Você está na página 1de 58

opcionalidade.

ter maiores vantagens que desvantagens, sobreviver e vencer.


autores.
luiz otavio roxo.
luiz fernando roxo.
Nasceu em São Paulo, aos 09 de
Formado em economia pela FAAP,
janeiro de 1980 e é escritor.
atua há mais de 20 anos no
Escreveu, também com Luiz
mercado financeiro, é referência
Fernando Roxo, o livro "Benjamin e
em derivativos e opções. Gestor de
o poder do tempo" para
carteira de Investimentos
compartilhar das finanças com as
autorizado pela CVM, possui
crianças e os adolescentes em
certificado de CGA. Trabalhou com
família. Foi editor de imagens e
grandes instituições do país, tais
diretor de TV, atualmente é
como o Banco Bradesco, o Banco
orientador da Sukyo Mahikari do
Safra, a Ágora Corretora e foi sócio
Brasil. Há duas décadas vem
da Leandro&Stormer. Ministra
estudando e, em conversas com o
palestra e cursos sobre
irmão Luiz Fernando Roxo,
investimentos, mercado financeiro
pensando a filosofia de
e educação financeira. É autor dos
investimentos e sua relação com as
pessoas, com o tempo e com a vida.

poder do temp

pela Infomoney e
Opções no USA e Papo de Opções
pelo canal Luiz Fernando Roxo. É
referência no Brasil em Riqueza

criado por Nassim Taleb.


nota de
agradecimento.
Agradecemos ao Ricardo Celestino
Alves e a toda a turma da Zeneconomics, em
especial ao seu CEO, nosso irmão Luiz Afonso
Roxo. Agradecemos a todos da equipe
infomoney.
índice.
1. Faça cada vez menos o 8. Barbell e balanceamento
que te deixa cada vez mais dinâmico.
fraco. 9. A exposição convexa
2. Existe opção. positiva.
3. Repita como rotina o que 10. Operações que se.
te deixe mais forte. comunicam e se beneficiam
4. Existe opção de vários entre si.
tipos. 11. Opcionalidade da vida.
5. Pagar de canequinha para 12. Balanceamento dinâmico
ganhar de balde. convexo positivo e o espaço-
6. Existe o mercado de tempo, a consciência, os
opções. recursos no tempo de vida e
7. Os três estados, a as pessoas que se
importância da liquidez e a comunicam e se beneficiam
nossa classificação de entre si.
alavancagem.
INTRODUÇÃO.
A opcionalidade é uma forma de viver. Ela te traz uma nova
visão de mundo. Uma nova forma de se relacionar com o que
chamei de espaço-tempo-consciência. A experiência humana atual.
Se conhece o mercado financeiro e às opções, este livro terá
partes redundantes para você. Você sabe a importância da
redundância.
Se não conhecem a fundo o mercado financeiro:
Sejam bem-vindos!
Seu mundo poderá não ser mais o mesmo.
Busco aprender com a dor e com as experiências prazerosas
também.
Busco altas dimensões, dinâmica e, em vez de apenas ações,
interações.
Vou te emprestar minha forma de enxergar.
Se você está buscando, te convido a compartilhar comigo!

Deslize e evolua!
capítulo 1.

faça cada
vez menos
o que te deixa
cada vez mais fraco.
-----------------
-----------------
-------
Já que o tempo se torna hábito, melhor que sejam bons
hábitos.

Quer ser melhor ainda? Continue lendo.

Você já viu as pessoas da Cracolândia? Tipo zumbi vivendo


pra consumir doses, pancadas de sensações neuro sinápticas,
químicas invadindo cada pedaço do corpo, mexendo com tudo e

Aversão, inconformismo, desprezo, qualquer dessas reações


que você tenha tido vendo a cena acima, é compreensível, mas o
que eu quero é que você entenda, nós também somos assim! Bicho
gente pensante, consciências em corpos que pedem mais. E mais.

somos complexos!

A dopamina é uma bomba na gente! O próximo punch!


Existe um sistema de recompensas que vem sendo estudado
há muito tempo e tem tudo a ver com a pirâmide das necessidades
básicas, imaginada pelo Maslov.

Hoje, a ciência neuroquímica avançou e sabemos o que já


desconfiávamos faz tempo: a gente vicia fácil.
O sistema mesolímbico-mesocortical existe na área segmental
ventral (ATV) do encéfalo, o núcleo accumbens, a amígdala, o
hipocampo, o córtex pré-frontal, giro do cíngulo e o córtex
orbitofrontal atuam o tempo todo, estimulando comportamentos
que levem nossa espécie a manter-se no game da vida.
Estimulando a comer, a nos proteger, mesmo que para isso seja
necessário atacar, sexo pra espalhar genes e cópias de si pra todo
lado e as sensações de prazer e satisfação que se tornam todo um
sentido e nos levam aonde queremos estar. No êxtase eterno.

Cuidado, bicho! (bicho não é gíria por aqui não)

Peter Milner e James Olds, em 1953, fizeram um


experimento colocando eletrodos no encéfalo de ratos e uma
alavanca no canto da gaiola, cada vez que os ratos mexiam na
alavanca tomavam um punch elétrico bem no meio das ideias.

Eles achavam que os ratos teriam aversão e evitariam a


alavanca, mas erraram o lugar do eletrodo e os instalaram no
sistema mesolímbico-mesocortical, resultado: os ratos ficaram
instantaneamente viciados na sensação disparada e apertaram a
alavanca mil vezes em dez minutos. Eles se matariam apertando a
alavanca.
A gente não é rato, mas gente come, busca sexo, se entorpece
de dopamina.

A dopamina é uma substância análoga às catecolaminas,


como a adrenalina e a noradrenalina, ela tem a ver com nossa
parte motora, memórias, a maneira que experimentamos a
cognição, sensações corporais, humor e emoções. Entre outros
aspectos, aqueles mesmos do punch!

Antes de passar ao resumo do próximo capítulo, que será


introdução ao mundo das opções financeiras, vou te lembrar do
que está escrito lá em cima:

“faça cada vez menos o


que te deixa
cada vez mais fraco”.
E vou te listar, por enquanto, apenas os alimentos que são
lotados de substâncias que mexem com nosso sistema
dopaminérgico de recompensas. Para enxergamos melhor nosso
inimigo interno, na versão completa do livro vou te mostrar os
hábitos que nos viciam e nos enfraquecem. Pelos alimentos
listados, já dá para sentir o drama, então, tire a conclusão por você.
Os alimentos que chacoalham nosso sistema de recompensas
disparando sensações dopaminérgicas, entre outros, são:

Sorvetes, doces, batata frita, chocolates, bolachas e cookies,


chips, bolo com cobertura, macarrão, biscoitos de todo tipo, pães.
capítulo 2.

existe
opção.
-----------------
Quer entrar nesse tabuleiro?

Imagine uma pessoa sem opções.


Imagine uma pessoa com opções.
Outra com muitas opções.
E, finalmente, uma pessoa com muitas opções que custaram
barato e que valerão muito mais.

Se pudesse escolher, você se enquadraria em qual desses


cenários?

Aliás, em qual você se encontra agora?

Deste ponto de vista: liberdade = oportunidade de escolha.


Liberdade = opção.

Com a parte técnica deste livro, pretendo lhe mostrar opções


usando uma sequência de ilustrações, lógica e informações úteis
para suas escolhas pela riqueza, pela saúde, pelo aproveitamento
ótimo do tempo, por conhecer per si e a si mesmo, respirando
plena vida e potência.

A parte não técnica deste livro serve para o exercício da parte


técnica, a parte técnica servirá para sua vida toda.
Serei tão simples quanto consiga.

Desde a primeira vez que alguém pagou (quê, quando e


quanto terá sido?) a precificação se tornou um fenômeno

vamos entender transferir a posse de certa quantidade de alguma


coisa para receber certa quantidade de outra coisa.

Somos seres comunicativos e verbais, em sua obra ,


o historiador Yuval Noah Harari mostra como o Homo Sapiens
Sapiens se difere por viver imaginação como realidade e por poder
comunicar em detalhes cada detalhe, inclusive comunicar como se
fosse verdade algum fato não comprovado, ou, ainda mais
fantástico, criar fatos e os comunicar até que certos destes fatos
tomem de fato alguma medida de verdade.

Preços são imaginados e convencionados, pessoas jurídicas


são imaginadas, empresas são pessoas que as pessoas criaram e
acreditaram, o mercado é todo fruto da organização fantástica das
faculdades do Sapiens.

Se existe é porque perpetuou. Se perpetuou é porque supre


necessidades. Serve.
O ser humano tinha dois caminhos, um seria organizar
regras fixadas por alguém ou algum órgão que detivesse toda a
liberdade nas mãos, outro seria organizar regras estabelecidas
pela maioria, deixando ao indivíduo certas medidas oscilantes de
liberdade.

O mercado, entidade que ganha personalidade, persona Mr.


Market, serviu a muitas necessidades até aqui. Se perpetuou e, por
isso, exercemos nossas medidas oscilantes da liberdade de pagar o
preço.

A revolução agrícola-pecuarista levou aquele Sapiens ora


caçador e coletor a se tornar um acumulador, a abandonar a
condição nômade e virar um defensor de territórios e estoques,
finalmente nos levou a caçadores ou negociadores de incertezas e
de campos e estoques alheios.

O preço é a primeira camada deste oceano imaginado e


acreditado, gerador de crédito, as marés e os ventos têm vocação
óbvia para metáforas de mercado.

Futuro dono de tudo, a segunda camada é o tempo. É aquela


que leva um sistema simples a se tornar um sistema dinâmico
complexo. Matematicamente falando.
Se Albert Einstein nos estarreceu com a verdade de que a
gravidade e o peso nunca foram o que pensávamos que fossem e
que a realidade é que vivemos mergulhados em um tecido
chamado espaço-tempo, pois no mundo-mercado existimos
navegando as ondas do preço-tempo.

As possibilidades estão aí, no próximo tempo o próximo


preço. Se há tempo, há vida, há Sapiens, há negócios. Pagamos pra
ver!

A terceira camada é a volatilidade. A emoção. A reação.


Somos nós. A resultante de nossos anseios frente ao preço e ao
futuro. Certeza e incerteza. A volatilidade se relaciona ao volume

futuros possíveis. Se o mercado é abstrato, imaginado, a terceira


camada é a abstração da abstração, é imaginar aonde estará este
preço imaginado em um futuro imaginado e reagir, já gerando,
nessa conta muito louca, o preço presente de um tempo frenético
de milhões de mentes se relacionando mundialmente no maior

Jogado? Vivido em rede, real time, o mercado rege o mundo


porque rege a transferência de posse e a posse ainda é poder,
poder só não controla o tempo, por enquanto.
Ouvi dizer que o primeiro dado foi gerado (jogado?) no japão
(digo dado como data, fato, registro de preço no tempo), por causa
do comércio de arroz entre samurais, o arroz era a recompensa
dos samurais, o salário deles, alguns tinham sobras, as sobras

Grécia gerou o mesmo evento histórico e a famosa mania das


tulipas foi o primeiro boom and crash a cicatrizar nossas emoções
coletivas no preço-tempo, jamais esqueceremos.

Em Londres e depois nos USA as regras de mercado foram se


estabelecendo e a rede mundial de negociações nascendo e se
sofisticando.

As opções surgiram para garantir preços no tempo.

Até que as próprias opções se tornaram uma nova divisa, elas


mesmas objetos de transferência de valor.

Durante cento e vinte anos foram consideradas ilegais na


bolsa de Londres, beiraram a ilegalidade por muito tempo e hoje
são um mercado regulado dentro do mercado, que move bilhões e
bilhões de dólares anualmente e crescendo cada dia.
Surgiram para garantir que se pudesse vender ou comprar
alguma coisa por um preço determinado/fixado durante um tempo
determinado.

Por exemplo: por noventa dias eu darei o direito


a alguém de comprar meus tomates por R$ 10,00 o
quilo, não importa o que passe, aonde vá parar o
preço. Por dar esse direito cobrarei um prêmio de R$
3,00; caso desistam de me comprar os tomates pelos
R$ 10,00 o quilo ganharei os R$ 3,00.

Esse direito, registrado, foi chamado de e passou,


com o tempo, a ser ele mesmo vendido e re-vendido, flutuando no
preço-tempo, como fruto derivado das emoções e das reações dos

Se você compra opções, adquire dias de possibilidades. Se


você vende opções, também.

As opções derivam das ações.

No próximo capítulo técnico vou lhe mostrar, mais devagar,


como funciona o mercado das opções e como participamos dele.
capítulo 3.

repita como rotina


o que te deixe
cada vez mais forte.
-----------------
Ainda quer ser melhor? Continue.

Para contextualizar àqueles que gostam de conhecer por si e


a si, verificar fontes, referências, e ampliar o repertório cognitivo,
antes de iniciar o capítulo, deixo citado:

● Estoicismo
● Sêneca
● Taleb

Viver no espaço-tempo nos leva a acumular experiências na


consciência. Dados de sensações que todo o organismo envia ao
encéfalo e recebe dele.
Esses registros se tornam a fonte de nossas reações, atitudes
e postura de viver. Nossas reações, atitudes e postura são
resultantes de registros sensoriais conscientes e inconscientes, e
enquanto extrema velocidade do funcionamento do nosso
organismo, existe a possibilidade de atravessarmos o espaço-tempo
reagindo, decidindo e convivendo sem sequer percebermos como e
porquê estamos reagindo, decidindo e convivendo assim.
Algo similar a viver por impulsos em um estado
semiconsciente. Falando no popular, é viver errante, reativo e com
o automático ligado.
respira. sinta.
olhe. pare um pouco.
escute. perceba.

A homeostase está a mil, pulsando, jorrando, choques,


tremendo, fremindo, range, aperta, abre, evapora, encharca, troca.
Seu corpo é vivo!
Você vive consciente do que é a sua vida?
Tá ligado!?
Ou tá desligado!?

desperta!

Tome o rumo das suas reações, das suas atitudes e decisões.


Perceba qual é a manifestação da sua força de presença e
como você expressa a sua potência de vida.
Desperte e enxergue as verdades.
O que é você?
Quem é você?
O que você está fazendo?
Para onde está indo?
tudo que você decide tudo o que você faz
e faz explode repercute em milhões
processos de reações de outras pessoas
em cadeia no agora e no futuro e
espaço-tempo continua
contínuo. repercutindo

perenemente.

Lembre do subtítulo: ter maiores vantagens que


desvantagens, sobreviver e vencer.

Esse subtítulo é bastante sério. Traz uma responsabilidade


para quem o compartilha, como eu.

Gosto de colocar a minha pele em jogo, então tudo o que falo


aqui é porque pratico há tempo suficiente para ter certeza.

No livro completo vou te dar sequências das rotinas que vivo,


como exemplos para que você monte o seu setup de uso excelente
do espaço-tempo-consciência oferecido pela vida.
O tempo é todo fractal de si mesmo e nós o organizamos em
ciclos, são segundos, minutos, os dias, meses, anos e conjuntos de
anos.

Toda ação tomada, após lançada, se desenvolve no tempo.


Consequências ricocheteiam em variáveis tantas, que palavras
como complexo, dinâmico, ergódigo, infinito, surgem na cabeça
dos matemáticos que procuram descrever a vida na linguagem
essencial.

Use os ciclos do tempo a seu favor.


Conheça seu corpo e cultive-o.
Amplie sua consciência.
Enxergue com calma e precisão.

Conheça as pessoas, os corpos das pessoas, compartilhe sua


visão com calma e precisão.

Cultive, viva.

No livro completo vamos ver como é isso e como é fácil


acelerar com segurança no aprimoramento constante, o desfrute.
Imensurável valor da vida.
capítulo 4.

existe opção de
vários tipos.
-----------------
Outro dia compramos opções da empresa Vale do Rio Doce a
R$ 0,03 e vendemos a R$ 0,18, poucos dias depois.
Isto é frequente.
Simulando: se você tivesse comprado R$ 500,00 dessa opção e
vendido junto conosco, teria ganho, em poucos dias, mais de R$
2.000,00, tirando todos os custos operacionais.
Vocês gostariam de ganhar esse dinheiro?

Bem-vindos.

No mercado existe opções de compra e opções de venda.


As opções de compra dão ao lançador o dever de vender ações
por um preço determinado durante um período estipulado de dias,
independente da oscilação da cotação. A quem compra essas
opções, o titular, dono delas, dão o direito de comprar por certo
período, a um preço determinado. As opções são negociadas,
podem ser compradas e vendidas enquanto houver comprador
interessado e enquanto existirem, pois elas têm vida útil.

As opções de venda dão ao lançador o dever de comprar


ações por preços fixados e ao titular, quem comprou essas opções
de venda, o direito de vender pelo preço fixado.

No caso acima, compramos opções de compra da Vale do Rio


Doce a R$ 0,03 e, alguns dias depois, vendemos a R$ 0,18.
Ganhamos mais de 300% sobre o dinheiro que usamos no trade,
tirando todos os custos.

Quando ocorre alguma tragédia, como por exemplo o


rompimento de uma barragem desta mesma empresa, é esperada
uma baixa aguda nos preços das ações. Se você tivesse comprado
opções de venda antes de uma tragédia assim, exerceria o seu
direito de vender as ações pelo preço anterior ao movimento de
queda aguda, tendo até a possibilidade de comprar ao preço mais
baixo e vender dentro do período natural da transação, exercendo
seu direito, ou seja, compraria no preço mais baixo tendo já
vendido no preço mais alto. Claro que, nesta situação, você estaria
em um dilema: enquanto as pessoas estivessem sofrendo uma
tragédia, teria protegido seu capital e ainda auferido porcentagens
enormes de ganho.

É um exemplo real, muitas pessoas passaram por esse dilema


na história recente do país.

As opções têm um preço alvo, elas justamente dão o direito a


fixar uma das camadas do mercado, que é a camada do preço e,
neste aspecto, podem ser divididas em três classes.

O preço alvo, em inglês se diz strike.


Com relação ao strike, as opções podem ser:
1. Dentro do dinheiro: quando a ação está mais cara do que o
strike da opção de compra e mais barata do que o strike da
opção de venda.

2. No dinheiro: opções com strike igual ao preço da ação.

3. Fora do dinheiro: quando a ação está mais barata do que o


strike da opção de compra e mais cara do que o strike da
opção de venda.

caso tenhamos a opção de compra, porque vamos comprar a ação


mais barato e vender mais caro. Se é uma opção de venda dentro
do dinheiro, poderei exercer, porque terei o direito de vender mais
caro comprando mais barato.

Se está no dinheiro, vou esperar o passar do tempo e caso a


ação suba de preço e eu tenha a opção de compra, vou exercer,
comprar mais barato e vender mais caro. Caso eu tenha opções de
venda e a ação caia, vou exercer, porque poderei vender mais caro,
comprando mais barato.

Sendo fora do dinheiro, vou esperar uma oscilação mais


aguda e até uma reversão, se tenho a opção de compra e as ações
sobem muito, ela (opção de compra) entra no dinheiro, e me dá a
possibilidade de comprar mais barato e vender mais caro, no caso
da opção de venda, se as ações caem muito, exerceria meu direito.

Mas o lance aqui é que eu não preciso levar a exercício, ou


seja, usar meu direito adquirido com a opção. Eu posso comprar e
vender a própria opção, antes dela ir a exercício. Claro, porque elas
valem e variam de preço.

Este foi o caso que te contei lá no começo do capítulo. Lá,


compramos opções de compra da Vale do Rio Doce, muito fora do
dinheiro, ou seja, de preço strike muito mais alto do que estava
valendo a ação naquele momento, mas ocorreu algo e as ações
subiram e o valor daquelas nossas opções dispararam e nós as
vendemos, multiplicando enormemente nosso dinheiro usado na
operação.

opções,
me referindo ao jargão da bolsa quando a opção não dá exercício
(quando o tempo de vida dela acaba e ela morre na sua mão porque
a ação está naquele momento mais barata que o strike em caso de
opção de compra e mais cara no caso da opção de venda). É comum
dizer que a opção virou pó na sua mão.
Perdeu todo o valor, terminou seu prazo e morreu virando pó.
Milhares de pessoas me acompanham todos os dias e
puderam ganhar bastante grana comprando pozinhos de opções.

Depois do resumo do próximo capítulo, você vai começar a


ver opções em tudo. Se prepare para ter maiores vantagens que
desvantagens.
capítulo 5.

Pagar de
canequinha
para ganhar de
balde.
-----------------
Imagine um pequeno barco a deriva no mar aberto. Você está
nesse barquinho. O oceano é assustador. Muito extenso. As
flutuações não cessam. Venta, ora forte, ora para. Pode chover a
qualquer momento.

Imagine um furo no casco e a água que entra com


insistência, você se aflige. Pouco a pouco afunda.

Duas cenas:

Na primeira o furo é grande, a água entra aos baldes. Na sua


mão, uma canequinha. Por mais que se esforce, freneticamente
tirando a água para fora, você tira água de canequinha, mas ela
entra de balde.

No segundo, o furo é pequeno mas a água entra sem cessar.


Na sua mão um bom balde, você tira a água de balde, enquanto ela
entra de canequinha.

Dá para imaginar?

A estatística normal foi muito usada como parâmetro para


definir estratégias de investimentos no mercado financeiro. A
estatística foi usada para tentar prever e tomar decisões valendo-se
do estudo das probabilidades.

Tentar prever foi um dos parâmetros centrais para


determinar filosofias de investimentos.

Aqui não estou para interferir na sua filosofia de


investimento. O que posso fazer é comentar o que aprendi na pele
e depois estudei, procurando a forma de me expor nessa ventania
para sobreviver e vencer.

Já são vinte e três anos de mercado, como uma fênix


ressurgindo três vezes, sinto que aprendo todo dia.

Pathemata mathemata é uma máxima que pretende


condensar as lições que a dor traz. A dor que norteia o
aprendizado, ou o aprendizado norteado pela dor. Essa máxima foi
comentada pelo filósofo matemático e investidor líbano-americano,
.

Até o momento, considero Taleb o pensador mais potente


vivo. Lhe atribuo importância maior.
Gosto de pensar e agir tendo na cabeça certos formulados que
a dor me ensinou, como pathemata mathemata. Vou compartilhar
alguns com você:

● Acredito que não existe nível seguro de alavancagem suja


(tipo 2) ou tóxica (tipo 3).
● Procuro atuar evitando as previsões de qualquer espécie
como fator predominante na tomada de decisão.
● Mudo de opinião sempre que sou matematicamente
convencido de que estou equivocado.
● Aprecio a volatilidade.

Considerar algo tão provável como certo e gastar uma


quantidade enorme de recursos, para conseguir ganhos
percentualmente pequenos, mas tão prováveis como certos, é
pagar de balde para ganhar de canequinha.

Pior ainda é quando, assumindo o que é estatisticamente


muito provável como se fosse certo de acontecer, ou seguro, além
de dispor e movimentar grande quantidade de recursos próprios,
toma-se recursos alheios emprestados e os dispõe, se expondo aos
riscos ocultos na normalidade aparente.

Ganhos normais, expostos a riscos lognormais.


do turfe. O cavalo barbada é aquele que provavelmente ganhará a
corrida. Em contraposição ao cavalo barbada, existe o cavalo
e perderá a corrida.

Pela distribuição das apostas, a vitória do cavalo barbada dará


ao seu apostador um prêmio menor quanto mais apostas nele
tenham sido feitas, como ele é o barbada, o número de apostas é
normalmente muito maior do que as apostas feitas aos demais
cavalos.

O azarão, desacreditado, recebe poucas apostas, portanto, caso


o improvável aconteça e ele ganhe, sua vitória dará ao apostador
um prêmio maior quanto menor a quantidade de apostas nele
feitas.

Dilema: apostar muito para ganhar pouco, mas


provavelmente ganhar, correndo risco de perder tudo; ou apostar
pouco, mas sempre, para eventualmente ganhar muitíssimo
naquele dia em que o improvável acontecer, arriscando o mínimo?

Aqui temos a questão intrigante.


Todo este assunto tem relação direta com as opções do
mercado financeiro e a maneira de tomar decisões. A maneira de
se expor.

Tem a ver com os conceitos matemáticos da assimetria, da


convexidade, tem a ver com a opcionalidade.

Procuro pagar de canequinha para ganhar de balde e para


isso uso as opções no mercado financeiro.

Em 2018, algumas operações deram inacreditáveis mil, dois


mil, três mil por cento de lucro, com riscos mínimos e limitados e
aportes ao alcance de todos.

como se expor de forma convexa positiva, evitando a assimetria de


risco negativa.

Vamos conhecer melhor as opções que temos?


capítulo 6.

existe o
mercado de
opções.
-----------------
No site da B3, podemos encontrar informações como esta, aí
abaixo:
O exercício de opções sobre o Índice Bovespa (Ibovespa)
movimentou, no dia 17 de abril de 2.019, R$ 7.498.470.000,00,
com 80.180 contratos negociados. Do volume de operações
exercidas, R$ 601.972.000,00 referem-se a opções de compra e R$
6.896.498.000,00 a opções de venda.
Os contratos com maiores volumes:

● Série a 97 mil pontos movimentou R$ 1.223.267.000,00


em opções de venda;
● Série a 93 mil pontos movimentou R$ 1.838.703.000,00
em opções de venda;
● Série a 94 mil pontos movimentou R$ 1.124.334.000,00
em opções de venda;
● Série a 95 mil pontos movimentou R$ 955.130.000,00
em opções de venda;
● Série a 96 mil pontos movimentou R$ 923.616.000,00
em opções de venda.

Desse monte de grana aí teve dinheiro meu, de muitos


amigos e mais um monte de pessoas, empresas, grandes players,
bancos, gente do mundo inteiro.
Esse mercado está em crescimento e, nos Estados Unidos, por
terem iniciado há mais tempo, já está em estado de maturidade e o
tamanho é muito maior, diversificado e líquido, propiciando
oportunidades reais de ganhos e proteção de portfólio.
Começamos uma comunidade por meio do facebook e do
whatsapp, que já reúne a centenas de pessoas operando de forma
estruturada e consistente.

Nossas comunidades poderão aumentar a liquidez,


favorecendo o próprio mercado brasileiro e a própria comunidade.
As operações possíveis para proteção e ganhos aumentam no
país gradualmente.

É, também, cada vez maior, o número de operadores


brasileiros que diversificam suas operações para o mercado norte
americano e nós também participamos ativamente deste
movimento, analisando constantemente nossas operações nas
bancas estadunidenses.

Houve quem chamasse ao mercado norte americano de


Disneylândia das opções.

Não estamos brincando, como quem brinca na Disneylândia,


mas para um operador que acompanha o processo de formação do
mercado brasileiro de opções, mergulhar na realidade norte
americana costuma trazer satisfação e até espanto pela quantidade
de ferramentas disponíveis, pela liquidez e pela diversidade de
opções e vencimentos de tantos tipos, que é inevitável quase
divertir-se, quase sorrir.

Descobrir novas opções, aumentar a liquidez, poder


estruturar operações é muito bom para quem gosta do assunto e o
pratica com conhecimento e experiência.

Estamos, de certa forma, participando ativamente do processo


de maturidade e desenvolvimento das opções no Brasil.
Somos já uma comunidade internacional, uma comunidade
coesa e, se a competição é saudável e amigável, compartilhar
resultados e aprendizados, compartilhar operações bem sucedidas
e as fracassadas também, trocar respostas a dúvidas, novas
descobertas, maneiras de operar, avaliação de ferramentas, nos faz
gerar conhecimento e rendimento.

Somos muitos os que trocamos data, somos abertos a


compartilhar e conviver.

Se, às vezes, discordamos, o fazemos de modo saudável.

O que nos deixa bravos são aqueles que fazem propaganda


mentirosa, os que enganam as pessoas, os que se aproveitam dos
novos que entram no mercado, os que são irresponsáveis na
convivência. Os que transferem fragilidade para se fortalecer e
ganhar.

A esses não fazemos questão de falar com modos.


Somos tantos, que não deixamos passar em branco.
Soltamos o verbo e temos opinião, porque temos opção.

Estamos nos desenvolvendo junto com o mercado, somos


parte pulsante dele.

Se quiser se juntar, construa seus méritos, meta as caras,


estaremos aí para continuar crescendo, alicerçando, protegendo e
ganhando.

No livro completo vamos esmiuçar os números daqui do


Brasil e os numbers de lá dos USA, as ferramentas e as anedotas
das tantas situações reais que servem de lição, veremos os gráficos
e as curvas.
Falarei mais sobre o mercado, e sobre gente.
capítulo 7.
Vamos em frente!

os três estados, a
importância da
liquidez e a nossa
classificação de
alavancagem.
- .- - - - - - - - - - - - - ---
quero entrar, mas também quero sair.
quero entrar e sair, entrar e sair.
entrar e sair variando a intensidade.
potência.
entrar e sair variando a velocidade.
sair e entrar em quantidades variáveis.

Saber quando entrar, e saber quando e como sair!

Estava falando das nossas comunidades e de como


interferimos, formando mercado.

Um dos pontos a formar é a liquidez.

Cada um que vende, que compra, lança, afeta a liquidez,


fluidifica.

Precisamos de liquidez!
Muita gente se pergunta quais a melhores opções. Não tem
como responder a isso sem falar de liquidez.

O conceito de liquidez é tomado da física.


Uma coisa líquida, água. Um rio por exemplo, é fluido, é
rápido. Vai e vem, dinâmico, o mercado ideal deveria ser corrente,
fluido e rápido.

Líquido é aquele mercado que dá muito negócio.


Comprar e vender fica fácil e muito mais seguro.

Liquidez é a facilidade e a velocidade de transformar qualquer


ativo em dinheiro vivo.
O grau de agilidade de conversão de um investimento, sem
perda significativa de seu valor, mede a liquidez.

Para acelerar precisa de liquidez.


Você entra e sai.

se usa para medir quantidades de líquido por espaço.

Quanto maior o volume, quanto mais líquido, melhor para


todos, os custos e alguns riscos caem.

O volume da liquidez aumenta quando há um grande número


de negociações.

Quando o mercado fica concentrado em poucos papéis e


opções, como é o caso da Petrobras no Brasil, dizemos que a
liquidez empossou naquele ativo ou ativos.

A liquidez do mercado das opções brasileira é tão empossada


em PETR4 que este é o papel com maior liquidez para opções do
mundo.

Esse papel apresenta certos padrões e ciclos que são ótimos


para operar opções de PETR4 e com grandes chances de gerar
ganhos frequentes e crescentes no tempo.

Por aqui temos outros ótimos papéis para operar opções, mas
se não houver liquidez não dá para entrar e sair nas variações de
tempo e preço que desejamos.
Existe 4 tipos de risco no mercado financeiro, risco de
mercado, risco jurídico, risco de inadimplência e o risco de
liquidez.

Você vai querer comprar e não vai ter ninguém vendendo.


Vai querer vender rápido e ninguém aparece comprador.

Neste capítulo do Opcionalidade é que eu vou falar dos três


estados e vou também descrever melhor a classificação de
alavancagem que criei, os três tipos de alavancagem:

A alavancagem do tipo I, que é a opcionalidade.

A alavancagem do tipo II, a alavancagem SUJA, que é tomar


dinheiro emprestado para operar e a alavancagem do tipo III, a

Formamos o mercado, o afetamos. Somos mais liquidez!


capítulo 8.

barbell e o
balanceamento
dinâmico.
-----------------
Barbell é peso de halterofilismo em inglês.
Halter.
A imagem aqui é assim:

O peso está nas extremidades.


Nada no meio.

Esse termo foi usado pelo Taleb para descrever uma filosofia
de investimento que coloca todo o peso nas extremidades. Sendo
um extremo, o conservador, e o outro o agressivo.

Em um extremo, o que seja seguro por certo, e no outro, o


incerto.

Em uma visão do mundo financeiro, barbell não tem nada no


meio. De um lado, o recurso está em algo extremamente seguro e
do outro lado no extremo volátil.

Para pagar de canequinha e ganhar de balde, é preciso ver o


mundo de forma barbell e saber quais são os extremos que pagam
melhor e que te dão mais liquidez.

Outro ponto importante demais é a dinâmica entre os dois


pólos da sua alocação.

Como vasos comunicantes!


No capítulo anterior, falamos de mecânica dos fluidos, não?

Dinheiro é líquido, para a gente!

E esses dois extremos se relacionam como vasos


comunicantes que variam de altura, ora um é colocado pro alto e o
dinheiro derrama.

Dá para entender a imagem formada?

Vamos lembrar que estamos navegando, afinal se trata de


líquido, lembra como os oceanos e os ventos são metáforas óbvias
para o mercado e os sobe-e-desce no preço-tempo?

Pois a questão aqui é derrame.

Derrame entre as pontas do barbell, do peso que está nas


extremidades. As pontas do patrimônio investido.

O derrame é dinâmico porque o balanceamento é dinâmico.


Misturei duas noções para compor a filosofia de investimento
que estou te mostrando.

Estou falando dos meus segredos.

Não conte para ninguém.

A noção do balanceamento dinâmico é mais antiga, Benjamin


Graham, que foi o professor dos donos da Coca-Cola, dos donos da
Microsoft e do Warren Buffett, já fazia e ensinava balanceamento
dinâmico décadas e décadas atrás. Ele foi o professor das pessoas
mais ricas do mundo, em seu tempo, quando essas pessoas
tiveram aulas com ele, ainda não eram as pessoas mais ricas do
mundo.

título por causa dele.

Sobre o balanceamento dinâmico alguém disse: (creio que foi

interpretando, e não parafraseando):

“Era algo tão simples,


tão direto e óbvio, que me
dava vergonha de ensinar,
porque eu pensava que
as pessoas iriam me dizer:
mas… é isso? É só isso? E me
tomariam por simplório”.
A outra noção é o halter do Taleb, o Barbell.

A noção de nada no meio do Taleb tem influência grande do


impacto do altamente improvável e da cauda longa, a distribuição
de potência.

Aliás, vocês viram que potência é uma palavra que repetimos


tantas vezes e nem sequer estamos falando de filosofia do Spinoza,
nem da visão de mundo do Nietzsche.

Liquidez, potência, taxa de derrame, assimetria e convexidade


positiva são conceitos chaves.

Temos nosso patrimônio dividido em extremos, de um lado o


mais seguro, do outro o mais incerto, com a volatilidade, essa
relação oscila tal como em vasos comunicantes, as porcentagens
oscilam com os rendimentos e taxas de juros de um lado e, do
outro, com o preço. Derramamos do lado ganhador ao perdedor.

Fui simples?

No livro falarei das taxas de derrame e dos tipos de ativo para


cada ponta.
capítulo 9.

Exposição
convexa positiva.
-----------------
Você vê?

Beleza?

Convexidade é o oposto de concavidade. Perdão ser óbvio. A


redundância é importante.

A curva de sino Gaussiana parte do estudo da distribuição


normal, da qual falei no capítulo cinco, é assim:
Um sorriso, smile! Sorria! É assim:

A grosso modo.

Acredito que procurar viver em exposição positiva convexa é


dar sopa para a sorte.

As operações que buscamos desenham, muitas vezes, gráficos


com forma de sorriso em diversos ângulos e decaimentos distintos.

Tudo isso tem relação com simetria, simétrico e assimétrico.

Gostamos de assimetria, dizem que a simetria tem relação com


beleza. Beleza é uma antiga discussão.

Acho bela uma curva positiva convexa.


Quando menciono assimetria, estou querendo falar sobre risco.

Assimetria positiva de risco é essa da convexidade, a essa


queremos nos expor. Falo na terceira pessoa do plural porque esse

Assimetria de risco é pegar o pior contra o melhor e ver a


relação de peso entre eles.
Ultrapassagem na estrada da serra Minas-Rio, ponto cego na
curva, de dia, não dá para ver o farol de quem vem, a velocidade é
alta e o espaço pequeno.

Mando ver, piso fundo no pedal na curva da subida e seja o que


Deus quiser, tenho certeza de qu
ninguém do outro lado.

Pausa!

Qual é o melhor resultado possível?

Chegar alguns minutos mais cedo na outra cidade.


Qual o pior resultado possível?

Perda total, morte. Game Over.

Veja que a palavra usada foi: melhor/pio

O pior é muito pior do que o melhor é melhor, neste caso.


Isso é assimetria negativa de risco.
Definitivamente é uma decisão ruim assumir esse risco por
esse prêmio.

Imagine você o gráfico dessa decisão, como seria..?

Existe uma quantidade grande de operações, e de relações


entre as operações e outros investimentos, que apresentam uma
assimetria positiva de risco e que desenham uma evolução convexa
positiva, na vida também há como procurar se expor de forma
convexa positiva e aumentar suas opções que custam pouco e
podem render ilimitadamente.

A lista das operações que usamos para uma exposição convexa


positiva, com assimetria de risco favorável, que apresentem liquidez
e possibilidade de diversificação está no próximo capítulo.
capítulo 10.

operações que
se beneficiam
entre si.
-----------------
Neste capítulo do livro e-book OPCIONALIDADE resumo-versão
gratuita, vou listar as operações e alocações.

Na versão final do livro vou detalhar cada uma e te mostrar as


inter-relações e os porquês delas se beneficiarem entre si, também
vou dar conselhos práticos e contar experiências que vão te fazer
evitar passar calor desnecessário.

Dinheiro D+0 para comprar.


Renda Fixa de alta performance - liquidação D+3, máximo.
Purple Ratio.
Calendário.
Compra de pozinho de opções, fora do dinheiro e muito fora
do dinheiro.
Straddle.
Straddle Sintético.
Seguro de carteira - venda.
capítulo 11.

opcionalidade
da vida.

este capítulo é exclusivo da


versão do livro.
capítulo 12.

balanceamento dinâmico
convexo positivo e o
espaço-tempo, a
consciência, os recursos no
tempo de vida e as pessoas
que se comunicam e se
beneficiam entre si.
Este capítulo é a conclusão do livro na versão
completa e é a condensação da minha experiência de
vida até agora.

Um inventário de aprendizados, lição, atitudes,


posturas, micro-regras. Práticas que me fazem
desfrutar da antifragilidade, da assimetria positiva
de risco.

Explosões de inter-relações que se tornam


potentes e geradoras de resultados positivos
ilimitados com riscos bastante pequenos e limitados
no dia a dia.

Convivência e gestão das forças.

Além do sumo da minha esperança para o


futuro, aquilo que ainda estou procurando entender
e as operações, dinâmicas e interações que estou
testando com bons resultados.

Foi muito bom! Deslize, e continue evoluindo


comigo!