Você está na página 1de 2

Bioestatı́stica e Delineamento Experimental

Licenciatura em Genética e Biotecnologia


Exame

Duração: 2h (+ 30min tolerância) 24/06/2019

1. O número de pneus que um automóvel troca numa oficina especializada é uma variável aleatória com
função de probabilidade resumida no quadro seguinte (k ∈ R):

x 1 2 3 4
f (x) 0.15 3k 0.05 k

(a) (0.75 val.) Mostre que 20% dos automóveis que recorrem a esta oficina trocam os quatro pneus.
(b) (0.75 val.) Na fatura da troca dos pneus é incluı́do o custo da mão de obra, sabendo-se que o mecânico
demora 10 minutos a trocar um pneu e o custo por hora é 30 euros. Calcule o custo médio da mão de obra
na troca de pneus de um automóvel na oficina.
(c) (1.0 val.) Determine a probabilidade de o 10.o automóvel a chegar à oficina em certo dia ser o primeiro
a trocar os quatro pneus.
(d) (1.5 val.) A oficina dispõe de 250 pneus no seu stock. Determine a probabilidade de não haver pneus
suficientes para satisfazer os pedidos de troca de pneus de 100 automóveis antes do próximo reabastecimento
de pneus.

2. Em determinada cidade, o número de acidentes diários que envolvem trotinetas elétricas (comunicados às
autoridades policiais) é uma variável aleatória com distribuição de Poisson, sabendo-se que a probabilidade
de ocorrerem 2 acidentes num dia é o dobro da probabilidade de ocorrerem 3 acidentes.
(a) (1.0 val.) Mostre que ocorrem em média 1.5 acidentes por dia com trotinetas elétricas nessa cidade.
(b) (1.25 val.) Determine a probabilidade de, numa semana, existirem 3 dias com mais de 2 acidentes
diários.
(c) (1.5 val.) Determine a probabilidade de ocorrerem entre 10 e 15 acidentes (inclusive) ao longo de uma
semana, admitindo que há independência entre os números de acidentes em diferentes dias.

3. O tempo que um camião demora a percorrer o túnel do Marão no sentido Vila Real – Porto é uma
variável aleatória com distribuição normal de média 4 minutos e desvio-padrão 0.2 minutos, enquanto que
o tempo para percorrer o túnel no sentido contrário Porto – Vila Real tem distribuição normal com média
4.2 minutos e desvio-padrão 0.1 minutos.
(a) (1.0 val.) Determine a percentagem de camiões que percorrem o túnel do Marão no sentido Vila Real
– Porto em menos de 3 minutos e 30 segundos.
(b) (1.5 val.) Calcule a probabilidade de um camião no sentido Porto – Vila Real demorar menos tempo
a percorrer o túnel do Marão do que um camião no sentido Vila Real – Porto.

4. (2.25 val.) Num inquérito dirigido a alunos de 1.o Ciclo da UTAD, foram selecionados de modo aleatório
250 alunos, sendo que 115 desses alunos responderam que usam frequentemente os transportes públicos
para se deslocarem para o campus. Determine um intervalo de confiança a 98% para a proporção de alunos
de 1.o Ciclo que utilizam frequentemente transportes públicos.

5. (2.75 val.) Num estudo sobre o impacto da circulação rodoviária sobre a qualidade do ar numa pequena
cidade, registou-se em simultâneo os ı́ndices de poluição em dois locais: junto à principal entrada rodoviária
na cidade (local 1) e no parque da cidade (local 2). Os dados recolhidos encontram-se na seguinte tabela:
Índice de poluiç~
ao Média Desvio-padr~
ao
Local 1 2.92 3.45 5.35 3.81 4.69 4.86 5.81 3.22 4.264 1.060
Local 2 0.95 3.1 5.4 3.44 3.69 4.95 4.47 3.05 3.631 1.385
Diferença 1.97 0.35 -0.05 0.37 1 -0.09 1.34 0.17 0.633 0.734

Obtiveram-se os seguintes resultados com o auxı́lio do R:


Shapiro-Wilk normality test Shapiro-Wilk normality test Shapiro-Wilk normality test
data: Local 1 data: Local 2 data: Diferenca
W = 0.9392, p-value = 0.6034 W = 0.9378, p-value = 0.5891 W = 0.8896, p-value = 0.2321

Realize o teste adequado para verificar se o ı́ndice de poluição médio junto à entrada rodoviária na ci-
dade é significativamente superior ao ı́ndice de poluição médio no parque da cidade. Utilize um nı́vel de
significância (n.s.) de 1%.

6. Uma empresa responsável pela execução de testes de segurança dos carros está a analisar a segurança dos
carros dos segmentos citadinos (A–compacto, B–pequeno familiar, C–médio familiar, D–grande familiar).
Após a seleção de uma amostra aleatória de três carros de cada segmento, registou-se a pressão aplicada na
cabeça de um boneco no lugar do condutor num teste de impacto lateral. Os dados recolhidos encontram-se
na seguinte tabela:
Df Sum Sq Mean Sq F value Pr(>F)
segmento
segmento 3 69482 23161 18.68 0.000568
A B C D
Residuals 8 9918 1240
574 469 483 394
605 527 456 440
Multiple Comparisons of Means: Tukey Contrasts
639 525 402 375
ȳi· 606 507 447 403 95% family-wise confidence level
Estimate lwr upr
Levene’s Test for Homogeneity of Variance B - A == 0 -99 -191.097 -6.903
C - A == 0 -159 -251.097 -66.903
Df F value Pr(>F)
D - A == 0 -203 -295.097 -110.903
group 3 0.1319 0.9384 C - B == 0 ?? ?? ??
8 D - B == 0 -104 -196.097 -11.903
D - C == 0 -44 -136.097 48.097
(a) (1.25 val.) Ao n.s. de 5%, teste se o segmento do carro tem efeito sobre a pressão exercida na cabeça
do condutor num impacto lateral.
(b) (1.5 val.) Ao n.s. de 5%, teste quais os segmentos de carros que apresentam pressões médias significa-
tivamente diferentes entre si e decida qual o(s) segmento(s) de carros mais seguro. Calcule previamente o
intervalo de confiança em falta.

7. Selecionou-se de modo aleatório 10 anúncios de vendas de automóveis usados de certo modelo, registando-
se a idade dos automóveis (em meses) e respetivos preços de venda (em centenas de euros):
idade 25 24 3 16 14 11 9 10 19 24
preço 127.5 132.5 165 137.5 137.5 150 145 159 121.9 123.9

Os dados foram tratados no R, obtendo-se os seguintes resultados:


Coefficients:
Estimate Std. Error t value Pr(>|t|)
(Intercept) 167.1773 5.3127 31.467 1.13e-09
idade -1.7547 0.3119 -5.625 0.000495
Residual standard error: 6.964 on 8 degrees of freedom
Multiple R-squared: 0.798, Adjusted R-squared: 0.773

(a) (0.5 val.) Calcule uma estimativa do preço esperado de um carro com dois anos.
(b) (1.5 val.) Utilize um teste de hipóteses para validar a seguinte afirmação: “por cada mês extra da
idade do carro, o preço do carro desce, em média, 150 euros”. Utilize um n.s. de 2%.