Você está na página 1de 8

CIÊNCIAS HUMANAS

E SUAS TECNOLOGIAS

FRENTE: SOCIOLOGIA
EAD – MEDICINA
PROFESSOR: JOÃO SARAIVA
AULA 05

ASSUNTO: AS PRINCIPAIS CORRENTES TEÓRICAS E AS POSSIBILIDADES DE ANÁLISE CIENTÍFICA DOS PROBLEMAS SOCIAIS
(A SOCIOLOGIA CRÍTICA DE KARL MARX)

Para Marx os trabalhadores estariam dominados pela


ideologia da classe dominante, ou seja, as ideias que eles têm do
mundo e da sociedade seriam as mesmas ideias que a burguesia
espalha. O capitalismo seria atingido por crises econômicas porque
ele se tornou o impedimento para o desenvolvimento das forças
Rochas magmáticas produtivas. Seria um absurdo que a humanidade inteira se dedicasse
a trabalhar e a produzir subordinada a um punhado de grandes
empresários. A economia do futuro, que associaria todos os homens
Wikimedia Foundation

Vamos falar agora de quem e povos do planeta, só poderia ser uma produção controlada por
também viu a consolidação da sociedade todos os homens e povos. Para Marx, quanto mais o mundo se
capitalista e fez uma forte crítica a ela. unifica economicamente mais ele necessita de socialismo.
O alemão, filósofo e economista Karl
Marx (1818–1883) foi um dos Lutas de Classes e Mais-valia
responsáveis, se não o maior deles, em
promover uma discussão crítica da Não basta existir uma crise econômica para que haja uma
sociedade capitalista que se consolidava, revolução. O que é decisivo são as ações das classes sociais que,
bem como da origem dos problemas para Marx e Engels, em todas as sociedades em que a propriedade
sociais que este tipo de organização social originou. é privada existem lutas de classes (senhores × escravos, nobres
feudais × servos, burgueses × proletariados). A luta do
Para ele “a história de todas as sociedades tem sido a
proletariado do capitalismo não deveria se limitar à luta dos
história da luta de classes”. Burguesia versus proletariado.
sindicatos por melhores salários e condições de vida. Ela deveria
A teoria marxista também procura explicar a evolução das também ser a luta ideológica para que o socialismo fosse
relações econômicas nas sociedades humanas ao longo do conhecido pelos trabalhadores e assumido como luta política pela
processo histórico. Haveria, segundo a concepção marxista, uma tomada do poder. Neste campo, o proletariado deveria contar
permanente dialética das forças entre poderosos e fracos, com uma arma fundamental, o partido político; o partido político
opressores e oprimidos, a história da humanidade seria constituída revolucionário que tivesse uma estrutura democrática e que
por uma permanente luta de classes, como deixa bem claro a buscasse educar os trabalhadores e levá-los a se organizarem para
primeira frase do primeiro capítulo d’O Manifesto Comunista: tomar o poder por meio de uma revolução socialista.
A história de toda sociedade no passado é a história da luta de Marx tentou demonstrar que no capitalismo sempre
classes. Classes essas que, para Engels são “os produtos das haveria injustiça social, e que o único jeito de uma pessoa ficar rica
relações econômicas de sua época”. Assim, apesar das e ampliar sua fortuna seria explorando os trabalhadores; ou seja,
diversidades aparentes, escravidão, servidão e capitalismo seriam o capitalismo, de acordo com Marx, é selvagem, pois o operário
essencialmente etapas sucessivas de um processo único. produz mais para o seu patrão do que o seu próprio custo para a
sociedade, e o capitalismo se apresenta necessariamente como um
A base da sociedade é a produção econômica. Sobre esta regime econômico de exploração, sendo a mais-valia a lei
base econômica se ergue uma superestrutura, um estado, e as fundamental do sistema.
ideias econômicas, sociais, políticas, morais, filosóficas e artísticas. A força vendida pelo operário ao patrão vai ser utilizada
Marx queria a inversão da pirâmide social, ou seja, pondo não durante 6 horas, mas durante 8, 10, 12 ou mais horas.
no poder a maioria, os proletários, que seria a única força capaz A mais-valia é constituída pela diferença entre o preço pelo qual o
de destruir a sociedade capitalista e construir uma nova sociedade, empresário compra a força de trabalho (6 horas) e o preço pelo
socialista. qual ele vende o resultado (10 horas, por exemplo). Desse modo,
quanto menor o preço pago ao operário e quanto maior a
duração da jornada de trabalho, tanto maior o lucro empresarial.
OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

Veja um exemplo. Quantos sofás por mês um trabalhador Marx se empenhava em produzir escritos que ajudassem a
pode fazer? Vamos imaginar que sejam 15 sofás, os quais classe proletária a organizar-se e assim sair de sua condição de
multiplicados a um preço de venda de R$ 300,00 daria o total de alienação.
R$ 4.500,00. Alienado, segundo Marx, seria o homem que não tem o
E quanto ganha um trabalhador em uma fábrica? Imagine controle sobre o seu próprio trabalho, em termos de tempo e em
que seja uns R$ 1.000,00, para sermos mais ou menos generosos. termos daquilo que é produzido, coisa que o capitalismo faz em
Bem, os R$ 4.500,00 da venda dos sofás, menos o valor do larga escala, pois o tempo do trabalhador e o produto
salário do trabalhador, menos a matéria-prima e impostos (a mercadoria) pertencem à burguesia, bem como o lucro.
(imaginemos R$ 1.000,00) resulta na acumulação de R$ 2.500,00 Para entender a sociedade, por Marx, devemos partir do
para o dono da fábrica. entendimento de que as coisas materiais fazem a sociedade
Esse lucro Marx chama de mais-valia, pois é um excedente acontecer. De outra maneira, seria dizer que tudo o que acontece
que sai da força de cada trabalhador. Veja, se os meios de na sociedade tem ligação com a economia e que ela se transforma
produção pertencessem a ele, o seu salário seria de R$ 3.500,00 na mesma medida em que as formas de produção também
e não apenas R$ 1.000,00. se transformam. Por exemplo, com a consolidação do sistema
capitalista, toda a sociedade teve que organizar-se de acordo com
Então podemos dizer que o trabalhador está sendo
os novos moldes econômicos.
roubado? Não podemos dizer isso, pois o que aqui exemplificamos
é consequência da existência da propriedade privada e dos meios Marx também via o homem como aquele que pode
de produção nas mãos de uma classe: a burguesia. transformar a sociedade fazendo sua história, mas enfatiza que
nem sempre ele o faz como deseja, pois, as heranças da estrutura
No capitalismo moderno, com a redução progressiva da
social influenciam-no. Assim sendo, não é unicamente o homem
jornada de trabalho, o lucro empresarial seria sustentado por meio
quem faz a história da sociedade, pois a história da sociedade
do que se denomina mais-valia relativa (em oposição à primeira
também constrói o homem em uma relação recíproca.
forma, chamada mais-valia absoluta), que consiste em aumentar a
produtividade do trabalho, por meio da racionalização e Vamos tentar explicar
aperfeiçoamento tecnológico, mas ainda assim não deixa de ser o melhor. As condições em que se

Atthidej Nimmanhaemin/123RF/Easypix
sistema semiescravista, pois “o operário cada vez se empobrece encontram a sociedade vão dizer
mais quando produz mais riquezas”, o que faz com que ele até que ponto o homem pode
“se torne uma mercadoria mais vil do que as mercadorias por ele construir a sua história. Por essa
criadas”. lógica podemos pensar que a
classe dominante, a burguesia,
Assim, quanto mais o mundo
Aloysius Patrimonio/123RF/Easypix

tem maiores oportunidades de


das coisas aumenta de valor, mais o
fazer sua história como deseja,
mundo dos homens se desvaloriza.
pois, tem o poder econômico e
Ocorre então a alienação, já que todo
político nas mãos, ao contrário da classe proletária que, por causa
trabalho é alienado, na medida em que
da estrutura social, está desprovida de vários direitos.
se manifesta como produção de um
Para modificar essa situação somente uma revolução. Assumir o
objeto que é alheio ao sujeito criador. O
controle dos meios de produção e tomar o poder político e
raciocínio de Marx é muito simples: ao
econômico da burguesia.
criar algo fora de si, o operário se nega
no objeto criado. Para Marx, a classe trabalhadora deveria organizar-se
politicamente, isto é, conscientizar-se de sua condição de
É o processo de objetificação. Por isso, o trabalho que
explorada e dominada por meio do trabalho e transformar a
é alienado (porque cria algo alheio ao sujeito criador) permanece
sociedade capitalista em socialista por intermédio da revolução.
alienado até que o valor nele incorporado pela força de trabalho
seja apropriado integralmente pelo trabalhador. Em outras
palavras, a produção representa uma negação, já que o objeto
se opõe ao sujeito e o nega na medida em que o pressupõe e até
o define. A apropriação do valor incorporado ao objeto graças
à força de trabalho do sujeito-produtor promove a negação da
negação. Ora, se a negação é alienação, a negação da negação
é a desalienação. Ou seja, a partir do momento que
o sujeito-produtor dá valor ao que produziu, ele já não está mais
alienado.
Segundo Marx, a burguesia tomou posse dos meios de
produção, enriqueceu e também obteve o controle do Estado
(o controle político), o qual acabou transformando-se em uma
espécie de “escritório burguês”, criando leis para proteger a
1
propriedade privada (particular) e manter-se no poder, bem como Ideologia – Segundo Marx e Engels, o termo se encaixa na
1 tradução de “falsa consciência“, ou seja, um conjunto de ideias falsas
difundindo sua ideologia de classe, isto é, os seus valores de
que justificava o domínio burguês e camuflava a existência da
interpretação do mundo. dominação desta classe trabalhadora.

2 OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

Com o intuito de ampliar a taxa de extração de mais-valia


absoluta, qual seria a medida imediata mais adequada a ser
tomada por uma empresa de automóveis?
A) Aumentar o número de veículos vendidos.
01. (UEL/2008) B) Transferir sua fábrica para regiões cuja força de trabalho
seja altamente qualificada.
Sobre a exploração do trabalho no capitalismo, segundo a C) Incrementar a produtividade por meio da automatização
teoria de Karl Marx (!818-1883), é correto afirmar: dos processos de produção.
A) A lei da hora extra explica como os proprietários dos meios D) Ampliar os gastos com o capital constante, ou seja, o valor
de produção se apropriam das horas não pagas ao dispendido em meios de produção.
trabalhador, obtendo maior excedente no processo de E) Intensificar a produtividade da força de trabalho sem novos
produção das mercadorias. investimentos de capital.
B) A lei da mais-valia consiste nas horas extras trabalhadas
após o horário contratado, que não são pagas ao 3. (UEL/2006)
trabalhador pelos proprietários dos meios de produção.
C) A lei da mais-valia explica como o proprietário dos meios O misterioso da forma da mercadoria reside no fato de
de produção extrai e se apropria do excedente produzido que ela reflete aos homens as características sociais do seu
pelo trabalhador, pagando-lhe apenas por uma parte das próprio trabalho, como características objetivas dos próprios
horas trabalhadas. produtos do trabalho e, ao mesmo tempo, também da
D) A lei da mais-valia é a garantia de que o trabalhador relação social dos produtores com o trabalho total como uma
receberá o valor real do que produziu durante a jornada de relação social existente fora deles, entre objetos.
trabalho.
Adaptado: MARX, Karl. O Capital. São Paulo: Nova Cultural, 1988. p. 71.
E) As horas extras trabalhadas após o expediente constituem-se
na essência do processo de produção de excedentes e da
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é
apropriação das mercadorias pelo proprietário dos meios
correto afirmar que, para Marx
de produção.
A) as mercadorias, por serem objetos, são destituídas de
qualquer vinculação com os seus produtores.
2. (UEL/2004)
B) as mercadorias materializam a harmonia presente na
No final de 2000, o jornalista Scott Miller publicou um realização do trabalho alienado.
C) os trabalhadores, independentemente da maneira como
artigo no The Wall Street Journal, reproduzido no Estado de
produzem a mercadoria, são alijados do processo de
S. Paulo (13 dez. 2000), com o título “Regalia para
produção.
empregados compromete os lucros da Volks na Alemanha”.
D) as mercadorias constituem-se em um elemento pacificador
No artigo ele afirma: “A Volkswagen vende cinco vezes mais das relações entre patrões e tabeladores.
automóveis do que a BMW, mas vale menos no mercado do E) a mercadoria, no contexto do modo capitalista de
que a rival. Para saber por que, é preciso pegar um operário produção, possui caráter fetichista, refletindo os aspectos
típico da montadora alemã. Klaus Seifert é um veterano da sociais do trabalho.
casa. Cabelo grisalho, Seifert é um planejador eletrônico de
currículo impecável. Sua filha trabalha na montadora e, nas 4. (UFJF/2012) Considerando o conceito de classe social
horas vagas, o pai dá aulas de segurança no trânsito em formulado por Marx e por Weber, julgue os itens a seguir.
escolas vizinhas. Mas Seifert tem, ainda, uma bela estabilidade I. Para Weber, a relação entre as classes proprietárias e o
proletariado moderno é de exploração;
no emprego. Ganha mais de 100 mil marcos por ano
II. Para Marx, classe social significa a posição dos indivíduos
(51.125 euros), embora trabalhe apenas 7 horas e meia por
nas relações de produção, e o “motor da história” é a luta
dia, quatro dias por semana. ‘Sei que falam que somos caros
travada entre as classes sociais;
e inflexíveis’, protesta o alemão durante o almoço no
III. Para Weber, classe social significa a posição dos indivíduos
refeitório da sede da Volkswagen AG. ‘Mas o que ninguém em uma escala de estratificação social, cuja medida é dada
entende é que produzimos veículos muito bons’. E quanto a pelo montante de bens e salários, oportunidades de renda
lucros muito bons?” e capacidade de compra de produtos e no mercado de
trabalho;
A relação entre lucro capitalista e remuneração da força de IV. Para Marx, a relação entre a burguesia e o proletariado
trabalho pode ser abordada a partir do conceito de mais-valia, é de conflito.
definido como aquele “valor produzido pelo trabalhador [e]
que é apropriado pelo capitalista sem que um equivalente seja Marque a alternativa correta.
dado em troca”. A) Alternativa I está incorreta.
B) Alternativas II e III estão incorretas.
BOTTOMORE, Tom. Dicionário do pensamento marxista. C) Alternativas I e IV estão corretas.
Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. p. 227. D) Somente alternativa I está incorreta.
E) Somente alternativa III está correta.

3 OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

5. (UEL/2015) O dinheiro alterou enormemente as relações 7. (Unicamp/2011) A história de todas as sociedades tem sido a
sociais e, no desenvolvimento da história econômica da história das lutas de classe. Classe oprimida pelo despotismo
sociedade, atingiu o seu ápice com o modo de produção feudal, a burguesia conquistou a soberania política no Estado
capitalista. Com base nos conhecimentos sobre os estudos de moderno, no qual uma exploração aberta e direta substituiu a
Karl Marx, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, exploração velada por ilusões religiosas. A estrutura
as explicações sobre a produção da riqueza na sociedade econômica da sociedade condiciona as suas formas jurídicas,
capitalista. políticas, religiosas, artísticas ou filosóficas. Não é a
A) A mercantilização das relações de produção e de consciência do homem que determina o seu ser, mas, ao
reprodução, por intermédio do dinheiro, possibilita a contrário, são as relações de produção que ele contrai que
desmistificação do fetichismo da mercadoria.
determinam a sua consciência.
B) Enquanto mediação da relação social, o dinheiro
demonstra as particularidades das relações entre Adaptado de K. Marx e F. Engels, Obras escolhidas.
indivíduos, como as políticas e as familiares. São Paulo: Alfa Ômega, s./d., vol. 1, p. 21-23, 301-302.

C) O dinheiro tem a função de revelar o valor de uso das


mercadorias, ao destacar a valorização diferenciada entre As proposições dos enunciados anteriores podem ser
os diversos trabalhos. associadas ao pensamento conhecido como
D) O dinheiro é um instrumento técnico que facilita as A) materialismo histórico, que compreende as sociedades
relações de troca e evidencia a exploração contida no humanas a partir de ideias universais independentes da
trabalho assalariado. realidade histórica e social.
E) O dinheiro caracteriza-se por sua capacidade de expressar B) materialismo histórico, que concebe a história a partir da
um valor genérico equivalente, intercambiável por qualquer luta de classes e da determinação das formas ideológicas
outro valor. pelas relações de produção.
C) socialismo utópico, que propõe a destruição do capitalismo
6. (UEL/2007) Leia o texto a seguir. por meio de uma revolução e a implantação de uma
ditadura do proletariado.
Mudança social refere-se às modificações que ocorrem D) socialismo utópico, que defende a reforma do capitalismo,
nos padrões de vida de um povo. Essas modificações são com o fim da exploração econômica e a abolição do Estado
causadas por uma variedade de fatores, de natureza interna por meio da ação direta.
ou externa, isto é, por forças decorrentes de condições
existentes dentro do grupo ou fora dele. 8. (UEL/2007) Karl Marx exerceu grande influência na teoria
sociológica. Segundo o autor: “[...] na produção social da sua
KOENIG, S. Elementos de Sociologia. Tradução de Vera Borda, existência, os homens estabelecem relações determinadas,
5a. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976. p. 326.
necessárias, independentes da sua vontade, relações de
Com base no texto e nos conhecimentos das diferentes produção... O conjunto destas relações de produção constitui
abordagens teóricas sobre o tema, é correto afirmar: a estrutura econômica da sociedade, a base concreta sobre a
A) Émile Durkheim propôs a teoria cíclica da mudança social, qual se eleva uma superestrutura jurídica e política e à qual
isto é, as sociedades atravessam períodos de vigor político correspondem determinadas formas de consciência social”.
e declínio que se repetem.
MARX, K. Contribuição à crítica da economia política.
B) Max Weber considerou que a mudança de um estado para Tradução de Florestan Fernandes. São Paulo, Ed. Mandacaru, 1989, p. 28.
outro decorre de modificação nos fatores econômicos
essenciais, ou seja, nos métodos de produção e De acordo com o texto e os conhecimentos sobre o autor,
distribuição. é correto afirmar que:
C) Segundo Karl Marx, a mudança social é causada pela A) A superestrutura jurídica e política é o resultado do modo
interação de vários setores de uma cultura, nenhum deles como as pessoas se organizam para produzir a subsistência
podendo ser considerado primordial. material em determinada sociedade.
D) Os positivistas entendiam a mudança social como sinônimo B) A superestrutura jurídica e política é o resultado da
de progresso, isto é, definiam os estágios das sociedades, consciência social dos líderes políticos e independe do
desde os níveis mais baixos até os mais elevados, pois modo de produção em dada sociedade.
consideravam o homem capaz de atingir uma ordem social C) A superestrutura política é o resultado do modo como as
perfeita. pessoas se organizam para produzir a subsistência material
E) Tanto Karl Marx como Max Weber defendiam a teoria do em determinada sociedade, mas a esfera jurídica depende
ciclo biológico, ou seja, consideravam que a raça é o mais da consciência social.
importante determinante da cultura, e que a raça nórdica, D) A superestrutura jurídica é o resultado do modo como as
superior às outras, é a principal responsável pelo alto pessoas se organizam para produzir a subsistência material
estado de civilização. em determinada sociedade, mas a esfera política depende
da consciência social.
E) A superestrutura jurídica e política é o resultado da
consciência social dos homens.

4 OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

9. (Enem/2013) Na produção social que os homens realizam, B) A classe média, integrante da camada burguesa, foi
eles entram em determinadas relações indispensáveis e identificada com os ideais do nacional-socialismo por
independentes de sua vontade; tais relações de produção defender a socialização dos meios de produção.
correspondem a um estágio definido de desenvolvimento das C) A pequena burguesia ou camada lúmpen é revolucionária,
suas forças materiais de produção. A totalidade dessas identificando a alta burguesia como sua inimiga natural a
relações constitui a estrutura econômica da sociedade – ser destruída pela revolução.
fundamento real, sobre o qual se erguem as superestruturas D) A pequena burguesia ou classe média é uma classe
política e jurídica, e ao qual correspondem determinadas antirrevolucionária, pois, embora esteja mais próxima das
formas de consciência social. condições materiais do proletariado, apoia a alta
MARX, K. Prefácio à Crítica da economia política. In: MARX, K.; ENGELS, F. burguesia.
Textos 3. São Paulo: Edições Sociais, 1977 (adaptado). E) O proletariado e a classe média formam as classes
revolucionárias, cuja missão é a derrubada da aristocracia e
Para o autor, a relação entre economia e política estabelecida
a instauração do comunismo.
no sistema capitalista faz com que
A) o proletariado seja contemplado pelo processo de mais-
12. (Uerj/2010) “O permanente revolucionar da produção,
-valia.
o abalar ininterrupto de todas as condições sociais, a incerteza
B) o trabalho se constitua como o fundamento real da
e o movimento eternos distinguem a época de todas as
produção material.
C) a consolidação das forças produtivas seja compatível com o outras. Todas as relações fixas e enferrujadas, com seu cortejo
progresso humano. de representações e concepções são dissolvidas, todas as
D) a autonomia da sociedade civil seja proporcional ao relações recém-formadas envelhecem antes de poderem
desenvolvimento econômico. ossificar-se. Tudo que era sólido se volatiza, e os homens são
E) a burguesia revolucione o processo social de formação da por fim obrigados a encarar com os olhos bem abertos a sua
consciência de classe. posição na vida.”

10. (UEL/2014) Para Karl Marx o conceito de Classes Sociais se Karl Marx e Fredrich Engels. Adaptado do Manifesto do Partido Comunista.
desenvolve com a formação da sociedade capitalista. Dessa
forma, é correto afirmar que Em 1848, na defesa de uma nova sociedade, o Manifesto
A) as classes sociais formadas no capitalismo estabelecem Comunista criticou as transformações advindas da modernização
intransponíveis desigualdades entre os homens, relações de capitalista nos países da Europa Ocidental.
exploração e antagonismo. Dois aspectos dessa modernização, então criticados, foram:
B) para Marx, a história humana é a história passiva da luta de A) crescimento industrial – garantia de direitos sociais
classes e da aceitação do antagonismo entre burgueses e B) aceleração tecnológica – aumento da divisão do trabalho
proletários. C) mecanização da produção – elevação da renda salarial
C) as classes sociais são independentes entre si de tal forma
média
que as diferenças entre elas não são sentidas pelos
D) diversificação de mercados – valorização das corporações
indivíduos de uma sociedade.
sindicais.
D) o capitalista divide com a classe de trabalhadores a mais-
valia produzida por seu trabalho sem que haja a exploração
13. (Uncisal/2012) A Escola Marxista tem na teoria do conflito um
de mão de obra.
dos seus fundamentos mais importantes em termos
E) as classes sociais não são opostas entre si, mas sim
complementares e interdependentes. sociológicos. Tal teoria, pela ótica marxista, defende que
A) os conflitos sociais são culturais, sendo expressões do
11. (UEL/2016) A ópera-balé Os Sete Pecados Capitais da Pequena embate entre a tradição e a inovação.
Burguesia, de Kurt Weill e Bertold Brecht, composta em 1933, B) os conflitos nascem das contradições, sendo estas
retrata as condições dessa classe social na derrocada da resultantes do acesso desigual aos meios de produção.
ordem democrática com a ascensão do nazismo na C) as sociedades mais avançadas são aquelas que melhor se
Alemanha, por meio da personagem Anna, que em sete anos adaptaram ao longo do processo histórico, sendo as menos
vê todos os seus sonhos de ascensão social ruírem. A obra aptas extintas.
expressa a visão marxista na chamada doutrina das classes.
D) os conflitos sociais são observados apenas nas sociedades
anteriores à Revolução Industrial.
Em relação à doutrina social marxista, assinale a alternativa
correta. E) todas as relações sociais estão desvinculadas da esfera
A) A alta burguesia é uma classe considerada revolucionária, econômica, sendo os conflitos políticos o alicerce da vida
pois foi capaz de resistir à ideologia totalitária através do em sociedade.
controle dos meios de comunicação.

5 OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

14. (UFPA/2012) Uma das importantes preocupações sociológicas B) luta de classes, as quais, no capitalismo, estabelecem
é a questão a respeito dos fatores que tornam possível a desigualdades e relações de antagonismo e exploração.
existência e a evolução das sociedades. A ideia de “conflito” C) dominação, em que a economia mecanicamente determina
assume uma posição contraditória, por este ser considerado todas as demais esferas da sociedade.
ora como “motor das transformações”, ora como fator que D) trabalho visto como a única força capaz de fazer um grupo
se sobrepor ao outro, impondo a sua vontade como
“deixa a sociedade estagnada” e impede a evolução.
verdade.
Em relação às consequências do conflito para sociedade,
E) alienação, em que os operários não percebem o produto
é correto afirmar:
final como resultado do seu trabalho por causa das
A) Para Karl Marx, o regime capitalista é capaz de produzir desigualdades sociais.
cada vez mais. A despeito desse aumento das riquezas, a
miséria continua sendo a sorte da maioria.
Essa contradição irá gerar conflitos que, mais cedo ou mais Resolução
tarde, desencadearão um processo de reforma da
sociedade que a reorganizará com critérios científicos.
B) Para Karl Marx, a supressão das contradições de classe 01. Mais-valia é o nome dado por Karl Marx à diferença entre o
deve levar logicamente ao desaparecimento do Estado, valor produzido pelo trabalho e o salário pago ao trabalhador,
pois este é um dos subprodutos ou a expressão dos que seria a base da exploração no sistema capitalista. Marx
conflitos sociais. também chama a atenção para o fato de que os capitalistas,
C) O marxismo exclui a possibilidade de haver um paralelismo uma vez pago o salário de mercado pelo uso da força de
entre o desenvolvimento das forças produtivas, a trabalho, podem lançar mão de duas estratégias para ampliar
transformação das relações de produção, a intensificação
sua taxa de lucro: estender a duração da jornada de trabalho
da luta de classes e dos conflitos que marcam a marcha
mantendo o salário constante – o que ele chama de mais-valia
para a revolução.
absoluta; ou ampliar a produtividade física do trabalho pela
D) Durkheim diz que os conflitos entre trabalhadores e
empresários demonstram a falta de organização ou a via da mecanização – o que ele chama de mais-valia relativa.
anomia parcial da sociedade moderna, que deve ser
Resposta: C
corrigida com uma revolução do proletariado, que restaure
o consenso social.
E) Durkheim acredita que a forma como os indivíduos se 02. A mais-valia absoluta configura-se no aumento da produção
organizam socialmente para produzir determina a sua visão
de mercadorias por meio da intensificação do uso da força de
de mundo. Ou seja, ele acredita que não é a consciência
trabalho sem que haja aumento no custo de produção. Isso
dos homens que determina a realidade, mas, ao contrário,
quer dizer que não haveria aumento salarial para o
é a realidade social e principalmente seus conflitos que
determina a consciência coletiva. trabalhador, mas seria exigida maior capacidade de produção.

15. (Unicentro/2011) Teria orgulho, sim, e estava seguro de que Resposta: E


um dia teria mesmo esse orgulho, se a luta e o sofrimento
fossem não para preservar um Brasil onde muitos trabalhavam 03. Marx, em sua obra máxima intitulada “O Capital”, nota que a
e poucos ganhavam, onde o verdadeiro povo brasileiro, o mercadoria (manufatura), quando finalizada, não mantinha o
povo que produzia, o povo que construía, o povo que vivia e seu valor real de venda, que segundo ele era determinado
criava, não tinha voz e nem respeito, onde os poderosos pela quantidade de trabalho materializado no artigo, mas sim,
encaravam sua terra apenas como algo a ser pilhado e que esta, por sua vez adquiria uma valoração de venda irreal e
aproveitado sem nada darem em troca, piratas de seu próprio infundada, como se não fosse fruto do trabalho humano e
país; [...] teria orgulho se essa luta tivesse sido, como poderia nem pudesse ser mensurado, o que ele queria denunciar com
ser, para defender um Brasil onde o povo governasse, um isto é que a mercadoria parecia perder sua relação com o
grande país, uma grande Pátria, em que houvesse dignidade, trabalho e ganhava vida própria. Karl Marx denomina este
justiça e liberdade! fenômeno como sendo um “Fetiche da mercadoria”.

RIBEIRO, J. U. Viva o povo brasileiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.


Resposta: E
Os escritos de Karl Marx refletem o seu interesse pelas
04. Foi Marx – e não Weber – quem detectou o aspecto de
mudanças do tempo moderno, principalmente as ligadas ao
exploração na relação entre as classes proprietárias e o
desenvolvimento do capitalismo e a seus principais elementos:
proletariado moderno.
o capital e a mão de obra assalariada. Nesse sentido, pode-se
utilizar esse recorte de texto do clássico de João Ubaldo
Resposta: D
Ribeiro para exemplificar o conceito de
A) mais-valia, que, ao desvalorizar o trabalho, aumenta o
valor do produto e gera diferenças sociais.

6 OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

05. 06. O item (A) relaciona-se com o pensamento weberiano e


A) Incorreta, pois, segundo Karl Marx, a mercantilização Durkheim foi influenciado pelo positivismo. O item (B) refere-se
universal e geral das relações econômicas, políticas e à dialética materialista de Marx. No item (C) o aluno tem que
sociais, no sistema capitalista, por intermédio de um ter claro que para Marx o fator de mudança social primordial é
equivalente geral e universal de troca, o dinheiro, ao o econômico. O item (E) não se relaciona com o pensamento
contrário da afirmação, resulta em fetichização da marxista. Portanto, está correto apenas o (D), que fala das
mercadoria, pois iguala relações de trabalho desiguais e, mudanças sociais a partir do referencial positivista.
portanto, reproduz as contradições de classes.
B) Incorreta, pois, contrariamente à afirmativa, para Karl Resposta: D
Marx, o dinheiro, no capitalismo, enquanto mediação das
relações sociais não demonstra as particularidades dessas 07. A obra de Karl Marx é conhecida pelo método do
relações e as dos indivíduos, bem como as relações materialismo histórico, isso se justifica pelo desenvolvimento
políticas e as familiares, pois assume universalidade e da obra do referido autor, que defende que as relações sociais
disfarça os seus resultados sociais, quais sejam: a produção de produção determinam – em última instância – as
de mercadoria, as relações de exploração econômica e de consciências humanas. O fragmento fornecido ao aluno é
dominação política, tanto entre classes quanto entre bastante claro: “são as relações de produção que ele contrai
indivíduos. Portanto, contribui para a reprodução da que determinam a sua consciência”. Podemos também
dominação econômica, política e institucional. Conclui-se, destacar que Marx, como ele mesmo destacou em seu
portanto, que as particularidades dos indivíduos “Manifesto do Partido Comunista”, discordava fortemente do
desaparecem em suas relações recíprocas, assim como as socialismo utópico, pois em sua visão era um movimento que
relações políticas, familiares. visava apenas amenizar a exploração capitalista, não a
C) Incorreta, pois, para Karl Marx, o dinheiro não revela o completa emancipação do trabalhador.
valor de uso das mercadorias, nem destaca a valorização
diferenciada entre os diversos trabalhos. Por meio do Resposta: B
dinheiro, a mercadoria aparece como “coisa”, como valor
de troca e não como valor de uso. Oculta o caminho da 08. Marx fazia uma diferenciação entre estrutura e superestrutura
produção da mercadoria, esconde as relações de trabalho de uma sociedade. A estrutura corresponderia à forma de
desiguais. No capitalismo, o dinheiro é a essência alienada organização baseada nas relações de trabalho e produção
do trabalho e da existência do homem. entre os membros da sociedade. Já a superestrutura seria uma
D) Incorreta. Para Karl Marx, o dinheiro não é mero instrumento estrutura simbólica determinada e estruturada segundo as
técnico que facilita as relações de troca, pois, no capitalismo, relações materiais de produção. Qualquer mudança na
ao se transformar em um valor genérico equivalente, superestrutura se daria somente com uma mudança nas
intercambiável por qualquer outro valor, o dinheiro assume relações de trabalho material da sociedade.
um caráter de fetiche, esconde relações de exploração e
desiguais de trabalho entre capitalistas e assalariados, Resposta: A
as relações contraditórias entre as classes sociais.
E) Correta, pois, segundo Karl Marx, no capitalismo, a 09. Para Marx, a sociedade existe a partir das relações materiais
produção de riqueza se traduz na produção da mercadoria. de produção, que são fundamentadas no trabalho humano.
Essa produção é expressão das relações desiguais e de
exploração do trabalho socialmente necessário, que se Resposta: B
torna concreto quando encarnado em um equivalente
geral de trocas que é o dinheiro (a moeda). Para o autor, 10. Segundo Marx, a história humana é marcada pela luta de
no capitalismo, quando os seres humanos usam o dinheiro, classes. No sistema capitalista, essas classes são o proletariado
estão realizando o intercâmbio de seus respectivos e a burguesia, sendo que a segunda oprime e explora o
trabalhos na produção da riqueza, o dinheiro aparece primeiro. Tal relação de oposição e exploração é inerente a
como uma coisa mediadora entre eles, como compradora esse sistema, podendo acabar somente mediante a
de qualquer coisa. Nesses termos, o dinheiro nega valor ao transformação, através da luta implementada pelo
trabalho e o “coisifica”, se autonomiza e vira fetiche, pois proletariado, visando à criação de uma sociedade socialista e,
iguala relações de troca de trabalho desiguais, resultando posteriormente, comunista, sem classes e sem exploração do
em uma ilusão de que a mercadoria é apenas uma relação homem pelo homem.
entre coisas, que se destinam à satisfação das necessidades
humanas. O dinheiro, ao se tornar forma equivalente de Resposta: A
troca, assume universalidade e disfarça o seu resultado
social, ou seja, a produção de riqueza e o caminho de uma 11. A característica da classe média é aliar-se à alta burguesia sem
mercadoria ao posto hegemônico de monopólio social. reconhecer a distância econômica que as separa. Nunca vamos
Portanto, para Karl Marx, o dinheiro nada mais é do que o ver a burguesia, por menor que seja, apoiar o fim do
produto de relações entre mercadorias e entre pessoas, capitalismo, a destruição de maquinários e implementação do
expressa a alienação do trabalho e da existência humana. comunismo. Eles não iriam de encontro aos seus próprios bens.

Resposta: E Resposta: D

7 OSG.: 118618/17
MÓDULO DE ESTUDO

12. A crítica ao crescimento industrial e ao aumento da divisão do


trabalho ocorreu apenas no sentido de que eles intensificaram
a exploração do trabalhador, mas que abriam possibilidades
para uma melhoria nas condições materiais de vida caso
houvesse um controle dos trabalhadores sobre esses aspectos.

Resposta: B

13. Segundo Marx, os conflitos são resultantes da luta de classes


entre burguesia e proletariado. Cada uma dessas classes
ocupa uma posição antagônica em relação à produção, sendo
a burguesia a classe que detém os meios de produção,
enquanto o proletariado não o possui, sendo obrigado a
vender sua força de trabalho para poder sobreviver.

Resposta: B

14. Os conflitos existentes na sociedade são chamados, por Karl


Marx, de luta de classes. Esses conflitos, existentes por causa
do modo de produção da vida material, fazem com que o
Estado seja necessário. Em uma sociedade sem classes, não
haverá mais tais conflitos e, por conseguinte, o Estado não
será mais necessário.

Resposta: B

15. O texto apresenta uma insatisfação daqueles que “muito


trabalhavam” contra os poucos que ganhavam e conclama
uma luta para que o povo governe a pátria. Na medida em
que a sociedade brasileira é vista como dividida entre os
poderosos e o povo trabalhador, tal concepção se associa à
divisão no sistema capitalista entre proletários e burgueses.

Resposta: B

SUPERVISOR/DIRETOR: MARCELO PENA – AUTOR: ALEXANDRE LIMA


DIG.: EDNA – REV.: AMÉLIA

8 OSG.: 118618/17