Você está na página 1de 64

Copyright © 2020, Metanoia Editora

Editora
Léa Carvalho
Consultor
Jean Baptista
Capa
Design: MaLu Santos | Ilustração: Ricardo Sanzi
Projeto gráfico
MaLu Santos
Ilustrações
Ricardo Sanzi
Diagramação das ilustrações
Aline Inforsato
Revisão
Guiliana da Silva Santos e Jean Baptista

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO


SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ
B669m
Boita, Tony
Museologia LGBT : cartografia das memórias LGBTQI+ em acervos,
arquivos,patrimônios, monumentos e museus transgressores / Tony Boita. - 1.
ed. - Rio de Janeiro: Metanoia, 2020.
148 p. : il. ; 23 cm.

Inclui bibliografia
ISBN 978-65-86137-11-8
1. Homossexualidade - História. 2. Homossexualidade - Aspectos
sociais. 3.Identidade de gênero. 4. Administração e gestão de arquivos,
bibliotecas e centros de documentação. I. Título.

20-66564 CDD: 306.766


CDU: 025.1
Camila Donis Hartmann - Bibliotecária - CRB-7/6472
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro, sem autorização prévia por escrito da Editora
poderá ser utilizada ou reproduzida - em qualquer meio ou forma, seja mecânico ou eletrônico, fotocó-
pia, gravação etc. - nem apropriada ou estocada em sistema de bancos de dados.

loja.metanoiaeditora.com
Rua Santiago, 319/102 - Penha
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 21020-400
faleconosco@metanoiaeditora.com
21 2018-3656 | 21 96478-5384
Associada:
Liga Brasileira de Editoras - www.libre.org.br
Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) - www.snel.org.br
Impresso no Brasil
Às pessoas travestis, transexuais, transgêneros,
queers, intersexuais, lésbicas, gays e bissexuais
que tiveram suas memórias exiladas.
Agradecimentos

Ao Museu de Favela (MUF) e à equipe do projeto Memória LGBT no


MUF, por todo apoio, dedicação e parceria;
Ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e ao Bacharelado
em Museologia, ambos da Universidade Federal de Goiás, casa que me
acolheu;
À orientadora e amiga Camila Moraes Wichers, parceira intelectual e de
lutas, a quem devo tanto;
Aos (Às) educadores(as) que desde a graduação me auxiliam: Ana Karina
Calmon, Camilo Braz, Júlio Apinajé, Letícia Krahô, Luis Felipe Kojima
Hirano, Manuelina Maria Duarte Cândido, Maria Cristina Bruno, Mário
Chagas, Marta Quintiliano, Pablo Lisboa, Rildo Bento de Souza e Rosana
Borges;
Às diretoras e aos diretores de Museus e das iniciativas comunitárias em
memória e Museologia Social que colaboraram para o desenvolvimento deste
trabalho.
Ao grande amigo Tartaruga.
À equipe da editora Metanoia, em especial Léa Carvalho.
Ao meu companheiro Jean Baptista, pelo carinho, diálogo e apoio.
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para.
Cazuza
Sumário

Prefácio, 11

Existe uma Museologia LGBT?, 15


Cartografias de memórias LGBT em museus, patrimônios e
monumentos, 22
Somos estatísticas?, 34
Memórias, 39
HIV, AIDS e as Memórias Traumáticas, 43
Os direitos civis LGBTQ no Século XXI, 55
Alguns registros das memórias do movimento
homossexual e lésbico brasileiro, 64
A memória LGBT nos museus brasileiros, 71
Considerações finais, 80
Cartografia dos acervos, arquivos, patrimônios, monumentos
e museus LGBTQI+ no mundo, 88
Mapas Ilustrados, 130
Referências, 138
PrEFáCio
T ive a honra de acompanhar e tenho a alegria de apresentar a pesquisa
Museologia LGBT: Cartografia das Memórias LGBTQI+ em Acervos,
Arquivos, Patrimônios, Monumentos e Museus Transgressores. Tarefa
desafiadora, realizada de forma primorosa por Tony Boita, essa cartografia
é fruto de um longo percurso iniciado em produções anteriores do autor,
mas que aqui se revela de forma sistematizada e potente. Tarefa delicada,
pois debruça-se na procura de vestígios em uma estratigrafia emaranhada,
formada por camadas de exílio, violência e silenciamento.
Os bens patrimoniais e os museus foram, desde os seus primórdios,
espaços de identidades moldadas na figura masculina, na heterossexualidade,
na branquitude, na propriedade e na colonialidade. Palcos da norma
buscaram – e ainda buscam – o apagamento das diferenças, por vezes
encenadas em uma diversidade redutora.
Assim, os corpos, os saberes, os lugares e as expressões LGBT têm
sido sistematicamente excluídos das políticas patrimoniais e dos museus
institucionalizados. Esse mecanismo de negação dos direitos culturais dessa
população é revelador de um sistema hetero-cis-normativo, que busca
apagar as histórias e as memórias associadas às sexualidades desobedientes.
Felizmente, essas memórias exiladas, empregando um conceito elaborado
por Cristina Bruno, continuam existindo, ainda que deslocadas de forma
violenta dos espaços oficiais de memória. Como o pássaro Benu, presente
em mitos e histórias do continente africano – mais tarde apropriado
como fênix pelos gregos – , essas memórias refazem-se constantemente, o
que demonstra que a memória é uma “categoria viva, dinâmica, seletiva,
documental, manipulável e constantemente em conflito”, como nos
adverte o autor desta pesquisa. Construídas entre afetos e resistências, as
memórias transviadas ressurgem em iniciativas reveladoras da força e das
redes de pessoas travestis, transexuais, lésbicas, bissexuais e gays.
Essa cartografia, portanto, revela um movimento de resistência múltiplo
e diverso, com o levantamento de mais de uma centena de iniciativas que
positivam as memórias LGBT ao redor do mundo. Cabe apontar que, como
indica o autor, “essa cartografia não se refere exclusivamente a territórios
e a lugares, mas sim às relações e aos processos de liberdade e resistência

12
13

de memórias exiladas de sexualidades desobedientes”. Trata-se de uma


cartografia social, perpassada por subjetividades, aberta e rizomática.
Pesquisadorxs do campo da memória, do patrimônio e dos museus
encontrarão aqui um exemplo de estudo antropológico e etnográfico
lastreado em um levantamento de fontes por meio de visitas a museus
(físicos e virtuais) e websites, de buscas em jornais, revistas, e livros, além
de documentários e vídeos, beneficiando-se também das redes de pesquisa
e de afetos, como a Revista Memória LGBT e a Rede LGBT de Memória
e Museologia Social. Ainda do ponto de vista metodológico, a troca de
cartas com as instituições e a aplicação de um questionário também foram
utilizadas de forma engenhosa.
Profissional e artífice do campo da memória e da Museologia, Tony
demonstra como memórias traumáticas, como a epidemia da AIDS, foram
trabalhadas por meio de redes de solidariedade em coletivos de pessoas LGBT,
resultando em um primeiro movimento dessas iniciativas. Em um segundo
movimento, as iniciativas relacionadas à memória LGBT vivenciaram dois
fenômenos de ampliação: um associado ao seu crescimento quantitativo
e outro ao alargamento das diferenças representadas nesses espaços. O
trabalho preocupa-se em apontar o predomínio de experiências associadas
a memórias de homens gays, demandando um olhar interseccional que
considere gênero, raça, classe e outros marcadores sociais da diferença,
olhar também presente em experiências realizadas em museus comunitários
e em outras iniciativas devotadas à memória social de grupos vulneráveis,
especialmente no contexto brasileiro. Nessas experiências surgem as lésbicas
negras, as travestis, as mulheres e homens transexuais, além de toda uma
infinidade de formas de ser e estar no mundo. Como nos lembra Tony,
“promover estas memórias subalternas é um ato de resistência”.
Se por um lado as experiências mapeadas são potentes ao evidenciarem
essa resistência, por outro lado, quando as comparamos com um quadro
geral – o trabalho mostra que apenas 17% dos países membros da ONU
possuem iniciativas voltadas para a memória de sexualidades não normativas
– identificamos ainda um longo caminho a ser percorrido.
A negação do direito à memória está diretamente ligada à negação de
direitos humanos como a saúde, a educação e a segurança, representando
a perda da própria vida, como afirma o autor: “ao eliminar a juventude
LGBT hoje, o Estado elimina futuras vidas, memórias e a possibilidade de
amanhã para esses jovens”. Nesse sentido, a pesquisa demonstra a conexão
entre os direitos humanos e os culturais, entre políticas da memória e
práticas do bem viver. As “ausências resultam, a médio e longo prazo, em
um profundo silenciamento social que perpassa os museus e os patrimônios
culturais”.
O livro que temos em mãos aquenda para essas memórias desobedientes,
para fluxos e movimentos de corpos, assim como para práticas, saberes,
performances e expressões. Essas iniciativas são inspirações necessárias e
acalentadoras para os dias atuais e futuros.

Camila Azevedo de Moraes Wichers


Professora de Museologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia
Social da Universidade Federal de Goiás (UFG) e Integrante do Ser-tão –
Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade.

Goiânia, novembro de 2019

14
CArToGrAFiA DoS
ACErVoS, ArQuiVoS,
PATrimÔNioS,
moNumENToS E
muSEuS LGBTQi+
No muNDo
Museologia lgBT | 89

AmericA
´ LAtinA e cAriBe

Argentina

1. Archivo Nacional de la Memoria (ANM)


Cidade: Buenos Aires
Contato: infoanm@jus.gob.ar
O Arquivo organiza a Coleção Nacional Memórias da Diversidade Sexual.
Os fundos do acervo documental podem ser acessados gratuitamente em
seu site. O edifício também abriga um Museu.
Site: https://www.argentina.gob.ar/anm
Acesso à Coleção Nacional Memórias da Diversidade Sexual: https://www.
argentina.gob.ar/anm/fondosdocumentales
Imprensa: https://www.argentina.gob.ar/noticias/memorias-de-la-
diversidad-sexual
***
2. Arquivo de la Memória de La Diversidade Sexual
Cidade: - Bueno Aires
Contato: memoriadiversidadsexual@gmail.com
Iniciativa criada em 2012 para preservar, pesquisar, documentar e difundir
memórias das pessoas de sexualidades não normativas, perseguidas durante
a ditadura na Argentina.
Site: http://memoriadiversidadsexual.blogspot.com
***
3. Centro de Documentación y Archivo Histórico de la Memoria LGBT
Cidade: Buenos Aires
Contato: historia@lgbt.org.ar
Arquivo criado pela Federação Argentina LGBT para preservar a memória
de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A iniciativa pretende
trabalhar de forma colaborativa com outros arquivos locais, tais como o
Archivo de la Memoria Trans e o Archivo Histórico de la Memoria de
Lesbianas y Mujeres Bisexuales.
Site: http://www.falgbt.org/slider/creacion-del-centro-de-documentacion-
y-archivo-historico-de-la-memoria-lgbt/
***
4. Archivo de la Memoria Trans
Cidade: Buenos Aires
Esse arquivo comunitário foi criado para valorizar, preservar e difundir
as memórias de pessoas travestis e transexuais. Além disso, promove
capacitações e exposições itinerantes com/para o grupo T.
Site: https://m.facebook.com/archivotransarg
***
5. Arquivo Memórias Sexo-disidentes
Cidade: Santa Fé
Este arquivo possui um importante acervo audiovisual. Foi criado com
representantes de diversos coletivos e associações de Santa Fé. Objetiva-se
preservar a memória de homossexuais, lésbicas e travestis. É vinculado a
um projeto de extensão da Universidade Nacional do Litoral.
Contato: memoriassexodisidentes@gmail.com
Site: http://memoriassexodisidentes.com.ar/contacto/

Uruguai

6. Plaza de la Diversidad Sexual


Cidade: Montevideo
Praça com monumentos e grafites dedicados à memória de pessoas com
sexualidades não normativas, torturadas, perseguidas e mortas pelo regime
nazista. O espaço foi construído pela comunidade LGBTIQ da cidade.
Fonte: http://montevideo.gub.uy/noticias/urbanismo-e-infraestructura/
inauguramos-obras-um-la-plaza-de-la-diversidad-sexual

90 | Tony Boita
Museologia LGBT | 91

7. Memorial del Holocausto / Memorial del genocidio gay


Cidade: Montevideo
Monumento inaugurado em 2005 em memória aos gays perseguidos na
Segunda Guerra.
Fonte: https://www.researchgate.net/publication/330486139_Triangulos_
rosas_y_negros_en_Uruguay_Un_memorial_del_genocidio_gay_ante_
la_tolerancia_integracionista_uruguaya

Bolívia

8. Museo Tambo Quirquincho


Cidade: La Paz
Este museu passou a ressiginificar seus espaços e acervos. Promove
exposições e eventos juntamente com coletivos e associações.
Site: https://www.paginasiete.bo/cultura/2016/11/8/altar-homenaje-
primera-travesti-boliviana-116229.html
Site: https://jornada.com.bo/las-cholitas-transformistas-enamoran-
bolivia-um-um-concurso-nacional/

Brasil

9. Museu do Círio
Cidade: Belém do Pará
O Museu inclui em seu discurso expositivo as Filhas da Chiquita,
manifestação protagonizada por travestis e transexuais.
Contato: sim.educacao@gmail.com
Site: http://www.secult.pa.gov.br/content/museu-do-c%C3%ADrio
***
10. Museu Murillo La Greca
Cidade: Recife
Este museu promove diversas exposições e eventos para a promoção e a
visibilidade da comunidade LGBT.
Site: http://www2.recife.pe.gov.br/servico/museu-murillo-la-
greca?op=MTMy
Site: https://pt.calameo.com/books/001105595124a7875e259
***
11. Museu do Homem do Nordeste
Cidade: Recife
Este Museu vem desenvolvendo importantes abordagens sobre a temática
de Gênero e Sexualidade. Possui uma exposição de longa duração que
aborda algumas memórias LGBT, além de desenvolver eventos e ações
pontuais.
Site: https://www.fundaj.gov.br/index.php/pagina-muhne
***
12. CasAmor
Cidade: Aracaju
Iniciativa comunitária que alia ações de memória para garantir a cidadania
e a segurança de pessoas LGBTQ+, além de funcionar como abrigo
temporário.
Site: http://casamor.com.br
Site: https://www.repositorio.ufs.br/handle/riufs/11633
***
13. Ponto de Memória LGBT
Cidade: Maceió
Este é o primeiro ponto de memória LGBT reconhecido pelo Instituto
Brasileiro de Museus, através do Programa Pontos de Memória. Desenvolve
ações colaborativas e comunitárias e é gerido pela ONG Pró-Vida.
Contato: contatopro-vida@hotmail.com
Site: https://pt-br.facebook.com/pg/pontodememorialgbt
***

92 | Tony Boita
Museologia LGBT | 93

14. Museu da Sexualidade da Bahia


Cidade: Salvador
Esta é a primeira iniciativa museológica do Brasil que aborda gênero e
sexualidade. Sua missão é promover ações voltadas para a prevenção sexual,
bem como para a preservação e a difusão de sexualidades não normativas. É
mantido pelo Grupo Gay da Bahia e coordenado por Luiz Mott e Marcelo
Cerqueira.
Contato: ggb@ggb.org.br
Fonte 1: http://www.ggb.org.br
Fonte 2: https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/ggb-inicia-
campanha-para-instalar-museu-erotico-no-pelourinho/
***
15. Museu Palacinho
Cidade: Palmas
O museu promove ações e debates voltados para a memória e a história da
comunidade LGBT em Tocantins. Possui apoio do curso de Serviço Social
da Universidade Federal do Tocantins.
Fonte 1: https://ww2.uft.edu.br/index.php/en/ultimas-noticias/12793-
baphao-contra-homofobia-ocorre-neste-sabado-no-palacinho
***
16. Instituto de Arte e Cultura LGBT
Cidade: Brasília
A iniciativa abrange a promoção de exposições, formações e debates e
conta com uma biblioteca. É uma importante iniciativa comunitária em
memória e cultura LGBT no centro-oeste.
Contato: contato@instituto.lgbt
Fonte 1: http://instituto.lgbt
Fonte 2: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-
arte/2019/01/24/interna_diversao_arte,732726/financiamento-coletivo-
do-instituto-lgbt-em-brasilia.shtml
***
17. Casa de Cultura da América Latina
Cidade: Brasília
A iniciativa promove, com frequência, ações que visibilizam produções
artísticas LGBT.
Fonte 1: https://www.facebook.com/calunb/
Fonte 2: https://www.metropoles.com/entretenimento/exposicao/mostra-
reune-obras-com-tematica-lgbt-de-18-artistas-latino-americanos
***
18. Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (UFG)
Cidade: Goiânia
Este museu promove, com frequência, exposições abordando a temática
de Gênero e Sexualidade. Nos últimos 10 anos, promoveu as exposições
Homo-Queer Remixed, Mulheres no Sertão Goiano e Três décadas, dois
grupos, um tema: Gênero e Sexualidade e Exposição Transas no Ser-Tão,
sendo as duas últimas produzidas pelos discentes do Curso de Museologia
da Universidade Federal de Goiás. Possui, em seu acervo bibliográfico, um
acervo especializado em gênero e sexualidade, doado pelo Grupo Transas
no Corpo.
Contato: secretaria.ma@ufg.br
Fonte: https://museu.ufg.br
Fonte: https://museu.ufg.br/n/98455-tres-decadas-dois-grupos-um-tema-
genero-e-sexualidade-exposicao-transas-no-ser-tao
Fonte: https://museu.ufg.br/n/22021-genero-e-sexualidade
***
19. Museu das Bandeiras
Cidade: Cidade de Goiás
Desde 2010, o Museu das Bandeiras vem promovendo exposições e
eventos voltados para a população LGBT. Recentemente, vem trabalhando
internamente com a equipe os temas de Gênero e Diversidade Sexual.
Contato: mdb@museus.gov.br
Fonte: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/
article/view/5948/3680

94 | Tony Boita
Museologia LGBT | 95

20. Palacete Da Esplanada Das Rosas – “Paulo de Arruda Corrêa da Silva”


Cidade: Araraquara
O espaço promove exposições e apoia diversos eventos LGBT, como o Miss
Gay e o Miss Trans, bem como a Parada do Orgulho LGBT da Cidade.
Contato: seccultura@araraquara.sp.gov.br
Fonte: http://www.jornaloimparcial.com.br/2016/ noticias/exposic-o-
todo-amor-e-sagrado-e-abertano-palacete-das-rosas /
***
21. Museu de Arte Moderna de São Paulo
Cidade: São Paulo
Este Museu está localizado em um importante espaço de sociabilidade
LGBT, o parque Ibirapuera. Promove ações, performances e exposições
voltadas para os temas de Gênero e Sexualidade.
Contato: atendimento@mam.org.br
Fonte: https://mam.org.br
Fonte: https://mam.org.br/?s=Lgbt
***
22. Museu da Diversidade Sexual / Centro de Cultura, Memória e Estudos
da Diversidade Sexual do Estado de São Paulo
Cidade: São Paulo
Este é o primeiro museu institucionalizado do Brasil que salvaguarda,
pesquisa e difunde as memórias da comunidade LGBT. Promove
exposições, ações culturais e educativas, bem como a documentação e o
mapeamento de acervos e coleções.
Contato: mds@apaa.org.br
Fonte: www.mds.org.br/
Fonte: http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/museu-da-diversidade-
sexual-e-pioneiro-na-america-latina/
***
23. Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - MASP
Cidade: São Paulo
O MASP é um dos célebres museus brasileiros. Desde 2016 vem
promovendo ações voltadas para as temáticas de Gênero e Sexualidade,
bem como preservando, formando e difundindo as memórias de pessoas
LGBT. Em 2017 e 2018, promoveu as exposições temporárias Histórias
da Sexualidade, Avenida Paulista e Guerrilha Girls, as quais foram
acompanhadas de debates, rodas de conversas e publicações. O museu
também possui acervos significativos para a comunidade LGBT.
Contato:
Fonte: https://masp.org.br
Fonte: https://masp.org.br/busca?search=Lgbt
***
24. Galeria TransArte
Cidade: São Paulo
A Galeria TransArte expõe obras que abordam exclusivamente a temática
LGBTQ, em especial as pessoas travestis e trans. Além disso, valoriza
as sexualidades não normativas e promove diversas ações expositivas e
performáticas.
Fonte: https://m.facebook.com/TransarteBrazil/
Fonte: https://guia.folha.uol.com.br/exposicoes/2015/11/1711460-em-
galeria-para-mostras-lgbt-artistas-exibem-obras-sobre-mundo-trans.shtml
***
25. Museu da Pessoa
Cidade: São Paulo
Este museu virtual vem formando uma importante coleção por meio de
registros das memórias LGBT. Todos os vídeos estão disponíveis em seu
site.
Contato: portal@museudapessoa.net
Fonte: https://www.museudapessoa.net/pt/home
Fonte: www.museudapessoa.net/pt/buscar/conteudo/todos/termo/Lgbt

96 | Tony Boita
Museologia LGBT | 97

26. Acervo Bajubá


Cidade: São Paulo
O Acervo Bajubá é uma iniciativa comunitária que vem coletando e
preservando os registros da memória LGBT em São Paulo. Desenvolve
ações educativas, além de possuir um rico acervo arquivístico.
Fonte: http://acervobajuba.com.br
***
27. Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDECA
Interlagos)
Cidade: São Paulo
O CEDECA promove debates e oficinas para a população LGBT da
periferia. Em 2016, promoveu a exposição 4 Letras: Direito de Igualdade:
O que é ser LGBT na Periferia?, que foi acompanhada de um documentário
com relatos dos participantes da oficina.
Contato: cedeca.interlagos@gmail.com
Fonte: http://cedecainter.org.br/2016/08/21/exposicao4letras-direito-de-
igualdade-discute-resistencia-lgbt-nessa-sexta-feira/
Fonte: https://m.youtube.com/watch?v=-6JMG6xLHaw
Fonte: http://periferiaemmovimento.com.br/adolescentes-fazem-
exposicao-de-fotos-sobre-LGBT-das-periferias/
***
28. Pinacoteca de São Paulo
Cidade: São Paulo
Realiza diversas ações culturais educativas e exposições para diversos
grupos sociais, entre eles a população LGBT. Possui, em seu quadro
de funcionários, uma equipe composta por pessoas trans atuando nas
monitorias e na recepção do Museu.
Fonte: http://pinacoteca.org.br
Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/12/funcionarios-
trans-atendem-visitantes-e-ganham-visibilidade-na-pinacoteca.shtml
29. Memorial da Resistência
Cidade: São Paulo
Apoia diversos eventos, palestras e formações voltadas para a comunidade
LGBT. Possui também um acervo documental sobre homossexuais, lésbicas
e travestis perseguidos na ditadura brasileira e, além disso, vem realizando
a documentação dos lugares de memória e entrevistas com militantes do
movimento homossexual brasileiro, estabelecendo relações com o período
da ditadura.
Contato: faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br
Fonte: http://www.memorialdaresistenciasp.org.br/memorial/default.
aspx?c=entrevistados&identrevistado=186&identrevista=148&mn=56
Fonte: http://www.memorialdaresistenciasp.org.br/memorial/default.aspx
?c=entrevistados&identrevistado=190&identrevista=151&mn=56
***
30. Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (MISC)
Cidade: Cuiabá
Este Museu vem promovendo exposições colaborativas com o objetivo de
dar visibilidade à comunidade LGBT do Mato Grosso.
Fonte: www.olhardireto.com.br/conceito/noticias/exibir.
asp?id=16192&noticia=museu-da-imagem-e-do-som-promove-
exposicao-lgbt
Fonte: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2018/09/28/
museu-da-imagem-e-do-som-recebe-exposicao-sobre-diversidade-e-
resistencia-lgbtqi.ghtml
***
31. Museu da Maré
Cidade: Rio de Janeiro
O Museu da Maré é um importante centro da memória e da história
dos moradores da Maré no Rio de Janeiro. Desde sua criação, inclui em
suas ações a valorização e o diálogo com a comunidade LGBT residente
na comunidade. Tem promovido exposições e apoiado eventos voltados
à memória de mulheres lésbicas e, recentemente, promoveu a exposição
Tempos de Marielle.
98 | Tony Boita
Museologia LGBT | 99

Contato: contato@museudamare.org.br
Fonte: http://www.museudamare.org.br
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-05/museu-da-
mare-recebe-posse-definitiva-do-espaco-em-que-funciona
***
32. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Cidade: Rio de Janeiro
Este espaço abriga mostras, bem como peças de teatro e produções
cinematográficas que têm pessoas LGBT como protagonistas. Em 1997
promoveu a exposição Existência do Homoerotismo e Mix Brasil – Festival
da Diversidade Sexual, que ocorreu em 2003 e 2006. Apoiou, também,
diversos espetáculos teatrais, os principais foram Aqueles dois (2010), Sexo
Neutro (2015), BR-Trans (2015), Gisberta (2017).
Fonte: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/rio-de-janeiro/
***
33. Centro Cultural da Justiça Federal
Cidade: Rio de Janeiro
Apoia, desde 2008, exposições e eventos voltados para o público LGBT.
Contato: ccjf@trf2.jus.br
Fonte: https://www10.trf2.jus.br/ccjf
Fonte: http://consciencia.net/centro-cultural-da-justica-federal-abriga-
exposicao-gay/
Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/07/rio-festival-
gay-de-cinema-chega-4-edicao-com-mais-de-100-filmes.html
***
34. Museu da República
Cidade: Rio de Janeiro
Nos últimos quinze anos, o Museu das República vem promovendo ações,
como exposições, seminários, palestras e pesquisas, que visibilizam as
memórias LGBT. Desde 2008 vem formando uma coleção voltada para
pessoas LGBT.
Contato: mr@museus.gov.br
Fonte: http://museudarepublica.museus.gov.br
Fonte: https://www.museus.gov.br/tag/museu-e-memoria-lgbt/
Fonte: http://finissimo.com.br/2018/06/22/museu-da-republica-recebe-
primeira-edicao-da-feira-da-diversidade-lgbt-neste-sabado/
***
35. Fundação Casa Rui Barbosa
Cidade: Rio de Janeiro
Esta instituição possui coleções de grande valor histórico e cultural para
a comunidade LGBT brasileira. Desde 2015 vem abrindo seu acervo
documental para pesquisas sobre a homossexualidade de Mário de Andrade
e de Pedro Nava e, desde 2017, vem realizando eventos e palestras.
Contato: museu@rb.gov.br
Fonte: www.casaruibarbosa.gov.br/interna.php?ID_S=9&ID_M=3743
Fonte: https://epoca.globo.com/vida/noticia/2015/06/exclusivo-carta-
em-que-mario-de-andrade-fala-de-sua-homossexualidade.html
Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2017/04/1873709-casa-
de-rui-barbosa-libera-acesso-a-documentos-secretos-de-pedro-nava.shtml
***
36. Museu de Favela Pavão, Pavãozinho e Cantagalo (MUF)
Cidade: Rio de Janeiro
Em 2015 o MUF promoveu o Projeto Memória LGBT no MUF, desenvolvido
em parceria entre o MUF e a Revista Memória LGBT (RMLGBT) em
comemoração aos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, em 2015.
Foi contemplado no II Programa de Fomento à Cultura Carioca com o
aporte financeiro de R$110.000,00 (Cento e dez mil reais). A iniciativa
envolveu rodas de memória, oficinas, formações, exposição, publicações
da RMLGBT, apresentações artísticas e Mapeamento e Inventário do
Patrimônio Cultural LGBT na Favela. Dessa forma, ao longo de seis meses,
fomentaram-se, promoveram-se e estimularam-se as memórias de lésbicas,
gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais das comunidades
Pavão, Pavãozinho e Cantagalo (BAPTISTA; BOITA, 2014).

100 | Tony Boita


Museologia LGBT | 101

Contato: info@museudefavela.org
Fonte: https://www.museudefavela.org
Fonte: https://igay.ig.com.br/2015-03-23/memoria-lgbt-no-museu-de-
favela-pavao-pavaozinho-e-cantalo.html
***
37. Memorial Minas Gerais Vale
Cidade: Minas Gerais
Este memorial produz ações voltadas para a população LGBT. Promove,
anualmente, exposições, mostras e eventos e capacita e protagoniza as
memórias de travestis e transexuais por meio de diversos projetos. Possui
a Política de Acessibilidade e Inclusão do Memorial Minas Gerais Vale, na
qual o público LGBTI é inserido.
Fonte: http://memorialvale.com.br
Fonte: www.circuitoliberdade.mg.gov.br/pt-br/programacao/memorial-
minas-gerais-vale/8710-memoquuer
Fonte: https://www.uai.com.br/app/noticia/e-mais/2014/04/09/noticia-
e-mais,153448/elas-madalenas-retrata-vida-cotidiana-de-travestis-e-
transexuais.shtml
Fonte: http://memorialvale.com.br/pt/sobre-o-memorial/acessibilidade/
***
38. Museu de arte da Universidade Federal do Paraná (MUSAUFPR)
Cidade: Curitiba
Promoveu recentemente a exposição LGBTFOBIA/CALENDARIO com
apoio do Grupo Gay da Bahia. Apoia frequentemente eventos e atividades
culturais universitárias.
Contato: musa@ufpr.br
Fonte: https://homofobiamata.files.wordpress.com/2017/10/lgbtfobia-
cubic3.pdf
Fonte:https://homofobiamata.wordpress.com/cenasfortes/
lgbtfobiacalendario/
39. Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo
Cidade: Porto Alegre
Este Museu realiza exposições, publicações e apoia eventos culturais
voltados para pessoas LGBT. Estimula ações voltadas para a preservação e
a difusão da memória LGBT na cidade de Porto Alegre.
Fonte: www.museudeportoalegre.com/
Fonte:https://gauchazh.clicrbs.com.br/colunistas/roger-lerina/
noticia/2016/11/capital-recebe-mostra-que-conta-a-historia-do-
movimento-lgbtt-na-cidade-8300711.html
***
40. Somos – Comunicação, Saúde e Sexualidade
Cidade: Porto Alegre
O Grupo Somos é uma iniciativa comunitária que promove, desde sua
criação, ações voltadas para a cultura, a memória e a história e pessoas
LGBT em Porto Alegre. Promove exposições, eventos e instalações
artísticas, buscando aliar a comunicação e a saúde.
Contato: somos@somos.org.br
Fonte: http://somos.org.br

Chile

41. Museu de La Memória Y lós Derechos Humanos


Cidade: Santiago
Desenvolve ações e atividades voltadas para o público LGBT.
Contato: info@museodelamemoria.cl
Fonte: https://ww3.museodelamemoria.cl/Informate/museo-de-la-
memoria-adhiere-a-dia-internacional-contra-la-homofobia/
***
42. Museu da Solidariedade Salvador Allende
Cidade: Santiago

102 | Tony Boita


Museologia LGBT | 103

Desde 2017 o Museu vem desenvolvendo ações voltadas para a comunidade


LGBTQ. Em sua primeira exposição intitulada Multitud Marica, promoveu
uma mostra artística com artistas de 8 países latinos. Além disso, apoia e
desenvolve diversos eventos, seminários e palestras.
Fonte: http://mssa.cl/sin-categoria/museo-cerrado-hasta-abril/
Fonte: https://www.mor.bo/la-expo-multitud-marica-narra-a-traves-del-
arte-la-historia-de-la-disidencia-lgbtq-latina/

Colômbia

43. Museu Q – Museologia Queer


Cidade: Bogotá
Iniciativa comunitária que, através de parcerias com museus convencionais,
promove exposições e ações voltadas para as sexualidades não normativas.
Possui projetos que envolvem universidades, jardins botânicos e museus.
Contato: museoq@gmail.com
Fonte: https://www.museoq.org/index.php
***
44. Museu LGBTI
Cidade: Bogotá
Criado em 2019, mas iniciou suas atividades oficialmente em junho
de 2020. Sua primeira exposição “Salí del clóset! Identidad, Amor y
Erotismo”, além disso, foi produzido um muro para a memória das pessoas
trans, bem como, desenvolve ações para a população que convive com
HIV. Esta é uma das iniciativas mais recentes encontradas, e sem dúvida
muito promissora.
Contato: MuseoLGBTI@gmail.com
Fonte: https://www.redsomos.org/single-post/2020/06/26/PRIMER-
MUSEO-LGBTI-DE-SURAMÉRICA-EN-BOGOTÁ
45. Museu Nacional da Colombia
Cidade: Bogotá
Desenvolve ações voltadas para a população LGBT da Colômbia. Apoia
eventos e realiza exposições com frequência.
Fonte: http://www.museonacional.gov.co/noticias/Paginas/LGBT_
julio2019.aspx
***
46. Centro Nacional de Memoria Histórica
Cidade: Bogotá
Esta instituição possui um importante acervo sobre pessoas de sexualidades
não normativas que foram perseguidas em conflitos na região. Realiza
eventos e está aberta a pesquisas.
Fonte: http://www.centrodememoriahistorica.gov.co
Fonte: http://www.centrodememoriahistorica.gov.co/noticias/noticias-
cmh/un-recorrido-al-pais-a-traves-de-20-iniciativas-de-memoria

Costa Rica

47. Museo Regional de San Ramón


Cidade: San Ramon
Este museu universitário realiza, desde 2015, diversas ações voltadas para
a comunidade LGBTI.
Fonte: http://www.so.ucr.ac.cr/museo-regional-de-san-ramón
Fonte: https://www.ucr.ac.cr/noticias/2015/05/08/museo-de-san-ramon-
abre-convocatoria-para-participar-en-la-exposicion-orgullo-lgbti.html

Equador

48. Centro de Arte Contemporáneo de Quito


Cidade: Quito

104 | Tony Boita


Museologia LGBT | 105

Este espaço promove há 7 anos uma mostra LGBTQI+ em seus espaços


em comemoração ao mês do orgulho. Ao longo deste período, a instituição
possui uma coleção com mais de 80 imagens.
Contato: centroartecomunicacion@quito.gob.ec
Fonte: http://www.ecuadorenvivo.com/quito2/quitop/201-quito/96727-
centro-de-arte-contemporaneo-convoca-su-septima-convocatoria-
publica-para-arte-lgbtiq.html#.XW64qxpv-hA
Fonte: http://www.centrodeartecontemporaneo.gob.ec
Fonte: http://www.centrodeartecontemporaneo.gob.ec/wp-content/
uploads/2019/05/CAC-convocatoria-orgullo-LGBTIQ-2019.pdf

El Salvador

49. Acción por la Memoria y Apoyo al Trabajo para la Equidad en El


Salvador - AMATE El Salvador
Cidade: San Salvador
Esta iniciativa comunitária em memória e Museologia Social vem
desenvolvendo ações visando à preservação e à difusão da memória
LGBTI. Desde 2014, a ONG AMATE realiza exposições itinerantes e
colaborativas no país, produz eventos, debates e seminários. Possui um
espaço virtual dedicado ao Museo Digital de História, cujo banco de dados
vem preservando a memória LGBTI em El Salvador.
Contato: info@amate.org.sv
Fonte: http://www.amate.org.sv/index.php
Fonte: http://www.amate.org.sv/galerias.php?op=uno

Panamá

50. Museo de la Libertad y los Derechos Humanos


Cidade: Cidade do Panamá
Inaugurada em 2019, a instituição dedica-se a refletir sobre a liberdade e
os direitos humanos no mundo. O Museu possui um módulo expositivo
dedicado ao holocausto e apresenta a perseguição a homossexuais. Destaca-
se que seus banheiros possuem sinalização de uso comum para ambos os
gêneros.
Contato: info@museodelalibertad.org
Fonte: http://www.museodelalibertad.org/exposiciones/edificio-
tolerancia/
Fonte: https://www.midiario.com/nacionales/pica-y-se-extiende-
polemica-por-letreros-de-banos-en-museo-de-la-libertad/

Peru

51. Museu Travesti do Perú


Cidade: Lima
Este museu foi o primeiro e único a valorizar a memória das pessoas travestis
no Perú. Com o falecimento de seu fundador, Giusepe Campuzano, a
iniciativa passa por uma reformulação.
Fundação: 2003
Fonte: https://hemi.nyu.edu/hemi/pt/campuzano-presentation
Fonte: https://hemisphericinstitute.org/en/enc09-encuentro-interviews/
item/1772-interview-with-giuseppe-campuzano.html

Paraguai

52. Somos Gay Paraguay


Criada em 2009, esta instituição promove ações voltadas para a preservação
e a promoção da memória de LGBTI no Paraguai, bem como desenvolve
ações para a segurança, a saúde e a cidadania dessas pessoas. Realiza
exposições temporárias e itinerantes, bem como ações comunitárias em
memória e Museologia Social.
Contato: hola@somosgay.org
Fonte: http://somosgay.org/

106 | Tony Boita


Museologia LGBT | 107

Venezuela

53. Museu Alejandro Otero


Cidade: Caracas
Possui um valioso acervo homoerótico do artista Alejandro Otero. Promove
exposições e mostras voltadas para o público LGBT.
Contato:
Fonte: https://albaciudad.org/2019/06/rarx-disidencias-sexuales-e-
identidades-diversas-clausura-en-el-museo-alejandro-otero/
Fonte: https://medium.com/@vicentequintero/dónde-están-los-dibujos-
homoeróticos-de-alejandro-otero-el-estigma-lgbt-vicente-quintero-
2a929359135f

México

54. Museu Memória y Tolerância


Cidade: Cidade do México
Este museu, desde sua fundação, estimula o respeito e a tolerância. Promove
ações culturais e educativas, exposições temporárias, debates, eventos e
seminários voltados para o público LGBT+.
Fonte: https://www.myt.org.mx/exposicion/lgbt-identidad-amor-
sexualidad
Fonte: https://www.myt.org.mx
***
55. Museo Universitário Del Chopo
Cidade: Cidade do México
Esta instituição apoia e promove exposições, eventos e festivais voltados
para as sexualidades não normativas no México.
Fonte: http://www.chopo.unam.mx/festivales/FIDS_2017.html
América do Norte

Canadá

56. The ArQuives – Canadá’s LGBTQ2+ Archives


Esta instituição anteriormente era conhecida como The Canadian Lesbian
and Gay Archives - CLGA. Mesmo com a modificação do nome, continua
sendo um importante espaço de pesquisa e de difusão das memórias e
histórias de pessoas LGBTQ2+. Além disso, promove exposições e eventos
e possui um importante acervo documental.
Cidade: Toronto
Contato: queeries@arquives.ca
Fonte: https://arquives.ca
***
57. La Memoire Des Personnes Mortes Du SIDA au Quebec
Cidade: Montreal
Monumento dedicado aos homossexuais vítimas da AIDS em Quebec.
Fonte: https://cbernier.wordpress.com/2017/11/01/la-mort-et-la-ville/
***
58. The Canadian Centre For Gender and Sexual Diversity
Cidade: Ottawa
É um projeto que está em andamento com apoio do Canadian Museum
of History. Esta instituição produziu um documento norteador para os
museus canadenses incluírem, em seus discursos, pesquisas, ações e recursos
humanos destinados às pessoas LGBTQ2+.
Contato: support@ccgsd-ccdgs.org
Fonte: http://ccgsd-ccdgs.org/wp-content/uploads/2018/05/The-new-
CCGSD-small-version.pdf
Fonte: https://ccgsd-ccdgs.org/lgbtq2museums/
Fonte: https://ccgsd-ccdgs.org/newspace/

108 | Tony Boita


Museologia LGBT | 109

59. Canadian Museum of History


Cidade: Gatineau
Este museu vem promovendo exposições e ações de preservação e
identificação de acervos que dialogam com as pessoas LGBTQ2+. Apoia e
desenvolve projetos com a The Canadian Lesbian and Gay Archives e com
o The Canadian Centre For Gender and Sexual Diversity.
Fonte: https://www.historymuseum.ca/search/?q=Lgbtq
Fonte: https://www.historymuseum.ca
Fonte: https://www.dailyxtra.com/canadian-museum-of-history-to-add-
gay-stories-to-exhibit-61678

Estados Unidos da América

60. Stonewall National Museum & Archives


Sendo um dos mais importantes museus de sexualidades não normativas
do mundo, este espaço busca lembrar as célebres memórias e histórias
de resistência de lésbicas, gays, transexuais, travestis e transgêneros que
vivenciaram Stonewall. Além do museu, a instituição conta com um
arquivo e uma biblioteca. Em 2019, a Revolta de Stonewall comemorou
50 anos.
Cidade: Flórida
Fonte: https://www.stonewall-museum.org/
Fonte: https://www.stonewall-museum.org/the-museum/
Fonte: https://www.stonewall-museum.org/the-museum/archives/
Fonte: https://www.stonewall-museum.org/the-museum/library/
***
61. Leslie-Lohman Museum of Gay and Lesbian Art
Cidade: Nova York
Este é um museu especializado em arte LGBTQ. Desde sua fundação,
realiza um diálogo entre as lesbianidades e homossexualidades, e é um dos
primeiros espaços museológicos a realizar esta abordagem. Promove ações
culturais e educativas voltadas para o público escolar.
Contato: Info@leslielohman.org
Fonte: https://www.leslielohman.org/
Fonte: https://www.ft.com/content/a4a69c98-6d9f-11e9-9ff9-
8c855179f1c4
***
62. Tucson Gay Museum
Cidade: Tucson
Ao que parece, é a primeira iniciativa museológica voltada para a
preservação da memória das homossexualidades. Atualmente, em seu
website, disponibiliza parte do seu acervo e uma linha do tempo com datas
importantes para a militância LGBTQ. Curiosamente, foi o primeiro
museu a responder ao questionário encaminhado.
Fonte: http://www.tucsongaymuseum.org/
Fonte: https://www.tucsonweekly.com/tucson/community-over-cocktails/
Content?oid=3423568
***
63. Tom Of Finland Foundation
Cidade: Los Angeles
O espaço preserva as obras homoeróticas produzidas por Tom Of Finland.
Além disso, promove exposições temporárias e itinerantes no mundo
inteiro.
Fonte: www.tomoffinlandfoundation.org/
Fonte: http://www.anothermanmag.com/life-culture/10813/la-home-
homoerotica-tom-of-finland-house-durk-dehner-sr-sharp-rick-castro
***
64. GLBT History Museum
Cidade: São Francisco
O Museu é um dos mais importantes do mundo para os militantes
LGBTQ. Nesse museu, que conta também com um arquivo histórico, é
apresentada a história e a cultura LGBTQ.

110 | Tony Boita


Museologia LGBT | 111

Contato: info@glbthistory.org
Fonte: https://www.glbthistory.org/visitor-info
Fonte: https://missionlocal.org/event/glbt-history-museum-mattachine-a-
queer-serial-to-be-accused/
***
65. Cleveland Museum Of Art
Cidade: Cleveland
Um importante museu de arte que inclui, em seus programas institucionais,
exposições educativas voltadas para a diversidade ética, cultural e sexual.
Possui disponível em seu website uma coleção com registros e produções
artísticas de pessoas LGBTQ.
Contato: info@clevelandart.org
Fonte: http://www.clevelandart.org/
Fonte: http://www.clevelandart.org/diversity-equity-and-inclusion-plan
Fonte: https://www.clevelandart.org/about/press/media-kit/cleveland-
museum-art-celebrates-gay-games-9-special-event-night-9-out-art
Fonte: http://www.clevelandart.org/magazine/cleveland-art-january-
february-2018/deidre-mcpherson
Fonte: http://www.clevelandart.org/art/collection/search?search=Lesbian
***
66. Museum of the city of New York
Cidade: Nova York
Este museu, desde 2017, vem desenvolvendo ações voltadas ao público
LGBTQ, através de exposições e eventos comemorativos, como os
promovidos em comemoração aos 50 anos de Stonewall.
Fonte: https://www.mcny.org/
Fonte: https://www.mcny.org/stonewall50
+ Clipping https://www.globenewswire.com/news-
release/2019/04/29/1811546/0/en/City-of-Workers-City-of-Struggle-
Opens-at-the-Museum-of-the-City-of-New-York-on-May-1.html
67. National LGBT Museum History and Culture
Contato: tsgold@velvetfoundation.org
É um dos últimos museus voltados para a comunidade LGBT criado nos
Estados Unidos. Com uma proposta diferente dos outros espaços que
abordam as sexualidades não normativas, essa instituição objetiva valorizar
a história e a cultura.
Fonte: https://www.nationalmuseum.nyc/
***
68. Nome: The Center for Sex & Culture
Cidade: São Francisco
Esta instituição funciona como uma galeria, livraria, arquivo e centro de
eventos. É um espaço que abriga a sociabilidade e a vivência de pessoas
LGBTQ.
Contato: CSCSFLib@gmail.com
Fonte: https://www.sexandculture.org
***
69. Gerber/Hart Library and Arquives
Cidade: Chicago
Este espaço possui um rico acervo documental e fotográfico com a temática
de Gênero e Sexualidade. É um espaço dedico à pesquisa e à produção
de conhecimento. Promove, também, exposições temporárias e atividades
educativas.
Contato: info@gerberhart.org
Fonte: http://www.gerberhart.org
***
70. Leather Archives & Museum
Esta iniciativa possui um museu, um arquivo e uma biblioteca comunitária.
Sua temática é o sexo, a prevenção, o BDSM, o fetiche e o couro. Desenvolve
diversas exposições, eventos e atividades voltadas para a comunidade
LGBTQ. Parte de seu acervo está disponível em seu website.
Contato: https://leatherarchives.org
Fonte: https://leatherarchives.org/visit/exhibitions

112 | Tony Boita


Museologia LGBT | 113

71. Mazer Lesbian Archives


Cidade: West Hollywood
Iniciativa voltada para a preservação e a difusão das memórias das mulheres
lésbicas e/ou feministas. Promove eventos, exposições e atividades voltadas
para o empoderamento das mulheres e para o mapeamento dessas memórias,
além de possuir um projeto com foco na intergeracionalidade. Parte do seu
acervo documental e fotográfico foi digitalizado e está disponível em seu
website.
Contato: contact@mazerlesbianarchives.org
Fonte: https://www.mazerlesbianarchives.org/collections
Fonte: https://www.mazerlesbianarchives.org
***
72. ONE National Gay & Lesbian Archives at the USC Libraries
Cidade: Los Angeles
Esta instituição é vinculada à Universidade do Sul da Califórnia. Possui
dois espaços em locais distintos. O primeiro é composto por uma livraria
e um arquivo, com registros de pessoas LGBTQ de todo o mundo. O
segundo espaço é uma galeria expositiva, onde são promovidas exposições
fotográficas com seu acervo. Vem realizando um mapeamento de lugares de
memória e de iniciativas comunitárias que preservam as memórias Queer.
Contato: askone@usc.edu
Fonte: https://one.usc.edu/exhibitions
Fonte: https://one.usc.edu/collections/archival-collections
Fonte: https://one.usc.edu/queer-terrains
***
73. Kinsey Institute
Vinculado à Universidade de Indiana, desenvolve ações voltadas para a
sexualidade humana, em especial para as sexualidades não normativas. Está
focada nos estudos de gênero, sexualidade, sexo e prevenção sexual. Possui
um importante acervo aberto à consulta, promove exposições e ações
culturais e educativas.
Contato: libknsy@indiana.edu
Fonte: https://kinseyinstitute.org/collections/index.php
Fonte: https://kinseyinstitute.org/about/index.php
***
74. Museum at the Fashion Institute of Technology – The Museum at FIT
Cidade: New York
O foco desta instituição é a moda e o mundo fashion. Este museu desenvolve
exposições e eventos voltados para a comunidade LGBTQ e apoia diversas
iniciativas voltadas para as sexualidades não normativas.
***
75. Pink Triangle on Twin Peaks
Cidade: São Francisco
Instalação realizada anualmente com o objetivo de lembrar as injustiças
sofridas por pessoas LGBT. A ação é realizada desde 1996, sempre em um
dia da semana em que se comemora o Stonewall.
Fonte: https://www.thepinktriangle.com/index.html
***
76. The Museum of Modern Art – MOMA
Cidade: Nova York
Sem dúvidas, este é o principal museu de arte moderna do mundo. Vem
promovendo exposições, mostras, performances e instalações abordando
os temas de Gênero, Sexualidade e Feminismos.
Contato: membership@moma.org
Fonte: https://www.moma.org/search?query=lgbtq
Fonte: https://www.moma.org/magazine/articles/72
***
77. Computer History Museum
Cidade: Califórnia
Este museu aborda a história dos computadores, bem como possui grande
parte do seu discurso dedicado a Alan Turing, considerado o pai deste
equipamento.
114 | Tony Boita
Museologia LGBT | 115

Fonte: https://www.computerhistory.org/search/?q=Alan+Turing
Fonte: https://www.computerhistory.org/search/?q=Gay&p=1
Fonte: https://www.computerhistory.org
***
78. Brooklyn Museum
Cidade: Nova York
Esta instituição possui diversas ações e programas para a comunidade
LGBTQ. O museu promove exposições temporárias, realiza eventos,
seminários e importantes debates. Disponibiliza, em seu website, alguns
itens do seu acervo voltados para a temática de Gênero e Sexualidade.
Além disso, possui um programa educativo voltado para adolescentes,
chamado InterseXtions: Gender e Sexuality.
Contato:
Fonte: https://www.brooklynmuseum.org/education/teens/lgbtq
Fonte: https://www.brooklynmuseum.org/opencollection/
search?keyword=Lgbtq
***
79. Pink Triangle Memorial
Cidade: Califórnia
Monumento dedicado aos 15 mil homossexuais mortos, bem como às
lésbicas violentadas sexualmente e posteriormente mortas durante o regime
nazista e fascista.
Fonte: https://pinktrianglepark.org/
***
80. Lesbian Herstory Archives
Cidade: Nova York
Arquivo dedicado a pesquisar, preservar e difundir as memórias de mulheres
lésbicas.
Contato: lesbianherstoryarchives@gmail.com
Fonte: http://www.lesbianherstoryarchives.org/tourintro.html
81. Gay Liberation
Cidade: Nova York
Monumento construído por George Segal em 1992. É dedicado à memória
das pessoas que lutaram e resistiram bravamente durante a invasão policial
no bar Stonewall em 28 de junho de 1969.
Fonte:https://www.nycgovparks.org/parks/christopher-park/
monuments/575
***
82. Gerber/Hart Library and Archives
Cidade: Chicago
Esta instituição objetiva preservar os registros materiais da história e da
cultura LGBTQ e possui um significativo acervo arquivístico.
Contato: info@gerberhart.org
Fonte: http://www.gerberhart.org
***
83. Stonewall Inn
Cidade: Nova York
Este foi o local da célebre revolta de Stonewall, em que gays, travestis,
lésbicas e pessoas com sexualidades não normativas enfrentaram os
policiais. Em 2016 foi considerado como um monumento histórico dos
Estados Unidos.
Fonte: https://thestonewallinnnyc.com/#wherepridebegan

África

África do Sul

84. Gay and Lesbian Memory in Action (GALA)


Cidade: Johanesburgo

116 | Tony Boita


Museologia LGBT | 117

A GALA é uma ONG preocupada com a pesquisa, a preservação e a


difusão das memórias LGBTIQ. Possui um arquivo e um importante
projeto de salvaguarda dos seus acervos e provavelmente é o único de todo
o continente Africano. Constantemente a iniciativa realiza parceria com
museus convencionais, tais como Africa Museum, District Six Museum e
Apartheid Museum. Suas ações são desenvolvidas a partir das relações de
gênero, raça e classe.
Fonte: https://gala.co.za/archive/archiving-gala/
Fonte: https://gala.co.za/archive/archiving-gala/exhibitions/
***
85. Associação Gay Caboverdiana
Cidade: Cabo Verde
Desde 2013 essa associação vem sendo pioneira na luta pelos direitos
LGBT. Entre suas principais ações, promove exposições colaborativas e
atividades voltadas para a Museologia Comunitária.
Fonte: http://associacaogaycaboverdiana.blogspot.com
Fonte: https://m.facebook.com/associacao.gaycaboverdiana

Oceania

Austrália

86. Australian Lesbian & Gay archives (ALGA)


Cidade: Melbourne
A ALGA foi fundada em 1978, preocupada em preservar os registros
materiais e as histórias de gays e lésbicas da Austrália. Possui um importante
acervo disponível para consultas e realiza, com frequência, exposições
temporárias em museus, galerias, arquivos e bibliotecas.
Email: mail@alga.org.au
Fonte: https://alga.org.au/exhibitions
Fonte: https://alga.org.au/
87. National Museum Australia
Cidade: Canberra
Este museu promove, com frequência, diversas ações voltadas para as
pessoas LGBTQI.
Fonte: https://www.nma.gov.au/exhibitions/australian-of-the-year-
awards-2015/rodney-croome
Fonte: https://www.nma.gov.au/defining-moments/resources/marriage-
equality
Fonte: https://www.nma.gov.au/defining-moments/resources/first-gay-
mardi-gras
***
88. Western Australia Museum
Cidade: Western Australia
Este museu promove exposições frequentemente. Desde 2017, vem
realizando um trabalho de documentação de memórias e histórias da
comunidade LGBTQI.
Contato: reception@museum.wa.gov.au
Fonte: http://museum.wa.gov.au/explore/articles/love-wins-wa
***
89. Sydney Gay and Lesbian Holocaust Memorial
Cidade: Sydney
Memorial construído coletivamente e dedicado à memória de gays e de
lésbicas perseguidas e mortas pelo nazismo.
Fonte: https://sydneyjewishmuseum.com.au/shop/events/
commemoration/tekes-to-honour-the-lgbtiq-victims-of-the-nazi-regime/

Nova Zelândia

90. Charlotte Museum Trust


Cidade: Auckland

118 | Tony Boita


Museologia LGBT | 119

Museu dedicado à preservação das memórias, da cultura e dos registros


materiais de mulheres lésbicas na Nova Zelândia. Promove exposições e
possui um significativo acervo museológico, arqueológico, arquivístico e
bibliográfico.
Contato: charlottemuseum@gmail.com
Site: http://charlottemuseum.lesbian.net.nz
***
91. Museum Of New Zealand Te Papa Tongarewa
Cidade: Wellington
O museu promove exposições temporárias, eventos e apresentações
culturais em seus espaços.
Fonte: https://www.tepapa.govt.nz/search/Lesbian
Fonte: https://blog.tepapa.govt.nz/2017/03/03/pride-and-prejudice-
lgbtiq-histories-made-visible/

Camboja

92. Rainbow Life Museum


Iniciativa comunitária que promove exposições itinerantes no Camboja.
Desenvolve rodas de memória e eventos e faz a coleta documentos e
registros fotográficos de pessoas LGBTIQ no país.
Contato: phoeng.saophorn@gmail.com
Fonte: https://pt-br.facebook.com/pg/RainbowLifeMuseum/
***

China

93. Gallery Gingins


Cidade: Taiwan
Entre 2003 e 2004, foi produzida, nesta galeria, a exposição Visualizing
Others: An Artistic Puzzle of Lesbian & Gay Stories (Cheng, 2011) com o
objetivo de visibilizar pessoas LGBT.
Fonte: http://network.icom.museum/fileadmin/user_upload/minisites/
icofom/pdf/ISS%2040%20Working%20Papers-bbs-2011-10-10.pdf

Europa

Albânia

94. National Museum of History


Cidade: Tirana
Um dos poucos museus do país a refletir sobre as heranças das pessoas
LGBT. Em 2013, recebeu a exposição Art. 1, concebida e produzida pela
Aleanca Kundër Diskriminimit të LGBT e pelo Museu Sueco Unstraight.
Fonte: https://evsbeyondbarriers.wordpress.com/2013/05/24/art-1-
exhibition-in-the-national-historical-museum-tirana/
Fonte 1 - http://www.aleancalgbt.org/index.php?lang=sq

Alemanha

95. Triângulo Rosa


Cidade: Weimar
Localizado no campo de concentração Buchenwald, na Alemanha, o
monumento presta homenagem aos homossexuais mortos nesse território.
Fonte: https://peace.maripo.com/p_glbt.htm
Fonte: https://books.google.com.br/books?id=ZKSbQbEzif8C&redir_
esc=y&hl=pt-BR

120 | Tony Boita


Museologia LGBT | 121

96. Schwules Museum


Cidade: Berlin
Este é um dos museus pioneiros voltados para a preservação das memórias
de homossexuais no mundo. Atualmente desenvolve ações de salvaguarda
e de difusão dos registros históricos, documentais e orais da comunidade
LGBT. Além do Museu, o espaço abriga uma livraria e um arquivo.
Contato: kontakt@schwulesmuseum.de
Fonte: https://www.schwulesmuseum.de
***
97. Deutsches Historisches Museum
Cidade: Berlin
Museu histórico que desenvolve diversas ações voltadas para as pessoas
LGBTQ. Em 2015, em parceria com o Schwules Museum, promoveu a
exposição Homosexuality_ies. A exposição narrou os 150 das sexualidades
não normativas e queers no país.
Contato: fuehrung@dhm.de
Fonte: http://www.artnews.com/2015/09/25/homosexuality_ies-at-
deutsches-historisches-museum-and-schwules-museum-berlin/
Fonte: https://www.dhm.de/blog/2018/05/03/queer-history/
***
98. Magnus-Hirschfeld-Gesellschaft / Magnus Hirschfeld Society
Cidade: Berlin
Criada em 1982, é a instituição responsável por preservar e difundir as
memórias e pesquisas de Magnus Hirschfeld. Ele foi o criador do Institut
for Sexual Science, em 1919, instituição que teve seus trabalhos encerrados
em maio de 1933, período em que os nazistas queimavam livros na cidade.
Em 1992 abriu ao público o Research Center for the History of Sexology,
centro dedicado aos estudos da sexualidade humana. Promove, com
frequência, eventos, seminários, capacitações, exposições e filmes voltados
para as sexualidades não normativas.
Contato: mhg@magnus-hirschfeld.de
Fonte: www.magnus-hirschfeld.de
Fonte: http://www.hirschfeld.in-berlin.de/frame.html?http://www.
hirschfeld.in-berlin.de/v_institut_en.html
***
99. Memorial to the Homosexuals
Cidade: Berlin
Monumento construído em homenagem aos homossexuais vítimas de
perseguição durante o regime nazista.
Fonte: https://www.stiftung-denkmal.de/en/memorials/memorial-to-the-
homosexuals-persecuted-under-the-national-socialist-regime/history-of-
the-memorial-to-the-homosexuals.html
Fonte: https://www.visitberlin.de/en/denkmal-fur-die-zur-ns-zeit-
verfolgten-homosexuellen
***
100. The National Museum in Warsaw
Cidade: Warsaw
Em 2010, recebeu a exposição Ars Homo Erotica, sob curadoria de Pawel
Leszkowicz. A exposição apresentou ao público as obras homoeróticas sob
a guarda do Museu, mas que estavam escondidas em suas reservas técnicas.
Contato: muzeum@mnw.art.pl
Fonte: http://www.mucem.org/en/pawel-leszkowicz-queering-collections-
art-museums

Portugal

101. Associação ILGA Portugal


Cidade: Lisboa
A ILGA Portugal é uma associação que busca garantir a cidadania e os
direitos fundamentais da população LGBT, inclusive o direito à memória
e à cultura, promovendo exposições voltadas para a visibilização das
sexualidades não normativas.

122 | Tony Boita


Museologia LGBT | 123

Contato: ilga@ilga-portugal.pt
Fonte: https://ilga-portugal.pt/ilga/index.php

Holanda

102. Homomonument
Cidade: Amsterdã
Monumento em formato de triangulo dedicado à memória das pessoas
com sexualidades não normativas que foram perseguidas e mortas pelo
nazismo.
Contato: info@homomonument.nl
Fonte: https://www.homomonument.nl

Espanha

103. Coletivo LGBT+ de Madrid – COGAM


O COGAM promove, com frequência, exposições comunitárias, bem
como exposições temporárias em museus convencionais do país.
Contato: informacionlgbt@cogam.es
Fonte: https://www.cogam.es
***
104. Museo del Prado
Cidade: Madrid
Apoia e promove projetos e atividades museológicas voltadas para o público
LGBTQ.
Contato: consultas.coleccion@museodelprado.es.
Fonte: https://www.museodelprado.es/actualidad/noticia/el-museo-
del-prado-escenario-de-la-iniciativa-de/e3d656c8-cb6c-0517-ff3a-
49792c051fc4?searchMeta=homos
105. Museo de América
Cidade: Madrid
Promove e recebe diversas ações pró-memória LGTB. A mais significativa
foi a exposição Trans. Diversidad de Identidades y Roles de Genero. Em
2017, o Museu foi homenageado pela Federación Estatal de Lesbianas,
Gays, Trans y Bisexuales (FELGTB).
Contato: Museo.america@mecd.es
Fonte: http://www.culturaydeporte.gob.es/museodeamerica/en/
actividades2/programa-de-actividades-trans-.html
Fonte: http://www.culturaydeporte.gob.es/museodeamerica/en/
actividades2/encuentros-y-celebraciones/premio-pluma-2018.html
***
106. Museo Nacional de Artes Decorativas
Cidade: Madrid
Promove diversas exposições, estimula e investiga as memórias das múltiplas
sexualidades. Em 2017 promoveu uma grande instalação, chamada Queer
Cabinet, que faz uma reflexão sobre o acervo do Museu a partir de uma
perspectiva queer.
Contato: mnad@mecd.es
Fonte: http://www.culturaydeporte.gob.es/mnartesdecorativas/dam/
jcr:95acb4a9-1d23-46dc-888f-b6bbb22b71e6/dossier-queer-cabinet-
ok0.pdf
Fonte: http://www.culturaydeporte.gob.es/mnartesdecorativas/portada.
html
***
107. Museo Nacional Thyssen-Bornemisza
Cidade: Madrid
Possui uma coleção de obras de arte que aborda as orientações sexuais e as
identidades de gênero. Ao todo são 16 objetos, entre telas e esculturas. As
peças estão disponíveis no website do museu.
Contato: educathyssen@museothyssen.org

124 | Tony Boita


Museologia LGBT | 125

Fonte: https://www.museothyssen.org/visita/recorridos-tematicos/amor-
diverso

Itália

108. Galleria Dell’Accademia di Firenze


Cidade: Florença
A galeria promove, com frequência, exposições voltadas para a arte
homoerótica.
Contato: mbac-ga-uff@mailcert.beniculturali.it
Fonte: http://www.galleriaaccademiafirenze.beniculturali.it/galleria/
***
109. Museo CAV la Neomudéjar
Cidade: Madrid
Esta instituição vem realizando diversas experimentações voltadas para
as pessoas LGBTQ. Além disso, também realiza pesquisas e exposições
voltadas para esta temática.
Fonte: https://www.laneomudejar.com/destape-y-orgullo-exposicion-
memoria-lgtbq/

Inglaterra

110. Museu Fitzwilliam


Cidade: Cambridge
Promove exposições, eventos, ações educativas e culturais voltadas para os
visitantes LGBTQ+.
Contato: reception@fitzmuseum.cam.ac.uk
Cidade: https://www.fitzmuseum.cam.ac.uk/calendar/whatson/bridging-
binaries-lgbtq-tours-0
111. Tate Britain Museum
Cidade: Londres
Realizou uma grande exposição em comemoração aos 50 anos da
descriminalização da homossexualidade no país.
Fonte: https://www.tate.org.uk/whats-on/tate-britain/exhibition/queer-
british-art-1861-1967
***
112. Alan Turing Memorial
Cidade: Manchester
Este monumento é dedicado à memória de Alan Turing, que se suicidou
após ser preso por práticas homossexuais.
Fonte: https://www.atlasobscura.com/places/alan-turing-memorial
***
113. Victoria and Albert Museum
Cidade: Londres
A instituição vem realizando atividades para a preservação e a difusão dos
registros e das memórias de sexualidades não normativas. Possui o LGBTQ
tour, uma atividade educativa voltada para a apresentação do acervo exposto
da instituição por meio de uma mediação na exposição de longa duração.
Fonte: https://www.vam.ac.uk/event/96W7yE6o/lgbtq-tour-2019
***
114. Brighton Museum
Cidade: Inglaterra
Este é um dos museus convencionais com o maior número de exposições
voltadas para a comunidade LGBTQ, são mais de 15 realizadas nos últimos
10 anos, além de dezenas de atividades.
Fonte: https://www.vam.ac.uk/event/96W7yE6o/lgbtq-tour-2019

126 | Tony Boita


Museologia LGBT | 127

115. The British Museum


Cidade: Inglaterra
Um dos mais importantes museus do mundo, o The British Museum
possui um programa de longo prazo para o desenvolvimento de suas ações
pró-memória LGBTQ, que vão além das exposições. A instituição vem
trabalhando na documentação, na pesquisa, nas publicações e nas ações
educativas sobre o seu acervo.
Contato: info@britishmuseum.org
Fonte: https://www.britishmuseum.org/about_us/past_exhibitions/2017/
desire,_love,_identity.aspx
Fonte: https://www.britishmuseum.org/the_museum/london_exhibition_
archive/archive_warren_cup.aspx
***
116. Museum of Liverpool
Cidade: Liverpool
O Museum of Liverpool possui o projeto Pride & Prejudice. O projeto
buscou realizar uma pesquisa nas diversas coleções do Museu e nas galerias
Walker Art Gallery, Lady Lever Art Gallery e Sudley House a fim de
identificar indicadores de memória LGBT. Desde então, foi criado um
acervo com nove coleções, em que são abordados temas que difundam
e positivam as memórias de sexualidades não normativas. Além disso, a
instituição apoia eventos, promove exposições temporárias, atividades
educativas, bem como produz um roteiro para a visitação dos objetos
expostos com temática LGBT.
Contato: https://www.liverpoolmuseums.org.uk/collections/lgbt/pride-
and-prejudice/
Fonte: https://www.liverpoolmuseums.org.uk/collections/lgbt/index.aspx

Finlândia

117. Postal Museum


Cidade: Tampere
O museu expôs, algumas vezes, sob a perspectiva LGBTQ, o acervo acerca
do trabalho do artista Tom Of Finland, que está sob a guarda da instituição.
Contato: info@postalmuseo.fi
Fonte: https://www.pri.org/stories/2014-04-14/finland-just-released-
amazing-slightly-nsfw-stamp-collection
***
118. IHLIA – LGBT Heritage
Cidade: Amsterdam
Possui um importante acervo documental, fotográfico e bibliográfico
voltado para as pessoas LGBT holandesas. Promove exposições, publicações
e ações culturais e educativas.
Contato: info@ihlia.nl
Fonte: https://www.ihlia.nl/collection/collection-of-ihlia/?lang=en

Museus Virtuais
119. Revista Memória LGBT
País de Origem: Brasil
A Revista Memória LGBT promove ações voltadas para a problematização,
a preservação e a difusão das memórias, dos museus e dos patrimônios
LGBT brasileiros.
Contato: revista@memorialgbt.org
Fonte: www.memorialgbt.org
***
120. The Unstraight Museum
País de Origem: Suécia
Desenvolve ações de visibilização das memórias LGBT em diversos países
do mundo, através de exposições, palestras e eventos. Já desenvolveu ações
no Camboja, no Vietnã e em Miamar.
Contato: https://unstraight.squarespace.com/

128 | Tony Boita


Museologia LGBT | 129

121. Digital Transgender Archive nos Estados Unidos


País de Origem: Estados Unidos
Disponibiliza e digitaliza, em formato de arquivo, documentos referentes à
memória e à história das pessoas trans americanas.
Contato: https://www.digitaltransgenderarchive.net/a
***
122. Monumento ao Índio Timbira
País de Origem: Brasil, São Luis do Maranhão
Monumento construído em 2016 em homenagem ao índio Timbira,
primeira vítima de homofobia documentada no Brasil.
Fonte: https://pib.socioambiental.org/pt/Notícias?id=172938
mAPAS iLuSTrADoS
mAPAS
Museologia lgBT | 131

ÁFRICA
132 | Tony BoiTa
Museologia lgBT | 133
134 | Tony BoiTa
Museologia lgBT | 135
136 | Tony BoiTa