Você está na página 1de 7

Considerações Iniciais

A Grafoscopia é muito importante para as empresas se precaverem contra


as fraudes. Em qualquer jogo, se o executivo puder conhecer as táticas e
movimentos do adversário, maiores probabilidades terá de chegar à vitória.

O confronto empresa x fraudador é um jogo. Enquanto este conhece todos


os movimentos e pontos fracos de sua vítima, esta, na maioria das vezes,
está despreparada para contê-lo, ou por não dispor de técnica especializada,
ou por não conhecer os movimentos do seu adversário.

As tesourarias e caixas das empresas/bancos constituem um dos poucos


setores de atividade do falsificador em que o proveito é imediato. Com uma
simples falsificação em um retângulo de papel (cheque, recibo, etc.),
sobrevém o recebimento de vultosa soma.

Então, após a fraude, o falsário retira-se de cena, deixando a discussão


entre Empresa-Cliente-Funcionário. Onde existir dinheiro, haverá falsificador.
Portanto, a fraude não pode ser tratada como um evento imprevisível no
meio empresarial, pois será fatal, mesmo quando forem adotadas as mais
eficientes medidas preventivas.

Deverá, sim, ser encarada como um acontecimento normal; dessa forma,


poderemos dificultar a fraude com a colaboração de funcionários treinados.

Metodologia do Curso

O curso propõe, então, preparar o treinando para verificar o grafismo em


duas etapas: o pré-confronto e o confronto.

O pré-confronto consiste em saber observar à primeira vista, isto é, sem o


auxílio da assinatura padrão, se existe no documento apresentado indícios
primários de falsificação. Quais são esses indícios e onde se localizam. Com
esses conhecimentos preliminares, saberá suspeitar de espécimes, mesmo
sem a presença do padrão.

No confronto, por sua vez, o treinando de posse do padrão desenvolverá a


habilidade de confrontar os elementos gráficos e os recursos auxiliares.
Público-Alvo

Todos os profissionais que manipulam documentos e numerários,


especialmente: conferentes, bancários, caixas, executivos, cartorários,
advogados, grafólogos, economistas, contabilistas, administradores,
gerentes, supervisores, etc.
Instrutor

Alvo Magnoli Neto – Bacharel em Ciências Jurídicas e Econômicas - 2004,


Técnico em Contabilidade.
Registro nº 1.318 APEJESP - Associação dos Peritos Judiciais do Estado de
São Paulo.

Perito Judicial desde 2005, larga experiência como Assistente Técnico na


Vara do Trabalho de Rancharia e São José dos Campos – SP, Varas Cíveis de
Pindamonhagaba, Taubaté – SP, Inquéritos da Policia Federal em São José
dos Campos – SP, do Conselho Regional de Medicina de São Paulo, e da
Assessoria jurídica da Revista Historia da PUC – SP.

Laudos junto ao Ministério dos Transportes e Polícia Federal para


Credenciamento e Homologação da Ice Cartões Especiais – como fornecedor
oficial da Nova Carteira Nacional de Habilitação.

Ministrou mais de 70 Cursos de Grafoscopia e Documentoscopia para:


Faculdade da Terceira Idade – Univap; Instituto Santista de Qualidade
Industrial, Cooperativa Cocred, Cooperativa Credmalhas, Itautec, Check
Express, Itaú BBA, Imprensa Oficial, Organização Vendrame, Citibank, G5
Serviços & Treinamentos, HSBC, Título Corretora de Valores Mobiliários,
Banco Cruzeiro do Sul, Banco GE Capital, Fundação Arquivo e Memória de
Santos, Câmara dos Deputados, I Tabelionato de Goiânia, Volvo Financial
Services, Associação de Bancos do Estado da Bahia, Unicred RJ.

Duração: 08 horas

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

01 – GRAFOSCOPIA

1.1 – Conceito: criminalística, documentoscopia e grafoscopia


1.2 – Objetivos

02 – CONFERÊNCIA GRAFOTÉCNICA

2.1 – O Método Morfológico ou por Semelhança.


2.2 – O Método Grafocinético

03 – O TRAÇO (Tipos de traços e punhos escreventes)

3.1 – Traço firme


3.2 – Traço Trêmulo
3.3 – Traço Indeciso

04 – CARACTERÍSTICAS GRÁFICAS (características de ordem geral)

4.1 – Fisionomia Gráfica.


4.2 – Pressão
4.3 – Velocidade
4.4 – Dinamismo Gráfico - 2ª Lei do Grafismo
4.5 – Grau de Habilidade do Punho Escrevente
4.5.1 – Punho Primário
4.5.2 – Punho Médio
4.5.3 – Punho Evoluído
4.5.4 – Punho Senil
4.6 – Exercícios no Quadro dos Traçados Naturais – Ver Exercício 01.

OS TIPOS DE TRAÇOS E DE PUNHOS ESCREVENTES E AS


CARACTERÍSTICAS GRÁFICAS:

Ensina-se: Quais e quantos são os tipos de traços e de punhos escreventes.


Segue exercício individual, através do qual o conferente bancário vai fixar
conceitos.

Observação: Utiliza-se de imagens na tela e flip-chart e são repassados


inúmeros exemplos práticos vivenciados pelos Instrutores nesses 15 anos,
ministrando cursos em todo Brasil.

05 – TIPOS DE FALSIFICAÇÕES – EXERCÍCIO 2.

5.01 – De Memória
5.02 – Imitação servil
5.03 – Decalque Direto
5.04 – Decalque Indireto
5.05 – Imitação Livre
5.06 – Sem Imitação
5.07 – Autofalsificação
5.08 – Mera Negativa de Autenticidade

TIPOS DE FALSIFICAÇÕES: Temos que saber como agem os falsários,


para combatê-los eficazmente. Por isso todos conhecerão os seis tipos de
falsificação e farão exercícios para saberem como são executadas.

06 – INDÍCIOS PRIMÁRIOS DE FALSIFICAÇÃO – 3ª Lei do Grafismo

6.1 – Paradas Anormais


6.2 – Indecisões no Traçado
6.3 – Vestígio de Debuxo
6.4 – Uniformidade de Pressão e Velocidade
6.5 – Retoque Fraudulento.

INDÍCIOS DE FALSIFICAÇÃO:

Fundamento: Terceira Lei do Grafismo


Pela experiência sabemos que o conferente bancário não tem muito tempo
para analisar assinatura, um texto, ou um documento durante o expediente.

Sendo assim, vivenciará a conferência em dois momentos: o pré-confronto e


o confronto.
No pré-confronto, sem observar o padrão na tela do terminal de caixa, o
bancário procurará descobrir possíveis indícios de falsificação. Quais esses
indícios? Onde se localizam? O treinando vai buscar as respostas no
exercício de falsificação que acabara de fazer. Esta metodologia é muito
eficaz, porque eles mesmos deixaram esses indícios no exercício.
80% dos casos de falsificação são detectados no pré-confronto e
confirmados, posteriormente, no confronto.

07 – VARIAÇÕES DA ESCRITA AUTÊNTICA – 4ª Lei do Grafismo

7.1 – Causas Naturais


7.2 – Causas Físicas
7.3 – Causas Mesológicas
7.4 – Causas Emotivas
7.5 – Causas Patológicas
7.6 – Propositais (autofalsificação)
7.7 – Polimorfismo Gráfico.
VARIAÇÕES DA ESCRITA AUTÊNTICA:

Fundamento: Quarta Lei do Grafismo


Serão repassadas todas as sete causas das variações, com exemplos
práticos e reais, através de imagens de tela. Ênfase nos casos senis
patológicos.

08 – CONFRONTO DOS ELEMENTOS GRÁFICOS

8.1 – Forma – Princípio Básico do Grafismo


8.2 – Gênese Gráfica – 1ª Lei do Grafismo
8.3 – Andamento Gráfico
8.4 – Ataques e Arremates
8.5 – Mínimos Gráficos
8.6 – Distribuição de Pressão e Velocidade

Fundamento: Básico e Primeira Lei do Grafisco


Há falsificação que não deixa indício visível, por isso o confronto do
espécime questionado com o padrão é importante. É a fase da conferência
que compara os elementos gráficos individuais de cada escritor. Quais esses
elementos? Onde se localizam? Como interpreta-los?

09 – RECURSOS AUXILIARES

9.1 – Valores Angulares e Curvilíneos


9.2 – Escritas em Arcadas e Guirlandas
9.3 – Cetras
9.4 – Relação de Proporcionalidade
9.4.1 – Intergramatical
9.4.2 – Interliteral
9.4.3 – Intervocabular
9.5 – Calibre
9.6 – Comportamento da Escrita em relação à Linha de Pauta

Outros maneirismos gráficos serão conhecidos. São também, importantes na


conferência por confronto. Qual a diferença entre os elementos gráficos e os
recursos auxiliares? Quais são os recursos? Onde se localizam?

10 – ASSINATURA QUANTO À SEGURANÇA


10.1 – Assinaturas de Segurança
10.2 – Assinatura de Fácil Imitação.

O Banco/Cooperativa poderá orientar o cliente a alterar a sua assinatura, se


esta se apresentar de fácil imitação ou legível, por suposições demasiadas
de traços. Quais são as de fácil imitação? Por quê? Quais as de segurança?
Por quê?

11 – MÉTODO PRÁTICO DE CONFERÊNCIA


11.1 – O que fazer?
11.2 – Como fazer o Pré-confronto?
11.3 – Como fazer o Confronto?
11.4 – Atenção!

Testes: Serão realizados vinte testes visando fixação dos conhecimentos


adquiridos. Esses testes são casos reais tirados de laudos periciais.

12 – DOCUMENTOSCOPIA
12.1 – Cuidados no Exame de Documentos
12.1.1 – Aspectos físicos.
12.1.2 – Os autores.
12.1.3 – Tipo do documento.

Alguns bancos/cooperativas solicitam cursos centrados em Grafoscopia, para


atender à legislação específica na formação de agentes validadores de
assinaturas digitais. Porém, insistimos na importância da inclusão do
treinamento em Documentoscopia.

13 – AS ADULTERAÇÕES EM DOCUMENTOS
13.1 – Acréscimos
13.2 – Aglutinações
13.3 – Rasuras
13.4 – Lavagens Químicas
13.5 – Transplantes
13.6 – Demais falsificações documentais (Adulterações de papéis de
segurança)
13.6.1 – Papel Moeda
13.6.2 – Os elementos de segurança do Real e como identificá-los.
13.6.3 – Os elementos de segurança dos documentos: RG e RNE.
13.6.4 – Carteira Nacional de Habilitação.
13.6.5 – Os elementos de segurança nos passaportes.
13.6.6 – Os elementos de segurança nos cartões de crédito.
13.6.7 – R.I.C – REGISTRO ÚNICO de IDENTIFICAÇÃO CIVIL
13.6.8 – E-CPF – Chaves Públicas e Privadas.
A Identificação do Cliente

Muitas fraudes ocorrem por erro na identificação do cliente. O CPF e o RG


não têm restrições, mas o portador é um falsário. A assinatura é autêntica
(documento furtado), mas os espelhos de RG, CIC, CNH são falsos. Por isso,
a importância de saber identificar a fraude em documentos, principalmente
na abertura de conta e em assinaturas de contratos.

Os Documentos e as Fraudes.

Quais documentos? Quais as técnicas de falsificação? Quais os cuidados que


os bancários devem ter? Qual o meio mais prático de conferência, sem
grande aparato tecnológico. Como utilizar os equipamentos capazes de
identificar a grande maioria das fraudes documentais?

Papéis de segurança

Quais os elementos de segurança? Onde se localizam? Especialmente nos


documentos: Real, RG, CNH, Passaporte, Cartões de créditos, Cheque,
Chaves Eletrônicas Privadas e Públicas e Contratos.

14 – TESTE – Veja Anexo 02.


15 – CONSIDERAÇÕES FINAIS
16 – BIBLIOGRAFIA
17 – SITES CONSULTADOS