Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

Pós-Graduação Lato Sensu em Gestão Pública

Grazielli Dos Santos Reche – RGA 2017.37.773

Gestão de redes Públicas de Cooperação

Campo Grande – MS
Setembro 2018
Grazielli Dos Santos Reche – RGA 2017.37.773

Gestão de redes Públicas de Cooperação

Trabalho apresentado como requisito para


obtenção de nota na disciplina Gestão de redes
Públicas de Cooperação do Curso de Pós-
Graduação Lato Sensu em Gestão Pública da
Universidade Federal de mato Grosso do Sul,
sob a orientação da Prof.ª Dra. Luciane Cristina
Carvalho.

Campo Grande – MS
Setembro 2018
Sistema-alvo - Sistema de Licenciamento Ambiental.

2. Analisando o Contexto do Desenvolvimento Federativo, variável: Cooperação.

a) Existem sinais de movimentos, no âmbito do sistema alvo, já realizados ou a realizar,


de cooperação nos planos de trabalhos nas três instâncias: federal, estadual e municipal?
Quais?

Sim, no envolvimento simultâneo de várias jurisdições político-administrativas na gestão de


processos ambientais, na transversalidade, na pluralidade de atores e de organizações presentes
na arena ambiental nas três esferas, para o saneamento de sobreposições de conflitos. E esses
movimentos se destaca efetivamente com o licenciamento ambiental, como um instrumento de
gestão ambiental. Visto que é a partir do licenciamento que os órgãos competentes irão analisar
se determinadas atividades são passíveis de licença ou não, quais os impactos gerados, positivos
e negativos e como mitiga-los dentro de cada uma das instancias.

b) Quais os setores impactados por esse movimento?

Setores estruturais, de capacitação técnica, de arrecadação e os setores responsáveis pela


captação de recursos financeiros para consecução dos projetos e políticas públicas.
c) Quais foram os fatos geradores dos movimentos identificados?

Ações de fiscalização, medidas preventivas, de monitoramento, de inspeção, de advertência,


punitivas, corretivas, entre outras, cuja origm persiste pela falta de uma política urbana voltada para
o ordenamento dos territórios através de uma gestão ambiental eficiente. Como problemas
oriundos do efeito estufa, falta de saneamento básico, resíduos sólidos não tratados, falta de plano
diretor acabando por deteriorar os territórios, todos problemas que requerem uma cooperação de
vários entes com suas devidas competências técnicas e administrativas e que detém o
conhecimento mais apurado de cada ente no ambiente federativo.
Fontes:
Ministério do Meio Ambiente. https://portalresiduossolidos.com/sisnama-sistema-nacional-
meio-ambiente-brasil/ acesso em 20/08/2018.

GECÁSSIA MARIA DA COSTA, ALANE REGINA RODRIGUES DOS SANTOS,


ANDRÉIA RODRIGUES DOS SANTOS. A descentralização do licenciamento ambiental
e sua Integração com o ordenamento dos municípios. Anais do I Congresso Brasileiro de
Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território, 2014. Rio de Janeiro.

Estela Maria Souza Costa Neves. Política ambiental, municípios e cooperação


intergovernamental no Brasil. Estudos Avançados 26 (74), 2012.