Você está na página 1de 30

ESCOLA BRASILEIRA DE MEDICINA CHINESA – EBRAMEC

CURSO DE ACUPUNTURA

ANDERSON FAVERO PORTE

A INFERTILIDADE FEMININA SOB A ÓTICA DA MEDICINA


CHINESA

FEMALE INFERTILITY ON A CHINESE MEDICINE POINT OF


VIEW

SÃO PAULO
2017
ANDERSON FAVERO PORTE

A INFERTILIDADE FEMININA SOB A ÓTICA DA MEDICINA


CHINESA

Trabalho de Conclusão de Curso de Acupuntura apresentado a EBRAMEC – Escola Brasileira de


Medicina Chinesa, sob orientação da Professora
Daniela de Matos Amaro e co-orientação do
Professor Reginaldo de Carvalho Silva Filho.

SÃO PAULO
2017
ANDERSON FAVERO PORTE

A INFERTILIDADE FEMININA SOB A ÓTICA DA MEDICINA


CHINESA

BANCA EXAMINADORA

___________________________________

___________________________________

___________________________________

Professora Daniela de Matos Amaro


ORIENTADOR

Professor Reginaldo de Carvalho Silva Filho


CO-ORIENTADOR

ANDERSON FAVERO PORTE

São Paulo, ____ de _____________de________


RESUMO:​Este trabalho buscou fazer um estudo sobre a infertilidade feminina a partir dos
conceitos da medicina chinesa, as síndromes que desencadeiam este problema e os protocolos
que vem sendo utilizados na tentativa de tratar esta questão. Para tanto, foi feita uma revisão
teórica em periódicos da área, tanto no que tange ao uso de Acupuntura para auxiliar nas
tentativas de fertilização por métodos naturais quanto nas tentativas ​in vitro (FIV). Percebeu-se
que, para cada caso de infertilidade, é fundamental definir primeiro a síndrome envolvida para,
em seguida, estabelecer um protocolo de tratamento. Com relação à Acupuntura associada à FIV,
percebeu-se, ainda, que existem protocolos de Acupuntura que podem ser utilizados ao longo de
todo este processo, podendo também ser adaptados conforme a síndrome que acomete a paciente.
Em ambos os casos (fertilização por métodos naturais e FIV), o material pesquisado indicou que
Acupuntura pode ser utilizada como alternativa para o tratamento da infertilidade, mas ainda são
necessários estudos mais aprofundados para se compreender melhor como a Acupuntura atua
neste tipo de tratamento.

Palavras chave​: Acupuntura, infertilidade, fertilização ​in vitro.​


ABSTRACT:​This work sought to make a study about female infertility from the concepts of
Chinese medicine, the syndromes that trigger this problem and the protocols that have been used
in the attempt to treat this issue. For that, a theoretical review was made in periodicals of the
area, both regarding the use of Acupuncture to aid in the natural fertilization attempts and ​in
vitro attempts. It has been found that for each case of infertility, it is critical to first define the
syndrome involved and then establish a treatment protocol. With regard to Acupuncture
associated with ​in vitro fertilization (FIV), it has been observed that there are protocols that can
be used throughout the FIV process, and can also be adapted according to the syndrome that
affects the patient. In both cases (natural fertilization and in vitro fertilization), the material
surveyed indicated that Acupuncture can be used as an alternative for the treatment of infertility,
but further studies are needed to better understand how Acupuncture works in this type of
treatment.

Keywords: ​Acupuncture, infertility, ​in vitro​ fertilization


1 INTRODUÇÃO

A infertilidade pode ser definida de diversas formas, embora todas elas expressem, de uma
maneira geral, a incapacidade de casais conceberem uma gravidez clínica após um determinado
tempo tendo relações sexuais sem uso de métodos contraceptivos​1​. É uma questão que envolve
aspectos físicos e emocionais, tanto femininos quantomasculinos. Mai Jing afirmava, por
exemplo, que “Em um homem, o pulso tênue, fraco e ao mesmo tempo rugoso, significa
esterilidade. O ​Jing Qi está claro e frio”​2​. Segundo Ward (2007)​3​, a infertilidade feminina é
definida como a não obtenção de uma gravidez após dois anos de relações sexuais
convencionais, sem o uso de métodos contraceptivos. Para a Organização Mundial da Saúde
(OMS), este período de tentativas é de 12 meses​4​.
Na concepção clássica chinesa, a infertilidade ou esterilidade feminina divide-se em duas
categorias: a) relacionada a deficiências congênitas, ou b) relacionada com modificações
patológicas adquiridas.​2 Em termos de números, por exemplo, estima-se que aproximadamente
16% das mulheres norte-americanas entre 15 e 44 anos eram classificadas como inférteis em
2002​1​. A nível mundial, esta condição afetava cerca de 15% dos casais que tentavam engravidar
em 2008​5​.
Diante disso, o trabalho proposto tem por objetivo geral realizar um estudo de revisão
bibliográfica sobre o tratamento da infertilidade feminina através da medicina chinesa, tanto em
casos onde estaé utilizada de forma isolada, quanto em casos onde ela é utilizada como apoio às
técnicas de reprodução assistida (ATR), com ênfase à fertilização ​in vitro​ (FIV).

2 METODOLOGIA UTILIZADA

Para realização desta pesquisa, foi feita uma ampla revisão teórica, em livros e
periódicos, utilizando como termos de busca as palavras-chave Acupuntura, medicina chinesa,
infertilidade feminina, fertilização ​in vitro e técnicas de reprodução assistida, nos idiomas
português e inglês, em diversos bancos de dados, tais como SCIELO, PubMed, Periódicos
Capes, Bireme e Lilacs. Também foi realizada uma revisão nos conceitos teóricos da medicina
chinesa relacionados à infertilidade feminina a partir de livros e clássicos damedicina chinesa.
Assim, o projeto está composto de três seções: uma primeira, abordando os conceitos teóricos de
medicina chinesa que envolvem a infertilidade, uma segunda seção que trata da aplicação isolada
da medicina chinesa nos aspectos fisiológicos e emocionais relacionados à infertilidade
(preparação do útero, endométrio, ovulação, stress, ansiedade...) e uma terceira seção abordando
a utilização da medicina chinesa em conjunto com técnicas de reprodução assistida (ATR).
Cabe destacar, por fim, que uma vez que o projeto se propõe a estudar a relação entre a
infertilidade feminina e a medicina chinesa de uma forma geral, foram pesquisados não apenas
artigos que referenciam o uso de Acupuntura, mas também de outras técnicas correlatas no
tratamento, tais como moxabustão, fitoterapia chinesa, auriculoterapia, entre outras.

A INFERTILIDADE SOB A ÓTICA DA MEDICINA CHINESA

Quando um casal busca uma gravidez e não a consegue após um determinado período,
inicia uma desgastante busca por meios cada vez menos “tradicionais”, passando por diversos
procedimentos, tais como exames clínicos, estimuladores hormonais e técnicas de reprodução
assistida (ATR). Neste cenário, a medicina chinesa surge como uma alternativa (quase sempre,
uma das últimas) para solucionar ou compreender o problema. Segundo Emmons e Patton
(2014)​6​, a infertilidade é uma área da saúde da mulher que desperta muito interesse na
Acupuntura, havendo poucas publicações referentes ao uso combinado da medicina alopática
com a Acupuntura para este tipo de problema.
Existem diversos fatores que podem causar a infertilidade, alguns dos quais são listados a
seguir​1​: idade reprodutiva, doenças infecciosas, condições ou doenças crônicas, riscos ambientais
ou ocupacionais, fatores genéticos, hábitos alimentares, consumo de álcool, tabaco, drogas, entre
outros. Assim, torna-se importante pesquisar e compreender como estes fatores contribuem para
que a infertilidade se manifeste, permitindo assim um melhor diagnóstico do problema.
Na medicina ocidental, a semiologia da infertilidade aborda o casal e busca responder às
seguintes perguntas​7​:
a) a avaliação seminal é normal?
b) a ovulação é normal?
c) o canal reprodutor é normal?
d) a reserva ovariana é adequada?
Já na medicina chinesa, embora haja ainda alguma controvérsia quanto ao uso de
Acupuntura para o tratamento da infertilidade​8​, a visão do problema é outra, e esta questão
encontra-se relacionada com o ​balanço entre o ​Qi e o Sangue na cavidade uterina, o
fornecimento do ​Qi do Rim para o Útero e a ação do Sangue nos canais do Baço e Fígado
abastecendo as trompas de falópio, os ovários e o endométrio​5​. Auteroche e Navaihl (1987)​2
propõem que antes de estudar os quadros correspondentes à concepção clássica da infertilidade,
devem ser observados os aspectos a seguir:
a) Do ponto de vista clínico:
- Deficiência de ​Rim: Deficiência do ​Ren Mai e ​Chong Mai​. O ​Qi d​ o ​Rim está então
vazio e frio. Apresenta como sintomas a infertilidade, menstruações atrasadas, fluxo
de sangue fraco e de cor pálida, leucorréias fluídas e brancas, lombos lassos, micção
abundante à noite, língua pálida com saburra branca, pulso profundo, fino e fraco.
- Deficiência de Sangue: falta de sangue, o qual é insuficiente para reter a essência.
Apresenta como sintomas a infertilidade, ciclo menstrual alongado, menstruação
pouco significativa, sangue de cor pálida, tez do rosto murcha, amarelada, pele seca,
língua pálida com saburra fina, pulso fino e fraco.
- Depressão do ​Qi do ​Fígado​: no caso em que as emoções não podem se expandir. O
Fígado está congestionado, o ​Qi se agrega, e o suave fluxo de ​Qi não mais se faz. As
menstruações são desregradas, o que acarreta em infertilidade. Apresenta como
sintomas o ciclo alongado, alternância de menstruações fortes e fracas, infertilidade,
opressão torácica, hipocôndrios inchados, estado mental melancólico, depressivo,
suspiros frequentes, corpo da língua normal, com revestimento delgado e branco,
pulso em corda.
- Mucosidade – Umidade: no caso das mulheres obesas e menstruações irregulares, não
pode haver concepção por que o corpo transborda de gordura e as
mucosidades-umidade obstruem a matriz. Apresenta como sintomas a infertilidade, os
ciclos irregulares, sangue de cor clara em quantidade abundante,
leucorréiassignificativas, obesidade, rosto macilento, vertigens, palpitações,
revestimento lingual branco, espesso, gorduroso e pulso escorregadio.
b) Do ponto de vista terapêutico: é importante dar atenção aos aspectos mentais, às
condições de vida, habitação e trabalho além das atividades físicas e sexuais envolvidas.
Assim, a partir do padrão de desarmonia envolvido, éentão estabelecido o tratamento
mais indicado para a paciente em questão.
Exposto isso, percebe-se que a Acupuntura pode ser uma opção viável para o tratamento
de casos de infertilidade feminina, especialmente por que os mecanismos de ação dos conceitos
de medicina chinesa como um todo ainda não estão claros no que se refere a este tipo de
problema​9​.
Outra visão sobre o assunto é apresentada por Lyttleton​10​, que afirma que a infertilidade
pode ter diversas etiologias, quais sejam:
● Fraqueza constitucional – importante causa da infertilidade devido à fraqueza da Essência
do Rim. Pode ser causada pela mãe, que concebeu muito velha. Pelo fato de ser a
​ ré- Natal, a mulher não pode conceber.
Essência do Rim a base para o ​Q iP
● Excesso de trabalho – caracterizado por longas horas sem repouso adequado e com dieta
irregular após muitos anos, é a maior causa de deficiência de ​Yin​ do Rim (​Shen)​ .
● Excesso de exercício físico – o trabalho físico excessivo ou exercício extenuante
enfraquecem o ​Yang do ​Baço e do Rim, especialmente quando o útero da menina jovem
está em estado vulnerável.
● Atividade sexual excessiva – enfraquece seriamente o Rim, lesando os Canais ​Ren Mai e
Chong Mai​ e podendo causar infertilidade.
● Invasão pelo Frio – causa muito comum de infertilidade em mulheres jovens, pois o frio
invade o útero e os Canais ​Ren Mai​ e ​Chong Mai​ impedindo a fertilização.
● Dieta inadequada – o excesso de alimentos e bebidas frias também leva frio ao útero. O
consumo de laticínios e produtos gorduroso forma Umidade no Aquecedor Inferior,
impedindo a fertilização (bloqueio das trompas de falópio).
Para Ross​11​, porém, a etiologia da infertilidade caracteriza-se por Padrões de Excesso (​Shi)​
ou Deficiência (​Xu​).​
● Padrões de Excesso
a) Estagnação do ​Qi e ​do Sangue: a Estagnação do ​Qi (em especial do ​Fígado) e do Sangue,
podem estar relacionadas com a estagnação emocional, falta de exercícios físicos, má postura,
traumatismo ou cirurgia.
b) Depressão do Qi do ​Fígado: sendo o Fígado responsável pela circulação normal do ​Qi,​ por
comandar as emoções do corpo, e por ser um órgão que sofre com o stress e alimentação
desregrada, é um responsável comum pelas desordens menstruais e, portanto também
responsável por alguns casos de infertilidade.
c) Mucosidade e Umidade: podem estar relacionadas com a tendência que algumas mulheres
apresentam em acumular gordura e Mucosidade, de forma que a Mucosidade bloqueia as tubas
uterinas ou o processo de reprodução de forma geral.
● Padrões de Deficiência
a) Deficiência de ​Rim: segundo Maciocia​12​, a principal função do Rim consiste em
armazenar a Essência e governar o nascimento, o crescimento e a reprodução. Para a medicina
chinesa, o Rim nunca apresenta padrões de excesso, somente de deficiência.Neste caso, se a
mulher apresenta uma Deficiência na Essência do Rim, não poderá conceber filhos.
b) Deficiência do ​Qi e do ​Sangue: neste padrão, a Deficiência de Sangue pode se dar por
perdas excessivas de sangue nos períodos menstruais, o que consome a Essência e, em último
caso, acarretana cessação do ciclo (amenorréia). Neste caso observa-se a impossibilidade da
gestação, ou seja, ocorrerá a infertilidade.
c) Deficiência do ​Sangue ​e da Essência (​Jing​): outra causa da infertilidade na mulher, a
Deficiência de Sangue e Essência Pré-Celestial (​Jing​) poderá decorrer de parto, doença ou
esforços extenuantes.
Liang​13​sugere uma relação entre o diagnóstico para infertilidade na medicina chinesa e na
medicina ocidental:
- Deficiência do ​Yin do ​Rim​, Deficiência de ​Yang do Rim, Deficiência de Sangue e Deficiência
de ​Qi incluem os diagnósticos médicos ocidentais de não ovulação, útero pequeno ou disforme,
óvulos ou folículos de baixa qualidade, baixo nível de estradiol, baixo nível de progesterona e
alto nível de FSH.
- Estagnação de ​Qi,​ Estase de Sangue, Mucosidade – Umidade incluem os diagnósticos de
obstrução nas trompas de falópio, miomas uterinos, cistos ovarianos, endometriose, aderências e
stress.
- Calor – Umidade inclui infecções no colo do útero, vagina, pélvis, trato urinário e trompas de
falópio.
Ainda segundo Liang​14​, o diagnóstico ocidental de infertilidade sem explicação aparente
geralmente apresenta uma combinação dos fatores acima descritos.
A seguir, serão apresentados alguns aprofundamentos sobre estas questões, bem como
sobre protocolos que vem sendo utilizados na Acupuntura para o tratamento da infertilidade.

USO DA MEDICINA CHINESA DE FORMA ISOLADA PARA O TRATAMENTO DA


INFERTILIDADE FEMININA

Conforme Maciocia​12​, o ​Útero, o Coração e o Rim formam o núcleo da atividade


reprodutiva humana. Rosenthal e Anderson​14​acrescentam ainda que o Fígado e o Baço também
influenciam nesta atividade, especialmente no que se refere aos aspectos emocionais.
O ​Rim armazena a Essência (​Jing)​ e governa a reprodução. Em uma terminologia
moderna, esta essência se refere aos óvulos e espermatozoides. Já os aspectos ​yin e ​yang do Rim
podem ser vistos como os hormônios subjacentes relacionados ao aspecto reprodutivo. O ​yin do
Rim está relacionado com estrogênio e FSH, enquanto o ​Yang do Rim está relacionado com
progesterona e testosterona​14​.
O ​Coração governa as emoções. Portanto, explica o impacto do stress na infertilidade. Já
o Útero, que inclui não apenas o órgão anatômico, mas todos os órgãos do sistema reprodutivo
na cavidade pélvica, está conectado energeticamente ao Coração pelo ​Bao Mai​, e ao Rim pelo
​ .
Bao Luo14​
O Fígado regula o livre e suave fluxo de ​Qi​, assim como movimenta e armazena o
Sangue.O Baço é de importância primordial na geração de Sangue e ​Qi​. Portanto, estes dois
canais tem grande influência na questão de infertilidade, por interferirem indiretamente na
circulação de Sangue e ​Qi​ na cavidade uterina​14​.
Auteroche e Navailh​2 propõem o tratamento da infertilidade com base na(s) causa(s) da
doença, conforme descrito na Tabela 1:
Tabela 1 – Tratamento da infertilidade feminina conforme Auteroche e Navailh​2
Causa Princípio de tratamento Pontos de Acupuntura
recomendados
Deficiência de Rim Aquecer os Rim e acrescer o B23 (​Shenshu​), VC24
Sangue para regularizar o (​Guanyuan)​ , BA8 (​Diji​) ou
Chong Mai​ e ​Ren Mai BA6 (​Sanyinjiao)​ , B43
(​Gaohuang​), R3 (​Taixi)​ , B33
(​Zongliao)​ ou E29 (​Guilai​)
Sangue em Estado Vazio Alimentar o ​Sangue e VC3 (​Zhongji)​ , B20 (​Pishu)​ ,
alimentar o​Rim B17 (​Geshu​) ou B43 (​Gao
Huang)​ , F11 (​Yinlian)​ ou F8
(​Ququan​), BA6 (​Sanyinjiao​) e
R3 (​Taixi​)
Congestão no Fígado Drenar o Fígado para VC4 (​Guanyuan​), F6
desmanchar a congestão, (​Zhongdu)​ ou F2 (​Xingjian​),
alimentar o sangue e sustentar F8 (​Ququan)​ , F11 (​Yinlian​),
o Baço. BA6 (​Sanyinjiao)​ , B32
(​Ciliao​), R21 (​Youmen)​ ou
R19 (​Yindu)​ , BA8 (​Diji)​
Mucosidades – Umidade Dissolver as Mucosidades e B21 (​Weishu)​ , VC12
ressecar a Umidade. (​Zhongwan​), BA5 (​Shangqiu)​
ou BA6 (​Sanyinjiao)​ , E29
(​Guilai)​ ou E25 (​Tianshu)​ ,
E36 (​Zusanli)​ e E40
(​Fenglong​).
Fonte: Auteroche e Navailh​2

Ward​3 estabelece a diferenciação e o tratamento para algumas síndromes associadas à


infertilidade feminina, descritas a seguir:
a) Deficiência do ​Yin do ​Rim: ciclos menstruais curtos, fluxo vermelho vivo, sem
coágulos ou ciclo normal, corpo magro, irritabilidade, sede, cansaço, calor nos 5 palmos, má
qualidade de sono, tontura e palpitação. Princípio de tratamento sugerido: nutrir o ​Yin,​ clarear o
calor, nutrir o Sangue e harmonizar o ​Chong Mai​. Pontos de Acupuntura recomendados: ​Zigong,​
VC4 (​Guanyuan​), R3 (​Taixi)​ , R7 (​Fuliu)​ , ​BA6 (​Sanyinjiao)​ , B18 (​Ganshu)​ e B23 (​Shenshu)​
b) Deficiência de ​Yang do Rim​: ciclo menstrual prolongado, com fluxo vermelho e
pequenos coágulos, talvez amenorreia em casos críticos, frio no baixo abdômen, corrimento
vaginal, baixa libido, aversão ao frio, língua arroxeada. Princípio de tratamento sugerido:
tonificar o ​Yang do ​e aquecer o Útero. Pontos de Acupuntura recomendados: ​Zigong​, VC4
(​Guanyuan)​ , VG4 (​Mingmen)​ , R3 (​Taixi) e B23 (​Shenshu)​ . Moxabustão pode ser usada em
conjunto, exceto no ponto R3.
c) Depressão do Qi do Fígado: preocupação, ciclos irregulares, distensão antes do período
menstrual, dor abdominal durante o período, irritabilidade, língua de cor normal com saburra
branca, pulso rígido. Princípio de tratamento sugerido: Acalmar o ​Fígado​, aliviar a Estagnação,
nutrir o Sangue, regular o Baço. Pontos de Acupuntura recomendados: B18 (​Ganshu)​ , VC6
(​Qihai​), E29 (​Guilai)​ , F3 (​Taichong)​ , IG4 (​Hegu)​ , E36 (​Zusanli)​ , BA6 (​Sanyinjiao)​ .
d) Mucosidade – Umidade no Baço: obesidade, pouca energia, infertilidade crônica,
sensação de peso, ciclos atrasados, dor durante o ciclo, corrimento vaginal, língua com saburra
pegajosa e branca, marcas de dente, pulso escorregadio. Princípio de tratamento sugerido:
eliminar a Mucosidade – Umidade, ativar os canais, remover as obstruções. Pontos de
Acupuntura recomendados: ​Zigong,​ VC6 (​Qihai)​ , B20 (​Pishu​), BA9 (​Yinlingquan)​ , BA6
(​Sanyinjiao​), E40 (​Fenglong​).
e) Calor – Umidade no ​Fígado e Baço​: corrimento vaginal profuso, branco ou amarelo
pegajoso, dor abdominal, menstruação irregular, língua com saburra amarela gordurosa, mais
pronunciada na raiz, pulso em corda. Princípio de tratamento sugerido: clarear o Calor –
Umidade e regular o ​Qi e ​Xue.​ Pontos de Acupuntura recomendados: VC3 (​Zhongqi)​ , IG4
(​Hegu)​ , F3 (​Taichong)​ , BA9 (​Yinlingquan)​ , BA6 (​Sanyinjiao)​ , IG11 (​Guqi​).
Em meados do ano 2000, Wang​15 desenvolveu uma técnica que integra a medicina
chinesa com técnicas avançadas da medicina ocidental. Conforme esta técnica, o diagnóstico
para a infertilidade feminina, primeiro segue o diagnóstico médico ocidental da doença. Depois,
cada doença é subdividida em fatores microcósmicos e macrocósmicos da medicina chinesa.
Para estes diferentes fatores, Wang​15 estabelece uma série de protocolos terapêuticos, incluindo
fórmulas com ervas e a utilização da técnica de três agulhas.
Uma proposição de terapia com ervas feita por Wang​15​ é apresentada na Tabela 2:

Tabela 2 – Terapia cíclica com ervas (baseado em um ciclo menstrual de 28 dias)


Fase do ciclo Fase proliferativa Fase ovulatória Fase lutea Fase menstrual
menstrual
Dias no ciclo 4 à 14 Dia 14 14 à 28 1à5
menstrual
Padrão Elevação do ​Yin,​ Transformação Elevação do Drenagem do
microscópico da especialmente o do ​Yin​ em ​Yang Yang​, Mar de Sangue
medicina chinesa Yin​ do ​Rim especialmente do
Yang​ do Rim
Princípio de Nutrir o ​Yin do Ativar os Fortalecer o ​Yang Promover a
tratamento Rim Colaterais do Rim circulação do
Sangue
Fórmulas de Essências ​Yin,​ Pailuantang,​ Essências ​Yang,​ Decocção de
ervas decocção para decocção para para elevar o ervas para
estimular a promover a Yang do rim e regular a
produção de ovulação, aquecer o útero. menstruação.
folículos começando três
dias antes da
ovulação
Fonte: Wang​15

ZhenJiu Jia Yi Jing​16 estabelece que aplicação de moxabustão no VC4 (​Guanyuan​)


facilita a concepção e pode auxiliar no tratamento de infertilidade por Estagnação de Sangue. Já
ZhenJiu Da Chang​17​, afirma que os pontos BA6, ​Zigong (tido como o ponto Mu do Ovário) e
VC3 (​Zhongji)​ são utilizados para tratar mulheres cuja infertilidade tem por causa o Frio no
Útero. Baseado nestes trabalhos, Wang​15 passou a usar BA6 (​Sanyinjiao)​ , F3 (​Taichong)​ e
Zigong​ (Método das Três Agulhas) para tratar infertilidade.
Exposto isso, a Tabela 3resume a seleção de pontos de Acupuntura para vários fatores
micro e macrocósmicos da medicina chinesa no tratamento da infertilidade, baseado nos estudos
de Wang​15​.

Tabela 3 – Seleção de pontos de Acupuntura para tratamento de infertilidade conforme Wang​15


Padrão de diagnóstico Pontos básicos Pontossuplementares
Deficiência de ​Yang​ do Rim Zi Gong​, BA6 (​Sanyinjiao​), B23 (​Shenshu​), VC4
F3 (​Taichong)​ (​Guanyuan)​
Deficiência de ​Yin​ do Rim Zi Gong​, BA6 (​Sanyinjiao​), R3 (​Taixi​), B23 (​Shenshu)​ ,
F3 (​Taichong)​ VC4 (​Guanyuan​)
Deficiência de ​Qi​ e Sangue Zi Gong​, BA6 (​Sanyinjiao​), VC4 (​Guanyuan​), E36
F3 (​Taichong)​ (​Zusanli)​ , VC6 (​Qihai)​ , BA10
(​Xuehai​)
Retenção de Frio no Útero Zi Gong​, BA6 (​Sanyinjiao​), VC2 (​Qugu)​ , VC6 (​Qihai)​ ,
F3 (​Taichong)​ VG4 (​Mingmen)​ , E29 (​Guilai​)
Mucosidade e Estagnação de Zi Gong​, BA6 (​Sanyinjiao​), VC3 (​Zhongqi​), E29 (​Guilai)​ ,
Sangue F3 (​Taichong)​ E40 (​Fenglong)​
Fonte: Wang​15

Em outro trabalho, Moet al​18​utilizaram os pontos B18 (​Ganshu)​ , B23 (​Shenshu​), VC4
(​Guanyuan)​ , VC3 (​Zhongji)​ e BA6 (​Sanyinjiao​) e concluíram que a Acupuntura pode modular o
sistema endócrino para induzir a ovulação. Gerhard e Postneek​19 apresentaram um estudo em 45
pacientes inférteis e concluíram que a Acupuntura auricular poderia ser utilizada como terapia
alternativa para restaurar a ovulação normal.Stener-Victorin et al​20 sugerem, ainda, que a
Acupuntura pode modular a fertilidade feminina atuando no sistema nervoso simpático.
USO DA MEDICINA CHINESA EM CONJUNTO COM ATR’S NO TRATAMENTO DA
INFERTILIDADE FEMININA

Em alguns casos, a Acupuntura pode ser aplicada em conjunto com Técnicas de


Reprodução Assistida (ATR) para auxiliar no tratamento da infertilidade. As ATR’s mais
utilizadas atualmente são a Fertilização In Vitro (FIV) e a Injeção Intracitoplasmática de
Espermatozoides (ICSI), que podem ser acompanhadas de um tratamento com Acupuntura.
Neste trabalho, foi dada ênfase ao uso da Acupuntura em associação com a FIV, por entender-se
que a ICSI é um caso específico de FIV.
Um dos trabalhos mais significativos nesta área foi desenvolvido por Pauluset al​21​. Os
autores avaliaram os efeitos da Acupuntura na taxa de gravidez em ATR’s, acompanhando um
grupo de 160 pacientes que foram submetidas à transferência embrionária: 80 delas receberam
tratamento com Acupuntura durante o processo de ATR e outras 80 não receberam. Foram
trabalhados pontos nos canais de Baço e Estômago para relaxar o Útero – VC6 (​Qihai)​, BA8
(​Diji)​ , F3 (​Taichong)​ , VG20 (​Baihui​), E29 (​Guilai)​ antes da transferência embrionária e E36
(​Zusanli)​ , BA6 (​Sanyinjiao)​ , BA10 (​Xuehai)​ , IG4 (​Hegu)​ após a transferência embrionária – e
aumentar o fluxo de ​Qi nesta região, além de auriculoterapia para estabilizar o sistema
endócrinos pontos ​Shen Men,​ Útero, Endócrino e Cérebro​14​. Os resultados mostraram que o
grupo que não recebeu Acupuntura teve uma taxa de gravidez de 26,3%, enquanto que o grupo
que recebeu Acupuntura teve uma taxa de gravidez de 42,5%.
Segundo Rosenthal e Anderson​14​, nos casos de FIV,apreparação deve ser feita conforme
o diagnóstico do paciente. A Tabela 4 apresenta os padrões de diagnósticos mais comuns na
medicina chinesa, seus sintomas e pontos de Acupuntura utilizados no tratamento.

Tabela 4 – Padrões de diagnóstico para infertilidade segundo a medicina chinesa


Diagnóstico segundo a Sinais e sintomas Pontos de Acupuntura
medicina chinesa
Deficiência de Essência Desordens de crescimento dos VC4 (​Guanyuan​), B23
órgãos reprodutores, (​Shenshu)​ , VG4 (​Mingmen)​ .
sub-funcionamento dos ovários,
pulso fraco e língua pálida.
Deficiência de ​Yin​ do Rim Rubor malar, sudorese noturna, BA6 (​Sanyinjiao)​ , R3 (​Taixi​),
sede, sintomas que pioram no R7 (​Fuliu)​ , C7 (​Shenmen​), R2
entardecer a durante a noite, (​Rangu)​ , R6 (​Zhaohai​), P7
insônia, irritabilidade, fraqueza (​Lieque​).
lombar e nos joelhos, ondas de
calor, pulso rápido e fino, língua
vermelha e com descamações
Deficiência do ​Yang​ do Sensações de frio, fraqueza B23 (​Shenshu​), VG4
Rim lombar e nos joelhos, micção (​Mingmen​), R7 (​Fuliu​)
freqüente, noctúria, urina clara a
abundante, inchaço nos
tornozelos, sobrepeso, fadiga,
baixa libido, dor nas costas antes
ou durante a menstruação,
dismenorreia, menstruação com
coágulos, pulso lento e profundo,
língua inchada, pálida e úmida.
Deficiência de Sangue Olhos secos, pele seca, E36 (​Zusanli)​ , BA6
compleição pálida, unhas frágeis, (​Sanyinjiao​), F8 (​Ququan)​ ,
tontura, memória fraca, fadiga, BA10 (​Xuehai​), B17 (​Geshu​),
amenorreia, períodos irregulares, B19 (​Danshu)​
ciclos alongados, pulso fraco,
fino e vazio, língua pálida.
Deficiência de ​Qi Fadiga, sem apetite, sudorese VC6 (Qihai), E36 (Zusanli),
espontânea, voz fraca, digestão BA6 (Sanyinjiao), P9
difícil, menstruação escassa, (Taiyuan)
períodos irregulares, pulso fraco,
língua inchada e pálida
Estagnação do ​Qi​ do Palpitações, ansiedade, insônia, P6 (​Neiguan​), C7 (​Shenmen)​ ,
Coração histeria, neurose, estresse Shenmen​(emaurículoterapia),
emocional, períodos irregulares F3 (​Taichong)​
ou amenorreia, pulso em nó,
língua com a ponta vermelha.
Depressão do Qi do Fígado Dor subcostal, dores móveis e IG4 (​Hegu)​ , F3 (​Taichong)​ ,
intermitentes, irritabilidade, F14 (​Qimen​), F2 (​Xingjian)​
raiva, depressão, TPM, estresse,
dor de cabeça, endometriose,
períodos irregulares, pulso em
corda, língua normal.
Fonte: Rosenthal e Anderson​14

Durante a regulação hormonal, Rosenthal e Anderson​14​indicam, baseados no trabalho de


Liang​13​, o uso de pontos de Acupuntura que nutram o ​Yin,​ que clareiem o calor e que
movimentem o ​Qi:​ E36 (​Zusanli)​ , BA6 (​Sanyinjiao)​ , F3 (​Taichong)​ , IG4 (​Hegu​), ​Yintang​, BA10
(​Xuehai​) e ​Zigong xué​ – os dois últimos para movimentar o Sangue.
Durante a indução ovulatória, a Acupuntura auxilia na circulação do Sangue na pélvis,
tonifica o ​Yin do Rim e o Sangue, assim como aumenta a circulação sanguínea na região da
pélvis. Liang​13 sugere usar os pontos E36 (​Zusanli)​ , BA6 (​Sanyinjiao​), F3 (​Taichong​), IG4
(​Hegu)​ , R3 (​Taixi​), ​Yintang​, VG20 (​Baihui)​ , ​Zigong xue,​ normalmente, três ou quatro sessões da
Acupuntura antes da coleta de óvulos.
Antes e após a transferência dos embriões, Paulus​21 sugere (30 min antes e 30 min
depois):
Antes da transferência embrionária – BA6 (​Sanyinjiao​), BA8 (​Diji)​ , F3 (​Taichong)​ , VG20
(​Baihui)​ , E29 (​Guilai)​
Depois da transferência embrionária – E36 (​Zusanli​), BA6 (​Sanyinjiao​), BA10 (​Xuehai)​ , IG4
(​Hegu)​ , auriculoterapia nos pontos ​She men,​ Útero, Cérebro e Endócrino.
Muitos médicos acreditam que, devido a dificuldade de se realizar estes procedimentos
tão próximos a transferência embrionária, a Acupuntura 12 à 24h antes e depois do procedimento
também pode ser útil, embora pesquisas ainda necessitem ser realizadas neste sentido.
Além do protocolo proposto por Paulus​21​, Liang​13 recomenda um segundo protocolo para
ser utilizado em conjunto com FIV:
- Antes da transferência embrionária – E36 (​Zusanli)​ , BA6 (​Sanyinjiao)​ , F3 (​Taichong)​ , IG4
(​Hegu)​ , R3 (​Taixi​), ​Yintang​, R13 (​Qixue​), VG20 (​Baihui​), ​Sishencong,​ além de aurículoterapia
nos pontos ​Shen men,​ Rim, Fígado e Baço.
- Depois da transferência embrionária – BA6 (​Sanyinjiao)​ , R3 (​Taixi)​ , ​Yintang,​ VG20 (​Baihui)​ , e
aurículoterapia nos pontos Rim, ​Shenmen,​ Fígado e Baço.
Alguns autores acreditam que estes protocolos podem e devem ser alterados conforme o
caso de cada paciente. Até o momento, não há estudos comparativos entre os protocolos acima
para determinar qual o mais efetivo​13​.
Cabe lembrar que durante a fase lútea, o objetivo é garantir a implantação do embrião e
prevenir um aborto. Em termos de Acupuntura, a fase lútea corresponde ao ​Yang,​ de forma que o
tratamento nesta fase visa fortalecer as suas funções. Liang​13 recomenda VG20 (​Baihui​),
Sishencong,​ ​Yintang​ e Aurículoterapia nos pontos ​Shenmen​, Rim, Fígado e Baço.
Para Liang​13​, aproximadamente três meses antes do procedimento de fertilização ​in vitro,​
é recomendado que a mulher receba tratamento com ervas e Acupuntura, a fim de regular as
funções do corpo, tornando a FIV mais eficiente. O mesmo autor destaca ainda que os principais
objetivos, neste período pré – FIV são: a) melhorar a função dos Ovários, b) fortalecer o sistema
imunológico e reduzir o stress, c) melhorar a qualidade e quantidade do sêmen (no caso dos
homens) e d) regular a alimentação e as atividades físicas.
Liang​13 também indica alguns protocolos para auxiliar nos procedimentos de FIV. Um
protocolo padrão sugerido pelo autor, por exemplo, inclui os pontos E36 (​Zusanli​), BA6
(​Sanyinjiao​), F3 (​Taichong​), IG4 (​Hegu​), BA8 (​Diji)​ e ​YinTang,​ podendo ser incluídos os pontos
VG4 (​Mingmen)​ e R7 (Fuliu) – para casos de Deficiência de ​Yang e R3 (​Taixi)​ – para
Deficiência de ​Yin.​
Com relação ao uso da fitoterapia chinesa, um mês antes do procedimento de FIV,
Liang​13 recomenda o uso de ervas (​HuoJingZhongZiFang​) associadas à Acupunturanos pontos
E36 (​Zusanli)​ , BA6 (​Sanyinjiao​), F3 (Taichong), IG4 (Hegu) e​YinTang,​ visando harmonizar a
circulação do ​Qi do Fígado, fortalecer Baço e Sangue, acalmar a mente e relaxar o paciente. Dois
ou três dias após o início do ciclo menstrual que antecede a FIV, Liang​13​indica o uso de ervas
para estimular os Ovários (​DingJingFang)​ . Na noite anterior e na noite posterior à transferência
embrionária, Liang​13​sugere a utilização do composto de ervas​HuoJingZhongZiFang associada à
Acupuntura nos pontos E36 (Zusanli), BA6 (Sanyinjiao), F3 (Taichong), IG4 (Hegu), R3 (Taixi),
YinTang,​ R13 (​Qixue​), VG20 (​Baihui​) e ​Sishengcong,​ para acalmar o ​Qi do Fígado e nutrir o
Sangue do Coração a fim de acalmar o ​Shen,​ além de fortalecer o Baço e tonificar o ​Qi para
melhor fixação do embrião ao Útero. Após a transferência embrionária, Liang​13​destaca que o
foco é garantir a circulação adequada de ​Sangue no Útero auxiliando na fixação do embrião, e
nutrir o seu crescimento. Relaxar o Útero evitando contrações também é importante. Para isso, o
autor sugere duas fórmulas de ervas em associação com Acupuntura nos pontos E36 (​Zusanli)​ ,
R3 (​Taixi​), ​Yintang​, VG20 (​Baihui)​ e auriculoterapia em ​ShenMen,​ Rim, Fígado e Baço: ​Yang
Tai Fang para casos de Deficiência de ​Yin do ​Rim ​e ​An Tai Fang para casos de Deficiência de
Yang​ do ​Rim.
Outros relatos também são encontrados nas referências pesquisadas. Manheinmeret al.
apud Lin et al.​22 realizaram uma meta análise com 1366 mulheres em tratamento de FIV. Os
resultados mostraram que a Acupuntura contribuiu para uma melhora clínica relevante da
gravidez e também para nascidos vivos, embora os autores não tenham expressado mais
detalhadamente estes números ou os pontos utilizados. Dalton – Breweret al.​23 realizaram um
acompanhamento durante dois anos em um Centro de Ginecologia em Londres em pacientes que
realizaram FIV com e sem apoio de técnicas de Acupuntura, seguindo os protocolos propostos
por Paulus et al.​21​. Os resultados indicaram uma maior taxa de gravidez no grupo que foi
submetido à Acupuntura (44,6%) em comparação ao grupo que não foi submetido.Youranet al.​24
desenvolveram uma pesquisa para determinar a influência da Acupuntura nos resultados clínicos
finais de uma FIV. As pacientes tinham entre 30 e 35 anos e os autores também partiram dos
protocolos estabelecidos por Pauluset al.​21​, embora não o tenham seguido na sua totalidade.
Assim, os resultados mostraram uma taxa de gravidez de 55,1% para pacientes que utilizaram
Acupuntura antes e após a transferência embrionária e de 34,4% para aquelas que não utilizaram.
Teshimaet al.​25 também realizaram um estudo semelhante, visando compara os resultados de FIV
com e sem auxílio de Acupuntura. Seus resultados, embora tenham apontado para maior taxa de
gravidez nos casos em que houve acompanhamento de Acupuntura antes e após a transferência
embrionária, não apresentaram confiabilidade estatística, especialmente em função da pequena
quantidade de pacientes que foi monitorada.

DISCUSSÃO

Uma vez que os objetivos deste trabalho tratam de verificar de que forma a medicina
chinesa é utilizada para o tratamento da infertilidade feminina, foram então pesquisadas as
principais síndromes e protocolos de tratamento que vem sendo utilizados recentemente. Desta
forma, inicialmente, é interessante mencionar que, sob a ótica da medicina chinesa, conforme os
trabalhos pesquisados, os ​Zang Fu relacionados com o problema de infertilidade, em geral, são o
Útero, o Rim, o Coração, o Fígado e o Baço, cada um com uma ou mais funções específicas.
Além disso, os diversos autores pesquisados concordam que grande parte dos diagnósticos de
infertilidade feminina estão associados a Padrões de Excesso ou Deficiência envolvendo estes
Zang Fu.​ Portanto, torna-se evidente já num primeiro momento que cada caso de infertilidade é
um caso específico. Não há um protocolo padrão para tratar este problema, sendo de primordial
importância determinar a Síndrome que está provocando a infertilidade naquela paciente.
Cabe destacar ainda que o Coração, por ancorar a mente segundo a medicina chinesa, está
associado às questões emocionais que envolvem a infertilidade feminina. Por ser um elemento
fogo, está sujeito à alterações devido à padrões de excesso no fígado (madeira), conforme o ciclo
de geração dos cinco elementos (madeira em excesso provoca hiperatividade do fogo do coração,
tornando a mente inquieta). Torna-se, portanto, fundamental, atentar para os aspectos da
medicina chinesa que possam tratar estes órgãos a fim de que se tenha as questões emocionais
sob controle durante todo o tratamento para infertilidade.
Além disso, o F​ígado tem como uma de suas funções, auxiliar no abastecimento do
sangue no Útero e garantir o suave fluxo de ​Qi​, trabalhando em conjunto com o Baço, que
também tem por função movimentar o ​Qi da paciente,além da auxiliar na manutenção do feto no
Útero em posição adequada.
Uma vez expostas estas considerações iniciais, as quais valem tanto para a aplicação da
medicina chinesa de forma isolada quanto em conjunto com ATR’s, passa-se então a uma breve
discussão quanto aos protocolos que vem sendo utilizados (alguns com maior, outros com menor
sucesso), sempre lembrando que estes protocolos devem estar baseados no diagnóstico correto da
síndrome da paciente em questão.
Nota-se que todos os autores pesquisados durante este trabalho indicam, para uso isolado
de Acupuntura no tratamento de infertilidade, pontos no Vaso Concepção – VC3 (​Zhongji)​ ou
VC4 (​Guanyuan​), pontos de Rim – geralmente R3 (​Taixi​), além de pontos de Fígado e Baço –
usualmente F3 (​Taichong)​ e BA6 (​Sanyinjiao​). Destaca-se o estudo proposto por Wang​15​, que
especifica detalhadamente o objetivo da Acupuntura em cada fase do tratamento (Tabela 2) e
aplica a Técnica das Três Agulhas para o tratamento da paciente conforme a Síndrome
envolvida: Deficiência de ​Yin do ​Rim, Deficiência do ​Yang do ​Rim​, Deficiência de ​Qi e Sangue,
Retenção de Frio no Útero e Mucosidade – Estagnação de Sangue.
Além disso, o trabalho de Ward​3 também merece destaque, por indicar pontos específicos
para o tratamento da infertilidade baseado na determinação de cinco possíveis Síndromes que
provocam infertilidade: Deficiência do ​Yin do Rim, Deficiência do ​Yang do Rim, Depressão do
Qi do Fígado, Mucosidade – Umidade no ​Baço e​ Calor – Umidade no Fígado e Baço.
Com relação ao uso de Acupuntura em conjunto com ATR’s, inegavelmente o trabalho
de Paulus​21 caracteriza-se como um marco no estudo do tema, especialmente em função do
grande grupo de pacientes que foi submetido aos seus protocolos e também pela análise
estatística que envolveu o seu estudo. Cabe salientar que Liang​14 também desenvolveu um estudo
pormenorizado do assunto, mas ainda assim, este autor, de certa forma, baseou-se nos estudos de
Paulus​21​. Aqui, é importante destacar a importância de técnicas auxiliares de medicina chinesa,
especialmente fitoterapia e auriculoterapia, usadas como suporte durante as diversas etapas das
ATR. Mais uma vez, cabe salientar que também na utilização da Acupuntura em conjunto com
ATR’s, é fundamental determinar, inicialmente a Síndrome que atinge a paciente e, a partir daí,
estabelecer o protocolo mais adequado, o qual pode se basear nos estudos de Liang​13​ e Paulus​21​.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Após a revisão do tema, fica evidente que o uso de Acupuntura para o tratamento da
infertilidade feminina, quer seja de forma isolada, quer seja em conjunto com ATR’s apresenta
avanços consideráveis nos últimos anos, mas ainda requer estudos mais aprofundados. Isto se
deve, especialmente, à diversidade de Síndromes que podem desencadear a infertilidade.
Dentre todos os estudos pesquisados, destacam-se aqueles desenvolvidos por Ward​3​,
Wang​15 e Paulus​21​, especialmente pelo detalhamento que os autores disponibilizaram em suas
obras, que permitem ao acupunturista uma boa base inicial para desenvolvimento de estudos na
área. Diversos autores pesquisados já vem utilizando tais protocolos, alguns deles sugerindo
alterações e adequações conforme o caso de cada paciente.
Ao acupunturista que irá tratar uma paciente tida como “infértil”, portanto, é fundamental
um estudo pormenorizado das condições desta paciente, além de uma constante atualização sobre
o tema, visando determinar especificamente qual ou quais são as síndromes que estão
provocando o problema naquela paciente. Não existe um protocolo padrão.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. CENTER FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION.​National Public


Health Action plan for the detection, prevention and management of infertility.
Atlanta, Georgia: Centers for Disease Control and Prevention; June, 2014.
2. AUTEROCHE, B., NAVAIHL, P. ​Acupuntura em ginecologia e obstetrícia​.
Andrei Editora LTDA. São Paulo, 1987.
3. WARD, B.​Female infertility: simple Acupuncture and patente herbal
treatments​.VIII Congreso Internacional de l°FundaciónEuropea de Medicina Chinesa.
Tarragona, Espanha; 2007.
4. GRANT, L. E., COCHRANE, S. ​Acupuncture for the mental and emotional
healt of women undergoing FIV treatment: a comprehensive review​. Australian
Journal of Acupuncture and Chinese Medicine, 2014; 9 (1): 5 – 12.
5. LONGBOTTOM, J. ​The use of Acupuncture with ​in vitro fertilization: is there
a point? Journal of the Association of Chartered Physiotherapists in Women’s Health.
Autumn 2008, 103, 29 – 38.
6. EMMONS, S. L., PATTON, P. ​Acupuncture treatment for infertile women
undergoing intracytoplasmic sperm injection​. A Journal For Physicians By Physicians,
Spring / Summer 2000- Volume 12 / Number 2.
7. LOPES, J. R. C., ​etalli.​ ​Guideline para abordagem na infertilidade conjugal​.
Sociedade Brasileira de Reprodução Humana. Disponível em
http://www.sbrh.org.br/publicacoes/guidelines/
8. DIETERLE, S., YING, G. HATZMANN, W., NEUER, A. ​Effect of
Acupuncture on the outcome of in vitro fertilization and intracytoplasmic sperm
injection: a randomized, prospective, controlled clinical study​. Fertility and Sterility,
Vol XX, n° X, 2006.
9. MAO, Q. ​Acupuncture protocol in the process of in vitro fertilization (FIV):
an integrated approach​. Holistic Acupuncture Clinic, Copenhagen, Denmark, 2015.
Disponívelem:
http://mao.dk/wp-content/uploads/2015/05/Acupuncture-protocol-in-the-process-of-In-Vi
tro-Fertility.pdf
10. LYTTLETON, J. ​Tratamento da Infertilidade pela Medicina Chinesa​. São
Paulo: Roca, 2006.
11. ROSS, J. ​Combinação dos Pontos de Acupuntura: A Chave para o Êxito
Clínico​. São Paulo: Roca, 2003.
12. MACIOCIA, G. ​Os Fundamentos da Medicina Chinesa​. São Paulo: Roca,
2007.
13. LIANG, L., ​Acupunture and FIV​. Blue Poppy Press, 2003.
14. ROSENTHAL, L., ANDERSON, B. ​Acupunture and in vitro fertilization:
recent research and clinical guidelines​. Journal of Chinese medicine, 84, 2007.
15. WANG, S. ​Treatment off emale infertility: a new approach in chinese
medicine​. Acupunture Herbal Center, Califórnia, 2000. Disponível em
http://www.Acupuncture-herbal.com/Infertility_synopsis.html
16. ZhenJiu Jia Yi Jing, ​Clássico de Acupuntura e Moxabustão​. 282 DC.
17. ZhenJiu Da Chang, ​Grande Compêndio de Acupuntura e Moxabustão​. 1601
DC.
18. Mo, X., Li, D., Pu, Y., Xi, G., Le, X., Fu, Z. (1993). ​Clinical studies on the
mechanism for acupunture stimulation of ovulation​. Journal of traditional Chinese
medicine – English edition – 13, 115 – 115.
19. Gerhard, I, Postneek, F (1992). ​Auricular acupunture in the treatment off
emale infertility​. Gynecological endocrinology: the official journal of the International
Society of Gynecological Endocrinology, 6, 171.
20. Stener-Victorin, E., Waldenstrom, U., Andersson, S. A., Wikland, M. (1996)
Reduction of blood flow impedance in the uterine arteries of infertile women with
electroacupunture​. Human Reproduction 11, 1314.
21. Paulus, W. E., Zhang, M., Strehler, E., El-Danasouri, I., Sterzik, K. ​Influence of
Acupuncture on the pregnancy rate in patients who undergo assisted reproduction
therapy​. Fertility and Sterility, Vol 77, n° 4, April 2002. American Society for
Reproductive Medicine.
22. Lin CA, Hsing WT, Pai HJ. ​Acupuncture: evidence-based practice​. Rev Med
(SãoPaulo). 2008 jul.-set.;87(3):162-5.
23. Nick Dalton-Brewer, David Gillott, Nataly Atalla, Mohamed Menabawey, Pauline
Wright, & Alan Thornhill. ​Use of Acupuncture before and after embryo transfer​. The
London Bridge Fertility, Gynaecology and Genetics Centre, London, UK. S/D.
24. Youran D et al. ​Acupuncture performed before and after embryo transfer
improves pregnancy rates​.FertilSteril 2008 Vol. 90, Suppl 1, pg S240.
25. Teshima D. R. K et al. ​The effect of Acupuncture in assisted reproduction
techniques. ​FertilSteril 2007 Vol 88, Suppl 1, pg S330.