Você está na página 1de 7

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

PGRS SIMPLIFICADO

1 – IDENTIFICADOR DO GERADOR
- RAZÃO SOCIAL: CSF Meton de Alencar
- NOME FANTASIA:
- ENDEREÇO: Rua Padre Perdigão Sampaio, 820 – BAIRRO Antonio Bezerra
- CNPJ: 01.855.965/0001-29 - Tel.3488-3271- FORTALEZA-CE
- ATIVIDADE: Saúde -ÁREA TOTAL: 1.941,80m2
- RESPONSÁVEL (Técnico): Silvia Regina Pimentel Pereira CPF:527797853-49
- PROFISSÃO: Cirurgiã-dentista
- INSCRIÇÃO CATEGORIA: CRO-Ce 3202
- Nº SALAS (especificar as especialidades): 32, compreendendo:
8 consultórios, 1 clínica modular com 3 equipamentos odontológicos, 1 sala de curativos,
1 sala de aerosol, 1 sala de vacina, 1 recepção, 1 sala de preparo, 3 salas para
armazenamento de insumos, 4 banheiros, 1 expurgo, 1 sala de esterilização, 1 sala de
observação e medicação, 1 sala de coleta, 1 sala de farmácia, 1 copa, 1 sala de reuniões, 1
sala de prevenção e outras salas de uso administrativo.

2 – IDENTIFICAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS


(CÓDIGO DOS RESÍDUOS)

- GRUPO A – Resíduo infectante ou Biológico


Peso Estimado em Kilogramas (Kg/Coleta) – 41,5 kg/mês
Freqüência da Coleta (nº de vezes por semana) – 3
Transportadora - REPLAMA
Destino Final - Incinerador

- GRUPO B – Resíduo Químico:


Peso Estimado em Kilogramas (Kg/Coleta) – 0,062 kg/mês
Freqüência da Coleta (nº de vezes por semana) – 1 vez por ano
Transportadora – A Vigilância Ambiental da Prefeitura Municipal de Fortaleza recolhe o
material na unidade uma vez por ano e armazena temporariamente.
Destino Final – A Empresa WLC Ambiental Nordeste faz o processamento com destino
final no incinerador municipal.

- GRUPO C – Resíduo Radioativo: Não há geração.


Peso Estimado em Kilogramas (Kg/Coleta) –
Freqüência da Coleta (nº de vezes por semana) –
Transportadora -
Destino Final -

- GRUPO D – Resíduo Comum


Peso Estimado em Kilogramas (Kg/Coleta) – 208kg/mês
Freqüência da Coleta (nº de vezes por semana) – 3
Transportadora - ECOFOR
Destino Final – Aterro Sanitário

- GRUPO E – Resíduo Perfurocortante


Peso Estimado em Kilogramas (Kg/Coleta) – 43kg/mês
Freqüência da Coleta (nº de vezes por semana) –3
Transportadora -REPLAMA
Destino Final – Incinerador

3. OBRIGAÇÕES LEGAIS

3.1 – MANUSEIO E ACONDICIONAMENTO

1 – GRUPO A - Infectante ou Biológico


- São acondicionados em sacos plásticos, impermeáveis e resistentes, de cor branca leitosa,
com simbologia de resíduo infectante.

2 – GRUPO B - Resíduo Químico


- São acondicionados em duplo saco plástico de cor branca leitosa, com identificação do
resíduo e dos riscos. Ou acondicionado em recipiente rígido e estanque, compatível com as
características físico-químicas do resíduo ou produto a ser descartado, identificado de
forma visível com o nome do conteúdo e suas principais características.

3 – GRUPO C - Resíduo Radioativo


- São acondicionados de acordo com as normas da Comissão Nacional de energia Nuclear-
CNEN.

4 - GRUPO D - Resíduo Comum


- São acondicionados em sacos plásticos de cor preta e resistentes de modo a evitar seu
extravasamento durante o seu manuseio.

5 – GRUPO E - Resíduo Perfurocortante


- Acondicionamento dos perfurantes e cortantes são usados previamente, recipientes
rígidos, estanque, vedado, impermeável e identificado com inscrição perfurocortante.

3.2 – ARMAZENAMENTO

- GRUPO A – Infectante ou Biológico


- São armazenados em depósito metálico ou de polietileno com tampa e estanque, de fácil
higienização e manuseio.

- GRUPO B – Resíduos Químicos


- São armazenados em recipiente rígido e estanque, compatível com as características
físico-químicas do resíduo ou produto a ser descartado, identificado de forma visível com o
nome do conteúdo e suas principais características.

- GRUPO C - Resíduos Radioativo


- São armazenados de acordo com as normas da Comissão Nacional de Energia Nuclear-
CNEN

- GRUPO D - Resíduo Comum


São armazenados em sacos de plástico preto resistentes de modo a evitar o seu
extravasamento durante o seu manuseio.

5 – GRUPO E - Resíduo Perfurocortante


- São armazenados em recipientes rígidos, resistente à punctura, ruptura e vazamento, com
tampa, devidamente identificados, atendendo aos parâmetros referenciados na norma
NBR 13 853/97 da ABNT.

3 .3 – SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR

As pessoas envolvidas com o PGRSS são submetidas a exame admissional, periódico


de retorno ao trabalho, mudança e demissional.
Exames e avaliações que serão submetidos:
- Anamnese ocupacional
- Exame físico
- Exame Mental
- Hemograma completo
- Vacinas que serão exigidas:
-Tétano
-Tuberculose
- Hepatite
Outras considerações importantes pela Vigilância Sanitária, na época.
As medidas de higiene e segurança permitem que o pessoal envolvido no plano de
gerenciamento dos resíduos sépticos sólidos - PGRSS, além de proteger sua própria saúde,
possam desenvolver com maior eficiência seu trabalho, conhecer o cronograma de trabalho,
sua natureza e responsabilidade, assim como o risco a que estará exposto.:
- Vacinar-se contra o Tétano, Tifo e Hepatite B;
- Submeter-se a check-up que conste no mínimo de um exame p/ tuberculose e contagem de
hemoglobina, para verificar o seu estado de saúde;
- Estar em perfeito estado de saúde, não ter problemas com gripes leves, , nem pequenas
feridas na mão ou no braço;
- Iniciar seu trabalho já devidamente protegido pelo equipamento pessoal -EPI´s (luva em
pvc - cano longo, máscara, óculos, avental impermeável, bota em pvc - cano longo), para
o caso de acidente com resíduos químicos;
- Não comer, não fumar, nem mastigar qualquer produto durante o manuseio dos resíduos;
- Ter acesso imediato a uma caixa de anti-séptico, algodão, esparadrapo, ataduras e sabão
germicida;
- Retirar-se do local, caso haja náuseas;
- Lavar a ferida com água e sabão no caso de corte ou arranhão durante o manuseio dos
resíduos para desinfetá-las e cobrir rapidamente.. Caso necessário recorrer a um serviço de
urgência;
- Registrar sempre o acidente ocorrido no manuseio de resíduos;
- Ter sempre sacos de reserva para uso imediato quando do rompimento para não deixar
restos no chão;
- Descartar imediatamente as luvas em caso de ruptura, não as reutilizando;
- Lavar e desinfetar o equipamento de proteção pessoal, especialmente as luvas, após o
término de trabalho;
- Tomar banho, no local do serviço, após a jornada de trabalho.

4 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

Para fins de atendimento de apresentação do Plano de Gerenciamento de Resíduos


Sólidos Sépticos, deverão ser observadas as seguintes Legislações e Normas Técnicas:
- LEI FEDERAL Nº 9605/98 – Dispõe sobre crimes ambientais.
- RESOLUÇÃO ANVISA RDC 306/04 - Dispõe sobre o Regulamento técnico para o
gerenciamento de resíduos de serviço de saúde.
- NBR – 10.004/87- Classifica os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao
meio ambiente e à saúde pública.
- NBR 7.500/87 – Símbolos de risco e manuseio para o transporte e armazenamento de
resíduos sólidos.
- NBR 12.235/92 – Armazenamento de resíduos sólidos perigosos definidos na NBR10004-
procedimentos.
- NBR 12.807/93 – Resíduos de serviços de saúde - terminologia
- NBR 12.808/93 - Resíduos de serviços de saúde - classificação
- NBR-12.809/93 – Manuseio de resíduos de serviço de saúde – procedimentos.
- NBR 12.810/93 – Coleta de resíduos de serviços de saúde – procedimentos.
- NBR 9.190/93 – Sacos plásticos para acondicionamento de lixo - classificação
- NBR 9.191/93 – Sacos plásticos p/ acondicionamento de lixo - especificação
- NBR 9.195/93 - Sacos plásticos para acondicionamento de lixo-determinação da
resistência a queda livre.
- NBR 13.055/93 – Sacos plásticos p/ acondicionamento de lixo - Determinação p/
capacidade volumétrica.
- NBR 13.056/93 – Filmes plásticos para saco para acondicionamento de lixo.
- NBR 12.890/93- Coleta, varrição e acondicionamento de resíduos sólidos urbano-
terminologia.
- NBR 11.175/90 – Fixa as condições exigíveis de desempenho do equipamento para
incineração de resíduos sólidos perigosos.
- NBR 13.853/97 – Coletores p/ resíduos de serviços de saúde perfurantes ou cortantes-
requisitos e métodos de ensaio.
- CNEN – NE 6.05/98 - Gerência de rejeitos radioativos.
- LEI MUNICIPAL Nº 8.408/99 – Estabelece normas de responsabilidade sobre
manipulação de resíduos produzidos em grande quantidade ou de natureza específicas.

5 – RESPONSÁVEIS PELO ESTABELECIMENTO GERADOR E PELA


ELABORAÇÃO DO PLANO
Fortaleza, 23/novembro / 2010

Responsável pelo Estabelecimento Gerador Dogival Pinto Farias


Nome do Responsável

Responsável pela Elaboração do Plano Silvia Regina Pimentel Pereira


CRO-Ce 3202
Nº Registro no Conselho Profissional
REQUERIMENTO PARA CADASTRAMENTO
I – IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA INTERESSADA

1. Geradora de Resíduos Sépticos ( x ) - Não Geradora de Resíduos Sépticos ( )

2. Razão Social : CSF Meton de Alencar

3. CNPJ :01.855.965/0001-29

3. 2. Razão Social : (Pessoa Física)________________________________________________________

4. CPF: ________________________

1. ASSUNTO:
( x) Requerer inscrição no cadastro da SEMAM - 2. ( ) Requerer atualização de dados

2. III - Termo que pede deferimento:


_____________________________________
Fortaleza, 23 de novembro de 2010 Assinatura

IV – DOCUMENTOS QUE DEVEM SER ANEXADOS A ESTE REQUERIMENTO


( X ) Requerimento nº 01 – (Semam)
( X) Declaração própria da ( Semam) - (depositar resíduos em locais autorizados pela
Semam)
( X) Requerimento para Cadastramento - (Semam)
( ) Declaração da Empresa - ( se não produzir resíduos sépticos)
( ) Declaração do destino o qual é enviado Remédios ou qualquer Produto vencido
( ) Contrato do Transportador do ano em curso ( caso produza resíduos sépticos) ***
Se o Contrato do Transportador for do Ano anterior anexar : Xerox do Contrato +
Aditivo
( ) CNPJ + Cont. Social (Último Aditivo) + Identidade e CPF (repres. Legal/ xerox)
( ) CPF + Identidade + Comprovante de Residência
( ) Certidão Negativa de IPTU (Sefin ou Internet)
( ) 02 Planos de Gerenciamento de Resíduos para Semam + 01 Plano para
Empresa (xerox)
( ) CRT (Certidão de Responsabilidade ou Regularidade Técnica)
( ) Taxa
DECLARAÇÃO

O CSF Meton de Alencar, CNPJ 01.855.965/0001-29, localizado à Rua


Padre Perdigão Sampaio, 820, Bairro Antonio Bezerra, tendo como
responsável Dogival Pinto Farias, RG 94007016644, CPF 30149363320,
domiciliado à Avenida A, Bloco 37, apartamento 22c, Conjunto Nova
Metrópole declara o cumprimento das determinações para depositar os
resíduos coletados em locais previamente autorizados pela SEMAM,
observados os aspectos ambientais e as posturas municipais contidas na Lei
Federal N° 9.605 de 12.02.98 e na Lei N° 5.530 de 17.12.81 do Código de
Obras e Posturas do Município de Fortaleza Lei N° 8408 de 24.12.99,
Resíduos Sólidos, sob pena das sanções previstas.

Fortaleza, 23 de novembro de 2010

_________________________________________

Responsável

Interesses relacionados