Você está na página 1de 4

Faculdade Paulista de Serviço Social – Fapss / São Paulo

Questões de Planejamento em Serviço Social.

Data da aula: Referente às aulas do dia 27 de Agosto e 03 de Setembro.


Disciplina: Planejamento em Serviço Social Série: 3º ano / 6º semestre
Profº: Décio Yoshikaso Hatakeiama / Cress – SP. 19.590 / CRP – SP. 12.920
Aluna: Simaura Pereira Santana / RA. 1080208

Questões do texto de Seno A. Cornely: Planejamento Tecnocrático ou


Participativo: diferença de estilo ou de substância?

Questão 01: Quais as diferenças do planejamento Tradicional


Tecnocrático e o Planejamento democrático quanto à natureza?

Resposta:

PLANEJAMENTO TECNOCRÁTICO PLANEJAMENTO DEMOCRÁTICO (PARTICIPATIVO)


O pano opera sobre a estrutura social, O plano vai depender das decisões que são
econômica e política e o planejador é políticas. O planejador tem interesse contraditório e
um técnico neutro. conflitante
Os planejadores podem e devem Os planejadores farão com os planos reflitam os
avaliar os interesses da população, interesses dos “carenciados”. Ampla informação a
tendo como base os objetivos da todos os membros da sociedade.
política pública.
Os recursos públicos devem ser Participação ativa da população. Os planejadores
confiados aos planejadores que são agentes catalizadores e assessores nesse
levarão em conta os interesses da processo com função de facilitadores para que
população. todos tenham voz ativa.
A elaboração do plano é caracterizada Os planejadores trabalham com grupos
por pesquisas objetivas sem a comunitários para atender as suas aspirações e
participação da população, pois os necessidades prioritárias. Através da união de
pesquisadores julgam que a técnicos e população conseguem levantar dados,
população seja incapaz de manejar os amplamente discutidos que desmascaram as
instrumentos da racionalidade injustiças sociais ocultadas.
cientifica.
Questão 02: Quais as diferenças do Planejamento Tradicional e
Planejamento democrático quanto ao seu processo político?

Respostas:
PLANEJAMENTO TECNOCRÁTICO PLANEJAMENTO DEMOCRÁTICO (PARTICIPATIVO)
As questões de naturezas políticas Há uma invasão no processo de planejamento. A
são caracterizadas pela competição alocação de recursos desperta a reação de grupos
de interesses privados. de interesses. Os planos não são resultados
apenas de aplicação de métodos e técnicas.
O processo eleitoral é satisfatório. Há uma necessidade de que o processo político
Arma os indivíduos de uma seja participado ativamente pelos setores
participação indireta bem significativa populares em todas as etapas do planejamento e
na aprovação dos planos. que esta participação seja autentica através de
lideres que emergem do povo.
O processo de planejamento deve A articulação dos interesses populares faz surgir
ater às organizações globais de toda uma ambiência política mais competitiva do
a cidade para os interesses comuns planejamento. E as decisões passam a refletir os
de toda os cidadãos. interesses de cada grupo na sociedade.
Não há necessidade de qualquer A legitimação da política é determinada pelo
mudança na política de planejamento. debate e a participação dos cidadãos na tomada
Todo o processo de planejamento de decisões. Por isso a estrutura de planejamento
funciona normalmente. é descentralizada.

Questão 03: Quais as diferenças do Planejamento Tradicional e o


Planejamento Democrático quanto a participação da comunidade?
Respostas:
PLANEJAMENTO TECNOCRÁTICO PLANEJAMENTO DEMOCRÁTICO (PARTICIPATIVO)
A maioria dos grupos possui seus Há um equilíbrio e nivelamento entre os técnicos a
próprios interesses e por não serem população para garantir que os setores populares
treinados tecnicamente eles não tem participem da etapa da elaboração dos planos e da
condições de avaliar objetivamente os tomada de decisões.
planos.
Não visa a preparação dos cidadãos Há uma preocupação com a preparação técnica dos
para que estes saibam lidar com os grupos, cujo interesse estão em jogo. Valorização
problemas complexos do planejamento do poder comunitário.
Os cidadãos possuem um sentimento Valorização do envolvimento mais direto da
superficial de participação, pois são população no processo de planejamento. E a
representados nas comissões ou importância do exercício pedagógico, de
conselhos do plano diretor. aprendizado na pratica.
Muitos representantes de grupos Os lideres emergem da base e verbalizam os
comunitários buscam apenas prestígio, interesses dos grupos que compõem a comunidade
poder ou vantagens pessoais e não local. E a população devem participar da decisão no
demonstram espírito comunitário. planejamento.

Questão 04: Em Serviço Social qual o melhor modelo de Planejamento?


Justifique (vantagens)

Respostas: A diversas experiências mostra que é difícil dar o primeiro passo,


para discutir ou colocar em pratica o planejamento em serviço social, pois a
maior parte dos “empreendedores sociais” tem uma tendência natural de
concentrarem seus esforços na prestação de serviços e acabam não
conseguindo dedicar-se às tarefas administrativas que, normalmente, são
vistas como enfadonhas. Na maioria das vezes percebemos o descaso com
que esses profissionais tratam a análise do planejamento das ações.

É natural que os gestores tenham dificuldade em dispor de seu tempo para


discutir com a equipe os rumos que a instituição deva tomar. Isso faz com que
o planejamento estratégico muitas vezes seja visto como “perda de tempo” e
que acabe sendo adiado e esquecido.

Independentemente do tamanho, da área de atuação e do ambiente onde as


instituições do terceiro setor estão inseridas, o seu real papel e a sua
competência organizacional estarão diretamente relacionados com os valores
básicos que constituíram a sua fundação e o seu desenvolvimento. Esses
valores, associados ao profissionalismo, devem ser os responsáveis pela
credibilidade que as organizações dessa natureza adquirem junto às
sociedades onde atuam.

Ressalto que o planejamento estratégico não possui um fim em si mesmo. Sua


finalidade é de auxiliar o gestor no processo de tomada de decisão. Desta
forma, apesar dos benefícios que a ferramenta pode propiciar, não há garantias
de que eles se efetivem, em razão de consistir em uma metodologia de
trabalho que deve ser operacionalizada por seres humanos, responsáveis
também pela elaboração e implementação do plano.