Você está na página 1de 7

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DO PGRS

O PGRS será apresentado mediante o preenchimento de 03 (três) tabelas


I, II e III – anexas ao presente Termo de Referência, acompanhado de texto
descritivo do plano de gerenciamento e devidamente assinado pelo
Responsável Técnico.

1.0 IDENTIFICAÇÃO DO GERADOR


Tabela I

a) Unidade: Matriz sediada em Feira de Santana

 Razão Social: ADINOR INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE


ADITIVOS LTDA

 CNPJ: 13.457.189/0001-98

 Inscrição Municipal: 17.563-3

 Nome de Fantasia: ADINOR

 Endereço: Avenida Banco do Nordeste, s/n, CIS, Pólo


Industrial do Tomba, Feira de Santana, Bahia, Brasil.

 Município: Feira de Santana

 CEP.: 44.010-665

 Telefone/fax: (75) 3322-3166

 E-mail: lucinete@adinor.com.br

 Áreas:
Área construída e/ou a ser construída – 1.449,11 m2
Área total – 4.102,10 m2
Área pavimentada: 2.653,00 m2
Taxa de ocupação da propriedade: 35%

 Nº Total de Funcionários: 134

 Responsável Legal:
Nome: Paulo César Pimenta Gama
CPF.: 162.055.885-87

 Responsável Técnico pelo PGRS:


Nome: Fabiana Costa Coqueiro
N. Conselho de Classe / ART PGRS: CREA – Ba
46.132 (ART anexo)

 Tipo de Atividade: Fabricação (por mistura e dosagens) de


produtos (aditivos) de panificação industrial.

b) Endereço para correspondência:

Destinatário: ERIC VACCAREZZA ADVOGADOS


ASSOCIADOS
Endereço: Rua Arnold Silva, nº 50, Kalilândia, Feira de
Santana, Bahia, Brasil.
CEP: 44.001-056
Telefone: (75) 3623-1016

2.0 Resíduos Gerados

Tabela II

Descrição do sistema de coleta, transporte, tratamento e disposição


final dos resíduos sólidos industriais, relacionados ao processamento e
dos demais resíduos de outras áreas da fábrica (lixo doméstico).

Descrição do PGRS

 Classe: III – Inertes

 Unidade e equipamento gerador: Áreas de Produção e


Embalagens

Relação dos pontos de origem de sub produtos e resíduos sólidos nos


processos de fabricação.

 Acondicionamento e armazenagem: Área de Lixo

 Tratamento Adotado: Não se aplica

 Freqüência de Geração: Diária

 Período de Funcionamento:
- 7 às 12h e 13:30h às 17:30h de segunda a quarta-feira

- 7 às 12h e 13:30h às 17:00h quinta e sexta


 Estoque:
Embalagens (caixas de papelão) – 32 und/dia
Embalagens (Saco de papel) – 117 und/dia
Embalagens (Sacos Plásticos) – 216 und/dia
Tambores metálicos – 1 und/dia
Lixo Doméstico: 22 und/dia

3.0 Plano de Movimentação de Resíduos

Tabela III

 Tipo de Resíduo: Lixo doméstico, embalagens/papel, e plásticos

 Data de Entrada: Diária

 Quantidade: Tabela III em anexo

 Local de estocagem temporário: Área de Lixo

 Data prevista para saída: Embalagens recicláveis- diária


Lixo doméstico – semanal
Tambores - mensal

 Quantidade de saída: Total

 Transporte a ser utilizado:


o Transporte manual do lixo doméstico ate o veículo de coleta
(terceirizado)
o Transporte manual do lixo reciclável até veículo do
responsável (doação)

 Destinação Final:
o Aterro/lixo doméstico
o Reciclagem/embalagens papelão e plástico

4.0 Plano de Gerenciamento - Descrever.

4.1) Programa de Redução na Fonte Geradora

Descrição Geral do PGRS

4.1.1 – Introdução
 Racionaliza-se o uso de matérias-primas e insumos,
evitando o desperdício e conseqüentemente prejuízo
financeiro.
 Todos os resíduos passivos de reuso ou
reaproveitamento são encaminhados ao mercado da
reciclagem (papel, plásticos e comércio de sucata),
quando não reaproveitados na empresa.
 Embalagens de aditivos – tonéis de polisorbato-80 e
óleo de soja são encaminhados a empresa de resíduo
licenciada.
 Os resíduos da produção são coletados manualmente
e por varrição e acondicionados temporariamente
enfardados e estocadas temporariamente em área
exclusiva para lixo, coberta, com piso impermeável e
acesso restrito, nos fundos da empresa.

4.1.2 – Subprodutos e Resíduos


Tabela III anexo

4.1.3 - Classificação dos resíduos:


Classe: III – Inertes

4.2) Acondicionamento
 Embalagem de papel – enfardadas e empilhadas na
área de lixo, setor recicláveis
 Plásticos (recipientes e/ou embalagens) – empilhadas,
na área de lixo
 Tonéis de aditivos – empilhados, em área impermeável,
no pátio contíguo à área de lixo
 Lixo sanitário – acondicionado em sacos plásticos de
100L e armazenado na área de lixo, dentro de um
reservatório de fibra
 Lixo orgânico – acondicionado em saco plástico na área
de lixo
*A área de resíduos mede 5,20m x 2,90m mais uma
área de apoio medindo 5,20 x 2,60m, absorvendo a
produção de resíduos da empresa.

4.3) Procedimentos:
 Os funcionários usam luvas e botas como EPIs e
lacram os sacos plásticos, especialmente os do lixo
doméstico e de papeis sanitários

4.4) Equipamento de Proteção Individual:


 Máscara descartável, luvas e botas, além do
fardamento completo

4.5) Higienização dos EPIs.


 Os funcionários usam EPIs específicos para cada
função e neste caso, serão utilizados luvas e botas.
Cada um se responsabiliza pela manutenção e higiene
de seus equipamentos, que devem ser lavados com
sabão neutro e guardados nos armários individuais
dos vestiários.

4.6) Coleta/Transporte Interno dos subprodutos e Resíduos


 Procedimento de Coleta e Transporte interno: Manual
e carrinhos
 Materiais usados na coleta e transporte interno:
Luvas, botas, vassouras e pás
 Medidas a serem tomadas em caso de rompimento
das embalagens: Varrição e coleta manual do
material
 Higienização dos materiais empregados na limpeza:
Lavar com água e sabão neutro
 Planta Baixa do Estabelecimento com as rotas dos
resíduos: Anexo

4.7) Estocagem Temporária

Descrição da área de armazenamento temporário relacionada aos


seguintes itens:

1) Impermeabilização do piso – cimento

2) Cobertura e ventilação – cobertura com telha Eternit,


com abertura para ventilação

3) Drenagem de águas pluviais – fossa séptica

4) Drenagem de líquidos percolados e derramamentos


acidentais – não se aplica

5) Bacia de Contenção – Não se aplica

6) Isolamento e sinalização – Local fechado e isolado da área


de preparação e armazenamento dos alimentos, de forma
a evitar focos de contaminação e atração de vetores e
pragas urbanas.

7) Acondicionamento adequado - O estabelecimento dispõe


de recipientes identificados e íntegros, de fácil higienização e
transporte, em número e capacidade suficientes para conter os
resíduos.

7) Controle de operação – de acordo com o POP Manejo de


resíduos, com observações e aplicação de check lists

9) Treinamento de Pessoal – Admissionais e periódicos


a) Nome do profissional ligado a área de segurança no
trabalho: Ester Heyde De Silva Lima Nascimento
Registro profissional MTE n.º 10968 BA
b) Nome do profissional ligado a área de Educação
Ambiental: Fabiana Costa Coqueiro

10) Monitoramento de Área – a área é monitorada de acordo


com o Procedimento Operacional Padrão de Manejo de Resíduos
através da aplicação de observação diária e aplicação de Check-
list para avaliação de manejo dos resíduos

11) Rotulagem de “Containeres” e estado de conservação -


recipientes identificados e íntegros

12) Planta baixa com a localização das áreas de estocagem


(temp)
Planta baixa em anexo

4.8) PRÉ – TRATAMENTO

Deve-se especificar tipo, quantidade e características dos


resíduos gerados pela operação do equipamento de trabalho.
Não se aplica

4.9) COLETA / TRANSPORTE EXTERNO

1) Sistema de Coleta Seletiva


2) Programa de treinamento da equipe de coleta
3) Cópia da Autorização de Transporte de Resíduos
Perigosos
4) Logística de Movimentação até a destinação final
5) Plano de Contingência Adotado para casos de acidentes
ou incidentes causado por manuseio incorreto.

Dentre todos os tópicos discriminados, nada se aplica, visto


que a coleta é efetuada por terceirizado, com transporte próprio e
encaminhado até o Aterro do Município, gerando comprovante de
entrega do lixo no aterro, que fica armazenado na empresa.

4.10) PLANO DE CONTINGÊNCIA

1.OBJETIVO:
2.DESCRIÇÃO

Não se aplica

5.0. - Licença Ambiental da unidade receptora (dos resíduos


domésticos)
Os lixos domésticos são enviados para o aterro sanitário.
Licença ambiental da empresa receptora de tonéis em anexo.

6.0.- EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Descrição preliminar do Programa de Educação Ambiental (Resumo)


Em anexo

 Profissional responsável pelo Programa de Educação


Ambiental:
Fabiana Costa Coqueiro

 Profissional Responsável pela elaboração do P.G.R.S.:

______________________________________________
Fabiana Costa Coqueiro – CREA – BA 46.132

 Ciente deste PGRS,

__________________________________________
Nome e assinatura do Responsável Legal