Você está na página 1de 21

UNIDADE 5.2 CIRCUITOS TRIFÁSICOS DESEQUILIBRADOS

5.2.1 – CARGAS NÃO EQUILIBRADAS

Cargas trifásicas são definidas como não equilibradas se pelo menos uma impedância de uma das fases difere das restantes.

5.2.2 – CARGAS NÃO EQUILIBRADAS EM

Inicialmente, calculam-se as correntes de fase dadas por:

&

I

ab

=

&

V

ab

&

Z

ab

;

&

I

bc

=

&

V

bc

&

Z

bc

;

&

I

ca

=

&

V

ca

&

Z

ca

.

A seguir, calculam-se as correntes de linha dadas por:

I &

a a

'

=

I &

ab

I &

ca

;

I &

b b

'

=

I &

bc

I &

ab

;

I &

c c

'

=

I &

ca

I &

bc

.

I & ab ; I & c c ' = I & ca I & bc

Exemplo 5.2.1 - Para a seqüência de fases ab-ca-bc (inversa), calcular as correntes de fase e de linha dado a

tensão de linha

&

V ab

= 100 0volts e as impedâncias de fase:

&

Z

&

Z

&

Z

ab

bc

ca

=

=

=

8

4 3

j

6

+

j

20

+

j

10

=

=

5

=

0

20

53,13

36,87

0

.

;

;

&

V

ab

&

V

ca

&

V

bc

=

=

=

100

100

100

0

V ;

120

V ;

120

V .

b c = = = 100 100 100 0 ∞ V ; 120 ∞ V ;

Correntes de fases:

&

I

&

I

&

I

ab

bc

ca

=

=

=

&

V

ab

100

0

=

=

&

Z

&

V

ab

bc

=

10

53,13

120

100

&

Z

bc

&

V

ca

5

100

36,87

120

=

&

Z

ca

20

0

10

=

=

20

5

53,13

A

;

 

+

156,87

120

A

.

A ;

Observe o desequilíbrio em módulo e ângulo das correntes de fase e que a seqüência de fases destas correntes foi mantida com relação aquelas das tensões da alimentação.

Correntes de linha: & I = I & I & = a ' a ab
Correntes de linha:
&
I
= I &
I &
=
a
' a
ab
ca
&
I
I &
I &
=
b
' b
= ab
bc
&
&
I
I &
I
=
c
' c
= bc
ca

10 53,13

+

20

5

156,87

120

20

5

10

120

156,87

∞=

9,26

∞=

20,03

23,35

29,09

37,48

A

146,97

.

;

53,13

∞=

A

A

;

Observe o desequilíbrio em módulo e ângulo das correntes de linha e que a seqüência de fases destas correntes foi mantida com relação aquelas das tensões da alimentação.

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

5.2.3 – CARGAS NÃO EQUILIBRADAS EM Y

Transforma a ligação Y na sua ligação equivalente e, a seguir, proceda de maneira similar ao item anterior.

Exemplo 5.2.2 – Para a carga trifásica ligada em Y e tensões aplicadas na seqüência inversa e mostradas, a seguir, calcule as correntes de linha.

&

Z ao

&

Z

&

Z

&

bo

co

V ab

&

V bc

&

V ca

=

=

=

=

=

=

10

+

j

0

=

10

0

;

 

10

+

j

10

=

14,14

45

0

j

20

=

20

 

90

212

 

90

V ;

212

 

150

V ;

 

212

30

V .

 

.

;

∞ V ;   212 30 ∞ V .   . ; Impedâncias da ligação ∆

Impedâncias da ligação equivalentes à ligação Y:

&

Z ab

&

Z bc

&

Z ca

&

Z

ao

&

Z

+

&

Z

bo

&

Z

co

+

&

Z

co

&

Z

ao

 

&

Z

co

&

&

&

&

&

&

Z

ao

Z

bo

+

Z

Z

co

+

Z

co

Z

ao

 

&

Z

ao

&

&

&

&

&

&

Z

ao

Z

bo

+

Z

&

Z

co

+

Z

co

Z

ao

= bo

= bo

= bo

Z

bo

Correntes de fases:

& V 212 90 ∞ & = ab I = = 10 45 ab &
&
V
212
90
&
= ab
I
=
=
10
45
ab
&
Z
21,21
45
ab
&
V
212
150
&
= bc
I
=
= 5
bc
&
Z
42,43
45
bc
&
V
212
30
&
= ca
I
=
=
7,07
ca
&
Z
30
90
ca
424,26 45 ∞ = = 21,21 45 ∞ ; 20 90 ∞ 424,26 45 ∞
424,26
45
=
= 21,21
45
;
20
90
424,26
45
=
= 42,43
45
10
0
424,26
45
=
= 30
90
;
14,14
45
∞ A
;
105
∞ A
;
60
∞ A
.

;

Observe o desequilíbrio em módulo e ângulo das correntes de fase e que a seqüência de fases destas correntes foi invertida com relação aquelas das tensões da alimentação.

Correntes de linha:

I &

I &

ab

I &

ca

a a

'

=

&

I

&

I

=

10

45

7,07

60

∞=

3,66

15

A

A

;

.

A

;

125,1

66,21

Observe o desequilíbrio em módulo e ângulo das correntes de linha e que a seqüência de fases destas correntes foi invertida com relação aquelas das tensões da alimentação.

Conclui-se, então, que dependendo do desequilíbrio das impedâncias poderá, inclusive, ocorrer mudança da seqüência de fases das correntes com relação à seqüência de fases das tensões que as originaram.

& &

I

b

' b

I

= ab

bc

=

=

5

7,07

105

60

10

5

45

∞=

14,55

105

∞=

11,97

& &

I

c

'

c

I

= bc

ca

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

&

&

&

Problema 5.2.1 – Calcule

I &

I &

I &

V

ao

,

V

V

bo

e

15

∞=

co

14,55

11,97

no exemplo anterior.

;

Z &

&

V Z

Z &

V &

V &

ao

&

bo

co

=

=

=

=

=

=

10

0

3,66

45

90

36,6

125,1

∞=

15

∞=

V

239,4

ao

bo

co

a a

'

14,14

20

205,74

80,1

V

23,8

b b

'

66,21

c c

'

V

.

;

Observe o desequilíbrio em módulo e ângulo das tensões fase-ponto O (ponto comum das cargas) e que a seqüência de fases destas tensões foi mantida com relação aquelas das tensões da alimentação mesmo, tendo-se ocorrido, inversão da seqüência de fases das correntes de linha.

Problema 5.2.2 – Determine as potências dissipadas nas três fases e total no Exemplo 5.2.2.

P

a

=

10

3,66

2

=

134

W

;

P

b

=

10

14,55

2

=

217

W

;

P

c

=

0

 

Problema 5.2.3 – Inverta as fases das tensões

V

bc

eV

ca

do Exemplo 5.2.2 (tensões aplicadas na seqüência direta) e calcule as novas correntes de linha.

Têm-se as correntes:

& V 212 90 ∞ & = ab I = = 10 45 ∞ A
&
V
212
90
&
= ab
I
=
=
10
45
∞ A
;
ab
&
Z
21,21
45
ab
&
V
212
30
&
= bc
I
=
=
5
15
∞ A
;
bc
&
Z
42,43
45
bc
&
V
212
150
&
= ca
I
=
=
7,07
60
∞ A
.
ca
&
Z
30
90
ca
&
&
&
I
I
I
=
10
45
7,07
60
∞=
13,66
a ' a
= ab
ca
&
&
&
I
I
I
=
5
15
10
45
∞=
6,2
111,2
b
'
b
= ab
bc
&
&
&
I
I
I
=
7,07
60
5
15
∞=
7,53
c
'
c
= bc
ca

75

A

99,9

A

;

;

A

.

11,97

2

=

0

W

;

P

abc

=

P

a

+

P

b

+

P

c

=

351

W

.

; ∞ A . 11,97 2 = 0 W ; P abc = P a +

Observe no diagrama fasorial acima as tensões de linha da alimentação e as correntes de linha correspondentes ao Exemplo (5.2.2) e ao Problema (5.2.3). O índice (d) está associado à tensão da alimentação na seqüência direta e as correntes obtidas. O índice (i) está associado à alimentação na seqüência inversa.

5.2.4 – CARGAS COMBINADAS EM E Y

Calculam-se os s equivalentes aos Ys e, a seguir, determina-se o então, de maneira similar aos itens anteriores.

equivalente, procedendo-se,

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

5.2.5 – O SISTEMA Y-Y SEM CONEXÃO DOS NEUTROS (subíndice duplo)

Para o circuito abaixo, têm-se as equações de corrente e de tensões:

abaixo, têm-se as equações de corrente e de tensões: I & a a ' + I

I &

a a

'

+

I &

(

(

Z &

Z &

na'

nc'

+

+

b b

'

Z &

Z &

+

a'a

c'c

I &

c c

'

= 0;

+

Z &

ao

)

I &

a'a

+

Z &

co

)

I &

c'c

(

Z &

nb'

(

Z &

nb'

+

Z &

b'b

+

Z &

b'b

+

Z &

bo

+

Z &

bo

)

)

I &

b'b

I &

b'b

=

E &

na'

=

E &

nc'

E &

nb'

E &

nb'

.

,

5.2.6 – NOTAÇÃO COM SUBÍNDICE SIMPLES

Para o circuito abaixo, têm-se as equações de corrente e de tensões:

abaixo, têm-se as equações de corrente e de tensões: I & a ( Z & +

I &

a

(

Z &

+

g

I &

+

(

Z &

g

+

b

+

Z &

a

Z &

c

)

I &

)

c

I &

I &

c

= 0;

a

(

Z &

(

Z &

g

g

+

Z &

b

+

Z &

b

)

)

I &

I &

b

b

=

=

E &

E &

c

a

E &

b

E &

b

.

,

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

Exemplo 5.2.3 – Para o circuito do item anterior, dados as tensões e as impedâncias:

&

E

1.000

a = +

j

0

=

&

E

b

=

500

j

866

&

E

c

=

500

+

j

866

1.000

0

V

;

=

1.000

120

V

;

=

1.000

120

V

.

&

Z

&

Z b

&

a

Z

&

Z

c

g

= 20

20

+

j

=

28,284

 

50

= 0

+

j

=

50

0

;

= 52

30

+

j

=

60,033

=

2

+

j

8

=

8,246

45

;

60,018

.

75,964

;

Calcule as correntes de linha, as tensões de fase e de linha na carga.

Respostas:

&

I

&

I

&

I

a

b

c

=

=

=

16,024

22,486

20,68

34,841

A

;

A

152,519

70,81

A

;

;

&

V

a

&

V

b

&

V

c

453,23

=

=

=

1.124,3

1.241,5

10,159

V

;

152,519

130,828

V

;

V

;

&

V

ab

&

V

bc

&

V

ca

1.562,8

=

=

=

1.470

1.523,4

22,527

V

;

97,26

V

;

V

145,655

;

Problema 5.2.4 – Para o circuito do Exemplo 5.2.3, inseriu-se dois wattímetros:

W a percebendo a corrente

&

I

a

e a tensão

&

V

ab

na carga e o outro,

e de W

1.470

W

.

1.562,8

c

c

percebendo a corrente

16,024

cos (22,527

20,68

cos (( 97,26

∞+

&

I

c

e a tensão

&

V

cb

na carga. Calcule:

W

.

W

;

a) Calcular as leituras de

W

W

a

c

=

=

V

ab

V

cb

I

a

I

c

cos

cos

(

(

V &

ab

V &

cb

W

a

I &

I &

c

a

)

=

)

=

( 34,841 ))

=

70,81 )

∞ =

13.503,8

29.743

180 )

b) Comparar a soma das leituras de

W

a

e de W

c

com a soma das potências reais da carga trifásica.

a

P

a

+

+

W

c

=

13.503,8

P

b

+

P

c

=

20

+

W

29.743

2

+

=

43.246,8

50

22,486

W

2

;

+

20,68

Observe que mesmo nas cargas desequilibradas, o método dos dois wattímetros continua válido para a medição da potência real de uma carga trifásica.

16,024

30

2

=

43.246,3

W

W

a

+

W

c

.

Problema

para abaixo, sabendo-se que:

necessárias

5.2.5

Estabelecer

I

1

determinar

as

no

equações

circuito

As impedâncias dadas estão em s;

&

Z

&

Z

&

Z

&

E

&

E

1

2

=

=

3

na

nb

=

=

=

j

5

;

10

;

;

V

0

90

;

V

10

j

100

100

10

j

+

.

= = = j 5 ; 10 ; ; V 0 90 ∞ ∞ ; V

Solução:

Número de nós = N=4 (nós n, c, d e e);

Número de equações de correntes independentes = I - = N 1 = 4 1 = 3 ; Equações de corrente:

&

I

&

I

&

I

4

5

6

=

=

=

&

I

&

I

&

I

1

2

1

+

+

&

I

&

I

&

I

2

3

3

;

;

.

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

Número de ramos = R – 6 (ramos nae , nd , nbc , cd , ce e de ); Número de equações de tensões independentes = T - R I = 6 3 = 3 ; Equações de tensões:

&

Z

Z &

Z &

b

n

2

I &

I &

1

3

(

I &

1

+

+

Z &

1

Z &

I &

3

2

I &

(

)

2

I &

Z &

2

+

Z &

3

n

I &

(

3

I &

I &

3

=

E &

nb

)

2

+

+

Z &

I &

a

3

)

(

I &

;

1

+

Z &

1

I &

3

I &

2

)

=

= 0.

E &

na

;

,

&

Resolvendo o sistema de equações acima, obtém-se: I = 5,36

1

j2,9 = 6,09

151,58A

.

5.2.7 – O SISTEMA Y-Y COM CONEXO DOS NEUTROS

∞ A . 5.2.7 – O SISTEMA Y-Y COM CONEXO DOS NEUTROS & Sugestão : Correntes

&

Sugestão: Correntes de laço ( I

retornando pelo neutro. Dessa forma

I &

on '

1

,

=

&

I

I &

1

2

+

e

I &

2

5.2.8 – O SISTEMA Y -

&

I

+

3

) onde

I &

3

.

I &

1

=

I &

a a

'

,

I &

2

=

I &

b b

'

e

I &

3

=

I &

c c

'

com

&

I

1

,

&

I

2

e

&

I

3

3 = I & c c ' com & I 1 , & I 2 e

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

Determinam-se, inicialmente, as correntes de laço

&

I a

&

I b

I &

&

I ab

= I &

=

I &

1

I &

2

I &

1

2

+

1

2

+

I &

I &

3

3

=

c

&

I bc

&

I ca

= I &

= I &

= I &

3

&

I

1

,

&

I

2

e

&

I

3

. A seguir:

Problema 5.2.6 – Para o sistema Y-acima, com as tensões e as impedâncias:

&

E

&

E b

&

E

c

a

=

=

=

1.350

+

j

0

=

1.350

0

V

;

675

j

1.170

=

1.350

120

V

;

675

+

j

1.170

=

1.350

 

120

V

.

&

Z

&

Z

&

ab

bc

Z ca

Calcularam-se as correntes de linha, em ampères:

I = 70,6 20, 4 ∞ a ∑ I = 28,5 161,7 ∞ . b
I
= 70,6
20, 4
a
I
= 28,5
161,7
.
b
I
= 51,5139,4 ∞
c

Pede-se a potência total gerada no gerador trifásico.

1.350

P gerador

=

1.350

70,6

cos (0

(

20,4 ))

+

=

40

+

j

60

;

=

100

+

j

0

;

=

50

j

20

;

28,5

cos (

120

(

1.350

51,5

cos (120

139,4 )

∞ =

183,6

kW

.

&

Z

&

Z

g

L

0,1

= +

0,9

= +

161,7 ))

+

1,5

j

j

0,5

;

.

Problema 5.2.7 - Para o mesmo problema anterior, usando a ligação Y equivalente, calcular as tensões e

correntes Vab ,Vbc , Vca ,Iab , Ibc , Ica e a potência na carga trifásica com ligação triângulo.

da

estrela equivalente ao do exercício anterior (Problema 5.2.6). Obtém-se:

(Problema 5.2.6). Obtém-se: ∑ ∑ ∑ ∑ ∑ ∑ ∑ ∑ Calculando-se as impedâncias Z a

Calculando-se as impedâncias Za , Zb e Zc

Z

Z

Z

ab

bc

ca

= 56,31

72,11

;

Z

a

=

= 100

0

;

Z

=

53,85

= 21,80

 

;

b

Z

c

=

20,03

22,57

 

;

37,15

44,42

;

27,75

33,64

;

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

Cálculo das tensões das fases ao ponto comum (n) das cargas.

V

an

∞

= 20, 4 x20,03

70,6

22,57
22,57

∞ =

1.414,12

2.17
2.17

∞ =

1.413,1

j53,55V

+

V

bn

∞

= 161,7 x37,15

28,5

44, 42
44, 42

∞ =

1.058,78

117, 28

∞ =

485,3

 

j941,02V

V

cn

∞

= 51,5139, 4 x27,75

33,64
33,64

∞ = 1.429,13105,76

cn ∞ = 51,5139, 4 x27,75 33,64 ∞ = 1.429,13105,76 ∞ = 388, 2 + j1.375,4V

∞ = 388, 2

+ j1.375,4V

Cálculo das tensões de linha na carga trifásica.

 

V

ab

= V

an

+

V

nb

=

1.414,12

2,17
2,17

1058,78

117,28

∞ =

2.143

∞ = 2.143 27,65 V ∞

27,65 V

 

V

bc

= V

bn

+

V

nc

=

1.058,78

117, 28

1.429,13105,76

1.429,13105,76 ∞ = 2.318,5 ∞ 92,4 V

∞ =

2.318,5

∞

92,4 V

V

ca

= V

cn

+

V

na

=

1.429,13105,76

= 1.429,13105,76 ∞

1.414,12

2,17
2,17

∞ =

2.234,3143,7 V

∞ 2.234,3143,7 V

Cálculo das correntes de fase na carga com ligação triângulo.

&

I

&

I

&

I

ab

bc

ca

=

=

=

&

V

ab

2.143

27,65

&

Z

&

V

ab

bc

&

Z

bc

72,11

2.318,5

56,31

92,4

100

0

=

=

=

=

29,72

23,18

&

V

=

2.234,3

143,7

&

Z

ca

53,85

21,80

ca

=

41,49

28,66

A

;

92,4

A

165,5

A

.

;

Cálculo da potência na carga trifásica com ligação triângulo.

P

=

P

ab

+

P

bc

+

P

ca

=

40

29,72

2

+

100

29,18

2

+

50

41,49

2

=

175,13

kW

.

Problema 5.2.8 - Comparar potência gerada com a potência total consumida no circuito do Problema 5.2.6. Potência gerada = 183,6 kW (Problema 5.2.6);

Potência consumida no gerador = 0,1

Potência consumida na carga = 175,13 kW (Problema 5.2.7); Potência total consumida = 0,845 +7,604 +175,13 = 183,6 kW = Potência gerada.

Potência consumida na linha = 0,9

70,6

70,6

2

+

2

+

0,1

0,9

28,5

2

28,5

2

+

+

0,1

0,9

51,5

51,5

2

=

0,845

2

=

7,604

kW

;

kW

;

5.2.9 - EFEITOS DA SEQÜÊNCIA DE FASES

A menos que seja explicitamente informado, a expressão “Seqüência de fases” refere-se à seqüência de fases das tensões. Deve-se recordar que, em sistemas não equilibrados, as correntes de linha e de fase têm

sua própria seqüência de fases que podem ou não ser, iguais à da tensão. Veja Exemplo 5.2.2. Com a alternância da seqüência de fases das tensões da alimentação, destacam-se os efeitos seguintes:

A) - Sistema equilibrado

1. É invertido o sentido de rotação de motores de indução polifásicos;

2. No método dos dois wattímetros para medição de potência real, ocorre a permuta de suas leituras;

3. Porém os módulos de correntes e tensões não são alterados.

B) - Sistema não equilibrado

1. Em geral, causará alterações nos módulos bem como nas fases de certas correntes nos ramos;

2. Porém os Watts e os VARs totais gerados permaneçam os mesmos.

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

Exemplo 5.2.4 – Observe o efeito da inversão da seqüência de fases da tensão de alimentação nos módulos e fases das correntes da carga conectada em , indicada ao lado. a) Tensões na seqüência inversa (Exemplo 5.2.2):

&

&

&

V ab

&

I

ao

=

=

212

3,7

90

V ;

15

A;

&

I

V

bc

=

212

bo

=

14,6

150

V ;

125,1

A;

V ca

&

I

co

=

212

30 ∞ V . 66,2 ∞ A. 150 V. ∞ 99,9 ∞ A.
30
V .
66,2
A.
150 V.
99,9
A.

=

12,0

212

b) Tensões na seqüência direta (Problema 5.2.3):

&

V ab

&

I

ao

=

=

212

13,7

90

75

V ;

A;

&

V

&

I

bc

bo

=

=

212

6,2

&

30

V ;

111,2

A;

V ca

&

I

=

co

=

7,5

& 30 V ; ∞ 111,2 A ; ∞ V c a & I = c

5.2.10 – MÉTODO PARA VERIFICAÇÃO DA SEQÜÊNCIA DE FASES DE TENSÕES

Há dois métodos gerais para a verificação da seqüência de fases de tensão; um, baseado no sentido de rotação de motores de indução; o outro, em características de circuitos polifásicos não equilibrados.

5.2.10.1 – Método do Sentido de rotação de motores de indução polifásicos

Pequenos motores de indução polifásicos, que foram previamente aferidos para uma determinada seqüência de fases conhecida, podem ser empregados para verificar a seqüência de fases de um dado sistema. O princípio de operação deste método envolve a teoria de campos magnéticos girantes.

5.2.10.2 – Uso de Características de Circuitos Polifásicos não Equilibrados

5.2.10.2.1 - Método das duas Lâmpadas

Definem-se, arbitrariamente, as fases de linha a, b, e c para o circuito ao lado.

Método: Se a lâmpada ‘a’ brilhar mais que a lâmpada ‘b’, então, a seqüência de fases é ABC (seqüência direta) e, caso contrário, é seqüência CBA (inversa).

Veja comprovação numérica no Exemplo 5.2.5.

(inversa). Veja comprovação numérica no Exemplo 5.2.5. Exemplo 5.2.5 – Com a finalidade de ilustrar o

Exemplo 5.2.5 – Com a finalidade de ilustrar o efeito da inversão da seqüência de fases sobre módulos das tensões de fase e de correntes de linha, considere o circuito ao lado, onde:

&

&

V

ab

&

=

100

0

V ;

&

&

V

bc

=

100

120

V ;

&

V

ca

=

100

120 V.

Z

ao

= 100

;

Z

bo

= j100

;

Z

co

= 100

;

Solução:

Para as correntes de laço

&

I

1

e

&

I

2 indicadas têm-se as equações:

& I 1 e & I 2 indicadas têm-se as equações: CIRCUITOS ELÉTRICOS PARA MECATRÔNICA (FEELT49050)

Unidade 5.2 - Circuitos Trifásicos não Equilibrados

Z

c

a

Z

1

I

+

I 2

+

1

(I

Z

b

b

Z

(I

+

1

+

)

)

I

2

I

2

=

=

V

a 'b'

V

c'b'

(Z

Z

a

b

+

Z

b

)

Z

b

+

Z

c

Z

b

=

100

100

+

j0

60

100

+

j100

j100

100

=

10.000

+


j20.000 =

+

 

j100

j100

I

I

1

2

=

 

100

100

22.360, 7

  ⇒ 60 ∞  63, 435 ∞ & &
60 ∞
63, 435 ∞
&
&

Resolvendo para as correntes de laço

I

1 e indicadas, têm-se:

I

2

100 100 &  j  & & 1 = = + 18.660,25 j 5.000
100
100
&
j
&
&
1
=
= +
18.660,25
j
5.000
I
=
=
0,573
j
0,646
=
0,864
48,435
A
;
1
1
&
100
60
100
+ j
100
100
+ j
100
100
&
&
&
2
=
=
3.660,25
+ j
3.660,25
I
=
=
0,0732
j
0,220
=
0,231
71,565
A
;
2
2
&
j 100
100
60
Tensões de fase, de linha e correntes de linha:
&
= Z &
I &
=
86,4
48,435
V
;
&