Você está na página 1de 7

1

! "

AULA PRÁTICA – 8
DIMENSIONAMENTO DE CONDUTOS LIVRES (Canais)

a) Equação da Resistência

2 1 1 2 1
V = K .R 3. J 2
( STRICKLER ) V = .R 3 . J 2 ( MANNING )
n

b) Equação da Continuidade

Q = A.V

Onde:
Q = Vazão ( m3/s );
A = Área da seção molhada ( m2 );
K = Coeficiente de rugosidade de Strickler;
n = Coeficiente de rugosidade de Manning;
V = Velocidade de escoamento ( m/s );
R = Raio hidráulico ( m ) → R = A / P ( P = Perímetro molhado );
J = Declividade do fundo ( m/m ).

Existem basicamente dois casos distintos para resolução de problemas


envolvendo condutos livres:
CASO I :
Dados: K, A, R , J Deseja-se conhecer: Q ou V

Dados: K, A, R , Q Deseja-se conhecer: J


Neste caso, a solução é encontrada com a aplicação direta da fórmula:

2 1 R 2 / 3.J 1 / 2 . A
Q = A.K .R 3.J 2
ou Q= → Lembrar que: Q = A.V
n
2

CASO II :

Dados: Q, K, J Deseja-se conhecer: a seção do canal ( A, R )

Neste caso, existem três maneiras de se solucionar o problema:

♦ MÉTODO DA TENTATIVA ( será utilizado em Hidráulica);


♦ Algebricamente;
♦ Graficamente.

MÉTODO DA TENTATIVA:
Dados conhecidos

2 1 2 Q
Q = A.K .R 3 .J 2
→ A.R 3 = 1
K .J 2

Existem diversas combinações de GEOMETRIA que satisfazem os dados


fornecidos.

SOLUÇÃO: Fixar b ou h.

h
h ou

b b
3

II - ELEMENTOS GEOMÉTRICOS
B

m.h m.h
Talude : Talude:
h
1 1

m b m

Perímetro Raio Largura do


Forma da seção Área (A) molhado (P) hidráulico (R) Topo (B)
2
(m ) (m) (m) (m)

A b.h
h b.h b + 2.h = b
P b + 2.h

h A
(b + m.h ).h b + 2.h. 1 + m 2 P b + 2.m.h
1
b m

A
h m.h 2 2.h. 1 + m 2
P 2.m.h
1
m

1
.(θ − sen θ ).D 2 sen θ
D
h 8 θ .D 1
. 1− .D θ
sen .D
2 4 θ 2
θ = RAD

B=D
π .D 2 π .D D h
=
h 2 4 2 D = 2.h
8
h = D/2

Obs.: (
θ = 2. arccos 1 − 2. h D ) , onde θ deve ser calculado em radianos.
4

III - INFORMAÇÕES IMPORTANTES


a) Declividade de canais:

Vazão ( m3/s) Declividade ( % ) Porte

> 10 0,01 a 0,03 Grande

3 a 10 0,025 a 0,05 Mediano

0,1 a 3 0,05 a 0,1 Pequeno

< 0,1 0,1 a 0,4 Muito pequeno

b) Inclinação dos Taludes (valores de m):

Material das paredes Canais pouco profundos Canais profundos


(h<1m) ( h > 1 m)
Rochas em boas
condições 0 0,25

Argilas Compactas 0,5 1,0 ou 0,75

Limo Argiloso 1,0 1,0 ou 1,50

Limo Arenoso 1,5 2,0

Areias Soltas 2,0 3,0

c) Limites de velocidade:

Material Velocidade máxima ( m/s )

Terreno Arenoso Comum 0,76

Terreno de Aluvião 0,91

Terreno Argila Compacta 1,14

Cascalho grosso , Pedregulho, Piçarra 1,83

Alvenaria 3,00

Concreto 6,00
5

d) Coeficiente de Rugosidade de Strikler ( K )

Material K ( m1/3 / s )

Concreto 60 a 100

Tubos de Concreto 70 a 80

Asfalto 70 a 75

Tijolos 60 a 65

Argamassa de cascalho ou britas 50

Pedras assimétricas 45

Canal aberto em rocha 20 a 55

Canal em Terra 58 a 37
( sedimentos médios )

Canal gramado 35

e) Folga ou borda-livre

folga ♦ Folga ≥ 20 cm ( mínima )

♦ Folga = 0,2 h ( 20% de h )


h
6

EXERCÍCIO RESOLVIDO ( CANAIS)

1- Um projeto de irrigação precisa de 1.500 litros / s de água, que deverá ser conduzida
por um canal de concreto, com bom acabamento ( K = 80 ). A declividade do canal deverá
ser de 1 %0 e sua seção trapezoidal com talude de 1 : 0,5 ( V : H ). Qual deve ser a altura
útil do canal, se sua base for de 60 cm.
Dados:
Canal de seção trapezoidal folga
3
Q = 1.500 litros / s = 1,5 m / s
K = 80 ( coef. de rugosidade de STRICKLER ) h=?
J = 1 %o = 0,1 % = 0,001 m/m
m = 0,5 ( talude da parede do canal )
b = 60 cm = 0,6 metros. 1
h= ? b= 0,6m
m = 0,5

2/3 1/2
Q = A.V ( Eq. Continuidade) V = K.R .J (Eq. de Strickler)
2/3 1/2
Portanto: Q = A.K.R .J

Q 1,5m3 / s
A.R 2 / 3 = = A.R 2 / 3 = 0,593
K .J 1 / 2 80.(0,001)1 / 2

Solução: Resolvendo pelo Método da Tentativa, devemos encontrar um valor de h que


satisfaça a condição de: A.R 2 / 3 = 0,593 . Para isto, montamos a seguinte tabela auxiliar:

h A = (b + m.h).h P = b + 2.h 1 + m 2 R=A/P R2/3 A.R2/3 Valor


conhecido
1,00 1,10 2,84 0,387 0,531 0,584 < 0,593
1,20 1,44 3,28 0,439 0,577 0,832 > 0,593
1,05 1,15 2,95 0,390 0,534 0,614 > 0,593
1,02 1,12 2,88 0,389 0,533 0,597 > 0,593
1,01 1,11 2,86 0,388 0,532 0,591 ≈ 0,593

h = 1,0 m A = (0,6 + 0,5 x1)x1 = 1,10 m2


P = 0,6 + 2 x1x 1 + (0,5) = 2,84 m
2

R = A / P = 1,10 / 2,84 = 0,387

1,5m3 / s
h = 1,01 m V=Q/A = = 1,35 m/s ok!! (VMáx = 6,0 m/s)
1,11m 2
Folga = 0,20 x 1,01 m Folga = 0,20 m
7

EXERCÍCIOS PROPOSTOS ( CANAIS)

1) - Calcular a Vazão transportada por um canal revestido de nata de cimento (n = 0,012


ou K = 83) tendo uma declividade de 0,3%o . As dimensões e forma estão na figura abaixo.
Verificar o valor da velocidade média de escoamento.

h = 2,0 m

b = 4,0 m

2)- Calcular a vazão transportada por um canal de terra dragada (n = 0,025), tendo
declividade de 0,4%o . As dimensões e formas estão na figura abaixo.

1 h = 1,6 m

m =1,5
b = 1,20 m

3)- Calcular a vazão transportada por um tubo de seção circular, diâmetro de 500 mm,
construido em concreto ( n = 0,013 ). O tubo está trabalhando à meia seção, em uma
declividade é de 0,7%.

D
h

4)- Um BUEIRO CIRCULAR de concreto (n = 0,015) deverá conduzir uma vazão máxima
prevista de 2,36 m3/s com declive de 0,02 %. Determine o DIÂMETRO do bueiro de forma
que a ALTURA da seção de escoamento atinja no máximo 90 % do diâmetro do bueiro
(h=0,9D).