Você está na página 1de 9

58

FIBONACCI
59

INTRODUÇÃO AO FIBONACCI

Leonardo Fibonacci nasceu entre 1170 e 1180, era filho de um mercador


proeminente, também funcionário público, vivendo provavelmente
numa das muitas torres de Pisa.

Uma torre servia como lugar de trabalho, fortaleza e residência da família


e eram assim construídas para permitir que as flechas pudessem ser
atiradas das pequenas janelas e atingissem estrangeiros ou quem quer
que não fosse amigo. Durante a vida de Leonardo, a torre inclinada de
Pisa estava sendo construída. Ela foi a última das três grandes edificações
construídas em Pisa, já que a catedral e o batistério ficaram prontos
alguns anos antes.

Ele recebeu educação de alto nível ,Leonardo, falava Francês, Grego e


Latim, no qual era fluente. Quando seu pai foi transferido para o norte
da África, foi instruído a completar sua educação, período durante o qual
Leonardo fez muitas viagens de negócios em torno do Mediterrâneo.
Então, voltando de uma das suas viagens do Egito, publicou um livro
de cálculos denominado “Líber Abaci” que introduziu na Europa uma
das maiores descobertas matemáticas de todos os tempos, o sistema
decimal.

Fibonacci, após expressar o princípio básico do ábaco em “Líber Abaci”


começou a usar o novo sistema durante suas viagens e, através dos seus
escritos transmitiu para a Europa não só o novo sistema, bem como seu
fácil método de cálculo. Gradualmente o antigo uso dos Algarismos
Romanos foi sendo substituído pelo sistema dos Algarismos Arábicos. A
introdução do novo sistema na Europa foi a primeira façanha importante
no campo da matemática após a queda de Roma, sete séculos antes.
Fibonacci não apenas manteve a matemática viva durante a Idade
Média, como assentou as bases para grandes desenvolvimentos no
campo da alta matemática e nos campos afins da física, astronomia
e engenharia.

Embora a posteridade o tenha perdido de vista, inquestionavelmente,


Fibonacci foi um homem do seu tempo. Sua fama era tanta que
Frederico II, cientista e Imperador do Sacro Império Romano, Rei
da Sicília e Jerusalém, herdeiro de duas das mais nobres famílias na
Europa e Sicília, e o mais poderoso príncipe daqueles dias foi conhece-
lo, pois necessitava de solução para alguns problemas que envolviam
a matemática. As idéias de Frederico eram as de um monarca e se
60

rodeava com toda a pompa de um imperador Romano.

O encontro entre Fibonacci e Frederico II ocorreu em 1225 e foi um evento


de grande importância para a cidade de Pisa. O imperador a cavalo
liderava uma longa procissão de trombeteiros, cortesões, cavaleiros,
oficiais e uma coleção de animais selvagens. Alguns dos problemas
apresentados pelo imperador a Fibonacci estão detalhados no seu livro
“Líber Abaci”. Aparentemente os problemas apresentados pelo imperador
foram solucionados e por este motivo Fibonacci tornou-se bem vindo
para sempre em sua corte. Quando revisou o “Líber Abaci” em 1228
dedicou a edição revisada a Frederico II. Não seria exagerar dizer que
Leonardo Fibonacci foi um dos grandes matemáticos da Idade Média.
Ao todo, escreveu três trabalhos matemáticos importantes: o “Líber
Abaci”, publicado em 1202 e revisto em 1228, o “Pratica Geometriae”,
publicado em 1220, e o “Líber Quadratorum”. Para aqueles interessados
em se aprofundar na obra de Fibonacci, o livro intitulado “Leonardo de
Pisa e a Nova Matemática da Idade Média” por Joseph e Francês Gies,
é um excelente trabalho sobre o período de Fibonacci e seus trabalhos.

Embora tenha sido um dos grandes matemáticos dos tempos medievais,


os únicos monumentos em sua homenagem são uma pequena estátua
no cruzamento do rio Arno com a Torre Inclinada e duas ruas, uma em
Pisa e outra em Florença que receberam seu nome. Parece estranho
que tão poucos visitantes dos 179 degraus de mármore da Torre de
Pisa, tenham ouvido falar de Fibonacci ou viram sua estátua. Fibonacci
era contemporâneo de Bonanna, o arquiteto da Torre, cuja construção
iniciou-se em 1174. Os dois homens fizeram grandes contribuições para
o mundo, mas aquele cuja influência de longe excedeu a do outro é
quase um desconhecido.

Fibonacci chegou ao mercado financeiro, mais especificamente na


análise técnica, pelas mãos de Ralph Nelson Elliott. Quando este último,
após ter sido apresentado por seu amigo Charles J. Collins aos editores
do “Financial Word Magazine” publicou sua teoria através de uma série
de 12 artigos em 1939. Em 1946, dois anos antes de sua morte, Elliott
escreveu sua obra definitiva sobre o Princípio das Ondas, “Nature’s
Law – The Secret of the Universe”.

A base de todo o seu trabalho foram as relações matemáticas definidas


pela seqüência de Fibonacci (os números de Fibonacci).
61

A SEQUÊNCIA FIBONACCI
A resposta a uma questão apresentada no livro “Líber Abaci” deu
origem à sequência dos números 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144..., hoje
conhecida como a sequência de Fibonacci. O problema foi:

A partir de um casal de coelhos colocados dentro de uma área


fechada, pergunta-se: quantos pares de coelhos teremos em um
ano, sabendo-se que cada par gera um novo par a cada mês, a
partir do segundo mês?

Para chegar à solução, sabemos que cada par, incluindo o primeiro casal,
necessita de um mês de maturação, mas uma vez em produção, gera
um novo para a cada mês. O número de pares é o mesmo no começo
dos dois primeiros meses. De modo que os dois primeiros números
da sequência são: 1, 1.

O primeiro par finalmente dobra seu número durante o segundo mês,


de modo que no início do terceiro mês temos dois pares. Desses, o par
mais velho gera um terceiro par no mês seguinte de modo que no início
do quarto mês, a sequência se expande para 1, 1, 2, 3. Desses três, os dois
pares mais velhos reproduzem, e o mais jovem ainda não, de modo
que o número de pares cresce para cinco. No próximo mês, três pares
reproduzem de modo que a sequência se expande para 1, 1, 2, 3, 5, 8 e
assim por diante. Se continuarmos a sequência veremos que cresce com
rapidez logarítmica e em poucos anos o número se tornará astronômico.
Em 100 meses, por exemplo, teríamos 354.224.848.179.261.915.075 pares
de coelhos.

A sequência de Fibonacci resultante do problema dos coelhos tem


propriedades muito interessantes e reflete uma relação quase constante
entre os seus componentes. Eis algumas delas:

Na sequência a soma de dois números adjacentes forma o próximo


número mais alto, i.é.,1 mais 1 igual a dois, 1 mais 2 igual a 3, 2 mais 3
igual a 5, 3 mais 5 igual a 8 e assim por diante até infinito.

Após os quatro primeiros números, a razão entre dois números


consecutivos na sequência aproxima-se de 1,618 ou o seu inverso,
0,618. Assim a razão de qualquer número para o próximo número mais
alto, chamado phi, é aproximadamente 0,618 para 1 e para o próximo
número mais baixo é aproximadamente 1,618 para 1. Quanto mais alto
os números, mais próximos de 0,618 e 1,618 serão as razões entre eles.
62

Na sequência a razão entre números alternados é de 2,618 ou o seu


inverso 0,382. Algumas afirmações da inter relação das propriedades
dessas quatro razões principais podem ser listadas a seguir:

2,618 - 1,618 = 1
1,618 - 0,618 = 1
1- 0,618 = 0,382
2,618 x 0,382 = 1
2,618 x 0,618 = 1,618
1,618 x 0,618 = 1
0,618 x 0,618 = 0,382
1,618 x 1,618 = 2,618

Com a exceção de 1 e 2, qualquer número da sequência de Fibonacci


multiplicado por 4, quando somado a um número selecionado da série
de Fibonacci, dá outro número de Fibonacci, de modo que:

3 x 4 = 12+1 = 13
5 x 4 = 20+1 = 21
8 x 4 = 32+2 = 34
13 x 4 = 52+3 = 55
21 x 4 = 84+5 = 89

e assim por diante

Assim que a nova sequência avança, uma terceira sequência começa


naqueles números que são adicionados à multiplicação por 4. Esta
relação é possível porque a razão entre o segundo número alternado
de Fibonacci, é 4, 236, onde 0,236 é tanto o seu inverso como sua
diferença do número 4.

A soma de quaisquer dez números consecutivos da sequência é sempre


divisível por 11.

A lista de fenômenos relacionados com a sequência de Fibonacci é


enorme e poderíamos continuar citando uma infinidade deles, mas
não vem ao nosso propósito.

As razões 1,618 para 1 e 0,618 para 1 são conhecidas como as razões


douradas (a razão perfeita), que dão origem à espiral dourada. Elas são
encontradas em tal extensão no universo que muitas vezes referem-se
a elas como uma “Lei da Natureza”. Elliott teorizava que o progresso da
humanidade através da história seguiu uma lei natural de crescimento
e decadência baseada na sequência de Fibonacci. Acredita-se que este
padrão de
63

crescimento segue a espiral logarítmica definida pela sequência de


Fibonacci. Acredita-se que esta espiral não apenas descreve os padrões
de crescimento vistos através da expansão espiralada das galáxias do
universo,
mas também mantém uma forma de diminuição constante na direção
dos menores elementos da natureza.

Saindo fora da matemática, vamos ao que interessa. Os números


de Fibonacci são usados pelos observadores do mercado de muitas
maneiras para chegar às decisões de Alvos.

Alguns usam os próprios números para projetar pontos de virada do


mercado numa base anual, mensal, semanal, diária, horária, ou outra
periodicidade de dados.

Outros usam as razões dos números como uma referência para monitorar
o mercado e projetar áreas de suporte e resistência.

Outros, ainda, usam as razões como guias para determinar níveis de


retração durante as correções do mercado ou para projetar os pontos
de virada do mercado.
64

COMO EU UTILIZO O FIBONACCI

Eu traço a Fibonacci da seguinte forma:

Com Time frame de 10 minutos, Traçado apenas com gap.

O ponto de início é o último candle do dia anterior (fundo se o mercado


abrir em alta ou topo se o mercado abrir em baixa).

O outro ponto de referência de topo ou fundo é traçado 30 minutos


após a abertura do mercado, porque já são 3 candles de 10 minutos,
que já dá um direcionamento do mercado.

FIBONACCI NO DAY TRADE

Ativos: Índice ou Dólar.

Ferramentas: Preço de Fibonacci (ou retração de Fibonacci)


Configuração dos níveis : -11,8% ; 0% ; 23,6% ; 38,2% ; 76,4% ; 100% ; 111,8%
; 141,4%.

Como utilizar: Ligar um fundo a um topo (ou um topo a um fundo).


Operações serão feitas em 23,6% e -11,8% a favor da tendência. Já o nível
de 111,8% é realizado contra a tendência.

Essa ferramenta pode ser usada em qualquer time frame ou Renko.

FIBONACCI PARA SWING TRADE

Ativo: Ações

Configuração dos Níveis: -11,8% ; 0% ; 23,6% ; 76,4% ; 100% ; 111,8% ; 141,4%


; 161,8% ; 261,8% e 423,6%.

Entrada: No níveis de Fibonacci 23,6% ; 141,4% e 161,8%.

Stop gain: Buscar os alvos de Fibonacci acima ou abaixo.

Stop loss: Nos níveis acima ou abaixo.

FIBONACCI - CONFLUÊNCIA - DIAS ANTERIORES E DIAS ATUAIS

Como traçar Fibonacci de um dia para o outro

(Lembrando que sempre uso fibonacci quando há gap)


65

Como explicado na aula “como eu utilizo o Fibonacci”, pego o último


candle do dia anterior e traço o ponto de topo ou fundo 30 minutos
após a abertura do mercado.

Costumo deixar os fibos com gaps de dias anteriores traçados para usar
como ponto de referência, pois há confluências com o fibo atual, fazendo
com que reforce a indicação de operação naquele determinado ponto.

Quando há confluência de linhas de fibo, indica que aquele preço é um


ponto bom de suporte ou resistência, aumentando a probabilidade de
uma entrada mais certeira.

FIBONACCI - DINÂMICA DOS PREÇOS

Veremos a diferença da dinâmica do Fibonacci tradicional com a


Fibonacci do Marco Rossi.

Fibo Tradicional:
Traçaremos normalmente (topo e fundo), e a dinâmica é a seguinte:
segurou no nível de 38,2% ele buscará o alvo de 100%, se romper o 100%
e não for um falso rompimento buscará o 161,8%.

Dependendo do tamanho que traçar, o preço não se movimentará


até o 38,2%, por isso temos o 61,8% como uma referência de entrada
também.

Fibonacci Marcos Rossi:


A forma de traçar é idêntica ao tradicional, mas a diferença são os níveis
e a forma de como é analisado cada nível.

Para ele, o mercado vai trabalhar entre o 76,4% e buscará o alvo de


100%, se romper o 100% ele buscará o 111,8%.

No nível de 23,6%, muitas vezes é o fechamento de Gap, bem como o


último nível de retração considerado pelo Rossi.

Sendo assim, Rossi define a chamada “zona de filé” entre o 23,6% e o


76,4%, um range de lateralidade onde podem ser executadas diversas
operações nas extremidades.

Os níveis de 111,8% e -11,8% são os pontos de “violinadas”, então vale


prestar atenção no momento de colocar o stop na operação.
66

SETUPS