Você está na página 1de 14

Componentes do Trabalho Acadêmico

Para que o trabalho se apresente de forma completa, ele deve seguir algumas regras e
apresentar alguns dos itens listados abaixo e que veremos a seguir como utilizar e se
utilizar.

 Capa Conclusão
 Folha De Rosto Anexos Ou Apêndices
 Dedicatória Referências Bibliográficas
 Agradecimentos Glossário
 Sumario Palavras ou expressões latinas
 Introdução utilizadas em pesquisa
 Desenvolvimento Contra Capa

Componentes Pré-Textuais
Os componentes pré-textuais se encontram localizados antes dos textos, eles servem
para identificar o trabalho e dar informações sobre a localização dos itens dentro do
trabalho.

Capa:
A capa deverá identificar seu trabalho, mostrando ao leitor o assunto tratado, o autor, a
instituição de ensino e a cidade e ano da publicação:

Modelos de capa:
Deve conter na capa, nas seguintes especificações:

 Nome do autor (margem superior, fonte 14)


 Título do trabalho (fonte 16, maiúsculo, negrito, centralizado)
 Instituição onde o trabalho foi executado (fonte 14, só as primeiras letras
maiúsculas, negrito, centralizada)
 Cidade e ano de conclusão do trabalho (fonte 14, negrito, maiúsculo e
minúsculo, centralizado)

A disposição dessas informações na folha não é determinada pela ABNT, porem deve-
se consultar a definição da instituição de ensino.

Folha de rosto
A folha de rosto mantém as informações da capa e adiciona informações detalhadas da
origem do trabalho:

Modelos:

Deve conter na folha de rosto, nas seguintes especificações:

 Nome do autor (margem superior, fonte 14)


 Título do trabalho (fonte 16, maiúsculo, negrito, centralizado)
 As informações essenciais da origem do trabalho: - Instituição onde o trabalho
foi executado (fonte 14, só as primeiras letras maiúsculas, negrito, centralizada)
 Cidade e ano de conclusão do trabalho (fonte 14, negrito, maiúsculo e
minúsculo, centralizado)

Podem ser utilizados os seguintes modelos para o preenchimento das informações:

“Trabalho de conclusão de curso apresentado à banca examinadora do Curso de


Graduação em ______________ para obtenção do Título de Bacharel em
__________, sob a orientação da Professora _____________”
“Este trabalho destina-se à disciplina de _________, orientado pelo professor
____________, do curso de graduação em ________________.”

Ficha de aprovação
É necessária em trabalhos formais que serão avaliados e aprovados, normalmente
trabalhos de conclusão de curso, monografias e teses.

Modelo:
Nome do Autor TÍTULO

Objetivo

NOME DA INSTITUIÇÃO Curso Área de Concentração

Data de aprovação: __ de _____ de 20__

Nome do Professor _______________________ Titulação

Nome do Professor _______________________ Titulação

Nome do Professor _______________________ Titulação

 Nome do autor
 Título (e subtítulo, se houver) do trabalho
 Natureza
 Objetivos
 Nome da instituição
 Área de concentração
 Data da aprovação
 Nome, titulação, assinatura dos componentes da banca e as instituições a que
fazem parte.

Dedicatória
Tem a finalidade de se dedicar o trabalho a alguém, como uma homenagem de gratidão
especial.
Deve estar configurada de acordo com o
modelo ao lado:

 Tamanho12 – negrito – podendo


ser itálico alinhado a 3 tab (3,75
cm) da margem esquerda e 1 cm
da margem direita –
espaçamento simples digitado
acima da margem inferior – sem
aspas.

Agradecimentos
Os agradecimentos não obedecem às normas nem têm caráter científico. Mas devem
obedecer ao bom senso. Procure redigir de forma explícita o agradecimento a todas as
pessoas que ajudaram você em seu trabalho. Inicie agradecendo a seu orientador, não se
esquecendo de referir-se a quem emprestou material para a pesquisa, assim como
àqueles que participaram da coleta de dados. O estilo deve ser objetivo, uma vez que se
trata de um trabalho acadêmico, não devendo misturar os agradecimentos profissionais
com as questões pessoais

Deve seguir a mesma formatação da


dedicatória conforme no modelo ao
lado.

Sumário
O sumário oferece ao leitor uma visão global do estudo realizado. Inclui todos os títulos
principais e suas subdivisões, que recebem numeração própria. Seus elementos deverão
ser devidamente alinhados entre si, sempre obedecendo à margem esquerda. Digitado
em negrito, a coluna de numeração deverá ser sempre alinhada obedecendo à margem
direita. Os números deverão ser ligados à última palavra dos respectivos títulos por uma
linha de pontos. O tamanho das letras, pontilhados e números receberão tamanhos de
letras distintos, conforme especificações indicadas na Figura. Não constam no sumário:
folha de rosto, folha de epígrafe, dedicatórias ou agradecimentos.
Componentes Textuais
Os elementos textuais iniciam a exposição de idéias do trabalho e é composto
basicamente por:

 Introdução
 Desenvolvimento
 Conclusão
 Referencias bibliográficas.

Introdução
A introdução é a parte inicial do texto, abrindo o trabalho propriamente dito. A
justificativa, por sua vez, deve descrever a relevância do tema e o porquê de sua
escolha, abordando as contribuições acadêmicas e aplicadas. Para Salomon (2001), é a
defesa de projeto, a exposição de interesses envolvidos: os teóricos, os pessoais e os da
equipe de pesquisadores. Deve constar o tema tratado, justificativa, problema de
pesquisa, objetivos e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho. Não
apresenta indicação numérica por se tratar de texto introdutório ao trabalho. (NBR6024-
89, p.2 e NBR 14724-01 p.4).
Desenvolvimento

O item desenvolvimento agrega: Referencial Teórico e Procedimentos Metodológicos


(em casos de pesquisa de campo, considerar - Resultados e Análise de Dados).

Cada um destes itens deve iniciar uma página. É a parte principal do texto, que contém
a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Independente do assunto abordado
nos trabalhos acadêmicos é importante que os alunos sejam orientados para buscarem
um referencial teórico, definirem o procedimento metodológico a ser desenvolvido no
trabalho e que o mesmo tenha resultados.

Estes resultados muitas vezes não advêm de pesquisa de campo, mas de um


levantamento bibliográfico. Com base nestes itens, aprender a analisar os resultados,
argumentando e dando encaminhamento para a conclusão do trabalho.

 O corpo do trabalho é onde o tema é discutido pelo autor


 As hipóteses a serem testadas devem ser claras e objetivas.
 Devem ser apresentados os objetivos do trabalho.
 A revisão de literatura deve resumir as obras já trabalhadas sobre o mesmo
assunto.
 Deve-se mencionar a importância do trabalho, justificando sua imperiosa
necessidade de se realizar tal empreendimento.
 Deve ser bem explicada toda a metodologia adotada para se chegar às
conclusões.

Conclusão
A conclusão é a parte final do texto, na qual se apresentam conclusões correspondentes
aos objetivos do trabalho. É o fecho do trabalho. Recapitulam-se sinteticamente os
resultados do trabalho elaborado.

As principais características de uma conclusão são: essencialidade, brevidade e


personalidade.

Este é o momento em que o autor do trabalho se posiciona, faz crítica, apresenta as suas
contribuições e traz sua marca pessoal.

Contribui com um novo conhecimento ou reformula conhecimentos existentes. (NBR


14724-01 p.4)
Referencias bibliográficas
Nas referências devem-se identificar todos os materiais utilizados na pesquisa,
lembrando que esse material deve ser de fontes confiáveis e deve conter informações
completas do local de pesquisa como:

 Nome do autor  Local de publicação


 Titulo da obra  Site e data de acesso
 Ano de publicação  Paginas e capítulos

As referências podem ser provenientes de vários tipos de bibliografias e para cada uma
existe um jeito correto de referenciar, conforme listado abaixo:

Modelos:

Livros

ANTUNES, Maria Thereza P. Capital intelectual. São Paulo: Atlas, 2000.


BERNARDES, Cyro; MARCONDES, Reynaldo C.. Teoria Geral da administração. 3.
ed.. São Paulo : Saraiva , 2002.

Dissertações e Teses

ÁVILA, Ricardo T. A pressão pela redução de preços nos novos produtos das autopeças
e a inovação em automações industriais. 2001, 198 p. Dissertação (Mestrado em
Administração de Empresas). Programa de Pós- Graduação em Administração de
Empresas, Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo. MOORI, Roberto G. Um
modelo de procedimento para a avaliação da produtividade na administração dos
materiais. 1993. 152p. Tese (Doutorado em Engenharia). Escola Politécnica da
Universidade de São Paulo.São Paulo.

Dicionários

DINIZ, Maria Helena. Dicionário jurídico. São Paulo: Saraiva, 1998.

Catálogos

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE. Catálogo de dissertações e teses:


resumos, 1999. São Paulo, 2000. 218 p. HEWLETT-PACKARD. Test & measurement
catalog 1998. Englewood: Hewlett-Packard Press, 1999. 668 p.

Congressos, Seminários, Encontros

HANASHIRO,Darcy M. M; TEIXEIRA, Maria Luisa Mendes . Os papéis


desempenhados pelos profissionais de recursos humanos contribuem para a vantagem
competitiva sustentável? In: ENANPAD 2001. Campinas- São Paulo. Anais dos
Resumos dos trabalhos. Hotel Royal, 2001. 312 p.
Periódicos

Revista Científica considerada no todo (coleção) REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO


MACKENZIE. São Paulo: Ed. Mackenzie, 2001 -. Semestral. ISSN 1518-6776

Artigos de revista Científica

NASSIF, Vânia M. J.; HANASHIRO, Darcy.M.M. A competitividade das universidade


particulares à luz de uma visão baseada em recursos. Revista de Administração
Mackenzie, São Paulo, ano 3, n.1, p.97-114, 2001. HU, Osvaldo R. T.; RAUNHEITTE,
Luís Tadeu. M. Padrão JPEG de compactação de imagens. Revista Mackenzie de
Engenharia e Computação, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 139- 152, jul./dez. 2000.

Artigo de Jornal

FONSECA, Roberto. Gabinete “paga” campanha de vereador. Jornal da Tarde, São


Paulo, 9 maio 2001. Cidade, Caderno A, p.12. Parte de livros e artigos ROMANO,
Giovanni. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G. ; SCHIMIDT, J. (Org.).
História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. P.7-16. Artigo e matéria
de Revistas e Boletins AS 500 maiores empresas do Brasil. Conjuntura Econômica, Rio
de Janeiro, v. 38, n.9, set. 1984. Edição especial.

Parte de Revistas e Boletins

DINHEIRO: revista semanal de negócios. São Paulo: Ed. Três, n. 148, 28 jun. 2000.
98p. 18 Artigo de reportagem e resenhas LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia
total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p.3, 25 abr. 1999.

Legislação

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 9, de 9 de novembro de 1995.


Lex: legislação federal e marginalia, São Paulo, v.59, p.1966, out./dez. 1995.

Jurisprudência

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula nº14. In: ______. Súmulas. São Paulo:
Associação dos Advogados do Brasil, 1994. P.16.

Código

BRASIL. Código civil. Coordenação de Maurício Antonio Ribeiro Lopes. 6. Ed. Sâo
Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2001.

Decreto

BRASIL.Decreto n.º3.704, de 27 de dezembro de 2000. Altera a Nomenclatura Comum


do MERCOSUL (NCM) e as alíquotas do imposto de importação dos produtos que
menciona, e dá outras providências. LEX – Coletânea de Legislação e Jurisprudência:
Legislação Federal e Marginalia. São Paulo, v. 65, 2001.
Mapa

Sistema cartográfico metropolitano da Grande São Paulo: levantamento


aerofotogramétrico: Consolação. São Paulo: Emplasa, [1972?]. 1 mapa, 64 x 84 cm.
Escala 1:2000. Projeção transversa de Mercator, Meridiano Central 45º

Microficha

MARTENE, Edmond. Veterum scriptorum et monumentorum historicorum. [S.l: s.n.],


[1729?]. v. 6. Microficha. MORSAN, George Campell. God’s last word to man: studies
in hebrews. London, Morsan & Scott, Ltda.. [1992-1996?]. Microficha.

Meios Eletrônicos

Banco de Dados

PROQUEST: banco de dados. Disponível em : . Acesso em: 03 abr. 2001.

Lista de Discussão

BIBLIOTECAS Universitárias. Lista mantida pela FEBAB, Brasil. Disponível em:


BIBUNIVERSITARIAS@E-GROUPS.COM. Acesso em 03 abr.2001.

Home Page Institucional

DIRETÓRIO Acadêmico Eugênio Gudin (DAEG). Desenvolvido pelo Diretório


Acadêmico da Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e Administrativas da
Universidade Presbiteriana Mackenzie. Apresenta informações acadêmicas dos cursos
da universidade. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2001.

Arquivo em Disquete

PETROBRÁS. Informe Técnico. Rio de Janeiro, ago.1999.1 disquete, 31/2. Windows


98.

E-mail ASCOLI, Raymond. Base de dados FIS. Mensagem recebida por


biblio.fceca@mackenzie.br em 08 mar.2001.

Artigo de Revista em Meio Eletrônico

NELIO. Brazil reforms cut planning opportunities. International Tax Review, London,
Nov.1999. Disponível em: Acesso em : 9 maio 2001.

Livros/Monografias no todo

KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.). Enciclopédio e dicionário digital 98.


Direção geral de André Koogan Breikman. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5CD-
ROM.
Partes de Livros/Monografias

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações


ambientais em matéria de meio ambiente. In: ________. Entendendo o meio ambiente.
São Paulo, 1999. V. 1. Disponível em:
http://www.bdt.org.br/sma/entendendo/atual.htm. Acesso em:8 mar. 1999.

Consultas Online

ALVES, Castro. Navio Negreiro. [S.I.]: Virtual Books, 2000. Disponível em:
http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/navionegreiro.htm . Acesso
em: 10 jan.2002, 16:30:30

Revista e Boletim

SILVA, M. M. L. Crimes da era digital..Net, Rio de Janeiro, nov.1998. Secão Ponto de


Vista. Disponível em: http://www.brazilnet.com.br/contexts/brasilrevistas.htm. Acesso
em: 28 nov.1998.

Artigo e matéria de jornal

SILVA, Ives Gandra da. Pena de morte para o nascituro.O Estado de São Paulo, São
Paulo, 19 set. 1998. Disponível em:
http:///www.providafaília.org/pena_morte_nascituro.htm. Acesso em: 19 set.1998.

Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico

GUNCHO, M. R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO


DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais...Fortaleza: Tec
Treina, 1998. 1 CD-ROM.

Documento cartográfico

PERCENTAGEM de imigrantes em São Paulo, 1920. 1 mapa, color. Escala


indeterminável. Neo Interativa, Rio de Janeiro, n.2, inverno 1994. 1 CD-ROM.

Contra Capa
Serve para proteger a última folha do trabalho, é opcional e permanece em branco.
Glossário Geral
Agradecimento: É a manifestação de gratidão do autor da pesquisa às pessoas que
colaboraram no seu trabalho. Deve ter a característica de ser curto e objetivo.

Amostra: É uma parcela significativa do universo pesquisado ou de coleta de dados.

Análise: É o trabalho de avaliação dos dados recolhidos. Sem ela não há relatório de
pesquisa.

Anexo: É uma parte opcional de um relatório de pesquisa. Nele deve constar o material
que contribui para melhor esclarecer o texto do relatório de pesquisa.

Apêndice: O mesmo que Anexo.

Bibliografia: É a lista de obras utilizadas ou sugeridas pelo autor do trabalho de


pesquisa.

Capa: Serve para proteger o trabalho e dela deve constar o nome do autor, o título do
trabalho e a instituição onde a pesquisa foi realizada.

Capítulo: É uma das partes da divisão do relatório de pesquisa. Lembrando que o


primeiro capítulo será a Introdução e o último as Conclusões do autor. Entre eles o texto
da pesquisa.

Ciência: É um conjunto organizado de conhecimentos relativos a um determinado


objeto conquistados através de métodos próprios de coleta de informação.

Citação: É quando se transcreve ou se refere o que um outro autor escreveu.

Coleta de Dados: É a fase da pesquisa em que se reúnem dados através de técnicas


específicas.

Conclusão: É a parte final do trabalho onde o autor se coloca com liberdade científica,
avaliando os resultados obtidos, propondo soluções e aplicações práticas.

Conhecimento Científico: É o conhecimento racional, sistemático, exato e verificável


da realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na
metodologia científica. Podemos então dizer que o Conhecimento Científico: "É
racional e objetivo. Atém-se aos fatos. Transcende aos fatos. É analítico. Requer
exatidão e clareza. É comunicável. É verificável. Depende de investigação metódica.
Busca e aplica leis. É explicativo. Pode fazer predições. É aberto. É útil" (Galliano,
1979: 24-30).

Conhecimento Empírico (ou conhecimento vulgar): É o conhecimento obtido ao


acaso, após inúmeras tentativas, ou seja, o conhecimento adquirido através de ações não
planejadas.
Conhecimento Filosófico: É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o
conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos. Busca dar
sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência.

Conhecimento Teológico: Conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa.


Não pode, por sua origem, ser confirmado ou negado. Depende da formação moral e das
crenças de cada indivíduo.

Corpo do Texto: É o desenvolvimento do tema pesquisado, dividido em partes,


capítulos ou itens, excluindo-se a Introdução e a Conclusão.

Dedicatória: Parte opcional que abre o trabalho homenageando afetivamente algum


indivíduo, grupos de pessoas ou outras instâncias.

Entrevista: É um instrumento de pesquisa utilizado na fase de coleta de dados.

Experimento: Situação provocada com o objetivo de observar a reação de determinado


fenômeno.

Fichamento: São as anotações de coletas de dados registradas em fichas para posterior


consulta.

Folha de Rosto: É a folha seguinte a capa e deve conter as mesmas informações


contidas na Capa e as informações essenciais da origem do trabalho.

Glossário: São as palavras de uso restrito ao trabalho de pesquisa ou pouco conhecidas


pelo virtual leitor, acompanhadas de definição.

Gráfico: É a representação gráfica das escalas quantitativas recolhidas durante o


trabalho de pesquisa.

Hipótese: É a suposição de uma resposta para o problema formulado em relação ao


tema. A Hipótese pode ser confirmada ou negada. Índice (ou Índice Remissivo): É uma
lista que pode ser de assuntos, de nomes de pessoas citadas, com a indicação da(s)
página(s) no texto onde aparecem. Alguns autores referem-se a Índice como o mesmo
que Sumário e Índice como Índice Remissivo. Instrumento de Pesquisa: Material
utilizado pelo pesquisador para colher dados para a pesquisa.

Introdução: É o primeiro capítulo de um relatório de pesquisa, onde o pesquisador irá


apresentar, em linhas gerais, o que o leitor encontrará no corpo do texto. Por isso, apesar
do nome Introdução, é a última parte a ser escrita pelo autor.

Método: A palavra método deriva do grego e quer dizer caminho. Método então, no
nosso caso, é a ordenação de um conjunto de etapas a serem cumprias no estudo de uma
ciência, na busca de uma verdade ou para se chegar a um determinado fim.

Metodologia: "Methodo" significa caminho; "logia" significa estudo. É o estudo dos


caminhos a serem seguidos para se fazer ciência.
Monografia: É um estudo científico, com tratamento escrito individual, de um tema
bem determinado e limitado, que venha contribuir com relevância à; ciência.

Pesquisa: É a ação metódica para se buscar uma resposta; busca; investigação.

Problema: É o marco referencial inicial de uma pesquisa. É a dúvida inicial que lança o
pesquisador ao seu trabalho de pesquisa.

Resenha: É uma descrição minuciosa de um livro, de um capítulo de um livro ou de


parte deste livro, de um artigo, de uma apostila ou qualquer outro documento.

Técnica: É a forma mais segura e ágil para se cumprir algum tipo de atividade,
utilizando-se de um instrumental apropriado.

Teoria: "É um conjunto de princípios e definições que servem para dar organização
lógica a aspectos selecionados da realidade empírica. As proposições de uma teoria são
consideradas leis se já foram suficientemente comprovadas e hipóteses se constituem
ainda problema de investigação" (Goldenberg, 1998: 106-107)

Tópico: É a subdivisão do assunto ou do tema.

Universo: É o conjunto de fenômenos a serem trabalhados, definido como critério


global da pesquisa.

Palavras ou expressões latinas


apud: Significa "citado por". Nas citações é utilizada para informar que o que foi
transcrito de uma obra de um determinado autor na verdade pertence a um outro.

Ex.: (Napoleão apud Loi) ou seja, Napoleão "citado por" Loi et al.

et al: Significa "e outros". Utilizado quando a obra foi executada por muitos autores.

Ex.: Numa obra escrita por Helena Schirm, Maria Cecília Rubinger de Ottoni e Rosana
Velloso Montanari escreve-se: SCHIRM, Helena et al.

ibid ou ibdem: Significa "na mesma obra".

idem ou id: Significa "igual a anterior".

in: Significa "em".

ipsis litteris: Significa "pelas mesmas letras", "literalmente". Utiliza-se para expressar
que o texto foi transcrito com fidelidade, mesmo que possa parecer estranho ou esteja
reconhecidamente escrita com erros de linguagem.

ipsis verbis: Significa "pelas mesmas palavras", "textualmente". Utiliza-se da mesma


forma que ipsis litteris ou sic. opus citatum ou op.cit.: Significa "obra citada"
passim: Significa "aqui e ali". É utilizada quando a citação se repete em mais de um
trecho da obra.

sic: Significa "assim". Utiliza-se da mesma forma que ipsis litteris ou ipsis verbis.

supra: Significa "acima", referindo-se a nota imediatamente anterior.