Você está na página 1de 3

CELEBRAÇÃO DA ÁGUA

(Preparar: jarras, cajado, bacia, círio, cruz, poço, ritual da bênção da água...)

Celeb: Caros irmãos e irmãs! Vamos celebrar, neste momento, o significado da


água, sua importância em
nossa vida e nosso compromisso de darmos água aos sedentos.
Amigos: sedentos existem aos milhares. É grande a sede do povo. Muitos
estão sedentos de Deus; outros não tem acesso às fontes de água pura; há
jovens precisando de nós, pois eles tem sede.
Quem lhes dará a verdadeira água? Precisamos de poços profundos, de
verdadeira água, de muita água para matar a sede de todos. É a sede de
Deus, de justiça; sede da verdade...
Leitor 1: Deus é o Criador das águas. Do nada Ele tira as águas. Das rochas e da
terra faz brotar as fontes.
Ele criou as nuvens; delas, generosamente, descem milhões de gotas de
água, gerando fontes e rios; elas fertilizam os campos e dão vida aos
animais, pássaros e pessoas.
Amigos! Descubram em cada gota de orvalho o Amor de Deus!
Celeb: Disse o Criador: “Estendo minhas mãos e meus braços sobre a terra e digo: ‘Faça-se
um firma-
mento entre as águas, e separe ele uma das outras. E o firmamento separou as águas que
estão debaixo e separou as águas que estão por cima... Que as águas que estão debaixo
dos céus se ajuntem num mesmo lugar, e apareça o elemento árido, a terra. E ao
ajuntamento das águas chame-se mar. Fervilhem as águas de uma multidão de seres
vivos” (Gen. 1,6-7.9.10.20

Entram 3 pessoas com uma jarra d’água cada uma. Cada uma diz:

1. Deus criou a água para todos. Ninguém deve morrer desidratado. Terrível é a
morte por causa da sede!
Deus disse: “As águas jorrarão no deserto e torrentes na planície árida. A terra queimada se
conver-
terá num lago e a região da sede, em fontes” (Is. 35,6-7)
E há tantos procurando água, poços, cisternas! Tantos comprando e pagando
caro a água!
2. Vocês viram como Ele deu água para matar a sede do povo que andava pelo
deserto! Todos gritavam:
“dá-nos água para beber!” O povo murmurava contra Moisés, dizendo: “Por que nos
fizestes sair do Egito? Para nos fazer morrer de sede com nossos filhos e nossos rebanhos?”

3. Deus disse a Moisés: “Toma na mão teu cajado com que feriste o Nilo e vai. Eis que
estarei ali diante
de ti, sobre o rochedo do Monte Horeb; ferirás o rochedo e a água jorrará dele; assim o povo
poderá beber” (Ex. 17,1-7). Deus não quer ver o povo com sede, quando há tantos
rios, lagos, fontes e água pura correndo pela terra. Se há sedentos é porque há
injustiças entre nós.
“As águas jorraram em abundância, de sorte que o povo e os animais puderam beber” (Num.
20,11)

Leitor 2: (entra com um cajado na mão)


Este cajado, sinal da presença de Deus, tem de ser instrumento de
mudanças. Batemos nos corações dos grandes, dos poderosos do país
para que deixem água, vida, terras, leis, bens para os sedentos, para os
pobres que morrem de fome e sede nos caminhos de nossa pátria).
- batendo o cajado no chão, com força, diz:
Rochedos secos e duros são os que tem tantos bens e nada partilham e
nada fazem pelos famintos. Gostaria de ser o novo Moisés para bater nas
portas das casas dos fortes, dos legisladores, dos que tem poder para
que se abram aos gritos e clamores dos pobres e deixem jorrar riqueza e
bem-estar, liberdade e participação do povo.
“Farás brotar a água do rochedo e darás de beber à comunidade e aos rebanhos” Num
20,8

(Quem quiser apontar alguma sede que nosso povo padece, apontando as causas, levantando o
cajado e batendo-o no chão, comprometa-se na transformação da realidade).

Celeb: Como ficariam as pessoas, nossas roupas e casas, sem água?


Temos de valorizar mais as lavadeiras. Elas bem sabem a força, o serviço
que a água presta à humanidade. Sua missão é alvejar, limpar roupas
sujas. A água guarda para si a sujeira. Aceita todas as sujeiras das pessoas
e dos objetos.
Lavadeira: entra com a bacia de água e diz:
Vocês já escutaram tantas vezes a frase de Jesus:
“Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para lavar os pés; mas
esta mulher, com suas lágrimas, regou-me os pés e enxugou-os com os seus cabelos”
(Lc. 7,44).
E Ele mesmo lavou, mais tarde, os pés dos apóstolos. Os pés
empoeirados de Pedro, João, Tiago e dos outros mais.
- depositando a bacia sobre a mesa, continua:
“Água limpa, boa e pura, lava a maldade dos pecadores, dos que detém o poder e a
riqueza! Lava os meus, os nossos pecados e sujeiras! Há tantos que tem roupas
brancas mas tem o coração mais impuro que o barro. Oh água cristalina! Lava bem
nossos corpos!
Sem nada dizer, tudo lava. Tu ficas imunda e nós ficamos limpos. Que todos
colaborem na limpeza deste país. Ele tem tanto barro, tanta sujeira, tanta poeira,
tantos enganos, tanta corrupção! Leva ao mar estas podridões! Tantas podridões! Nós
as conhecemos bem!

Celeb: Convido os participantes para fazerem algumas preces relatando


situações que devem ser mudadas.
Nós mesmos devemos ser a água purificadora. Responder as preces
dizendo:
- “Queremos ser a água que lava!”
(continua) Ninguém pode esquecer das águas mais importantes. Não são
as das fontes. Nem dos rios e mares. São as águas do Batismo que nos
fizeram, pela força do Espírito, filhos(as) de Deus, membros da Comunidade
cristã. Águas que deveríamos recordar todos os dias. Nelas mergulhamos
para significar a morte. Saímos delas para simbolizar a vida, a ressurreição.
Batismo é Páscoa do cristão. Águas Batismais! Águas que geram vida!
Como poderíamos esquecê-las?
- alguém entra com o círio pascal aceso
Éramos pequenos. Ninguém se recorda. Recebemos a vela acesa.
Passamos das trevas à luz. Foi o mais importante de todos os dias.
Precisamos de gente nova. Temos de divulgar este pensamento de S.
Paulo: “Somos, pois, sepultados com Ele na sua morte pelo Batismo, para que, como
Cristo ressurgiu dos mortos pela glória do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova”
(Rom. 6,4).
Vida Nova! Nova Luz! Gente Nova!
Será que todos nós temos consciência de que somos chamados a viver uma
Vida Nova?
Leitor 1: Amigos, não nos esqueçamos que Cristo é a Água Viva, a Rocha da
qual jorra em abundância a
água do Amor; necessitamos d’Ele como necessitamos das fontes para
matar nossa sede.
Será que estamos bastante conscientes de que precisamos de Cristo?
- música de fundo para reflexão

Entra alguém com a Cruz e diz: “Estava Ele morto, dependurado no madeiro. Um dos
soldados abriu-
lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água” (Jo 19, 34).

Leitura bíblica: Jo. 4,10-15 ou Mt. 14,22-36

Celeb: Bebei, irmãos! A Água viva é Cristo! Também devemos ser água pura
que lava as injustiças da so-
ciedade e dos lares. Caminhai para as fontes das verdadeiras águas da fé e
do Evangelho, da verda-
de e da justiça, do amor e da vida comunitária.
Não permitais que a água imunda da violência e da injustiça seja bebida
pelos jovens e crianças.
Há centenas de cisternas com água boa, potável. Escutai o pedido de
todos:
“Dá-me de beber, Senhor! dá-me desta água para eu já não ter mais sede” (Jo. 4,10).

Leitor 2: Amigos, um bom banho, uma cascata, uma fonte... elevam nossas
forças e mentes para as águas
eternas. Se entrando em águas limpas nos sentimos renovados, mais
alegres e com mais saúde... muito mais poderemos dizer a respeito das
águas da vida, das fontes, das alegrias do céu! Por isso S. João descreve
a vida feliz do Reino com imagens de fontes, águas puras e salvadoras.
Leitor 1: “Quando escrevi às comunidades do Apocalipse, eu disse: o Cordeiro, que está no
meio do tro-
no, será o seu pastor e os levará às fontes das águas vivas” (Apoc. 7,17
Leitor 2: “A quem tem sede eu darei gratuitamente de beber da fonte da água viva” (Apoc.
21,6).
Leitor 1: “Aquele que está sentado no trono estenderá a sua mão sobre eles: já não terão mais
fome,
nem sede” (Apoc. 7,15)

Perguntas para reflexão: - que tipo de bebida recebemos dos meios de comunicação social?
- como estancar algumas fontes que contém água imunda e que trazem doenças
aos que dela bebem?
Aspersão da água (Miq. 7,18-20)