Você está na página 1de 7

O NARRADOR PROTAGONISTA

O NARRADOR-PROTAGONISTA PASSA POR DIFERENTES FASES DA


SUA PERSONALIDADE AO LONGO DO TEMPO, SIMBOLIZADAS PELO
MODO COMO É CHAMADO PELOS OUTROS.

BENTINHO / JUVENTUDE

*INOCENTE

O NARRADOR COMEÇA A CONTAR A HISTÓRIA DA SUA VIDA


PARTINDO DE UM MOMENTO QUE MARCOU O SEU PERCURSO PARA
SEMPRE: AOS QUINZE ANOS, ESCUTA UMA CONVERSA ONDE JOSÉ
DIAS COMENTA COM DONA GLÓRIA A PROXIMIDADE ENTRE
BENTINHO E CAPITU, DIZENDO QUE PODERÁ SURGIR UM NAMORO
ENTRE ELES.

A FRASE DE JOSÉ DIAS ECOA NA CABEÇA DO ADOLESCENTE,


PROVOCANDO UMA REVELAÇÃO:COM QUE ENTÃO EU AMAVA
CAPITU E CAPITU A MIM? REALMENTE, ANDAVA COSIDO ÀS SAIAS
DELA, MAS NÃO ME OCORRIA NADA ENTRE NÓS QUE FOSSE
DEVERAS SECRETO.

INDECISO:
NA ADOLESCÊNCIA É BENTINHO, UM GAROTO INOCENTE QUE SE
DESCOBRE APAIXONADO E DIVIDIDO ENTRE A VONTADE DA MÃE
(O SACERDÓCIO) E OS DESEJOS DA NAMORADA (O CASAMENTO).

SUBIMISSO

*DETERMINADA A NÃO SE SEPARAR DO NAMORADO, CAPITU


ENGENDRA VÁRIOS PLANOS PARA QUE BENTINHO NÃO VÁ PARA O
SEMINÁRIO, AOS QUAIS ELE OBEDECE DE FORMA SUBMISSA.

*OBS:

DESDE ESTA FASE DA NARRATIVA, É APONTADO UM CARÁTER


PERIGOSO NA PERSONAGEM, SÃO DESCRITOS OS SEUS "OLHOS DE
RESSACA", "DE CIGANA OBLÍQUA E DISSIMULADA":

DESDE O INÍCIO DO RELACIONAMENTO, O LEITOR É LEVADO A


SUSPEITAR DOS ATOS DE CAPITU, MESMO ASSISTINDO À
NARRAÇÃO DE UMA HISTÓRIA DE AMOR NA QUAL ELA PARECE
RENDIDA, APAIXONADA, DISPOSTA A TUDO PARA FICAR COM O
HOMEM QUE AMA E FAZÊ-LO FELIZ.

O SEMINARISTA

*CONHECE O ESCOBAR

NUMA VISITA A CASA, BENTINHO LEVA O COMPANHEIRO PARA


CONHECER A SUA FAMÍLIA. TODOS SIMPATIZAM MUITO COM ELE,
MENOS PRIMA JUSTINA, QUE LANÇA A DESCONFIANÇA SOBRE O
SEU CARÁTER;

ESCOBAR ERA UM TANTO METEDIÇO E TINHA UNS OLHOS


POLICIAIS A QUEM NÃO ESCAPAVA NADA.

SANTIAGO / IDADE ADULTA E VIDA CONJUGAL


* SUBMISSO

-SAI DO SEMINÁRIO

-SE FORMA EM ADVOGACIA

-CASA-SE COM CAPITÚ

-AMIZADE ENTRE OS CASAIS SANTIAGO E CAPITÚ E SANCHA E


ESCOBAR

NA VERDADE, DURANTE A VIDA DE CASADOS, COMO NO NAMORO,


ERA ELA QUEM DITAVA AS REGRAS; O MARIDO, CONTUDO, NÃO
PARECIA SE IMPORTAR, DEMONSTRANDO SEMPRE A SUA
ADORAÇÃO E ADMIRAÇÃO PELA MULHER.

*CIUMENTO

O CIÚME APARECE AINDA NO NOMOROQUANDO JOSÉ DIAS O


VISITA, MENCIONA A ALEGRIA DE CAPITU, ACRESCENTANDO:
“AQUILO ENQUANTO NÃO PEGAR ALGUM PERALTA DA
VIZINHANÇA QUE CASE COM ELA…”.
NA VIDA ADULTA E NO CASAMENTO O CIÚME APARECE APARTIR
DO CAPÍTULO LXII “UMA PONTA DE LAGO” REFERÊNCIA DIRETA
A OTELO, OBRA DE TRAGÉDIA DE SHAKESPEARE SOBRE CIÚME E
ADULTÉRIO. NA PEÇA, IAGO É O VILÃO QUE LEVA O
PROTAGONISTA A ACREDITAR QUE A SUA ESPOSA O TRAIA.

* MARIDO APAIXONADO E POSSESSIVO

A PARTIR DE ENTÃO O AUTOR PASSA A TER UM SIÚMES


DESCONTROLADO E POSSESSIVO REVELANDO, ATRAVÉS DO SEU
RELATO, UMA OBSESSÃO PELA MULHER (“CAPITU ERA TUDO E
MAIS QUE TUDO”), CONFESSA QUE AS SUAS DESCONFIANÇAS SE
TORNAM IRRACIONAIS: “CHEGUEI A TER CIÚMES DE TUDO E
TODOS”.

**OBS

SANTIAGO E SANCHA

APESAR DO SEU COMPORTAMENTO MUITAS VEZES CONTROLADOR


E DE VIVER EM FUNÇÃO DE CAPITU, SANTIAGO SENTE UMA
SÚBITA ATRAÇÃO POR SANCHA, QUE PARECE SER
CORRESPONDIDA: “A MÃO DELA APERTOU MUITO A MINHA, E
DEMOROU-SE MAIS QUE DE COSTUME”.

MESMO FICANDO IMPACTADO PELO MOMENTO QUE PARTILHAM


(“OS OLHOS QUE TROCÁMOS”), O NARRADOR NÃO CEDE À
TENTAÇÃO POR RESPEITO À AMIZADE COM ESCOBAR (“REJEITEI
A FIGURA DA MULHER DE MEU AMIGO, E CHAMEI-ME DESLEAL”).

ENTRETANTO É COM A MORTE DO ESCOBAR QUE A


DESCONFIANÇA VEM A TONA

OBSERVA, DE LONGE, O COMPORTAMENTO DE CAPITU, QUE OLHA


O CADÁVER “TÃO FIXA, TÃO APAIXONADAMENTE FIXA” E TENTA
ESCONDER AS LÁGRIMAS, ENXUGANDO-AS “DEPRESSA, OLHANDO
A FURTO PARA A GENTE QUE ESTAVA NA SALA”.

A TRISTEZA EVIDENTE DA MULHER E A SUA TENTATIVA DE


DISFARÇÁ-LA CAPTAM A ATENÇÃO DO PROTAGONISTA, QUE
VOLTA A MENCIONAR OS SEUS “OLHOS DE RESSACA” (TÍTULO DO
CAPÍTULO.

O SENTIMENTO DE TRAIÇÃO E RANCOR GERADOS A PARTIR DESTE


MOMENTO SÃO O MOTOR DO RESTO DA AÇÃO DA OBRA,
DEFININDO O COMPORTAMENTO DO PROTAGONISTA E AS
ESCOLHAS QUE FAZ.
* PARANÓICO DEPOIS QUE PERCEBE O SOFRIMENTO DE CAPITU
NO VELÓRIO DO AMIGO, SANTIAGO NÃO CONSEGUE PARAR DE
IMAGINAR O CASO AMOROSO ENTRE ELES, E A PARECENÇA FÍSICA
DO FILHO COM O SEU RIVAL ASSOMBRA O PROTAGONISTA:

ESCOBAR VINHA ASSIM SURGINDO DA SEPULTURA (…) PARA SE


SENTAR COMIGO Á MESA, RECEBER-ME NA ESCADA, BEIJAR-ME
NO GABINETE DE MANHÃ, OU PEDIR-ME À NOITE A BÊNÇÃO DO
COSTUME.

*VINGATIVO

VAI VER OTELO, DE SHAKESPEARE, ATRAÍDO PELA COINCIDÊNCIA,


E FANTASIA COM UMA VINGANÇA VIOLENTA E TRÁGICA, COMO A
DA PEÇA: “CAPITU DEVIA MORRER”. COMPARA A AMADA COM
DESDÊMONA, ESPOSA QUE OTELO MATA, CEGO DE CIÚMES,
ACREDITANDO QUE ELA O HAVIA TRAÍDO COM CÁSSIO, SEU
HOMEM MAIS FIEL.

DESESPERADO, ESCOLHE ACABAR COM A PRÓPRIA VIDA BEBENDO


VENENO, MAS É INTERROMPIDO POR EZEQUIEL. SUA VINGANÇA
CHEGA, ENTÃO, ATRAVÉS DAS PALAVRAS QUE DIRIGE AO
MENINO: "NÃO, NÃO, EU NÃO SOU TEU PAI”.

APESAR DA TENTATIVA DE CONCILIAÇÃO, O NARRADOR DITA O


FINAL DO CASAMENTO: “A SEPARAÇÃO É COISA DECIDIDA”.
ASSIM, OS TRÊS PARTEM PARA A EUROPA POUCO DEPOIS E
SANTIAGO REGRESSA SOZINHO AO BRASIL. DEIXANDO A MULHER
E O FILHO NA EUROPA, VIAJA NO ANO SEGUINTE, PARA MANTER
AS APARÊNCIAS, MAS NÃO CHEGA A VISITÁ-LOS.

DOM CASMURRO
*SOLITÁRIO E RANCOROSO

POR FIM, APÓS SE SEPARAR DA MULHER E DO FILHO, SE TORNA


UM HOMEM DE “HÁBITOS RECLUSOS E CALADOS”, SOLITÁRIO,
AMARGURADO, QUE PASSA A SER APELIDADO DE DOM CASMURRO
PELA VIZINHANÇA, COM A QUAL NÃO SE RELACIONAVA.

COM AS MORTES DOS RESTANTES FAMILIARES ANUNCIADAS NOS


ÚLTIMOS CAPÍTULOS DO LIVRO, O NARRADOR-PROTAGONISTA SE
ENCONTRA CADA VEZ MAIS SOZINHO. CAPITU E EZEQUIEL,
DISTANTES, TAMBÉM FALECEM ANTES DE SANTIAGO.

FAZENDO UM BALANÇO DA SUA VIDA DESDE A SEPARAÇÃO,


REVELA QUE PASSOU BEM E TEVE A COMPANHIA DE VÁRIAS
MULHERES, MAS NÃO SE APAIXONOU POR NENHUMA DO MESMO
MODO QUE AMAVA CAPITU, "TALVEZ PORQUE NENHUMA TINHA
OS OLHOS DE RESSACA, NEM OS DE CIGANA OBLÍQUA E
DISSIMULADA”.

(...) A MINHA PRIMEIRA AMIGA E O MEU MAIOR AMIGO, TÃO


EXTREMOSOS AMBOS E TÃO QUERIDOS TAMBÉM, QUIS O DESTINO
QUE ACABASSEM JUNTANDO-SE E ENGANANDO-ME… A TERRA
LHES SEJA LEVE!

Referencias:

https://www.culturagenial.com/livro-dom-casmurro-de-machado-de-assis/