Você está na página 1de 24

nº 3 /// novembro/dezembro de 2010 Paulistana

Gravidez tardia: riscos


são menores às mulheres que
mantém uma vida saudável

Diabéticos não precisam


mais abrir mão das delícias
do final do ano

Rotinas estressantes
estão diretamente ligadas
à enxaqueca

Música
como terapia
Especialistas revelam o poder das canções no auxílio a tratamentos
médicos e na prevenção de doenças relacionadas à ansiedade

Capa_ok.indd 1 10/22/10 4:33 PM


Hospital
Santa Helena

UNIPLPAUINST-0111 AN Hospital 20,2x26,6.indd 1 13/10/10 14:47


Caro leitor,
É com grande orgulho que lhe
sumário 02 QUALIDADE DE VIDA
Como a música tem contribuído
apresentamos a última edição de para minimizar doenças
2010 da revista Unimed Paulistana.
Durante este ano importantes con- 06 ALIMENTAÇÃO
quistas foram alcançadas. Fomos É possível se alimentar bem,
considerados o 5 maior plano de mesmo diante das tentações
saúde do Brasil pela revista Valor das festas de final de ano
1000. Nossa cooperativa tam-
bém foi eleita, pelo 9 ano con- 10 COMPORTAMENTO
secutivo, a marca de maior con- De que forma uma vida saudável
fiança entre os consumidores bra- pode minimizar os riscos de
sileiros pela revista Seleções. Além uma gravidez tardia
disso, a Unimed Paulistana obteve
8% de crescimento neste primei-
ro semestre.
E é com este cenário positivo que
encerramos o ano. Nas próximas
páginas você poderá diferenciar
uma simples dor de cabeça da fa-
mosa enxaqueca, saber os riscos e
benefícios de uma gravidez tardia,
além de dicas de alimentos saudá-
veis aos diabéticos.
Em comemoração ao Dia do Vo- 02 14
luntariado, confira a importância
de trabalhos deste tipo, que con- 06 14 SAÚDE
tribuem diretamente para uma Rotinas estressantes são
sociedade mais justa. E por fim, consideradas as grandes causas
veja como a música pode auxi- da enxaqueca
liar no combate ao estresse ou
mesmo na melhora de algumas 16 RESPONSABILIDADE
doenças. SOCIAL
Aos clientes, colaboradores e co- Médicos cooperados abraçam a
operados da Unimed Paulistana, causa e se tornam voluntários
o nosso muito obrigado por mais
um ano repleto de sucessos. 19 ACONTECE
Até 2011! Saiba quais são os principais
destaques da Unimed Paulistana

expediente
Diretoria Executiva Contribuíram para esta edição: Coordenação Editorial Osmar Coelho
Diretor-presidente Eduardo Rocha, gerente de Atendimento Analista de Marketing Sênior Elisa Luz e Souza
Dr. Paulo José Leme de Barros Lilian Soares, gerente de Atenção à Saúde Jornalistas Responsáveis Flávia Travaglini (MTb 35.741), Michelle Ferrari (MTb 53.286)
Diretor Secretário Luciana Foloni, gerente de Integração e Gestão do Conhecimento Projeto Gráfico Buono Disegno – www.buonodisegno.com.br
Dr. David Serson Marcos Mancini, gerente Comercial Direção de Arte e edição de imagens Renata Buono,
Diretor Financeiro Martha Augusto, assessora de Enfermagem – superintendência do HUSH Luciana Sugino e Renata Lauletta
Dr. Valdemir Gonçalves da Silva Nelson Marques, gerente de Relacionamento e Negociação com Prestadores Impressão Gráfica Cart
CEO Tiragem 6.000
Dr. Mauricio Rocha Neves Fotos Shutterstock

1 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Sumário.indd 1 10/22/10 4:34 PM


/// QUALIDADE DE VIDA

2 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Uni3_Musica2.indd 2 10/22/10 4:37 PM


Quem
canta
seus males
espanta
DE QUE FORMA A MÚSICA TEM CONTRIBUÍDO PARA
MINIMIZAR DOENÇAS, POTENCIALIZANDO SENSAÇÕES
DE BEM-ESTAR E ALEGRIA

V
ocê gosta de música? Como se sente bravam tristeza e causavam an-
ao ouvir canções tranquilas, constituí- siedade provocaram uma redu-
das por acordes harmoniosos e serenos? ção de 6% no fluxo sanguíneo.
Não há dúvida que a música traz uma série de Isso acontece porque quando
benefícios ao ser humano. Dependendo do tipo escutamos música, nosso ouvi-
de canção, em poucos minutos é possível elevar do transforma os sons em es-
o pensamento, relembrar situações e sentir gran- tímulos elétricos que chegam
de sensação de bem-estar. ao cérebro provocando o au-
Em uma pesquisa realizada pela Escola de Me- mento da produção de endor-
dicina da Universidade de Maryland, em Baltimo- fina. Este hormônio, por sua vez,
re, nos Estados Unidos, foram analisados 10 mil causa sensação de bem-estar e
voluntários. Entre outras atividades, os cientistas relaxa o corpo, diminuindo os ↳ EM POUCOS MINUTOS
pediram aos pacientes que elegessem uma can- batimentos cardíacos e a pres- É POSSÍVEL ELEVAR O
ção que os fizesse se sentir bem e outra que au- são arterial. PENSAMENTO E SENTIR GRANDE
mentasse a ansiedade. A sensação de prazer en- SENSAÇÃO DE BEM-ESTAR
Após a pesquisa, os cientistas perceberam que quanto escutamos uma música
os vasos sanguíneos dos braços dos voluntá- é tão grande, que ela se tornou
rios se dilataram em 26% após ouvirem uma instrumento de terapias médi-
música alegre, enquanto as canções que lem- cas, auxiliando na recuperação

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 3

Uni3_Musica2.indd 3 10/22/10 4:37 PM


/// QUALIDADE DE VIDA

4 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Uni3_Musica2.indd 4 10/22/10 4:38 PM


de pacientes com diversos ti-
pos de doença, como hiperten-
são, degenerativas do cérebro,
além de melhorar a coordena-
Você
ção motora em deficientes físi- conhece
cos, por exemplo.
o projeto
Benefícios morais e sociais
Mas as sensações não se restrin-
Guri?
gem aos que apenas ouvem as Com a missão de pro-
músicas. Quem canta também mover com excelência
estimula o cérebro, proporcio- a educação musical e a
nando não somente tranquili- prática coletiva de músi-
dade, como também aumento ca, tendo em vista o de-
na autoestima, maior segurança senvolvimento humano
emocional, entre outros. de gerações em forma-
Com o objetivo de propor- ção, o Projeto Guri aten-
cionar estes e outros benefícios de hoje cerca de 41 mil
aos seus médicos cooperados alunos, distribuídos por
e colaboradores, a Unimed Pau- 315 municípios do Esta-
listana desenvolveu há quatro do de São Paulo.
anos o Grupo Vocal da Unimed Criado em 1995, o Proje-
Paulistana. Contando atualmente to oferece continuamen-
com 15 participantes, o coral rea- ↳ QUEM CANTA ESTIMULA O te, nos períodos em que
liza participações periodicamen- CÉREBRO, PROPORCIONANDO o aluno não está na es-
te nas ações promovidas pela AUMENTO NA AUTOESTIMA cola, cursos de iniciação
cooperativa ao longo do ano. musical, coral infantil e
A maestrina Vera Novack ex- infanto-juvenil, além de
plica que o objetivo não é pro- aulas de instrumentos de
fissionalizá-los e sim garantir mo- Dra. Ângela Cristina Yano é médica cooperada cordas, madeiras, sopro e
mentos especiais em suas vidas. da Unimed Paulistana na especialidade de clí- percussão.
“A prática do coral é enriquece- nica médica. Ela participa do Grupo Vocal des- De acordo com Alessan-
dora e pedagógica. Não existe de o início. “Em todos os ensaios levamos ao dra Costa, diretora execu-
nenhuma exigência sobre co- coral a nossa melhor parte. Mesmo depois de tiva da Associação Amigos
nhecimentos prévios de técnicas um dia estressante, é possível deixar as preo- do Projeto Guri, os jovens
musicais. Eles precisam apenas cupações do lado de fora e desenvolver um que tem contato mais
gostar de música. Com o coral, trabalho criativo e harmonioso. Saio do ensaio próximo com a música
os participantes têm a oportu- renovada”, afirma. melhoram seu desempe-
nidade de conhecer um amplo Analisando a prática do canto como médica nho escolar e qualificam
universo musical, tornando-os e não como participante do grupo, Dra. Ânge- sua postura enquanto ci-
mais críticos”. la ressalta a importância da música aos idosos. dadãos. “As escolas rela-
Ela também acredita que o “Problemas de memória podem ser minimizados. tam uma melhora signi-
coral é uma grande oportuni- Músicas antigas que remetem o paciente a mo- ficativa na concentração,
dade para a prática da sociali- mentos vividos são ótimas para este exercício”. atenção e envolvimento.
zação. “Cantando em grupo to- “É possível também transmitir informações im- Mesmo que não se tor-
dos percebem o valor de cada portantes aos adolescentes por meio da música. nem músicos, estas qua-
voz, tornando-os iguais uns pe- Com o Rap ou Hip Hop este público pode co- lidades os acompanharão
rante os outros. A união é a ca- nhecer um pouco mais sobre a aids ou os cui- em quaisquer profissões”.
racterística que deve prevalecer dados com drogas, por exemplo. A memorização www.projetoguri.com.br
no grupo”. se torna mais fácil”, complementa.

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 5

Uni3_Musica2.indd 5 10/22/10 4:38 PM


/// ALIMENTAÇÃO

Diabetes
O QUE COMER NO FINAL DO ANO?
É POSSÍVEL COMER BEM, SEM DEIXAR A SAÚDE
DE LADO, MESMO DIANTE DE TODAS
AS TENTAÇÕES OFERECIDAS NESSA ÉPOCA

6 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Uni3_Diabetes4.indd 6 10/22/10 4:39 PM


C
om a chegada das festas de final de ano,
grande parte dos diabéticos já começa a
se preocupar com a “comilança”. Como a
diabetes é uma doença que afeta a maneira
como o corpo processa o açúcar, prestar aten-
ção no que se come é extremamente necessário.
“A alimentação do diabético deve ser completa,
balanceada e equilibrada nutricionalmente”, alerta
a nutricionista da Unimed Paulistana Regeane Sil-
va, que dá dicas: “Na ceia, não podemos esquecer
que o diabético deverá sempre priorizar o consu-
mo de carboidratos complexos, ou seja, ricos em
fibras, para que a descarga de glicose na corrente
sanguínea seja lenta e constante.”
Um prato natalino saudável, aponta a nutricio-
nista, “é aquele que contém cerca de um quarto
de carboidratos complexos, como cereais, tubér-
culos (raízes, batatas) e leguminosas, somado a
um quarto de proteínas de origem animal, como
carnes, e de origem vegetal como as legumino-
sas”. A outra metade do prato deve ser composta
por verduras cruas e legumes, que são fonte de
fibras, vitaminas e sais minerais. “O consumo de
líquidos deverá ser restrito a um copo pequeno,
cerca de 200 ml, evitando as bebidas açucaradas
como batidas, licores e sucos, principalmente os
industrializados”, avisa.
Além disso, é importante não exagerar no con-
sumo de gordura saturada e colesterol, evitando as
carnes com gordura aparente, excesso de alimen-
tos embutidos, creme de leite e queijos gordurosos.
“Antes da ceia é importante evitar, ao longo do
dia, jejum prolongado para não exagerar no mo-
mento da ceia. Mantenha-se hidratado e faça re-
feições leves ao longo do dia”, recomenda a nu-
tricionista. “Para evitar os excessos de final de ano,
deve-se optar por montar um único prato, deixan-
do de lado as repetições e, consequentemente, o
exagero calórico e de carboidratos refinados, re-
sultando em aumento rápido de glicemia.”
Mas, o mais importante, segundo ela, “é man-
ter controlado o nível glicêmico, evitar exageros
alimentares nas refeições, mantendo o fraciona-
mento entre elas de três em três horas, não se
esquecendo dos hipoglicemiantes orais ou insu-
lina, receitados pelo médico, e a prática da ativi-
dade física”.

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 7

Uni3_Diabetes4.indd 7 10/22/10 4:40 PM


/// ALIMENTAÇÃO

Opção de ceia natalina para diabéticos

SUGESTÕES DE PRATOS MEDIDA CASEIRA DICAS PARA O CARDÁPIO

Entrada Salada de folhas variadas 1 prato de sobremesa Prepare salada com folhas
cruas variadas e regue com
Arroz de forno com legumes 1 escumadeira azeite de oliva extra virgem e
Lentilha 1 concha polvilhe pouco sal. Prepare a
Perú com calda de damasco 1 fatia grande lentilha acrescentando pouca
gordura e pouco sal.
Sobremesa Flan de Morango Diet 1 porção pequena

8 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Uni3_Diabetes4.indd 8 10/22/10 4:40 PM


PERU COM ARROZ DE FORNO
CALDA DE DAMASCO COM LEGUMES
RENDIMENTO 10 PORÇÕES RENDIMENTO 10 PORÇÕES

Ingredientes Ingredientes
Molho 2 colheres de sobremesa
1/2 xícara de chá de de margarina light
geléia diet de damasco 2 cebolas cortadas em
1 xícara de chá de cubos pequenos
suco diet de laranja sal a gosto
1/2 colher de sopa de 2 xícaras de chá de ervilha
adoçante forno e fogão em conserva
2 colheres de molho shoyu light 2 xícaras de chá de cenoura picada
Noz moscada ralada a gosto em cubos pequenos e cozidos
Peru 2 xícaras de chá de milho em
1,5 kg de peru (descongelar conserva FLAN DE
na véspera) 4 xícaras de chá de arroz cozido MORANGO DIET
1 xícara de chá de vinho branco 2 colheres de sopa de salsa picada RENDIMENTO 10 PORÇÕES
2 colheres de creme vegetal 2 colheres de sopa de cebolinha
culinário para untar picada Ingredientes
2 colheres de sopa de queijo 2 unidades de gelatina diet sabor
Modo de Preparo parmesão ralado morango
Molho 5 morangos lavados, escorridos e
Misture a geleia diet de damasco Modo de Preparo picados
com o suco diet de laranja, o Em uma panela, derreta a margarina 1 lata de creme de leite light
adoçante, a noz moscada e o light, coloque a cebola e frite por
shoyu. Reserve. 2 minutos. Junte o sal, a ervilha, Modo de Preparo
Peru a cenoura e o milho. Refogue, Dissolva uma unidade de gelatina
Coloque o peru em uma assadeira. misturando bem os ingredientes. diet em uma xícara de chá de água
Faça furos na carne e regue com o Retire do fogo e junte o arroz. fervente, acrescente uma xícara
vinho branco. Unte com o creme Mexa delicadamente com um garfo. de chá de água fria, os morangos
vegetal culinário. Regue com um Acrescente a salsa e a cebolinha. picados e misture bem. Despeje
pouco do molho. Leve ao forno Coloque em um refratário sem em uma forma retangular pequena,
pré-aquecido coberto com papel amassar com a colher, deixando ligeiramente untada com óleo e leve
alumínio. De 15 em 15 minutos solto. Polvilhe com o queijo e leve à geladeira.
regue com o próprio molho. para gratinar em forno quente, Dissolva a outra unidade da gelatina
Depois de 1 hora, retire o papel pré-aquecido, por 5 minutos. diet de morango em uma xícara de
alumínio e deixe assar até que o água fervente, bata no liquidificador
termômetro indique o ponto certo com o creme de leite light.
de assado. Esquente o restante Despeje este creme sobre a gelatina
do molho e regue novamente, endurecida com os pedaços de
servindo o peru em seguida. morango e retorne à geladeira por
cerca de 4 horas. Sirva gelado.

↳ ATENÇÃO:
As receitas desta página são apenas sugestões e não foram testadas em cozinha experimental, podendo haver alteração.
As fotos dos pratos são meramente ilustrativas.
O Centro de Referência em Medicina Preventiva da Unimed Paulistana mantém programas específicos para portadores de
diabetes. Para mais informações, acesse: www.unimedpaulistana.com.br

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 9

Uni3_Diabetes4.indd 9 10/22/10 4:40 PM


/// COMPORTAMENTO

10 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

gravidez.indd 10 10/22/10 4:42 PM


tempo?
AINDA DÁ

ESPECIALISTAS
N
os últimos anos, o número de mulhe-
res que tem adiado a primeira gravidez
RESSALTAM A cresce constantemente. Pesquisadores da
IMPORTÂNCIA Universidade de Newcastle concluíram, por meio
de uma pesquisa realizada este ano, que partos de
EM MANTER mulheres com 35 anos ou mais subiram 56% na úl-
UMA VIDA tima década e, entre as mulheres na faixa dos 40, a
90%. Além disso, quase metade de todos os nasci-
SAUDÁVEL PARA
mentos são hoje de mulheres de 35 anos ou mais.
MINIMIZAR As principais causas desta realidade estão rela-
OS RISCOS DE cionadas a diversos fatores como, principalmente,
à busca por um equilíbrio financeiro e profissio-
UMA GRAVIDEZ nal ou mesmo à inexistência de um companheiro
TARDIA estável. “O papel da mulher na sociedade mudou.
Antes, era fundamental ser mãe. Hoje, a maioria
busca primeiramente a realização profissional”, ex-
plica a psicóloga do Hospital Unimed Santa He-
lena, Flávia Telles.
A gravidez tardia pode trazer alguns benefícios
para a criança, pois geralmente este momento é
planejado e o casal está mais seguro sobre a de-
cisão. Mas é preciso tomar certos cuidados, já que
segundo o ginecologista e obstetra, Dr. Paulo Ni-
colau, médico cooperado da Unimed Paulistana,

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 11

gravidez.indd 11 10/22/10 5:03 PM


/// COMPORTAMENTO

fisiologicamente, o ideal é que a mulher engravide


Saúde até os 30 anos. “Neste período, a mulher está no
auge de sua vida reprodutiva e está em condições
garantida de ter uma gestação tranquila e um bom parto”.
desde cedo Em uma gravidez de risco – quando o primeiro
filho é concebido após os 35 anos – aumenta-se
O parto é conside- a possibilidade da mãe adquirir diabetes gestacio-
rado um dos momen- nal ou hipertensão. “Além disso, a probabilidade do
tos mais importantes de feto nascer com síndrome cromossômica aumen-
uma gravidez. Por isso, ta”, alerta o ginecologista e obstetra, Dr. Paulo David,
é fundamental escolher médico cooperado da Unimed Paulistana.
um hospital que esteja
capacitado para suprir Mas quem pensa que a idade é o fator mais
as necessidades deste importante para uma gravidez sadia se engana.
dia tão especial. O Hos- De acordo com Dr. Paulo Nicolau, mulheres que
pital Unimed Santa Hele- fumam e bebem frequentemente, não praticam
na (HUSH) possui, entre atividade física e têm um dia a dia estressante po-
seus diferenciais, o Aloja- dem ter problemas na gravidez. “Não é apenas a
mento Conjunto, ou seja, idade cronológica que conta e sim a qualidade de
mãe e filho permane- vida que se manteve antes deste período”, afirma.
cem juntos após o par- “Os homens também precisam cuidar da saúde
to, durante as 24 horas se quiserem manter espermatozóides de quali-
do dia, conforme orien- dade. Uma vida desregrada, cheia de estresse e
ta a OMS (Organização com excessos contribui para a dificuldade em ter
Mundial da Saúde). filhos”, complementa.
Além disso, a instituição Ellis Regina Gonçalves engravidou de seu filho
conta, há mais de dez Matheus aos 40 anos. “Aconteceu”, explica ela. Na
anos, com uma Comissão época, Ellis não tinha um companheiro estável, mas
de Aleitamento Materno, sempre quis ser mãe. “Primeiramente busquei mi-
que auxilia as mamães nha formação profissional, depois priorizei minha
antes, durante e após o carreira. Em um certo momento reencontrei um
período de internação, ex-namorado e descobri que iria ser mãe. Na hora
sobre os cuidados na até senti um frio na barriga, pois seria mãe aos 40,
amamentação, os bene- mas depois o susto passou”, analisa.
fícios e as eventuais dú- “Tive dois deslocamentos de placenta no primei-
vidas que possam surgir. ro mês de gestação, pois eu estava bem nervosa.
Outro importante di- Depois disso, não tive mais nada”, complementa
ferencial são as aplica- Ellis. Ela afirma que sempre praticou exercícios e
ções das vacinas contra mantinha uma alimentação balanceada e regrada,
a Hepatite B, “teste da o que acabou contribuindo para uma gravidez sau-
orelhinha” e “teste do dável. “O médico comentava que minha gestação
pezinho”, além do Exa- era mais tranquila do que das garotas de 20 anos”.
me do Reflexo Verme-
lho para a prevenção Segundo o ginecologista e obstetra, Dr. Dario Nu-
do Glaucoma e outras nes Kehdi, médico cooperado da Unimed Paulista-
patologias oculares, que na, é fundamental buscar um especialista antes de
são oferecidos gratuita- engravidar. “Assim, serão feitos uma série de exa-
mente aos clientes da mes para identificar se a futura mamãe possui al-
Unimed Paulistana. gum problema de saúde, podendo ser tratado an-
tes da gestação”, diz.

12 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

gravidez.indd 12 10/22/10 4:42 PM


↳ FISIOLOGICAMENTE, O IDEAL
É QUE A MULHER ENGRAVIDE
ATÉ OS 30 ANOS

Informação
no
momento
certo
Você sabia que a Uni-
med Paulistana oferece
um curso de gestante às
suas clientes? Esse cur-
so tem duração de um
dia e é realizado às mu-
lheres com mais de 6
meses de gestação. Os
temas abordados são:
Nutrição da Gestante,
Anestesia e Analgesia,
Pré e pós-parto, Cuida-
dos com o recém-nas-
cido, Aleitamento e Aula
prática do banho.
Os encontros não têm
custos envolvidos e são
realizados no Centro de
Referência em Medicina
Preventiva (CRMP), loca-
lizado na Av. Conselhei-
ro Rodrigues Alves, 300
- Vila Mariana. É impor-
tante agendar com an-
tecedência pelo telefo-
ne (011) 3055-2816 ou
(011) 3055-2805.

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 13

gravidez.indd 13 10/22/10 4:43 PM


/// SAÚDE

alívio A BUSCA POR MOMENTOS DE

MAIS DE 30 MILHÕES DE BRASILEIROS SOFREM DE ENXAQUECA.


A TENDÊNCIA É QUE O NÚMERO AUMENTE, GRAÇAS, PRINCIPALMENTE,
ÀS ROTINAS ESTRESSANTES CADA VEZ MAIS FREQUENTES

14 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Uni3_Enxaqueca2.indd 14 10/22/10 4:44 PM


D
ores de cabeça são fre- leia (SBCe) contabiliza atualmen-
quentes para algumas te 30 milhões de brasileiros que
pessoas. Grande parte sofrem deste tipo de dor de ca-
consegue conviver com este in- beça. De acordo com uma pes-
cômodo por muitos anos. É im- quisa realizada pela SBCe, as pre-
portante salientar que as dores ocupações excessivas e a ante-
esporádicas podem ser conside- cipação de problemas estiveram
radas normais, de acordo com os presentes em 88% dos pacien-
especialistas, mas quando elas se
tornam periódicas, com repeti-
tes com enxaqueca, comparados
com apenas 40% dos que não
Na ponta da agulha
ções ao longo de todas as sema- tinham esta dor de cabeça. Alguns neurologistas indicam, além do trata-
nas, é fundamental buscar auxílio Outro importante dado da as- mento medicamentoso, também seções de
de um médico. sociação indica que 60% das mu- acupuntura. De acordo com Evaldo Martins
Você sabe diferenciar uma lheres sofrem crises de enxaque- Leite, presidente da ABA – Associação Brasi-
simples dor de cabeça da famo- ca durante a menstruação. “Além leira de Acupuntura, mais de 80% dos pa-
sa enxaqueca? De acordo com a das questões hormonais, muitos cientes sentem melhoras significativas da en-
neurologista, Dra. Christina Funat- estudos indicam que as mulheres xaqueca depois da aplicação da técnica. Ele
su Coelho, médica cooperada da são mais ansiosas do que os ho- explica que a acupuntura deve ser feita por
Unimed Paulistana, existe cerca mens”, afirma Dra. Christina. profissionais capacitados e que mesmo ten-
de 180 tipos de dores de cabeça, Grandes momentos de tensão do os mesmos sintomas, cada paciente deve
sendo a enxaqueca apenas uma eram o que deixava a assistente so- receber um tipo de tratamento diferente.
delas. “Geralmente, ela aparece de cial, Ana Lúcia Andrade, com fortes
forma latejante, com mais inten- crises. “Se eu passava algum ner-
sidade em uma das metades da voso, no dia seguinte eu acordava
cabeça. Seu alívio não acontece com tontura, enjoo e muita dor de
facilmente e as dores podem ter cabeça”. Ela conta que estes sinto-
Conheça as
duração de até três dias”, explica. mas ocorriam, em média, duas ve- etapas da enxaqueca:
Dra. Christina ainda ressalta que, zes por semana. “Eu sempre toma-
em alguns casos, a pessoa pode va altas doses de analgésicos e fui 1
perceber diversos sintomas antes percebendo que aos poucos eles Fase premonitória
da dor, como sendo um aviso de não faziam mais efeito”. Hoje, Ana São sintomas que antecedem o início da
que ela está chegando. “Alguns vi- conta com acompanhamento mé- cefaleia entre 8 e 48 horas. Os sintomas
sualizam pontos brilhantes, o olfato dico e toma medicação diariamen- premonitórios podem ser fotofobia – sensação
fica aguçado, a iluminação incomo- te. Além disso, também iniciou se- de sensibilidade ou aversão a qualquer tipo de
da, outros sentem tontura e enjoos”. ções de psicoterapia, que a auxi- luz, e osmofobia – sensação de sensibilidade
Importantes estudos recentes liam a controlar a irritação. ou aversão a qualquer tipo de cheiro.
mostram que são muitos os fato- Embora a grande maioria das
res desencadeantes da enxaque- dores de cabeça não represen- 2
ca. De acordo com o neurologista, ta um risco maior para a saúde, Fase de aura
Dr. Klaus Augusto Jenger, médico a Dra. Christina também ressalta É uma manifestação clínica em que o paciente
cooperado da Unimed Paulistana, a importância em buscar sem- apresenta alterações visuais que antecedem a
é possível considerar como causa pre auxílio médico e não se au- dor de cabeça do paciente em até 60 minutos.
primária a alteração genética, mas tomedicar caso as dores sejam Aura visual tem uma duração de 5 a 60 minutos
existem também outros fatores frequentes. Isso pode ocasio-
como o nervosismo (80%), álcool nar efeitos indesejados, como o 3
(80%) e os relacionados à mens- agravamento dos sintomas. “Ou- Fase de cefaleia
truação (70%). Apenas 30% dos tra dica é ficar atento às carac- A dor de cabeça da enxaqueca tem duração
pacientes têm como causa a ali- terísticas de sua dor de cabeça. de 4 a 72 horas nos adultos e de 2 a 48
mentação, e 15% os odores. Se elas mudarem, é fundamental horas na faixa pediátrica (até 14 anos).
A Sociedade Brasileira de Cefa- consultar um especialista”.

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 15

Uni3_Enxaqueca2.indd 15 10/22/10 4:44 PM


/// RESPONSABILIDADE SOCIAL

16 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Responsabilidade.indd 16 10/22/10 5:23 PM


Ser voluntário é...
AÇÕES DA UNIMED PAULISTANA, POR MEIO DA RESPONSABILIDADE
SOCIAL, INCENTIVAM MÉDICOS A SEREM VOLUNTÁRIOS

V
oluntário é o jovem ou o adulto que, de- A Organização das Nações
vido ao seu interesse pessoal e ao seu es- Unidas instituiu, em 1985, o dia
pírito cívico, dedica parte do seu tempo, 5 de dezembro como Dia In-
sem remuneração alguma, a diversas formas de ternacional do Voluntário, com
atividades, organizadas ou não, de bem estar so- objetivo de fazer com que, ao
cial ou outros campos.” Foi com esses princípios, redor do mundo, sejam promo-
defendidos pela Organização das Nações Unidas vidas ações de voluntariado em
(ONU), que o Dr. Sócio Graziano abraçou centenas todas as esferas da sociedade.
de crianças que precisavam. No Brasil, já existem diversas
Médico oftalmologista cooperado da Unimed iniciativas em favor do desen-
Paulistana, Dr. Sócio se uniu à Ótica Ventura, a equi- volvimento de práticas de vo-
pe do Ação Criança e a um grupo de médicos luntariado, assim como o Visão
cooperados tão comprometidos quanto eles para em Ação.
proporcionar a diversas crianças algo que para mui-
tos pode parecer tão simples: enxergar bem. Com Mais ações A Unimed Paulista-
isso, nasceu o Visão em Ação – que tem por obje- na se envolve em diversos pro-
tivo dar assistência oftalmológica para as crianças jetos de voluntariado por meio
atendidas pela Fundação Ação Criança. Este ano,
participaram do projeto 1330 crianças, entre 3 e 7
anos. Dessas, 101 foram encaminhadas para con-
sultas mais detalhadas e exames nos consultórios

Divulgação/ Unimed Paulistana


dos médicos cooperados. Ao final, foi constatada a
real necessidade de óculos em 36 crianças – doa-
dos pela Ótica Ventura e entregues durante evento
oferecido pela ótica.
De acordo com o idealizador do Visão em Ação,
Dr. Sócio Graziano, "a experiência de fazer uma do-
ação de forma humanizada e buscar o envolvi-
mento e aproximação dos familiares tem um valor
muito maior do que o serviço e produto doados.
Somente quem o faz tem o privilégio de poder
usufruir desse sentimento que reflete o importante
papel de cada um para a formação de um mundo ↳ DR. SÓCIO GRAZIANO AVALIA CRIANÇA
melhor para todos," explica ele. DURANTE O VISÃO EM AÇÃO

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 17

Responsabilidade.indd 17 10/22/10 5:23 PM


/// RESPONSABILIDADE SOCIAL

de sua área de Responsabilidade Social. Além de da Fundação, explica que “os vo- bui com a entidade, por meio da
apoiar o Visão em Ação, por meio de seus médi- luntários que participam da Gol prestação de serviços médico-
cos cooperados, mantém parceria, desde 2000, de Letra, pontual ou periodica- hospitalares aos jovens portado-
com a Fundação Gol de Letra, oferecendo planos mente, seja de maneira indepen- res de deficiência física e mental
de saúde gratuitos para as 240 crianças e adoles- dente ou estimulados e articu- que vivem lá, desde que foram
centes atendidos pelo Virando o Jogo - programa lados pela empresa onde traba- abandonados por suas famílias e
que oferece diariamente atividades de expressão lham, trazem seu talento, energia, acolhidos pela instituição.
oral, escrita, corporal e artística. conhecimentos e experiências, e,
Para a Fundação, as vantagens dessa parceria são assim, enriquecem nosso traba- Como ajudar Para participar co-
os atendimentos médico-hospitalares totalmente lho, sendo corresponsáveis pelos mo voluntário da Fundação
gratuitos recebidos ao longo de todos esses anos. resultados alcançados.” Gol de Letra, os interessados
“Considerando as condições precárias em que se A Fraternidade Assistencial podem enviar um e-mail para
encontram as políticas de saúde pública, a parceria Casa do Caminho, entidade sem voluntarios@goldeletra.org.br. Há
é muito importante. Além disso, a equipe de Me- fins lucrativos que foi fundada um banco de dados que é con-
dicina Preventiva da Unimed Paulistana está sem- em abril de 1995 para amparar sultado sempre que surgem vagas.
pre disponível para palestras e orientações cole- jovens excepcionais sem recur- Para saber mais sobre o traba-
tivas”, revela Olga Lembo, coordenadora da Área sos, garantindo-lhes a subsistên- lho da Casa do Caminho, acesse
Social da Fundação Gol de Letra – área que pro- cia e tratamentos físicos psico- www.facc.org.br.
move atendimento às famílias, incluindo acompa- lógicos, também é beneficiada Os médicos interessados em
nhamento e orientação para a utilização do plano por ações voluntárias dos mé- colaborar, podem entrar em con-
da Unimed Paulistana, e ações para a comunidade. dicos cooperados. Há mais de tato com a Casa do Cooperado
Ângela Roman, do Desenvolvimento Institucional doze anos, a Cooperativa contri- da Unimed Paulistana.
Fotos Bruno Fernandes/FGL

↳ FUNDAÇÃO GOL DE LETRA


É UMA DAS ENTIDADES QUE
SE BENEFICIAM DAS AÇÕES
DA UNIMED PAULISTANA

18 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Responsabilidade.indd 18 10/22/10 4:46 PM


/// UNIMED PAULISTANA

↳ PRESIDENTE
DÁ AS BOAS-
VINDAS AOS
MÉDICOS
DAUNIMED
PAULISTANA

Mais médicos ingressam na Unimed Paulistana


O número de médicos de diversas espe- cretário, Dr. David Serson. Am- lista completa dos profissionais
ACONTECE

cialidades interessados em fazer parte da bos mostraram como funciona recém-chegados à Cooperativa.
Unimed Paulistana só cresce. Em setembro, foram a empresa, falaram sobre os nú- É no site também, que o clien-
mais 34 cooperativações. A integração dos novos meros da Gestão e desejaram te pode encontrar o Guia Mé-
médicos aconteceu na Casa do Cooperado com sucesso aos colegas. dico sempre atualizado e todas
a presença do diretor-presidente da Cooperativa, Os clientes podem ver no site as informações do seu plano de
Dr. Paulo José Leme de Barros, e do diretor-se- www.unimedpaulistana.com.br a saúde.

Qualidade de vida e incentivo ao esporte


P romover a qualidade de vida e a prática de
hábitos saudáveis sempre foi uma das ban-
deiras da Unimed Paulistana. Neste sentido, só em
Aleitamento Materno na cidade.
Na ocasião, uma equipe do
Centro de Referência em Medi-
dois mil inscritos enfrentaram
o frio intenso para percorrer os
9 km de corrida e os 4 km de
2010, a Cooperativa apoiou diversos eventos es- cina Preventiva esteve no Par- caminhada.
portivos na grande São Paulo. O mais recente foi que para verificar o índice de Em comemoração ao dia da
a 7ª Corrida Santos Dumont que aconteceu no fe- massa corpórea, a glicemia e o Independência, a Unimed Pau-
riado de 12 de outubro, no Parque da Aeronáutica. colesterol dos participantes. listana marcou presença no IX
Em agosto, o Parque da Aclimação recebeu O mesmo atendimento já ha- Troféu da Independência do
a 2ª Caminhada pelo Aleitamento Materno, en- via acontecido na 1ª Volta União Brasil, que aconteceu no Par-
cerrando as atividades da Semana Mundial de de Osasco, em que mais de que da Independência.

novembro/dezembro de 2010 /// revista Unimed Paulistana /// 19

Responsabilidade.indd 19 10/22/10 4:46 PM


/// UNIMED PAULISTANA

Primeiro semestre fecha com


A 5ª maior crescimento de 8%
operadora
de saúde do C ontrariando os números do primeiro trimestre
de 2010 divulgados pela ANS (Agência Na-
cional de Saúde Suplementar) que mostram que a
mação da cooperativa, cada vez
maior, com os corretores, iden-
tificando oportunidades e bus-
Brasil venda de planos de saúde cresceu apenas 0,79%, cando alternativas de mercado",
levando a uma projeção de não mais de 3,2% no explica Dr. Mauricio Rocha Neves,
A Unimed Paulistana foi ano, a Unimed Paulistana fechou o primeiro semes- CEO da Unimed Paulistana.
classificada como o 5º maior tre de 2010 com um crescimento de 8% - pas- De acordo com Dr. Mauricio
plano de saúde do Brasil, de sando de 820.184 em dezembro de 2009 para Rocha Neves, o primeiro semes-
acordo com um estudo di- 885.737 em junho deste ano. tre de 2010 foi marcado por im-
vulgado recentemente pela "A Unimed Paulistana tem desenvolvido impor- portantes conquistas e "a previ-
revista Valor 1000 – uma tantes iniciativas, que estão refletindo diretamente são é de aumentarmos o fatura-
produção do jornal Valor neste importante resultado. Uma delas é a aproxi- mento em 16%".
Econômico.
A análise tem como objeti-
vo ranquear e reconhecer as
melhores empresas, divididas
por categorias, escolhidas por
Melhor Idade faz a festa
meio de uma pesquisa cuja no CRMP da Unimed Paulistana
base de dados está relaciona-
da às maiores instituições do
Brasil em receita líquida.
Especificamente sobre o ativo
A 3ª edição da Semana da Melhor Idade da
Unimed Paulistana, que aconteceu entre
os dias 27 de setembro e 2 de outubro, no
venção de quedas, na palestra
do médico geriatra e geronto-
logista cooperado da Unimed
total (soma das contas do ati- Centro de Referência em Medicina Preventiva Paulistana, Dr. Paulo Varandas.
vo no Balanço Patrimonial), a (CRMP), foi um grande sucesso! As atividades, O Espaço Beleza, com pales-
Unimed Paulistana é conside- as aulas e os exercícios atraíram muitos partici- tras sobre bem-estar e higie-
rada a vice-campeã, com R$ pantes a cada dia. ne, as aulas de maquiagem e
1,3 bilhão. Já sobre as aplica- Na abertura, a apresentação do Coral Parkin- massagem nas mãos, foi outro
ções financeiras, a cooperativa son emocionou a todos os presentes. O grupo grande sucesso. Na automas-
é classificada em sétimo lugar, foi criado há 11 anos por iniciativa do departa- sagem, eles descobriram pon-
somando R$ 137,5 milhões. mento de Fonoaudiologia da Associação Brasil tos estratégicos que podem ser
Outro ponto importante a ser Parkinson com o objetivo de melhorar a voz e a trabalhados para atenuar dores
destacado é que a Unimed fala dos pacientes com a doença. de cabeça, tendinite e até para
Paulistana é a primeira da lis- O presidente da Unimed Paulistana, Dr. Pau- aliviar a angústia.
ta quando classificada sobre lo José Leme de Barros, falou da importância da Aberto à comunidade e gra-
as provisões técnicas, sen- prevenção em todas as idades e da honra da UP tuito, o evento acontece tradi-
do constituídas da soma das em receber a comunidade no CRMP. “Para to- cionalmente em comemora-
provisões de risco, de bene- dos nós a presença de vocês é muito importan- ção ao Dia Nacional do Idoso
fícios concedidos e de even- te. Aproveitem bastante as atividades”, declarou (1º de outubro), instituído pela
tos ocorridos e não avisados, durante a abertura. Lei 11.433, de 28 de dezembro
por exemplo, totalizando mais A dança sênior e a oficina de teatro foram de 2006.
de R$ 225 milhões – ou seja, pontos altos da Semana. Os participantes tam- As atividades se encerraram
estamos em dia com nossas bém puderam aprender a técnica oriental de do- com um baile para os partici-
obrigações regulatórias. braduras na Oficina de Origami, curtir um filmi- pantes, com muita dança e mú-
nho no Cine Pipoca e saber mais sobre a pre- sica ao vivo.

20 /// revista Unimed Paulistana /// novembro/dezembro de 2010

Responsabilidade.indd 20 10/22/10 4:47 PM


UNIPLPAUINST-0110 An 20,2x26,6 AF.indd 1 13/10/10 14:51
C

CM

MY

CY

CMY