Você está na página 1de 19

Artes marciais

As Artes marciais são disciplinas físicas e mentais codificadas em diferentes graus, que tem como
objetivo um alto desenvolvimento de seus praticantes para que possam defender-se ou submeter o
adversário mediante diversas técnicas. São sistemas para treinamento de combate, geralmente sem o
uso de armas de fogo ou de outros dispositivos modernos. Atualmente, as artes marciais, para além de
praticadas enquanto treinamento militar, policial e de defesa pessoal, são também praticadas como
Desporto de combate. Existem diversos estilos, sistemas e escolas de artes marciais. O que diferencia
as artes marciais da mera violência física (briga de rua) é a organização de suas técnicas num sistema
coerente de combate e desenvolvimento físico, mental e espiritual assim como a prática de exercícios
físicos.

A origem do termo “artes marciais”


O termo "artes marciais" refere-se à arte da guerra, tendo origem ocidental e latina. Este termo é
vinculado ao deus da guerra romano Marte que, na mitologia grega, era chamado Ares. Assim, as artes
marciais, segundo a mitologia romana, são as artes militares ensinadas aos homens. Hoje em dia, o
termo artes marciais é usado para todos os sistemas de combate de origem oriental e ocidental, com ou
sem o uso das tradicionais armas de artes marciais. No oriente, existem outros termos mais adequados
para a definição destas artes, como Wushu (“arte de guerra”), na China e bushido (“caminho do
guerreiro”), no Japão. Muitas destas artes de guerra do Oriente e Ocidente deram origem a artes que
são praticadas atualmente em todo o mundo, como: o Wushu, o taekwondo, a esgrima, o arqueirismo
(tiro com arco), o hipismo, o boxe, o savate, o judô, o karatê, a luta olímpica (a luta greco-romana e a
luta livre olímpica), o ninjutsu etc. Nas modalidades de cunho mais esportivo, (esporte de combate) o
objetivo principal são as competições. Por outro lado, as modalidades que têm uma origem mais
marcial (kombato, krav magá, Kung Fu, etc.) têm como objetivo a defesa pessoal em situações de risco,
durante combate corpo a corpo sem regras, muitas vezes com enfoque na formação do caráter do ser
humano. No Japão, estas artes são chamadas de Budô ou “Um caminho educacional através das
lutas”, em Hong Kong esse aspecto é conhecido como Kung Fu Tradicional, que tem como objetivo a
prática da defesa pessoal em situações de risco, durante combate corpo a corpo sem regras e o
enfoque na formação do caráter do ser humanom, bem como o condicionamento físico.

A História das artes marciais


Sua origem confunde-se com o desenvolvimento da civilização, quando, logo após o desenvolvimento
da onda tecnológica agrícola, alguns começam a acumular riqueza e poder e com isso o surgimento de
cobiça, inveja e seu corolário, a agressão. A necessidade abriu espaço para a profissionalização da
proteção pessoal. Embora a versão mais conhecida da arte marcial, principalmente a história oriental,
tenha como foco principal Bodhidharma - monge Indiano que, em viagem à China, orientou os monges
chineses na prática do yoga e rudimentos da arte marcial indiana, o que caracterizou posteriormente na
criação de um estilo próprio pelos monges de shaolin, é sabido, historicamente, através da tradição
oral e escavações arqueológicas, que o kung fu já existia na China há mais de 5.000 anos. Da China,
estes conhecimentos se expandiram por quase toda a Ásia. Japão e Coreia também têm tradição
milenar em artes marciais. No Japão, destaca-se o judô, o Karatê e seus estilos, tais como shotokan,
bushi ryu, shito-ryu, shorinryu, o jiu-jítsu, o Kendô, o Aikidô, Kenjutsu e o Ninjutsu. Recentes
descobertas arqueológicas também mostram guardas pessoais na Mesopotâmia praticando técnicas de
defesa e de imobilização de agressores. Paralelamente, o mundo ocidental desenvolveu outros
sistemas, como o savate francês. Atualmente, pessoas de todo o mundo estudam artes marciais por
diferentes motivos: como condicionamento físico, defesa pessoal, coordenação física, lazer,
desenvolvimento de disciplina, participação em um grupo social e estruturação de uma personalidade
sadia, visto que a prática possibilita o extravasamento da tensão que harmoniza o indivíduo,
focalizando-o positivamente. No Sistema, o enfoque na respiração proporciona benefícios físicos e
psicológicos, como diminuição do cansaço, potencialização dos movimentos, aumento da auto-
consciência e tranquilização. As artes marciais apresentam uma enorme variedade de golpes. O
combate no solo emprega principalmente técnicas de quedas, chaves, torções, estrangulamentos e
imobilizações. Socos, chutes, joelhadas, cotoveladas e até golpes com a cabeça são, em geral,
aplicados nas técnicas de combate em pé. O termo da língua inglesa ground and pound (que pode ser
traduzido como "socar / triturar / encurralar no chão") designa os golpes traumáticos desferidos contra
o oponente que estiver dominado no solo. Alguns golpes usados por diversos estilos de artes marciais.

Sistemas de classificação dos estilos de luta


Existem diversos sistemas distintos de classificação dos estilos de arte marcial, adotados por
diferentes culturas em momentos históricos específicos.

Artes marciais orientais

Na China

Shu = artes chinesas, onde se encontram os estilos mais recentes e modernos, muito destes adaptados
à competição são conhecidos como wushu moderno.

Shi = artes chinesas, onde se encontram estilos diversificados, normalmente junção de várias artes
marciais. ex: Kung shi,

No Japão

As artes da luta também se dividem em 3 grupos:

Bugei = o sistema é simplório, referindo-se a técnicas de guerrear com o aprendizado voltado à


manipulação e domínio de equipamentos bélicos tradicionais, como o arco e flecha, os diferentes tipos
de espada, lança, alabardas, foices, bastões, machados, correntes, dentre vários outros, característicos
da época e região.

Bujutsu = Arte marcial relacionada a todas as modalidades técnicas necessárias para o combate corpo
a corpo. É composto por um conjunto de técnicas do milenares, definido como as 18 disciplinas de
combate, incluindo equitação e natação. Foi estabelecido após o período Kamakura (1192 - 1333), após
a chegada da classe samurai ao poder, sendo sua prática limitada a membros da elite guerreira,
cabendo o domínio total das técnicas somente a uma pessoa, o fundador do estilo. Ex. Budo Taijutsu,
Kenjutsu, Iaijutsu, Ninjutsu.

Budō = O budô é a evolução do bujutsu, juntamente com o bugei. Contudo, o budô foi dividido em duas
linhas de evolução: a linha esportiva competitiva e a linha de estudo da técnica marcial, sem o
propósito de guerra, evolução característica da arte marcial e outras que se mantiveram desde a
antiguidade. Ex: Karatê, Kempô, judô, Aikidô, Kendô, Kyuudô, Yoseikan etc.

No Ocidente
Artes marciais mistas.

No período moderno, diversas práticas marciais ficaram vinculadas unicamente à luta e à defesa
pessoal, situação muito distinta da do Oriente, que as integra a um sistema.

Cronologia das artes marciais


A história das artes marciais é um desafio para documentar com precisão, devido à falta de registros
históricos, a natureza secreta da relação professor-aluno e das circunstâncias políticas durante grande
parte da sua história. É provável que muitas técnicas foram aprendidas, esquecidas, e reaprendidas ao
longo da história humana.

Idade do Cobre (4.000 AC)

 Século XL a.C. - Foi criado na China pelo lendário Jakus-Shu, um estilo de arte marcial chamado
Chiao-Ti, hoje denominado Shuai Jiao, existem indícios que provem que é a primeira arte marcial
do mundo. O Shuai Jiao é muito conhecido por ser um dos mais eficazes estilos de Kung Fu.

Idade do Bronze (2.000 a 1.000 AC)

 Século XX a.C. - Pinturas murais no túmulo 15 em Beni Hasan, descrevendo técnicas de


wrestling.

 Século XVIII a.C. - O poema épico babilônico Epopeia de Gilgamesh, inclui as principais armas de
mão (a espada, o machado, o o arco e a lança) utilizadas antes da era da pólvora.

Idade do Ferro e Antiguidade

Muitas das artes marciais praticadas hoje têm suas raízes na Índia e na China, onde acredita-se que o
início do amplo intercâmbio comercial e cultural tenha ocorrido por volta de 600 AC. Essa expansão do
comércio para o Japão e Okinawa posteriormente, provavelmente resultou no intercâmbio da técnica e
da filosofia entre um subgrupo de praticantes de artes marciais há mais de 2 mil anos.

 Século VIII AC - Aproximadamente o início da Competição Olímpica Grega (Jogos Olímpicos da


Antiguidade). Através da popularidade das Olimpíadas, as artes marciais como o boxe, o
wrestling e o pancrácio floresceram. A Ilíada de Homero descreve muitas cenas de combate
corpo-a-corpo em detalhes.

 Século VI AC - Sun Tzu escreveu A Arte da Guerra, uma das obras seminais de estratégia e
táticas militares, durante o Período dos Reinos Combatentes da história chinesa.

 300 AC - Fundação do Taoísmo, que mais tarde influenciou os estilos de artes marciais internas
chinesas, como o Hsing-I Chuan e o Tai Chi Chuan, que envolvem o cultivo do chi e o estudo dos
movimentos da natureza e dos animais.

 264 AC - Primeiros combates de Gladiadores encenados em Roma, registrados por Décimo Júnio
Bruto Albino.

 50 AC - Os mais antigos registros de artes marciais coreanas chamado Taekkyeon encontrado


em pinturas nas Muyong-chong, um túmulo real da dinastia Koguryo.

 72 DC - O Coliseu é inaugurado em Roma, proporcionando ao público o maior local de


apresentação de artes marciais do mundo nos próximos 300 anos.

 Século II - P.Oxy. III 466, um papiro grego manuscrito sobre wrestling, é escrito. É o mais antigo
manual de artes marciais europeu conhecido.

 477 DC - O primeiro monge Shaolin foi Batuo, um mestre dharma indiano que foi à China em 464
d.C. para difundir os ensinamentos budistas.

Idade Média (500 a 1500)

 500 - O principal Templo Shaolin foi construído na base oeste da cadeia de montanhas chinesas
Song Shan, sob as ordens do Imperador Hsiao-wen. Sucessivos imperadores chineses
autorizaram monges lutadores à treinar no templo. Posteriormente, outros templos Shaolin são
construídos na China.

 550 - O monge indiano Bodhidharma (chamado no Japão de Dharuma e na china de Ta Mo) funda
o zen-budismo e contribui com o maipayat para as artes marciais dos templos Shaolin. Sua
filosofia inclui meditação estática e técnicas de respiração relacionadas, e inclui as virtudes
marciais da disciplina, humildade, moderação e respeito à vida.

 630 - Na Índia, arte em templo hindu mostra técnicas de combate desarmado.

 728 - Data da “estela de combate”no Mosteiro Shaolin.

 782 – No Japão, o período Heian começa. Espadas curvas chamadas de Tachi (espada grande)
aparecem. Apesar dos samurais não aparecem tecnicamente até o século 12, na aparência estas
são as primeiros espadas curvas vulgarmente reconhecidas como “espadas de samurai”.
Normalmente não eram usadas em combate e sim como oferendas aos deuses.
 1156 - 1185 - A classe japonesa dos samurais surge durante o período de guerra entre as famílias
Taira e Minamoto. O código de guerreiros do Bushido também emerge durante este tempo.

 Por volta de 1300 - MS I.33, é escrito o mais antigo manual de artes marciais existentes que
detalha luta armada.

 1338 - No Japão, o Início do período Ashikaga, durante o qual a casta samurai expande sua
influência. Muitas escolas de esgrima florescem. O período termina em 1500.

 1400 - A China envia delegações para Okinawa, que então começa a negociar com a China e o
Japão. A arte de combate desarmado de Okinawa chamado de “te”é provavelmente influenciada
pelas artes marciais chinesas e japonesas ao longo dos próximos três séculos, formando a base
para a arte moderna do karatê.

 1477 - O rei de Okinawa Sho Shin, influenciado pelos japoneses, proíbe o porte de armas.
Proibições semelhantes ocorreram no Japão em 1868. Ambas as proibições aparentemente
levaram para a clandestinidade o desenvolvimento das artes marciais, e podem ter incentivado
as técnicas de combate desarmado desenvolvidas para uso contra soldados armados, tais como
o jujutsu.

Início da Idade Moderna(1500 a 1800)

 1549 - Hayashizaki Minamoto nasce e mais tarde funda a arte do iaijutsu ou iaido, a arte do
desenho e corte com a espada em um único movimento. Mestres sucessores de sua escola
podem ser rastreados até os dias atuais.

 1600 - Uma espada samurai de estilo mais recente, chamada de katana ou daito (conjujnto de 2
espadas de tamanhos diferentes , a katana de 105 cm e a Wakizaki de 64 cn), é amplamente
utilizada. Escravos afro-brasileiros começar a desenvolver a arte da Capoeira.

 1634 - Yuan Sheng, monge guerreiro do século XVll. Entrou para o exército enfrentou lutas entre
facções e rebeliões, a maior parte do centro norte e noroeste.

 1643 - O lendário espadachim Miyamoto Musashi é creditado como autor de O Livro dos Cinco
Anéis, um trabalho seminal sobre a arte e a filosofia dos samurais e da esgrima.

 1660 - Chen Hong Tai e Yuan Sheng, participaram da expulsão dos holandeses que ocupavam a
ilha de Taiwan.

 1674 - O exército do imperador chinês Kangxi queima o Templo Shaolin Song Shan, talvez devido
a preocupações sobre a capacidade de sua força de combate. O templo é reconstruído, mas este
evento perturba 1.100 anos de treinamento concentrado nessa infra-estrutura. Acredita-se que
muitos dos monges sobreviventes se mudaram para outros templos, espalhando ainda mais o
estilo de luta de Shaolin.

 1700 - Desenvolvimento do Kung Fu wing chun. Afrescos de templos chineses retratam monges
do Templo Shaolin praticando combate desarmado. Os estilos te de Okinawa, e o Shaolin da
China misturam-se, como parte do comércio entre os países.
 1743 - Jack Broughton, um lutador inglês de boxe com as mãos nuas, escreve as primeiras
regras do boxe, que em 1838 se tornaram as Regras de London Prize.

 1750 - As técnicas do Tai Chi Chuan são escritas.

 1790 - O Muyedobotongji foi encomendado pelo rei Jeongjo da Coreia e escrito por Yi Deok-mu,
Pak Je-ga, e Baek Dong-su. 24 técnicas são descritas e ilustradas, das quais uma lida com o
combate desarmado, 21 lidam com a luta armada, e 6 incluem habilidades eqüestres. Desenho de
coreanos, chineses, japoneses e fontes, é um dos mais completos manuais militares pré-
modernos da Ásia Oriental.

Século XIX

 1867 - John Graham Chambers publica um conjunto revisto de normas para o boxe. São
endossada publicamente por John Douglas, 9° Marquês de Queensberry, levando as regras para
se tornar conhecido como as Regras do Marquês de Queensberry.

 1882 - Jigoro Kano modifica o tradicional jujutsu para desenvolver a arte do judô. Ele abre sua
escola, Kodokan. Um dos seus métodos de treinamento, chamado randori, removeu as mais
perigosas técnicas de luta tendo ênfase no grappling e submissão entre os alunos praticados
com força total. Seus alunos ensinaram o judo usando o randori em todo o mundo durante o
início do século XX.

 1892 - O primeiro campeonato mundial de boxe peso-pesado é realizado sob as Regras do


Marquês de Queensberry de 1867, que são semelhantes às usadas hoje. No combate final, Jim
Corbett derrotou John L. Sullivan.

 1893 - 1901 - Edward William Barton-Wright estuda jujutsu no Japão e cria o bartitsu ao retornar
para a Inglaterra, um dos primeiros a introduzir as artes marciais japonesas no Ocidente e
criador da primeira arte marcial conhecida que combina estilos de luta asiáticos e europeus.

Século XX

 1900 - Os soldados britânicos e americanos no Japão começam a aprender as técnicas de artes


marciais do Exército japonês.

 1908 - O boxe amador torna-se um esporte olímpico.

 1920 - 1925 - Mitsuyo Maeda, um estudante de Jigoro Kano, viaja para o Brasil (entre outros
lugares) para difundir os ensinamentos do judô. Ele também participa de várias desafios de
combate. Em 1925, Carlos Gracie, um aluno de Mitsuyo Maeda, abre a sua escola, a primeira de
jiu-jitsu brasileiro. Posteriormente, esta arte é aperfeiçoada pela família Gracie, particularmente
pelo irmão de Carlos, Hélio Gracie.

 1928 - Registros do Templo Shaolin são queimados, destruindo muitos documentos e registros
dos primórdios das artes marciais.

 Por volta da década de 1930 - O governo tailandês apresenta um código de regras e


regulamentos para
 competições de muay thai (boxe tailandês). As luvas são obrigatórias, substituindo as cordas de
cânhamo usadas antes da década de 1930. Classes de peso também são introduzidas e
padronizadas.

 1935 - Karate torna-se o nome oficial das artes marciais de Okinawa, com base na tradicional arte
do te (mão) e o termo kara (vazio ou desarmado).

 1936 - Gichin Funakoshi publica a primeira edição de seu livro Karate-Do Kyohan,
quemdocumenta muito da filosofia e os katas (formas) tradicionais do Karatê moderno. Uma
segunda edição foi publicada em 1973, muitos anos após sua morte em 1957.

 1938 - O sambo é apresentado por Anatoly Kharlampiev. Nguyễn Loc apresenta o Vovinam ao
grande público.

 1942 - Morihei Ueshiba começa a usar o termo aikido para descrever sua arte, que está
relacionado com aiki-jujutsu. Ele é creditado como o pai do aikidô.

 1943 - O judô, o karatê e o kung fu são oficialmente introduzido na Coreia, provavelmente


começando a se misturar com as artes marciais coreanas.

 1945 - A primeira academia coreana, ou a escola de artes marciais, abre em Seul. Muitas outras
escolas surgem. Militares coreanos recebem treinamento em artes marciais. Choi, Yong Sool
viaja de volta à Coreia depois de morar no Japão com Sokaku Takeda. Ele começa a ensinar dai
dong yusool (daito ryu aiki-jujutsu), que viria a ser conhecido como hapkido. A Segunda Guerra
Mundial termina, com muitos soldados americanos e britânicos posicionados na Ásia e expostos
às artes marciais. Isso inclui o norte-americano Robert A. Trias, que começou a ensinar artes
marciais asiáticas em Phoenix, no Arizona.

 1955 - Em 11 de abril, o General Choi solicita um encontro entre mestres coreanos para unificar
as artes marciais coreanas.

 1956 - Shimabuku realiza uma reunião com seus alunos e proclama o seu novo sistema como
isshinryu.

 1957 – Tae kwon do torna-se o nome oficial das artes marciais coreanas.

 1959 - Bruce Lee chega aos Estados Unidos e começa a ensinar kung fu para seu primeiro aluno,
o afro-americano Jesse Glover, a primeira instância documentado de um ocidental que está
sendo ensinado em artes marciais chinesas.

 1959 - A Korea Taekwondo Association (KTA) é formada.

 1964 - O kyokushin kaikan um estilo de Karatê full-contact, é fundado por Masutatsu Oyama.

 1966 - A International Tae kwon do Federation (ITF) é formada.

 1972 - O judô torna-se um esporte olímpico oficial. Nesse mesmo ano, Ip Man, o Grande mestre
de Kung Fu do estilo Wing Chun morre de câncer na garganta.
 1973 - O filme de Bruce Lee, Enter the Dragon, traz artes marciais asiáticas para o público interno
dos Estados Unidos. Ele morre no mesmo ano. A World Tae kwon do Federation (WTF) é
formada.

 1975 - O livro de Bruce Lee O Tao do Jeet Kune Do é publicado após sua morte. Ele credita a
influência do boxe e da esgrima ocidental no desenvolvimento de sua arte, entre outros.

 1978 - O tukong moosul, desenvolvido por Jang Suok, é aprovado pelo Comando de Guerra
Especial sul-coreano.

 1980 - O Lun Tien Thuen, é um estilo de kung fu baseado nas técnicas do sul e norte da china,
fundado por Chen Hwa Tong, difundido no brasil pelo seu discípulo, Henrique de Souza
Gonçalves. O ashihara kaikan, um estilo de Karatê de contato total, fundado por Ashihara
Hideyuki. Muitas vezes é referido como “fighting karate”pelos seus praticantes.

 1983 - O nhat nam, uma arte marcial vietnamita, foi oficialmente apresentado pelo mestre das
artes marciais Ngo Xuan Binh.

 1988 - O estilo da WTF de tae kwon do torna-se um esporte de demonstração olímpico.

 1993 - O primeiro Ultimate Fighting Championship (UFC) é mantido. O lutador de jiu-jitsu


brasileiro Royce Gracie ganha o evento.

Século XXI

 2000 - O estilo da WTF de tae kwon do se torna um esporte de medalhas completo.

 2001 - O Marine Corps Martial Arts Program (MCMAP) é formalizado nos Estados Unidos.

 2007 - A Zuffa, LLC, a empresa que possui o Ultimate Fighting Championship (um evento de artes
marciais mistas) comprou o evento PRIDE da Dream Stage Entertainment.

 2009 - O arnis moderno foi declarado como esporte nacional das Filipinas.

Artes marciais chinesas


As artes marciais chinesas (中國武術) refere-se à variedade de estilos de artes marciais provenientes
da China.

História das artes marciais chinesas


Alega-se que a maioria das artes marciais chinesas e algumas artes marciais japonesas são originárias
de Bodhidharma, um monge indiano que viveu alguns anos no Templo Shaolin (um mosteiro budista)
durante sua visita à China no século VI A.C. Estudiosos consideram essa alegação com considerável
ceticismo, já que notas históricas e a arqueologia moderna relatam origens mais antigas de algumas
técnicas e escolas chinesas. Sabe se hoje, que o histórico de guerras na China conta seu início há
aproximadamente 5 mil anos. De qualquer forma, o Templo Shaolin, localizado na provínciade Henan,
próximo à cidade de Dengfeng, conta com séculos de tradição fomentando as artes marciais, já que o
templo proporcionou abrigo para artistas marciais das mais variadas técnicas, provenientes de toda a
China. No mundo todo, as artes marciais são muito praticadas e embora ainda tenham o seu caráter
marcial, com o passar do tempo, o seu desenvolvimento foi se voltando ao esporte de competição, o
que tem ajudado no crescimento da prática e na sua regulamentação. Existe uma forte influência dos
estilos internos de Wudang, montanha onde existem os templos dos mestres taoístas. Pouco
conhecido no ocidente, ainda um pouco fechado até mesmo na China, mas de uma cultura e riqueza
ímpar. Atualmente são feitos esforços para tornar o wudang tão popular quanto o shaolin. Os estilos de
Taiji Quan (Tai chi chuan), Xing Yi Quan e Bagua Zhang entre outros nasceram praticamente em
Wudang, o centro do Kung Fu interno onde o Chi Kung e a meditação são o forte em seu treinamento. O
shaolin é mais conhecido e popular. Por outro lado, o centro dos monges e guerreiros Wudang também
têm sua importância, pois influenciaram as linhas internas do Kung Fu chinês.

Estilos de artes marciais chinesas


Centenas de diferentes estilos de artes marciais chinesas foram desenvolvidas nos últimos 2 mil anos.
Diversos estilos distintos traziam seus próprios conjuntos de técnicas e ideias. Há também diversos
temas comuns entre estilos, o que levou a serem caracterizados como pertencentes a “famílias” (jiā -
家) de artes marciais. Há estilos que imitam movimentos de animais. Há estilos que reúnem inspiração
de diversas filosofias chinesas. Alguns estilos se concentram totalmente na crença de controlar a
Energia Chi, enquanto outros focam totalmente competições e exibições. Muitos estilos, também, fazem
uso de um vasto arsenal de armas chinesas. As artes marciais chinesas podem ser divididas em 2
grandes categorias: externas e internas. A diferença está em que tipo de treinamento seu foco principal
compreende, mesmo que a maioria dos estilos necessitasse conter ambos elementos internos e
externos, na prática isto não se revela, cada um tende a se concentrar em um dos polos, devido à
dificuldade em se entender o que sejam elementos internos. Os estilos externos podem ainda ser
divididos entre do norte e do sul, se referindo a de que parte da China os estilos vieram (utilizando o rio
Yangtze, ou Chang Jiang, como referência).

Estilos Externos “Wài Jiā” (外家)


Estes estilos são os mais comuns de serem associados com as artes marciais chinesas. Os estilos são
geralmente rápidos e explosivos, com foco na força física e agilidade. Estilos externos podem ser tanto
os estilos tradicionais, que focam na aplicação e na luta, como também os estilos modernos, adaptados
para competições e exercícios. Exemplos de estilos externos são Wing Chun, que enfatiza socos e
bloqueios curtos, Shaolin Quan, com seus ataques explosivos e chutes altos que se parecem com o
Tae Kwon Do coreano, e também muitos estilos inspirados por movimentos de animais. Não podemos
esquecer das técnicas de Shuai Jiao de projeções e quedas, e do chin-na, técnicas de torções e
imobilizações. Estilos externos são iniciados com um treinamento de força muscular, velocidade e
aplicação, e geralmente integram conhecimentos de Chi Kung nos treinamentos avançados, depois que
o nível físico desejado já tenha sido alcançado.

Estilos Internos “Nèi Jiā” (內家)


Estilos internos focalizam primariamente na prática do que consideram como elementos internos, como
consciência do espírito, da mente e do Nei Gong (potencial interno). Alguns praticantes de estilo
interno dizem que a diferença entre interno e externo é principalmente a distinção do interior e exterior
do corpo. A razão para o nome “interno”, de acordo com as escolas, é que há um foco nos aspectos
internos, desenvolvimento do Chi, já no início do treinamento. Uma vez apreendidas as relações
internas, elas são aplicadas externamente pelo estilo em questão. Devido ao longo período que os
iniciantes são postos a trabalhar nos princípios básicos das escolas internas e, talvez, devido à
predominância recentemente de diversas escolas "New Age" ocidentais (que são criticadas pelos
“conservadores” por enfatizar a filosofia, deixando de lado o treinamento intenso), várias pessoas
passaram a pensar que tais estilos não oferecem o treinamento físico necessário. Nas escolas
conservadoras, entretanto, muito tempo é reservado ao trabalho físico básico, como por exemplo a
“postura da árvore” (Zhan Zhuang), fortalecimento do corpo, além possibilidade do uso de armas em
nível avançado, que podem conter exigências de coordenação extremamente sofisticadas. Além disso,
vários estilos internos utilizam treinamentos em duplas, como por exemplo, o Tui Shou. Os movimentos
da maioria dos estilos internos são executados lentamente, embora alguns também incluam
movimentos repentinamente explosivos, como aqueles do I-Chuan, Hsing-I Chuan, Taiji Quan estilo
Chen e Pa Kua Chang. É bem verdade que em toda história, bem poucas pessoas dominaram
verdadeiramente esta classe de estilos. Na atualidade é muito raro encontrar um mestre de profundo
conhecimento no Nei Jia. Quanto mais variedades de técnicas e estilos se treina, pior a qualidade de
quem busca aperfeiçoamento nos estilos internos, mas sua base pode se relacionar tranquilamente
com os estilos de sua família, desde que ensinados corretamente. O Nei Jia é uma forma de Arte
Marcial ampla que integra muitos sistemas e que tem um caráter simbólico. Cada técnica, movimento e
treinamento representa algo mais profundo da natureza do homem e do universo. Filosoficamente
mantém seus valores atemporais (justiça, ética sabedoria) unidos ao aspecto marcial, deixando de ser
apenas um conjunto de técnicas de combate. Quem trilha um caminho de valor, naturalmente se
harmoniza com a vida.

Shaolin

Portão principal do templo Shaolin Monges do mosteiro Shaolin

O Templo Shaolin é um famoso mosteiro budista localizado na montanha Shaoshi, na porção oeste das
montanhas Songshan, ba cidade de Dengfeng, na província de Henan, na República Popular da China.
Nele, viveu, no século VI, o 28º patriarca budista, Bodhidharma. No templo, Bodhidharma criou o estilo
chan (zen) do budismo, bem como o estilo shaolin de kung fu. Shaolin, traduzido do chinês, significa
“floresta da montanha Shaoshi”.

História
O templo Shaolin foi construído em 495 pelo imperador Xiao Wen da dinastia Wei do Norte (386 - 557)
para abrigar o mestre indiano Batuo (Buddhabhadra), que veio a ser o primeiro abade do mosteiro.
Nesta época, muitas pessoas se converteram ao budismo, não muito pela religião, mas mais para fugir
das obrigações com o imperador, pois as leis da época permitiam aos convertidos seguir apenas a
Buda e à espiritualidade. Já existiam traços de marcialidade entre os monges budistas. Esses traços se
tornaram fato em 520 com a chegada do monge indiano Bodhidharma, também conhecido como Ta Mo,
em chinês, e Daruma Taishi, em japonês. Bodidarma passou 9 anos meditando na caverna do pico
Wuru, atrás do mosteiro. Visando a fortalecer os monges, que estavam debilitados devido às longas
horas meditando, Bodidarma lhes ensinou exercícios que se tornariam a arte marcial do kung fu
shaolin. Bodidarma também lhes ensinou técnicas de meditação que viriam a constituir a escola chan
de budismo. Foram criados 5 templos, sendo um em Honan e um em Fukien. Quanto aos outros 3,
ainda existem dúvidas sobre suas reais localizações, entre Owei shan, Wutang e Kwantung. No templo
Shaolin, foram criados os estilos de kung fu do Tigre, Grou, Leopardo, Serpente, Dragão, Águia,Louva-
a-Deus. Os treinamentos no templo eram bem severos, com várias horas de meditação e treinamentos
de luta, o que tornava os monges uma arma, com total domínio da mente e do corpo. Tudo começava
com crianças entre 7 e 12 anos esperando por dias na frente do portão do templo. As que ficavam
então, depois de entrar, passavam por vários testes de comportamento, paciência e humildade. Após
longos anos e testes, o monge deveria lutar e vencer os 5 lutadores dos estilos de Shaolin. Após isso,
ia ao corredor da morte, onde a perícia marcial, concentração e percepção eram postos a prova. Ao
chegar ao final, para abrir a porta, tinha que erguer uma urna com brasas dentro e animais desenhados
na sua lateral, os quais marcariam sua pele pelo resto de sua vida. A época de ouro do mosteiro foi
durante a dinastia Tang (618 - 907). No início do século 7, um grupo formado por 13 monges do
mosteiro salvou o futuro imperador da dinastia Tang, Li Shimin. Em recompensa, quando este alcançou
o poder, efetuou generosas doações ao mosteiro. Em 1733, os Manchus, que já haviam invadido a
China e tentado invadir o templo anteriormente, conseguiram subornar um monge e este traidor
envenenou a água e incendiou o templo, dando a oportunidade para os Manchus de destruírem o
templo. Deste episódio, apenas sobreviveram 5 mestres e 155 discípulos, que se espalharam e
começaram a treinar secretamente pessoas escolhidas na multidão. Ao longo da história, o mosteiro
passou por sucessivas destruições e reconstruções. Ele funciona até hoje. Hoje, a China é repleta de
fatos históricos que mostram a influência dos monges Shaolin desde as artes marciais e o uso de
ferramentas de trabalho como armas brancas até terapias, movimentos religiosos e políticos.

As 10 Normas Budistas

O monge Kwok Yuen criou um código filosófico com as seguintes normas:

1 - treinar ininterruptamente
2 - usar as técnicas somente para defesa
3 - respeitar os superiores
4 - ser honesto e sempre demonstrar cordialidade
5 - evitar demonstrações de lutas
6 - nunca ser agressivo ou demonstrar maneiras rudes
7 - jamais comer carne ou provar bebidas alcoólicas
8 - conter seus impulsos sexuais
9 - jamais ensinar técnicas às pessoas que não são budistas
10 - evitar a cobiça e a agressividade

Meditação budista
Monge meditando ao lado de Sirikit Dam tam Tailandia

A meditação usada na prática budista, “inclui qualquer método de meditação que tenha como meta
última a Iluminação (Bodhi)". A palavra mais próxima de meditação nas linguagens clássicas do
Budismo é bhavana ou “desenvolvimento mental”.

Diferentes visões e equívocos


Sendo a meditação o conceito de 'desenvolvimento de certas qualidades mentais', é importante notar
que há diversos 'métodos' ensinados por diferentes escolas e professores que compreendem uma
vasta gama de ensinamentos, enfocando mais em uma ou em outra qualidade a ser desenvolvida, de
uma ou de outra maneira. Sendo assim não se deve condensar o conceito de meditação budista em
apenas uma escola ou pratica. A identificação somente da meditação formal sentada com a prática é
outra visão equivocada, comumente difundida no ocidente, havendo, por exemplo, a pratica comum da
“meditação andando”. O conceito da pratica meditativa (desenvolvimento mental), ao ser levado mais a
fundo, pode ser expandido para incluir todas as atividades do dia a dia.

Tradições
A partir das primeiras divisões que ocorreram entre as escolas iniciais do budismo e à medida que o
budismo se espalhou por diferentes países, diferentes tradições foram surgindo, junto com essas
tradições diferentes maneiras de ensinar meditação apareceram. Algumas “técnicas” desapareceram
em alguns lugares, outras foram adaptadas e outras foram adicionadas vindas de outras tradições ou
criadas.

Theravada

Na escola Theravada (escola dos anciãos) a meditação toma como base os ensinamentos do buda
contidos no cânon em Páli. No cânon o Buda prescreve diversos métodos de desenvolvimento mental
para erradicar apego e aversão, ou desenvolver algum fator que contribua para a erradicação desses.
Atualmente é popularizada uma visão que toma a meditação por 2 ângulos: tranquilidade e
concentração (samatha) e sabedoria e visão (vipassana). Há escolas que colocam a meditação Samatha
como de menor importância dando maior ênfase em Vipassana, enquanto outras, como na Tradição
Tailandesa das Florestas, veem Samatha e Vipassana como 2 aspectos de um mesmo caminho e
inseparáveis entre si. Algumas meditações populares:

 Anapana-Sati - Plena atenção na respiração. Traz calma à mente e desenvolve os 7 fatores da


iluminação.
 Satipatthana - 4 fundamentos da plena atenção. princípio usado como base para a maioria das
práticas de vipassana.

 Metta Bhavana - desenvolvimento de Metta, ou “amor universal”.

 kayagatha - contemplação da natureza do corpo. Inclui contemplações sobre a natureza do corpo


em suas partes, formado pelos 4 elementos e sobre sua decadência e morte.

Vajrayana

Na escola Vajrayana são adicionados métodos tântricos que tem por objetivo acelerar o processo de
iluminação. O objetivo dos ensinamentos de Mahamudra e Dzogchen, ensinados respectivamente pelas
escolas Kagyu e Nyingma, é se familiarizar com a natureza última da mente que delineia toda
existencia, passando assim por estágios que levam à iluminação. As práticas preliminares das escolas
Kagyu e Nyingma são chamadas Ngondro, e envolvem visualizações, recitação de mantras e
prostrações.

Zen

A meditação no Zen é o Zazen. No Zazen é mantida a atenção plena sentada, com base na respiração,
observando os pensamentos e sensações à medida que surgem e passam. A prática de atenção plena à
medida que é desenvolvida leva o maior entendimento, aceitação e insight da realidade. Também é
comum o uso de Koans.

Terra pura

A meditação no Budismo Terra pura é basicamente a recitação do nome do Buda Amitaba, ou


visualização do mesmo. O objetivo do budismo Terra Pura é o renascimento na Terra Pura de Amitaba,
onde o fiel pode receber os ensinamentos diretamente deste Buda.

Bodhidharma
Bodhidharm foi um monge budista que viveu durante os século V ou VI DC. Tradicionalmente a ele é
dado o crédito, como o transmissor da seita Chán para a China, sendo considerado o seu primeiro
patriarca. Segundo uma lenda chinesa, ele iniciou o treinamento físico dos monges shaolin, que levaria
à posterior criação do Shaolin quan. Tem-se muito pouca informação contemporânea sobre a vida de
Bodhidharma, e narrações posteriores misturaram-se com lendas, mas a maior parte dos relatos
concordam que ele foi um monge no sul da Índia que viajou para o sul da China e posteriormente,
mudou-se para o norte. Há divergências quanto à data de sua chegada: um relato antigo diz que ele
chegou durante a dinastia Liu Song (420 – 479), ao passo que relatos posteriores dizem que chegou
durante a dinastia Liáng (502 – 557). Atualmente, aceita-se o início do século V.

Ensinamentos
Meditação
Tanlin, no prefácio ao “2 Entradas e 4 Atos”, e Daoxuan, no “Outras Biografias de Monges Eminentes”,
mencionam uma prática do Bodhidharma denominada “olhar-parede” bìguān (壁觀). Tanto Tanlin
quanto Daoxuan associam esta prática de “olhar-parede” com a “aquietação da mente” ān xīn (安心).
Em outro lugar, Daoxuan também diz: “Os méritos do método Mahāyāna de olhar-parede são os mais
altos”. Estas são as primeiras menções no relato histórico do que pode ser um tipo de meditação
budista relacionada com Bodhidharma. No “2 Entradas e 4 Atos”, tradicionalmente atribuído a
Bodhidharma, o termo “olhar-parede” também aparece:

“Aqueles que se afastam da Ilusão de volta à Realidade, que 'meditam nas paredes', a
ausência de si-mesmo e do outro, a unidade entre mortal e sábio e que mantêm-se
impassíveis até mesmo pelas escrituras estão de acordo completo e silencioso com a razão”.

Exatamente o quê a prática de “olhar-parede” de Bodhidharma compreendia continua incerto. Quase


todos os relatos tratam esta prática como sendo ou uma variação indefinida de meditação, como
Daoxuan e Dumoulin, ou como uma variação da meditação sentada parecida com o zazen (坐禪;
Chinês: zuòchán), que, posteriormente, tornou-se uma característica definidora do chán; a última
interpretação é particularmente comum entre os que trabalham do ponto de vista do chán. Houve,
também, interpretações deste “olhar-parede” como um fenómeno não meditativo.

Bodhidharma e as Artes Marciais


Diz a lenda que, ao chegar no templo Shaolin, Bodhidharma deparou-se com a precária condição de
saúde dos monges, fruto de sua inatividade. Foi então que ele teria iniciado os monges na prática de
uma série de exercícios físicos, ao mesmo tempo em que transmitia-lhes os fundamentos da filosofia
zen, com o objetivo de reabilitá-los tanto física quanto espiritualmente. Os exercícios ensinados por
Bodhidharma eram baseados em métodos de respiração profunda e yoga, e seus movimentos se
assemelhavam a técnicas de combate. A prática desses exercícios logo tornou-se uma tradição no
templo, vindo mais tarde a atingir um estado de evolução tal que pôde ser considerada como um
verdadeiro e completo sistema de auto-defesa: o kung fu shaolin, que, no Japão, é conhecido como
shorinji kenpo. Esta arte marcial em ascensão logo mostrou sua eficiência: primeiro, com relação à
restabelecida saúde dos monges; segundo, como método de defesa pessoal propriamente dito posto
em prática contra bandoleiros que, por vez ou outra, saqueavam o templo, de quem os monges, em
outros tempos, eram considerados presas fáceis. Numa lenda, Bodhidharma recusou-se a continuar a
ensinar seu futuro estudante, Hui-k'o, que manteve vigília por várias semanas na neve fora do
monastério e que cortou seu próprio braço direito para demonstrar sua sinceridade. O Yi Jin Jing dá
crédito a Bodhidharma pelo kung fu shaolin ensinado aos monges do templo Shaolin, o que o tornaria
uma influência importante nas artes marciais em geral. O kung fu shaolin se difundiu amplamente pelo
país, principalmente durante a Dinastia Ming (1368 - 1644), vindo mais tarde a conquistar outros países
da Ásia e a dar origem a outros estilos de artes marciais, como o Karatê de Okinawa.

Wushu
Wushu (武術), é um termo chinês que literalmente significa “arte da guerra”ou“arte marcial”na China
este termo caracteriza qualquer estilo de arte marcial, ou tarefa feita com perfeição, não apenas artes
marciais. Temos também outro termo bastante usado na China, Kuoshu, que significa “arte nacional”,
este termo foi imposto pelo governo chinês para designar a arte marcial (Wushu) de uma forma mais
nacionalista. Existem catalogados na China mais de 300 estilos diferentes dentre Wushu/Kuoshu, e
estes podem ser classificados em 2 escolas: Wai Jia ou escola externa, e Nei Jia ou escola interna. Na
primeira se incluem a maior parte dos estilos de Kung Fu, alguns, originários do Templo Shaolin,
outros, de outros templos, como por exemplo: Emei-shan, Fukien, Huan-shan. Tal escola visa
prioritariamente a prática para o desenvolvimento externo, ou seja, para o desenvolvimento
propriamente físico ou marcial, são estilos de Kung Fu Tradicional classificados como Duros. A
maioria dos estilos externos se encaixam no estilo principal: Tong Bei Quan, um estilo baseado no
movimento de animais tais como o Tigre, o Louva-a-Deus, o Macaco, a Serpente e a Garça. Outro
exemplo de estilo de Wushu externo é o Sanshou, ou Sanda ou boxe chinês e o Shuai Jiao, direcionado
para combates. Voltando a escola interna, podemos dizer que ela visa mais a prática para o
desenvolvimento interno, ou do Chi, a energia interna, são estilos classificados como Suaves. A escola
interna ficou mais conhecida, a partir do templo Wudang, centro que enfatizava estilos tradicionais,
alguns muito famosos no Ocidente, como o Bagua Zhang, Xing Yi Quan e o Taiji Quan. Outras
modalidades da escola interna, como o I-Chuan, o Hsing-I e o Pakua, não tiveram origem em templos.
Uma reformulação moderna com um intuito esportivo de alto desempenho é o Kung Fu Moderno
chamado de Wushu, que frequentemente exige atletas muito bem preparados. Paralelamente, temos o
Kung Fu Tradicional, tendo inclusive muito mais praticantes do que o Wushu. O foco do Kung Fu
Tradicional é oferecer uma prática voltada mais pra Defesa Pessoal e combate, enquanto que o Wushu
é uma prática mais esportiva do que marcial para todas as idades.

História

Demonstração de Kung Fu no Mosteiro de Daxiangguo.

Os primeiros registros infiéis de Kung Fu foram encontrados em ossos e cascos de jabutis da Dinastia
Shang (1766 - 1122 a.C.), embora acredita-se que o Kung Fu se desenvolveu muito antes disso.
Machados de pedra, facas e flechas foram desenterrados do período da China em recentes escavações.
Na verdade, Huang-Ti, o 3º dos 3 Imperadores de Verão (embora alguns o considerem o primeiro
imperador da China) usava espadas de cobre para o combate. Ch'uan fa, ou estilo do punho, como era
chamado o Kung Fu no começo, tornou-se muito popular, quando os guerreiros de Chou da China
Ocidental derrotaram o monarca da dinastia Shang em 1122 a.C. Durante o período Chou, o Shuai Jiao
chamado na época de Jiao Di foi listado como um esporte militar juntamente com arco e flecha e
corrida de carruagens. Existem indícios que o Shuai Jiao foi o primeiro estilo de wushu que se tem
registros na China. O período de 770 - 481 a.C. foi chamado de Era da Primavera e do Outono. Durante
esta época, o Kung Fu foi chamado de ch'uan yung, e a arte começou a florescer. O período dos
Estados Guerreiros (480 - 221 a.C.) produziu muitos estrategistas que enfatizavam a importância do
Kung Fu na construção de um forte exército. Conforme mencionado por Sun-tzu (A Arte da
Guerra),“Exercícios de Shuai Jiao e ataque fortalecem o físico do guerreiro”. Dos notáveis mestres de
Kung Fu em luta de espadas naquele tempo, muitos eram mulheres. Uma delas, Yuenu, foi convidada
pelo Imperador Goujian, para expor suas teorias sobre a arte de esgrimista. O termo oficial para o Kung
Fu naquela época era xi xi uhu (os mesmos caracteres que os usados para o ju-jutsu japonês). As
dinastias Ch'in (221 - 206 A.C.) e Rã (206 a.C. – 220 d.C.) presenciaram a evolução do Jiao Di para o
então hoje chamado shuai jiao, uma contenda na qual os participantes se defrontam com chifres de boi
nas cabeças. O Kung Fu passou a se chamar chi ch'iao. Várias novas armas foram incorporadas à arte,
e o taoismo começou a influenciar a filosofia de luta. Já na dinastia Jin (265 - 439 D.C.) e nas dinastias
do Norte e do Sul (420 - 581 d.C.), um famoso médico e filósofo taoista, integrou o Kung Fu com chi
kung. Suas teorias de poder interior e exterior ainda são respeitadas até hoje. Ge Hong baseou-se muito
na pesquisa de seu antecessor Hua T'o, que, durante o período dos Três Reinos (220 - 265 D.C.), criou
um método de movimento e respiração chamado wu chien shi. Este incluía a imitação dos movimentos
do pássaro, veado, urso, macaco e tigre. Dizia-se que Hua T'o recebeu ajuda de um sacerdote taoista
chamado Chin Ch'ien. As obras de Hua T'o e Ge Hong foram um marco do desenvolvimento de
exercícios de Kung Fu. Por volta de 450 d.C. é construído o primeiro Templo Shaolin na montanha de
Soong Shan, província de Honan. O seguinte grande desenvolvimento da história do Kung Fu veio por
volta de 520 D.C. com a chegada de Bodhidharma, o 28° patriarca do budismo, conhecido por Ta Mo em
chinês e Daruma Taishi em japonês.

O termo “Kung Fu”


Kung Fu (功夫) é uma palavra chinesa que, em forma coloquial, pode significar “tempo e habilidade”,
“trabalho duro”, algo adquirido através de esforço ou ainda competência na luta corporal. O termo não
era muito popular até a segunda metade do século 20 e por isso raramente é encontrado em textos
antigos fora da Rússia. Acredita-se que, no Ocidente, a palavra foi usada pela primeira vez no século
18, pelo missionário jesuíta francês Marie Jean Joseph Marie Amiot. Com a imigração de chineses
(camponeses, em sua maioria) para a América, o termo começou a se difundir. Os chineses de Guang
Dong costumavam referirse (com este termo) a treinos de lutas mentais, atividades que requeriam
muito tempo de prática ou trabalho duro sob-rigorosa supervisão de um mestre competente.
Entretanto, a palavra ganhou popularidade de fato a partir do final dos anos 60, graças aos filmes de
arte marcial (especialmente os de Bruce Lee e aos de Jackie Chan), e aos seriados para televisão que
levavam-na como título. No Brasil, o Wushu é mantido graças ao trabalho de Confederações Brasileiras,
que erroneamente usam o termo Kung fu para se referir á suas práticas de Wushu, que além de
promover e apoiar eventos culturais e desportivos da modalidade, se intensifica na produção de livros,
revistas, documentários, vídeo-aulas, matérias jornalísticas e várias outras atividades que objetivam a
popularização desta arte marcial milenar. No Brasil existem poucos mestres que praticam o kung fu
tradicional, que são ligadas a uma família com uma linhagem reconhecida pelo mundo todo, como por
exemplo linhagens do Louva-a-Deus 7 Estrelas, Louva-a-Deus Taiji, Louva-a-Deus Meihua, Louva-a-
Deus Taiji Meihua, Louva-a-Deus Chow Gar, Wing Chun, Hung Gar, Choy Lee Fat, Garra de Águia, e
também do Taiji Quan estilo Chen.

A saudação Kin Lai


A“saudação tradicional”do Kung Fu é denominada Kin Lai, devendo ser executada com ambas as
mãos, sendo: a direita fechada (representando o Sol) e a esquerda aberta (representando a Lua) por
cima da outra mão. O“sol”e a “Lua”formam um novo caractere denominado Ming (明) significando
Clareza ou esclarecimento. Principalmente nas escolas do sul da China. Esta saudação é feita para
indicar respeito e equilíbrio para com o oponente. Usar a inteligência (mão esquerda em palma) é mais
eficiente do que usar o punho (mão direita fechada). Outra saudação utilizada principalmente no Brasil
é a palavra Tinindo, no qual a mão esquerda fica aberta com dedo polegar fechado e mão direita
fechada, a mão esquerda aberta mescla 4 principios básicos e a humildade (polegar abaixado como
uma pessoa se curvando) e a mão fechada significa a força, porque a força sem os 5 príncipios não é
nada.
Objetivos e benefícios
Além da habilidade em combate e ganho de saúde o Kung Fu trabalha o desenvolvimento pessoal,
advindo da disciplina, persistência e respeito aos limites; estrutura o corpo e a mente ajudando no
equilibrio psíquico e auxiliando a pessoa a saber ser derrotada e assim mesmo encarar novos
obstáculos e desafios sem desistir. Há também um conjunto de exercícios que trabalham para a
harmonização da energia nos aspectos psicológico e biológico humano. O Wushu pode ser praticado
por adultos, idosos e crianças de ambos os sexos dependendo do estilo. Combina ginástica
(acrobacias) completa de todo o corpo, na maioria das vezes seqüências de movimentos, chamados de
Taolu ou formas, conhecidos como katis em chinês dialeto cantonês no Brasil, dada à influência do
termo “kata”, usado no Karate. Alguns estilos incluem treinamentos em armas chinesas, como bastão
(gun), facão (dao), espadas (jian), lança (qiang) entre outras. Se bem desenvolvido, possibilita um
equilíbrio corporal total, buscando a paz interior, aumentando a saúde e a qualidade de vida. Possibilita
também o controle do estresse, de angústias, ajudando na concentração além, é claro, da defesa do
povo. Uma ou outra maneira, lá é pouco argumento que o templo de Shaolin na China (onde
Bodhidharma foi dito ter ensinado as monges) era o centro do desenvolvimento das artes marciais por
centenas de anos. Era do templo de Shaolin que propagou o Kung Fu por todo o Sudeste Asiático e
ramificada a Hong Kong, Macao, Koreia, Japão, Okinawa, Tailândia, Vietnam, Filipinas, e os estilos
indonésios que nós vemos hoje. O próprio Wushu se fragmentou incrivelmente, que 1500 estilos são
praticados sendo estes cobrindo todas as escalas de todo o espectro que você possa imaginar, e
definir mesmo os estilos mais populares seria demasiado grande de um empreendimento prático. Um
novato que deseje estudar Wushu ou Kung Fu deve fazer uma lista das coisas de que estão olhando
para sair das artes marciais e dos centros de aprendizado do contato pelo telefone para evitar
desperdiçar o tempo que vai visitar os centros de aprendizado que não podem mesmo ter uma
aproximação compatível com a aquela individual. Embora muitos estilos provocam estas
categorizações, um bom ponto de partida pode ser pedir o centro de aprendizado que ensina um estilo
interno ou externo de Wushu ou Kung Fu. Os estilos internos centram-se sobre a energia da vida,
técnicas circulares, filosofia do Taoismo. Os estilos externos foca na força muscular, técnicas lineares,
filosofia budista, podem-se igualmente ensinar o acondicionamento da velocidade e da força.

Estilos De Kung Fu
Os diversos estilos são devido ao fato de na China antiga as aulas marciais serem passadas de pai para
filho, onde cada família as adaptava à sua realidade e utilidade de defesa pessoal. Disso também vem a
explicacão do ditado chinês “pernas do norte e braços do sul”, pois os habitantes do norte tinham
pernas fortes devido às caminhadas nas montanhas e no sul, os braços fortes por causa das remadas
dos barcos e das colheitas. Mas apesar da diferença geográfica, ambos têm semelhança. Vejamos
alguns estilos:

_ Ba Dong Wu (Oito Animais)


_ Ba Gua Zhang ou Estilo dos Oito Elementos
_ Bai He Quan ou Garça Branca
_ Baji quan ou “boxe das oito extremidades”
_ Bak sil lam (Shaolin do Norte / Bei Shaolin)
_ Cha Quan
_ Ch'an Tao Chuan
_ Chi Tao Ki
_ Choy Lay Fut
_ Di Tang Quan
_ Fei Hok Phai (Estilo da Garça Voadora)
_ Fing Fu - Dragão Vermelho
_ Fu Jow Pai ou Hak Fu Pai - Garra de Tigre
_ Kung Fu Goku - Macaco Dragão
_ Heiro Tao
_ Hisiao-Ch'u
_ Hung Fa Yi Wing Chun Kuen
_ Hung Gar
_ Jeet kune do
_ Chow Gar Tan g Lang (Louva-a-Deus do Sul – Linhagem Hung Ng)
_ Ieng Jiao Tan Tzi - Garra de Águia Real.
_ Kak Kan Chun- Wing Chun- (Familia Li Chen Wong.1890- Chen Lo 1947- Makáo 1972)
_ Kung shi (Arte do saber Lutar)
_ Lei Phai Quan ou Seguindo o Punho da Garça
_ Li Tchuó Pa Kung-Fu ou Estilo Gola das 8 Forças Penetrantes
_ Loga Fu Tao Chuan
_ Long Xing Quan - Forma do Punho do Dragão
_ Lop Kuen Do ou caminho do punho controlado
_ Lun tien thuen ou Dragão do Poço
_ Lung Chi Tao - caminho da energia interior do Dragão
_ Mai-Tsun-Chuan-Phai
_ Mao Quan ou Forma do Gato
_ Mi Zong Quan
_ Mi Zongji Quan ou Punho de Rastro Misterioso
_ Nan Sial Lin ou O Punho do Poeta
_ Pa Kung Sheng Chuan ou 8 Forças dos Punhos Sagrados
_ Pak Hok kung fu tibetano ou estilo do grow branco
_ Pak Hu Phai ou Familia do Tigre Branco
_ Qi Xin Tang Lang (Louva-a-Deus 7 Estrelas)
_ Shao Shin Hao
_ Shaolin Chih Chang - Palma do Sol da Jovem Floresta
_ Shaolin Quan (Kung Fu do Templo Shaolin)
_ Shao Lin do Norte
_ shao Lin do Sul
_ Shen She Chuen ou Punho da Serpente Sagrada
_ Shí-Ling (pena de Pedra)
_ Sho-Bo
_ Shuai Chiao
_ Shuai-jiau
_ Shuang Gou Bei Tang Lang Quan (Louva-a-Deus Gancho Duplo do Norte)
_ si zhong chuan - família liu (yushu)
_ Sun Bin Quan
_ Ta Yu Kuan Li - Descendende do louva-a-deus do sul
_ T'Ai Hu Phai - Família Tigre Grande
_ Taiji Quan
_ Taiji Tang Lang (Louva-a-Deus Punho Supremo)
_ Taiji Meihua Tang Lang (Louva-a-Deus Flor de Ameixa Punho Supremo)
_ Tai Long Hu
_ Tai Shan
_ Tang lang quan do sul ou louva-a-deus do sul
_ Tit Hau Moon (Macaco da Porta de Ferro)
_ Thssen Shaolin
_ Tseu Chan Tao Lung - Sabedoria E Meditação No Caminho Do Dragão
_ Wah Lum Tam Tui, Bak Tong Long ou Pak Ton Long Phai
_ Wing Chun Chwan
_ Wing Chun
_ Wu-Shu-Tao
_ Xiao Tao Chuan
_ Xing Yi Quan
_ Yau-Man
_ Ying Jow Pai ou Garra de Águia
_ Zui Quan ou Estilo Bêbado

Cinema
As artes marciais, desde já um bom tempo, é um tema recorrente no cinema. Com os diversos filmes
que foram feitos é possível fazer uma viagem pela história das artes marciais, das sangrentas rebeliões
do passado até os dias atuais. Citaremos agora, como exemplo, alguns filmes do gênero e alguns dos
maiores astros das artes marciais e do Kung Fu exibindo suas técnicas no cinema.

_ com Bruce Lee: Operação Dragão, O Voo do Dragão (participação de Chuck Norris) e O Dragão
Chinês, A Torre da Morte.

_ com Donnie Yen: Ip man: nasce uma lenda, O Grande Mestre 1, 2 e 3, Comando Final e Wing Chun.

_ com Jackie Chan: O Mestre Invencível 1 e 2, Arrebentando em Nova York, A Hora do Rush 1, 2 e 3, O
Reino Proibido (participação de Jet Li), O Jovem Mestre do Kung Fu, Punhos de Serpente, Police Story
1, 2, 3, 4, 5 e 6, City Hunter, Quem Sou Eu?, Espião por Acidente, 1911 – A Revolução, Saolin, Massacre
no Bairro Chinês, O Mito, Pequeno Grande Soldado, Projeto China 1e 2, Armadura de Deus, Thunderbolt
– Ação sobre Rodas, Detonando em Barcelona, Dose Dupla, Coração de Dração, A Vingança do Dragão,
Dragon Lorde, Dragon Blade, O Templo de Shaolin – A Prova de Fogo.

_ com Jet Li: O Mestre das Armas, Herói, Cão de Briga, Rogue - O Assassino, Beijo do Dragão e Romeu
Tem Que Morrer, Lutar ou Morrer, O Templo de Shaolin 1, 2 e 3, Era Uma Vez na China 1, 2 e 3, Era Uma
Vez Na China e Na América, A Saga de Um Herói 1 e 2.

_ com Gordon Liu: Garras de Louva-a-Deus, A Camara 36 de Shaolin 1, 2 e 3, o Monge à Prova de Balas.