Você está na página 1de 8

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIAS

CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

5º Ano

Resumo do Capitulo 2, do livro de Archibald

Ar atmosférico e ar poluido
Luanda –Angola

Ano lectivo de 2018

Índiçe

Ar atmosférico e ar poluído..........................................................................................3
Propriedades das partículas dos aerossoís.............................................................4
Proteção do meio ambiente contra a poluição........................................................5
Valores limiares de tolerância(VLT)............................................................................5
Considerações breves sobre toxicologia industrial...............................................6
Classificação das substâncias segundo seus efeitos toxícos............................6
Atuação dos contaminantes no organismo humano..............................................6
Mecanismo de defesa do organismo..........................................................................6
CONCLUSÕES..................................................................................................................6
Bibliografia........................................................................................................................7
Ar atmosférico e ar poluído

O ar atmosférico é uma mistura de gases, contendo pequena quantidade


de matérias sólidas em suspensão.

Quando puro a sua composição é Nitrogénio, gases raros , hidrogênio


79%;oxigênio 20,99%; e CO2 0,03%. Em locais ondes existam pessoas a
umidade relativa do ar é de 50% e a temperatura de 21º as percentagems
podem ser de:

O estado higromético do ar e a existência de industrias poluidors e de


grandes números de veiculos trafegando em uma cidade alterem os valores
percentuais acima indicados, a simples presença do homem em um ambiente
altera as taxas dos componentes do ar. As taxas a 36ºC e 100% de umidade
relativa assumem os valores seguintes;

Segundo a pesquisa realizada pelo Prof. Ernesto Schneider revela que


42% das subtâncias toxicas espalhadas no ar de um centro urbano de muito
tráfego provém dos gases de escapamento dos veiculos automoveis, 35%
provém das indústrias e 23% dos fogões domésticos.

O consumo normal de ar por um homem com peso de 68,5kg é o


seguinte;
O ar, mesmo considerado puro, contém normalmente quantidades
pequenas de poeira de origem mineral, vegetal ou animal, além de bactérias e
os chamados odores, que são gases de origem vegetal ou animal,
desagradáveis ou não ao olfato. Acima de certa concentração essas
substâncias, passam a constituir poluentes ou contaminantes ocasionando
prejuízos á saúde humana e danos ecológicos. Vejamos os principais
poluentes: fumos, poeiras, fumaça, névoas, organismos vivos (os víros), gases
e vapores de proçessos industriais, fuligem. (Vapor condensados).

Fumos: são particulas solidas extremamente pequenas em suspenão no


ar, geralmente em diametros inferiores a 10 mícron, chegando até a 1 mícron
mm. Ex: Clorecto de amônio, o oxido de chumbo, etc.

Poeiras: são partículas sólidas, predominantemente maiores com


diamentro compreendido entre 1 a 100 mícron mm, são em consequençia de
operaçôes de britagem, moagem, trituração, esmerilhamento, peneiramento,
etc. As poeiras de dimenções maiores são designadas de areias finas, ou ainda
material fragmentado.

Fumaça: são sistemas constituídos por produtos resultantes da


combustão incompleta de materiais orgânicos. Por ex: lenha, carvão, papel,
cigarro, etc

Névoas: são sistemas constituídos por gotículas líquidas com diâmetros


entre 0,1 ou menos 0,01 mícrom e 100 mícrom, resultantes da condensação de
vapores sobre certos núcleos, ou da dispersão mecânica de líquidos em
consequênçias de operações de pulverização, nebulização, respingos, etc

Gás: é um estado de agregação da matéria, não possui forma e volume


próprios e tende a expandir-se indefinidamente.

Vapor: é a forma gassosa da matéria, a qual, à temperatura ordinária,


pode ser reduzida total ou parcialmente ao estado líquido.

Fuligem: são partículas finamente divididas de produtos de queima de


carvão óleo combustível e que são carregadas nos gases de combustão em
geral de formalhas e queimadores de caldeiras. Alguns autores classificam
simplismente em: poeiras, liquidos e gases, e fumanças.
Propriedades das partículas dos aerossoís

O comportamento das partículas no ar e sua velocidade de


sedimentação dependem: do tamanho das partículas, densídade das mesmas,
da concentração de partículas no ar e movimento do ar. Estas propriedades
são levadas em consideração nos captores e nos eliminadores de partículas do
ar como filtros, ciclones, etc.

O tamanho aerodinâmico de uma particula é o diametro ou o raio de


uma esfera hipotética, tendo a mesmo velocídade de queda da particulae uma
massa específica euma massa específica igual a 1g/cm 3.

Evaporação e condensação: as partículas muito finas podem funcionar


como núcleos de condensação de umidade nos processos de transferência de
massa na condensação e evaporação. Essa difusão de massa varia
proporcionalmente com a área superficial das partículas.

Adesividade: quando uma pequena camada de líquido se espalha


sobre uma superfície fica sujeito a forças de adesão proporcionais á atração
molecular. O fenômeno de adesão está relacionado com o fenômeno de tensão
superficial e com as chamadas forças de Van de Waals.

Densidade: a densidade de uma partícula formada por dispersão de um


sólido será a mesma do material que a originou.

Adsorção: é a concentração de partículas dissolvidas sobre uma


superfície de um corpo.

Carga eletrostática: é quando existe o choque ou atrito entre as


partículas em um meio gasoso, provocando a transferência de elétrons livres o
que comunica às partículas uma certa carga elétrica.

Proteção do meio ambiente contra a poluição

Em 15 de março de 1985 foi criado o Ministerio de Desenvolvimento


Urbano e Meio Ambiente, e em 03 de junho foi alterado o regimento inicial pelo
Conselho Nacional do Meio Ambiente(CONAMA) com as seguintes atribuições;

-Oferecer apoio tecnico da Secretaria Especial do Meio


Ambiente(SEMA) normas, critérios gerais para o licenciamento das atividades
potenciamento poluidoras;
-Determinar quando julgar necessário, antes ou após o respectivo
licenciamento, das possiveis consequênçias ambientais de projectos públicos
ou privados de grande porte;

-Establecer, com base em estudos da SEMA normas criterios, relativo ao


controle e manutenção da qualidade do meio ambiente.

Valores limiares de tolerância(VLT)

Correspondea uma concentração média de substâncias suspensas no ar


de um certo ambiente de trabalho em um intervalo de tempo e que apresenta
condições de segurança que quase todos os trabalhadores possam estar
expostos a esse ar sem ocorrer um efeito adverso.

Existem três valors limitantes de tolerância mais conhecidas e que são

TLV-TWA, TLV-STEL e TLV-C.

Existem algumas tabelas que indicam os valores limitantes tolerantes de


substâncias como poieras fumancas e neblinas tóxicas ao organismo humano.
Além destas tabelas existem outras referênçias baseiadas na experiência de
seus autores como a TL, MAC, RMC e HSDI.

Considerações breves sobre toxicologia industrial

A toxicologia industrial é o ramo da toxicologia que trata da exposição


casual do tecido biologicodo homem a produtos quimicos bastantemente
poluentes do seu ambiente e de seus alimentos.

Os agentes toxicos podem chassificar-se em : irritantes, asfixiantes,


narcóticos e toxicos sistênicos.

Classificação das substâncias segundo seus efeitos toxícos


As substâncias segundo seus efeitoss toxicos classificam-se em:
venenos por concentração, venenos crónicos, venenos cumulativos e venenos
alditivos.

Atuação dos contaminantes no organismo humano

A atuação dos contaminastes no organismo é feito da seguinte forma:


atravez da pele, pelo trato digestivo, pelo aparelho respiratório,

Mecanismo de defesa do organismo

A figura abaixo mostra os bastiões de defesa de organismos contra as


infecções ou envenenament por substâncias estranhas.
Conclusões

O ar, mesmo considerado puro, contém normalmente quantidades


pequenas de poeira de origem mineral, vegetal ou animal, além de bactérias e
os chamados odores, que são gases de origem vegetal ou animal,
desagradáveis ou não ao olfato.

Bibliografia

M, Archibald Joseph. Ventilação Industrial e controle da poluição. Editora LTC.


Rio de Janeiro. Brasil. 2011. 403 Pag.