Você está na página 1de 55

Universidade Federal do Ceará

Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade


Coordenação do Curso de Ciências Econômicas

Projeto Político-Pedagógico
Curso de Graduação em Ciências Econômicas

Fortaleza-CE, 22 de novembro de 2006


2

Equipe de Elaboração:

Almir Bittencourt da Silva – Coordenador do Curso

Aécio Alves de Oliveira – DTE

Agamenon Tavares de Almeida – DTE

Maria Cleide Bernal – DTE

Raul dos Santos Filho – DTE

Sebastião Carneiro de Almeida – DEA

Ruimar Fracelino de Souza – Rep. Discente


3

1. Apresentação

A necessidade de um projeto pedagógico antecede a qualquer decisão política


ou exigência legal, já que a condição de educadores(as) e de membros da instituição
universitária deve deixar claro que horizonte se pretende vislumbrar com nosso(a)s
aluno(a)s, com nosso País e com nossa casa planetária. A visão a partir do cosmos
sintetiza a imagem da Terra como as “nações unidas”, pois não se divisam nitidamente
fronteiras geopolíticas. Concretizar tal visão do espaço torna-se responsabilidade de
todos. No caso do(a)s docentes, essa visão é condição crucial para que o papel de
educador(a) seja exercido em sua plenitude, com responsabilidade e compromisso.
Com tais premissas, o perfil do(a) profissional de Economia deverá permitir-lhe
a percepção de seu lugar no mundo como cidadão e cidadã com senso crítico e ético
para o exercício de atitudes comprometidas com o enfrentamento de situações e
transformações político-econômicas e sociais da realidade brasileira e do mundo. Daí a
importância de uma sólida formação geral dos processos históricos, associada à
capacidade analítica a ser desenvolvida com conteúdos teórico-quantitativos adquiridos
da pluralidade das ciências econômicas. Uma base cultural ampla, capacidade analítica
crítica e efetiva comunicação oral e escrita são os componentes necessários para a
compreensão das questões econômicas em seu contexto histórico-social, local, nacional
e mundial.
O Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Ciências Econômicas
da Universidade Federal do Ceará define-se por uma organização curricular em que sua
integralização se fará com base no regime de oferta especificado por um misto de
seriado semestral e matrícula por disciplinas com exigências de pré-requisitos. Como
parte dessa definição, o Projeto não considera o Estágio Supervisionado compondo a
integralização curricular do Curso. De acordo com as novas Diretrizes Curriculares
Nacionais (DCN), instituídas pela Resolução n° 7, de 29 de março de 2006, do Conselho
Nacional de Educação, esse componente não é obrigatório, mas sim opcional. O
Trabalho de Curso, sob a forma de Monografia, com a devida regulamentação
institucional, além de obrigatório, é considerado crucial para a consolidação do processo
de formação e como o primeiro produto do(a) futuro(a) profissional de Economia. O
regime seriado semestral contido neste Projeto, no entanto, deverá permitir ainda
4

escolhas de disciplinas com as quais o(a)s aluno(a)s terão oportunidade de direcionar


seus interesses acadêmicos e profissionais para a conclusão dessa etapa de suas vidas.
Além dos campos interligados de formação, conforme o Art. 5º, itens I, II, III,
IV e Parágrafo Único das DNC, o Projeto Pedagógico também contém um conjunto de
disciplinas de outros cursos que guardam afinidades e afirmam a complementaridade
necessária ao caráter plural das Ciências Econômicas. Assim, para atender tal
necessidade, o Currículo Pleno congrega um conjunto de disciplinas dos Cursos de
Graduação em Matemática, Estatística, Informática, Geografia, Ciências Sociais, História,
Direito, Administração e Contabilidade para livre escolha do(a)s aluno(a)s, de modo a
atender minimamente os interesses individuais despertados ao longo de sua formação
acadêmica.

2. Justificativa

2.1 O Curso de Ciências Econômicas: histórico e experiências


institucionais

A Faculdade de Ciências Econômicas do Ceará foi fundada pelo professor Djacir


Menezes, em novembro de 1938, com a colaboração dos professores Lincoln Mourão
Mattos, Domingos Brasileiro, José Valdo Ribeiro Ramos e Carlos Oliveira Ramos.1 A
Faculdade organizou-se, inicialmente, como entidade privada de ensino superior,
oferecendo o Curso Superior de Administração e Finanças, para formação de bacharéis
em Ciências Econômicas. O Curso funcionava em regime seriado anual, com duração de
três anos.
A primeira turma de bacharéis iniciou-se em março de 1939 dos quais 28
concluíram o Curso, em 1942. A primeira estrutura curricular foi regulamentada pelo
Decreto 20.158, de 20/junho/19312, em cuja composição havia 17 disciplinas. Era uma
mescla de disciplinas das áreas de Direito (seis), Contabilidade (duas), Sociologia e
Psicologia (duas), Matemática (uma), Administração (uma) e Economia (cinco). O

1
O histórico do atual Curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Ceará está baseado na
obra do Prof. Lúcio Armando de Patrício Ribeiro, Faculdade de Ciências Econômicas do Ceará – Incursão
Histórica - 1928/2000. Fortaleza: Edições UFC, 2001.
2
Parecer nº 375/84, do Conselho Federal de Educação (CFE), de 26/6/1984.
5

Decreto 7.988, de 22/setembro/1945, extingue os cursos superiores de Administração e


Finanças em todo o país. Em 20 de dezembro desse mesmo ano, o Ministério da
Educação e Saúde reconhece a existência dos Cursos Superiores de Ciências Econômicas
e de Ciências Contábeis e reformula completamente o currículo anterior. Assim,
“incorporou a ciência econômica ao sistema universitário brasileiro” (Parecer 375/84).
O novo currículo, porém, ainda se mantinha com forte peso de matérias
jurídicas, de administração e contabilidade, evidenciando dessa forma, a falta de
definição de um perfil profissional do economista. Em março de 1946 inicia-se, no Brasil,
a 1ª série do Curso Superior de Ciências Econômicas, com estrutura curricular de 22
disciplinas, regime anual e integralização curricular em quatro anos. A Faculdade
mantém o seu funcionamento, com o caráter de entidade privada, até a sua
encampação pelo Governo do Estado do Ceará, efetivada em 23 de junho de 1947. O
Curso de Ciências Econômicas, da Faculdade de Ciências Econômicas do Ceará, foi
reconhecido e regulamentado pelo Decreto 26.142, de 4/janeiro/1949, publicado no
Diário Oficial da União de 15/janeiro/1949, página 698.
Em 1956, a Faculdade foi agregada à Universidade do Ceará, hoje, Universidade
Federal do Ceará, instituída em 1955. A Lei nº. 2.921, de 21 de outubro de 1956,
concedeu a inclusão da Faculdade de Ciências Econômicas do Ceará entre os
estabelecimentos de ensino subvencionados pelo Governo Federal.3 Após seis anos de
funcionamento foi estruturado um novo currículo, de acordo com o Parecer 397/62 do
Conselho Federal de Educação, já na vigência da nova Lei de Diretrizes e Bases da
Educação Nacional. Pode-se afirmar que esse momento marcou claramente a distinção
entre as áreas de Ciências Econômicas e Ciências Contábeis e Atuariais.
O novo currículo explicitou a grande preocupação à época com os problemas
econômicos brasileiros, em especial, as questões ligadas ao desenvolvimento econômico,
planejamento e elaboração e avaliação de projetos, bem como com uma formação
teórica mínima em termos de Macroeconomia e Microeconomia. Não se pode deixar de
reconhecer a grande influência exercida pelos cursos ministrados pelo Conselho Nacional
de Economia e pelo Centro de Treinamento em Desenvolvimento Econômico, apoiados
pela Comissão Econômica para América Latina - PAL e Banco Nacional de
Desenvolvimento Econômico - BNDE, no processo de discussão e elaboração desse

3
Ver www.6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id+111228, acessado em 19/11/2006.
6

currículo. Em 1962 foi realizada a reformulação da estrutura curricular com a sua


adequação ao novo currículo mínimo nacional, com a conseqüente realização de
concurso para novos professores.
Após um longo processo de luta, em que os estudantes, representados pelo
Centro Acadêmico Nogueira de Paula, tiveram importante papel, a Faculdade de Ciências
Econômicas do Ceará foi incorporada à Universidade do Ceará (nome oficial da UFC,
quando de sua criação) pela Lei nº 4.123, de 27 de agosto de 1962. Posteriormente, em
1968, houve a adequação da estrutura do curricular com o novo sistema universitário
estabelecido pelo projeto de Reforma Universitária, com os cursos divididos em Ciclos
Básicos e Profissionais, regime de matricula por disciplina e regime semestral. A
estrutura curricular manteve-se inalterada até 1984.
O início da década de 1980 sinalizava importantes transformações econômicas e
a crescente importância do estudo de Economia. Ao mesmo tempo, o desenvolvimento
da área das Ciências Econômicas exigia um intenso e amplo processo nacional de
discussão acerca do perfil do economista, do processo de formação profissional, da
estrutura dos cursos e de seu conteúdo. Esse processo contou com a participação, não
só da área acadêmica, mas também do sistema de regulamentação e fiscalização
profissionais – o Conselho Federal de Economia (COFECON) e os Conselhos Regionais de
Economia (CORECON) – e outras entidades representativas da categoria, especialmente,
a Federação Nacional dos Economistas (FENECON) e os Sindicatos dos Economistas
(SINDECON).
As discussões e debates que se desenvolveram ao longo de três anos
concretizaram-se no Parecer 375/84, de autoria do Professor Armando Mendes, membro
do Conselho Federal de Educação (CFE) e na Resolução 11/84 – CFE, aprovados pelo
CFE e homologados pela Ministra da Educação e Cultura e publicados no Diário Oficial da
União de 28 de junho de 1984. Referida Resolução estabelece, em seu artigo 1º que o
“curso de bacharelado em Ciências Econômicas será ministrado como o mínimo de 2.700
horas/aula, cuja integralização se fará num mínimo de quatro e num máximo de sete
anos.” Também explicita o prazo mínimo de cinco anos e máximo de oito para a
integralização dos cursos ministrados no período noturno.
No Parecer foram apresentados alguns princípios básicos norteadores da
reformulação em apreço. Dentre eles vale ressaltar:
7

(i) “O princípio de que o curso deve estar voltado para e comprometido com o
estudo da realidade brasileira.”
(ii) “O princípio de que a estrutura curricular não deve instrumentalizar uma
única corrente de pensamento (ou ideologia) em Economia.”
(iii) “O princípio, portanto, da reinserção da Economia Política no intricado
estudo da vida humana como ela é e suas transformações históricas e atuais.”
(iv) “E, ainda, e finalmente, o princípio maior que a tudo informa, que tudo
explica e sem o qual nada ganha sentido, que é o senso ético norteador da
responsabilidade social que o profissional deve investir-se e revestir-se.“

Tais princípios traduziram-se em duas grandes áreas: Formação Geral


(compostas por matérias propedêuticas, como Introdução à Economia, Matemática,
Estatística, Direito e Contabilidade, formando um núcleo comum complementado, de
forma opcional, pelos campos de Sociologia, Ciência Política, Antropologia e Economia e
Ética) e Formação Profissional (esta subdividida em três partes: Formação Teórico-
Quantitativa, Formação Histórica e Trabalho de Curso). Além dessas, foi apresentado um
subconjunto composto de Matérias de Escolha. São aquelas que devem refletir “as
peculiaridades institucionais, regionais históricas e sócio-culturais do próprio
estabelecimento de ensino e do meio geoeducacional em que se insere, do qual sofre as
influências e sobre o qual, mais diretamente, pretende influenciar pela via da formação
de quadros qualificados, nela incluída a formação de Economistas.” Vale ressaltar que a
grande inovação é a exigência de que o processo de formação profissional seja coroado
com um trabalho final na forma de Monografia, acompanhada por um professor
orientador, apresentada de forma individual. Dentro desse espírito e baseado em tais
princípios, o Curso de Ciências Econômicas da UFC reformulou e implantou uma nova
estrutura curricular a partir do ano de 1987.
8

2.2 As reestruturações mundiais da economia capitalista e as novas


Diretrizes Curriculares Nacionais

Apesar da atualidade dos princípios que nortearam a Resolução 11/84, há a


necessidade de incorporar novas problemáticas à formação do(a) profissional das
Ciências Econômicas. As desregulamentações a partir dos protagonistas do
neoliberalismo, Margareth Thatcher (Inglaterra, 1979) e Ronald Reagan (USA, 1981); o
desmoronamento da União Soviética e a queda do socialismo (ou capitalismo) de Estado,
na virada dos anos de 1990; o reaparecimento e a consolidação da esfera financeira, no
início dos anos de 1980. São exemplos de questões que podem muito bem ser
incorporadas à formação do(a)s economistas.
A forte influência do “capital portador de juros” no processo de crescimento
econômico, em escala mundial, tornou-se mais evidenciada nos anos de 1990, com
crises que abalaram o mundo das finanças, quais sejam: colapso da Bolsa de Tóquio
(1990), a crise do México (1995), a saída líquida de reservas no Brasil (1995-1998), as
crises asiáticas (1997-1998), na Rússia (1998), na Argentina (2001); a quebra da
Nasdaq (2001). Ainda, nas duas últimas décadas do século XX ficaram registradas
importantes reestruturações técnico-produtivas e organizacionais, baseadas em novas
tecnologias da informação e da comunicação, da robótica, da engenharia genética, que
demarcaram o desemprego estrutural e as preocupantes ameaças que o padrão de
crescimento econômico adotado tem ocasionado sobre a biosfera. Hoje não há como
negar a existência de estreitas relações entre essas questões que conformam a base das
desigualdades socioeconômicas que se criaram e se tornaram desigualmente distribuídas
no mundo. São questões que devem merecer redobrada atenção, pois as disputas
interestatais que se observam na geopolítica contemporânea das relações internacionais,
podem acelerar a crise ecológica planetária.
Desse modo, a justificativa central para a reformulação curricular contida neste
Projeto Pedagógico – para além do cumprimento das DNC – está na necessidade da
inclusão de conteúdos programáticos que atentem para as questões anteriormente
mencionadas. O Projeto não pode ficar restrito apenas a uma adaptação às novas
Diretrizes, mas, fundamentalmente, aproveitar a oportunidade oferecida por essa
exigência formal a fim de proporcionar uma visão de totalidade ao processo de formação
9

do(a) economista. Daí a importância de novos conteúdos filosóficos, sociológicos e


políticos, além de outras atualizações na formação específica. Em particular, temos como
exemplo a forma de acumulação da riqueza que é própria do “capital portador de juros”
e de suas relações com a esfera produtiva. (Não se trata apenas de ministrar conteúdos
que sirvam de ferramentas para atuação profissional no mercado de trabalho da esfera
financeira – fundos de pensão, companhias de seguros, bancos de investimentos etc.)
Do mesmo modo, ao lado dessa configuração específica do capitalismo é crucial
incorporar, definitivamente, as preocupações relacionadas à crise ecológica planetária
como referida anteriormente. As conseqüências negativas, sociais e sobre a biosfera,
têm o modo de produção e de distribuição capitalista como sua matriz causal, e que
agora é reforçada pelas formas fetichistas da acumulação financeira. O cenário da fome,
da desnutrição, do empobrecimento crescente, de doenças epidêmicas; o aumento do
desemprego, da precarização do emprego; a luta dos homeless e dos sem terra: são
questões que não podem mais ser consideradas como “naturais” ou exógenas a esse
modo de produção. E mais ainda, por serem contemporâneas, devem compor o universo
da formação do(a)s economistas.

3. As novas Diretrizes Curriculares e o Projeto Político Pedagógico


do Curso

3.1 Princípios norteadores

O Curso de Graduação em Ciências Econômicas da UFC compreende esta área


do conhecimento como integrante do corpo das Ciências Sociais. Além de ser
influenciada por fatores normativos e morais é um vasto campo de estudo voltado para a
análise de fenômenos cuja complexidade de suas determinações dá lugar a diferentes
formas de abordagem e de interpretação. Nesse sentido, o Curso deve fornecer a base
de uma formação humanística que incorpore em seu âmbito conhecimentos de filosofia,
sociologia, ciência política e antropologia. A par de uma sólida formação teórica, histórica
e instrumental, o Currículo deverá estar comprometido com o estudo da realidade
brasileira, sem perder de vista as transformações econômicas e sociais que se processam
em escala mundial e suas conexões que se rebatem sobre a nossa realidade.
10

As inter-relações cada vez mais estreitas entre as nações de todo o mundo, com
suas diferentes formações histórica, cultural e religiosa, requer uma compreensão
aprofundada da dimensão econômica como parte crucial da vida do homem em
sociedade. Ao mesmo tempo, não se pode deixar de considerar que um conjunto
complexo de fatores de natureza não-econômica também está presente nas relações
entre as nações. Além disso, esse ambiente de inter-relacionamento global em que as
novas tecnologias da informação estão cada vez mais disseminadas, o ensino de
Economia não pode dispensar o desenvolvimento da capacidade de seleção e análise
crítica das informações, com procedimentos lógicos e adequados à tomada de decisões.
Um fato que não pode passar despercebido é que o volume de informações
cresce diretamente com os problemas que afetam a humanidade, que, por sua vez, se
defronta com um ambiente social e natural em constante transformação e sob ameaças
de degradação. O tamanho da exclusão social, desigualmente distribuída pelo mundo, e
os processos de agressão a que vem sendo submetido o Planeta, estão a exigir uma
urgente preocupação relacionada com o desenvolvimento sustentável e com o modo de
crescimento econômico e de consumo até então adotado pelos países capitalistas.
Desse modo, o Curso de Ciências Econômicas deverá caracterizar-se pelo
pluralismo metodológico em coerência com o reconhecimento de que o estudo de
Economia integra o espectro mais amplo das Ciências Sociais e que tem por marca
instituidora as diversas correntes de pensamento e paradigmas que compõem seu corpo
de conhecimentos. Ademais, é necessário que o(a) Bacharel(a) em Ciências Econômicas
tenha um perfil caracterizado por uma sólida formação teórico-quantitativa e teórico-
prática, como elementos essenciais e básicos de sua formação. Para tal, deve contribuir
o processo histórico da evolução teórico-metodológica do pensamento econômico, da
formação socioeconômica brasileira e sua contextualização à evolução histórica e social
do capitalismo no mundo. É relevante e indispensável aliar conhecimento e aprendizado
das várias unidades de estudo, fazendo-se as devidas inter-relações dos fenômenos
econômicos com o ambiente social e natural em que se inserem. Ao lado desses
requisitos básicos e indispensáveis, deve-se possibilitar ao graduando em Economia o
exercício da liberdade de escolha de matérias e disciplinas que se identifiquem com seus
anseios de atuação profissional em áreas, tais como, ensino e pesquisa, setor público,
negócios e finanças.
11

Outras exigências de comunicação se fazem presentes na sociedade


contemporânea e que condiciona, em grande medida, a atuação profissional em
qualquer atividade. Além do domínio da escrita vernacular, de forma a poder expressar
adequada e corretamente suas idéias, o conhecimento de idiomas estrangeiros também
constitui um elemento importante da formação acadêmica, uma vez que possibilita o
acesso a informações científicas atualizadas e produzidas em centros mais avançados de
pesquisa e ensino. Ao professor e à professora cabem, portanto, a responsabilidade de
incentivar a(o) aluna(o) nessa busca, desde o início dos estudos de graduação. Ainda,
a(o)s estudantes do Curso devem ser estimulada(o)s ao trabalho cooperativo e ao
diálogo com estudantes e profissionais de diferentes áreas do conhecimento.
Um componente particularmente importante para a formação da(o) economista
diz respeito à elaboração orientada da Monografia. A elaboração de um trabalho escrito
é um dos instrumentos requeridos para a obtenção do grau de Bacharel(a) em Ciências
Econômicas, sendo um processo que poderá estar associado a projetos de pesquisa de
professora(e)s, registrados nos planos departamentais, ou ainda articulado com os
cursos de pós-graduação. Trata-se de uma etapa importante para o coroamento da
formação da(o) economista. Com a Monografia pode-se avaliar o domínio do
conhecimento adquirido, a capacidade analítica e de exposição de idéias, de raciocínio e
a visão critica do futuro profissional.
Outro aspecto indispensável à formação da(o) economista é a realização de
debates e discussões sobre questões sociais, econômicas e políticas pertinentes à
realidade local, nacional e internacional. É importante que nesses momentos aflorem as
diferentes concepções acerca do “mundo da vida” e quanto ao papel da Universidade
pública e gratuita de modo a influenciar a conduta futura da(o) economista, envolvendo
aspectos relacionados à ética em geral, ao senso de justiça e de responsabilidade social
e ambiental, e ao compromisso para com as futuras gerações.

3.2 Perfil profissiográfico

O projeto pedagógico do Curso de Ciências Econômicas da UFC está orientado


para proporcionar ao egresso as habilidades necessárias ao competente desempenho
das tarefas próprias de sua atuação profissional. O Curso deverá capacitá-lo para
12

elaborar diagnósticos e estudos das mais variadas situações e problemas de natureza


econômica, de forma objetiva e crítica, a fim de possa contribuir para soluções
adequadas. É relevante que o(a) profissional de economia seja capaz de selecionar e
analisar criticamente as informações disponíveis – ou até mesmo de produzir outras
informações por meio dos instrumentos disponíveis –, e de dialogar com profissionais de
diferentes ramos do conhecimento, atuando de forma cooperativa.

Desse modo, o egresso deverá ser um profissional com as seguintes qualidades:

a) Apto para o debate das questões nacionais e das transformações mundiais,


com autonomia intelectual, tendo o bem-estar social e a natureza como os
aspectos centrais de suas preocupações;
b) Dotado de uma sólida formação técnica, humanística e ética indispensáveis
ao exercício de suas atividades;
c) Preparado para desenvolver raciocínios logicamente consistentes e fazer
análise crítica, como elementos básicos para a tomada de decisões em relação
aos aspectos de natureza econômica com os quais se defrontar;
d) Capacitado na leitura e compreensão de textos econômicos;
e) Apto para elaborar pareceres, relatórios, trabalhos e textos que exijam
conhecimentos de Economia;
f) Habilidoso na utilização do instrumental econômico-financeiro relacionado ao
mundo dos negócios;
g) Preparado para utilizar adequadamente conceitos teóricos fundamentais das
Ciências Econômicas;
h) Capacitado para analisar situações históricas concretas e para diferenciar
correntes teóricas a partir de distintas políticas econômicas;
i) Dotado de raciocínio lógico nas formulações matemáticas e estatísticas
destinadas à análise e interpretação dos fenômenos socioeconômicos;
j) Inteligência prática obtida no aprendizado e capacidade de aprimorar o
conhecimento, quando as situações exigirem;
k) Com discernimento para pensar e aprender continuamente com autonomia
intelectual.
13

3.3 Áreas de Atuação do Egresso

As seguintes atividades constituem áreas de atuação profissional do economista:


ensino e pesquisas acadêmicas; planejamento econômico, financeiro e administrativo;
pesquisa e análise de mercado; análise da conjuntura econômica; desenvolvimentos de
modelos econométricos e de softwares aplicados à economia; elaboração de políticas
econômicas, incluindo câmbio, moeda e crédito, comércio exterior e economia
internacional; política financeira e orçamentária de empresas e órgãos públicos;
economia e finanças corporativas; formação de custos e fixação de preços; perícias,
arbitragem e consultorias econômicas.
Não se pode deixar de reconhecer que o sistema capitalista assume uma feição
territorial global e que as novas tecnologias da informação permitem conectar diversas
formas de organização numa escala ampliada. As redes de informação disponibilizam
conhecimentos em um volume jamais imaginado no passado e por isso se ampliam,
consideravelmente, as áreas de atuação profissional.

3.4 Papel docente: perfil orientador da prática docente

Dentro da perspectiva da pluralidade acadêmica é necessário que o corpo


docente seja portador de uma sólida formação teórica, histórica e instrumental voltada
para a compreensão do funcionamento das economias modernas. Essa exigência se
deve ao complexo perfil profissiográfico do egresso do Curso de Ciências Econômicas
para o qual se torna imprescindível um amplo domínio dos conceitos e instrumentos
analíticos de Economia, uma sólida formação histórica e necessária versatilidade no uso
dos métodos quantitativos disponíveis. Ao mesmo tempo, caberá ao corpo docente uma
conduta como educador responsável e preparado para transmitir princípios humanísticos
e éticos que contribuam para o entendimento do contexto sociopolítico global e para que
o egresso saiba relacionar-se cooperativamente com profissionais de outras áreas do
conhecimento diante dos problemas sociais da realidade brasileira e mundial.
14

3.5 Estratégias pedagógicas

É importante que a proposta pedagógica do Curso seja inovadora de modo a


propiciar um processo de ensino-aprendizagem apoiado por uma estrutura voltada para
dar melhor atendimento ao aluno e à aluna, visando a seu desenvolvimento como um
ser que pensa criticamente. A proposta curricular, ao mesmo tempo em que deverá estar
voltada para a problemática da realidade brasileira, não pode desconsiderar que esta faz
parte de um contexto mais amplo, inclusive de uma lógica sistêmica que envolve direta
ou indiretamente todas as nações do mundo.
Essa perspectiva de totalidade deve estar presente na formação do profissional
para que possa atuar nas diversas áreas de sua provável atuação, tendo sempre em
vista que, no mundo atual, estas áreas não são monopólios dos economistas, pois para
elas também podem colaborar outros profissionais. O espectro da atuação profissional
inclui os âmbitos privado e público; bem como os diversos setores da economia, quais
sejam Agricultura, Comércio, Indústria, Bancos e Serviços. O importante é que o projeto
pedagógico do Curso propicie a formação de um profissional que seja capaz de
selecionar e analisar criticamente as informações disponíveis – ou até mesmo de
produzir outras informações por meio de pesquisas diretas –, e de dialogar
cooperativamente com profissionais de diferentes ramos do conhecimento, como já
referido.
A inovação pedagógica necessária para compor o processo de formação do(a)
profissional de Economia não pode estar baseada apenas na transmissão oral de
conhecimento – que é um sistema eficiente (baixos custos), mas não tão eficaz (em
termos de retenção do conteúdo das disciplinas ministradas). A instituição de ensino
deve estimular e proporcionar condições para a criação de um ambiente pedagógico em
que a(o) aluna(o) seja parte ativa e vivencie problemas e situações, pesquisando, de
modo a apreender e incorporar o conhecimento transmitido. É uma pedagogia que
“reinventa” o conhecimento e que tem implicações diretas sobre o corpo docente da
instituição de ensino. Em assim sendo, torna-se necessário também “educar os
educadores”, preparar os professores e as professoras para desenvolver um ambiente
que favoreça a busca dessa eficácia.
15

Desse modo, se o foco for o desenvolvimento de um ambiente acadêmico que


favoreça a uma maior efetividade do processo de ensino-aprendizagem, a proposta
pedagógica deverá contemplar um acompanhamento de proximidade da(o)s
discentes, condições para a formação continuada do corpo docente e um pacto
pedagógico a ser “celebrado” entre professore(a)s e aluna(o)s.

• Orientação sistemática a aluna(o)s

É necessário que o atendimento do corpo discente ocorra ao longo de todo o


período do Curso de Graduação. A estrutura didático-pedagógica a ser organizada para
tal deverá permitir o acompanhamento do desempenho curricular, a fim de que a(o)
aluna(o) tenha um melhor aproveitamento nos estudos, para identificar suas dificuldades
e deficiências e melhor orientação na escolha das áreas de estudo mais adequadas a
seus interesses e a suas habilidades, ou para o desenvolvimento da Monografia. Essa
orientação acadêmica pode ser organizada sob a forma de tutoria de um conjunto de
aluna(o)s, desde o ingresso; ou de acordo com os critérios a serem definidos pela
Coordenação do Curso. O(A) tutor(a) não coincide, necessariamente, com o(a)
orientador(a) da Monografia que a(o) aluna(o) escolherá ao final do Curso.

• Formação continuada do corpo docente

O primeiro passo a ser dado é o autoconhecimento das áreas de estudos e


linhas de pesquisa do corpo docente mais diretamente vinculado ao Curso. Essas
informações serão amplamente divulgadas para facilitar as decisões da(o)s aluna(o)s
quando da definição de seus projetos de Monografia e na escolha da(o)s
orientadora(e)s.
O processo de formação continuada (“educação dos educadores”) poderá
envolver as seguintes ações, dentre outras que vierem a ser definidas:

• Incentivos ao corpo docente para a qualificação em nível de pós-graduação


stricto sensu e em programa de pós-doutorado;
16

• Realização de cursos intensivos presenciais ou à distância; palestras, debates


e conferências presenciais ou virtuais com convidados de outras instituições de
ensino superior;
• Estímulos à formação de grupos de estudos (salas de leitura) ou de pesquisas
(laboratórios) que congreguem docentes e discentes;
• Organização de um espaço institucional de debates para a apresentação de
Teses, Dissertações e resultados de pesquisas do corpo docente;
• Viabilizar a publicação de livros, artigos e textos didáticos de professore(a)s.

• Pacto pedagógico

A celebração de um pacto pedagógico ajuda a criar condições diferenciadas que


poderão favorecer o desenvolvimento da criatividade e a recriação das práticas
pedagógicas. Significa também a afirmação de compromisso com a melhoria da
qualidade do ensino ministrado. Como sabemos, a concepção de qualidade do ensino
contém dimensões diversas, dentre as quais se destacam a pluralidade e a
complexidade, o desenvolvimento da capacidade de abstração, a contextualização do
que estiver sendo ministrado e o processo do trabalho educativo; além da auto-
reflexividade e do potencial transformador da educação.
Ensinar, aprender e avaliar, esta é a tríade focal do pacto pedagógico cuja
marca permanente deveria ser a dúvida epistemológica para enfrentar os desafios da
contemporaneidade. A capacidade de compreender o mundo local e global e de
relacionar essência e aparência são elementos cruciais para o desfazimento de fetiches e
mitos e para a organização de uma ordem socioeconômica e política humanizada.
Não se trata de um contrato formal e rígido, mas de um acordo entre docentes
e discentes quanto ao horizonte pretendido com a disciplina ministrada. O objetivo geral
e os específicos; a metodologia de ensino a ser praticada; a bibliografia básica e a
complementar; as formas de avaliação. Esses são os componentes mínimos da “minuta”
do pacto pedagógico a serem explicitados logo no início do período letivo. Quando da
apresentação do conteúdo programático é importante que o(a) professor(a) mostre de
maneira clara o lugar de sua disciplina no contexto da formação do(a) Economista, bem
como sua contribuição particular para a compreensão de questões mais amplas que
17

afetam a sociedade em geral. É uma conduta que está em acordo com a condição de
educador e não apenas de transmissor de conhecimento.
Um momento oportuno para o coroamento do pacto pedagógico é a realização
de jornadas pedagógicas periódicas inseridas no calendário institucional. As jornadas
serão organizadas com a finalidade de avaliar as condições de funcionamento do Curso,
resultados alcançados e trocas de experiências pedagógicas, bem como para propor
mudanças necessárias ao aprimoramento das atividades acadêmicas. Esses encontros
permitiriam uma reflexão coletiva sobre os sentidos do fazer profissional competente.

4. Organização Curricular

4.1 Estruturação geral

As disciplinas do Curso estão distribuídas em quatro campos interligados de


formação, consoante dispõem as novas Diretrizes Curriculares.

I – Conteúdos de Formação Geral (mínimo de 10% da carga horária total)

As disciplinas do campo de Formação Geral têm por objetivo introduzir o aluno


ao conhecimento das Ciências Econômicas e de outros campos do conhecimento, tais
como, Filosofia, Sociologia, Ciência Política, Administração, Direito, Contabilidade,
Matemática e Estatística.

II - Conteúdos de Formação Teórico-Quantitativa (mínimo de 20% da carga horária


total)

A Formação Teórico-Quantitativa compreende disciplinas direcionadas para a


formação profissional específica do(a) economista. Para tanto serão privilegiadas as
bases teórico-científicas necessárias uma sólida formação que favoreça o
desenvolvimento da capacidade de compreensão e de crítica, de modo que o egresso
tenha condições de contribuir para as transformações importantes da sociedade
brasileira. Além disso, será oferecida uma formação voltada para o desenvolvimento do
18

raciocínio lógico (matemático, estatístico e econométrico) que proporcione instrumentos


metodológicos para atuação profissional do(a) economista.

III – Formação Histórica (mínimo de 10% da carga horária total)

As disciplinas integrantes desse campo deverão possibilitar a(o) discente


construir uma base cultural indispensável à expressão de um posicionamento reflexivo,
crítico, e comparativo. Nele estarão contempladas as seguintes matérias: a evolução
teórico-metodológica do pensamento econômico, história econômica geral, formação
econômica do Brasil e economia brasileira contemporânea. É um campo que contempla
disciplinas relacionadas ao pensamento econômico clássico, neoclássico e marxista. Do
mesmo modo, terá destaque o estudo da formação socioeconômica brasileira e dos
problemas econômicos sociais e políticos enfrentados pelo País, ao longo de parte
significativa do século XX e na atualidade.

IV – Conteúdos Teórico-Práticos (mínimo de 10% da carga horária total)

Os conteúdos teórico-práticos estão direcionados integralmente para a


elaboração do Trabalho de Monografia. “A Monografia, como atividade acadêmico-
curricular obrigatória, consistirá de um trabalho individual, elaborado com vistas ao
exercício pedagógico de sistematização e de construção teórico-prática do conhecimento,
versando sobre qualquer tema relacionado a seu curso”. A elaboração da monografia
deverá ser realizada em duas etapas. A primeira etapa corresponde à disciplina
Metodologia da Pesquisa Científica, que deverá abranger o ensino dos fundamentos de
metodologia científica aplicada às Ciências Sociais, e o ensino de técnicas de pesquisa
em economia. A segunda etapa consiste na elaboração da Monografia de Graduação.
Algumas disciplinas de outras áreas do conhecimento serão obrigatórias ou de
caráter eletivo. Neste último sentido, a integralização do Curso deverá permitir, a partir
de determinado semestre, que o(a)s aluno(a)s façam sua matrícula em outros cursos de
graduação da UFC. Além das disciplinas obrigatórias, a integralização curricular também
deverá incluir disciplinas optativas ofertadas pelos Departamentos de Teoria Econômica
19

e Economia Aplicada, bem como disciplinas eletivas que integram a estrutura curricular
de outros cursos da UFC, como referido.
A estruturação geral do currículo do Curso de Ciências Econômicas da UFC foi
organizada segundo os parâmetros e os conteúdos de formação contidos nas Diretrizes
Curriculares Nacionais. A carga-horária total para a integralização curricular corresponde
a 3.072 horas ou 192 créditos. Para as disciplinas obrigatórias, a carga-horária é de
89,6% do total; para as disciplinas de escolha (optativas e eletivas) e as Atividades
Complementares, 20 créditos (10,4%). Para efeito de cômputo de créditos a serem
validados, em virtude de atividades desenvolvidas fora do ambiente da sala de aula,
serão consideradas a publicação discente de artigos em revistas especializadas em
Economia, em outras revistas e jornais de circulação diária e participação em eventos
acadêmicos, neste caso, na condição de autor e apresentador de trabalhos.
A pontuação referente à publicação em revistas indexadas é de quatro créditos
por artigo; em outras revistas e jornais, um crédito. Na condição de autor e
apresentador de trabalhos em eventos acadêmicos, dois créditos por participação. A
soma das pontuações atribuídas a essas modalidades não poderá exceder a dez créditos,
ou seja, 5,2% do total de horas do Currículo Pleno. Caso o(a) aluno(a) obtenha a
pontuação máxima antes referida, precisará matricular-se em três disciplinas de escolha
a fim de integralizar sua formação. O cômputo da pontuação é atribuição exclusiva do
Colegiado da Coordenação do Curso. Para tal, o(a) aluno(a) deverá fazer solicitação por
meio de um requerimento, acompanhado dos comprovantes da realização efetiva das
Atividades Complementares.
20

Quadro 1: Estruturação Geral do Currículo


Carga- % do
Campos de Formação e Disciplinas Créditos Horária Total
Total Geral 192 3.072 100,0

I – Formação Geral: (mínimo de 10%) 28 448 14,6


1) Introdução à Ciência Econômica 6 96
2) Ética e Economia 4 64
3) Direito Econômico 4 64
4) Contabilidade Geral 4 64
5) Economia Matemática I 6 96
6) Estatística Econômica I 4 64

II – Formação Teórico-Quantitativa: (mínimo de 20%) 76 1.216 39,6


1) Contabilidade Social 4 64
2) Microeconomia I 4 64
3) Microeconomia II 4 64
4) Microeconomia III 4 64
5) Macroeconomia I 4 64
6) Macroeconomia II 4 64
7) Organização Industrial I 4 64
8) Teorias do Crescimento Econômico 4 64
9) Economia do Setor Público 4 64
10) Economia Internacional 4 64
11) Teorias do Desenvolvimento Econômico 4 64
12) Economia do Conhecimento e da Inovação 4 64
13) Economia Regional 4 64
14) Estatística Econômica II 4 64
15) Econometria I 4 64
16) Econometria II 4 64
17) Econometria das Séries Temporais 4 64
18) Economia Matemática II 4 64
19) Álgebra Linear Aplicada à Economia 4 64

III – Formação Histórica: (mínimo de 10%) 32 512 16,7


1) Evolução das Idéias Econômicas e Sociais 4 64
2) Pensamento Econômico Clássico 4 64
3) Pensamento Econômico Neoclássico 4 64
4) Pensamento Econômico Marxista I 4 64
5) Pensamento Econômico Marxista II 4 64
6) Formação Econômica Geral 4 64
7) Formação Econômica do Brasil 4 64
8) Economia Brasileira Contemporânea 4 64

IV – Conteúdos Teórico-Práticos: (mínimo de 10%) 36 576 18,7


1) Metodologia da Pesquisa Científica 4 64
2) Elaboração do Projeto de Monografia 12 192
3) Elaboração e Defesa da Monografia 20 384

V – Disciplinas de Escolha e Atividades Complementares 20 320 10,4


(Máximo de 10 créditos para as Atividades)
21

4.2 Integralização curricular

A integralização curricular do Curso de Ciências Econômicas da UFC corresponde


ao total de 3.072 horas de atividades acadêmicas. O Curso é ofertado para os turnos
diurno e noturno, com uma carga horária semestral menor para o(a)s discentes do Curso
Noturno, o que implica na extensão do tempo de conclusão. Como regra geral, para o
Curso Diurno, a oferta semestral é de cinco disciplinas; e para o Noturno, quatro. Porém,
para ambos, deverão ser garantidas as condições para que se tenha a mesma qualidade.
Como norma, nos dois turnos (diurno e noturno), o(a) aluno(a) deverá matricular-se no
mínimo em oito créditos e no máximo em vinte e oito, por semestre letivo.
A organização e a integralização do Curso serão efetivadas com base num
sistema seriado semestral, observando-se o total de créditos a ser obtidos e os pré-
requisitos necessários para garantir a unidade da trajetória da formação dentro dos
princípios das novas Diretrizes Curriculares. Em alguns casos, são exigidos pré-requisitos
que têm em vista situar o(a) aluno(a) no bloco de disciplinas estabelecidas para o
respectivo semestre.
Com a adoção do regime seriado com pré-requisitos, as disciplinas serão
ofertadas em “blocos” semestrais, cada uma correspondendo, de modo geral, a quatro
créditos (ou sessenta e quatro horas-aulas). A integralização curricular, para o Curso
Diurno, ocorrerá no mínimo de quatro anos e meio (ou nove semestres), e máximo de
oito anos (dezesseis semestres). Para o Curso Noturno, o mínimo será de cinco anos e
meio (ou onze semestres) e o máximo de dez anos (ou vinte semestres). Ao cabo do
período estabelecido para a integralização curricular, o aluno ou a aluna terá seu
desligamento automático da Universidade Federal do Ceará.
Os Quadros 2 e 3, a seguir, apresentam a distribuição semestral das disciplinas
e as respectivas cargas horárias, bem como a duração da integralização curricular para
os Cursos Diurno e Noturno.
22

Quadro 2: Curso Diurno – Total de Créditos: 192

Sem Código Nome Crédito Ob Equivalência Pré-requisito


(I) 20
EE Introdução à Ciência Econômica 6 S EE115 ------
HD Ética e Economia 4 S HD960 ------
DB047 Direito Econômico 4 S EF465 ------
EF Economia Matemática I 6 S EF466 ------
(II) 20
EE Pensamento Econômico Clássico 4 S EE079 Int. C. Econômica
EE Evolução Idéias Econômicas e Sociais 4 S EE085 Int. C. Econômica
EF418 Estatística Econômica I 4 S ----- Int.C.Econ/Matem. I
EF Economia Matemática II 4 S ----- Int.C.Econ/Matem. I
EH Contabilidade Geral 4 S EH299 Int. C. Econômica
(III) 20
EE Pensamento Econômico Neoclássico 4 S EE083 Pens. Clássico
EE090 Formação Econômica Geral 4 S ----- Evol. Idéias EconSoc
EF Contabilidade Social 4 S EF426 Contab. Geral
EF419 Estatística Econômica II 4 S ----- Est. Econômica I
EF Álgebra Linear Aplicada à Economia 4 S CB589 Econ. Mat. II
(IV) 20
EE088 Microeconomia I 4 S ----- P.Neoclássico/Eco.Mat.II
EE091 Macroeconomia I 4 S ----- Contab. Social/Eco.Mat.I
EE Pensamento Econômico Marxista I 4 S EE084 Pens. Neoclássico
EE107 Formação Econômica do Brasil 4 S ----- Form. Econ. Geral
EF425 Econometria I 4 S ----- Est. Econômica II
(V) 20
EE101 Microeconomia II 4 S ----- Micro I
EE102 Macroeconomia II 4 S ----- Macro I
EE Pensamento Econômico Marxista II 4 S EE089 Pens. Marxista I
EF446 Econometria II 4 S ----- Econometria I
----- Disciplina de Escolha 1 4 N ----- Micro I / Macro I
(VI) 20
EE Teorias do Crescimento Econômico 4 S EE105 Micro II / Macro II
EE Microeconomia III 4 S ----- Micro II
EE109 Economia Internacional 4 S ----- Micro II / Macro II
EE106 Teorias do Desenvolv. Econômico 4 S ----- Micro II / Macro II
----- Disciplina de Escolha 2 4 N ----- Micro I / Macro I
(VII) 20
EE110 Economia Brasileira Contemporânea 4 S ----- Econ. Internacional
EE Economia Regional 4 S EE086 T. D. Econ.
EE104 Organização Industrial I 4 S ----- Micro III
EF Econometria das Séries Temporais 4 S ----- Econometria II
----- Disciplina de Escolha 3 4 N ----- Micro I / Macro I
(VIII) 28
EE Econ. do Conhecimento e da Inovação 4 S EE112 T. D. Econ./Org.Ind. I
EF Elaboração do Projeto de Monografia 12 S ----- E.Br. Contemp./Econ.Reg.
EF427 Economia do Setor Público 4 S ----- E.Br. Contemp.
HD988 Metodologia da Pesquisa Científica 4 S EF429 E.Br. Contemp.
----- Disciplina de Escolha 4 4 N ----- Micro I / Macro I
(IX) 24
EF Elaboração e Defesa da Monografia 20 S ----- Monografia I
----- Disciplina de Escolha 5 4 N ----- Micro I / Macro I
23

Quadro 3: Curso Noturno – Total de Créditos: 192

Sem Código Nome Crédito Ob Equivalência Pré-requisito


(I) 20
EE Introdução à Ciência Econômica 6 S EE115 ------
HD Ética e Economia 4 S HD960 ------
----- Direito Aplicado à Economia 4 S EF465 ------
EF Economia Matemática I 6 S EF466 ------
(II) 16
EE Evolução das Idéias Econômicas e Sociais 4 S EE085 Int. C. Econômica
EF 418 Estatística Econômica I 4 S ------ Int.C.Econ./Matem.I
EF Economia Matemática II 4 S ------ Int.C.Econ./Matem. I
EH Contabilidade Geral 4 S EH299 Int. C. Econômica
(III) 16
EE Pensamento Econômico Clássico 4 S EE079 Int. C. Econômica
EE090 Formação Econômica Geral 4 S ------ Evol. Idéias EconSoc
EF Álgebra Linear Aplicada à Economia 4 S CB589 Econ. Mat. II
EF419 Estatística Econômica II 4 S ------ Est. Econômica I
(IV) 16
EE Pensamento Econômico Neoclássico 4 S EE083 Pens. Clássico
EE107 Formação Econômica do Brasil 4 S ------ Form. Econ. Geral Contab.
EF Contabilidade Social 4 S EF426 Geral
EF425 Econometria I 4 S ------ Est. Econômica II
(V) 16
EE088 Microeconomia I 4 S ------ P.Neoclássico/Eco.Mat II
EE091 Macroeconomia I 4 S ------ Contab. Social/Eco.Mat. I
EE Pensamento Econômico Marxista I 4 S EE084 Pens. Neoclássico
EF446 Econometria II 4 S ------ Econometria I
(VI) 16
EE101 Microeconomia II 4 S ------ Micro I
EE102 Macroeconomia II 4 S ------ Macro I
EE Pensamento Econômico Marxista II 4 S EE089 Pens. Marxista I
----- Disciplina de Escolha 1 4 N ------ Micro I / Macro I
(VII) 16
EE Teorias do Crescimento Econômico 4 S EE105 Micro II / Macro II
EE Microeconomia III 4 S ------ Micro II
EE109 Economia Internacional 4 S ------ Micro II / Macro II
----- Disciplina de Escolha 2 4 S ------ Micro I / Macro I
(VIII) 16
EE106 Teorias do Desenvolvimento Econômico 4 S ------ Econ. Internacional
EE110 Economia Brasileira Contemporânea 4 S ------ Economia Internacional
EF Econometria das Séries Temporais 4 S ------ Econometria II
----- Disciplina de Escolha 3 4 N ------ Micro I / Macro I
(IX) 16
EE Economia Regional 4 S EE086 T. D. Econômico
EE104 Organização Industrial I 4 S ------ Micro III
EF427 Economia do Setor Público 4 S ------ E.Br.Contemp.
----- Disciplina de Escolha 4 4 N ------ Micro I / Macro I
(X) 24
EE Econ. do Conhecimento e da Informação 4 S EE112 T. D. Econ../Org.Ind. I
EF Elaboração do Projeto de Monografia 12 S ------ E.Br.Contemp./Econ.Reg.
HD988 Metodologia da Pesquisa Científica 4 N EF429 E.Br.Contemp.
----- Disciplina de Escolha 5 4 ------ Micro I / Macro I
(XI) 20
EF Elaboração e Defesa da Monografia 20 S ------ Elab. Proj. Monografia
24

Os Quadros 4 e 5 a seguir apresentam as disciplinas de livre escolha da(o)


discente. São optativas e eletivas, segundo os Departamentos do Curso de Ciências
Econômicas e os vários Cursos da UFC, respectivamente. Essas disciplinas permitem uma
escolha que pode ser orientada para possíveis áreas de concentração de estudos, quais
sejam: Métodos Quantitativos Aplicados à Economia; Economia de Empresas; Finanças
de Empresas; Economia do Setor Público; Desenvolvimento Econômico Sustentável;
dentre outras que venham a ser organizadas.

Quadro 4: Disciplinas optativas segundo os Departamentos do Curso


Disciplinas Optativas Créditos Carga Horária
Departamento de Economia Aplicada:
1) Economia Matemática III 4 64
2) Tópicos Especiais em Econometria I 4 64
3) Tópicos Especiais em Econometria II 4 64
4) Estatística não Paramétrica Aplicada à Economia 4 64
5) Teoria dos Jogos 4 64
6) Teoria das Decisões Financeiras 4 64
7) Elaboração e Análise de Projetos 4 64
8) Teoria das Organizações e dos Contratos 4 64
9) Economia e Decisões das Empresas 4 64
10) Análise Econômica de Investimentos 4 64
11) Tópicos em Economia Industrial e de Redes 4 64
12) Análise de Conjuntura 4 64
13) Economia da Saúde 4 64
14) Economia da Habitação 4 64
15) Mercado e Instituições Financeiras 4 64
16) Finanças Corporativas 4 64
17) Políticas Públicas 4 64
18) Teoria da Regulação 4 64
19) Matemática Financeira para Economia 4 64
20) Economia do Trabalho II 4 64
21)Estatística III 4 64

Departamento de Teoria Econômica: 4 64


1) Economia de Empresas I 4 64
2) Economia de Empresas II 4 64
3) Organização Industrial II 4 64
4) Economia da Tecnologia 4 64
5) Macroeconomia III 4 64
6) Economia Monetária 4 64
7) Teorias da Inflação 4 64
8) Economia do Ceará 4 64
9) Estado e Economia 4 64
10) Economia da Educação 4 64
11) Economia de Trabalho I 4 64
12) Comércio Exterior 4 64
13) Pensamento Econômico Contemporâneo 4 64
14) Desenvolvimento Rural Sustentável 4 64
15) Desenvolvimento Urbano Sustentável 4 64
16) Economia Solidária 4 64
17) Seminários em Teoria Econômica 64
25
26

Quadro 5: Disciplinas Eletivas, segundo outros Cursos da UFC


Outras Disciplinas Cr. C.Horária
Administração:

1) Fundamentos de Administração 4 64
2) Administração da Produção I 4 64
3) Administração da Produção II 4 64
4) Organização, Sistema e Métodos 4 64
5) Planejamento Estratégico Empresarial 4 64

Contabilidade:

1) Planejamento Financeiro e Orçamento 4 64


2) Contabilidade de Custos 4 64
3) Contabilidade Gerencial 4 64
4) Contabilidade Governamental I 4 64
5) Contabilidade Governamental II 4 64
6) Orçamento e Contabilidade Pública 4 64

Direito:

1) Direito Econômico 4 64
2) Direito Administrativo I 4 64
3) Direito Administrativo II 4 64
4) Direito Financeiro e Tributário I 4 64
5) Direito Financeiro e Tributário II 4 64

Geografia:

1) Geografia do Brasil: fundamentos socioeconômicos 4 64


2) Geografia do Brasil: Bases Naturais 4 64
3) Geografia da População 4 64
4) Geografia Urbana e dos Serviços 4 64
5) Geografia Agrária 4 64
6) Geografia Regional 4 64
7) Geografia das Indústrias 4 64
8) Geografia do Espaço Mundial 4 64
9) Geografia do Nordeste e do Ceará 4 64
10) Geografia e Planejamento Ambiental 4 64
11) Geografia do Turismo 4 64
12) Ecologia e Recursos Naturais 4 64
13) Geografia Espaço e Cidadania 4 64
14) Educação Ambiental e Transversalidade 4 64

História:
4 64
1) História Contemporânea I
4 64
2) História Contemporânea II
4 64
3) História do Brasil I
4 64
4) História do Brasil II
4 64
5) História do Brasil III
27

6) História do Brasil IV 4 64
7) História do Ceará I 4 64
8) História do Ceará II 4 64
Informática:

1) Tecnologia da Informação 4 64

Matemática:

1) Análise I 4 64
2) Análise II 4 64
3) Análise III 4 64
4) Cálculo Diferencial e Integral I 4 64
5) Cálculo Diferencial e Integral II 4 64
6) Cálculo Diferencial e Integral III 4 64

Ciências Sociais:
4 64
1) Antropologia Brasileira
4 64
2) Pensamento Político Brasileiro
4 64
3) Pensamento Social Brasileiro
4 64
4) Sociedade e Meio Ambiente
4 64
5) Economia e Sociedade (Introdução às Ciências
4 64
Humanas – HD959)
4 64
6) Estado e Políticas Públicas
4 64
7) Teoria das Relações Internacionais
4 64
8) Transformações Políticas e Econômicas na América
4 64
Latina
4 64
9) Sociologia Urbana
4 64
10) Sociologia Rural
4 64
11) Realidade Socioeconômica e Política Brasileira
12) Sociologia do Desenvolvimento
13) Antropologia Econômica

5. Ementas

5.1 – Disciplinas Obrigatórias

I – Formação Geral: (mínimo de 10%)

1) EE___ Introdução à Ciência Econômica


A Economia e a(o) Economista. O Projeto Político-Pedagógico do Curso de Ciências
Econômicas da UFC: perfil profissional, formação da(o) Economista e estrutura
acadêmica do Curso. A Economia como ciência: evolução, objeto, método e limites. Os
paradigmas básicos da Ciência Econômica: clássico, marxista e neoclássico. Problemas
econômicos cruciais: recursos, escassez e escolha; economia positiva e normativa.
Estrutura e funcionamento do sistema econômico capitalista: os agentes econômicos, a
28

mercadoria, o dinheiro, o capital e o mercado. Distinção entre Microeconomia e


Macroeconomia. Teoria do consumidor: preferências e restrição orçamentária. Teoria da
firma: custos e lucro. Determinação de preços em concorrência perfeita: oferta e
demanda Os agregados econômicos e sua importância para o entendimento do
funcionamento do sistema capitalista. Comércio Internacional: fluxos de bens e serviços,
de capitais e transferências. Taxa de câmbio fixa e flexível. Características do processo
de evolução recente da economia capitalista: globalização, reestruturação produtiva e
financeirização do capital. As crises econômicas contemporâneas e os problemas
econômicos e sociais do Brasil.

2) HD___ Ética e Economia


Ética, justiça e felicidade. A Ética como moral na subjetividade da filosofia moderna: a
hegemonia do individualismo. A Ética neoliberal, o mercado e a sociabilidade. A crítica
marxiana à ética burguesa e a proposta de um paradigma ético alternativo. Ética e
realidade brasileira.

3) DB047 Direito Econômico


Conceito, método e autonomia. Institutos e temas de Direito Econômico. Constituição
Econômica. Ordem jurídica Econômica. Intervenção do Estado no domínio econômico.
Produção, circulação, repartição e consumo.

4) EF___ Economia Matemática I


Números reais, funções e gráficos. Revisão sobre funções elementares: quadráticas,
polinomiais, exponenciais logarítmicas e trigonométricas. Limites de seqüências e de
funções; funções contínuas. Derivadas, regras de derivação, regra da cadeia, máximos e
mínimos, teorema do valor médio; fórmula de Taylor infinitesimal, funções côncavas e
convexas; método de Newton. Funções exponenciais e logarítmicas; aplicações: juros
compostos e valor presente descontado. Integral definida, teorema fundamental do
cálculo, primitivas imediatas, integrais impróprias. Aplicações: distribuição de renda e a
curva de Lorenz.

5) EF418 Estatística Econômica I


Estatística descritiva. Eventos e espaços amostrais: espaços discretos e a hipótese de
simetria. Independência, probabilidades condicionais e espaços produto. Variável
aleatória. Variáveis aleatórias discretas (Bernoulli, binomial, Poisson, geométrica e
hipergeométrica) e contínuas (uniforme, exponencial, gama, normal). Esperança e
variância. Covariância e correlação. Processo de Poisson. Probabilidade condicional,
esperança condicional. Seqüências de variáveis aleatórias: noção, conceitos de
convergência. Leis dos Grandes Números: conceito, a lei fraca, a lei forte; aplicações.
Teoria Central do Limite – situação do problema; Teorema Central do Limite; aplicações.
Distribuições amostrais (t, χ2 e F). Introdução à Inferência Estatística.

6) EH___ Contabilidade Geral


Apresentação dos mecanismos contábeis: lançamentos, princípios, processo contábil e
relatórios. Principais demonstrações: balanço patrimonial, demonstração de resultados
do exercício e demonstração de lucros e prejuízos acumulados. Análise das
demonstrações financeiras: avaliação de estoques, sistemas de inventário, custo da
29

mercadoria vendida, descontos comerciais e financeiros, abatimentos e devoluções,


depreciação e amortização, equivalência patrimonial, provisões e reservas.
Demonstração de fluxo de caixa. Introdução à análise de demonstrações financeiras.

II – Formação Teórico-Quantitativa: (mínimo de 20%)

1) EF___ Contabilidade Social


O Sistema Econômico: fluxos de produção, renda e despesa. Definição e interligação dos
agregados macroeconômicos: Produto, Renda, Consumo, Poupança, Investimento,
Poupança Externa, Absorção, Déficit Público, Emprego, Salários, Preços, Câmbio e
Inflação. Sistema de contas nacionais. Modelo de insumo-produto e sistema de usos e
fundos. Balanço de pagamentos. Sistema Monetário. Contabilidade a preços correntes e
a preços constantes: índices de preços e de quantidades, deflacionamento de séries.
Indicadores fiscais, externos e sociais Índice de Gini e Índice de Desenvolvimento
Humano (IDH).

2) EE088 Microeconomia I
Teoria do consumidor: restrição orçamentária; preferências; utilidade; escolha ótima.
Dualidade: utilidade indireta e dispêndio. Curva de demanda e a equação de Slutsky.
Demanda de mercado, equilíbrio e o excedente do consumidor. Tópicos em teoria do
consumidor: preferência revelada; escolha intertemporal; mercado de ativos, incerteza;
ativos de risco; leilões. Economia comportamental.

3) EE101 Microeconomia II
Teoria da firma: tecnologia de produção. Maximização do lucro; minimização de custos.
Curvas de custos. Curva de oferta da empresa e da indústria em concorrência perfeita.
Poder de mercado: monopólio e oligopólio. Mercado de fatores. Noções de Teoria dos
Jogos. Equilíbrio parcial: modelos de oligopólio e de competição monopolista.

4) EE___ Microeconomia III


Equilíbrio geral: trocas, primeiro e segundo teoremas do Bem-Estar. Bem-Estar:
agregação de preferências; teorema da impossibilidade de Arrow; funções de bem-estar;
alocações justas. Externalidades. Bens Públicos. Direito e Economia. Informação
assimétrica: seleção adversa, risco moral, agente e principal, sinalização e incentivos.

5) EE091 Macroeconomia I
O modelo clássico. Demanda efetiva. Macroeconomia keynesiana. Demanda agregada e
equilíbrio do mercado de bens e serviços. Moeda, ativos financeiros e equilíbrio do
mercado financeiro. Equilíbrio simultâneo do mercado de bens e serviços e financeiro.
Modelo IS-LM. Demanda agregada. Alternativas ao modelo IS/LM: IS/Mercado de ações
e IS/Regra de política monetária. Política Fiscal e Mercado de trabalho, inflação e
desemprego. Oferta agregada. Política antiinflacionária. Regras de política monetária e
meta inflacionária. Incerteza e Expectativas. Monetária. A economia aberta: mercado de
bens e serviços e mercado financeiro abertos. Regimes cambiais, mobilidade de capital e
política monetária.
30

6) EE102 Macroeconomia II
Restrição orçamentária intertemporal (ROI): decisões de consumo e poupança. Modelo
macroeconômico com restrição orçamentária do governo. Modernas teorias do consumo.
Determinantes do Investimento. Política fiscal e dinâmica e financiamento da dívida.
Senhoriagem e imposto inflacionário. Equivalência Ricardiana e a restrição orçamentária
intertemporal. A equivalência Barro-Ricardiana. A conta corrente do balanço de
pagamentos (BTC) e a ROI da nação. A restrição orçamentária intertemporal de uma
nação e o endividamento externo. Mercado financeiro com mais do que dois ativos e
crédito. Mecanismos de repercussão da política monetária (money view, credit view e
balance sheet effect). Competição imperfeita e preços. Desemprego e salário.
Expectativas Adaptativas. Expectativas racionais. Curva de Phillips. A abordagem pós-
keynesiana, Teoria dos Ciclos Reais de Negócios e os Novo-Clássicos.

7) EE104 Organização Industrial I


Conceitos básicos de jogos não cooperativos. Competição perfeita e monopólio.
Mercados de produtos homogêneos: oligopólios de Cournot e de Bertrand, estratégias de
entrada. Mercados de produtos diferenciados: competição monopolística e modelos de
localização. Fusões, aquisições, cartel e barreiras à entrada. Tecnologia: pesquisa e
desenvolvimento, licenças e patentes. Tópicos adicionais: políticas de discriminação de
preços, vendas casadas, políticas contratuais, pesquisa de preços e teoria econômica das
redes.

8) EE___ Teorias do Crescimento Econômico


Fatos estilizados do crescimento econômico: os fatos estilizados de Kaldor e o
comportamento das economias industriais no longo prazo. Teorias do Crescimento
econômico: modelos de Harrod, Domar e Solow. O papel dos determinantes exógenos
(demográficos, tecnológicos e estruturais). Distribuição de renda e crescimento
econômico. As teorias de crescimento econômico endógeno: retornos de escala, infra-
estrutura, capital humano, desenvolvimento financeiro e progresso técnico endógeno.
Evidências empíricas e políticas de crescimento de longo prazo.

9) EF427 Economia do Setor Público


Bases econômicas da atividade governamental. Eficiência, mercado e o setor público.
Externalidades e as políticas públicas. Bens públicos. Processos políticos e a Teoria da
Escolha Pública. Financiamento do governo: taxação, preços, eficiência e distribuição de
renda. Déficits orçamentários e a dívida do governo. Teoria do gasto: análise de custo-
benefício e das políticas de gasto público, economia da saúde e da educação, seguridade
social. Programas de distribuição de renda. Tributação: Teoria e estrutura: a teoria da
tributação da renda, tributação do consumo e das vendas, tributação da riqueza e da
propriedade. Federalismo fiscal e o Financiamento dos estados e municípios. Regulação
econômica. Parcerias público-privadas.

10) EE109 Economia Internacional


Bens e fatores comercializáveis e não comercializáveis. Teorias das vantagens absolutas
e comparativas: modelo Ricardiano. Fatores de produção específicos: modelo de Viner.
Comércio e dotação de fatores: modelo de Hecksher-Ohlin. O padrão do comércio
internacional em equilíbrio competitivo. Comércio com economias de escala e
competição imperfeita. Mobilidade internacional de fatores: migrações, dívida externa,
31

investimentos direto. Instrumentos de política comercial: acordos bilaterais e regionais


de comércio, medidas do grau de proteção. Integração econômica. Tarifas, quotas,
subsídios. Economia política do comércio: políticas estratégicas, agências regulatórias,
economia global: investimentos diretos e interdependência financeira.

11) EE087 Teorias do Desenvolvimento Econômico


Introdução. Conceitos básicos. Fontes históricas do desenvolvimento econômico: por que
umas economias se desenvolvem e outras não? O desenvolvimento econômico na visão
clássica. O significado do crescimento econômico no desenvolvimento. Os novos papéis
atribuídos aos fatores capital, mão-de-obra e recursos naturais no desenvolvimento.
Schumpeter e a importância da inovação no desenvolvimento. O papel das instituições
no desenvolvimento. O capital social como mecanismo de coesão social no processo de
desenvolvimento. Financiamento do desenvolvimento e o papel das instituições
financeiras multilaterais. Globalização, comércio internacional e desenvolvimento.
Desigualdade social, pobreza e estratégias de distribuição de renda. Desenvolvimento
como liberdade. Estratégias e políticas nacionais de desenvolvimento econômico. Como
medir o desenvolvimento econômico: uma discussão sobre os indicadores.

12) EE___ Economia do Conhecimento e da Inovação


Noções e conceitos básicos. Produção do conhecimento tecnológico. Sistema de
pesquisa, invenção e inovação. Capacidade, capacitação e modernização. Difusão e
transferência de tecnologia. Progresso técnico e teoria econômica. Abordagem clássica e
mercados imperfeitos. Schumpeter e inovação. Sistema Nacional de Inovação. Empresa
e gestão inovação. Inovação e competitividade empresarial. Estratégias de inovação das
empresas. Formas de acesso ao conhecimento e à inovação. Internacionalização do
conhecimento tecnológico. Arranjos organizacionais para a inovação. Arranjos
institucionais para a inovação. Políticas de fomento e incentivos à inovação.

13) EE___ Economia Regional


Espaço, território e região. Teorias do Desenvolvimento Regional: teoria da estagnação,
ciclo vicioso da pobreza, teorias da base exportadora e teorias da polarização. Teorias da
localização industrial: conceitos antigos e novos. Concentração e desconcentração da
atividade econômica no espaço. O caso do Nordeste: a herança colonial da monocultura
exportadora, o GTDN e a industrialização do Nordeste da SUDENE. O agronegócio e o
turismo como alternativas de integração aos mercados nacional e internacional. A
sustentabilidade do semi-árido nordestino.

14) EF419 Estatística Econômica II


Populações e amostras. Números índices. Distribuições de valores e classes de valores.
Técnicas básicas de visualização e sumarização. O problema da inferência estatística.
Estimação: conceitos; propriedades dos estimadores. Estimação por intervalos de
confiança. Métodos de estimação: momentos, máxima verossimilhança e mínimos
quadrados. Testes de hipóteses: o problema dos testes, a abordagem de Neyman-
Pearson. A potência do teste. Principais testes sob a hipótese de normalidade. Regressão
linear simples e múltipla e análise de resíduos. Testes Qui-quadrado: independência,
homogeneidade e aderência.
32

15) EF425 Econometria I


Modelo de regressão linear clássico. Métodos de estimação. Propriedades dos
estimadores de mínimos quadrados ordinários. Estimativa de intervalo e teste de
hipóteses. Previsão. Violações às hipóteses do modelo clássico de regressão:
multicolinearidade, heterocedasticidade e autocorrelação dos resíduos. Modelagem
econométrica: formas funcionais, especificação do modelo e diagnósticos. Método dos
mínimos quadrados com variáveis dummies.

16) EF446 Econometria II


Modelos de regressão não lineares. Modelos de escolha qualitativa: modelo de
probabilidade linear, modelo Probit, modelo Logit, modelo Tobit e modelagem de dados
contáveis (o modelo de regressão de Poisson). Modelos de regressão com dados em
painel: as abordagens dos efeitos fixos e aleatórios. Modelos de equações simultâneas: o
problema da identificação e métodos de equações simultâneas.

17) EF___ Econometria das Séries Temporais


Modelos univariados de séries de tempo: modelos estacionários, modelos não
estacionários, abordagem de Box-Jenkins, testes de raiz unitária, volatilidade: modelos
ARCH e suas extensões. Modelos multivariados de séries de tempo: modelos de vetores
auto-regressivos, análise de co-integração, modelos de correção de erros, aplicações.

18) EF___ Economia Matemática II


Funções de várias variáveis: derivadas parciais e direcionais, regra da cadeia, gradiente
e conjunto de nível, pontos críticos, funções convexas e côncavas. Otimização
condicionada, multiplicadores de Lagrange; Teorema de Kuhn-Tucker. Curvas definidas
por equações paramétricas, tangente, comprimento de arco, áreas. Integrais múltiplas,
mudança de variáveis, integrais impróprias. Introdução à integral tripla. Modelagem com
equações diferenciais, exemplos e aplicações à economia. Equações lineares de primeira
ordem, equações separáveis, a equação logística. Equações lineares de segunda ordem,
homogênea, não homogênea, método dos coeficientes a determinar, método da
variação de parâmetros; solução em séries. Aplicações na economia.

19) EF___ Álgebra Linear Aplicada à Economia


Matrizes. Tipos especiais de matrizes. Operadores com matrizes. Aplicações. Sistemas de
equações lineares e matrizes. Operações elementares com matrizes. Matrizes
escalonadas. Soluções de sistemas lineares. Método de Gauss para resolução de
sistemas de equações. Determinante, matriz inversa e matrizes elementares.
Propriedade de determinantes. Coordenadas no plano, equação da reta e das cônicas,
vetores no plano, mudança de coordenadas, a equação geral do segundo grau,
transformações lineares do plano, coordenadas no espaço, equações do plano. Espaços
vetoriais reais. Subespaços. Combinação linear. Dependência e independência linear.
Base de um espaço vetorial. Mudança de base. Transformações lineares. Núcleo e
imagem de uma transformação linear. Autovalores autovetores. Bases ortogonais e
projeção ortogonal. Processo de ortogonalização de Gram-Schmidt. Introdução à
programação linear. Conjuntos convexos. Solução geométrica. O método simplex. O dual
de um problema de programação linear.
33

III – Formação Histórica: (mínimo de 10%)

1) EE___ Evolução das Idéias Econômicas e Sociais


Interfaces entre idéias sociais, econômicas e as estruturas produtivas das diferentes
ordens sociais historicamente constituídas. O modo de produção antigo e as primeiras
formulações organicistas, individualistas e hedonistas: a economia subordinada à ética.
As idéias medievais e a ética econômica paternalista cristã. A transição, a crise e a
acumulação primitiva: mercantilismo, renascimento e reforma nas origens do liberalismo.
Os princípios liberais na filosofia política inglesa do século XVII, a hegemonia burguesa e
a Economia Política Clássica. O socialismo utópico, o socialismo científico e a crítica
marxista à crise do capitalismo: alternativas socialistas ao neoliberalismo. O modelo de
acumulação taylorista-fordista, o welfare-state keynesiano e o mercado sob intervenção:
a social-democracia tradicional e o novo trabalhismo como alternativas às crises liberais.
As origens econômicas do pensamento neoliberal: os fundamentos do novo liberalismo e
a Economia Política Neoclássica. O pós-modernismo o modelo de acumulação de capital
e a sociedade de mercado hoje.

2) EE___ Pensamento Econômico Clássico


Idéias precursoras do pensamento clássico: Mercantilismo e Fisiocracia. Bases filosóficas
e históricas da escola clássica. Teoria do Valor-trabalho e o excedente econômico. A
moeda na economia capitalista. Teoria da distribuição: salário, lucro, juro e renda da
terra. Teoria dos Mercados: preço natural e de mercado. O mercado como sinalizador do
processo de acumulação. O mercado e o equilíbrio automático. Teoria da Concorrência
Perfeita: bases e limites. O papel econômico do crescimento populacional. Teorias do
Comércio Internacional. A atualidade do pensamento clássico.

3) EE___ Pensamento Econômico Neoclássico


Fundamentos filosóficos da Teoria Neoclássica: Utilitarismo inglês, positivismo lógico e
pragmatismo. Método da Economia Política Neoclássica.: reducionismo como filosofia e
método. Fundamentos da estática e da moderna axiomática. A questão do Valor na
Teoria Neoclássica: utilidade como fundamento do valor. Valor de uso e valor de troca e
a questão da indeterminação do valor. A teoria da Utilidade Cardinal. A teoria da firma
como complenmento da teoria do valor. Teoria do Equilíbrio Geral. Valor de distribuição.
Teoria do Bem-estar: a utilidade como práxis para decisões políticas. Teorema da
impossibilidade. O homem econômico racional neoclássico e o capitalismo moderno.

4) EE___ Pensamento Econômico Marxista I


A crítica da economia política como exposição do método científico marxiano.
Mercadoria, valor e dinheiro em Marx. A produção capitalista da mercadoria
subordinando o trabalho. O valor e as modalidades de mais-valia: o trabalho como
revalorização do capital. Cooperação Simples, Manufatura e divisão do trabalho e
Maquinaria. Reprodução simples e reprodução ampliada. A lei geral da acumulação
capitalista.

5) EE___ Pensamento Econômico Marxista II


Dinheiro como nexo social geral: crise da natureza e das relações sociais. A contradição
central do sistema do capital em Marx. Mudanças técnico-produtivas e organizacionais,
desenvolvimento do capital e o processo de qualificação-desqualificante do trabalho.
34

Acumulação de capital e crescimento econômico: emprego, desemprego e salários. A lei


da tendência decrescente da taxa de lucro e a contradição central. Tendências e
contradições do crescimento econômico capitalista no mundo.

6) EE090 Formação Econômica Geral


A economia na antiguidade clássica. Modo de produção feudal e a transição para o
capitalismo. Estado absolutista. Acumulação primitiva e expansão comercial. Antigo
sistema colonial e a revolução industrial inglesa. Expansão capitalista na França,
Alemanha, Japão e Estados Unidos. Imperialismo.

7) EE107 Formação Econômica do Brasil


O Brasil no antigo sistema colonial. Fase da transição e emancipação Política. Expansão e
crise da acumulação cafeeira. Primórdios da industrialização. Os anos 30 e a
conformação do modelo urbano-industrial.

8) EE110 Economia Brasileira Contemporânea


O Processo de Industrialização: a industrialização restringida e o processo de
substituição de importações (1929-1955). O Plano de Metas e a industrialização
planejada (1956-1961). A Crise dos Anos 60 e o “milagre” econômico: inflação,
estagnação e ruptura (1961-1964); estabilização e reforma (1964-1967); a retomada do
crescimento e as distorções do econômico-sociais (1967-1973). Choques Externos,
ajustamento macroeconômico e transformação estrutural: a desaceleração do
crescimento e o II Plano Nacional de Desenvolvimento (1974-1979); ajuste externo e
desequilíbrio interno (1980-1984). Crise dos anos oitenta: crise do Estado, dívida pública
crescente e inflação alta. Os planos de estabilização econômica. A abertura da economia
brasileira. O Plano Real: a estabilização com âncora cambial. O fluxo de capital, regime
cambial e política monetária. As reformas econômicas e as privatizações. A segunda
geração de reformas. O Custo Brasil. O Mercosul e política comercial. Globalização e a
inserção do Brasil na economia mundial.

IV – Conteúdos Teórico-Práticos: (mínimo de 10%)

1) HD988 Metodologia da Pesquisa Científica


A investigação em ciências sociais. A relação entre pesquisa e teoria. A formulação de
um projeto de pesquisa. Problemas gerais de mensuração. Análise e interpretação. O
relatório de pesquisa. Metodologia de pesquisa em ciências sociais. Levantamentos de
dados. Desenvolvimento do projeto de monografia: tema, justificativa, objetivos,
metodologia.

2) EF___ Elaboração do Projeto de Monografia (Atividade desenvolvida sob


orientação-docente.)

3) EF___ Elaboração e Defesa da Monografia (Atividade desenvolvida sob


orientação-docente.)

5.2 – Disciplinas Optativas


35

Departamento de Economia Aplicada

1) EF___ Economia Matemática III


Modelagem com equações diferenciais, exemplos. Equações lineares de primeira ordem,
equações separáveis, a equação logística. Equações lineares de segunda ordem,
homogênea, não homogênea, método dos coeficientes a determinar, método da
variação de parâmetros; solução em séries. Campos de vetores; método de Euler.
Equações diferenciais em R: retrato de fase, pontos de equilíbrio, estabilidade. Equações
diferenciais em R2: estabilidade de sistemas lineares via autovalores, estabilidade de
sistemas não lineares; retrato de fase, pontos de equilíbrio; predador-presa. Funções de
Liapunov. Teorema de Poincaré-Bendixson. Equações a diferenças finitas.

2) EF___ Tópicos Especiais em Econometria I


Revisão de OLS: hipóteses clássicas, propriedades para amostras pequenas,
propriedades assintóticas. OLS Não Linear: princípio e dedução do estimador,
propriedades e aplicações. Estimador de máxima verossimilhança (MV): princípio e
dedução do estimador, propriedades do estimador MV, teorema da transformação de
variáveis em integrais definidas (teorema do Jacobiano), testes LM, LR e WALD e
aplicações do estimador MV (com ênfase nas aplicações em séries de tempo). VAR:
identificação, decomposição estrutural, resposta ao impulso; VAR e co-integração, raiz
unitária e Regressão com posto reduzido, testes, tendência e drift na regressão com
posto reduzido. Aplicações de co-integração. Volatilidade: ARCH e GARCH. Modelos não
lineares em série de tempo: ajustamentos lineares e não lineares: modelos TAR
(Threshold Autoregressive Process), STAR (Smooth Transition Autoregressive
Nonlinearity), e Markov Switching; co-integração não linear, testes para co-integração
não linear: modelos de mudança de regimes para volatilidade. Modelos de painel e co-
integração: testes de raiz unitária em modelos de painel, testes de co-integração em
modelos de painel e aplicações.

3) EF___ Tópicos Especiais em Econometria II


Modelos não lineares em série de tempo: ajustamentos lineares e não lineares: modelos
TAR (Threshold Autoregressive Process), STAR (Smooth Transition Autoregressive
Nonlinearity), e Markov Switching; cointegração não linear, testes para cointegração
não linear: modelos de mudança de regimes para volatilidade. Modelos de painel e
cointegração: testes de raiz unitária em modelos de painel, testes de cointegração em
modelos de painel e aplicações.

4) EF___ Estatística não Paramétrica Aplicada à Economia


Estatística não paramétrica aplicada à Economia: aspectos gerais. O emprego de prova
estatística na pesquisa: a hipótese de nulidade, escolha da prova estatística, nível de
significância e tamanho da amostra, região de rejeição, decisão. A escolha da prova
estatística adequada: o modelo estatístico, poder-eficiência, mensuração, provas
estatísticas paramétricas e não-paramétricas. O caso de uma amostra: o teste
2
Binomial, o teste , o teste de Kolmogorov-Smirnov, o teste de iterações de uma
amostra. Teste dos sinais. Teste de postos com sinais de Wilcoxon para duas amostras
independentes. Teste da soma de postos de Wilcoxon para duas amostras
independentes. Teste de Kruskal-Wallis. Medidas de correlação e seus testes de
significância: o coeficiente de contingência, correlação por postos de Spearman, o
36

coeficiente de correlação por postos de Kendall, o coeficiente de correlação parcial por


postos de Kendall, o coeficiente de concordância de Kendall. Teste de repetição para
aleatoriedade.

5) EF___ Teoria dos Jogos


Jogos Estáticos de Informação Completa: Forma Normal, Estratégias Dominadas,
Equilíbrio de Nash, Equilíbrios de Cournot e Bertrand, Externalidades; Jogos Dinâmicos
de Informação Completa: Equilíbrio de Stackelberg, Modelos de Barganha e Negociação,
Corridas Bancárias, Torneios, Reputação; Jogos Estáticos de Informação Incompleta:
Equilíbrio Bayesiano, Leilões, Contratos; Jogos Dinâmicos de Informação Incompleta:
Equilíbrios com Sinalização, Mercado de Trabalho, Estrutura de Capital das Empresas.

6) EF___ Teoria das Decisões Financeiras


Conceitos básicos. Determinação de preços de ativos de renda fixa. Determinação de
preços de ativos de renda variável. Análise de carteira de títulos (portfolio analysis).
Mercados futuros. Mercado de opções. Teoria de portifólio: análise de carteira -
princípios e fundamentos, carteira com títulos de renda variável e de renda fixa, Critérios
de avaliação. Teoria das Opções: Modelo de Black Scholes e desdobramentos,
volatibilidade – modelos, introdução às opções exóticas. Análise de Riscos: classificação,
mensuração e dificuldades.

7) EF___ Elaboração e Análise de Projetos


Metodologia de elaboração, análise e avaliação de projetos de investimentos, públicos e
privados. Estudos das etapas e conteúdos de tais projetos, dos métodos de decisão, da
viabilidade econômica e financeira, da análise custo/benefícios, da escolha entre
alternativas e da análise do risco. Metodologia de avaliação por multicritérios.

8) EF___ Teoria das Organizações e dos Contratos


Base econômica e construção social: o modo de produção capitalista; estruturas de
dominação social e processo de reprodução de relações sociais. Análise dos pressupostos
filosóficos e sociológicos das teorias organizacionais: construção de paradigmas; visão
crítica das “escolas de pensamento administrativo”; análise crítica da teoria geral da
administração e história da organização do trabalho. Desenvolvimento das organizações:
práticas administrativas correntes e perspectivas de desenvolvimento de novos modelos
de organização e administração do trabalho.

9) EF___ Economia e Decisões das Empresas


Estrutura de capital: decisões de financiamento em longo prazo. Financiamento em
longo prazo: venda de títulos; dívidas. Planejamento financeiro: planejamento em longo
prazo. Planejamento em curto prazo: administração de caixa e administração de crédito.
Tópicos especiais: fusões e aquisições; dificuldades financeiras.

10) EF___ Análise Econômica de Investimentos


Engenharia econômica, fluxo de caixa. Valores equivalentes de uma série uniforme de
pagamento, valores equivalentes de uma série em gradiente. Métodos equivalentes para
seleção de alternativas. Fluxos de caixa especiais: pagamentos antecipados e diferidos,
pagamentos perpétuos: uniformes e geometricamente progressivos, recuperação de
investimentos com valor residual, cálculo do último pagamento sem interpolação linear.
37

Inflação e índices econômicos. Amortização de empréstimos. Comparação de alternativas


de investimentos. Anulabilidade do fluxo de caixa. Teoria de carteiras: natureza do
problema, fronteira eficiente das carteiras de titular com risco, outras extensões fronteira
eficiente das carteiras de titular com risco. Depreciação e imposto de renda.
Financiamento, leverage, factoring e leasing. Análise de sensibilidade. Substituição e
reposição de estoques. Análise do plano de investimentos. Valor econômico agregado.
Avaliação de empresas.

11) EF___ Tópicos em Economia Industrial e de Redes


Teoria dos custos de transação. Formação de preços e margem de lucro em oligopólio: a
determinação de preços em oligopólio. Políticas de discriminação de preços. Informação:
políticas contratuais, pesquisa de preços, teoria dinâmica de competição industrial.
Competitividade industrial, produção enxuta e o caso da indústria automobilística. A
competitividade nacional. A empresa multinacional e o processo de globalização. Teoria
econômica da rede. As indústrias em rede. Tecnologia de informação e mercados
eletrônicos. Leilão eletrônico.

12) EF424 Análise de Conjuntura


Breve análise da economia brasileira contemporânea. Modelos conjunturais aplicados à
economia brasileira. Teoria e mensuração dos principais indicadores conjunturais.

13) EF438 Economia do Trabalho II


Introdução à Economia do Trabalho. A oferta de trabalho: o modelo renda-lazer. Tópicos
selecionados sobre a oferta de trabalho. A demanda de trabalho: o modelo competitivo
de curto e longo prazo. Substituição e complementaridade entre insumos. Tópicos
selecionados sobre a demanda de trabalho. Equilíbrio competitivo no mercado de
trabalho. A determinação do salário. Equilíbrio não-competitivo: monopólio e
monopsônio; tópicos e aplicações. Teoria do capital humano: educação, treinamento e
diferenciais de ganhos. Investimentos em educação e perfil idade-renda. Treinamento
geral e específico na função-ocupação. Sindicatos e negociações coletivas: enfoques
alternativos sobre o papel dos sindicatos. Sindicatos monopolistas, contratos eficientes e
greves. Efeitos econômicos dos sindicatos. Teoria dos contratos: mobilidade do trabalho
e incentivos ao trabalho. A rotatividade da mão-de-obra. A teoria do salário-eficiência e o
desemprego involuntário. Teoria da busca por trabalho: taxa de desconto intertemporal
e seguro-desemprego. Enfoque macroeconômico do mercado de trabalho: desemprego,
medida, tipologia, composição, causas e políticas, A curva de Phillips sob a ótica do
mercado de trabalho. Demanda agregada e emprego. Mercado de trabalho no Brasil:
principais indicadores e suas tendências, aspectos institucionais.

14) EF441 Economia da Saúde


Saúde e problemas do desenvolvimento sustentável. Nutrição e desenvolvimento.
Impacto da saúde no desenvolvimento socioeconômico. Planejamento dos serviços de
saúde. Hospitais e centros de saúde. Análise de projetos de saúde.

15) EF440 Economia da Habitação


Caracterização da habitação. Modelos de oferta e demanda. Enfoques micro e
macroeconômico. Política habitacional no Brasil. Financiamento de habitações e
poupança interna. Aspectos socioeconômicos dos projetos habitacionais.
38

16) EF___ Mercado e Instituições Financeiras


Sistema Financeiro: ativos financeiros e moeda. Sistema financeiro internacional:
investidores internacionais, centros financeiros. Sistema financeiro brasileiro: subsistema
normativo, instituições financeiras bancárias e não bancárias; distribuidores de títulos e
valores mobiliários; sistema de liquidação e custódia; agentes especiais. Mercados
financeiros: classificação, participantes; ativos ou produtos: ativos de renda fixa e renda
variável; tendências. Mercado de Capitais: estrutura, mercado de capitais e a economia,
underwriting; bolsa de valores: conceitos e definições as principais bolsas de valores
mundiais, Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), pregão, circuito de negociação com
ações custos e tributação das operações, índice da Bovespa.

17) EF___ Finanças Corporativas


Valor dos ativos: custo de oportunidade, valor presente, taxa interna de retorno. Análise
de riscos: classificação, mensuração e dificuldades. Rentabilidade e risco. Mercados de
títulos. Avaliação de títulos sem risco. Seleção de portfólio: diversificação do risco;
modelo de Markowitz; modelo CAPM; modelos multifatoriais; modelo APT. Avaliação de
títulos de renda fixa. Gerenciamento de portfólios de títulos de renda fixa. Avaliação de
ações. Teoria das opções: modelo de Black Scholes e desdobramentos. Volatibilidade:
modelos, introdução às opções exóticas. Gerenciamento de investimentos e avaliação de
performance: índices de Sharpe, Treynor, Modigliani e erro quadrático médio.

18) EF___ Políticas Públicas


Estado e proteção social num mundo globalizado; welfare state: emergência e declínio;
razões do Estado-providência; políticas públicas, neo-institucionalismo e escolha racional;
novos bens públicos e o papel das agências regulatórias; os novos paradigmas para
políticas sociais; políticas públicas temáticas, setoriais (educação, saúde, trabalho) e
emergentes; análise e formulação de políticas públicas, aspectos metodológicos;
benefícios e custos de investimentos públicos; análise e avaliação de políticas públicas:
critérios qualitativos: políticos e sociológicos; avaliação de políticas públicas: critérios
quantitativos (gastos públicos e indicadores sociais), avaliação ex ante, ex post e no
decorrer da implantação. Avaliação e gestão pública.

19) EF___ Teoria da Regulação


Bem-estar, eficiência e falhas de mercado: equilíbrio parcial e equilíbrio geral. As Teorias
de Regulação. Ação e objetivos das instituições reguladoras. Antitruste: monopólio,
oligopólio e cartelização. Competição estratégica e poder de mercado. Interação
estratégica estática e dinâmica entre firmas. Concentração, escala, condições para
entrada nos mercados. Fusões e discriminação de preços. Instrumentos da regulação:
preços, quantidades, entrada e saída. Competição potencial. Regulação de monopólios
naturais. Regulação de serviços públicos: telecomunicações, transportes, energia.
Regulação nos setores de saúde e efeitos ambientais.

20) EF___ Matemática Financeira em Economia


Regimes de Capitalização: definições de juros, taxa de juros, valor presente e valor
futuro; capitalização simples, composta e contínua; equivalência de capitais e
equivalência de taxas. Capitalização Simples: montante e valor atual; aplicações: taxa de
juros cupom cambial. Capitalização Composta: montante e valor atual; aplicações: CDB;
39

classificação das taxas de juros (real, nominal, efetiva, diferentes moedas). Operação de
Desconto: desconto simples; desconto composto; taxas de desconto x taxas de juros.
Séries de pagamento uniformes: capitalização composta e contínua: equivalência de
capitais: valor presente e valor futuro; termos antecipados, entrada, carência; séries
com variação uniforme: aritméticas e geométricas. Fluxos de Caixa Genéricos: valor
presente e valor futuro; taxa interna de retorno. Sistemas de Amortização: sistema Price;
sistema de amortização constante; sistema misto.

21) EF420 Estatística Econômica III


Amostragem. Desenho de Experimentos. Análise de Variância. Simulação. Introdução à
Estatística não-Paramétrica.

Departamento de Teoria Econômica

1) EE092 Economia de Empresas I


Introdução e metas da empresa. Análise e previsão da demanda. Economia da produção.
Análise e previsão de custos. Aplicações da teoria dos custos. Preços, produção e
estratégia: concorrência pura e monopólica. Mercados competitivos sob informação
assimétrica. Determinação do preço e produção: monopólio, empresas dominantes e
oligopólio. Rivalidade na teoria dos jogos: táticas das melhores práticas. Técnicas e
análises de preços. Regulamentação governamental.

2) EE093 Economia de Empresas II


Dinâmica das decisões financeiras. Cálculo financeiro. Ambiente financeiro brasileiro.
Desempenho operacional e alavancagem financeira. Risco e retorno. Decisões financeiras
de longo prazo. Avaliação de empresas.

3) EE108 Organização Industrial II


Abordagem da evolução da teoria da Organização Industrial. Análise dos fundamentos
metodológicos do modelo de estrutura-conduta-desempenho. O modelo de setor externo
para uma economia hospedeira de capitais. A superação do institucionalismo na teoria
da Organização Industrial. Implicações da globalização para a indústria brasileira.

4) EE112 Economia da Tecnologia


Noções e conceitos básicos. Progresso técnico e teoria econômica. Estado e tecnologia.
Tecnologia, competitividade e inserção internacional. Tecnologia e trabalho. O
desenvolvimento industrial e tecnológico no Brasil e a política científica e tecnológica.

5) EE105 Macroeconomia III


Acumulação de capital e crescimento no pensamento clássico. Formulações
neokeynesianas de crescimento e a resposta neoclássica de ajustamento. Dinâmica e
ciclos econômicos. Expansão de longo prazo e progresso técnico: ciclos longos,
revoluções tecnológicas na base econômica. Formulações controversas sobre o futuro do
capitalismo.

6) EE103 Economia Monetária


Sistema financeiro: ativos financeiros e moeda; mercados financeiros: taxas de juros,
portfólios de ativos, risco e estrutura a termo das taxas de juros e derivativos
40

financeiros. Instituições financeiras: bancos, estrutura de mercado, regulação,


instituições não bancárias. Banco Central e política monetária: contabilidade Monetária,
oferta monetária, metas de política monetária. Moeda e inflação: financiamento da dívida
pública. Mercado financeiro global e taxa de câmbio; hipóteses de paridade da taxa de
juros. Modelos de determinação das taxas de câmbio e juros; sistemas de câmbio fixo e
flutuante e política monetária.

7) EE111 Teorias da Inflação


Definição e mensuração. Explicações tradicionais do processo inflacionário. Inflação de
demanda. Inflação de custos e o modelo do “hiato inflacionário” de Hansen. Expectativas
e inflação. Curva de Phillips de curto e longo prazos. Modelo de Lipsey. Teoria monetária
da inflação. Teoria da inflação estrutural. Estagflação induzida via demanda ou oferta.
Salários e a defesa das margens de lucro. Metas de inflação, fundamentos
macroeconômicos e estabilidade econômica.

8) EE114 Economia do Ceará


Aspectos históricos do Ceará. Formação da economia cearense. Desenvolvimento
agropecuário. Desenvolvimento industrial. A problemática do semi-árido e os fatores
limitativos do crescimento econômico estadual. Desemprego e subemprego no Ceará.

9) EE122 Estado e Economia


O Estado absolutista no limiar do capitalismo. Ruptura burguesa e a formação do Estado
moderno. Liberalismo e a ascensão do capitalismo. A “Grande Depressão” dos anos
trinta e o intervencionismo keynesiano. Concepção neoliberal do Estado. Estado nas
economias de industrialização tardia. Estado no Brasil contemporâneo.

10) EE124 Economia da Educação


Educação e história do pensamento econômico. Educação como capital humano.
Educação, desigualdade e desenvolvimento econômico. Divisão do trabalho e subsunção
real do trabalho ao capital. Educação e qualificação-desqualificante.

11) EE044 Comércio Exterior


Conceito de comércio exterior: Convenção de Haia (1964), Convenção de Viena
(1980).Teorias modernas do comércio exterior: Harbeler e os custos de oportunidade,
Teorema de Hecksher e Ohlin, O paradoxo de Leontief, Teorema da equalização dos
preços dos fatores, Linder e a extensão da demanda doméstica, Vernon e o ciclo do
produto, estágios do produto após o lançamento, fluxos de comércio e o a teoria do ciclo
do produto, Krugman e os mercados imperfeitos, Porter e a vantagem competitiva das
nações. Tratados e organismos internacionais relacionados ao comércio: Convenção
Internacional de Genebra, Câmara de Comércio Internacional, GATT – General
Agreement on Tariffs and Trade, Organização Mundial do Comércio, DOHA- Rodada do
Desenvolvimento, outros organismos de fomento ao comércio internacional. Contratos
internacionais: conceitos, princípios – lex mercatoria, Direito Internacional Privado,
INCOTERMS x RAFDT. Administração de negócios internacionais. Mercado cambial.
Pagamentos internacionais.
41

13) EE___ Pensamento Econômico Contemporâneo


Idéias econômicas surgidas a partir dos anos 1930. O pensamento econômico latino-
americano e a doutrina da CEPAL: a crítica ao modelo Ricardiano das vantagens
comparativas e o papel do Estado como indutor do desenvolvimento. O nacional-
desenvolvimentismo: visão liberal vs visão intervencionista. Teoria da dependência: uma
abordagem neo-cepalina. Celso Furtado e o papel do setor público. O pensamento pós-
keynesiano: Domar, Harrod e Kaldor. Kalecki e o financiamento do desenvolvimento. O
desenvolvimento na visão Schumpeteriana: o empresário inovador e os ciclos
econômicos. Capital financeiro, imperialismo e disputas interestatais na geopolítica do
mundo. Crescimento econômico e meio-ambiente.

14) EE___ Desenvolvimento Rural Sustentável


O Papel da agricultura e os modelos tradicionais de desenvolvimento agrícola. Inovação
induzida e políticas de geração tecnológica. Questão agrária: penetração do capitalismo
no campo e a pequena produção. Políticas agrícolas e a sustentabilidade dos
ecossistemas. A agricultura familiar e o agronegócio. O semi-árido e a sustentabilidade
da agricultura do Nordeste.

15) EE___ Desenvolvimento Urbano Sustentável


A formação do Urbano no Brasil. A intervenção do Estado no urbano e os conflitos de
classe. As novas funções das cidades na era da globalização financeira. Segmentação do
mercado de trabalho e as desigualdades socioespaciais. Segregação do espaço urbano e
polarização socioespacial. Gestão das cidades, competitividade e sustentabilidade: crítica
à visão das instituições multilaterais. Cidades mundiais e cidades periféricas. A
favelização das metrópoles. Estruturação intra-urbana, preço da terra e especulação
imobiliária. O problema da habitação popular e o déficit habitacional.

16) EE___ Economia Solidária


Capitalismo: surgimento e expansão como sistema-mundo. Fundamentos para a crítica
ao trabalho no capitalismo. Crise do trabalho, movimento sindical e o problema da
superação. Cooperativismo e economia solidária. Fundamentos filosóficos da autogestão.
Economia Solidária: significado, potencialidades e limites. O quadro empírico da
economia solidária no Brasil.

17) EE121 Seminários em Teoria Econômica


Tópicos avançados em Teoria Econômica definidos de acordo com os interesses
acadêmicos de discentes e docentes.

5.3 – Disciplinas (eletivas) de outros Cursos da UFC

1 – Administração:

1) ED064 Fundamentos de Administração


Bases históricas. Abordagens clássicas, humanistas e organizacional. Novas
configurações organizacionais. Organização. Planejamento. Direção: comunicação,
tomada de decisão, poder e autoridade. Controle e coordenação. As funções
administrativas no contexto das novas tendências. Sistemas organizacionais.
42

Organização de aprendizagem. Processos organizacionais. Desempenho organizacional.


Estratégias organizacionais. Relações interorganizacionais e ambiente. Gestão
organizacional frente aos novos paradigmas.

2) ED___ Administração da Produção I


Noções básicas. Organização interna da fábrica. Arranjo interno. Transporte interno e
externo. Engenharia industrial ou de processos. Localização de indústrias. Planejamento e
controle da produção.

3) ED___ Administração da Produção II


Planejamento e controle da produção. Sistema de valores do processo produtivo.
Controle estatístico da qualidade. Estudo de tempos e movimentos. Estudo da
ergonomia. Aplicações da pesquisa operacional em sistemas de produção e operações.
Estudo e aplicação de modelos de simulação.

4) ED___ Organização, Sistema e Métodos


Conceito de organização e seu conteúdo sistêmico. Níveis do planejamento
administrativo. A estrutura escalar e o alcance do controle. A hierarquia administrativa.
Métodos e processos. Estruturas organizacionais e organogramas. Departamentalização,
descentralização e o estudo layout. Análise das rotinas e distribuição do trabalho. A
comunicação na organização. A reengenharia de processos. A reorganização para a
qualidade.

5) ED061 Planejamento Estratégico Empresarial


Conceitos teóricos. Metodologia de planejamento estratégico situacional. Apreciação
situacional. Estruturação do programa direcional. Análise de viabilidade econômica.
Política e técnica de cada projeto. Seleção das trajetórias temporais do programa
direcional.

2 – Contabilidade:

1) EH300 Planejamento Financeiro e Orçamento


Controle orçamentário. Orçamento de vendas. Orçamento de produção. Material direto e
mão-de-obra direta. Orçamento das despesas. Orçamento financeiro. Demonstrativos
financeiros. Projeções e análises. Controle orçamentário em empresas não-industriais.

2) EH323 Contabilidade de Custos


Fundamentos da contabilidade de custos. Classificação e nomenclatura básicas de
custos. O esquema básico de contabilidade de custos. Critério e rateio dos custos
indiretos. Predeterminação dos custos indiretos. Casos especiais de acumulação de
custos aos produtos. Abordagens da contribuição aplicada à avaliação de estoques.
Relatório de custos.

3) EH305 Contabilidade Gerencial I


Margem de contribuição e planejamento de curto e longo prazo. Fixação do preço de
venda e preço de transferência. Análise financeira nas estratégias de vendas. Sistemas
de custeio tradicional e baseado em atividades. Custo de capital, marginal, comercial e
de reposição. Decisões financeiras em ambiente inflacionário.
43

4) EH327 Contabilidade Governamental I


Noções básicas. Campo de aplicação. Estruturada administração pública. Noções de
Direito Financeiro. Atividade financeira do Estado. Orçamento. Patrimônio público.
Receita e despesa pública. Licitação.

5) EH328 Contabilidade Governamental II


Regimes contábeis. Registro de operações típicas das entidades governamentais:
orçamento, receita, despesa. Variações patrimoniais. Balancete. Balanços. Prestações e
tomadas de conta. Auditoria.

6) EH___ Orçamento e Contabilidade Pública


Orçamento público: histórico, conceito, normas legais aplicáveis, princípios
orçamentários: processo de planejamento orçamentário, princípios orçamentários e a lei
orçamentária anual, créditos adicionais, execução orçamentária. Contabilidade pública:
conceito, campo de aplicação, objeto, regime contábil, estágios da execução
orçamentária, suprimentos de fundos ou adiantamentos, restos a pagar, despesas de
exercícios anteriores, plano de contas, tabelas de eventos e sistemas contábeis, balanços
públicos, controles das contas públicas. Noções básicas sobre o Sistema Integrado de
Administração Financeira – SIAFI, e sobre o Sistema Integrado de Dados Orçamentários
– SIDOR.

3 – Direito

1) DB006 Direito Administrativo I


Objeto. O sistema administrativo brasileiro. A administração pública e seus princípios e
poderes. Os atos administrativos. Os atos administrativos. Os contratos administrativos.
A administração pública brasileira: sua descentralização política, territorial ou no plano
horizontal, sua descentralização no plano vertical ou funcional (administração direta e
indireta). A colaboração ou a cooperação de particulares na prossecução de fins
públicos. Licitação: espécie e procedimento.

2) DB006 Direito Administrativo II


O domínio público: bens públicos, sua classificação e utilização. O domínio emitente do
estado: a intervenção na propriedade individual e no domínio econômico. Meios
específicos de intervenção estatal nesses casos. Limitações administrativas e institutos
afins. Serviços públicos: a responsabilidade do Estado pela sua prestação, de modo
direto ou indireto. Os agentes administrativos (servidores ou funcionários do Estado);
seu regime jurídico. A responsabilidade civil no Estado. Os contratos internos e externos,
especialmente o judicial dos atos da administração pública.

3) DB008 Direito Financeiro e Tributário I


Normas gerais do Direito Tributário. Vigência, aplicação, interpretação e integração da
legislação tributária. Obrigação tributária. Responsabilidade Tributária. Crédito tributário:
constituição, suspensão, extinção e exclusão. Garantias e privilégios do crédito tributário.
Dívida ativa. Certidões negativas.
44

4) DB009 Direito Financeiro e Tributário II


Sistema Tributário Nacional. Espécies tributárias. Limitações constitucionais ao poder de
tributar. Imunidades. Impostos da União. Impostos dos Estados e Distrito Federal.
Impostos Municipais. Repartição da receita tributária.

4 – Geografia

1) CJ___ Geografia do Brasil: Fundamentos Socioeconômicos


A natureza do território. As regiões brasileiras. O povo brasileiro: diversidade cultural e
imigração, dinâmica populacional, mercado de trabalho. O Brasil urbano e industrial
novos: investimentos industriais, rede urbana brasileira, qualidade de ida nas cidades a
industrialização do campo. Circulação e transporte no Brasil. Inserção do Brasil no
mercado mundial: potencialidades e dificuldades.

2) CJ___ Geografia do Brasil: Bases Naturais


O espaço brasileiro. Características do meio físico: morfologia e estrutura do relevo;
clima; vegetação; aspectos hidrográficos. O homem e os recursos naturais. Conservação
do solo. Os recursos vegetais. Os recursos hídricos. Os recursos minerais. A poluição. Os
domínios morfoclimáticos brasileiros e suas unidades de conservação.

3) CJ___ Geografia da População


Teoria da caracterização demográfica e geografia da população: Malthusianismo,
Marxismo, Neomalthusianismo e Neomarxismo. Evolução e estruturação da população no
espaço geográfico. Abordagens contemporâneas dos estudos sobre população: estudos
neoclássicos e neomarxistas. Mobilidade da população: migração campo-cidade,
migração de retorno, migração internacional e migração e meio ambiente. Trabalhos
práticos, levantamento de dados e elaboração de gráficos de tabelas.

4) CJ___ Geografia Urbana e dos Serviços


A Cidade e o Urbano. O processo de urbanização. Inter-relação cidade-campo. O espaço
intra-urbano. Forma, função, estrutura e processos na análise urbana. A urbanização e
metropolização. Rede urbana. A urbanização brasileira.

5) CJ___ Geografia Agrária


Noções de Geografia Agrária, Agrícola e Rural. A propriedade da terra e as relações de
produção nos diversos modos. A renda fundiária. A formação da estrutura agrária
brasileira. As relações sociais de produto no espaço rural brasileiro. A pequena produção.
Os movimentos sociais no campo. Algumas reformas agrárias no Mundo e no Brasil.

6) CJ___ Geografia Regional


Abordagens teóricas e metodológicas na Geografia Regional. Conceitos básicos da
Geografia: espaço, região, redes, paisagem e lugar. Região e o meio técnico científico
informacional. Instrumental metodológico de interpretação da região. Regionalização.

7) CJ___ Geografia das Indústrias


A indústria e os processos sociais e históricos de produção do espaço geográfico. A
industrialização brasileira. A concentração geográfica da indústria no Sudeste. A
45

redivisão inter-regional da indústria no Brasil. A industrialização no Nordeste. A


reestruturação produtiva e a atual divisão territorial do trabalho. Indústria e urbanização
e problemas ambientais.

8) CJ___ Geografia do Espaço Mundial


O novo mapa do mundo e a nova ordem territorial. O mundo socialista e a expansão do
capitalismo. A formação dos novos mercados: CEE, NAFTA, MERCOSUL. O Japão e a
emergência dos tigres asiáticos. Conflitos no Extremo Oriente. O redirecionamento da
economia americana. América Latina na nova ordem territorial. Divisão Internacional do
Trabalho. Organização Internacional do Trabalho.

9) CJ___ Geografia do Nordeste e do Ceará


Compreender o processo de formação territorial do Nordeste e do Ceará. Discutir e
analisar o nordeste e o Ceará sob vários aspectos como construção, simultaneamente,
material e simbólica. Analisar as políticas de intervenção do Estado para o Nordeste e o
Ceará. Situar o Nordeste e o Ceará no âmbito das novas dinâmicas territoriais e regionais
no Brasil e no Mundo.

10) CJ___ Geografia e Planejamento Ambiental


Definições. Fundamentações em Geossistema. Conceitos de ambiente e suas diferentes
tipologias e questões ambientais de nível global, regional e local. Alternativas de gestão
ambiental. Critérios de sustentabilidade ambiental e formas de gestão ambiental.

11) CJ___ Geografia Espaço e Cidadania


O processo de ocupação do espaço das pequenas comunidades. Gênero e modo de vida
das comunidades. Movimentos sociais locais. A participação popular na gestão do espaço
geográfico. Qualidade de vida, desafios sociais e cidadania.

12) CJ___ Geografia do Turismo


A natureza e a cultura como mercadorias de turismo. Turismo: movimento da população
e o movimento de capital. Estado, sociedade, capital e turismo. Turismo: degradação
ambiental ou desenvolvimento econômico? Imagens e territórios do turismo.

13) CJ___ Ecologia e Recursos Naturais


A natureza e os recursos. Classificação dos recursos naturais. Crescimento da população
humana e gerenciamento de recursos naturais. Água doce e solos como recursos
naturais potencialmente renováveis. Resíduos e contaminantes. Águas subterrâneas e as
limitações no semi-árido. Fontes de energias. Recursos minerais e impactos ambientais
da mineração. Manejo para conservação de recursos naturais renováveis.

14) CJ___ Educação Ambiental e Transversalidade


Educação ambiental, transversalidade e PCNs. Princípio da educação ambiental no
Tratado de Tbilisi. A agenda XXI e a Carta da Terra: uma abordagem crítica. Educação
ambiental e sua contextualização (urbana e rural). Os novos paradigmas educativos e a
dimensão ambiental. A práxis em educação ambiental e a dialogicidade.
46

5 – História

1) HI036 Histórica Contemporânea I


Transformações sociais, políticas e culturais ocorridas na Europa a partir das Revoluções
Inglesa, Francesa e da Revolução Industrial até a transição para o século XX.
Compreensão das formas seculares de poder e organização social, consolidação da
sociedade burguesa e formação da classe operária. Industrialização e urbanização.
Imperialismo.

2) HI005 História Contemporânea II


Origens da primeira guerra mundial, estado e política no “entre guerras”, configuração
geopolítica do mundo após a 2ª guerra mundial, totalitarismo e democracia, a guerra fria
e a “era dos blocos”, descolonização, mundialização: as dinâmicas atuais.

3) HI048 História do Brasil I


A estrutura do antigo sistema colonial: caracterização da função histórica da colônia –
fatores externos e dinâmica interna.

4) HI035 História do Brasil II


Estudo das sociabilidades políticas no Brasil do século XIX, das condições de vida
pública e privada nas cidades, das revoltas do período regencial, dos conflitos da ordem
escravocrata e da invenção da nação brasileira à luz do Instituto Histórico e Geográfico
Brasileiro (IHGB).

5) HI008 História do Brasil III


Abordagem do processo histórico brasileiro entre 1889 e 1845, compreendendo as
práticas políticas predominantes a partir da “Primeira República” até o “Estado Novo”,
modelos econômicos e as relações de trabalho; transformações sociourbanas;
movimentos sociais e culturais.

6) HI057 História do Brasil IV


Refletir sobre as possíveis articulações entre cultura e política no Brasil contemporâneo é
o objetivo da disciplina. Busca-se compreender estas dimensões da história objetivadas e
construídas na historiografia e na história-vivência tomando como referência a política
cultural do Estado Novo; o populismo e a política desenvolvimentista; a ditadura e a
cultura dos anos 60; o processo de abertura e reorganização da sociedade nos anos 70 e
80.

7) HI044 História do Ceará I


Aspectos gerais da conquista e ocupação da capitania do Ceará. Estudo dos aspectos
socioeconômicos da história colonial e provincial, e sua articulação com a história do
Brasil.

8) HI059 História do Ceará II


Aborda o processo histórico cearense entre a segunda metade do século XIX e 1945,
compreendendo economia e relações de trabalho, política local nos quadros da Primeira
República ao Estado Novo, transformações sócio-urbanas, movimentos sociais e
culturais.
47

6 – Informática

____ Tecnologia da Informação


Noções gerais dos processos computacionais. Sistemas operacionais: Windows e noções
de LINUX. Estruturação e processamento digital de informação e documentos. Elementos
de um documento, formatos de dados. Processamento estruturado de texto.
Aprendizado e estudo crítico de diversos aplicativos: Acrobat, MS word, PowerPoint.
Introdução ao Matlab. Documentos distribuídos, noções básicas de Internet, correio
eletrônico, html e Web. Aplicativos: Netscape, Internet Explorer, MS FrontPage, Acrobat
e Learn Space. Planilhas eletrônicas: Excel. Componentes principais de um sistema
computacional corporativo: rede local e global e processos distribuídos. Sistemas de
informação. Os aspectos de planejamento e relação com os usuários devem também ser
destacados.

7 – Matemática

1) CB___ Análise I
Números reais. Seqüência e série de números reais. Noções de topologia na reta. Limites
e funções contínuas. Derivadas. Fórmula de Taylor e aplicações. Cálculo de integrais.
Seqüência e série de funções.

2) CB___ Análise II
Topologia do espaço euclidiano. Funções reais de n variáveis. Os teoremas clássicos do
cálculo. Integrais de curvilíneas.

3) CB___ Análise III


Topologia do espaço euclidiano. Aplicações diferenciáveis. O teorema da aplicação
inversa e o teorema da aplicação implícita. Superfícies no espaço euclidiano. Integrais
múltiplas. Integrais de superfícies.

4) CB534 Cálculo Diferencial e Integral I


Funções e Curvas. Limites. Continuidade. Derivadas. Aplicações das Derivadas. Integrais
definidas.

5) CB535 Cálculo Diferencial e Integral II


Aplicações da integral definida. Coordenadas polares. Métodos de integração e funções
transcendentes.

6) CB536 Cálculo Diferencial e Integral III


Funções de várias variáveis. Limites e continuidade. Funções diferenciáveis. Extremos de
funções. Integração múltipla.Integrais de linha.

8 – Ciências Sociais

1) HD___ Antropologia Brasileira


História da antropologia no Brasil. Estudo dos povos indígenas. Estudos sobre
campesinato. Estudos antropológicos nas cidades.
48

2) HD___ Pensamento Político Brasileiro


Liberalismo e Conservadorismo no Brasil Monárquico. Positivismo e pensamento político.
Coronelismo e Poder Local. Bases do pensamento autoritário. Estado, governo e povo.

3) HD___ Pensamento Social Brasileiro


Origens do pensamento social brasileiro. Romantismo, racismo, autoritarismo e
culturalismo nos pensadores clássicos brasileiros. ISEB, CEPAL e a Escola Paulista de
Sociologia. Industrialização, urbanização e dependência. Sistematização e
institucionalização das ciências sociais no país.

4) HD___ Sociedade e Meio Ambiente


Sociedade e natureza. Paradigmas ecológicos e sustentabilidade social. Espaço, lugar,
território e paisagem. Desenvolvimento sócio-econômico e ecossistema. Movimentos
ecológicos e partidos ecológicos. As Conferências Mundiais sobre meio ambiente. A
sociedade de risco. Políticas públicas para o meio ambiente.

5) HD___ Economia e Sociedade


Fundamentos da teoria econômica. Divisão do trabalho e produtividade. Imperialismo.
Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Internacionalização do capital e empresas
transnacionais. A formação dos blocos econômicos.

6) HD___ Estado e Políticas Públicas


As políticas públicas como resultado da ação do Estado. Teoria e metodologia na análise
de políticas públicas. Transformações recentes do estado brasileiro. A relação estado-
sociedade e as políticas sociais. Novos paradigmas das políticas sociais e a questão da
cidadania. As políticas de combate a pobreza.

7) HD___ Teoria das Relações Internacionais


Introdução às relações internacionais. Evolução do sistema internacional do pós-guerra.
América Latina e formação de blocos econômicos. Nova ordem internacional.

8) HD___ Transformações Políticas e Econômicas na América Latina


Subdesenvolvimento e dependência na América Latina. Globalização e neoliberalismo.
Novos atores sociais e lutas políticas. O papel das agências multilaterais: BIRD, BID,
OEA, FMI, e MERCOSUL.

9) HD775 Sociologia Urbana


As cidades na história. O urbano no pensamento de Marx, Weber e Durkheim. A Escola
de Chicago e a crítica marxista. A produção do espaço urbano como processo social.
Estado, planejamento urbano e movimentos sociais. Globalização, pós-modernidade e
espaço construído: o fim da cidade e do espaço público.

10) HD___ Sociologia Rural


A sociedade e o estudo do “mundo rural”. Conceitos básicos. Sociedade camponesa. A
questão agrária no Brasil: estrutura fundiária; relações de produção; dominação-
subordinação; exclusão social; conflitos; movimentos de resistência.
49

11) HD948 Realidade Socioeconômica e Política Brasileira


Conjuntura e estrutura socioeconômica. Interpretações da sociedade brasileira. O
sentido do desenvolvimentismo. A modernização conservadora depois do golpe militar de
1964. Distensão política, reformas e democratização. A falência do modelo e a nova
ordem neoliberal.

12) HD782 Sociologia do Desenvolvimento


Teoria do Desenvolvimento: aspectos históricos. Idéia de progresso e evolução social.
Desenvolvimento e crescimento econômico: diferentes abordagens. Diferenciação social
e integração. Teoria da modernização. Sistema mundial: imperialismo e dependência.
Estado vs Nação. Processo de desenvolvimento da sociedade brasileira: modo de
produção e formação social no Brasil. Classes sociais, marginalidade e o Estado
brasileiro. As diferenças regionais e o colonialismo interno. A questão agrária no Brasil.

13) HD874 Antropologia Econômica


Objeto de estudo da Antropologia Econômica. Formas de produção, circulação e uso da
riqueza em sociedades simples e rurais. Evolução dos métodos de produção pré-
capitalistas. Forças sociais e produtivas e o modo de produção capitalista.

6. Áreas de concentração profissionalizantes

A fim de facilitar a escolha do(a)s aluno(a)s, são apresentadas algumas áreas de


concentração de estudos que congregam disciplinas optativas e eletivas, segundo os
Departamentos do Curso de Ciências Econômicas e os vários Cursos da UFC,
respectivamente. Essas disciplinas permitem uma escolha que pode ser orientada para
possíveis áreas que se identifiquem com os anseios de atuação profissional futura do(a)
aluno(a), tais como, ensino e pesquisa, setor público, negócios e finanças, dentre outras.
Assim, são sugeridas as seguintes áreas: Métodos Quantitativos Aplicados à Economia;
Economia de Empresas; Finanças de Empresas; Economia do Setor Público; e
Desenvolvimento Econômico Sustentável. As áreas sugeridas poderão ser redefinidas e
outras criadas pela Coordenação, de acordo com a dinâmica das condições de oferta do
Curso, particularmente no que se refere à disponibilidade do Corpo Docente.
A seguir são apresentadas as áreas de concentração de estudos sugeridas, com
as respectivas disciplinas:
I - Métodos Quantitativos Aplicados à Economia

1) EF___ Economia Matemática III


2) EF___ Tópicos Especiais em Econometria I
3) EF___ Tópicos Especiais em Econometria II
4) EF___ Estatística não Paramétrica Aplicada à Economia
50

5) ___ Tecnologia da Informação


6) EF___ Teoria dos Jogos

II - Economia de Empresas

1) EF___ Elaboração e Análise de Projetos


2) EF___ Análise Econômica de Investimentos
3) EF___ Teoria das Organizações e dos Contratos
4) EF___ Economia e Decisões das Empresas
5) EF___ Análise Econômica de Investimentos
6) EF___ Tópicos em Economia Industrial e de Redes
7) EE092 Economia de Empresas I
8) EE093 Economia de Empresas II
9) EE108 Organização Industrial II
10) ED064 Fundamentos de Administração
11) ED061 Planejamento Estratégico Empresarial
12) ___ Organização, Sistema e Métodos
13) ___ Administração da Produção I
14) ___ Administração da Produção II
15) EH323 Contabilidade de Custos
16) EH305 Contabilidade Gerencial I
17) DB047 Direito Econômico
18) DB006 Direito Administrativo I
19) DB006 Direito Administrativo II
20) DB008 Direito Financeiro e Tributário I
21) DB009 Direito Financeiro e Tributário II

III - Finanças das Empresas

1) EF___ Matemática Financeira em Economia


2) EF___ Teoria das Decisões Financeiras
3) EF___ Mercado e Instituições Financeiras
4) EF___ Finanças Corporativas

IV - Economia do Setor Público

1) EF___ Políticas Públicas


2) EF___ Teoria da Regulação
3) EF438 Economia do Trabalho II
4) EE105 Macroeconomia III
5) EE112 Economia da Tecnologia
6) EE111 Teorias da Inflação
7) EE103 Economia Monetária
8) EE114 Economia do Ceará
9) EE122 Estado e Economia
10) EE124 Economia da Educação
11) EE044 Comércio Exterior
12) EE___ Pensamento Econômico Contemporâneo
51

13) EE___ Desenvolvimento Rural Sustentável


14) EE___ Desenvolvimento Urbano Sustentável
15) EE___ Economia Solidária
16) EH327 Contabilidade Governamental I
17) EH328 Contabilidade Governamental II
18) EH___ Orçamento e Contabilidade Pública
19) DB047 Direito Econômico
20) DB006 Direito Administrativo I
21) DB006 Direito Administrativo II
22) DB008 Direito Financeiro e Tributário I
23) DB009 Direito Financeiro e Tributário II
24) HD___ Teoria das Relações Internacionais
25) HD__ Estado e Políticas Públicas
26) HD782 Sociologia do Desenvolvimento
27) HD948 Realidade Socioeconômica e Política Brasileira
28) HD___ Sociologia Rural
29) HD775 Sociologia Urbana
30) CJ___ Geografia do Turismo
31) CJ___ Geografia Espaço e Cidadania
32) CJ___ Geografia e Planejamento Ambiental
33) CJ___ Geografia do Nordeste e do Ceará
34 CJ___ Geografia das Indústrias
35 CJ___ Geografia Regional
36) CJ___ Geografia Urbana e dos Serviços
37) CJ___ Geografia da População
38) CJ___ Geografia do Brasil: Bases Naturais

V - Desenvolvimento Econômico Sustentável

1) EE112 Economia da Tecnologia


2) EE___ Desenvolvimento Rural Sustentável
3) EE___ Desenvolvimento Urbano Sustentável
4) EE___ Economia Solidária
5) EF___ Teoria da Regulação
6) EF___ Políticas Públicas
7) HD___ Estado e Políticas Públicas
8) HD782 Sociologia do Desenvolvimento
9) HD948 Realidade Socioeconômica e Política Brasileira
10) HD___ Sociedade e Meio Ambiente
11) HD___ Sociologia Rural
12) HD775 Sociologia Urbana
13) HD___ Teoria das Relações Internacionais
14) CJ ___ Geografia do Brasil: Fundamentos Socioeconômicos
15) CJ ___ Geografia do Brasil: Bases Naturais
16) CJ___ Geografia da População
17) CJ___ Geografia Urbana e dos Serviços
18) CJ___ Geografia Agrária
19) CJ___ Geografia Regional
52

20) CJ___ Geografia das Indústrias


21) CJ___ Geografia do Espaço Mundial
22) CJ___ Geografia do Nordeste e do Ceará
23) CJ___ Geografia e Planejamento Ambiental
24) CJ___ Geografia Espaço e Cidadania
25) CJ___ Geografia do Turismo
26) CJ___ Ecologia e Recursos Naturais
27) CJ___ Educação Ambiental e Transversalidade

As seguintes disciplinas eram obrigatórias no currículo anterior e passaram, no


atual projeto pedagógico, à categoria de disciplinas opcionais ou eletivas são:

01. Cálculo Diferencial e Integral I (CB534)


02. Introdução às Ciências Humanas (HD959): a equivalência dessa disciplina no atual
currículo é Economia e Sociedade (HD___)
03. Economia Monetária (EE103)
04. Estatística Econômica III (EF420)
05. Organização Industrial II (EE108)
06. Teoria do Desenvolvimento Rural (EE087)

7. Condições de oferta do Curso


7.1 - Corpo Docente: formação e titulação

Atualmente, a FEAAC oferece cinco cursos de Graduação (Ciências Econômicas,


Administração, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis e Secretariado Executivo), três
Mestrados Profissionais (Administração, Economia e Controladoria), um Mestrado
Acadêmico (Economia) e um Doutorado (Economia). O corpo discente em atividades de
graduação e pós-graduação totaliza 4.140 alunos. O corpo docente é formado por 106
professores, dos quais 44 são doutores e 49 são mestres.
A quase totalidade das disciplinas do curso de graduação em Ciências
Econômicas é oferecida por dois departamentos: Teoria Econômica e Economia Aplicada.
Nestes encontram-se lotados 52 docentes efetivos, sendo 36 doutores, 14 mestres e 2
especialistas. A distribuição, segundo a titulação e o regime de trabalho é apresentada
no Quadro 6 a seguir:
53

Quadro 6: Distribuição dos docentes segundo a titulação e o regime de trabalho

Titulação Regime de Trabalho


Departamentos Doutores Mestres Especialista DE 20 horas
s
Economia Aplicada 20 3 - 21 2
Teoria Econômica 16 10 2 28 -
Total 36 13 2 49 2

7.2 - Corpo Técnico-Administrativo

O corpo técnico-administrativo é composto por 15 funcionários, distribuídos nos


departamentos acadêmicos e na Coordenação do Curso, que apóiam
administrativamente os cursos Diurno e Noturno:

Quadro 7: Distribuição do corpo técnico segundo a lotação

Lotação Diurno Noturno Total


Coordenação do Curso 2 1 3
Economia Aplicada 3 4 7
Teoria Econômica 3 2 5
Total 8 7 15

7.3 – Infra-Estrutura Física

O Curso de Ciências Econômicas funciona no prédio da FEAAC, integrante do


patrimônio da Universidade Federal do Ceará, localizado no Campus do Benfica, à
Avenida da Universidade, 2431. Em suas dependências, o Curso conta com a seguinte
estrutura física básica:
54

7.3.1 Salas de Aula:

Curso Diurno: 11 salas de aula com capacidade para comportar 50 aluna(o)s.


Curso Noturno: 10 salas de aula com capacidade para comportar 50 aluna(o)s.
O Curso de Graduação utiliza ainda 4 salas de aula do Curso de Pós-Graduação em
Economia – CAEN, com capacidade para 20 aluna(o)s.

7.3.2 Laboratórios disponíveis para os Cursos de Graduação

A FEAAC dispõe de 3 (três) laboratórios de informática, nos quais estão


disponíveis 35 (trinta e cinco) microcomputadores com multimídia. Dois desses
laboratórios podem ser utilizados tanto no apoio às disciplinas que necessitam de seus
recursos, como também no apoio aos alunos em suas atividades de pesquisa,
preparação de relatórios, monografias, dissertações, teses e consultas via Internet.

7.3.3 Biblioteca Setorial

No prédio central da FEAAC a(o)s aluna(o)s dispõem de uma Biblioteca Setorial


que mantém um acervo especializado em Economia, Administração e Contabilidade.
Ainda, no prédio onde funciona o Programa de Pós-Graduação em Economia, CAEN, há
uma biblioteca especializada em economia e métodos quantitativos que atende também
a(o)s estudantes de graduação.
A biblioteca da FEAAC mantém intercâmbio com bibliotecas de outras
universidades localizadas no Estado do Ceará, bem como a do Banco do Nordeste do
Brasil S/A, da Bovespa (antiga Bolsa de Valores Regional do Ceará), dentre outras, nas
quais a(o)s aluna(o)s podem ter acesso aos respectivos acervos com a apresentação de
documento comprobatório de matrícula.
O acervo da biblioteca setorial da FEAAC abrange um total de 5.807 títulos e
17.783 exemplares de livros, 134 títulos de periódicos e 159 folhetos. O acervo
encontra-se informatizado e integra o Sistema de Automação PERGAMUM, que compõe o
Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal do Ceará. Esse serviço está disponível,
55

via Internet, na página da UFC (www.ufc.br), que também possibilita o acesso aos
periódicos científicos no sítio da CAPES.
A biblioteca do Programa de Pós-graduação em Economia, CAEN, possui o
seguinte acervo: 4.767 títulos e 6.402 volumes de livros, 171 títulos de periódicos, 1.740
folhetos, 471 títulos, 543 volumes de teses e 3 bases de dados em CD.

7.3.4 Auditório

A FEAAC dispõe em seu prédio de um auditório com 70 lugares e equipado com


os recursos audiovisuais apropriados.

7.4 – Outros equipamentos disponíveis

A FEAAC dispõe para seus Cursos, distribuídos nos Departamentos Acadêmicos,


nas Coordenações e na Diretoria de retroprojetores, equipamentos de multimídia, de
fotocópias, projetores (data show), televisores e DVDs etc.