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá. Participou da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada.

208. Processo: 1.26.000.003390/2014-11 Voto: 8193/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PERNAMBUCO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Supostos crimes de tráfico ilícito de entorpecentes, de formação de quadrilha, de estelionato, de tráfico de
armas de fogo, de lavagem de dinheiro e de pedofilia. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR/MPF). Inexistência
de indícios de internacionalidade das condutas relatadas. Ausência de ofensa a bem, serviço, ou interesse direto e específico
da União, de suas entidades autárquicas, ou de empresas públicas federais. Ausência de elementos de informação capazes
de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do declínio de atribuições
ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

209. Processo: 1.26.000.003523/2014-50 Voto: 8242/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PERNAMBUCO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Suposto crime de injúria racial (CP, art. 140, §3°), praticado contra candidata a cargo eletivo. Revisão de
declínio (Enunciado nº 32). Eventual conduta criminosa praticada contra pessoa determinada, envolvendo dois particulares.
Não constatação de conduta discriminatória dirigida a um determinado grupo ou coletividade. Ausência de elementos de
informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a persecução penal. Homologação do
declínio ao Ministério Público Estadual.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 54

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

210. Processo: 1.27.000.001534/2014-68 Voto: 8187/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PIAUI
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Representação dando conta de possível uso irregular de CPF e de possíveis falsificação de escritura pública
e de autorização para venda (documentos público e particular) e posterior uso de tais documentos em ação de inventário,
decorrente do falecimento dos pais do representante. 1) Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inciso IV). Suposto
crime de uso de CPF inautêntico. Diligência. Informação da Receita Federal do Brasil de que a referência equivocada do
nome da investigada ao documento em alusão se dera em razão de equívoco da fonte pagadora ao preencher o Comprovante
de Rendimentos Pagos e de Retenção de Imposto de Renda. Atipicidade da conduta noticiada. Homologação do
arquivamento. 2) Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR/MPF). Supostos crimes de falsificação de documentos
público e particular (escritura pública e autorização para venda) e uso de tais papeis contrafeitos perante Juízo de Direito:
falsum que ocorreu em detrimento de cartório administrado e fiscalizado por um Estado da Federação (Piauí), com ulterior
apresentação junto a Órgão Estadual. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério
Público Federal para a persecução penal, haja vista específica lesão a bens e interesses particulares. Inexistência de outros
elementos que denotem ofensa a bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas
públicas. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

211. Processo: 1.27.000.002021/2014-74 Voto: 8233/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PIAUI
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Crime contra a economia popular (Lei nº 1.521/51, art. 2º, inc. IX). Revisão de declínio de atribuições
(Enunciado n° 32 - 2a CCR). Fraude conhecida como compra premiada ou venda premiada, caracterizadas pela promessa
de aquisição de bens, mediante formação de grupos, com pagamentos de contribuições mensais e sorteios, cujos
contemplados ficam exonerados de adimplir as parcelas restantes. Incidência do Enunciado n. 498 da Súmula do Supremo
Tribunal Federal (Compete a justiça dos estados, em ambas as instâncias, o processo e o julgamento dos crimes contra a
economia popular). Conduta que não caracteriza crime contra o Sistema Financeiro Nacional, situação que afasta a
competência da Justiça Federal. Precedente: STJ CC 201200317803, SEBASTIÃO REIS JÚNIOR, Terceira Seção, DJE
25/06/2012. Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a
persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Pedido de vista realizado por Dr(a) JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA.

212. Processo: 1.28.000.000920/2014-03 Voto: 8186/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO NORTE
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Noticia de fato. Supostos crimes de fraude à execução (CP, art. 179) e de lavagem de dinheiro (Lei nº 9.613/98, art. 1º).
Acórdão do Tribunal de Contas da União TCU que condenou ex-Prefeito do Município de São Gonçalo do Amarante/RN
a restituir aos cofres do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE a quantia de R$ 109.134,69 (cento e nove
mil cento e trinta e quatro reais e sessenta e nove centavos), relativamente a vícios encontrados em prestação final de contas
de programa educacional custeado com recursos federais. Ação fiscal ajuizada pela União em face do ex-Gestor, para o
devido ressarcimento do prejuízo ao erário. O ex-Político teria se desfeito de bens passíveis de penhora, doando-os à sua
ex-esposa, no intuito de se desviar da execução. O Juiz da 6ª Vara Federal onde tramitou o processo executório, ao proferir
sentença, ressaltou a ocorrência do possível fraude à execução, assinalando, ainda, possível lavagem de dinheiro, por ter
constatado disparidade entre o patrimônio relatado no mencionado processo e a renda do ora investigado e de sua ex-
cônjuge. 1) Suposta fraude à execução: arquivamento. Revisão (LC nº 75/93, art. 62, inciso IV). A despeito de ser infração
de ação penal privada, o fato se deu em detrimento de verbas públicas, de modo que a ação passa a ser de ação penal pública
incondicionada, nos termos do art. 24, §3º, do Código de Ritos Penais. Todavia, há que se reconhecer a prescrição da
pretensão punitiva estatal, calculada pela pena máxima cominada ao crime 02 (dois) anos , vez que transcorridos mais de
04 (quatro) anos entre a data dos fatos (19.02.2008) e a presente data (inteligência dos arts. 107, inciso IV, e 109, inciso V,
do Estatuto Repressivo). Homologação. 2) Suposto branqueamento de capitais: declínio. Revisão (Enunciado nº 32 da 2ª
CCR/MPF). Ausência de indícios de cometimento de delito antecedente ao de lavagem de dinheiro de origem federal,
consoante rol taxativo estabelecido no art. 1º da Lei nº 9.613/98, antes do advento da Lei nº 12.683/2012. Homologação.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

213. Processo: 1.28.000.001087/2014-18 Voto: 8323/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - GOIAS/APARECIDA DE
GOIÂNIA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 55

Ementa: Notícia de fato. Possíveis crimes de falsificação de documento público (art. 297 do CP), uso de tal documento falso (art.
304 do CP) e estelionato (art. 171 do CP). Notícia de comercialização, em site na Internet, de diplomas falsos de ensino
técnico e superior. 1) falsificação de documento público e uso de documento falso. Revisão de arquivamento (art. 62, inciso
IV, da LC nº 75/93). Não houve indícios mínimos de efetiva falsificação, utilização e entrega de diplomas falsos. Ausência
de provas da materialidade delitiva. Homologação de arquivamento. 2) crime de estelionato: Revisão de declínio (Enunciado
nº 32 da 2ª CCR/MPF). O sítio eletrônico, ao que tudo indica, visa, única e exclusivamente, a arrecadar dinheiro de incautos.
Fraude que se deu em detrimento de particulares. Ausência de ofensa a bem, serviço ou interesse direto e específico da
União, de suas entidades autárquicas, ou empresas públicas federais. Inexistência de elementos de informação capazes de
justificar a atribuição do Ministério Público Federal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público
Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

214. Processo: 1.29.000.002490/2013-38 Voto: 8195/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO SUL
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento preparatório. Possíveis crimes ambientais (Lei n° 9.605/98, art. 29 e art. 50). Relatos de desmatamento e caça
ilegais em zona rural subjacente à Fazenda Catanduba, em Eldorado do Sul/RS. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª
CCR). Diligência. Informações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA de
que não há interesse federal na área em questão e de não há como precisar se houve caça de animais em extinção na referida
propriedade. Inexistência de prejuízo a bens, serviços ou interesses da União, ou de suas entidades autárquicas ou empresas
públicas. Ausência de atribuição do Ministério Público Federal para dar prosseguimento à persecução penal. Precedentes
do STJ (CC nº 37.137/MG, Terceira Seção, Min. Felix Fischer, DJ de 14/04/2003) e desta 2ª CCR (Procedimento MPF nº
1.22.000.002416/2012-91). Homologação do declínio ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos
termos do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou
de Araújo Sá.

215. Processo: 1.30.001.003425/2013-07 Voto: 8303/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Possíveis crimes militares de constrangimento ilegal (CPM, art. 222) e prevaricação (CPM, art. 319). Recruta
que teria sido reintegrado às fileiras militares na condição de adido (em virtude de acidente de trabalho sofrido em serviço),
estaria sendo obrigado por Coronel do Exército a cumprir expediente na Unidade Militar, contrariando assim ordem judicial
e agravando a situação de saúde do recruta. Revisão de declínio (Enunciado n° 33, 2ª CCR). Suposto crime cometido por
militar em situação de atividade ou assemelhado, contra militar na mesma situação ou assemelhado (art. 9ª, II, a, do CPM).
Competência da Justiça Militar da União. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Militar.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

216. Processo: 1.34.004.001153/2014-12 Voto: 8243/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAMPINAS-SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Crime de divulgação de segredo (CP, art. 153, §1º-A). Representação dando conta que página da internet
proporcionaria ao usuário pesquisar dados confidenciais de outras pessoas. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª
Câmara). Ausência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para a
persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

217. Processo: 1.34.016.000390/2014-19 Voto: 8312/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SOROCABA-SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Possível crime de injúria racial (art. 140, §3°, do CP). Notícia de postagem injuriosa referente à cor de pele
em rede social na Internet. Revisão de declínio (Enunciado nº 32 da 2ª CCR/MPF). Fato que ofendeu indivíduo específico,
não se constatando conduta discriminatória dirigida a um determinado grupo ou coletividade daqueles que têm a cor da pele
negra. Ausência de ofensa a bem, serviço ou interesse direto e específico da União, de suas entidades autárquicas, ou empresas
públicas federais. Inexistência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal.
Homologação.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 56

Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

218. Processo: 1.35.000.001799/2014-94 Voto: 8232/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Crime de homicídio (art. 121, CP). Assassinato de um trabalhador rural assentado no Projeto de
Assentamento José Unaldo de Oliveira, localizado no município de Porto da Folha/SE. Revisão de declínio (Enunciado n°
32, 2ªCCR). Inexistência de elementos de informação capazes de justificar a atribuição do Ministério Público Federal para
prosseguir na persecução penal. Homologação do declínio de atribuições ao Ministério Público Estadual.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos
do voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de
Araújo Sá.

Homologação de Arquivamento
219. Processo: 1.00.000.011779/2014-47 Voto: 8229/2014 Origem: PROCURADORIA DA
REPUBLICA - MARANHAO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Instauração a partir de Relatório de Fiscalização elaborado pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel do
Ministério do Trabalho e Emprego em decorrência de ação fiscalizatória para erradicação do trabalho em condição análoga
a de escravo realizada em fazenda localizada no município de Santa Luzia/MA. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art.
62, IV). Existência de Notícia de Fato nº 1.30.000.001316/2014-03 que tem por objeto a apuração dos mesmos fatos.
Aplicação do princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

220. Processo: 1.11.000.000314/2014-87 Voto: 8313/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA - ALAGOAS/UNIÃO DOS
PALMARES
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Representação. Supostos crimes de falso testemunho (CP, art. 342), de estelionato
(CP, art. 171) e de associação criminosa (CP, art. 288). Relatos da representante de possível conluio entre ex-funcionárias de
instituto de fisioterapia, com o fim de distorcer a verdade dos fatos em reclamações trabalhistas, o que teria levado à
condenação do aludido instituto ao pagamento de R$ 221.123,30 (duzentos e vinte e um mil reais, cento e vinte três reais e
trinta centavos) às reclamantes. Comentários, em tese, suspeitos em perfis de rede social da Internet. Revisão de arquivamento
(LC nº 75/93, art. 62, inc. IV). Diligência. As investigadas foram ouvidas e aduziram que as postagens eletrônicas se deram
em tom jocoso, informal, despretensioso e inespecífico, bem assim que a representante estaria inconformada com a
condenação imposta à referida instituição. Irrelevância dos depoimentos testemunhais para o deslinde das ações laborais, que
findaram em acordo entre as partes. Ausência de provas da materialidade delitiva. Ausência de justa causa para a persecução
criminal. Homologação do arquivamento, com as ressalvas do art. 18 do Código de Ritos Penais e do Verbete Sumular nº
524 do Supremo Tribunal Federal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

221. Processo: 1.11.001.000135/2014-30 Voto: 8228/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
ARAPIRACA/S IPANEM
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento investigatório criminal. Denuncia sigilosa relatando suposto crime de apropriação indébita previdenciária (CP,
art. 168-A) praticado pela Prefeitura do Município de Arapiraca/AL. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV).
Diligências à Receita Federal do Brasil. Crédito tributário com exigibilidade suspensa em face da adesão do município ao
Parcelamento Especial regido pela Medida Provisória nº 589/2012, convertida na Lei nº 12.810/13. Parcelamento que se
equipara ao pagamento para fins de extinção da punibilidade, já que as prestações não poderão ser inadimplidas. Ausência
de pagamento na data do respectivo vencimento autoriza a retenção e o repasse à Receita Federal do Brasil de recurso do
Fundo de Participação dos Municípios, para sua quitação. Interpretação sistemática do art. 3º, da Lei nº 12.810/13 c/c o inc.
I do par. único do art. 160 da Constituição Federal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

222. Processo: 1.14.004.000312/2014-46 Voto: 8201/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE FEIRA
DE SANTANA-B

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 57

Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO


Ementa: Notícia de fato. Representação. Suposto crime de furto qualificado mediante fraude (CP, art. 155, §4º, inciso II) em desfavor
da Caixa Econômica Federal. Relato do representante de retirada indevida de R$ 61,86 (sessenta e um reais e oitenta e seis
centavos) de sua conta corrente na CEF, possivelmente por meio de cartão magnético clonado. Revisão de arquivamento (LC
nº 75/93, art. 62, inciso IV). A empresa pública federal informou que, por meio de auditoria interna, não foi constatada a
mencionada ilicitude. Ausência de provas da materialidade delitiva e de justa causa para a persecução criminal. Homologação
do arquivamento, com as ressalvas do art. 18 do Código de Ritos Penais e do Verbete Sumular nº 524 do Supremo Tribunal
Federal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

223. Processo: 1.14.012.000043/2014-19 Voto: 8324/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE
IRECÊ-BA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Denuncia anônima dando conta que particular estaria veiculando, em redes sociais, fotos de garotas menores
de cunho sexual. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62-IV). Diligências. Ausência de materialidade delitiva.
Ausência de elementos mínimos a justificar a continuidade da persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

224. Processo: 1.15.000.001280/2014-07 Voto: 8197/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - CEARA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento investigatório criminal. Representação. Suposta inserção de vínculo fictício no Cadastro Nacional de
Informações Sociais CNIS. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inciso IV). Diligência. O Instituto Nacional do
Seguro Social INSS confirmou a existência de incorreções no aludido sistema cadastral atribuída a batalhão de caçadores,
que, por sua vez, vem tentando identificá-las e retificá-las. Ausência de fraude. Mero erro a ser sanado. Atipicidade.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

225. Processo: 1.15.004.000223/2014-62 Voto: 8317/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CRATEÚS/TAUÁ-CE
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposto crime de apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A) atribuído à
Secretaria Municipal de Gestão Orçamentária e Financeira de Cratéus/CE. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62,
inc. IV). Diligências à Receita Federal do Brasil. Crédito tributário com exigibilidade suspensa, em face da adesão da citada
municipalidade ao Parcelamento Especial regido pela Medida Provisória nº 589/2012, convertida na Lei nº 12.810/13.
Parcelamento que se equipara ao pagamento para fins de extinção da punibilidade, já que as prestações não poderão ser
inadimplidas. Ausência de pagamento na data do respectivo vencimento autoriza a retenção e o repasse à Receita Federal do
Brasil de recurso do Fundo de Participação dos Municípios, para sua quitação. Interpretação sistemática do art. 3º da Lei nº
12.810/13 cc. o inc. I do parágrafo único do art. 160 da Constituição Federal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

226. Processo: 1.20.000.000444/2014-19 Voto: 8435/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - MATO
GROSSO/DIAMANTINO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: VOTO-VENCEDOR NOTÍCIA DE FATO. CRIME DE SONEGAÇÃO DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA (CP,
ART. 337-A). ARQUIVAMENTO FUNDADO NO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. REVISÃO DE
ARQUIVAMENTO (ART. 62, IV, LC Nº 75/93). VALOR INFERIOR AO PREVISTO NO ART. 20 DA LEI 10.522/02.
APLICABILIDADE. HOMOLOGAÇÃO DE ARQUIVAMENTO. 1. Trata-se de procedimento instaurado a partir de notícia
de crime formulada por Juízo Trabalhista visando apurar eventual crime de sonegação de contribuição previdenciária (CP,
art. 337-A), em razão do não recolhimento de contribuição previdenciária, por parte de sociedade empresária, no valor de R$
2.370,40. 2. Consoante entendimento firmado pelo Superior Tribunal de Justiça, é aplicável o princípio da insignificância
aos débitos tributários que não ultrapassem o limite de R$ 10.000,00, em decorrência do art. 20 da Lei nº 10.522/02. Dessa
forma, como a Lei 11.457/07 considerou como dívida ativa da União também os débitos decorrentes das contribuições
previdenciárias, dando-lhes tratamento semelhante ao que é dado aos créditos tributários, não há porque fazer distinção, na
seara penal, entre os crimes de descaminho, de apropriação ou sonegação de contribuição previdenciária, razão pela qual
deve se estender a aplicação do princípio da insignificância a estes últimos delitos, quando o valor do débito não for superior

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 58

R$ 10.000,00 (dez mil reais). Precedentes STJ (AgRg no Resp 1348074/SP, Min. Moura Ribeiro, Quinta Turma, Dje
26/08/2014; AgRg no Resp 1389169/MG, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, Sexta Turma, Dje 04/11/2013; AgRg
no Resp 1171559/RS, Min. Maria Thereza de Assis Moura, Sexta Turma, Dje 22/09/2011) 3. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do arquivamento, vencido o relator, o
Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá. Participou da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada.

227. Processo: 1.20.000.001000/2014-92 Voto: 8180/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - MATO
GROSSO/DIAMANTINO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Denúncia anônima, contendo, em anexo, dois cheques devidamente preenchidos e assinados, sendo um deles
de alto valor, além de um papel com cálculos e um envelope de empresa de Factoring, os quais foram encontrados em
logradouro público, no Município de Cuiabá/MT. Relato do denunciante de que um dos signatários do título de crédito está
sendo investigado em inquérito policial que apura crime contra o sistema financeiro nacional. Revisão de arquivamento (LC
nº 75/93, art. 62, inciso IV). Fato vago e genérico. O mero preenchimento de cheques, ainda que em alto valor, ou de anotações
numéricas em papel, desprovidos de qualquer outro elemento seguro que indique prática delituosa, é, em tese, conduta atípica,
sem necessária relação com o referido inquérito policial. Ausência de justa causa para a persecução penal. Homologação do
arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

228. Processo: 1.22.005.000377/2014-18 Voto: 8319/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
MONTES CLAROS-MG
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Possível crime contra a ordem tributária (Lei n° 8.137/90, art. 1°,I). Revisão de arquivamento (LC n° 75/93,
art. 62, IV). Diligências junto à Receita Federal do Brasil. Ausência de crédito tributário definitivamente constituído em
desfavor do contribuinte investigado. Crime de natureza material, cuja tipificação depende da constituição definitiva do
crédito tributário, de acordo com o Enunciado n. 24 da Súmula Vinculante do STF. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

229. Processo: 1.22.023.000171/2014-61 Voto: 8316/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
TEÓFILO OTONI-MG
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Crime de estelionato praticado em desfavor do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS (CP, artigo 171,
§ 3º). Óbito ocorrido em 15/09/2012. A conduta teria consistido no recebimento indevido de apenas 1 (uma) parcela de
benefício previdenciário, referente à competência de 09/2012. Revisão do arquivamento (LC 75/93, artigo 62, inciso IV). No
caso, dada a data do óbito do segurado, tem-se ainda que a parcela referente a competência de 09/2012 não era totalmente
indevida. Aplicação da orientação nº 04/2013 da 2ª CCR, que permite o arquivamento de procedimento quando não houver
dolo no saque de até 3 (três) parcelas de benefício previdenciário. Ausência de significativa lesão ao bem jurídico tutelado.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

230. Processo: 1.23.000.002409/2014-14 Voto: 8235/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de Fato. Expediente instaurado para apurar suposto crime ambiental decorrente do funcionamento de posto de
gasolina sem inscrição no Cadastro Técnico Federal CTF. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV). Conduta
descrita no auto de infração não tipificada no rol dos crimes contra o meio ambiente previstos na Lei nº 9.605/98. Infração
de natureza administrativa (Lei nº 6.938/81, art. 17, II, na redação dada pela Lei nº 10.165/00; Decreto nº 6.514/08, art. 76,
II). Aplicação de multa. Falta de justa causa para a persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

231. Processo: 1.23.000.002443/2014-99 Voto: 8237/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Possível prática dos crimes de uso de documento falso (CP, arts. 304) e de crime ambiental (Lei 9.605/98,
art. 46, parágrafo único). Transportar carga de madeira acobertada por ATPF falsa. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93,

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 59

art. 62-IV). Fatos que datam de 05/04/1999. Prescrição da pretensão punitiva estatal já que decorridos mais de 12 (doze) anos
da data dos fatos (CP, art. 109, III). Pena máxima cominada de 5 (cinco) anos de reclusão. Extinção da punibilidade (CP, art.
107, IV). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

232. Processo: 1.23.003.000218/2013-15 Voto: 8225/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ALTAMIRA-PA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento investigatório criminal. Suposto crime ambiental. Auto de Infração nº 034923/A lavrado pelo Instituto Chico
Mendes de Conservação da Biodiversidade ICMBio. Exercício indevido de atividade agropastoril em fazenda situada na
Unidade de Conservação Reserva Extrativista Rio Xingu, em descumprimento a embargo legalmente imposto por meio do
Termo de Embargo nº 309412/C. Revisão de arquivamento (LC n° 75/93, art. 62, inciso IV). Fatos que versam sobre os
mesmos fatos apurados na Ação Penal nº 0001797-54.2012.4.01.3903. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Ausência
de justa causa para o prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

233. Processo: 1.23.006.000207/2014-88 Voto: 8318/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
PARAGOMINAS-PA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Possível crime ambiental (Lei nº 9.605/98). Deixar de inscrever-se no Cadastro Técnico Federal de que trata
o art. 17 da Lei n° 6.938/81. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Conduta descrita no referido Auto de
Infração do IBAMA, que não se enquadra nas figuras típicas aos delitos previstos na lei ambiental. Infração administrativa.
Atipicidade da conduta. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

234. Processo: 1.24.000.002746/2014-74 Voto: 8202/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - PARAIBA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Denúncia anônima. Ofício encaminhado ao Ministério Público Federal pelo Ministério Público do Trabalho.
Supostos crimes de omissão de registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social CTPS (CP, art. 297, §4º) e de estelionato
majorado (CP, art. 171, §3º). Relatos da representante de que em determinada empresa privada uma empregada trabalha sem
vínculo formal e recebe, concomitantemente ao labor, benefício de seguro-desemprego. Revisão de arquivamento (LC nº
75/93, art. 62, inc. IV). Denúncia genérica e indefinida, que deixou de especificar o nome da trabalhadora investigada.
Ausência de linha investigativa capaz de elucidar os fatos, diante da inexistência dos indícios mínimos de verossimilhança.
Ausência de justa causa para a persecução criminal. Homologação do arquivamento, com as ressalvas do art. 18 do Código
de Ritos Penais e do Verbete Sumular nº 524 do Supremo Tribunal Federal.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

235. Processo: 1.25.004.000448/2014-72 Voto: 8315/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
GUARAPUAVA-PR
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Suposto crime de estelionato majorado (CP, artigo 171, § 3º). Notícia de recebimento irregular de 02 (duas)
parcelas de benefício do Programa Bolsa Família, referentes às competências de 01/2013 a 02/2013. Revisão do arquivamento
(LC 75/93, artigo 62, inciso IV). Valores restituídos ao erário. Incidência da Orientação nº 04/2013 desta 2ª CCR/MPF, que
permite o arquivamento de procedimento quando não houver dolo no saque de até 3 (três) parcelas de benefício
previdenciário. Ausência de significativa lesão ao bem jurídico tutelado. Homologação.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

236. Processo: 1.25.005.000635/2014-46 Voto: 8436/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
APUCARANA-PR
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 60

Ementa: VOTO-VENCEDOR Notícia de fato. Representação Fiscal para fins Penais noticiando possível crime contra a ordem
tributária (Lei nº 8.137/90, arts. 1ª e 2º, II) ou apropriação indébita previdenciária (CP, art. 168-A), praticado, em tese, por
sociedade empresária. Imposto elidido no valor de R$ 2.452,29. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV).Fatos
que configuram crime contra a ordem tributária. Consoante entendimento firmado pelo Superior Tribunal de Justiça, é
aplicável o princípio da insignificância aos débitos tributários que não ultrapassem o limite de R$ 10.000,00, em decorrência
do art. 20 da Lei nº 10.522/02. Precedentes STJ (Resp 1306425/RS, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, Sexta Turma,
Dje 01/07/2014; AgRg no Aresp 323486/RS, Rel. Min. Regina Helena Costa, Quinta Turma, Dje 11/12/2013; Resp
1112748/TO, Rel. Min. Felix Fischer, Terceira Seção, Dj 09/09/2009). Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do arquivamento, vencido o relator, o
Dr. José Adonis Callou de Araújo Sá. Participou da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada.

237. Processo: 1.28.000.000910/2012-06 Voto: 8302/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO GRANDE DO
NORTE
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Representação enviada ao Ministério Público Federal pelo Superintendente Regional
do Trabalho e Emprego no Estado do Rio Grande do Norte. Suposto crime do art. 296, §3º, inciso III, do CP. Notícia de que
sindicatos estariam utilizando indevidamente o brasão da República Federativa do Brasil e o timbre do Ministério do Trabalho
e Emprego em cartas de cobrança das contribuições sindicais aos respectivos sindicalizados. Revisão de arquivamento (LC
nº 75/93, art. 62, inc. IV). Diligências. Notificação aos presidentes dos sindicatos, a fim de averiguar se, ao tempo da
expedição de tais correspondências, estavam conscientes da proibição legal e das consequências de seu descumprimento,
bem como para saber se persistia tal prática. Respostas dos investigados de que não apenas desconheciam a proibição, como
acreditavam se tratar de prática regular, já que parte da contribuição sindical é destinada à União. Recomendações expedidas
posteriormente aos sindicatos. Crime essencialmente doloso. Ausência de provas de dolo na conduta encetada. Ausência de
justa causa para a persecução penal. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

238. Processo: 1.28.200.000153/2014-78 Voto: 8227/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CAICÓ-RN
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento Investigatório Criminal. Suposta prática de crime ambiental (Lei 9.605/98). Empresa teria deixado de
apresentar relatório referente ao Cadastro Técnico Federal do IBAMA. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc.
IV). Autuação e imposição de multa. Infração meramente administrativa (Decreto 6.514/08, artigo 81). Atipicidade da
conduta. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

239. Processo: 1.28.400.000031/2013-44 Voto: 8304/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE AÇU-
RN
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Apuração do crime de furto (CP, art. 155, I) realizado em Agência dos Correios no município de Itajá/RN.
Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de inquérito policial nº 0520/2013-DPF/MOS/RN que tem
por objeto a apuração dos mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

240. Processo: 1.28.400.000089/2013-98 Voto: 8231/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE AÇU-
RN
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Crime de apropriação indébita (CP, art. 168). Prefeitura do município de Fernando Pedroza/RN não estaria
repassando à CEF os valores descontados de servidora daquela municipalidade em virtude de contrato de consignação em
folha de salário. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inc. IV). Diligências. Valores repassados com atraso.
Evidente ausência de dolo de se apropriar de coisa alheia. Atraso justificado pela desorganização administrativa.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

241. Processo: 1.30.001.004173/2014-14 Voto: 8224/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 61

Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO


Ementa: Notícia de fato. Instauração a partir de Relatório de Fiscalização elaborado pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel do
Ministério do Trabalho e Emprego em decorrência de ação fiscalizatória para erradicação do trabalho em condição análoga
a de escravo realizada em duas fazendas. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência das Notícias de Fato
nºs 1.00.000.011813/2014-83 e 1.00.000.011744/2014-16 que tem por objeto a apuração dos mesmos fatos. Aplicação do
princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

242. Processo: 1.30.001.006347/2012-11 Voto: 8234/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RIO DE JANEIRO
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Procedimento instaurado para apurar as circunstâncias da morte de militante político durante o Regime de
Exceção. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV). Existência de procedimento investigatório criminal nº
1.30.001.006347/2012-11 que tem por objeto a apuração dos mesmos fatos. Aplicação do princípio do ne bis in idem.
Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

243. Processo: 1.30.004.000112/2014-40 Voto: 8204/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ITAPERUNA-RJ
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Suposto crime contra a honra (CP, art. 139). Representante maior de idade relata eventual difamação praticada
contra ela por meio de sítio de relacionamento da Internet. Recebimento do declínio de atribuições como promoção de
arquivamento. Revisão (LC nº 75/93, art. 62, inciso IV). Crime cuja ação penal somente se procede mediante queixa.
Ausência de atribuição do Ministério Público para promover a ação penal e, consequentemente, de justa causa para o
prosseguimento do feito. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

244. Processo: 1.30.020.000276/2014-79 Voto: 8190/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
S.GONÇ/ITABOR/MAGE
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Procedimento preparatório. Suposto crime do art. 34, parágrafo único, inciso I, da Lei nº 9.605/98. Pesca de 02 (dois) quilos
de peixes Robalo-Flexa, abaixo do tamanho permitido pela Instrução Normativa nº 53/2005 do Ministério do Meio Ambiente
- 50cm (cinquenta centímetros) fora do período de defeso, no interior da Área de Proteção Ambiental federal Guapimirim.
Imposição de multa administrativa ao infrator. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, inciso IV). Diligências.
Informações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade ICMBio de que o investigado pagou a multa; não
foi autuado outras vezes; estava em barco esportivo/recreio; utilizou, como petrechos, caniço com molinete e isca artificial;
e causou lesão leve e recuperável ao meio ambiente. Incidência do Princípio da Insignificância ao caso. Precedentes do
Supremo Tribunal Federal (HC 112563, Relator(a): Min. RICARDO LEWANDOWSKI, Relator(a) p/ Acórdão: Min.
CEZAR PELUSO, Segunda Turma, julgado em 21/08/2012, PROCESSO ELETRÔNICO DJe-241 DIVULG 07-12-2012
PUBLIC 10-12-2012)1 e desta 2ª CCR/MPF (Processo: 1.15.000.001297/2011-11 Voto: 1449/2013 Origem: PR/CE Relator
:Dr. José Bonifácio Borges de Andrada)2. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

245. Processo: 1.32.000.000737/2014-77 Voto: 8230/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA - RORAIMA
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Suposta prática de crime contra o Sistema Financeiro Nacional (Lei 7.492/86, artigo 20). Financiamento rural
celebrado entre o Banco da Amazônia S/A. - BASA e produtor rural. Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Liberação de apenas uma parte do montante total do financiamento, o qual teve comprovada sua efetiva utilização na
finalidade prevista. Abandono do empreendimento, com pedido de remanejamento para outro imóvel, antes do integral
repasse dos valores objeto do financiamento, mas após a aplicação regular dos valores já liberados. Mera inadimplência
contratual. Atipicidade. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 62

246. Processo: 1.34.010.000901/2014-52 Voto: 8297/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
RIBEIRAO PRETO-SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Apuração do crime de contrabando (CP, art. 334). Revisão de arquivamento (LC nº 75/93, art. 62, IV).
Existência de noticia de fato nº 1.34.010.000793/2014-18 que tem por objeto a apuração dos mesmos fatos. Aplicação do
princípio do ne bis in idem. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

247. Processo: 1.34.022.000104/2014-36 Voto: 8211/2014 Origem: PROCURADORIA DA


REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JAU-
SP
Relator(a): Dr(a) JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO
Ementa: Notícia de fato. Digi-Denúncia. Representante relata possível crime de ameaça (CP, art. 147), além de irregularidades
ocorridas na eleição para a nova diretoria de sindicato de trabalhadores de Jaú e Região, mais especificamente em relação à
apuração dos votos. Recebimento do declínio de atribuições como promoção de arquivamento. Revisão (LC nº 75/93, art.
62, inciso IV). 1) Suposta ameaça: delito de ação penal privada, que se processa mediante queixa. 2) Supostas irregularidades
na eleição de diretor de sindicato: fatos que não configuram crime, mas, tão só, ilícito trabalhista. Atipicidade penal da
conduta noticiada. Homologação do arquivamento.
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). Participaram da votação o Dr. José Bonifácio Borges de Andrada e o Dr. José Adonis Callou de Araújo
Sá.

JOSE BONIFACIO BORGES DE ANDRADA


Subprocurador-Geral da Republica
Coordenador

JOSE ADONIS CALLOU DE ARAUJO SA


Subprocurador-Geral da Republica
3º Titular

JOSE OSTERNO CAMPOS DE ARAUJO


Procurador Regional da Republica
1º Suplente

JULIANO BAIOCCHI VILLA-VERDE DE CARVALHO


Subprocurador-Geral da Republica
2º Suplente

4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO


##ÚNICO: | EXTRA-CCR4 - 37340|
ENUNCIADO Nº 30, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2015

Ementa: Atribuição do Ministério Público Federal. Mineração.

ENUNCIADO: É atribuição do MPF apurar irregularidades ambientais decorrentes de atividade minerária, tendo em vista a
participação do DNPM no processo autorizativo, bem como a relação direta entre a exploração/usurpação do bem da União e o dano ambiental dela
decorrente, independentemente da sua extensão.

ANDRA CUREAU
Coordenadora

FÁTIMA APARECIDA DE SOUZA BORGHI


Membro Titular

NÍVIO DE FREITAS SILVA FILHO


Membro Titular

JULIETA ELIZABETH FAJARDO CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE


Membro Suplente

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 63

6ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO


##ÚNICO: | EXTRA-CCR6 - 37004|
ATA DA TRECENTÉSIMA NONAGÉSIMA OITAVA SESSÃO ORDINÁRIA DE OUTUBRO DE 2014

Aos 29 (vinte e nove) dias do mês de outubro de 2014, a partir das 14h, na sede da Procuradoria Geral da República, Bloco B, sala
306 Brasília/DF, em sessão ordinária da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, estiveram presentes a Coordenadora, Dra.
Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira, o Dr. João Akira Omoto e a Dra. Eliana Peres Torelly de Carvalho, Membros da 6ª CCR. Foram objeto de
discussão e deliberação os seguintes assuntos, expedientes e procedimentos administrativos:
1) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 08100.006441/97-69 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após notícias
de malversação de valores e bens públicos pela Administração regional da Funai em Nova Xavantina-MT; mau relacionamento entre a referida
Administração Regional e a comunidade indígena; esquemas informais entre índios e comerciantes locais à margem da legalidade, presentes em
¿Relatório de Viagem¿ confeccionado pelo Chefe do Departamento do Patrimônio Indígena ¿ DPI. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 2) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.00.000.006852/2007-30 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº
do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado com o fulcro de obter informações da FUNASA acerca das conclusões do
Encontro Temático sobre Política Nacional de Saúde Indígena, ocorrido em 2007. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 3) PROCURADORIA DA REPÚBLICA -
AMAZONAS Nº. 1.10.000.000361/2012-04 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Trata-se de peças de informação relativas à apuração de possível conduta ilegal imputada a Antônio Olavo Venâncio, Coordenador Executivo
da OPIAJ no Pólo Base de Pauiní/AM, vinculado ao Departamento Sanitário Especial Indígena ¿ DSEI Alto Purus. O feito tramitou no 4º ofício cível, a
fim de analisar acerca da possível ocorrência de ato de improbidade administrativa.. 2. Arquivado o feito, foi submetido à 5ª CCR que, após homologação,
determinou a remessa dos autos a esta 6ª CCR. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 4) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAPÁ Nº. 1.12.000.000200/2014-08 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado para apurar
certificações de comunidades remanescentes quilombolas situadas no Estado do Amapá por órgão estadual competente. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 5)
PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAPÁ Nº. 1.12.000.000736/2006-13 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado a partir de notícia encaminhada pela FUNAI, dando conta de
constrangimento sofrido pela indígena Vera Lúcia Labonté, da etnia Palikur. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 6) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº.
1.13.000.000332/2008-46 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
Civil instaurado para apurar a omissão dos órgãos incumbidos da implementação de ações de fiscalização, vigilância e proteção ambiental das Terras
Indígenas Tenharim Marmelos e Jiahui. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 7) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.000645/2013-61 - Relatado
por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para acompanhar
o procedimento de demarcação de área da Aldeia Kuanã, bem como outras providências. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 8) PROCURADORIA DA REPÚBLICA -
AMAZONAS Nº. 1.13.000.000785/2012-59 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar a falta de estrutura adequada na CASAI de Maués, bem como averiguar outras providências. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 9) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.001132/2009-91 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar a necessidade de combater a venda de
bebidas alcoólicas aos indígenas do município de Barreirinha/AM. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 10) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-
AM Nº. 1.13.000.001283/2003-54 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado para organizar visita in loco de membros e servidores do MPF ao Comando de Fronteira do Alto Solimões 8º BIS e
os municípios desta região de maio à junho de 2003, com a expedição de convite às diversas autoridades para a realização de reunião conjunta acerca de
diversos pontos, entre estas a criação de um Consórcio Intermunicipal do Alto Solimões. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 11) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO
MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº. 1.13.000.001735/2003-06 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA –
Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de inquérito civil público instaurado em face de representação de Carlos Alberto de Araújo Costa contra o
Governador do Estado do Pará, acerca do Decreto nº 718/13, que trata da implantação da Plataforma Logística do Guamá, no Município de Inhangapi, a
partir do suposto aproveitamento de porto clandestino. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 12) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº.
1.13.000.001780/2010-81 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
civil público instaurado com objetivo apurar suposta prática de atos discriminatórios e de dano material em desfavor de indígenas, praticados pelo Coronel
PM/AM, Dan Câmara, na ocasião da retirada de indígena e não-indígenas de área particular no conjunto Cidadão 12, zona norte de Manaus. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 13)
PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.001894/2013-74 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE
BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público concernente a supostas irregularidades administrativas na Secretaria
Especial de Saúde Indígena - SESAI. 2. Alegação de ilegalidade de demissões e contratações. 3. A controvérsia jurídica se restringe à eventual dilapidação
patrimonial ao erário do órgão. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento
no âmbito deste Colegiado, remetendo-se os autos à PGR/5A.CAM - 5A.CAMARA DE COORDENACAO E REVISAO para análise, nos termos do
voto do(a) relator(a). 14) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº. 1.13.001.000180/2013-39 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado para esclarecer suposta

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 64

expulsão de indígena de etnia diferente dos residentes na comunidade em que habitava - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 15) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO
MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº. 1.13.001.000189/2013-40 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA –
Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado para apurar suposta agressão sofrida pelo indígena Waki Mayuruna, cacique
da Aldeia Lobo Alto Rio Jaquirana, por militares. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 16) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº.
1.13.001.000194/2013-52 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento Preparatório instaurado para apurar a recusa do Centro de Referência em Assistência Social ¿ CRAS, ligado à Prefeitura de Benjamin
Constant, em emitir a Carteira de Identidade a indígenas da Comunidade Bom Intento I - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 17) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
MARANHAO Nº. 1.19.000.001319/2007-18 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado a partir de representação feita pela Associação em Áreas de Assentamento do Estado do Maranhão ¿ SSEMA,
notificando que em uma de suas associadas, a Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Esperantinópolis ¿ COOPAESP, estaria
negociando com a empresa NATURA Cosméticos S.A, em prejuízo dos cooperados, para elaboração de contrato de repartição de benefícios decorrentes
do acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional da farinha de mesocarpo de coco babaçu. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data,
o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento no âmbito deste Colegiado, remetendo-se os autos à PGR/4A.CAM -
4A.CAMARA DE COORDENACAO E REVISAO para análise, nos termos do voto do(a) relator(a). 18) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.000.000197/2014-42 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada a partir de Boletim de Acidente de Trânsito registrado pela Polícia Rodoviária
Federal. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto
do(a) relator(a). 19) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.000203/2007-32 - Relatado por: Dr(a)
DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a partir de notícias
datadas de 2006 de que a diretora da Associação Mãe estaria vendendo terras que pertencem aos comunitários do quilombo Mata Cavalo, no município
de Nossa Senhora do Livramento/MT, para pessoas que não teriam relação com o quilombo. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado,
à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 20) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE JUÍNA-MT Nº. 1.20.000.000390/2002-40 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do
Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil público instaurado para acompanhar e averiguar os impactos ocasionados e a regularidade da instalação da
PCH Juína no rio Aripuanã, no município de Juína/MT, dentro das terras de ocupação tradicional dos indígenas Cinta Larga. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 21)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.000514/2005-30 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado para apurar a morte do indígena Juliano
Zenezokemae. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 22) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.000814/2014-18 - Relatado por: Dr(a)
DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: . Notícia de Fato instaurada a fim de solicitar o
desarquivamento dos autos nº 2003.36.00.010416-0 junto à 1ª Vara Federal da Capital, com vistas à extração de cópias do processo em comento e
posterior encaminhamento à Procuradoria de Barra do Garças-MT. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 23) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO
Nº. 1.20.000.001075/2004-00 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento administrativo instaurado com o objetivo de apurar os impactos causados aos indígenas moradores do Parque do Xingu, bem como aos
Xavantes, moradores das terras indígenas Parabubure e Ubawawe, com a instalação no rio Culuene da PCH Paranatinga II, localizada na região próxima
à Estação Ecológica do Kukuene, entre os municípios de Paranatinga e Campinápolis/MT. 2. Ação Civil Pública nº 2005.36.00.000267-2, ajuizada com
o fim de suspender o licenciamento ambiental. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 24) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº.
1.20.000.001216/2013-77 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia
de fato instaurada a partir de representação encaminhada pela Cooperativa Agroindustrial da Agricultura Familiar da Comunidade Rodeio ¿ COAFRO e
pela Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Rodeio. Na representação, as entidades solicitaram intervenção do Ministério Público junto à
CONAB para ¿suspensão da cobrança do valor de R$ 63.000,00 e de providências contra o ex-diretores da COAFRO¿. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 25) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.001357/2013-90 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de procedimento preparatório instaurado com base em denúncia formulada pela Associação
dos Receptivos de Pesca Amadora e Preservação do Pantanal ¿ ARPAN, que tem por objeto a apuração de medidas tomadas pela FUNAI no sentido da
compatibilização da atividade empresarial de ecoturismo, explorada no entorno da T.I Baía dos Guató. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 26) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.001709/2013-15 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº
do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de procedimento preparatório instaurado com escopo de apaziguar situação de supostas ameaças sofridas pela
representante e sua família por índio da etnia Pareci, em decorrência de acidente que vitimou um de seus integrantes, Milson Zezokae. - Deliberação: Em
sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 27)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.001837/2013-51 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de procedimento administrativo instaurado com escopo de apurar o
estado de saúde da paciente indígena Janete Azokemaero, se esta foi vítima de erro médico e se a FUNAI e o DSEI-Cuiabá prestaram assistência adequada
à referida indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 28) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.001928/2013-96 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após
recebimento de auto de infração lavrado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente de Mato Grosso em face da FUNAI, devido à destruição pelo uso
de fogo de 8.513,913 ha de vegetação nativa sem autorização do órgão competente, na Terra Indígena Bakairi. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 29) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000020/2013-25 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 65

DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1Trata-se de procedimento administrativo que trata do fornecimento de medicamentos básicos
e água potável, reforma de posto de saúde e outras demandas relativas à saúde e segurança alimentar e nutricional no âmbito da Terra Indígena
Marãiwatsédé. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 30) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000085/2013-71 -
Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório
instaurado com a finalidade de apurar possíveis irregularidades na contratação de trabalhadores indígenas pela Coordenação Regional da FUNAI de Ji-
Paraná, por meio da CTL de Porto Velho. 2. Irregularidades não constatadas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 31) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000105/2013-11 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Requisição de informação de uma PR à outra, com escopo de instrução de ACP. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data,
o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 32) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000105/2014-94 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado com o escopo de verificar o atendimento à saúde oferecido à
Comunidade Indígena Marãwatsédé. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 33) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº.
1.20.004.000121/2013-04 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Peças
de informação baseadas em representação apócrifa, na qual, em suma, são feitas acusações ao Delegado da Polícia Federal lotado naquela localidade. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 34) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000145/2014-36 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada para apurar supostas
irregularidades cometidas pela Associação Xavante Warã e a Coordenação Regional da FUNAI em Barra do Garças/MT. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 35)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000155/2014-71 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada a partir de representação encaminhada
pelo Cacique da Aldeia Nossa Senhora Guadalupe. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 36) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO
GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000161/2014-29 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a partir de denúncia que alertou sobre os efeitos do medicamento Glibenclamida, tendo sido solicitado
que fosse retirado dos postos de atendimento indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 37) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO
GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000278/2013-21 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Procedimento administrativo instaurado com escopo de apurar mortes de crianças indígenas Xavante por desnutrição, no âmbito da Terra
Indígena Maraiwatsede. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos
termos do voto do(a) relator(a). 38) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JUÍNA-MT Nº. 1.20.006.000062/2014-27 - Relatado
por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após
solicitação de adoção das medidas cabíveis em benefício da indígena Dalirose Enawenero, internada em estado grave no Hospital de Brasnorte/MT -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela homologação do arquivamento, vencido o relator. 39)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JUÍNA-MT Nº. 1.20.006.000078/2013-59 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado para apurar notícia relativa ao tratamento
de saúde da menor indígena Hoderetiwalo Enawenero. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 40) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº.
1.23.000.000122/2014-50 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-
se de procedimento preparatório instaurado por depoimento prestado por Antônio Francisco Costa Sacramento, no qual afirma que a área ribeirinha onde
vive, mediante autorização de uso da SPU, está sendo ameaçada por seu cunhado, em virtude de problemas relacionados à herança de seu pai -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a)
relator(a). 41) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000158/2014-33 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de representação de Paulo de
Deus Nunes dos Santos e Nazildo Britos, membros da Comunidade Quilombola do Alto do Acará. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 42) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000168/2014-79 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA –
Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de representação de Edileni Figueiredo Ferreira, na qual noticia ter
sido processada por Djalma de Moraes Aires, no âmbito da Justiça Estadual, pela posse de área em que vive há mais de 19 (dezenove) anos, não obstante
resida em área de propriedade da União, com TAU da SPU devidamente expedido - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 43) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000214/2014-30 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Representação acerca de questão possessória em terra utilizada por autorização do SPU e posterior representação acerca de crime.
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto
do(a) relator(a). 44) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000216/2014-29 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de representação
acerca de conflito fundiário. 2. Com a criação de uma taxonomia unificada pelo CNMP, verificou-se que o objetivo do procedimento melhor se adequava
à tipologia de Procedimento Administrativo, haja vista sua natureza de acompanhamento. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 45) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000220/2014-97 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil instaurado em virtude de conflito fundiário envolvendo o ribeirinho Manoel da Conceição Ferreira da Silva,
possuidor de título de posse emitido pela Superintendência de Patrimônio da União ¿ SPU - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 46) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000222/2014-86 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 66

Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de inquérito civil público instaurado após depoimento de Ana Maria Teixeira Ribeiro e mais dois outros indivíduos
pertencentes a comunidade ribeirinha, alegando ter o Delegado de Polícia Civil de Ponta de Pedras/PA agido com abuso de autoridade ao adentrar a casa
da representante e apreender espingardas, motoserras e dinheiro. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 47) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº.
1.23.000.000225/2014-10 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento preparatório instaurado a partir da representação de Raimunda Ribeiro de Paula, na qual noticiou que é detentor de Termo de Autorização
de Uso concedido pela SPU da área na qual reside, no sítio Casinha, no rio São Miguel, município de Ponta das Pedras/PA, e que vem sofrendo ameaças
por parte de Vicente de Paula Ribeiro Baia e outros para deixar o local. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 48) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL
Nº. 1.23.000.000576/2014-21 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Notícia de Fato instaurada a partir de declarações das Sras. Rosângela Moares de Oliveira e Solange de Nazaré Pereira Martins, em que disseram que
residem em área de propriedade da União, e que estariam sofrendo turbações pelo Sr. Marcelino. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 49) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000596/2014-00 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado para apurar o indeferimento de habilitação de candidatos em curso da UFPA na cota
quilombola. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 50) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000789/2013-71 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de inquérito civil público instaurado em face de
representação de Carlos Alberto de Araújo Costa contra o Governador do Estado do Pará, acerca do Decreto nº 718/13, que trata da implantação da
Plataforma Logística do Guamá, no Município de Inhangapi, a partir do suposto aproveitamento de porto clandestino. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 51) PROCURADORIA
DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000962/2014-12 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA
– Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de depoimento prestado por Nadiel Barbosa da Costa, no qual
noticiou que figurava no pólo passivo de Ação de Reintegração de Posse na Justiça Estadual, na terra em que ocupava. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 52) PROCURADORIA
DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000994/2011-75 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA
– Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado na Procuradoria da República no Pará, após recebimento de representação da
Procuradoria da República no Distrito Federal, contendo representação apócrifa na qual o denunciante afirma que foi chamado à FUNAI para fazer
acordo com empresas que dominam concorrência dentro da Fundação. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 53) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001064/2009-14 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar a execução do ¿Crédito Apoio Inicial¿ do INCRA aos usuários da Reserva
Extrativista Marinha Chacoré-Mato Grosso. 2. Com a criação de uma taxonomia unificada pelo CNMP, verificou-se que o objetivo do procedimento
melhor se adequava à tipologia de Procedimento Administrativo, haja vista sua natureza de acompanhamento. 3. Arquivamento deste inquérito civil
público e posterior instauração do Procedimento Administrativo, sem caráter investigatório e de mero acompanhamento. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 54)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001332/2012-01 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT
DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado após notícias de que alunos da Casa Familiar Rural Padre Sérgio
Tonetto estariam sendo prejudicados, visto já estarem no 2º semestre do ano de 2012 mas o ano letivo ainda não havia sido iniciado porque a SEDUC
não havia renovado o convênio. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 55) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001486/2013-76 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a partir de
Representação do Presidente da ASSUREMACATA ¿ Associação dos usuários da Reserva Extrativista Marinha de Caeté-Taperaçu, que narra o conflito
ocorrido no processo eleitoral da Associação, ocorrido em agosto de 2013. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 56) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001525/2014-16 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado em virtude de depoimento prestado por José Correa Carneiro, informando que sofreu Ação de
Reintegração de Posse na Justiça Estadual, na terra em que ocupava, a qual era terreno de marinha com título concedido ao depoente pela SPU. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 57) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001530/2014-29 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil instaurado em virtude de a Superintendência do Patrimônio da
União ¿ SPU ter encaminhado depoimento de Maria Vitória Nascimento, informando que sofreu Ação de Reintegração de Posse na Justiça Estadual, pela
terra em que ocupa, a qual é terreno de marinha, com título concedido pela SPU. 2. A mencionada ação encontra-se na Justiça Federal, figurando o MPF
como custos legis. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 58) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001593/2013-02 - Relatado por: Dr(a)
DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de
depoimento prestado por João Batista Amaral e outros, no qual noticiou a ocorrência de conflitos fundiários no município de Muaná/PA. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a).
59) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001616/2014-51 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT
DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil instaurado instaurado em virtude de desmembramento de procedimento
anterior, o qual narrava uma série de conflitos fundiários em terreno de marinha, versando sobre direito possessório em terras de propriedade da União -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a)
relator(a). 60) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001860/2011-71 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar notícia de conflitos fundiários em área
da União no Município de Ponta de Pedras/PA. 2. O representante disse que vem sofrendo turbação em sua posse por outros ribeirinhos da localidade
onde mora. 3. Existe ação de reintegração de posse em trâmite na Justiça Federal. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 61) PROCURADORIA DA REPUBLICA -

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 67

PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001876/2012-65 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil instaurado ara apurar notícia de problemas na educação indígena, indicados pela comunidade Tembé, especialmente
em relação à falta de infraestrutura de três escolas em que foram iniciadas obras e encontram-se sem condições de atender a comunidade das Aldeias
Acará-Mirim, Cuxiu, Mirim e Aldeia Nova, em Tomé-Açú/PA - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 62) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº.
1.23.000.002070/2013-75 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
civil instaurado na Procuradoria da República do Pará, a partir de declarações de OCIMAR HERMÍNIO RIBEIRO, informando uma série de
irregularidades na execução do ¿Crédito Habitação¿, programa do INCRA com objetivo de construção de unidades habitacionais para os usuários da
Reserva Extrativista Marinha Tracuateua/PA. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 63) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.002085/2013-33
- Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Procedimento preparatório instaurado
a partir da representação de Felix Maués das Merces, da comunidade Ilha do Meio, no município de Santa Cruz do Arari/PA, na qual noticiou que é
detentor de Termo de Autorização de Uso concedido pela SPU e que José de Abreu, ex-esposo de sua prima, diz que é proprietário da área e, em virtude
do pedido de liminar em ação de imissão de posse ter sido indeferido, estava ameaçando o representante com o fim de que ele deixasse a ilha - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 64)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.002281/2011-46 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT
DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.Inquérito Civil instaurado após notícias de conflitos fundiários em área da União no
Município de Mauaná/PA, os quais seriam motivados por esbulhos possessórios em área da União em desfavor da posse de ribeirinhos. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a).
65) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.003257/2007-48 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT
DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado a partir de representação de moradores da Reserva Extrativista
Arioca-Pruanã, em que informaram sobre possíveis irregularidades no Programa ¿Crédito Habitação¿ do INCRA. 2. O procedimento já colheu diversas
informações e foram realizadas várias reuniões para acompanhar a execução do projeto em questão. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 66) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.003535/2008-48 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar impactos do cultivo de dendê sobre as Terras Indígenas Turé-Mariquita, mais
especificamente sobre a atividade de dendecultura realizada pela empresa BIOPALMA, bem como impactos resultantes do cultivo de dendê sobre as
terras indígenas e sobre o curso d¿água Turê. 2. Com a criação de uma taxonomia unificada pelo CNMP, verificou-se que o objetivo do procedimento
melhor se adequava à tipologia de Procedimento Administrativo, haja vista sua natureza de acompanhamento. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 67) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE MARABA-PA Nº. 1.23.001.000339/2011-15 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado após notícias de que haveria a necessidade de esclarecimentos
e eventualmente modificação de três pontos no edital nº01 de 11/08/2011, da SESAI/Ministério da Saúde, para contratação de empresas privadas sem
fins lucrativos visando complementação do serviço de saúde nos DSEIs. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 68) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
SANTAREM-PA Nº. 1.23.002.000114/2014-93 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado com o fim de investigar a representação formulada pelo cacique da Aldeia São Miguel, em que relatou que o Sr.
Risomar Rogério dos Santos Castro estaria se identificando como o segundo cacique da aldeia, e com isso causando impacto na organização social da
comunidade. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 69) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE REDENÇÃO-PA Nº. 1.23.005.000002/2014-11 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurado a fim de apurar falta
de vaga de indígena em hospital público. 2. Comprovação da prestação célere e efetiva do serviço público de saúde ao indígena. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 70)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - RONDONIA Nº. 1.31.000.000264/2010-11 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar suposto crime sexual praticado contra criança indígena. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 71) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RONDONIA Nº. 1.31.000.001294/2010-45 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil público instaurado com o objetivo de solicitar à FUNASA, à
Secretaria Estadual de Saúde e às Secretarias Municipais dos cinquenta e dois municípios do Estado de Rondônia informações a respeito da existência
de algum programa específico direcionado ao combate e prevenção do uso de bebidas alcoólicas por indígenas, bem como pelas comunidades quilombolas
do Estado. 2. O DSEI de Porto Velho encaminhou proposta do Plano de Ação referente às atividades para implantação do programa ao combate e
prevenção do uso de bebidas alcoólicas e outras drogas com o objetivo de atender as comunidades indígenas sob sua jurisdição. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 72)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - RONDONIA Nº. 1.31.000.001381/2013-45 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO
PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado com a finalidade de apurar possíveis irregularidades na contratação
de trabalhadores indígenas pela Coordenação Regional da FUNAI de Ji-Paraná, por meio da CTL de Porto Velho. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 73) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GUAJARÁ-MIRIM-RO Nº. 1.31.002.000014/2014-95 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE
BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a fim de acompanhar e cobrar providências quanto ao
tratamento de saúde da indígena Mai Arowá. 2. Preexistência de Inquérito com o mesmo objeto, só evidenciado após o transcorrer deste Procedimento.
3. Traslado dos documentos para instruir o Inquérito com arquivamento deste feito. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 74) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RORAIMA
Nº. 1.32.000.000220/2012-16 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Inquérito civil instaurado para apurar possíveis indícios de trabalho escravo na região do Ajarani ¿ TIY. 2. A Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami
Ye'kuana ¿ FPEYY/FUNAI informou a existência de uma equipe sua cumprindo a Recomendação 12/2013 MPF/RR, a qual objetiva a retirada de
ocupantes de má-fé e bens nas fazendas localizadas na terra indígena Yanomami, região do Ajarani. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 75) PROCURADORIA DA REPUBLICA

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 68

- RORAIMA Nº. 1.32.000.000307/2007-26 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a partir de notícias da FUNAI sobre as dificuldades para atender solicitações da Polícia Federal na
apresentação de indígenas visando a instrução de inquérito policial. 2. Procedimento instaurado em 2007. 3. Notícias atualizadas pela Superintendência
Regional da Polícia Federal em Roraima, em 2012, dando conta que a condução e apresentação de indígenas à Polícia Federal dos indígenas está sendo
realizada pela própria PF, com o auxílio da Funai para localização dos mesmos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 76) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RORAIMA Nº.
1.32.000.000978/2013-35 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento Preparatório instaurado após solicitação feita por servidora pública médica, referente ao caso de uma paciente indígena com problema de
saúde considerado de alta gravidade e sem os recursos médicos necessários em Uiramutã, onde vive, para que o MPF garantisse seu tratamento médico.
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 77) PROCURADORIA DA REPUBLICA - TOCANTINS Nº. 1.36.000.000360/2014-15 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado para verificar notícia de suposta inscrição
do candidato não-indígena em cota destinada aos estudantes índios na Universidade Federal do Tocantins ¿ UFT. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 78) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE ERECHIM-RS Nº. 1.29.018.000074/2012-25 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: VOTO VISTA elaborado pelo Dr. João Akira Omoto, por meio do qual não concordou com a homologação do declínio lavrada pela Dra.
Eliana Peres Torelly de Carvalho constante às fls. 62 a 64 dos autos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, a maioria, deliberou pela
não homologação do declínio de atribuição, vencido o relator. 79) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE MONTES CLAROS-MG
Nº. 08112.001087/98-09 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado com escopo de
apurar se a União está apoiando técnica e financeiramente os sistemas de ensino no Estado de Minas Gerais, bem como se as escolas indígenas estão
sendo consideradas na sua especificidade ou se são mera extensão da escola rural (fls. 2a/3). - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado,
à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 80) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
DISTRITO FEDERAL Nº. 1.16.000.000349/2014-30 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
Civil instaurado após notícias de suposto racismo na reportagem da Revista Piauí, de novembro de 2013, denominada ¿Laboratório Indígena¿, pela
jornalista Paula Scarpin, bem como em publicação do blog ¿Ciência Brasil¿, na internet, por Marcelo Hermes Lima, contra estudantes indígenas da UnB.
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 81) PROCURADORIA DA REPUBLICA - ESPIRITO SANTO/SERRA Nº. 1.17.000.000734/2013-69 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado para acompanhar o procedimento de demarcação das terras indígenas
da Chapada do ¿A¿, localizada no Município de Anchieta. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não
homologação de arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 82) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SAO MATEUS-ES
Nº. 1.17.003.000057/2014-30 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de fato autuada em virtude
de representação de João Batista de Almeida relatando que sua mãe, Evany Santos Almeida, perdeu suas terras localizadas no município de São
Mateus/ES por meios fraudulentos praticados à época da Ditadura Militar. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 83) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
ANÁPOLIS/URUAÇU-GO Nº. 1.18.000.001853/2011-30 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
Civil instaurado para apurar supostas violações aos direitos dos indígenas Xavante no Município de Niquelândia. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 84) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - GOIAS/APARECIDA DE GOIÂNIA Nº. 1.18.000.019896/2006-12 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado com o objetivo de acompanhar o tratamento dispensado ao menor indígena Mizael Taveira da Cruz,
em razão de ser dependente químico. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 85) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE LUZIANIA/FORMOSA-G Nº.
1.18.002.000023/2013-37 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Peças de informação autuadas em virtude
de representação de Melânio Teixeira Magalhães, na qual relata que recebeu de herança de sua mãe o terreno no qual reside mas estaria sendo impedido
de exercer seu direito de cuidar, cultivar e construir na terra, em razão das ações de sua prima, Irene Pereira Braga. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 86) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE LUZIANIA/FORMOSA-G Nº. 1.18.002.000172/2012-15 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do
Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado a partir de representação de Elenir Vieira de Lara indagando se o loteamento Damha I e II estava
instalado em território remanescente de quilombo da comunidade do Mesquita, na Cidade Ocidental/GO. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data,
o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 87) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE RIO VERDE/JATAI-GO Nº. 1.18.003.000055/2013-22 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a fim de formalizar as providências necessárias à realização da Audiência Pública sobre Conhecimentos
Tradicionais associados ao patrimônio genético do Cerrado, promovida pelo GT Conhecimentos Tradicionais, nos dias 11 e 12 de setembro de 2013, em
Mineiros/GO - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 88) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE DOURADOS-MS Nº. 1.21.000.000598/2003-11 - Relatado por:
Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado em face de representação feita pela União das Nações
Indígenas do Centro-Oeste ¿ UNI, visando acompanhar a elaboração/implementação, pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul ¿ UEMS, do
Projeto de Licenciatura Indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 89) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO DO SUL Nº. 1.21.000.000662/2007-
89 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para averiguar questões relacionadas
à concessão, pela FUNAI, de bolsas universitárias a estudantes indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 90) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO DO
SUL Nº. 1.21.000.001255/2006-16 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para
apurar denúncia sobre a dificuldade que os indígenas das aldeias Olhos D'água, Água Azul, Buriti e Tereré tiveram em realizar o cadastro no programa
de redução da taxa de inscrição do Vestibular da UFMS/2007 - Verão - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 91) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE NAVIRAÍ-MS
Nº. 1.21.001.000079/2010-63 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar
demandas relacionadas à educação, saúde, assistência e segurança atinentes à Terra Indígena Jarará. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 69

colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 92) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE P. PORA/BELA VISTA Nº. 1.21.005.000005/2014-11 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de representação que noticiava desmatamento. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data,
o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 93) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE P. PORA/BELA VISTA Nº. 1.21.005.000066/2014-88 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado com o escopo de verificar notícia veiculada no Canal Rural envolvendo índios paraguaios. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 94) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE P. PORA/BELA VISTA Nº. 1.21.005.000077/2014-68 - Relatado por: Dr(a)
JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de necessidade de atendimento médico de
indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto
do(a) relator(a). 95) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MINAS GERAIS Nº. 1.22.000.001760/2013-44 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado após reclamação de representante dos universitários indígenas da
Universidade Federal de Minas Gerais, noticiando a demora no repasse aos estudantes indígenas do auxílio financeiro proveniente de convênio entre a
FUNAI e a UFMG. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 96) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE MONTES CLAROS-MG Nº. 1.22.005.000370/2010-64 -
Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado para averiguar problemas
envolvendo o registro civil dos índios, como a cobrança de taxas inexistentes por cartórios para registros de nascimento, casamento e óbito, a recusa em
registrar o nascimento de quem tem pais ainda sem documentos e a negativa de funcionários de cartórios em anotar nos livros públicos os nomes indígenas
escolhidos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto
do(a) relator(a). 97) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MINAS GERAIS Nº. 1.22.009.000059/2010-85 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada com o objetivo de apurar possível violação de direitos de populações
quilombolas e tradicionais pela titulação de terras devolutas em Minas Gerais. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 98) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GOV.
VALADARES-MG Nº. 1.22.009.000110/2013-00 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil
Público instaurado para identificar as comunidades quilombolas localizadas na área de atribuição da PRM Governador Valadares, conhecer suas eventuais
peculiaridades e detectar se há necessidade de atuação pontual do MPF. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 99) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
TEÓFILO OTONI-MG Nº. 1.22.009.000155/2012-95 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
Civil concernente a eventual violência contra comunidade quilombola. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 100) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICIPIO DE
DIVINÓPOLIS-MG Nº. 1.22.012.000130/2009-37 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil
instaurado com o objetivo de acompanhar a construção de módulos sanitários na aldeia Muã Mimatxi, pertencente aos índios Pataxó, na Fazenda Modelo,
Distrito de Lamonier, no município de Itapecerica/MG. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 101) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARANA Nº. 1.25.000.000981/2009-
15 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado após requisição feita à FUNASA
versando sobre a reestruturação da saúde indígena no estado, em razão da extinção do DSEI, bem como acerca da ONG que vinha prestando referido
atendimento de saúde. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos
termos do voto do(a) relator(a). 102) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARANA Nº. 1.25.000.002342/2004-71 - Relatado por: Dr(a) JOAO
AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após recebimento de ofício da FUNASA informando sobre a
deliberação acontecida na XII Reunião do Conselho Distrital de Saúde Indígena do Litoral Sul, no sentido de encaminhar ofícios ao MPF para que
apoiasse e acompanhasse as respostas àquele Conselho, fruto de suas reivindicações, voltadas à não reorganização do Departamento Indígena, melhorias
da logística de seus eventos e a inclusão das comunidades indígenas no Programa Bolsa Família. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 103) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- PARANA Nº. 1.25.000.002454/2012-32 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento
Administrativo instaurado a partir de dois documentos encaminhados pelo Conselho Distrital de Saúde Indígena (CONDISI ) Litoral Sul à PR/PR. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 104) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARANA Nº. 1.25.000.002472/2012-14 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do
Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de conflito fundiário de pequena escala. 2. Impasse resolvido por acordo
homologado judicialmente. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 105) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GUARAPUAVA-PR Nº. 1.25.004.000233/2014-
51 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado para apurar possível
prática discriminatória em detrimento de ciganos alocados provisoriamente no município de Prudentópolis/PR. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 106) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE LONDRINA-PR Nº. 1.25.005.000505/2014-11 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada a partir de representação de indígenas da Terra Indígena Queimadas que residem na TI Apucaraninha,
por meio do qual solicitam suas inclusões como beneficiários das indenizações pagas em virtude dos empreendimentos UHE Mauá, Klabin e All. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 107) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GUAÍRA-PR Nº. 1.25.012.000099/2013-17 - Relatado por: Dr(a) JOAO
AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado para avaliar decreto municipal que instituía ponto facultativo para
servidores, em dia de manifestação contrária à demarcação de terras indígenas. 2. Após recomendação exarada pelo MPF o decreto foi revogado. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 108) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GUAÍRA-PR Nº. 1.25.012.000174/2014-12 - Relatado por: Dr(a) JOAO
AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a partir de solicitação de alguns Caciques para que o
motorista contratado pela SESAI (DSEI Litoral Sul) fosse o indígena por eles indicado. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 109) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE GUAÍRA-PR Nº. 1.25.012.000464/2013-85 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Notícia de Fato instaurada a partir de relato da indígena Sônia Barros, em que disse ter procurado o INSS para a obtenção de benefícios previdenciários,

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 70

os quais teriam sido negados pela autarquia. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 110) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE PATO BRANCO-PR Nº.
1.25.014.000080/2014-23 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Notícia de Fato instaurado após notícias de
atraso no repasse de merenda escolar para a Escola Indígena Nitótu da Aldeia do Alto Pinhal, bem como atraso na entrega de pedras britas, solicitadas à
Prefeitura Municipal de Clevelândia pela direção do estabelecimento de ensino - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 111) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RIO GRANDE DO
SUL Nº. 1.29.000.001332/2012-80 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado para
averiguar regularidade de pesquisa realizada no âmbito de comunidade quilombola. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 112) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE P.FUNDO/CARAZINHO Nº. 1.29.000.002593/2013-06 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Notícia de fato instaurada em face de representação, na qual o autor se queixava de ter sido expropriado de imóvel rural em face de demarcação
de terra indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 113) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE P.FUNDO/CARAZINHO Nº. 1.29.004.000357/2004-16 -
Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito civil instaurado com objetivo de coletar informações relativas
aos incentivos de atenção básica aos povos indígenas, especialmente quanto aos repasses do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde,
de municípios abrangidos pela PRM/Passo Fundo, além das prestações de contas e possível existência de saldos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 114) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO P.FUNDO/CARAZINHO Nº. 1.29.004.001033/2010-43 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado para averiguar deficiências no abastecimento de água potável na Comunidade Indígena de Rio de
Várzea. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto
do(a) relator(a). 115) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE ERECHIM-RS Nº. 1.29.018.000085/2014-77 - Relatado por: Dr(a)
JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado em face de notícia veiculando que autoridades
teriam proferido declarações ofensivas ao MPF, em rádio local. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 116) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-
SC Nº. 1.33.002.000016/2013-29 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento administrativo
instaurado com escopo de apurar suposta irregularidade no processo seletivo para cargo de professor de geografia em Escola Indígena. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 117)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CAÇADOR-SC Nº. 1.33.009.000060/2012-98 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado com base em declarações de líderes da Associação Nhaia, cujo teor externava
suposta usurpação de terras indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 118) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SAO PAULO Nº. 1.34.001.000053/2014-91 - Relatado
por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado para apurar suposta irregularidade na
contratação de técnicos de enfermagem para prestação de serviços na CASAI/SP pela empresa Missão Evangélica Cauiá, bem como recusa de
hospedagem da paciente indígena Égina Silva Gonçalves, da etnia Kaimbé, na sede da CASAI/SP, impedindo a referida indígena de realizar o devido
tratamento de saúde no hospital das clínicas desta capital. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 119) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SAO PAULO Nº.
1.34.001.008960/2010-54 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar
notícia de maus tratos impostos à criança indígena J.M.M, por parte de seus genitores, na aldeia Tekoá Ytu. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 120) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BAURU/AVARE/BOTUCA Nº. 1.34.003.000244/2014-32 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do
Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada para apurar demissão de indígenas que trabalhavam nas unidades escolares das aldeias da Terra
Araribá em Avaí, feita sem o pagamento de verbas rescisórias. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 121) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE PRES.
PRUDENTE-SP Nº. 1.34.009.000457/2013-23 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil Público
instaurado para apurar suposta irregularidade na defesa técnica em Processo Criminal do indígena Xucuru José Marcelo Andrelino Cordeiro -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 122) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SOROCABA-SP Nº. 1.34.016.000110/2014-72 - Relatado por: Dr(a) JOAO
AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada após requerimento formulado pelas Associações Remanescente de
Quilombo ¿José Joaquim de Camargo¿ ¿ Salto de Pirapora/Votorantim e Associação Remanescente de Quilombo Pilar do Sul,para compelir o INCRA a
agilizar a conclusão dos Relatórios Técnicos de Identificação e Delimitação ¿ RTID, e para que as referidas comunidades sejam informadas sobre o
recebimento e aplicação de recursos recebidos pelos respectivos Municípios, destinados à implantação de programas e políticas públicas em comunidades
quilombolas, como, por exemplo, os programas Brasil Quilombola e Brasil sem Miséria. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 123) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE CARAGUATATUBA-SP Nº. 1.34.033.000048/2014-19 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a partir da notícia de que o prefeito de IIhabela/SP havia se comprometido a montar os equipamentos
do parquinho da Escola Municipal Porto do Meio antes do início das aulas e que até o momento da representação não o havia feito - Deliberação: Em
sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 124)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CARAGUATATUBA-SP Nº. 1.34.033.000057/2014-00 - Relatado por: Dr(a) JOAO
AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado para apurar supostas irregularidades em áreas pertencentes
à comunidade tradicional Quilombo da Caçandoca. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 125) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
V.REDONDA/B.PIRAÍ Nº. 08120.000904/99-11 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de acompanhar o processo de regularização e titularização da comunidade remanescente de quilombos
São José da Serra, município de Valença/RJ, de acordo com o art. 68 do ADCT. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 126) PROCURADORIA DA REPUBLICA - DISTRITO FEDERAL
Nº. 1.16.000.000292/2014-79 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de
fato autuada em virtude de representação da Associação de Pequenos Agricultores de Ilhéus, UNA e Buerama ¿ ASPAUB, sobre supostas irregularidades

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 71

atribuídas à FUNAI relativamente a informações prestadas para fundamentar pedidos de suspensão de liminares em ações de reintegração de posse
concedidas pela Justiça Federal. 2. Existência de estudo conclusivo da FUNAI sobre as terras objeto de litígio e de sua ocupação tradicional pelo povo
indígena Tupinambá. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos
termos do voto do(a) relator(a). 127) PROCURADORIA DA REPUBLICA - DISTRITO FEDERAL Nº. 1.16.000.003810/2008-68 - Relatado por: Dr(a)
ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar suposta
discriminação sofrida pelo empregado indígena Sr. Manoel Correia Pereira praticada, em tese, pelo Diretor de Administração, Sr. Celso Alberici, e pelo
Coordenador de Serviços Gerais Substituto, Sr. Gustavo Henrique Corrêa de Paula Maciel, ambos servidores/comissionados da FUNAI. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 128)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO DO SUL Nº. 1.21.000.001036/2007-18 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY
DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar a ocorrência de extração ilegal de madeira na
Fazenda Furnas da Estrela, situada dentro da área objeto do Procedimento Demarcatório da TI Buriti - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 129) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- MATO GROSSO DO SUL Nº. 1.21.000.001056/2005-19 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar suposta notícia de que comerciantes do distrito de Taunay estariam retendo os cartões de benefícios
previdenciários dos indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 130) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CORUMBA-MS Nº. 1.21.004.000218/2009-95 -
Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil instaurado com o fito de
regularizar as armas de fogo em poder dos índios da Comunidade Guató, utilizadas para fins de caça - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 131) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE CORUMBA-MS Nº. 1.21.004.000235/2011-47 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: Inquérito civil público instaurado com o objetivo de promover o reconhecimento, fortalecimento e garantia dos direitos territoriais
da comunidade tradicional ribeirinha do Paraguai Mirim, em especial dos ribeirinhos Nilza Mariana de Arruda e Firmino de Arruda Bastos, que foram
retirados das terras em que viviam pela proprietária rural Teresa Cristina Ralston Botelho Bracher - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 132) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE P. PORA/BELA VISTA Nº. 1.21.005.000186/2009-18 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº
do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado para apurar a repercussão na esfera cível da violenta e arbitrária retirada de um grupo
de índios Guarani Kaiowá de YPO'I, em 31/10/2009, da área reivindicada como de ocupação tradicional indígena no município de Paranhos/MS, bem
como a ausência, insuficiência ou inadequação na prestação de serviços públicos essenciais à comunidade indígena. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 133) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE MONTES CLAROS-MG Nº. 1.22.005.000020/2012-60 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE
CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar a má prestação de serviços públicos à Comunidade
Quilombola da Lapinha por parte da administração municipal de Matias Cardoso/MG. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 134) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE MONTES CLAROS-MG Nº. 1.22.005.000087/2011-13 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do
Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar possível exclusão de comunidades de remanescentes de quilombo,
localizadas no Município de Cristália/MG, do programa ¿Luz para Todos¿. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 135) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
MONTES CLAROS-MG Nº. 1.22.005.000371/2013-51 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Procedimento instaurado para apurar possíveis irregularidades no abastecimento de água à comunidade Lagoa da Pedra, localizada no
Município de Indaiabira/MG. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 136) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARANA Nº. 1.25.000.000299/2011-39 - Relatado por: Dr(a) ELIANA
PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar notícia dada por
proprietário da Churrascaria Portal, situada na BR 277, Km 586, em Cascavel/PR, consistente na ¿ocupação¿ de seu estabelecimento comercial por
crianças e adolescentes indígenas, no horário de almoço e jantar, importunando os clientes, permanecendo próximos à portas e janelas da construção,
tudo com ciência de seus pais. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 137) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARANA Nº. 1.25.000.000541/2012-55 - Relatado por: Dr(a) ELIANA
PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civis Públicos instaurados após solicitação de providências ante a
FUNAI e a UFPR, de modo a impedir a redução de R$ 60,00 no valor do auxílio escolar pago aos estudantes indígenas, fruto de convênio firmado entre
as referidas autarquias federais, bem como pedido de aumento do valor do auxílio para R$ 1.000,00 para acadêmicos de odontologia e medicina. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 138) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CASCAVEL/TOLEDO-PR Nº. 1.25.002.000710/2014-07 - Relatado por:
Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado com o intuito de
verificar junto à Comissão Universidade para os Índios (CUIA), instalada na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), se há programas
de acompanhamento dos estudantes indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 139) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE LONDRINA-PR Nº.
1.25.005.000324/2012-15 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato
instaurada para apurar a representação quanto à venda de bebidas alcoólicas na TI Apucaraninha. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 140) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE LONDRINA-PR Nº. 1.25.005.000719/2013-07 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado para apurar suposta prisão arbitrária de indígenas da TI Apucaraninha por policiais
militares, no município Londrina/PR. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 141) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JACAREZINHO-PR Nº.
1.25.013.000142/2010-83 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil
instaurado para apurar notícia de utilização irregular, pelos indígenas, dos veículos disponibilizados pela SESAI para o atendimento das necessidades da
comunidade da Aldeia Posto Velho, localizada no município de Santa Amélia/PR. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 142) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE S.MARIA/SANTIAGO Nº. 1.29.008.000037/2013-17 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 72

Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a fim de acompanhar a Comunidade Quilombola Ipê de São Sepé/RS, acerca das questões
atinentes ao ¿Acesso à Terra¿ - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 143) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE S.MARIA/SANTIAGO Nº. 1.29.008.000040/2013-
31 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a fim de
acompanhar a Comunidade Quilombola Passo dos Brum de Formigueiro/RS, acerca das questões atinentes ao ¿Acesso à Terra¿ - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 144)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE S.MARIA/SANTIAGO Nº. 1.29.008.000943/2009-35 - Relatado por: Dr(a) ELIANA
PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado com o objetivo de apurar possíveis irregularidades
envolvendo o registro civil de indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 145) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE S.DO LIVRAMENTO-RS Nº.
1.29.009.000783/2011-39 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil
público instaurado a partir de representação de Jonesvan Pereira Oliveira, indígena universitário, solicitando auxílio à FUNAI de pagamento de transporte
até a cidade de São João das Missões, em Minas Gerais. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 146) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RIO GRANDE DO SUL Nº.
1.29.018.000002/2013-69 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil
Público instaurado após notícias de que a UFRGS estaria vedando a inscrição em Processo Seletivo Específico para Ingresso de Estudantes Indígenas
daqueles indígenas que já tenham cursado ou que estivessem cursando qualquer curso superior. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado,
à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 147) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE ERECHIM-RS Nº. 1.29.018.000176/2009-45 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar a situação atual da utilização dos auxílios previstos na Portaria nº 63/2009, que
trata do Auxílio Financeiro a Estudantes Indígenas de Nível Superior - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 148) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
V.REDONDA/B.PIRAÍ Nº. 1.30.010.000354/2011-10 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado a partir de termo de declarações do Sr. Marcos Pereira, em que reputou ilegal e irregular o procedimento
administrativo 54180.000972/2006-56 do INCRA para o reconhecimento do território quilombola. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 149) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE RIO DO SUL-SC Nº. 1.33.000.001684/2013-93 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do
Voto Vencedor: – Ementa: 1. Peças de Informação instauradas a partir de representação do Cacique Laklãnõ, da Aldeia Palmerinha, na qual solicita
auxílio do órgão ministerial para o indígena Alamir Ndolie de Lima, foragido da justiça. O Cacique requer o cumprimento da pena do indígena na própria
aldeia, segundo suas tradições e costumes. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação
de arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 150) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BLUMENAU-SC Nº.
1.33.001.000555/2013-78 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Peças de
informação atuadas em virtude de notícia feita via e-mail pelo Secretário Executivo do Conselho Estadual do Meio Ambiente ¿ CONSEMA, sobre
invasão da Reserva Biológica do Sassafrás por grupo indígena, em razão de conflito na região entre a questão indígena, ambiental e do patrimônio
público. 2. Declínio de atribuição para o MP Estadual por entender que apesar da invasão ter sido perpetrada por povos indígenas, não há interesse público
federal que enseje a atuação do Ministério Público Federal no caso, por ser a Reserva Biológica do Sassafrás uma reserva estadual de Santa Catarina. 4.
Não homologação dos autos pela 4ª CCR e envio a esta 6ª CCR. 6. Compete ao Ministério Público da União promover o inquérito civil e a ação civil
pública para a proteção dos interesses individuais indisponíveis, difusos e coletivos, relativos às comunidades indígenas. 10. O caso trazido ao
conhecimento do MPF envolve questão relativa à identidade do grupo, seu território e seus meios tradicionais de proteção. 11. Trata-se, portanto, de
questão intrinsecamente vinculada ao núcleo da defesa dos direitos desse grupo na Constituição, apta a atrair a atribuição do MPF. 12. Voto pela NÃO
Homologação do declínio. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do declínio de
atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 151) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº.
1.33.002.000001/1998-71 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil
Público instaurado para tratar de irregularidades e problemas na TI Xapecó tais como desentendimento entre indígenas causando lesões corporais por
disparo de arma de fogo, cárcere privado e arrendamento de terras a não indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 152) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº. 1.33.002.000004/2001-61 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de obter esclarecimentos sobre o projeto de instalação da Usina Hidrelétrica Quebra-
Queixo, no Rio Chapecó. Mencionou-se na reunião a preocupação com os indígenas em relação a rodovia SC-480, que é o meio de acesso dos
empreendedores durante a construção da Hidrelétrica. - Deliberação: Pedido de vista realizado por Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO. 153)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº. 1.33.002.000148/2013-51 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES
TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado após reivindicação de lideranças indígenas da
Aldeia Toldo Imbú, diante de relato da necessidade de ampliação da rede de distribuição de energia elétrica, com a devida individualização dos pontos,
instalando medidores individuais. Também foi noticiada a existência de inadimplência, mesmo após acordo firmando entre o Prefeito e a empresa de
distribuição, no ano de 2006, para negociação da dívida existente naquela época. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela não homologação de arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 154) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE CONCORDIA-SC Nº. 1.33.010.000040/2013-69 - Relatado por: Dr(a) ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a fim de apurar problemas enfrentados pela Aldeia Toldo Pinhal, relativos à ausência de
professor de língua materna na escola que atende aos alunos de 6ª a 9ª série da aldeia, localizada no distrito de Teotônia, município de Seara/SC. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). Outras Deliberações: 1) - Indenização antecipada das benfeitorias de boa fé (caso Tupinambá) - Foi informado que o GT Demarcação, por
meio da Dra. Cristina Melo, Procuradora em Ilhéus, ficou responsável pela confecção de um parecer sobre a questão. 2) - Voto da 7ª CCR, proferido no
procedimento nº 1.32.000.000607/2014-34, o qual foi homologado pelo Colegiado.
EMENTA DO VOTO: CONTROLE EXTERNO DA ATIVIDADE POLICIAL. REVISÃO DE ARQUIVAMENTO. NOTÍCIA DE FATO.
SUPERINTENDÊNCIA DA POLÍCIA FEDERAL EM RORAIMA. INÉRCIA QUANTO À INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITOS POLICIAIS.
COMUNICAÇÃO EFETUADA PELO CORREGEDOR REGIONAL PARA EVENTUAIS PROVIDÊNCIAS. NOTÍCIA DE FATO. INSTAURAÇÃO
DE PROCEDIMENTO NO ÂMBITO DO MPF/PR-RR. NOTÍCIA SOBRE VENDA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS E DROGAS ILÍCITAS DENTRO

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 73

DA COMUNIDADE INDÍGENA. COMUNICAÇÃO FEITA PELO TUXAUA DA COMUNIDADE ARAÇÁ. DIREITO Á TUTELA DA CULTURA,
COSTUMES E TRADIÇÕES. INTERESSE DA UNIÃO. ATRIBUIÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ARQUIVAMENTO
PREMATURO. NECESSIDADE DE PROVIDÊNCIAS QUANTO À ELUCIDAÇÃO DOS FATOS NOTICIADOS, SUA IDENTIFICAÇÃO E
EXTENSÃO. APURAÇÃO QUE SE IMPÕE. DEVOLUÇÃO À ORIGEM. - O Voto da Sétima Câmara foi trazido pela Dra. Deborah e o seu teor
apresentado aos demais Membros com o objetivo de dar ciência. A Câmara futuramente deverá realizar um diagnóstico dos locais onde a relação da
Polícia Federal com os indígenas é conturbada. 3) - Unico PGR 179176/2014 - Pescadores artesanais que habitam no Parque Nacional do Superagui, no
Paraná. Necessidade de estudo antropológico prioritário. - Tratou-se na sessão sobre a questão dos pescadores artesanais do Paraná, mais especificamente
sobre os que habitam no Parque Nacional Superagui. Ficou estabelecido entre os Membros, então, que fosse expedido ofício à PRM em Londrina
solicitando análise antropológica urgente pela perita Luciana Ramos, devendo ser dado tratamento prioritário ao caso em análise. À Assessoria
Administrativa para o cumprimento da decisão do Colegiado.
Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião, às 18h.

DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA


Subprocurador-Geral da Republica

JOAO AKIRA OMOTO


Procurador Regional da Republica
Procurador Regional da República - Membro Titular

ELIANA PERES TORELLY DE CARVALHO


Procurador Regional da Republica
##ÚNICO: | EXTRA-CCR6 - 36995|
ATA DA TRECENTÉSIMA NONAGÉSIMA NONA SESSÃO ORDINÁRIA DE NOVEMBRO DE 2014

Aos 12 (doze) dias do mês de novembro de 2014, a partir das 14h, na sede da Procuradoria Geral da República, Bloco B, sala 306
Brasília/DF, em sessão ordinária da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, estiveram presentes a Coordenadora, Dra.
Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira, o Dr. Luciano Mariz Maia e o Dr. João Akira Omoto, Membros da 6ª CCR. Foram objeto de discussão e
deliberação os seguintes assuntos, expedientes e procedimentos administrativos:
1) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.000302/2012-16 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado para apurar a retirada de materiais odontológicos do
Polo Base de Borba/AM por indígenas da Aldeia Jutaí. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 2) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.000552/2007-
99 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado com
o escopo de apurar irregularidades na aplicação de recursos federais à educação escolar indígena no Município de Barreirinha, especialmente no tocante
às instalações físicas, merenda escolar e contratação de professores indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 3) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº.
1.13.000.001159/2012-80 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
civil público instaurado para apurar denúncia de possível ocorrência de ato de discriminação racial praticada por docentes e alunos nas dependências do
Centro de Estudos Superiores de Parintins, da UEA - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 4) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.001205/2011-
60 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado com
escopo de apurar os efeitos da sobreposição da Área de Proteção Ambiental APA do Rio Marmelos, criada pela Lei Municipal nº 449/97, no município
de Manicoré/AM. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 5) PROCURADORIA DA REPÚBLICA - AMAZONAS Nº. 1.13.000.001435/2009-12 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para acompanhar o efetivo controle social
realizado pelo CONDISI Porto Velho em relação às ações em atenção à saúde indígena realizadas pelo DSEI Porto Velho no município de Humaitá/AM,
após denúncias de que os DSEIs e prefeituras não estariam cumprindo a obrigação de prestar contas - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 6) PROCURADORIA DA REPÚBLICA
NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº. 1.13.001.000025/2014-01 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA
– Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado para verificar junto ao DSEI Alto Solimões a possibilidade de inclusão de
profissional Biomédico junto à Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena no Polo Base Betânia, em Santo Antônio do Içá/AM - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 7)
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº. 1.13.001.000149/2014-89 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de fato, autuada a partir de representação do DSEI, no qual
foi veiculada a recusa de continuidade tratamento de saúde pelo paciente indígena Anísio da Silva Marcos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data,
o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 8) PROCURADORIA DA REPÚBLICA
NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-AM Nº. 1.13.001.000151/2009-91 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA
– Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para investigar problemas envolvendo o registro civil de indígenas, instaurado a partir
de Ofício circular da Coordenação do GT de Registro Civil da 6ª CCR, para apurar problemas como a cobrança de taxas inexistentes por cartórios para
efetuar registro de nascimento e recusa em realizar registro tardio - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 9) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE TABATINGA-
AM Nº. 1.13.001.000154/2014-91 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Notícia de Fato instaurado após informações enviadas pelo DSEI, do Alto Rio Solimões acerca de João Macedo Feliciano, indígena residente da
comunidade Umariaçu I possuidor de quadro de tuberculose que se recusou a realizar viagem para ser tratado em Manaus - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 10)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE IMPERATRIZ-MA Nº. 1.19.001.000244/2014-69 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 74

MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado em face do recebimento do Ofício-Circular
nº 004/2014/6CCR/MPF (fls. 04), que encaminhou representações colhidas durante o I Encontro Temático da 6ª CCR. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 11) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.000.000152/2009-19 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT
DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado a partir de representação da Associação das Casas Familiares
Rurais do Estado do Pará ARCAFAR, que noticia a paralisação das Escolas Familiares Rurais por falta de renovação de convênio com o Estado do Pará.
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 12) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.000.000254/2001-79 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento administrativo iniciado em face de
representação do CIMI, na qual requer que o processo de desapropriação da Fazenda Vulcabraz Agropecuária apenas ocorra após a comprovação de que
suas terras não se sobrepõem a TI Urubu Branco. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 13) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº.
1.20.000.000305/2003-24 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento preparatório instaurado com objetivo de averiguar o desaparecimento de um indígena integrante da Terra Indígena Sangradouro, assim
como o ingresso dos Xavantes em fazendas limítrofes à referida terra indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 14) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
BARRA DO GARÇAS-MT Nº. 1.20.000.000737/2012-26 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar a destinação de veículo doado à FUNAI para auxiliar no transporte de indígenas da TI São
Marcos, após sugestão de que o automóvel fosse entregue ao cacique Emílio Terowaça - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 15) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO
GROSSO/DIAMANTINO Nº. 1.20.000.001016/2011-52 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado com o objetivo de verificar a conclusão das obras da CASAI de Tangará da Serra-MT, de forma que
fosse garantido o atendimento à saúde dos índios da região. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 16) PROCURADORIA DA REPUBLICA - MATO GROSSO/DIAMANTINO Nº.
1.20.000.001278/2006-50 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento instaurado com base no Ofício nº 902/IBAMA/2006, no qual o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama)
encaminhou cópias de diversos autos de infrações relacionados a fatos que fazem vislumbrar a prática de crimes ambientais nas fazendas São Judas Tadeu
e São Luiz. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos
do voto do(a) relator(a). 17) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JUÍNA-MT Nº. 1.20.000.001604/2013-58 - Relatado por: Dr(a)
DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado com objetivo de apurar
possíveis irregularidades na realização do Festival de Pesca no Distrito de Fontanillas, nas margens do rio Juruena, no Município de Juína/MT, em virtude
da proximidade com a TI Japuíra da Etnia Erikbaksta - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 18) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BARRA DO
GARÇAS-MT Nº. 1.20.004.000071/2013-57 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para averiguar o aumento da mortalidade infantil indígena, em decorrência de más condições de saúde em
Primavera do Leste/MT, Campinápolis/MT e Paranatinga/MT - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 19) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº.
1.23.000.000679/2013-18 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito
Civil Público instaurado após representação do Instituto Peabiru, o qual relata que seria necessário acompanhar a execução da Ferrovia Açailândia-Vila
do Conde, para a mitigação dos impactos sobre comunidades indígenas, quilombolas e demais comunidades tradicionais. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 20)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000689/2012-64 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT
DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a partir de representação da Associação dos
Trabalhadores Agroextrativistas do alto Pacajá, solicitando a intervenção do MPF junto ao INCRA para a criação de Projeto Agroextrativista na região.
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 21) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000736/2014-31 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a partir do depoimento de Zenito Farias
de Melo, informando que sofreu Ação de reintegração de Posse na Justiça Estadual, pela terra em que ocupa, a qual é terreno de marinha, com título
concedido pela SPU. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição,
nos termos do voto do(a) relator(a). 22) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.000813/2014-53 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado a partir de
representação do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Portel/PA, noticiando conflitos fundiários na área da Gleba Joanas Peres I, em
área da empresa CIKEL - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição,
nos termos do voto do(a) relator(a). 23) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001111/2012-25 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar os fatos
noticiados na representação do Sindicado dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado do Pará - SINTSEP/PA, que encaminhou manifesto
dos servidores do DSEI/GUATOC/SESAI/MS relatando uma série de irregularidades - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 24) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001532/2014-18 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado em face de depoimento prestado por Jorge Ferreira à Superintendência do Patrimônio da União - SPU,
informando que sofreu Ação de Reintegração de Posse na Justiça Estadual, por Anacleide Martins - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 25) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001577/2013-10 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado a partir de representação da Associação das Casas Familiares Rurais do Estado do Pará - ARCAFAR,
que noticia a paralisação das Escolas Familiares Rurais por falta de renovação de convênio com o Estado do Pará. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 26) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - PARA/CASTANHAL Nº. 1.23.000.001857/2013-10 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA –

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 75

Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado após depoimento prestado na PR/PA por Manoel Nazareno noticiando que área ribeirinha
onde vive, com autorização de uso concedida pela SPU, está sendo ameaçada por outros ribeirinhos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 27) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE MARABA-PA Nº. 1.23.001.000085/2007-41 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA –
Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado em 2007, com escopo de apurar possíveis irregularidades concernentes ao atendimento à
saúde indígena no polo base Marabá-PA, a partir de representação da Associação dos Povos Indígenas do Tocantins - APITO. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 28)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE ALTAMIRA-PA Nº. 1.23.003.000035/2013-91 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento administrativo instaurado com base em representação
de indígenas da etnia Kuruaya (fls. 03/05), da aldeia Kuruatxe, datada de 18/02/2013, apontando supostas irregularidades da atuação do Sr. Rodrigo
Valério Souza, liderança da referida aldeia, especialmente quanto a acidente com automóvel doado pela Norte Energia S.A, conduzido pela referida
liderança. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos
do voto do(a) relator(a). 29) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE ALTAMIRA-PA Nº. 1.23.003.000229/2009-19 - Relatado por:
Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado a partir de ofício
encaminhado pela Procuradoria da República da 3ª Região, dando notícia de resultados do GT de Registro Civil da 6ª CCR, com sugestões de
encaminhamento - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 30) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RONDONIA Nº. 1.31.000.000554/2005-06 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH
MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado após notícias de descumprimento do
acordo de cooperação nº 01/2004 firmado entre a FUNASA e o Centro de Ensino São Lucas LTDA. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 31) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE JI-PARANÁ-RO Nº. 1.31.001.000013/2014-51 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA –
Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado com o objetivo de apurar notícia de falta de amparo à menor indígena Cleidiane Wandit
Gavião, por parte de sua família. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 32) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE JI-PARANÁ-RO Nº. 1.31.001.000073/2014-73 -
Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para
investigar problemas envolvendo o registro civil de indígenas, instaurado a partir de Ofício circular da Coordenação do GT de Registro Civil da 6ª CCR,
para apurar problemas como a cobrança de taxas inexistentes por cartórios para efetuar registro de nascimento e recusa em realizar registro tardio. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 33) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GUAJARÁ-MIRIM-RO Nº. 1.31.002.000001/2014-16 - Relatado por: Dr(a)
DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de procedimento preparatório instaurado em
face de representação feita pelo indígena Bismarque Oro Waram Oro não, relatando descaso e péssimo atendimento da SESAI em relação ao seu tio Davi
Oro Waram. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 34) PROCURADORIA DA REPUBLICA - RORAIMA Nº. 1.32.000.000279/2013-95 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO
DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado em face de Termo de Declarações de Zelandes Alberto
Olibeira, conselheiro de saúde da Comunidade Urinduk, e Paulo José, líder da comunidade Kanawapi, onde constam reclamações quanto à morosidade
para implantação de projeto de abastecimento de água nas Comunidades Indígenas Urinduk e Kanawap. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data,
o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 35) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- RORAIMA Nº. 1.32.000.000461/2010-01 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito civil instaurado em face de carta da Escola Estadual Índio Ernesto Pinto, na Comunidade Itacutú, em Normandia, em que constam
reclamações quanto aos serviços de transporte escolar prestado por empresa de nome Rosélia L. de Souza ME, quais sejam: ausência de reposição de
veículos em reparo, não cadastramento de motoristas, veículos inadequados e lentidão nos serviços de manutenção. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 36) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - RORAIMA Nº. 1.32.000.000531/2013-66 - Relatado por: Dr(a) DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado por meio de carta da Comunidade Indígena Malacacheta relatando problemas ligados à invasão da
reserva de preservação ambiental que faz limite com àquela comunidade, sendo que uma das questões trazidas à tona refere-se à eletricidade. O presente
feito está restrito a essa questão. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 37) PROCURADORIA DA REPUBLICA - TOCANTINS Nº. 1.36.000.000047/2014-79 - Relatado por: Dr(a)
DEBORAH MACEDO DUPRAT DE BRITTO PEREIRA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento preparatório instaurado com base em
informação da DPU, na qual consta que ex-funcionário da FUNAI intermediava processos de aposentadoria de indígena, realizando cobranças extorsivas
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto
do(a) relator(a). 38) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA-CE Nº. 08105.001347/95-01 - Relatado por: Dr(a)
LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento datado de 1995, objetivando apurar ameaças e invasão à Terra Indígena
Tremembé de Almofala, em Itarema/CE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 39) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BARREIRAS-BA Nº.
1.14.000.000229/2005-16 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a
fim de apurar a situação de violência na TI Tuxá de Ibotirama e pedido para aquisição de terras em outro lugar para o reassentamento de famílias de
membros do Grupo Indígena Tuxá Raul Valério de Oliveira. 2. Realizado o assentamento de 23 famílias Tuxá ¿ Grupo Raul Valério de Oliveira,
originários de Ibotirama. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela não homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 40) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE GUANAMBI Nº. 1.14.000.000299/2005-74 -
Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após representação formulada
pela Associação de Desenvolvimento Comunitário Rural de Barra do Brumado, acerca de possível irregularidade na aplicação de verbas repassadas por
meio do Convênio 107/2004, celebrados entre o Estado da Bahia e o Município de Rio de Contas/BA. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 41) PROCURADORIA DA REPÚBLICA
NO MUNICÍPIO DE EUNÁPOLIS - BA Nº. 1.14.001.000091/2004-64 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado a partir de representação oferecida pelo Grupo de Educadores Indígenas, com intuito de apurar supostas
irregularidades na aplicação de verbas oriundas do FUNDEF em prejuízo da educação indígena no município de Santa Cruz Cabrália, na gestão do ex-
prefeito Geraldo Scaramussa, no ano de 2001 a 2004. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 76

homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 42) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ILHÉUS/ITABUNA
Nº. 1.14.001.000110/2013-43 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado
a fim de averiguar supostas irregularidades na implantação do Programa Luz para Todos pela Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia ¿ Coelba,
no Território Indígena Tupinambá de Olivença em Ilhéus/BA, não obstante 23 comunidades terem projetos aprovados e aguardarem instalação de energia
elétrica. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto
do(a) relator(a). 43) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE VIT. CONQUISTA- BA Nº. 1.14.007.000447/2013-09 - Relatado por:
Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado com o objetivo de apurar possíveis
discriminações aos povos de cultura cigana e a implementação de ações de proteção e promoção de suas expressões culturais nos municípios abrangidos
pela área de atribuição da PRM de Vitória da Conquista/BA. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
não homologação de arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 44) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA-
CE Nº. 1.15.003.000084/2011-34 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo
instaurado com a finalidade de apurar a conduta de antropóloga e bióloga da FUNAI por intimidar e coagir moradores da localidade São José/Itapipoca
a se declararem indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos
termos do voto do(a) relator(a). 45) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SOBRAL-CE Nº. 1.15.003.000273/2010-26 - Relatado
por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Administrativo instaurado após notícias dadas pela Funai de
que havia dificuldades dos povos indígenas de Crateús/CE e de Poranga/CE em adquirir benefícios previdenciários na Agência da Previdência Social ¿
APS, dessa cidade, bem como nas cidades de Monsenhor Tabosa/CE e Tamboril/CE junto à APS de Sanga Quitéria/CE. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do declínio de atribuição, nos termos do voto do(a) relator(a). 46)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SOBRAL-CE Nº. 1.15.003.000305/2013-36 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ
MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Processo Administrativo instaurado a partir de documentação da Etnia Tremembé de Batedura, Tapera e
Varjota, relatando preocupação com o suposto mapeamento realizado pelo governo do Estado dentro da área indígena, tendo sido avistados aviões voando
baixo e carros com homens fazendo demarcações na terra. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 47) PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ITAPIPOCA-CE
Nº. 1.15.003.000452/2013-14 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Processo Administrativo instaurado
para averiguar atuação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itapipoca, especificamente quanto a determinadas informações prestadas pela Sra
Erbene Veríssimo ao INSS. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 48) PROCURADORIA DA REPUBLICA - PARAIBA Nº. 1.24.000.000688/2013-63 - Relatado por: Dr(a)
LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento Preparatório instaurado após notícias de agressão ambiental na Aldeia
São Miguel, município de Baía da Traição-PB, consistente no desmatamento, visando a ampliação da exploração de cana-de-açúcar, realizado em Terra
Indígena. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto
do(a) relator(a). 49) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE SERRA TALHADA-PE Nº. 1.26.000.000767/2002-47 - Relatado por:
Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Trata-se de Inquérito Civil instaurado com o objetivo de apurar possíveis falhas
na elaboração e execução do projeto de irrigação implementado, no ano de 1997, nas terras da Comunidade Indígena Truká, financiado pelo Banco do
Nordeste do Brasil (BNB). - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 50) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE PETROLINA/JUAZEIRO Nº.
1.26.001.000272/2013-61 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Procedimento instaurado objetivando
apurar constrangimentos e ameaças feitas por indígenas a servidoras integrantes do DSEI/BA. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado,
à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 51) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE CARUARU-PE Nº. 1.26.002.000088/2011-49 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1.
Procedimento Administrativo instaurado a partir de representação oferecida por João Alves Cabral, índio Xucuru, que solicitava providências urgentes e
imediatas com relação ao débito em seu nome no Banco do Nordeste. 2. O Representante alegava impossibilidade de pagamento em virtude de conflito
na Vila de Cimbres, ocorrido em 7.2.2003, e, consequente, destruição de seu patrimônio e de sua família, acrescentando, ainda, que a Funai não teria
adotado medidas para ressarci-los dos prejuízos. 3. O motivo da impossibilidade de pagamento seria ¿um conflito na aldeia de Vila de Cimbres em
7/2/2003¿, no qual o requerente e seus familiares tiveram queimados suas casas e pertences pessoais, além de terem sido expulsos da terra. 4. O fato
citado pelo requerente é a ocupação da Vila de Cimbres pelos índios Xucuru liderados pelo Cacique Marcos, vítima de atentado contra a sua vida, fato
este que desencadeou o grave conflito. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 52) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CARUARU-PE Nº.
1.26.002.000088/2011-49 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: A Câmara deliberou não homologar o
arquivamento, determinando seu retorno à Unidade de origem, para que prossiga no acompanhamento da questão. Unânime. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 53)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE GARANHUNS/ARCO VER Nº. 1.26.005.000044/2007-11 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO
MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado para acompanhar a execução da Lei nº 10.172/2001 ¿ Plano
Nacional de Educação, no âmbito da comunidade indígena Xucuru. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 54) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000164/2014-70 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Notícia de fato instaurada a partir de representação enviada pelo Sr. Lealdo Paes Santos (fl. 03), veiculando supostas irregularidades na eleição para
escolha do futuro presidente da Associação João Almeida, no Município de Cumbe/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 55) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000227/2011-45 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da comunidade quilombola Terra Dura e Coqueiral,
localizada no município de Capela/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 56) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº.
1.35.000.000228/2011-90 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com
o objetivo de assegurar a titulação do território da Comunidade Quilombola Santo Antônio Canafístula, localizada no município de Própria/SE. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 57) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000256/2011-15 - Relatado por: Dr(a)
LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 77

território da Comunidade Quilombola Caraíbas, localizada no município de Canhoba/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 58) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000299/2008-97 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar o direito da comunidade tradicional conhecida como Catadoras de Mangaba, no estado
de Sergipe, a realizar sua atividade extrativista. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação
do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 59) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº.
1.35.000.000315/2010-66 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com
o objetivo de verificar a viabilidade e acompanhar políticas públicas federais voltadas à criação de uma reserva extrativista marinha no litoral sul do
estado de Sergipe. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 60) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000423/2009-03 - Relatado por:
Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do
território da Comunidade Quilombola Lagoa dos Campinhos, localizada no município de Amparo de São Francisco/SE. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 61)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000426/2009-39 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ
MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da comunidade
quilombola Mussuca, localizada no município de Laranjeiras/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 62) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000427/2009-83 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da comunidade quilombola Ladeiras, localizada no município
de Japoatã/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 63) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000428/2009-28 - Relatado por:
Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do
território da Comunidade Quilombola Pirangy, localizada no município de Capela/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 64) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000429/2009-72 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Patioba, localizada no município
de Japaratuba/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 65) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000430/2009-05 - Relatado por:
Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titulação do
território da Comunidade Quilombola Pontal da Barra, localizada no município dos Coqueiros/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 66) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000431/2009-41 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Maloca, localizada
no município de Aracaju/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 67) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000432/2009-96 -
Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a
titularização do território da Comunidade Quilombola Mocambo, localizada no município de Porto da Folha/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 68) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.000855/2010-40 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Serra da
Guia, localizada no município de Poço Redondo/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 69) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA
Nº. 1.35.000.001043/2010-11 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado
com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Desterro, localizada no município de Indiaroba/SE. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 70)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001044/2010-66 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ
MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da comunidade
quilombola Catuabo, localizada no município de Frei Paulo/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 71) PROCURADORIA DA REPUBLICA -
SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001045/2010-19 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Forte, localizada no município
de Cumbe/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do
voto do(a) relator(a). 72) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001047/2010-08 - Relatado por:
Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do
território da Comunidade Quilombola Luzienses, localizada no município de Santa Luzia do Itanhy/SE - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 73) PROCURADORIA DA REPUBLICA
- SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001397/2011-47 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: –
Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Curuanhã, localizada
no município de Estância/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 74) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001398/2011-91 -
Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a
titularização do território da Comunidade Quilombola Serra da Guia, localizada no município de Ilha das Flores/SE. - Deliberação: Em sessão realizada
nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 75) PROCURADORIA DA
REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001399/2011-36 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado com o objetivo de assegurar a titularização do território da Comunidade Quilombola Quebra-
Chifre/Bela Vista, localizada no município de Riachuelo/SE. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 76) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 78

Nº. 1.35.000.001414/2008-41 - Relatado por: Dr(a) LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado
com o objetivo de assegurar a titulação do território da Comunidade Quilombola Brejão dos Negros, localizada no município de Brejo Grande/SE. -
Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 77) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SERGIPE/ESTANCIA/ITABAIANA Nº. 1.35.000.001455/2014-85 - Relatado por: Dr(a)
LUCIANO MARIZ MAIA – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada após notícias da falta de fornecimento do medicamento
¿Tasigna¿, de uso contínuo para tratamento de leucemia, no Hospital João Alves, local onde o Representante faz tratamento. - Deliberação: Retirado de
pauta pelo relator. 78) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SANTA CATARINA Nº. 1.33.000.000650/2014-62 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito civil instaurado para apurar o caso de dois menores indígenas da etnia Kaingang que foram
encontrados pelo Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente do Município de Florianópolis desacompanhados e em situação de risco. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 79)
PROCURADORIA DA REPUBLICA - SANTA CATARINA Nº. 1.33.000.001389/2010-94 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto
Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado a partir de solicitação da comunidade indígena Guarani do Massiambu, em Palhoça, para a instalação
de iluminação pública na aldeia. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento,
nos termos do voto do(a) relator(a). 80) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SANTA CATARINA Nº. 1.33.000.002142/2014-19 - Relatado por:
Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada com o objetivo de apurar suposta construção em área
que integraria terras sob análise para fins de identificação, delimitação, demarcação e titulação para os remanescentes do Quilombo ¿Caldas de Cubatão¿
- Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a)
relator(a). 81) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BLUMENAU-SC Nº. 1.33.000.003013/2013-67 - Relatado por: Dr(a) JOAO
AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado no ano de 2010 para apurar possíveis irregularidades nos contratos
firmados pela FUNASA/Florianópolis. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 82) PROCURADORIA DA REPUBLICA - SANTA CATARINA Nº. 1.33.000.003456/2012-77 -
Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após representação do Movimento
Pardo-mestiço Brasileiro da Nação Mestiça com finalidade de apurar a execução de programa de ações afirmativas para o ingressos de autodeclarados
pretos, partos de indígenas, nos termos da Lei nº 12.711/2012, no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense - IFC. - Deliberação:
Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 83)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE RIO DO SUL-SC Nº. 1.33.001.000053/2001-11 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar a participação de empresas madeireiras na exploração predatória
da floresta nativa da T.I. La Klãnõ (Ibirama). - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 84) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE BLUMENAU-SC Nº.
1.33.001.000344/2014-16 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Notícia de Fato instaurada após
recebimento de Ofício-Circular com listagem contendo informações sobre o atual estágio dos processos de demarcação na área de atuação da PRM
Blumenau/SC, enviada pel GT Demarcação, requisitando a atuação do Procurador oficiante para assegurar a duração razoável do processo administrativo
e a cessação da mora na demarcação das terras indígenas lá situadas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou
pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 85) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE RIO DO SUL-
SC Nº. 1.33.001.000482/2009-38 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado
após recebimento de relato que consubstanciava ao menos 05 episódios de desacato e agressão por parte de índios da Terra Indígena Ibirama a servidores
do Polo Base de José Boiteux/SC entre maio de 2004 e agosto de 2005 - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 86) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CHAPECO-SC Nº. 1.33.002.000044/2013-46 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil Público
instaurado a partir de Representação feita pela indígena Loreni Gonçalves, da TI Imbu em face do Cacique da referida Terra Indígena por ter sido expulsa
de sua casa devido a se relacionar com não indígena - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 87) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº.
1.33.002.000170/2013-09 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar
notícia de que os alunos indígenas provenientes da Aldeia Kondá não estariam integrados ao processo de ensino-aprendizagem da Escola Básica Pedro
Maciel, além de estarem enfrentando problemas quanto ao transporte escolar. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade,
deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 88) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE
CHAPECO-SC Nº. 1.33.002.000221/2012-11 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil
instaurado em virtude de representação da comunidade indígena Toldo Imbu, solicitando a intervenção do Ministério Público Federal a respeito do
descarregamento de lixo em algumas áreas próximas à aldeia. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 89) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº.
1.33.002.000223/2013-83 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado a partir de
representação de indígenas da terra indígena Xapecó sobre o vencimento do contrato de trabalho firmado entre a prefeitura municipal de Ipuaçu e agentes
de saúde, sendo que até aquele momento não haviam sido contratados novos agentes para prestar o serviço. - Deliberação: Em sessão realizada nesta
data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 90) PROCURADORIA DA
REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº. 1.33.002.000315/2011-00 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor:
– Ementa: 1. Inquérito Civil Público instaurado após solicitação da Comunidade Indígena Toldo Chimbangue de intervenção ministerial quanto à
implantação do Curso Técnico em Agroecologia do IMIEP. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela
homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 91) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº.
1.33.002.000338/2013-78 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito civil instaurado a partir de
Termo de Atendimento noticiando irregularidades na Escola Cacique Vankhre e documento originário da Ouvidoria-Geral do Estado-Ouvidoria Setorial
de Xanxerê, com solicitação de providências. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 92) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CHAPECO-SC Nº.
1.33.002.000474/2013-68 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar
notícia de supostos desmandos da FUNAI no que tange à aplicação de recursos públicos - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à
unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 93) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO
MUNICIPIO DE ITAJAI/BRUSQUE Nº. 1.33.008.000020/2006-16 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito Civil Público instaurado para tratar da presença indígena nos municípios litorâneos abrangidos pela Procuradoria de origem, em épocas de

Documento assinado digitalmente conforme MP nº- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço
eletrônico http://www.transparencia.mpf.mp.br/diario-e-boletim/diario-eletronico-dmpf-e.
DMPF-e Nº 37/2015- EXTRAJUDICIAL Divulgação: quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Publicação: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 79

veraneio, quando para os locais se deslocam para efetuar venda de artesanato, oriundos de diversas áreas indígenas do Brasil. - Deliberação: Em sessão
realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 94)
PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CONCORDIA-SC Nº. 1.33.010.000007/2007-91 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA
OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: Inquérito Civil instaurado para apurar possíveis atrasos nas obras de instalação dos módulos sanitários na
Aldeia Toldo Pinhal pela FUNASA. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do
arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 95) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE CONCORDIA-SC Nº.
1.33.010.000013/2012-13 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa: 1. Inquérito Civil instaurado para apurar a
falta de profissionais de saúde na Terra Indígena Toldo Pinhal, bem como a falta de medicamentos. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o
colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos do voto do(a) relator(a). 96) PROCURADORIA DA REPUBLICA
NO MUNICIPIO DE CONCORDIA-SC Nº. 1.33.010.000018/2014-08 - Relatado por: Dr(a) JOAO AKIRA OMOTO – Nº do Voto Vencedor: – Ementa:
1. Inquérito civil instaurado para apurar a situação do indígena Claudiomiro Jacinto, impedido de comercializar seus produtos no município de
Piratuba/SC, por estar, em princípio, em desacordo com o código de postura daquele município. 2. Por verificar, diante do quadro exposto, que foi
expedida a Recomendação nº 04/2014, direcionada ao município e ao indígena, para que este priorizasse, na medida do possível, a comercialização de
artesanato confeccionado por ele e seus familiares, com referência à cultura e às tradições indígenas e, àquele, para abster-se de proceder à retirada do
indígena do local que atualmente ocupa para comercialização de seu artesanato. O município respondeu informando que acatava integralmente tal
recomendação, mantendo o indígena no local, sob o incentivo de que ele desenvolva a comercialização de artesanato com referência à cultura e às
tradições indígenas. - Deliberação: Em sessão realizada nesta data, o colegiado, à unanimidade, deliberou pela homologação do arquivamento, nos termos
do voto do(a) relator(a). 97) PROCURADORIA DA REPUBLICA NO MUNICIPIO DE MAFRA-SC Nº. 1.33.015.000007/2014-70 - Rela