Você está na página 1de 27

FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA
PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO

aurelia.pliego@uol.com.br 1
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


CONTAS

CONCEITO DE CONTAS
Conta é o nome técnico dado aos elementos patrimoniais (Bens,
Direitos, Obrigações e Patrimônio Líquido e aos elementos de resultado
(Despesas e Receitas).Além de ser um nome que qualifica os componentes
patrimoniais e os elementos de resultado, a conta é também uma
representação gráfica de todas as ocorrências referentes a um elemento
contábil. Cada conta tem uma ficha ou página de um livro contábil onde são
anotadas todas as suas movimentações. As contas são, portanto, o
instrumento de controle mais importante da contabilidade.

Uma conta para ser completa deve possuir no mínimo os seguintes


elementos:
 Nome (título) da conta;
 Data da operação;
 Histórico da operação;
 Débito (valor);
 Crédito (valor); e
 Saldo.

PLANO DE CONTAS

Para que os procedimentos contábeis sejam uniformes e seu


desenvolvimento resulte em informações úteis e precisas é necessário que
haja um parâmetro de classificação idêntico para todas as operações. O
agrupamento de itens de mesma natureza (tipo) facilita o processo. Cada
agrupamento por tipo é denominado de conta.

Plano de Contas é o agrupamento ordenado de todas as contas que


são utilizadas pela Contabilidade dentre de determinada empresa. Portanto, o
elenco de contas considerado é indispensável para os registros de todos os
fatos contábeis.

Cada empresa, de acordo com sua atividade e seu tamanho (micro,


pequena, média ou grande), deve ter seu próprio Plano de Contas. Um Plano
de Contas, portanto, deve registrar as contas que serão movimentadas pela
Contabilidade em decorrência das operações da empresa ou, ainda, contas
que embora não movimentadas no presente, poderão ser utilizadas no futuro.

Importância do Plano de Contas


Quando uma empresa efetua vendas a prazo, esse procedimento dá
origem a uma conta a receber no futuro cujo valor a receber é conhecido como:
Clientes (são os clientes da empresa que adquirem seus produtos), ou
Duplicatas a Receber (o comprovante da dívida emitido após a venda), ou

aurelia.pliego@uol.com.br 2
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Contas a Receber (são valores a receber).

O Plano de Contas com um único título para cada conta ou único título
de conta para determinada operação evita, portanto, que diversas pessoas
ligadas ao setor contábil (lançadores) registrem um mesmo fato contábil ou
uma mesma operação com nomenclaturas diferentes. Dessa forma, com a
padronização dos registros contábeis, mesmo que haja rotação de profissionais
contábeis, não ocorrerá perigo de falta de uniformidade das nomenclaturas.

Natureza das Contas

O registro contábil é realizado tomando como base o mecanismo das


partidas dobradas. Para um adequado funcionamento da técnica do débito e do
crédito, devemos estabelecer um raciocínio lógico quanto à obediência da
natureza das contas. As contas de Ativos, Despesas e Custos tem natureza
(Devedora), assim sendo ao receber débitos seu saldo aumenta, enquanto que
ao receber créditos seu saldo diminui; enquanto que as contas de Passivos,
Patrimônio Líquido e Receitas tem natureza (Credora), logo, ao receber
créditos seu saldo aumenta, enquanto que se receber débitos seu saldo
diminui.

Ativo - Patrimonial Devedora


Custos - Resultado Devedora
Despesas Resultado Devedora
Passivo Patrimonial Credora
PL Patrimonial Credora
Receitas Resultado Credora

Contas de Tipo Natureza

Cada empresa deve elaborar o seu Plano de Contas sempre obedecendo aos
seus interesses e, principalmente, à legislação pertinente. Atualmente, o Plano
de Contas deve obedecer às disposições contidas na Lei nº 6.404, de 15 de
dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações). A seguir apresentamos,
como sugestão, um Modelo de Plano de Contas.
Logicamente cada empresa deverá elaborar o seu plano de contas mediante
adaptação às suas peculiaridades de operação, necessidades internas,
transações e contas específicas etc.

AUDITORIA E CONSULTORIA LTDA


BALANÇO PATRIMONIAL EM 31/12/20XX

1 - ATIVO - As contas aqui serão dispostas em ordem decrescentes de Grau


de Liqüidez(é o maior ou menor prazo no qual bens e direitos
podem ser transformados em dinheiro) dos elementos nele

aurelia.pliego@uol.com.br 3
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


registrados, nos seguintes grupos:

11 -ATIVO CIRCULANTE - As disponibilidades, os direitos realizáveis no


curso do exercício social subsequente e as aplicações de recursos
em despesa do exercício seguinte.

111 - Disponível
1111 - Caixa
1112 - Bancos c/ Movimento
1113 - Aplicações de Liqüidez Imediata

112 - Direitos
1121 - Duplicatas a Receber
1222 - (-)Duplicatas Descontadas (credora)
1223 - (-)Provisão p/ Devedores Duvidosos (credora)
1124 - Adiantamentos a Fornecedores
1125 - Adiantamentos de Salários
1126 - Contas a Receber
1129 - Impostos a Recuperar
1129.1 - ICMS a Recuperar
1129.2 - IPI a Recuperar
1129.3 - IRRF a Recuperar

113 - Estoques
1131 - Mercadorias em Estoque
1131.1 - (-) Provisão para Perdas em Estoque (credora)
1133 - Importação em Andamento
1134 - Estoque de Material de Expediente
1136 - Estoque de Material de Escritório

114 - Despesa do Exercício Seguinte Pagas Antecipadamente


1141 - Prêmios de Seguro a Vencer
1142 - Assinaturas e Anuidades a Apropriar
1143 - Despesas Pagas Antecipadamente - Publicidades

13 - ATIVO NÃO CIRCULANTE

131 - ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO - Os direitos realizáveis após


o término do exercício seguinte, assim como os derivados de
vendas, adiantamentos ou empréstimos a sociedades coligadas
ou controladas, diretores, acionistas ou participantes no lucro da
companhia, que não constituem negócios usuais na exploração
do objeto da companhia.
1311 - Créditos e Valores

132 - INVESTIMENTOS - As participações permanentes em outras


sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis

aurelia.pliego@uol.com.br 4
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


no ativo circulante, e que não se destinem à manutenção da
atividade da companhia ou da empresa.

1321 - Ações de Outras Companhias


1322 - Participações Controladas-Coligadas
1323 - Imóveis não de Uso
1324 - Aplicações em Ouro
1325 - Obras de Arte

133 - IMOBILIZADO - Os direitos que tenham por objeto bens destinados à


manutenção das atividades da companhia e da empresa, ou
exercidos com essa finalidade, inclusive os de propriedade
industrial ou comercial.

1331 - Imóveis
1331.1 - Terrenos
1331.2 - Edificações
1331.3 - (-) Depreciação Acumulada de Edificações (credora)
1332 - Instalações Comerciais
1332.1 - (-) Depreciação Acumulada de Instalações Comerciais (credora)
1333 - Móveis e Utensílios
1333.1 - (-) Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílio (credora)
1334 - Sistema de Processamento de Dados
1334.1 - (-) Depreciação Acumulada de Sistema de Processamento de
Dados (credora)
1335 - Veículos
1335.1 - (-) Depreciação Acumulada de Veículos (credora)
1336 - Máquinas e Equipamentos
1336.1 - (-) Depreciação de Máquinas e Equipamentos (credora)

134 – INTANGÍVEL – Abrange as contas representativas dos recursos


aplicados em bens imateriais.

1341 - Marcas e Patentes


1341.1 - (-) Amortização Acumulada de Marcas e Patentes (credora)

2 - PASSIVO - No Passivo, as contas serão dispostas em ordem decrescente


do Grau de Exigibilidade (o maior ou menor prazo de
pagamento das dívidas ou obrigações assumidas pela
empresa)

21 - PASSIVO CIRCULANTE - Neste grupo serão classificadas as


obrigações da empresa que têm vencimentos no curso do
exercício seguinte(até 360 dias ou um ano-curto prazo).São os
Capitais de Terceiros.

aurelia.pliego@uol.com.br 5
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO

211 -Fornecedores
2111 - Cia. Alfa
2112 - Cia. Beta

212 - Títulos de Créditos


2121 - Duplicatas a Pagar
2122 - Promissórias a Pagar
2123 - Títulos a Pagar

213 - Obrigações Trabalhistas


2131 - Salários a Pagar
2132 - Contribuição Previdenciária a Recolher
2133 - Fundo de Garantia a Depositar
2134 - PIS sobre Faturamento a Recolher
2135 - COFINS sobre Faturamento a Recolher
2136 - Contribuição Social a Recolher

214 - Obrigações Tributárias


2141 - ICMS a Recolher
2142 - IRRF a Recolher
2143 - IR a Pagar

215 - Contas a Pagar


2151 - Comissões sobre Vendas
2152 - Dividendos a Pagar
2153 - Aluguéis a Pagar
2154 - Participações a Pagar

216 - Provisões
2161 - Provisão para o IR
2162 - Provisão para o 13º Salário
2163 - Provisão para Férias
2164 - Provisão para o IOF
2165 - Provisão para Riscos Fiscais

217 - Financiamentos
2171 - Financiamentos Externos
2173 - Juros a Pagar

22- PASSIVO NÃO CIRCULANTE

221 - PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO - Compreende as obrigações


com vencimentos após o final do exercício seguinte(mais de
360 dias-longo prazo), inclusive empréstimos de sócios,

acionistas, administradores ou créditos de pessoas físicas ou

aurelia.pliego@uol.com.br 6
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


jurídicas ligadas.

2211 - Financiamentos Externos a Pagar

24 - PATRIMÔNIO LÍQUIDO - Reúne as contas que representam as


obrigações da empresa com os proprietários.

241 - CAPITAL
2411 - Capital Social
2411.1 - (-) Capital a Integralizar (devedora)

242 - RESERVAS DE CAPITAL


243 – AJUSTES DE AVALIAÇÃO DE PATRIMONIAL
244 - RESERVAS DE LUCROS
245 - LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS
2451 - Lucros Acumulados
2452 - (-) Prejuízos Acumulados (devedora)

AUDITORIA E CONSULTORIA LTDA

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/20XX

Receita Operacional Bruta de Vendas


Vendas à Vista
Vendas a Prazo
Vendas no Mercado Externo
(-) Deduções da Receita Bruta
Descontos Incondicionais
Abatimentos Concedidos
Vendas Canceladas
ICMS s/ Vendas
(=) Receita Operacional Líquida de Vendas
(-) Custo das Mercadorias Vendidas
CMV
Custo dos Produtos Vendidos (CPV)
(=) Lucro Bruto
(-/+) Despesas/Receitas Operacionais
(-) Gerais e Administrativas
(-) Administrativas
(-) Honorários dos Administradores
(-/+) Financeiras
(+) Receitas Financeiras
(-) Despesas Financeiras
(+) Outras Receitas Operacionais
(-) Outras Despesas Operacionais
(=) Resultado Operacional
(-/+) Despesas/Receitas não Operacionais

aurelia.pliego@uol.com.br 7
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


(+) Receitas
(-) Despesas
(=) Lucro Líquido antes do IR e CSLL

DESPESAS OU CUSTOS - Gastos pagos ou incorridos pela pessoa jurídica


para a realização ou operações exigidas pela atividade da empresa.
Despesas não Operacionais - Reúne despesas que não estão diretamente
relacionadas à atividade que a empresa desempenha.

RECEITAS - Provém da atividade da pessoa jurídica, como por exemplo, a


venda de mercadorias.

Receitas não Operacionais - Reúnem os ganhos que não estão ligados


diretamente à atividade.

Principais mudanças no Balanço Patrimonial e na Demonstração do Resultado


do Exercício.

AUDITORIA E CONSULTORIA LTDA


BALANÇO PATRIMONIAL EM 31/12/20XX

ATIVO

ATIVO CIRCULANTE
Disponível
Caixa
Bancos c/ Movimento
Aplicações de Liqüidez Imediata
Direitos
Duplicatas a Receber
Contas a Receber
Estoques
Mercadorias em Estoque
Estoque de Material de Escritório
Outros Direitos
Impostos a Recuperar

ATIVO NÃO CIRCULANTE


Ativo realizável a Longo Prazo
Créditos e Valores
Duplicatas a Receber
Empréstimos a Receber
Investimentos
Ações de Outras Companhias
Participações Controladas-Coligadas
Imobilizado
Imóveis

aurelia.pliego@uol.com.br 8
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Terrenos
Edificações
Móveis e Utensílios
Intangível
Marcas e Patentes

PASSIVO

PASSIVO CIRCULANTE
Fornecedores
Cia. Alfa
Cia. Beta
Títulos de Créditos
Duplicatas a Pagar
Promissórias a Pagar
Obrigações Trabalhistas
Salários a Pagar
Contribuição Previdenciária a Recolher
Obrigações Tributárias
ICMS a Recolher
IRRF a Recolher
Contas a Pagar
Comissões sobre Vendas
Aluguéis a Pagar
Participações a Pagar
Financiamentos
Financiamentos Externos a Pagar
Juros a Pagar

PASSIVOS NÃO CIRCULANTES


Passivo Exigível a Longo Prazo
Financiamentos Externos a Pagar
Bancos conta Empréstimos a Pagar
Resultados não realizados
Receitas Antecipadas (para entrega futura)
(-)Despesas Correspondentes

PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Realizado
Capital Social
(-) Capital a Integralizar (devedora)
Reservas de Capital
Ajustes de Avaliação
Reservas de Lucros
Lucros Acumulados/Prejuízos Acumulados

aurelia.pliego@uol.com.br 9
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


AUDITORIA E CONSULTORIA LTDA
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/20XX

Receita Bruta
Vendas à Vista
Vendas a Prazo
Vendas no Mercado Externo
(-) Deduções da Receita Bruta
Descontos Incondicionais
Abatimentos Concedidos
Vendas Canceladas
ICMS s/ Vendas
(=) Receita Líquida
(-) Custo da Receita Líquida
(=) Lucro Operacional Bruto
(-/+) Resultados Operacionais
(-) Gerais e Administrativas
(-) Administrativas
(-) Honorários dos Administradores
(-/+) Financeiras
(+) Receitas Financeiras
(-) Despesas Financeiras
(+) Outras Receitas Operacionais
(-) Outras Despesas Operacionais
(=) Resultado Operacional Líquido
(-/+) Resultado não Operacionais
(+) Receitas
(-) Despesas
(=) Resultado Ante da Contr. Social
(-) Provisão para Contr. Social sobre o Lucro
(=) Resultado antes do Imposto de Renda
(-) Provisão para Imposto de Renda
(=) Resultado antes das Participações
(-) Participações
(=) Lucro Líquido do Período

Exercícios

Exercício 1 - A Cia. Solimões é constituída e realiza as transações abaixo


indicadas:
1. Em reunião realizada com essa finalidade, cinco pessoas decidem
fundar uma empresa, denominada “Cia.Solimões”, que se dedicará à
comercialização de móveis para escritório. Ela foi constituída com o capital
inicial de $10.000.00 (cada acionista – sócio – entregou $2.000.00),
oportunidade em que foi aberta uma conta no Banco do Sul S/A e depositado
esse valor.

aurelia.pliego@uol.com.br 10
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


2. Aquisição da Ind. Jota de Móveis de diversos móveis para
comercialização, no total de $5.000.00, sendo $3.000.00 pagos em cheque e
$2.000.000 para pagamento no prazo de 60 dias.
3. Aquisição de um veículo da Cia. Veloz de Veículos, para entrega de
mercadorias, no valor de $2.000.00, sendo 50% à vista (pagamento através
de cheque) e 50% a prazo.
4. A empresa emitiu um cheque de $200.00, valor esse a ser mantido
em caixa, para o pagamento de pequenas contas.
5. Aquisição de um terreno onde deverá ser futuramente construído o
edifício que abrigará a loja e o escritório da empresa. O preço combinado foi de
$7.000.00, tendo sido entregue um cheque de $3.000.00 no ato e emitidas
duas notas promissórias de $2.000.00 cada, uma com vencimento no prazo
de 90 dias e a outra no prazo de 180 dias.
6. Liquidação da dívida contraída com a aquisição de veículo, mediante
a entrega de cheque no valor de $1.000.00.

Pede-se: Demonstrar a situação patrimonial da Cia. Solimões com base


em: lançamentos, razonetes, balancete de verificação, Balanço
Patrimonial.

Exercício 2 – A situação Patrimonial da Empresa XX LTDA em 31/12/2006


foi a seguinte:

Caixa 3.000 Fornecedores 5.000


Banco 5.000 Contas a Pagar 6.000
Estoque 4.000 Capital Social 11.000
Imóveis 10.000

Em janeiro de 2007 ocorreram as seguintes operações


1) Compra de material para revenda a prazo por R$ 500
2) Venda de mercadorias por R$ 5.000 a vista. O valor foi depositado no
banco. Sabe-se que o custo das mercadorias vendidas foi de R$ 2.000
3) Pagamento de R$ 3000 aos fornecedores em dinheiro
4) Compra de máquinas e equipamentos para pagamento em cinco
parcelas de R$ 1.000 cada.
5) Pagamento de energia elétrica do mês no valor de R$ 200 mediante a
entrega do ch 001

Pede-se: Efetue os lançamentos contábeis, os razonetes, o balancete de


verificação, elabore o balanço patrimonial e a demonstração do resultado
do exercício

Exercício 3 -A Cia. Um mais Dois é constituída e realiza as transações abaixo


indicadas:
a) Seu Joaquim decidiu fundar a empresa com um capital de R$
250.000. Integralizou imediatamente R$ 150.000 que foram depositados

aurelia.pliego@uol.com.br 11
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


no Baco Alfa. Ficando a promessa de integralizar o restante até o final
do exercício social.
b) Aquisição de lápis e borrachas para revenda no valor de R$ 10.000 a
vista, mediante a entrega do cheque 001.
c) Aquisição de móveis e utensílios para o escritório, no total de R$
9.000, a prazo. No ato da compra foram emitidas duas duplicatas com
vencimentos para 15 e 30 dias.
d) Aquisição de um terreno para investimento no valor de R$12.000 a
vista.
e) Adquiriu um empréstimo para capital de giro no valor de R$150.000
que serão pagos em 10 parcelas de 15.000 (não há juros).
f) Aquisição de cinco computadores por R$ 7.500 a vista (cheque 002).
g) A empresa emitiu um cheque (003) de R$5.000, valor esse a ser
mantido em caixa.
h) Aquisição de um terreno onde deverá ser futuramente construído o
edifício que abrigará o depósito. O preço combinado foi de $ 15.000,
tendo sido entregue um cheque (004).
i) Apropriação da folha de pagamento, que será paga no dia 05 do mês
seguinte no valor de R$ 14.500.
j) Venda de metade do seu estoque por um R$ 25.000 a prazo.
k) Apropriação da conta da luz no valor de R$ 1.500 que será paga no
mês seguinte.
l) Recebimento das vendas realizadas no dia (10).
m) Pagamento da folha salarial.
n) Pagamento de 15% do empréstimo contraído para capital de giro.
o) Pagamento de 50% da dívida contraída na compra de móveis e
utensílios.
p) Aquisição de um veículo prazo no valor de R$50.000 (financiamento
em 12 meses).

Pede-se: Demonstrar a situação patrimonial da Cia (11638). com base em


Lançamentos, razonetes, balancete de verificação, Balanço Patrimonial e
DRE.

Adiantamento de Receita
Será classificada na conta Adiantamento de Clientes, onde representa os
recebimentos adiantados que vão gerar um passivo, pelo fato da obrigação da
entrega posterior de bens ou realização de serviços.

O procedimento contábil correto é o seguinte:

Na data do recebimento, credita-se uma conta de passivo, em contrapartida


debita-se o caixa.

aurelia.pliego@uol.com.br 12
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Ao final de cada exercício social, por meio de ajuste, o montante dos serviços
prestados ou bens entregues aos clientes deverá ser transferido da conta de
adiantamento de clientes para o resultado do exercício, ou seja, para uma
conta de receita.

Exemplo: A empresa recebe antecipadamente R$ 500,00 por futuros serviços


prestados.

Primeira parte do lançamento: (Recebimento do Dinheiro)

Débito: Caixa R$ 500

Crédito: Adiantamento de clientes (Conta de Passivo) R$ 500

Segunda parte: Quando prestar o serviço:

Débito: Adiantamento de clientes R$ 500

Credito: Receita de Serviços R$ 500

Exercícios de Fixação

ATIVIDADE 1
Balanço da Cia. Relâmpago em 31.12. 03, era:

BALANÇO PATRIMONIAL

ATIVO PASSIVO

aurelia.pliego@uol.com.br 13
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Caixa 10.000 Fornecedores 100.000
Bancos 50.000. Financiamento 300.000
Estoques 90.000.
Máquinas 110.000. Patrimônio Líquido
Imóveis 240.000. Capital Social 80.000
Lucro 20.000
TOTAL DO ATIVO 500.000 TOTAL DO PASSIVO 500.000

Em janeiro de 2004, houve as seguintes operações:


04/01- Pagou com cheque no. 100319 , R$ 40.000 a fornecedores
06/01- Pagou $ 5.000 dos financiamentos bancários (dinheiro)
08/01 – Adiantamento de clientes de R$ 1.500, referentes a serviços prestados
futuros (depósito)
09/01- Adquiriu novo Financiamento para capital de giro de $ 200.000, e
depositou em conta corrente.
15/01- Comprou novos Estoques mercadorias, a prazo, por $ 50.000
16/01 – Realização da metade dos serviços.
20/01- Comprou novas máquinas, a vista, conforme cheque nº 100320, por $
100.000.

PEDE-SE:
1) Abrir razonetes para todos as contas e transportar o saldo das contas do
balanço para os razonetes.
2) Fazer os registros contábeis das operações realizadas em janeiro, no Diário
e nos razonetes.
3) Elaborar o Balanço Patrimonial.

ATIVIDADE 2
O Balanço Patrimonial da CIA. Muzanbinho 30-06. X4, era:
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO
Bancos conta movimento 2.000 Fornecedores 5.000

aurelia.pliego@uol.com.br 14
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Estoques de mercadoria 5.000 Títulos a Pagar 25.000
Veículos 50.000. Financiamento 20.000
Móveis e Utensílios 3.000 Patrimônio Líquido
Capital 10.000
TOTAL ATIVO 60.000 TOTAL DO PASSIVO 60.000

No Mês de julho, houve as seguintes operações:


05/07- Contraiu empréstimo bancário para aumento do Capital de. Giro de $
10.000, conforme depósito em conta corrente.
10/07- Pagou $ 3.000 a fornecedores ( em cheque)
12/07- Contabilização da depreciação dos veículos. Sabe-se que sua vida útil
são 5 anos.
15/07- Contraiu novo empréstimo de $ 15.000, conforme depósito em conta
corrente,
27-07- Adiantamento de clientes de R$ 21.500, referentes a serviços prestados
futuros (depósito).
Pede-se:
1) Transportar o saldo das contas do balanço , abrindo um razonete para cada
conta.
2) Fazer os lançamentos contábeis nos razonetes, aproveitando os saldos das
contas já existentes:
3) Apurar o saldo das contas nos razonetes, balancete de verificação e em
seguida estruturar o Balanço Patrimonial.

ATIVIDADE 3
A CIA. ATLÃNTICA, apresentou seu balanço patrimonial com os seguintes
saldos: Caixa R$ 30.000, Capital Social R$ 30.000.
Em janeiro de 2001, realizou as seguintes operações:
03/01- Adquiriu móveis e utensílios por R$ 800.000, a prazo, a pagar com
Nota Promissória.
08/01- Pagamento do Seguro do veículo no valor de R$ 5.200 pela cobertura
contra roubos e furtos no período de 12 meses (CH 0001).

aurelia.pliego@uol.com.br 15
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


09/01- Obteve um Financiamento bancário no valor de $ 10.000, para pagar
em ( 12 meses.), depositado em conta corrente.
13/01- Adiantamento de clientes de R$ 1.000, referentes a serviços prestados
futuros (depósito).
16/01- Houve aumento do capital social com imóvel no valor de $ 50.000.
20/01- Realização da 1/4 dos serviços.

PEDE-SE:
1) Transferir o saldo das contas do balanço, abrindo um razonete para cada
conta.

2) Contabilizar todas as operações realizadas em janeiro, nos razonetes.

3) Apurar o saldo das contas, elaborar o balancete de verificação e em


seguida montar o Balanço Patrimonial.

ATIVO IMOBILIZADO

O Ativo Imobilizado é a parcela do ativo que compõe os bens destinados ao


uso, ou seja, bens que não ao destinados a venda. Nada impede que esses
bens sejam vendidos posteriormente.

Depreciação

Esses bens, na acepção tecnológica, o conceito de depreciação dá sentido a


perda de eficiência funcional. Para a contabilidade a depreciação consiste na
mensuração dos desgastes que esses bens sofrem ao longo de sua vida útil.

Bens depreciáveis

Edifícios e construções, a partir da conclusão e início de utilização;

aurelia.pliego@uol.com.br 16
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Projetos florestais destinados a exploração dos respectivos frutos;

Os bens imóveis utilizados como estabelecimento da administração;

Os bens móveis utilizados nas atividades operacionais, instalados em


estabelecimento da empresa;

Os veículos do tipo caminhão, caminhonete de cabine simples ou utilitários


utilizados no transporte de mercadorias e produtos adquiridos para revenda, de
matéria-prima, produtos intermediários e de embalagem aplicados a produção;

Os veículos utilizados no transporte coletivo de empregados;

Os bens móveis e imóveis utilizados em pesquisa e desenvolvimento de


produtos e processos;

Os bens móveis e imóveis próprios, locados pela pessoa jurídica, e que tenham
a locação como objeto de sua atividade;

Bens não-depreciáveis

Terrenos, salvo em relação a melhoramentos ou construções;

Prédios ou construções não alugados nem utilizados pelo proprietário na


produção dos seus rendimentos ou destinados a revenda;

Bens que normalmente aumentam de valor com o tempo, como as obras de


arte ou antigüidades;

Depreciação Acelerada

Bens que são utilizados por períodos superiores a oito horas previstas na
legislação vigente são beneficiados com a depreciação acelerada, pelo fato de
sofrerem maiores desgastes, A depreciação desses bens se dá mediante
aplicação de coeficientes listados abaixo:

• Um turno de oito horas - 1,0;


• Dois turnos de oito horas - 1,5;
• Três turnos de oito horas - 2,0

Contabilização da Depreciação

Débito – Despesa com depreciação

Crédito – Depreciação Acumulada (conta retificadora do Ativo)

aurelia.pliego@uol.com.br 17
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Contabilização da venda de ativos depreciáveis

A venda de um bem deverá ser registrada da seguinte forma: Um veículo


comprado por R$ 85.000 e depreciado em R$ 45.000. Esse veículo foi vendido
por R$ 55.000. Por hipótese não há outros fatos a serem contabilizados. O
Balanço Patrimonial estava assim constituído:

ATIVO PASSIVO

Veículos 85.000

Depre Ac. (45.000) PATRIMONIO LÍQUIDO

Cap Social 40.000

Total do Ativo 40.000 Total do Passivo 40.000

Contabilização da Venda de Ativo:

Debito – Caixa ...................................................................... 55.000

Debito – Depreciação Acumulada de Veículos..................... 45.000

Credito – Veículo................................................................... 85.000

Crédito – Ganho na Venda de Ativo (Rec.Não Op.)..............15.000

Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado após a venda do


ativo imobilizado.

ATIVO PASSIVO

Caixa 55.000

Veículos 0

Depre Ac. 0 PATRIMONIO LÍQUIDO

Cap Social 40.000

Lucro do Exercício 15.000

Total do Ativo 55.000 Total do Passivo 55.000

aurelia.pliego@uol.com.br 18
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DA VENDA DE ATIVO

Venda de Imobilizado 55.000

Valor Contábil do Imobilizado Vendido (40.000)

Receita na Venda de Ativo 15.000

Exercícios de Fixação

A Cia Nova Granada dedica-se a assistência técnica e comercialização de


móveis em geral. Possuía em 01.01 de 20X1 a seguinte situação patrimonial.

Bancos – 5.000

Edifícios – 18.000

Máquinas – 3.000

Veículos – 6.000

Títulos a Pagar – 5.000

Capital 25.000

Lucros Acumulados – 2.000

Sobre o ativo imobilizado temos as seguintes informações:

Edifícios: Custo de Aquisição R$ 18.000, sua vida útil 25 anos

Máquinas: Custo de Aquisição R$ 3.000, sua vida útil de 10 anos

Veículos: Custo de Aquisição R$ 6.000, sua vida útil de 5 anos

Fatos Contábeis:

1. Serviços prestados para a empresa Chumbinho LTDA no valor total de


R$ 3.000. Forma de pagamento: 50% a vista e o restante a prazo.

2. Compra de material para escritório no valor de R$ 300 a vista (cheque)

3. Consumo da metade do material para escritório

aurelia.pliego@uol.com.br 19
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


4. Contabilize a depreciação dos imobilizados acima

5. Venda do Veículo por R$5.900 a vista (depósito).

6. Venda das máquinas por R$ 2000 a vista (depósito)

7. Aquisição de um veículo por R$10.000 financiado em 10 meses

8. Apropriação da folha de pagamento no valor de R$900

9. Aquisição de mercadorias para revenda no valor de R$ 2.000 a prazo.

10.Venda de parte do estoque por R$ 2.500. Sabe-se que o custo das


mercadorias vendidas foi de R$ 900.

OPERAÇÕES ENVOLVENDO CONTAS DE RESULTADO

REGIME DE COMPETÊNCIA

- Princípio da realização da receita

A receita é considerada realizada e, portanto, passível de registro pela


Contabilidade, quando produtos ou serviços produzidos ou prestados pela
Entidade são transferidos para outra Entidade ou pessoa física com a anuência
destas e mediante pagamento ou compromisso de pagamento especificado
perante a Entidade produtora.

- Princípio do confronto das despesas com as receitas

Toda despesa diretamente associada com as receitas reconhecidas em


determinado período, com as mesmas deve ser confrontada; os consumos ou
sacrifícios de ativos (atuais ou futuros), realizados em determinado período e
que não puderem ser associados à receita do período nem às de períodos
futuros, deverão ser descarregados como despesa do período em que
ocorrerem.

O reconhecimento de receita e a apropriação de despesas estão intimamente


ligados.

aurelia.pliego@uol.com.br 20
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Primeiramente se faz um esforço para retratar a receita (no demonstrativo de
resultados) e, em seguida, a despesa. Isto, todavia, é mais uma ordem prática
do que uma precedência no tempo do uso dos recursos.

É importante notar que a base do confronto não está relacionada com os


recursos entrados em caixa (do lado da receita) e dos pagamentos efetuados
(no lado das despesas).

O elemento fundamental no reconhecimento da receita e na apropriação das


despesas não é, normalmente, seu recebimento ou pagamento, mas : a) o
“ganho” da receita (sendo, portanto, reconhecida); e b) o fato de termos
“incorrido” a despesa.

Termos incorrido a despesa significa termos realizado o sacrifício de consumir


ativos (ou de assumir dívidas) no esforço de produção (direto ou indireto) da
receita.

Termos “ganho” uma receita significa podermos reconhecê-la ou realizá-la,


mas, mais profundamente, significa que temos o direito a fazê-lo, porque
realizamos uma troca, porque realizamos uma parcela substancial de um
compromisso com clientes, porque realizamos uma parcela pré-combinada de
um contrato de longo prazo com um cliente, ou porque existem condições
objetivas de atribuir um valor de saída ao nosso estoque de produtos, mesmo
sem ter sido vendido.

O princípio da realização da receita e da confrontação da despesa, conforme


geralmente aceito, considera como ponto usual de reconhecimento da receita
(e como vimos, de todas as despesas associadas) o ponto em que produtos ou
serviços são transferidos ao cliente, coincidente, muitas vezes, com o ponto de
venda. A Contabilidade assim faz porque :

1) o ponto em que ocorre a transferência é, usualmente, aquele em que o


maior parte do esforço em obter a receita já foi desenvolvido;

2) o ponto de transferência é o ideal para estabelecer um valor objetivo de


mercado para a transação;

aurelia.pliego@uol.com.br 21
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


3) no ponto de transferência, normalmente se conhece todo o custo de
produção do produto ou serviço vendido e outras despesas relacionadas
diretamente associáveis, embora os desembolsos com tais despesas possam
ocorrer após a venda (como por exemplo : devedores duvidosos, comissão
sobre as vendas, gastos com consertos derivados com a concessão de
garantia, etc). É possível, pelo menos em um bom número de casos, prever
razoavelmente tais encargos no ato da venda.

Os autores estabelecem alguns casos típicos em que a receita pode ser


reconhecida antes (durante e no final da produção) e dois casos em que deve
ser reconhecida após o ponto de transferência. A seguir veremos estes casos.

Regime de competência e regime de caixa

É bastante comum ouvirmos falar em “regime de competência” e em “regime


de caixa”.

O regime de competência e o principio da competência têm o mesmo


significado, ou seja, trata-se de reconhecer as receitas geradas e as despesas
incorridas no período independentemente dos correspondentes recebimentos
ou pagamentos.

Já o regime de caixa é o oposto do regime de competência, sendo aplicado


especificamente em determinadas atividades em função da adoção de regime
de tributação específico (Simples e EPP).

Portanto, para fins de observância do principio contábil e de cumprimento da


legislação comercial e fiscal, as pessoas jurídicas devem seguir, em sua
escrituração, o regime de competência.

EXERCÍCIOS REGIME DE CAIXA X REGIME DE COMPETÊNCIA

1) A Empresa Comercial Irmãos e Irmãos teve o seguinte fluxo de


liquidações de Receitas e Despesas :

Despesas relativas a novembro pagas em dezembro $45.000

aurelia.pliego@uol.com.br 22
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Despesas relativas a dezembro pagas em dezembro $54.000

Despesas relativas a novembro pagas em dezembro $36.000

Receitas relativas a dezembro recebidas em dezembro $27.000

Receitas relativas a novembro recebidas em dezembro de $63.000

Receitas relativas a dezembro recebidas em dezembro $51.000

Com base nas informações acima, calcule o lucro pelo regime de caixa e de
competência dos meses de novembro e dezembro.

2) A Empresa ABC S/A. EM 30/11/2004, apresentou o Balancete de


verificação com os seguintes saldos: Caixa R$ 65.000/ Equipamentos R$
210.000/ Duplicatas a Receber 105.000/ Veículos R$ 60.000/Móveis e
Utensílios R$ 42.000/ Fornecedores R$ 62.000/ Títulos a Pagar R$ 30.000/
Capital Social R$ 260.000/ Despesas de Energia Elétrica R$ 98.000/
Despesas C/pessoal 132.000/ Dividendos a Pagar R$ 50.000/ Receita de
Serviços R$ 310.000.

Fatos ocorridos em 31/12/2004

1-Recebeu de Receita por serviços prestados de novembro R$ 35.000,


dinheiro

2-Pagou despesas de conservação de veículos ocorridas em dezembro R$


30.000

3-Recebeu de Clientes R$ R$ 50.000, ref a vendas realizadas em novembro

4-Pagou despesas financeiras R$ 12.000 referentes ao mês de novembro,

5-Venda de mercadorias por R$ 40.000 que serão recebidos em janeiro do


ano seguinte

6-Pagou salário do mês R$ 50.000,

7-Pagou desp. De energia R$ 10.000 do mês

aurelia.pliego@uol.com.br 23
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO

Pede-se: apure o lucro/prejuízo pelo regime de caixa e competência do


mês de dezembro com base nos fatos contábeis acima.

3) A Empresa ABC S/A. EM 30/11/2004, apresentou o Balancete de


verificação com os seguintes saldos: Caixa R$ 65.000/ Equipamentos R$
210.000/ Duplicatas a Receber 105.000/ Veículos R$ 60.000/Móveis e
Utensílios R$ 42.000/ Fornecedores R$ 62.000/ Títulos a Pagar R$ 30.000/
Capital Social R$ 260.000/ Despesas de Energia Elétrica R$ 98.000/
Despesas C/pessoal 132.000/ Dividendos a Pagar R$ 50.000/ Receita de
Serviços R$ 310.000.

Fatos ocorridos em NOV/2004

• Recebeu de Receita por serviços prestados em outubro R$ 35.000, e


depositou no banco Sul S/A

• Pagou despesas de conservação de veículos ocorridas em novembro R$


30.000

• Recebeu de clientes, reverente a vendas realizadas em outubro R$ R$


50.000

• Pagou despesas diversas ocorridas em novembro R$ 45.000

• Comprou, a prazo, Móveis e Utensílios no valor de R$ 100.000

• Pagou despesas financeiras ocorridas em outubro R$ R$ 12.000,

• Recebeu Dupls. a receber referente a vendas de novembro R$ 40.000,

• Pagou salário do mês de outubro R$ 50.000,

• Pagou desp. De energia do mês de novembro R$ 10.000

• Pagou despesas com impostos de competência de outubro R$ 14.000

aurelia.pliego@uol.com.br 24
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Pede-se: apure o lucro/prejuízo pelo regime de caixa e competência do
mês de novembro com base nos fatos acima.

4) A Empresa Lico Leco teve o seguinte fluxo de Receitas e Despesas :

• Despesas relativas a novembro pagas em dezembro $45.000

• Receitas relativas a dezembro recebidas em Dezembro $ 5.000

• Receita relativa a novembro recebida em dezembro $4.000

• Despesas relativas a dezembro pagas em dezembro $54.000

• Despesas relativas a novembro pagas em dezembro $36.000

• Receitas relativas a dezembro recebidas em dezembro $27.000

• Despesas relativas a novembro pagas em novembro $ 10.000

• Despesa relativa a novembro paga em dezembro $ 7.000

• Despesa relativa a dezembro paga em dezembro $ 9.000

• Receitas relativas a novembro recebidas em dezembro de $63.000

• Receitas relativas a dezembro recebidas em dezembro $51.000

Com base nas informações acima, calcule o lucro pelo regime de caixa e de
competência dos meses de novembro e dezembro.

Gastos Antecipados (Despesas do Exercício Seguinte)

Existem certos ativos oriundos de gasto realizados no período corrente que


beneficiam os exercícios seguintes. É o caso do prêmio de seguro pago
antecipadamente, usualmente remunerando a seguradora por um ano de
cobertura de seguro. Nesse caso temos um típico exemplo de despesa paga
antecipadamente, classificável no Ativo Circulante.

A contabilização será feita da seguinte forma: Total do seguro pago R$ 120,00,


por 12 meses.

Pagamento

D - Seguros a Vencer (Despesa Antecipada – Ativo Circulante)

aurelia.pliego@uol.com.br 25
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


C – Caixa ou Banco R$ 120,00

Apropriação da despesa (mensal)

D - Despesa de Seguros (Conta de despesa)

C – Seguros a Vencer R$ 10,00

Exercício de Fixação

Sabendo que os saldos finais das contas patrimoniais da Cia Teresópolis são:
Banco R$ 2.000; Contas a Receber R$ 1.300; Estoque de Mercadorias R$ 200;
Veículos R$ 10.000; Móveis e Utensílios R$ 3.000; Aplicações Financeiras
(curto prazo) R$ 300; Fornecedores R$ 1.800; Capital Social R$ 15.000.

Seguem abaixo as transações ocorridas no mês de outubro.

1 – Recebimento de R$ 100 referentes a contas a receber do mês anterior


(Depósito).

2 – Aquisição de estoque de mercadorias para revenda por R$ 5.000 a prazo

3 – Pagamento do Seguro do veículo no valor de R$ 1.200 pela cobertura


contra roubos e furtos no período de 12 meses (CH 0001).

4 – Venda de parte do estoque por R$ 1.500 a prazo, sabendo que o custo das
mercadorias foi de R$ 700.

5 – Contabilização da depreciação do veículo, sabendo que a taxa aplicada é


10% ao ano.

6 – Apropriação da despesa referente ao seguro do mês R$ 100.

Exercício 2

Os saldos finais, de dezembro de 2007, das contas patrimoniais da Cia


Guachupé são: Banco R$ 15.000; Clientes R$ 11.300; Estoque de Mercadorias
R$ 20.000; Veículos R$ 20.000; Móveis e Utensílios R$ 3.000; Máquinas e

aurelia.pliego@uol.com.br 26
FACULDADES SIMONSEN

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

PROF. AURÉLIA PLIEGO DE MELO


Equipamentos R$ 5.500; Aplicações Financeiras (curto prazo) R$ 1.300;
Fornecedores R$ 11.800; Contas a Pagar R$ 5.600 e Capital Social R$
100.000; Capital a Integralizar R$ 41.300.

Seguem abaixo as transações ocorridas no mês de Janeiro de 2008.

1 – Integralização em dinheiro do capital social, em R$ 15.000.

2 – Pagamento de R$ 1.800 dos fornecedores (CH 001);

3 - Venda de parte do estoque por R$ 10.000 a vista (depósito), sabendo que o


custo das mercadorias foi de R$ 7.000

4 – Aquisição de estoque de mercadorias para revenda por R$ 15.000 a prazo

5 – Recebimento dos cliente o valor de R$ 1.200 (depósito)

6 – Pagamento de despesas antecipadas com propagandas que serão


realizadas no exercício social seguinte no valor de R$ 1.100 (CH 002).

7 – Antecipação do aluguel da sala comercial do mês seguinte no Valor de R$


600 (Caixa)

8 – Contabilização da depreciação do veículo, sabendo que a taxa aplicada é


10% ao ano.

9 – Venda do veículo por R$ 18.000 a vista (depósito).

aurelia.pliego@uol.com.br 27