Você está na página 1de 87

Bem-vindos

Dispositivos de proteção
Lançamentos !!!!

Lâmpadas Alumbra
Linha INOVA

Filme linha Inova


Ficha de cadastro, um ítem importante
Preencha de forma correta e completa os campos da ficha de cadastro. Assim a
Alumbra fará uma linha direta com você e mantê-lo atualizado sobre novidades e
lançamentos. www.alumbra.com.br/linhadireta
Objetivo do Treinamento

Tipos de proteção em quadros de distribuição

 Sobre corrente

 Características Técnicas dos Disjuntores


Termomagnéticos ALBR e ALBR6

Diferença dos Disjuntores DIN x NEMA

Interruptor Diferencial Residual

Dispositivo de Proteção contra surto de


tensão
ELETRICIDADE BÁSICA

O QUE É PROTEÇÃO NA
INSTALAÇÃO ELÉTRICA?

É a garantia de segurança obtida


através da utilização de dispositivos
de proteção, tais como: disjuntores,
interruptores diferenciais residuais-
IDR e dispositivos de proteção
contra surtos de tensão-DPS.
São os dispositivos de proteção
que garantem a preservação do
patrimônio e a integridade de
seus usuários.
ELETRICIDADE BÁSICA

O QUE SÃO DISJUNTORES?

São dispositivos elétricos que protegem a instalação elétrica contra


sobre-correntes. Fazem isso automaticamente quando ocorre alguma
irregularidade no circuito elétrico.
Os disjuntores oferecem dupla proteção: térmica contra
sobrecargas e magnética contra curto circuitos.
Filme Dispositivos de Proteção
SOBRECARGA

Ocorre quando a intensidade de corrente elétrica é algumas vezes


maior que a capacidade nominal do circuito elétrico e seus
componentes (condutor, tomadas, interruptores, disjuntores, etc...).

Algumas
vezes
superior!!!
SOBRECARGA

Quase sempre a sobrecarga é causada pela ligação de vários


aparelhos ao mesmo tempo e no mesmo circuito. Esta conduta
provoca um aquecimento, danificando os componentes e expondo ao
risco de incêndio.
SOBRECARGA

Ligação de muitas lâmpadas ocasionando sobrecarga nos condutores e no interruptor.

Neutro

Fase
PROTEÇÃO TÉRMICA – NBR60898
Dentro do disjuntor existe um componente chamado de BI-METAL.

BIMETAL DE
ALTA PERFORMANCE

Ajuste de atuação do Bi- metálico

CORRENTE TEMPO DE
ELÉTRICA ATUAÇÃO

t ≥ 1h (In ≤ 63A)
1,13 x In
t ≥ 2h (In > 63A)

t < 1h (In ≤ 63A)


1,45 x In
t < 2h (In >63A)  

1s < t < 60s


(In ≤ 32A)
2,55 x In
1s < t ≤ 120s
(In > 32A)
COMO FUNCIONA O BI-METÁLICO?

Trata-se de uma barra


de metal produzida a
partir de duas ligas
especiais de metais
nobres.
Uma vez resfriado, o BI-METAL
voltará a sua forma original e
estará pronto para atuar
novamente caso haja um novo
aquecimento.

É exatamente esta
propriedade que faz do Bi- Estes metais quando
metal um componente expostos a uma
especial. temperatura elevada
dilatam e deformam
ativando o
disparador que
abrirá o circuito e
preservará a
instalação.
FUNCIONAMENTO DO BI-METÁLICO

Bi-metálico em Mecanismo
estado inicial apoiado Bi-metálico dilatado

Disjuntor desliga
Mecanismo
Mecanismo
de disparo
disparou
CURTO CIRCUITO
Ocorre quando a intensidade da corrente elétrica é muitas vezes superior a
corrente nominal do circuito elétrico e seus componentes.

Muitas
vezes
superior!!!
COMO ATUA O DISJUNTOR EM CASO DE CURTO CIRCUITO?

Dentro do disjuntor existe um componente chamado BOBINA.


Trata-se de um cilindro com espiras de cobre nu esmaltado
especialmente dimensionado para atender a corrente nominal de cada
disjuntor. Faz parte da bobina um eixo móvel que está localizado no
centro desta.

Bobina de Alta
Performance

Eixo Móvel
COMO FUNCIONA A BOBINA MAGNÉTICA?

A bobina magnética quando exposta a uma corrente bastante


elevada criará um campo magnético que causará a movimentação do
eixo interno responsável pelo acionamento do disparador.

Espiras da Bobina de Campo Magnético


Alta Performance
ATUAÇÃO DA BOBINA MAGNÉTICA

Mecanismo Bobina Mecanismo solta e desliga o


apoiado magnética disjuntor

Mecanismo Campo Magnético empurra o eixo interno da


de disparo bobina acionando o mecanismo de disparo
COMO ATUA O DISJUNTOR EM CASO DE CURTO CIRCUITO?

Finalmente, outro componente bastante importante nos casos de curto circuito é a


câmara de extinção. Componente que reúne 9 laminas metálicas especialmente
desenvolvidas com a função de fracionar e resfriar o arco voltaico. Uma vez fracionado
e dividido o arco voltaico estará extinto.
Lembre-se: Arco voltaico é “um
fio de luz” que uma vez
presente pode manter a
condução de energia. Por isso
deve ser extinto de forma
rápida e eficaz.
Câmara de
extinção
de arco
Arco voltaico

Lamina de captação
Saída de gáses
de arco
CARGAS INDUTIVA E CARGAS RESISTIVAS

O que são circuitos de cargas de origem “indutiva” e “resistiva” ?.

Circuitos indutivos são aqueles onde a carga instalada ao ser ligada


produz um aumento momentâneo da corrente elétrica (picos de corrente).
Ex: Geladeiras, Máquinas de Lavar, Motores de Bombas etc...

Circuitos resistivos são aqueles onde a carga instalada ao ser ligada não
produz um aumento momentâneo da corrente elétrica (picos de corrente).
Ex: Chuveiro Elétrico, Torneira Elétrica, Ferro de Passar, Aquecedores,
iluminação etc...
CURVA “C” PODE SUBSTITUIR CURVA “B”
Curva tipo B (Atuação instantânea em um tempo menor que 0,1 s com uma
corrente de curto entre 3 a 5 vezes a corrente nominal do disjuntor – In)

Curva tipo C (Atuação instantânea em um tempo menor que 0,1 s com uma
corrente de curto entre 5 a 10 vezes a corrente nominal do disjuntor – In)

Atuação no curto
circuito em um
tempo menor que
0,1 segundos

Tanto o classe B
quanto o classe C são
classe 1 de proteção
– maior proteção

Podemos SIM substituir o curva B pelo curva C


DISJUNTORES RESIDENCIAIS ALBR

 Tensão Nominal (Ue)


AC: 127V~ / 240V~ / 415V~
Frequência: 50/60Hz

 Corrente Nominal (In)


6 a 63A Curva C

 Capacidade de interrupção (Icn)


(corrente máxima de curto circuito)
ABNT NBR NM 60898
127 / 240V~ 4,5 kA
240 / 415V~ 3KA

 Possibilidade de conexão de entrada em ambos os lados


CLASSIFICAÇÃO DAS CORES POR AMPERAGEM
SETA INDICADORA ‘LIGA-DESLIGA’

Indica o estado do disjuntor (Posição da Manopla)

Seta Verde
Seta Vermelha Disjuntor
Disjuntor ligado desligado

Manopla Manopla
levantada abaixada
BORNES E ENTRADA PARA BARRAMENTO

Bornes protegidos

Entrada para barramento


em ambos os lados.

Terminal tipo morsa


para entrada de cabos de
Bornes protegidos
até 25mm²
SEGURANÇA E TECNOLOGIA
Possibilidade de travamento
Manopla colorida
que indica a corrente
Seta indicadora
Liga-Desliga
Bimetal de
Alta Performance
Entrada para
barramento em
Bornes Protegidos ambos os lados

Bobina de Alta
Performance

Saída de gases
Certificação
INMETRO

Presilha de Câmara de dispersão Capacidade de ruptura


de arco de 3 kA
fixação rápida
DISJUNTORES ALBR6 (80A; 100A e 125A)

 Tensão de emprego (Ue)


AC: 127V~ / 240V~/415V~
Frequência: 50/60Hz

 Corrente Nominal (In) = 80 / 100 / 125A

 Capacidade de interrupção (Ics) – ABNT NBR 60947-2


Ics = 6KA

 Curva de Disparo tipo C

 Seta indicadora da posição dos contatos (liga / desliga)

 Possibilidade de conexão de entrada em ambos os lados

 Capacidade do terminal: 1 – 50mm² (cabos)


Medidas dos Disjuntores DIN x NEMA em mm
mm
mm
mm

mm
mm
mm
Espaço interno em Quadros de Distribuição

Disjuntor NEMA - largura de 25mm, Disjuntor


DIN -18mm, portanto podemos instalar 12
pólos dos Disjuntor DIN e somente 8 pólos
dos Disjuntor NEMA, perdendo 30% do
espaço interno.
Característica de Tempo x Corrente
Ensaio realizado em Disjuntores DIN curva B x Disjuntores NEMA

Para verificar a curva “Corrente de Curto x Tempo de atuação”, os disjuntores foram


submetidos a uma corrente crescente (Icn) de 2 x In a 27,4 x In para a medição dos
tempos de atuação e constatar em qual destas correntes é medido um tempo de
atuação inferior a 0,1 segundos.

Disjuntor DIN Icn (A) t(s) DIN t(s) NEMA


atuou com um
tempo menor que 2xIn 43 50
0,1 segundos com
uma corrente de
3xIn 8,1 12 Disjuntor NEMA
4,5 x In
atuou com um tempo
4,5xIn 0,07 4,2 menor que 0,1
segundos com uma
5,9xIn 0,012 2,1 corrente de 27,5 x In
7xIn 0,01 1,6

27,4xIn - 0,09

Fonte www.inmetro.gov.br – Painel Setorial de Disjuntores – 11/10/2005


Classe de Proteção DIN x NEMA em CURTO CIRCUITO
Curva tipo B (Disjuntor desarma antes de 0,1 segundos com uma corrente de 3 a 5
vezes a corrente nominal do disjuntor – In)

Curva tipo C (Disjuntor desarma antes de 0,1 segundos com uma corrente de 5 a
10 vezes a corrente nominal do disjuntor – In)

Disjuntores DIN tem um


tempo de atuação menor
que 0,1 segundos com uma
corrente elétrica de 3xIn a
10xIn, portanto são
classificados como CLASSE
1 de proteção, ou seja,
oferecem “MAIOR
PROTEÇÃO” ao circuito
elétrico
Classe de Proteção DIN x NEMA
Segundo o ensaio do INMETRO, para o disjuntor NEMA desarmar antes de 0,1
segundos, foi preciso uma corrente de curto de 27,4 x In)

Disjuntores NEMA, segundo


o ensaio do INMETRO, tem
um tempo de atuação
menor que 0,1 segundos
com uma corrente elétrica
de 27,4xIn, portanto são
classificados como CLASSE
3 de proteção, ou seja,
oferecem “MAIOR
PROTEÇÃO” ao circuito
elétrico
Preços Din x NEMA

Disjuntor Unipolar NEMA é em média 16% mais CARO que o Disjuntor Unipolar DIN

Disjuntor Bipolar NEMA é em média 98% mais CARO que o Disjuntor Bipolar DIN

Disjuntor Tripolar NEMA é em média 70% mais CARO que o Disjuntor Tripolar DIN
DISJUNTORES EM CAIXA MOLDADA
CARACTERÍSTICA
São disjuntores tripolares utilizados em instalações elétricas com tensão elétrica de
trabalho nominal de até 690V~, com capacidade de suportar altas correntes de curto
circuito. Ex: Construção Civil: Entrada de energia de prédios, Quadros de Elevador /
Industria: Quadros de energia em geral e painéis de máquinas / Comércio: Quadros de
energia em geral.

Os disjuntores em caixa moldada são termomagnéticos fixos, ou seja, eles possuem


bimetálicos para a proteção térmica e bobinas magnéticas para a proteção de curto
circuito.
CORRENTE DE FUGA E RESIDUAL

É toda corrente (energia) que foge do circuito


normalmente por falha na isolação dos fios.

Fase I1
Falha na isolação

I2

Neutro A energia proveniente do “vazamento” pode ir


I1-I2
para a terra através do condutor terra ou na falta
deste, ficar residindo na carcaça dos
equipamentos (eletrodomésticos) até que alguém
ao tocar o equipamento possa fazer o papel de
condutor terra e assim permitir a passagem da
corrente elétrica através de seu corpo.
CHOQUE ELÉTRICO

É a passagem de uma corrente elétrica


através do corpo, utilizando-o como um
condutor. O “estrago” que o choque pode
causar a uma pessoa depende da quantidade
(intensidade) da corrente elétrica, do
caminho que ela faz para atravessar o corpo
e do tempo de exposição.

Os choques elétricos provenientes de


“vazamento de energia” são perigosos podendo
provocar conseqüências muitas vezes de
grande gravidade a vítima, como queimaduras,
fibrilação cardíaca ou até mesmo a morte.

Vídeo Choque elétrico


Video 2
POSSÍVEIS EFEITOS DE CHOQUES ELÉTRICOS
Riscos de acidentes
As lesões provocadas pelo choque elétrico podem ser de quatro (4) naturezas:
INTERRUPTORES DIFERENCIAIS RESIDUAIS

Características Técnicas

 Norma IEC 61008

 Tensão Nominal (Un) 240/415V

 Corrente nominal: 25, 40 , 63 , 80 e 100A

 Capacidade Máx.de Curto Circuito (Inc) 6 KA

 Corrente residual (IΔn) 30mA

 Tempo de atuação ≤ 0,1s

 Capacidade do terminal 1 – 25 mm² (cabos)


0,2 – 2mm (barras)

 Vida util > 10.000 ciclos


INTERRUPTORES DIFERENCIAIS RESIDUAIS
INTERRUPTORES DIFERENCIAIS RESIDUAIS

Esquema de Ligação

F1
F2
F3
N

F+N 2F 3F 2F+N 3F+N


Danos ao patrimônio…
Inpe – Instituto Nacional de Pesquizas Espaciais
Surtos de tensão

Os surtos de tensão são causados na maioria das vezes


por descargas atmosféricas e/ou por manobra nos próprios
circuitos elétricos e são as causas mais frequêntes de
defeitos em equipamentos eletrônicos.

Descarga Direta Descarga Indireta


DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO CONTRASURTOS DE TENSÃO - DPS

Hoje em dia, é possível prevenir estes danos através de instalação de


componentes de proteção contra surtos em redes de energia.
O DPS é o componente responsável por esta proteção em sistemas de baixa
tensão.

???

O DPS desvia o surto de tensão para o sistema de aterramento


DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO CONTRA SURTOS DE TENSÃO - DPS

O DPS é composto por um Varistor associado a um dispositivo


de proteção contra sobrecorrente (Fusível interno de
proteção), que atua em caso de fim da vida útil e
eventualmente se o DPS for submetido a distúrbios elétricos
acima de sua capacidade nominal .

O VARISTOR é o componente O VARISTOR


responsável por desviar o Surto fica dentro
de Tensão para o sistema de desta manta
aterramento. preta

O Fusível é responsável por


proteger a instalação caso o valor
do surto seja maior que a
corrente nominal do DPS.
DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO CONTRA SURTOS DE TENSÃO - DPS

O DPS suporta “mais de uma” aplicação de Surtos com o valor


menor ou igual ao de sua corrente nominal e uma “única”
aplicação de Surtos com o valor entre sua corrente nominal e a
máxima.

DPS Mais de uma aplicação Uma única aplicação

In = 10KA Surto ≤ 10KA 10KA < Surto ≤ 20KA


Imáx = 20KA
In = 20KA Surto ≤ 20KA 20KA < Surto ≤ 45KA
Imáx = 45KA

O DPS Alumbra é de classe II, indicado para ser instalado em


Quadros de Distribuição residencial e atua em um tempo menor
que 25ns (0,000000025 segundos).
Mecanismo interno do DPS

Mola que puxa o


mecanismo quando o
Mecanismo de fusível atua
acionamento

Fusível interno que


atua contra surtos
maiores que sua
capacidade nominal
Mecanismo interno do DPS

Mola puxa o
mecanismo quando o
fusível atua e a
sinalização vermelha
fica visível no display
frontal, indicando que
o DPS está inoperante.
Fusível interno aberto
após um surto maior
que a capacidade
nominal do DPS
DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO CONTRA SURTOS DE TENSÃO - DPS

Protetor de Surto Protetor de Surto


In = 10KA In = 20KA
Corrente Nominal 10KA 20KA
(In)
Corrente Máxima 20KA 45KA
(Imáx)
Nível de proteção 1,35KV 1,5KV
Tensão Nominal 220V~ 220V~
Tensão Máxima
de operação 275V~ 275V~
continua
Frequência 60Hz 60Hz
Tempo de ≤ 25ns ≤ 25ns
Atuação
DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO CONTRA SURTOS DE TENSÃO - DPS

Tabela de referências

Dispositivo de Proteção contra Surtos de tensão


Descrição do Produto Imáx (KA) Referência Embalagem
Protetor de surto – In=10KA 20 8661 1
Protetor de surto – In=20KA 45 8662 1
DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO CONTRA SURTOS DE TENSÃO - DPS
ESQUEMA DE LIGAÇÃO GERAL
ESQUEMA DE LIGAÇÃO
ORDEM DE PROTEÇÃO
1º Dispositivo de proteção contra surtos de tensão
2º Disjuntor Geral
3º Interruptor Diferencial Residual Tetrapolar
4º Disjuntores dos circuitos
Protege contra
fugas de corrente
5º Interruptor Diferencial Residual Bipolar
elétrica

Protege contra
descargas
elétricas

Protege contra
sobrecarga e
curto circuito
Uma gama completa, de alta qualidade e com condições
bastante competitivas!!!
Variedade é importante. Confiança é fundamental.

Engº Daniel Gatti

Email: gatti@alumbra.com.br

Obrigado!
Proteção Térmica – NBR 5410

5.3.4.1 Coordenação entre condutores e dispositivos de proteção

Para que a proteção dos condutores contra sobrecargas fique assegurada,


as características de atuação do dispositivo destinado a provê-la devem ser
tais que:

a) IB ≤ In ≤ Iz ; e
b) I2 ≤ 1,45 Iz

Onde:
IB é a corrente de projeto do circuito;
Iz é a capacidade de condução de corrente dos condutores, nas condições
previstas para sua instalação (ver 6.2.5);
In é a corrente nominal do dispositivo de proteção (ou corrente de ajuste,
para dispositivos ajustáveis), nas condições previstas para sua instalação;
I2 é a corrente convencional de atuação, para disjuntores, ou corrente
convencional de fusão, para
fusíveis.
Proteção contra correntes de curto circuito
NBR 5410

5.3.5.5.2 A capacidade de interrupção do dispositivo deve ser no


mínimo igual à corrente de curto-circuito presumida no ponto onde for
instalado, a menos que haja coordenação com outro dispositivo a
montante

I².t ≤ K².S²

Energia que o condutor suporta (dissipada).

Energia que o disjuntor deixa passar no momento do curto

I = é a corrente de curto circuito presumida (projeto);


t = é a duração do curto circuito, em segundos.
K = Tabelado (característica do condutor)
S = Seção do condutor
Curva Característica dos Disjuntores
Resumo:
1. O DPS deve ser instalado no quadro de entrada antes do disjuntor geral.

2. O DR tetrapolar deve ser instalado depois do disjuntor geral também no quadro de entrada.

3. Os DRs bipolares devem ser instalados depois dos disjuntores auxiliares a cada circuito onde
for indicado.
Funcionamento do Bimetal

Trata-se de uma barra de metal produzida a partir de duas ligas especiais de


metais nobres.
Estes metais quando expostos a uma temperatura elevada dilatam e
deformam ativando o disparador que abrirá o circuito e preservará a
instalação.
Uma vez resfriado, o BI-METAL voltará a sua forma original e estará pronto
para atuar novamente caso haja um novo aquecimento.
É exatamente esta propriedade que faz do Bi-metal um componente
especial.
Portanto, sempre que houver um aquecimento do circuito elétrico e que este
supere algumas vezes a corrente nominal do disjuntor este terá que
interromper a corrente conforme parâmetros previstos na norma NBR 60898
apresentados a seguir:
Alumbra – ALBR x Moeller – PLS4
Manopla colorida
que indica a corrente
Possibilidade de
travamento
Possibilidade de
travamento
Seta indicadora
Bimetal de Seta indicadora Liga-Desliga
Bobina
Alta Performance Liga-Desliga
Magnética

Bimetal de
Bornes Protegidos Alta Performance

Entrada para
Bobina Barramento em
Magnética ambos os lados

Certificação
INMETRO
Presilha de
Presilha de Capacidade de ruptura fixação rápida
de 3 kA
fixação rápida
Capacidade de ruptura
Câmara de dispersão de 4,5 kA
de arco
ELETRICIDADE BÁSICA

Quais são as principais grandezas elétricas?

Corrente Elétrica

Corrente elétrica é o movimento ordenado dos elétrons livres


através de um condutor. Sua unidade de medida é o Ampere,
representado pela letra (A).
ELETRICIDADE BÁSICA

Tensão Elétrica
A Tensão Elétrica é a força responsável pela movimentação dos
elétrons. É medida pela diferença de potencial entre dois pontos.
Normalmente toma-se um ponto que se considera potencial zero
(Neutro) e mede-se a tensão elétrica em relação aos demais pontos.
Sua unidade de medida é o Volt (V)
ELETRICIDADE BÁSICA

Pontência elétrica
É a grandeza que mede a rapidez em transformar a corrente elétrica do
circuito em energia (trabalho). Sua unidade de medida é o Watt (W).

Energia Luminosa Energia Mecânica Energia Térmica

Energia elétrica
É a potência elétrica consumida por um tempo (kWh). No Sistema
Internacional de medidas, a unidade de energia elétrica é o Joule (J). A
conta de consumo de eletricidade da sua residência vem nesta unidade,
portanto J= kWh (Quilo Watt Hora)
ELETRICIDADE BÁSICA

Como descobrir o valor das grandezas responsáveis pelos efeitos elétricos ?

POTÊNCIA (W) = TENSÃO (V) x CORRENTE (A) x FP

P = U x I x FP OU W = V x A x FP

U=P OU V=W
I x FP A x FP

I=P OU A= W
U x FP V x FP
CONSEQUÊNCIAS DA MÁ INSTALAÇÃO ELÉTRICA...
CONSEQUÊNCIAS DE ERROS DE DIMENSIONAMENTO CAUSA
DANOS MATERIAIS SEM PRECEDENTES...
DIMENSIONAMENTO DA CORRENTE DO
DISJUNTOR SEM CONHECER A CARGA

IT = I1 + I2 + I3
Neutro

Cabos de “bitola” de
1,5mm², corrente
máxima de 15,5A
Fase
Interruptores: 10A
I1 I2 I3

Qual o valor da
corrente nominal do
disjuntor a ser
instalado ????

I1 I2 I3
Disjuntor de 10A

IT = I1 + I2 + I3
DIMENSIONAMENTO DA CORRENTE DO
DISJUNTOR SEM CONHECER A CARGA

IT = I1 + I2 + I3
Neutro

Cabos de “bitola” de
2,5mm², corrente I1 I2 I3
Fase máxima de 21A
Tomadas: 10A

Qual o valor da
corrente nominal do
disjuntor a ser
instalado ????

I1 I2 I3

Disjuntor de 20A

IT = I1 + I2 + I3
DIMENSÃO DA CORRENTE DO DISJUNTOR
ATRAVÉS DA CARGA

Para dimensionar corretamente o disjuntor é necessário antes saber calcular


qual é a corrente que irá percorrer no circuito.
Caso este cuidado não seja tomado, toda a instalação poderá estar em risco.

Como calcular a corrente elétrica conhecendo o valor da carga ?

Potência ( W )
Aplicando-se a fórmula: Corrente ( A ) =
Tensão ( V ) x FP

Exemplo de como dimensionar um circuito de chuveiro:


Potência do Chuveiro: 7500 W
P(W) 7500 w
I(A)= logo, I = = 34,09 A
Tensão do Circuito: 220V U(V) 220 V
FP = 1
DIMENSÃO DA CORRENTE DO DISJUNTOR
ATRAVÉS DA CARGA
Qual o valor do Disjuntor para uma corrente de 34,09A ???
Neste caso precisamos de um disjuntor bipolar de 40 A e um fio de 10mm²

Veja o quadro abaixo:


127 V 220V
Aparelhos Potência
Disjuntor Fio (mm²) Disjuntor Fio (mm²)
Ducha 4300 W 40A 6 25A 4
Chuveiro 7500 W  -  - 40A 10
Torneira 4400 W 40A 6 25A 4
Geladeira 150 W 10A 2,5 10A 2,5
Lava-louças 3400 W 32A 4 20A 2,5
Lava-roupas 1200 W 16A 2,5 10A 2,5
Secadora-roupas 4000 W 40A 6 25A 2,5
Microondas 1600 W 16A 2,5 10A 2,5
Microcomputador 145 W 10A 2,5 10A 2,5
CONDUTOR x CORRENTE ELÉTRICA
B1: Cabos unipolares em eletroduto embutido em alvenaria
B2: Cabos multipolares em eletroduto embutido em alvenaria

Seção B1 B2
Nominal 2 Condutores 3 Condutores 2 Condutores 3 Condutores
mm² carregados carregados carregados carregados

0,75 11A 10A 11A 10A

1  14A  12A 13A 12A

1,5 17,5A 15,5A 16,5AA 15A

2,5 24A 21A 23A 20A

4 32A 28A 30A 27A

6 41A 36A 38A 34A

10 57A 50A 52A 46A

16 76A 68A 69A 62A

25 101A 89A 90A 80A


DISJUNTORES UNIPOLARES CURVA C

Referências Descrição

9240 DISJUNTOR ALBR C6/1

9241 DISJUNTOR ALBR C10/1

9242 DISJUNTOR ALBR C16/1

9243 DISJUNTOR ALBR C20/1

9244 DISJUNTOR ALBR C25/1

9245 DISJUNTOR ALBR C32/1

9246 DISJUNTOR ALBR C40/1

9247 DISJUNTOR ALBR C50/1

9248 DISJUNTOR ALBR C63/1


DISJUNTORES BIPOLARES CURVA C

Referências Descrição

9340 DISJUNTOR ALBR C6/2

9341 DISJUNTOR ALBR C10/2

9342 DISJUNTOR ALBR C16/2

9343 DISJUNTOR ALBR C20/2

9344 DISJUNTOR ALBR C25/2

9345 DISJUNTOR ALBR C32/2

9346 DISJUNTOR ALBR C40/2

9347 DISJUNTOR ALBR C50/2

9348 DISJUNTOR ALBR C63/2


DISJUNTORES TRIPOLARES CURVA C

Referência Descrição

9440 DISJUNTOR ALBR C6/3

9441 DISJUNTOR ALBR C10/3

9442 DISJUNTOR ALBR C16/3

9443 DISJUNTOR ALBR C20/3

9444 DISJUNTOR ALBR C25/3

9445 DISJUNTOR ALBR C32/3

9446 DISJUNTOR ALBR C40/3

9447 DISJUNTOR ALBR C50/3

9448 DISJUNTOR ALBR C63/3


ARCO VOLTAICO

VÍDEO DE ARCO VOLTAICO 1

VÍDEO DE ARCO VOLTAICO 2


ACESSÓRIOS DE LIGAÇÃO

Barramento tipo U

Ligação do barramento tipo U +


Cabo simultaneamente
TODOS OS COMPONENTES DA PROTEÇÃO MAGNÉTICA

A calibração da bobina é feita para atender a curva de disparo tipo C


(padronizada para 5 a 10 vezes a corrente nominal do disjuntor – In)

Bobina de Alta
Performance

Eixo metálico

Saída de
gases

Câmara de extinção Lamina de captação


de arco de arco
TREINAMENTO

BEM-VINDOS
INTERRUPTORES DIFERENCIAIS RESIDUAIS

É um dispositivo eletrônico que detecta a fuga de corrente e


interrompe o circuito automaticamente independentemente da
vontade do usuário.
Sua principal missão é evitar choques elétricos acidentais por
contato direto ou indireto, motivados por fuga de corrente que
podem comprometer a integridade física do usuário.

Os interruptores diferenciais residuais IDR interrompem a


energia do circuito sempre que houver uma corrente residual de
fuga entre 15 e 30mA nas instalações elétricas residenciais.
OBS: O fio terra não pode ser ligado n IDR.

Desde 1997 a utilização do IDR/DR de alta sensibilidade é


obrigatória conforme norma da ABNT NBR5410 que padroniza as
instalações elétricas brasileiras.
INTERRUPTORES DIFERENCIAIS RESIDUAIS

Tabela de referências

Interruptores Diferenciais Residuais


Descrição do In (A) Referência Embalagem
Produto

DR 2P – 30mA 25 8568 1

DR 2P – 30mA 40 8569 1

DR 2P – 30mA 63 8570 1

DR 4P – 30mA 25 8571 1

DR 4P – 30mA 40 8572 1

DR 4P – 30mA 63 8573 1
CURTO CIRCUITO

Como ocorre um curto circuito?


É causada pela união de dois ou mais condutores (ex.: fase-
neutro ou fase-fase) criando um caminho sem resistência.

Quais são as conseqüências de um curto circuito?


Provoca um aquecimento elevado, podendo danificar a
isolação dos condutores e ainda, causar sérios danos a saúde
e/ou ao patrimônio.

Vídeo de curto circuito

Vídeo de curto circuito


IDR alta sensibilidade (IΔn ≤ 30mA)– NBR 5410
5.1.3.2.2 – Casos em que o uso de dispositivo diferencial-
residual de alta sensibilidade como proteção adicional é
“OBRIGATÓRIO”

Você também pode gostar