Você está na página 1de 22

Prof Jean CURSO-CPCE

CURSO PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS EM


ELETROTÉCNICA – CPCE

ELETRICIDADE

AULA 5

SISTEMA TRIFÁSICO

Prof.: Jean

WWW.escoladoeletrotecnico.com.br

1 de outubro de 2007

1
Prof Jean CURSO-CPCE

12 - SISTEMA TRIFÁSICO

12.1- Introdução:

No sistema trifásico, são usados geradores ou alternadores de tensão CA para gerar três tensões
senoidais de mesmas amplitudes e defasadas de 120º entre elas. Nesse sistema, o transporte de
energia é feito por três condutores chamados de linhas (A, B e C).

12.2- Geração trifásica:

12.2.1- Tensões de fase: São tensões entre qualquer uma das fases e o neutro. São elas: vAN(t),
vBN(t) e vCN(t).
Obs: A letra t entre parênteses quer dizer que cada uma das três tensões acima varia em função do
tempo. Logo, são tensões instantâneas.

o Seqüência de fase: As três tensões citadas acima, não alcançam seus valores máximos no
mesmo instante, mas sim, numa seqüência definida como: SEQUÊNCIA POSITIVA ( DIRETA)
OU SEQUÊNCIA NEGATIVA ( INVERSA).

a) Seqüência positiva ou direta:

A seqüência das tensões é dita ser positiva ou direta quando a ordem de ocorrência dos valores
de pico (valores máximos) das três tensões for: ABC; BCA ou CAB

Para a seqüência POSITIVA, as tensões de fase poderão ser escritas da seguinte forma:

vAN(t) = VF máx.cos(ωt) ;
vBN(t) = VF máx.cos(ωt – 120º) ;
vCN(t) = VF máx.cos(ωt + 120º) ;
Onde, VF ax é o valor máximo ou de pico da tensão instantânea de fase.

Pode-se observar que as três tensões são defasadas de 120º entre si e isso se deve ao fato que os três
enrolamentos, no gerador, responsáveis por cada uma das três tensões estão defasados fisicamente de
120º.
2
Prof Jean CURSO-CPCE

Formas de onda das tensões de fase na seq(+):

Obs.: As curvas localizadas mais a direita estão atrasadas em relação a aquelas mais a esquerda,
sendo assim pode-se dizer que VBN está atrasada de 120º em relação a VAN e que VCN está atrasada
de 120º em relação a VBN ou de 240º em relação a VAN.

Se representamos as três tensões em forma de fasores, temos a figura abaixo.

Diagrama fasorial das tensões de fase:

Tensões de fase em seqüência positiva

Dado o diagrama fasorial, a forma de descobrirmos a seqüência de fase é nos posicionarmos no eixo
horizontal no ponto 0º (em frente a VAN) e observarmos os três fasores girando no sentido anti-
horário(manter sempre esse sentido de giro) como indicado na figura. A ordem na qual as tensões
irão passar por esse ponto de referência (0º) será VAN, depois VBN, depois VCN,logo dizemos que a
seqüência de fase é ABC. O ponto de referência pode ser qualquer ponto no diagrama.

3
Prof Jean CURSO-CPCE
Olhando para o diagrama, pode-se afirmar que
VBN está atrasada de -120º em relação a VAN ou que VBN está adiantada de + 240º de VAN e
VCN está atrasada de – 240º em relação a VAN ou que VCN está adiantada de + 120º de VAN

Portanto, pode escrever que:

VBN = VAN ∠ − 120º ou VBN = VAN ∠ + 240º

VCN = VAN ∠ − 240º ou VCN = VAN ∠ + 120º

Se, por exemplo, VAN = 220 ∠20º então,

VBN = 220 ∠20º . ∠ − 120º = 220 ∠(20º −120º ) = 220∠ − 100º ou

VBN = 220 ∠20º . ∠ + 240º = 220 ∠(20º +240º ) = 220∠ + 260º

b) Seqüência negativa ou inversa:

A seqüência das tensões é dita ser negativa ou inversa quando a ordem de ocorrência dos valores
de pico (valores máximos) das três tensões for: ACB; CBA, BAC

Para a seqüência NEGATIVA, as tensões de fase poderão ser escritas da seguinte forma:

vAN(t) = VF máx.cos(ωt);
vCN(t) = VF máx.cos(ωt - 120º);
vBN(t) = VF máx.cos(ωt + 120º);

Formas de onda das tensões de fase na seq(-):

4
Prof Jean CURSO-CPCE
Diagrama fasorial das tensões de fase:

Tensões de fase em seqüência negativa

Na seqüência negativa, as tensões de fase VCN e VBN são invertidas no diagrama fasorial e neste caso
é VCN que está atrasada de – 120º de VAN e VBN estará adiantada de + 120º sobre VAN.

12.2.2- Tensões de linha:

São tensões entre duas fases quaisquer, são elas: VAB, VBC e VCA

a) Seqüência positiva ou direta:

Para a seqüência POSITIVA, as tensões de linha poderão ser escritas da seguinte forma:

vAB(t) = VL máx.cos(ωt + 30º);


vBC(t) = VL máx.cos(ωt - 90º);
vCA(t) = VL máx.cos(ωt + 150º);

Formas de onda das tensões de linha na seq( +):

5
Prof Jean CURSO-CPCE
Onde, VL máx é o valor máximo ou de pico da tensão instantânea de linha.

Diagrama fasorial das tensões de linha:

Tensões de linha em seqüência positiva

b) Seqüência negativa ou indireta:

Para a seqüência NEGATIVA, as tensões de linha poderão ser escritas da seguinte forma:

vAB(t) = VL máx.cos(ωt - 30º);


vCA(t) = VL máx.cos(ωt - 150º);
vBC(t) = VL máx.cos(ωt + 90º);

Formas de onda das tensões de linha na seq(-):

6
Prof Jean CURSO-CPCE
Diagrama fasorial das tensões de linha:

Tensões de linha em seqüência negativa

Diagrama fasorial das tensões de fase e de linha:

• Seqüência positiva ou direta:

7
Prof Jean CURSO-CPCE
Tensões de fase e de linha em seqüência positiva

Através do diagrama acima, observa-se que cada tensão de linha tem sua tensão de fase
correspondente. Para a tensão de linha VAB, sua tensão de fase é VAN ou seja

VAB --------> VAN


VBC --------> VBN
VCA --------> VCN

Na seqüência positiva, cada tensão de linha está adiantada da sua tensão de fase de + 30º

• Seqüência negativa ou inversa:

Tensões de fase e de linha em seqüência negativa

Na seqüência negativa, cada tensão de linha está atrasada da sua tensão de fase de - 30º

12.2.3 – Relação entre as tensões de fase e de linha:

VAB = VA - VB
VBC = VB - VC
VCA = VC - VA

Em termos de valores eficazes de linha (VL) e de fase (VF), para sistema equilibrado:

VL = 3. VF

12.3- CARGAS TRIFÁSICAS_______________________________________________________

As cargas trifásicas podem ser:


8
Prof Jean CURSO-CPCE
• puramente resistiva, capacitiva, indutiva ou não,
• equilibradas(balanceadas) ou desequilibrada (desbalanceadas),
• podem estar ligadas em triângulo ou em estrela.

12.3.1 – Carga Equilibrada:

∆):
a) CARGA EM TRIÂNGULO(∆

Onde,
Z∆ é a impedância monofásica,
IA, IB e IC são as correntes de linha fornecidas pelo gerador ou transformador 3φ,
IAB, IBC e ICA são as correntes de fase através de Z∆,
VAB, VBC e VCA são as tensões de linha (e de fase) aplicadas sobre as impedâncias de fase Z∆, ou, as quedas
de tensão sobre cada impedância Z∆.

Como a carga é equilibrada, as correntes de linha (IA, IB e IC) têm o mesmo módulo e defasadas de 120º
entre elas, assim como as correntes de fase (IAB, IBC e ICA). A defasagem entre as correntes de linha e de
fase (IA e IAB), (IB e IBC) e (IC e ICA) será de - 30° se a seqüência de fase for POSITIVA e + 30º se ela for
NEGATIVA.

• Seqüência positiva:

IA = IAB - ICA = 3. I AB ∠ − 30º

IB = IBC - IAB = 3. I BC ∠ − 30º

IC = ICA - IBC = 3. I CA ∠ − 30º


IAB é a corrente de fase mais próxima da corrente de linha IA
IBC é a corrente de fase mais próxima da corrente de linha IB
ICA é a corrente de fase mais próxima da corrente de linha IC

9
Prof Jean CURSO-CPCE

Obs: Para cargas equilibradas, a defasagem de - 30º existente entre a corrente de linha e sua corrente de fase
mais próxima, para a seqüência positiva, independe do tipo de carga (se é resistiva, capacitiva ou indutiva).

Numa notação fasorial, IL = 3 .IF ∠-30º

Onde, IL é o fasor da corrente de linha e IF o fasor da sua corrente de fase.

Em termos só de valores eficazes: IL = 3 .IF

Relação entre tensão de linha e fase: VL = VF


V AB VBC VCA
I AB = I BC = I CA =
Z∆ Z∆ Z∆

Para carga Z∆ equilibrada,


As três correntes de linha têm o mesmo valor eficaz IL
As três correntes de fase têm o mesmo valor eficaz IF

Diagrama fasorial das correntes para uma seqüência POSITIVA:

Novamente, esse ângulo de 30º entre as correntes de linha e de fase NÃO poderá aumentar nem diminuir
com a variação da carga. A defasagem entre as correntes de fase e as tensões de fase poderá varia em
função do tipo de carga.

Diagrama fasorial das correntes e das tensões em função da CARGA:

10
Prof Jean CURSO-CPCE
• Se Z∆ = R, puramente resistiva:

Neste caso, as correntes de fase estarão em fase com as tensões de fase.

• Se Z∆ = XC, puramente capacitiva:

Neste caso, as correntes de fase estarão adiantadas de 90º em relação às tensões de fase.

Obs: Nos diagramas a seguir, só representaremos os vetores de IA, IAB e VAB e a mesma lógica deve ser
seguida para representar as demais tensões e correntes.

11
Prof Jean CURSO-CPCE

• Se Z∆ = XL, puramente indutiva:

Neste caso, as correntes de fase estarão atrasadas de 90º em relação às tensões de fase.

• Se Z∆ = R + jXC, com R = |XC| => Z∆ = | Z∆ |∠- 45°

Neste caso, as correntes de fase estarão adiantadas de 45º em relação às tensões de fase.

• Se Z∆ = R + jXL, com R = |XL| => Z∆ = | Z∆ |∠45°


12
Prof Jean CURSO-CPCE

Neste caso, as correntes de fase estarão atrasadas de 45º em relação às tensões de fase

• Seqüência negativa:

IA = IAB - ICA = 3. I AB ∠30º

IB = IBC - IAB = 3. I BC ∠30º

IC = ICA - IBC = 3. I CA ∠30º


Obs: Para cargas equilibradas, a defasagem de 30º existente entre a corrente de linha e sua corrente de fase
mais próxima, para a seqüência negativa, independe do tipo de carga (se é resistiva, capacitiva ou indutiva).

Numa notação fasorial, IL = 3 .IF ∠30º

Onde, IL é o fasor da corrente de linha e IF o fasor da sua corrente de fase.

Em termos só de valores eficazes: IL = 3 .IF

Diagrama fasorial das correntes para uma seqüência NEGATIVA:

13
Prof Jean CURSO-CPCE

Diagrama fasorial das correntes e das tensões em função da CARGA:

Seguir o mesmo raciocínio do caso em que a seqüência era POSITIVA

b) CARGA ESTRELA (Y):

N: neutro

Representando as tensões de fase e de linha:

14
Prof Jean CURSO-CPCE

Onde,
ZY é a impedância monofásica da carga trifásica ligada em estrela,
IA, IB e IC são as correntes de linha (ou de fase) fornecidas pelo gerador ou transformador 3φ,
VAN, VBN e VCN são as tensões de fase sobre ZY ou, as quedas de tensão sobre cada impedância ZY
VAB, VBC e VCA são as tensões de linha.

Como a carga é equilibrada, as tensões de linha (VAB, VBC e VCA) têm o mesmo módulo mas defasadas de
120º entre elas, assim como as tensões de fase (VAN, VBN e VCN). A defasagem entre as tensões de linha e
de fase (VAB e VAN), (VBC e VCN) e (VCA e VCN) será de 30° se a seqüência de fase for POSITIVA e - 30º
se ela for NEGATIVA.

• Seqüência positiva:

vAN(t) = VF máx.cos(ωt);
vBN(t) = VF máx.cos(ωt – 120º);
vCN(t) = VF máx.cos(ωt + 120º);
Onde, VF máx é o valor máximo ou de pico da tensão instantânea de fase.

VAB = VAN – VBN = 3.V AN ∠30º

VBC = VBN – VCN = 3.VBN ∠30º

VCA = VCN – VAN = 3.VCN ∠30º

15
Prof Jean CURSO-CPCE
VAB é a tensão de linha mais próxima da tensão de fase VAN
VBC é a tensão de linha mais próxima da tensão de fase VBN
VCA é a tensão de linha mais próxima da tensão de fase VCN

vAB(t) = VL máx.cos(ωt + 30º);


vBC(t) = VL máx.cos(ωt - 90º);
vCA(t) = VL máx.cos(ωt + 150º);

Obs: Para cargas equilibradas, a defasagem de 30º existente entre a tensão de linha e sua tensão de fase
mais próxima, para a seqüência positiva, independe do tipo de carga (se é resistiva, capacitiva ou indutiva).

Numa notação fasorial, VL = 3 .VF ∠30º

Onde, VL é o fasor da tensão de linha e VF o fasor da sua tensão de fase.

Em termos só de valores eficazes: VL = 3 .VF

Relação entre a corrente de linha e de fase: IL = IF

Corrente no neutro (IN): IN = IA + IB + IC = 0

VAN = ZY.IA VBN = ZY.IB VCN = ZY.IC

Para carga ZY equilibrada,


As três tensões de linha têm o mesmo valor eficaz VL
As três tensões de fase têm o mesmo valor eficaz VF

Diagrama fasorial das tensões de linha e de fase para uma seqüência POSITIVA:

16
Prof Jean CURSO-CPCE

VAB = 3 VAN ∠30º VBC = 3 VBN ∠30º VCA = 3 VCN ∠30º

• Seqüência negativa:

Tensões de fase:

vAN(t) = VF máx.cos(ωt);
vCN(t) = VF máx.cos(ωt - 120º);
vBN(t) = VF máx.cos(ωt + 120º);

Tensões de linha :

VAB = VAN – VBN = 3.V AN ∠ − 30º

VBC = VBN – VCN = 3.VBN ∠ − 30º

VCA = VCN – VAN = 3.VCN ∠ − 30º


VAB é a tensão de linha mais próxima da tensão de fase VAN
VBC é a tensão de linha mais próxima da tensão de fase VBN
VCA é a tensão de linha mais próxima da tensão de fase VCN

vAB(t) = VL máx.cos(ωt - 30º);


vCA(t) = VL máx.cos(ωt - 150º);
vBC(t) = VL máx.cos(ωt + 90º);

Obs: Para cargas equilibradas, a defasagem de - 30º existente entre a tensão de linha e sua tensão de fase
mais próxima, para a seqüência negativa, independe do tipo de carga (se é resistiva, capacitiva ou indutiva).

Numa notação fasorial, VL = 3 .VF ∠- 30º


17
Prof Jean CURSO-CPCE

Corrente no neutro(IN) quando a carga for equilibrada: IN = IA + IB + IC = 0

Diagrama fasorial das tensões de linha e de fase para uma seqüência NEGATIVA:

c) Sistema equilibrado fonte-carga ligados em Estrela a 3(sem o neutro) ou 4 fios:

Onde,
Fonte: Ela pode ser um gerador ou o 2ário de um transformador ligado em estrela

A, B e C: Terminais da fonte
N: Neutro da fonte
VA=VAN, VB = VBN, VC = VCN: Tensões de fase da fonte
18
Prof Jean CURSO-CPCE
IA, IB e IC: Correntes de linha fornecidas pelo fonte

Carga:

A’, B’, e C’: terminais da carga,


N’: Neutro da carga
ZA, ZB, e ZC: São as impedâncias monofásicas da carga 3φ
VA’N’, VB’N’ e VC’N’: Tensões de fase da carga ou quedas de tensão nas impedâncias 1φ da carga.

Linha de transmissão:

ZLT: Impedância da linha de transmissão entre a fonte e a carga.

Obs: No caso em que o sistema Y-Y estiver equilibrado, a tensão VNN’ = 0 V, ou seja, não há diferença de
potencial entre os dois neutros e por esta razão, IN = 0 A. Isso mostra que quando o sistema está equilibrado,
o quarto fio (que liga os dois neutros) é desnecessário.

O sistema fonte-carga em estrela equilibrado pode ser desmontado em três circuitos monofásicos como
mostrado a seguir:

Circuitos monofásicos:

V AN VBN VCN
IA = , IB = , IC =
Z LT + Z A Z LT + Z B Z LT + Z C

Para obter os dois outros circuitos monofásicos, basta substituir, por vez, o índice A por B e C.

19
Prof Jean CURSO-CPCE

d) Sistema desequilibrado fonte-carga ligados em Estrela a 3(sem o neutro) fios:

Carga desequilibrada, pois ZA ≠ ZB ≠ ZC

V AN VBN VCN V AN VBN VCN


+ + − − −
Z ZB ZC ZA ZB ZC
V NN , =− A =
1 1 1 1 1 1
+ + + +
Z A Z B ZC Z A Z B ZC
VN’N = - VNN’

Obs.:
• Neste caso, N e N’ não estão no mesmo potencial. IN (= IA + IB + IC) = 0A. Se o sistema fosse de
4 fios (com a interligação dos dois neutros), VNN’ = 0V e IN (= IA + IB + IC) ≠ 0A, ou seja, haveria
uma corrente fluindo entre os dois neutros.
• 1
A inversa da impedância ( ) é chamada de admitância ( Y ), ou seja,
Z
1
Z
= Y , então
1
ZA
= YA .

• Y = G ± jB , onde G é a condutância e B a susceptância.


• As unidades de Y, G e B é Siemens = Ω-1

12.3.2 – Carga desequilibrada:

A carga trifásica é dita ser desequilibrada se pelo menos UMA das três cargas 1φ for diferente das demais.
Exemplo: ZA ≠ ZB = ZC

20
Prof Jean CURSO-CPCE
a) Ligação delta:

Neste caso,
IA = IAB - ICA
IB = IBC - IAB
IC = ICA - IBC , mas

• IL ≠ 3 IF, a corrente de linha NÃO será igual a 3 .IF

• A defasagem entre as correntes de linha ou de fase NÃO será de 120º

• As amplitudes das correntes NÃO serão iguais.

b) Ligação estrela:

Neste caso,
VAB = VAN – VBN
VBC = VBN – VCN
VCA = VCN – VAN , mas

• VL ≠ 3 VF, a tensão de linha NÃO será igual a 3 .VF

• A defasagem entre as tensões de linha ou de fase NÃO será de 120º

• As amplitudes das tensões NÃO serão iguais.

• A soma das correntes NÃO será nula: (IN = IA + IB + IC) ≠ 0


• VNN’ ≠ 0 V, se o sistema for de três fios.
• VNN’ = 0 V, se o sistema for a quatro fios com o neutro aterrado.

12.3.3 – Potências trifásicas:

Tanto para a carga equilibrada em Y como a carga equilibrada em ∆:

P3φ = 3.P1φ, S3φ = 3.S1φ Q3φ = 3.Q1φ , onde

P1φ e P3φ são as potências ativas monofásica e trifásica, respectivamente;


S1φ e S3φ são as potências aparentes(ou totais) monofásica e trifásica, respectivamente;
Q1φ e Q3φ são as potências reativas monofásica e trifásica, respectivamente;

21
Prof Jean CURSO-CPCE

Em função das grandezas de FASE:

ATIVA (P): TOTAL OU APARENTE (S): REATIVA (Q):

Em função das grandezas de FASE:

θ
P3φφ = 3. Vf.If.cosθ S3φφ = 3.Vf.If θ
Q3φφ = 3.Vf.If.senθ
Em função das grandezas de LINHA:

P3φφ = 3. θ
VL.IL.cosθ S3φφ = 3 .VL.IL Q3φφ = θ
3 .VL.IL.senθ

• Potência complexa (S∗):

S∗3φφ = ∗
3 .VL.I L = 3 VL.IL∠θ∗ , onde IL∗ é o CONJUGADO da corrente IL.

Exemplo: Se IL = 4 + j4 A = 32 ∠45º A => IL∗ = 4 – j4 = 32 ∠- 45º A

• Correção de fator de potência para cargas trifásicas:

o Carga equilibrada em ∆:

P[tg (θ i ) − tg (θ f )]
C∆ =
3ωVL2
o Carga equilibrada em Y:

P[tg (θ i ) − tg (θ f )]
CY =
ωVL2
Onde, C∆ e CY são as capacitâncias desejadas em cada fase para corrigir o fator de potência de cosθi para
cosθf.

Em termos de potência reativa:

• Q∆ = C ∆ .3.ωVL2 = P[tg (θ i ) − tg (θ f )]

• QY = CY .ωVL2 = P[tg (θ i ) − tg (θ f )]

22