Você está na página 1de 32

1

A melhor forma de começarmos a aprender a tocar o teclado, é conhecendo as notas em sua extensão.

Observe a seguinte sequência: DÓ RÉ MI FÁ SOL LÁ SÍ, estas são as notas musicais, e estão dispostas no
teclado dessa forma:

Para que você possa localizar com facilidade as notas musicais observe as teclas pretas, elas estão em sequência
distribuídas em grupos de 2 e 3 teclas. A nota DÓ está localizada na tecla branca que antecede o grupo de 2 teclas
pretas

Identificando a nota DÓ fica fácil de localizar as outras notas.


2

EXERCÍCIOS DE DIGITAÇÃO

1)

2)
3
4

Cifra : é um sistema de notação musical usado para indicar, por meio de símbolos gráficos ou letras,
os acordes a serem executados por um instrumento musical (como uma guitarra, violão ou um teclado por
exemplo). As cifras são utilizadas principalmente na música popular, acima das letras ou partituras de
uma composição musical, indicando o acorde que deve ser tocado em conjunto com a melodia principal, ou
ainda para acompanhar o canto.
5

TEORIA MUSICAL:

Teoria musical ou teoria da música é o nome dado a qualquer sistema ou conjunto de sistemas destinado a
analisar, classificar, compor, compreender e se comunicar a respeito da música.

Uma definição sintética seria: a descrição, em palavras, de elementos musicais e a relação entre a simbologia
da música e sua performance prática.

Assim como em qualquer área do conhecimento, a teoria musical possui várias escolas, que podem possuir
conceitos divergentes. A própria divisão da teoria em áreas de estudo não é consenso, mas de forma geral,
qualquer escola possui ao menos:

 Análise musical, que estuda os elementos do som e estruturas musicais e também as formas musicais,
compreendendo: harmonia, melodia, contraponto, ritmo, forma, andamento, técnica
composicional, solfejo, percepção e ditado.
 Estética musical, que inclui a divisão da música em gêneros e a Crítica musical.
 Notação musical, que estuda os sistemas de escrita utilizados para representar graficamente uma peça
musical, permitindo que um intérprete a execute da maneira desejada pelo compositor ou arranjador, e
cujas formas mais populares atualmente são a Partitura, a Cifra e a Tablatura.

MÚSICA: A música pode ser definida como a arte de expressar os nossos


sentimentos através dos sons, ou apenas como: a arte dos sons.

Propriedades do som

Altura – é determinada pela frequência das vibrações (velocidade), medida em Hertz, que faz
referência aos sons graves (vibrações mais lentas) e agudos (vibrações mais rápidas).
Representado pelas notas musicais (Dó, Ré, Mi, Fá, Sol etc.), sua sequência em alturas diferentes
resulta na melodia enquanto sua simultaneidade em alturas diferentes resulta em acordes, base da
harmonia.

Duração – é o prolongamento do som. O tempo é sua unidade de medida. É representado pelas


figuras de nota e pelo andamento. Sua alternância é a origem do ritmo.
Intensidade – é a amplitude das vibrações sonoras, determinada pela força ou volume do agente
produtor de som. É medido em decibéis e em notação musical é representado pelos sinais de
dinâmica (crescendo, forte, piano etc).
Levando em consideração a escala de decibéis (unidade de medida da amplitude do som), um som
com 1dB (decibel) é bastante fraco enquanto uma grande orquestra executando um fortíssimo
pode chegar a cerca de 100dB. A capacidade máxima suportável pelo ouvido humano gira em
torno dos 120dB.
6

Timbre – das características do som é a única que não se mensura. Deriva da intensidade e
natureza dos harmônicos que acompanham os sons principais que é determinado pelo tipo de
material do agente produtor sonoro. Autores como Bohumil Med, definem o timbre como “a cor”
do som – é a característica, a subjetividade, que permite que o ouvinte reconheça a fonte
produtora de som mesmo sem vê-la. O som do piano, diferente do som do saxofone etc. Em
notação musical, o timbre é indicado pelo nome da voz ou instrumento executante da música. A
alternância e combinação dos timbres resulta no que se chama de instrumentação, que pode
caracterizar timbristicamente os grupos executantes, como por exemplo um grupo de cordas, um
grupo de sopro ou um grupo vocal.

NOTAÇÃO MUSICAL: São os sinais que representam a escrita musical, tais como:
Pauta, clave, notas e etc.

PAUTA: São 5 linhas paralelas e horizontais, formando entre si 4 espaços, onde se escrevem as notas
musicais.
A pauta também é chamada de Pentagrama.

As linhas e espaços são contados de baixo para cima.


7

As notas escritas nas linhas e espaços são:

LINHAS E ESPAÇOS SUPLEMENTARES: São linhas e espaços adicionados a pauta, neles escrevemos
notas mais agudas ou mais graves que ultrapassam o limite da pauta.
8

CLAVE: As claves servem para indicar ao músico como ler o pentagrama, isto é, a clave serve para dar
nome, Antes quando for para o pentagrama, você precisa prestar a atenção nas notas . Como a notação
musical é relativa, cada nota pode ocupar qualquer linha ou espaço na pauta. A clave indica qual a posição
de uma das notas e todas as demais são lidas em referência a essa nota. Cada tipo de clave define uma
nota diferente de referência. Dessa maneira, a "chave" usada para decifrar a pauta é a clave, pois é ela que
vai dizer como as notas devem ser lidas. Daí vem o termo "clave", derivado do latim "clavis", que significa
"chave". A figura acima mostra as claves mais freqüentes e as notas que elas definem. A nota destacada ao
final de cada pauta é a nota de referência.

A Clave de Sol é assinada na 2ª linha da pauta, a nota colocada sobre


a mesma linha onde a clave for assinada recebe o nome da Clave.

NOTAS NA CLAVE DE SOL.

A Clave de Fá é assinada na 3ª e 4ª linhas da pauta, porém,


ultimamente tem sido usada com muita frequência clave de fá na 4ª linha.

NOTAS NA CLAVE DE FÁ.


9

NOTAS USANDO AS DUAS CLAVES.

FIGURAS DE NOTAS: São sinais que indicam a duração dos sons. As figuras de notas também são
chamadas de VALORES POSITIVOS e, conforme a duração, recebem formas e nomes diferentes.

FIGURAS DE PAUSA: São sinais que indicam a duração de silêncio. As figuras de pausas também são
chamadas de VALORES NEGATIVOS e, conforme a duração, recebem formas e nomes diferentes. Os
nomes das figuras de pausa são os mesmos das figuras de notas

FIGURAS DE NOTAS FIGURAS DEPAUSAS


10

Compasso musical: é uma divisão da música em intervalos de tempo iguais, com o objetivo de
organizar a estrutura e facilitar a orientação para o leitor. Esse intervalo de tempo é representado por
barras verticais, como no exemplo abaixo :

Fórmula do Compasso: São dois números escritos no início na pauta que indicam a UNIDADE DE
TEMPO e o NÚMERO DE TEMPOS do compasso.

A fórmula de compasso é escrita no início da composição ou de cada uma de suas


seções e quando ocorre mudança de fórmula durante a música (nesse caso esta mudança é escrita
diretamente no compasso que tem a nova duração).
Numerador( nº de cima) indica quantos tempos
tem o compassos.

Denominador ( n° de baixo) indica a unidade de


tempo.

 unidade de tempo é a figura de nota que


preenche um tempo do compasso.
 Unidade de compasso é a figura de nota
que preenche todo o compasso.
11

PONTO DE AUMENTO: É um ponto que, colocado a direita de uma nota ou pausa, aumenta metade do
seu valor.

STACATTO: É representado por um ponto acima ou abaixo de uma ou mais notas indicando que os sons
são articulados e secos.

LIGADURA : É uma linha curva que se coloca acima ou abaixo de duas ou mais notas da mesma altura,
indicando que somente a primeira é articulada, somando o tempo da primeira com o tempo das notas
ligadas.

LEGATO: É representado por uma linha curva que se coloca acima ou abaixo de várias notas, indicando
que todo o trecho onde estiver a ligadura, deverá ser executado ligado, sem interrupção dos sons. É indicado
também pela palavra Legato.
12

Sinais de alteração:
São sinais que abaixam ou elevam um ou dois semitons à entoação das notas, como podemos ver abaixo:

a) Sustenido: eleva um semitom;


b) Bemol: abaixa um semitom;
c) Dobrado-sustenido: eleva dois semitons;
d) Dobrado-bemol: abaixa dois semitons;
e) Bequadro: anula o efeito das alterações podendo ser ascendente ou descendente.
13

QUIÁLTERAS: São grupos de valores que aparecem em maior ou menor quantidade do que deviam, em
relação a fórmula de compasso.
Sobre o grupo destes valores alterados, coloca se um número indicando a quantidade de figuras, e sobre este
um arco, ou uma chave ou somente o número.

SÍNCOPE: É quando uma nota é executada em tempo fraco ou parte fraca de tempo e se prolonga ao tempo
forte ou parte forte do tempo seguinte. A síncope é regular quando as notas que se formam têm a mesma
duração, e irregular quando suas notas têm durações diferentes.

Exemplo 01 ( síncope regular)

Exemplo 02 ( síncope irregular)


14

LIÇÃO 01

LIÇÃO 02
15

LIÇÃO 03

LIÇÃO 04
16

LIÇÃO 05

MY SONG
17

LIÇÃO 06

OH! MINAS GERAIS


18

LIÇÃO 07

9ª SINFONIA DE BEETOVEN
19
20
21

DICIONÁRIO DE ACORDES
22
23

ACORDES MAIORES INVERTIDOS


24
25

ACORDES MENORES INVERTIDOS


26
27

ACORDES SUS2 & SUS4


28
29

ACORDES COM 7ª MENORES


30
31

ACORDES COM 7ª MAIORES


32