Você está na página 1de 21

Transistor Bipolar de Junção TBJ

Cap. 4 Sedra/Smith Cap. 8 Boylestad Cap. 10 Malvino Amplificador EC
Cap. 4 Sedra/Smith
Cap. 8 Boylestad
Cap. 10 Malvino
Amplificador EC
Cap. 8 Boylestad Cap. 10 Malvino Amplificador EC Notas de Aula SEL 313 Circuitos Eletrônicos 1

Notas de Aula SEL 313 Circuitos Eletrônicos 1 Parte 6

1 o Sem/2016 Prof. Manoel

Análise de Amplificadores Básicos

Amplificador de estágios simples : 1 TBJ por amplificador.

Emissor Comum Configurações básicas : Base-Comum Coletor-Comum


EC

BC

CC

Objetivos :

Impedância de Entrada
Impedância de Saída
   Ganho de Tensão
Ganho de Corrente

R

R

A v

0

(

(

Z

i

Z

0

)

)

i

A

   Resposta em Frequência (Circuitos Eletrônicos 2)

i

Procedimentos : Modelos Pequenos Sinais e Análise de Circuitos Elétricos CA

Amplificador Emissor-Comum

Esta configuração já foi estudada em vários exemplos. A seguir é mostrada uma configuração com polarização por fonte de corrente CC no emissor. Os capacitores são considerados de capacitância infinita.

O capacitor C E conecta portanto o emissor ao Terra para qualquer sinal CA. O sinal da fonte é aplicado entre a Base e Terra(Emissor) e é retirado entre Coletor e Terra(Emissor).

R 0 R i
R 0
R i

As impedâncias de entrada e de saída são indicadas por R i e R 0 .

Figura 2.65 Configuração de Amplificador em Emissor-Comum.

Análise do caso Emissor-Comum

Para o circuito em questão o equivalente modelo e disposição para pequenos sinais é tal como a seguir. Aqui usou-se v para v be e R in /R out para

R i /R 0 .

i o
i o

Figura 2.66 Circuito equivalente da Configuração de Amplificador em Emissor-Comum para análise CA.

Neste caso, o ganho de tensão será obtido em relação a v s , portanto incluindo a resistência interna da fonte. OBS. A fonte v s e R s podem ser o equivalente de Thévenin de um estágio amplificador anterior, com saída v s e impedância de saída R s (as quais se tornam entrada deste estágio).

Ganho de Tensão

Pela inspeção do circuito, observa-se que v ou (v be ) é uma parcela da tensão da fonte CA no divisor resistivo ( R S + r .

v

r

R

s

r

v

s

(2.44)

No circuito a resistência R C é a única carga do amplificador, embora pudesse haver uma carga R L conectada ao coletor através do capacitor C C , portanto :

(g

// r

0

R // r  C 0 r    g
R
// r
C
0
r  
 g

v

0



v

) R

A

v

m C



g

m

(2.45)

m , chega-se ao ganho de

Usando v de (2.45) , e lembrando que

tensão da fonte

v S (t)

para o coletor saída v 0 (t) :

A

vs

v

0

v

s

 ( g

m

)

R

C

//

r

0

r

R

s

r

R

C

//

r

0

R

s

r

(2.46)

Se a fonte ou o estágio anterior tiver R s << r , como desejável, então A v será independente de :

A vs

v

0

v

s

 (g

m

) R

C

// r

0

(2.47)

Ganho de Corrente

Observando-se que a corrente de carga é uma parcela fonte de corrente no coletor através do divisor de corrente (r 0 //R C ), chega-se a :

r  ( g ). 0 m v  ( R  r ) i
r
 (
g
).
0
m v
(
R
r
)
i 0
i 0
C
0
A i 
v
i i
i b
r
r 0

R
 r
C
0

(2.48)

Impedâncias de Entrada e de Saída

Por inspeção direta do circuito, obtém-se :

R

R

i

0

r

r

0

// R

C

(2.49)

(2.50)

Resumo da Configuração Emissor-Comum

No caso de r 0 >> R C , como é geralmente o caso, pode-se obter expressões aproxi-madas dos índices de desempenho do amplificador EC :

A

A

R

v

i

0



g

m



R

C

R

C

(2.51-a)

(2.51-b)

(2.51-c)

Tal como já esclarecido anteriormente, o do TBJ representa o Ganho de Corrente em Emissor-Comum.

Em resumo pode-se delinear a seguintes propriedades do caso da configuração em Emissor –Comum ( EC ) :

A v

A

R

R

i

i

0

: de nível elevado;

: também de valor elevado;

: de valor moderado;

: de valor elevado (desvantagem !!).

Exemplo 2.12

Se na figura 2.65 = 100, I = 1mA, R C =R S = 5ke V A = 100V, obter :

(a) os ganho de tensão e de corrente e as impedâncias de entrada e de saída; (b) Se uma carga R L = 5kfor ligada no capacitor C C , re-avalie o ganho de tensão.

Solução :

Ganho de Tensão Total : (eq. (2.46))

Parâmetros do modelo :

I

C

I

E

1

I

E

0,99 mA

A

v

R

C

//

r

0

R

s

r

100 5 //101 k

(5

2,525)k

 63,3 V/V

g

I

C

T

m V

39,6 mA/V

r

V

T

I

B

V

T

I

C

2525

r

0

V

A

I

C

101 k

Ganho de Corrente : (eq.(2.48))

A

i



r

0

R

C

r

0



100

101k

(101

5)k



95,3 A/A

Impedância de Entrada e Saída : eqs. (2.49) e (2.50)

R

R

i

0

r

(

R

C

2525

//

r

0

)

4,76 k

Exemplo 2.12 Cont.

Solução (b) – Carga R L :

A configuração do estágio de saída do amplificador passa a ser como a seguir, onde R L aparece em paralelo com R C e com r 0 para efeito da análise CA de pequenos sinais:

com r 0 para efeito da análise CA de pequenos sinais: Figura 2.67 Estágio de saída

Figura 2.67 Estágio de saída do exemplo 2.12 com R L .

A

v

R

L

//

R

C

//

r

0

R

s

r

100 5 // 5 //101 k

(5

2,525)k

 32,42 V/V

O ganho de corrente A i e a impedância de saída também são afetadas por esta mudança.

Obter A i e R out

Amplificador EC com resistência de emissor

A inclusão de um resistor no terminal de emissor permite alterar alguns índices de desempenho do Amplificador EC. No circuito a seguir o terminal de emissor não é mais ligado diretamente ao Terra, mas através de R E e C E . Uma carga R L pode ou não estar conectada no coletor.

Uma carga R L pode ou não estar conectada no coletor. Figura 2.68 Configuração de amplificador

Figura 2.68 Configuração de amplificador EC com R E .

Análise do caso EC com R E

Neste caso, é mais adequado o uso de um dos modelos tipo T. Desde que r 0 é normalmente grande, seu efeito pode ser desprezado e a configuração de modelo CA de pequenos sinais com modelo tipo T com fonte de corrente controlada por corrente fica sendo :

sinais com modelo tipo T com fonte de corrente controlada por corrente fica sendo : Figura

Figura 2.69 Circuito equivalente CA.

Análise do caso EC com R E

No estágio de Emissor-Base, tem-se :

e, se :

v

i

i

b

i

e

(1

(

R

E

)

r

e

i

e

)

i

e

(

1)

então :

v

b

v

i

R   

i

i

b

i

i

(

1)(

R

E

r

e

)

(2.52)

(2.53)

(2.54)

ou seja, R i se torna (+1) vezes maior que o caso sem R E . Pode se mostrar ainda :

R i com R

R

1

E r

E

 

e

(

R

i

sem

R

E

)

(1

g

m

R

E

)(

R

i

sem

R

E

)

(2.55)

Uma impedância de entrada elevada em um amplificador é sempre desejada.

Análise do caso EC com R E

Para o ganho de tensão, tem-se inicialmente (com R L = ∞):

e,

v

(

0 

A

vc

v

0

v

i

i )R

e

C

R

C

R

E

r

e

R

C

R

E

r

e

(2.56)

(2.57)

Desde que v i é uma parcela da tensão da fonte v s , pode-se obter o ganho total em relação à fonte como sendo :

v i R

i

v

s

R

i

R

s

A

v

v

0

v

s

v

0

v

i

v

i

v

s

R

 

C

R

s

(

1)(

R

E

r

e

)

(2.58)

(2.59)

Observa-se aqui que o ganho é um pouco menor, porém é mais imune à variações de . Já que v é uma parcela de v s , esta tensão pode ser grande. Pode-se ainda demonstrar que o ganho de corrente e a impedância de saída não se alteram.

Resumo do caso EC com R E

Do estudo anterior, as características do amplificador EC com R E em relação ao caso sem R E podem ser citadas como sendo :

R

R

i

0

A v

A i

: aumenta por uma fator

: não se altera;

(1

 g R

m

E

)

;

: ganho de tensão diminui;

: menos dependente de ;

: não se altera;

Resposta em frequência melhor.

Exercício 2.10

Exercício 2.10

Exercício 2.11

Exercício 2.11

Exercício 2.12

Exercício 2.12

Exercício 2.13-a

O amplificador a seguir é formado por dois estágios idênticos em EC. Se

V CC =15V, R 1 =100k, R 2 =47k, R E =3k9, R C =6k8e =100, obtenha:

a)

– A tensão e corrente nos coletores de Q 1 e Q 2 ;

b)

– circuito completo equivalente de pequenos sinais;

c)

R in1 e ( v b1 /v s ) com R S =5kd) – R in2 e ( v b2 /v b1 );

e)

– ( v 0 /v b2 ) com R L =2kf) – Ganho global ( v 0 /v s ).

Figura 2.72 – (a) : Exercício 2.13-a.

Exercício 2.13-b

O Amplificador abaixo usa um TBJ com = 200.

(

a) – Encontre a Tensão CC de coletor V C ;

(

b) – Encontre as impedâncias de entrada R i1 e R i2 ;

(c ) – Encontre o ganho de tensão global (v s /v s ); (d ) – Se é desejado que v o seja ±0,4V que valores são requeridos para v s e para v b indicados na figura

que valores são requeridos para v s e para v b indicados na figura Figura 2.72

Figura 2.72 – (b) : Exercício 2.13-b.

Exercício 2.13-c

O para o amplificador abaixo:

(

a ) – Encontre a corrente I CQ e a tensão de coletor V CQ ;

(

b ) – Usando modelo equivalente T para pequenos sinais, encontre o ganho (v 0 /v i ).

equivalente T para pequenos sinais, encont re o ganho ( v 0 /v i ). Figura

Figura 2.73 – (c) : Exercício 2.13-c.

Conteúdo :

SEDRA : Pgs.

BOYLESTAD

Bibliografia

:

268 a

274

(Cap. 8)

MALVINO : 318 a 343

Exercícios :

SEDRA : Exs 29 ao 33 Pgs. 323 - 324

BOYLESTAD : Exs. 1 ao 10 Pgs. 315 - 316

MALVINO : 1 ao 17 Pgs. 341 - 343