Você está na página 1de 3
Data: / / FichaFichaFichaFicha dededede FormaçãoFormaçãoFormaçãoFormação CívicaCívicaCívicaCívica Tema:

Data:

/

/

FichaFichaFichaFicha dededede FormaçãoFormaçãoFormaçãoFormação CívicaCívicaCívicaCívica

Tema: Educação Ambiental

Nome:

Os Direitos dos Animais

"Entre os direitos do Homem e os direitos do animal não há contradições, mas sim complemen- taridade". Mas até que ponto respeitamos os animais?

Lê os seguintes textos:

Drama de animais abandonados

Os animais

quando bebés são muito queridos, depois crescem, também comem (não são de plástico), têm necessi- dade de cuidados de saúde. Verificada a impossibilidade de os manter, aparece como solução "mila- grosa" o abandono. Depois é vê-los nos canis camarários, verdadeiras câmaras de condenados à morte sem culpa ou, melhor dizendo, pagando com a vida a culpa dos verdadeiros criminosos que são os humanos ao abandoná-los. ( )

A protecção do animal faz parte do grande princípio da protecção da vida em geral. (

)

Jornal de Notícias, 23 de Julho de 2001

Motores assustam golfinhos

Os golfinhos do Sado andam doentes com o barulho das motas de água que insistem em fazer corridas

mesmo ao lado deles. (

)

24 Horas, 28 de Julho de 2001

Experimentação animal e ética

A Fundação Coulston, um laboratório situado no Novo México (EUA), foi palco de mais uma morte, Gina, uma jovem chimpanzé fêmea, morreu devido ao facto de a terem deixado fechada num contentor exposto ao calor tórrido do clima desértico. Tinha 12 anos e teria muitos mais para viver se não tivesse sido retirada aos seus pais e família e encarcerada para experimentação. ( )

Expresso, 28 de Julho de 2001

Apesar de todas as medidas de protecção, os gorilas são uma das espécies animais mais ameaçadas de extinção. A sua caça ilegal continua a atrair muitos furtivos. Proibido por uma convenção internacio- nal, denominada CITES, persiste o comércio de exemplares jovens para jardins zoológicos e circos. Em cativeiro, os primatas (ordem de mamíferos superiores a que também o Homem pertence) exigem condições de acomodação particulares. Porque continuamos a manter exemplares solitários de uma espécie que, na Natureza, desenvolve complexas relações sociais? Porque permitimos que animais sejam fechados em espaços exíguos de pouco mais de 30 m2? Como podemos tolerar a exibição de um animal destruído e psicologicamente doente?

Actividades

Ana Isabel Queiroz, Zoo-Histórias de Portugal, Gradiva

Depois da leitura em voz alta dos vários textos, promove um fórum, no qual todos devem expressar livremente as suas ideias sobre este tema. Podem ser abordadas as seguintes questões:

a. O que entendes por maltratar os animais?

b. Será boa ideia ler animais de estimação? Que animais? Em que condições?

c. É crueldade ter os animais em jardins zoológicos? Mas não são estas instituições que ajudam a

preservar determinadas espécies em vias de extinção?

d. Devem ser usados animais em espectáculos (por exemplo, nos circos)? Porquê? Mas não é ver-

dade que nos proporcionam raros momentos de beleza e divertimento? E que muitas crianças só têm a possibilidade de ver determinados animais, ao vivo, neste tipo de espectáculos?

e. E as touradas? Concordas com elas? Porquê?

f. Os animais devem ser usados em testes de medicamentos e cosméticos? Mas não é através des-

ses testes que surgem muitos avanços na medicina?

Lê o texto seguinte:

Oração de um animal

Alma nobre, ouça meu pedido embora eu não possa falar em meu olhar está esculpido todo o amor que vivo a implorar.

Sou amigo, amigo disposto a defender de todo o mal e toda a agressão, nem que para isso eu tenha que morrer, pois todos sabem que tenho coração. Pensam que sou a tudo indiferente, que não sei o que seja bem ou mal. É certo que sou animal, não gente mas sei compreender o racional.

Reconheço a minha condição, mas sei amar e querer bem. Lembrem-se: eu sou de Deus criação como tudo por Ele foi criado, eu fui também. Nos lares, sou um fiel amigo nas ruas jogado, sou a humildade procurando quem me dê abrigo, sofrendo com fome, sede e saudade.

Rogo por mim e meus companheiros Piedade! E que nosso sofrimento traga a compaixão, Ensinar às crianças essa caridade e dever de amar um pobre cão.

Domingo Magazine, 3 de Outubro de 1999

Gostavas de adoptar um animal? Contacta:

- Sociedade Protectora dos Animais do Porto: 225 898 090

- Liga Portuguesa dos Direitos do Animal, Trofa: 252 418 008

- Liga Portuguesa dos Direitos do Animal, Lisboa: 214 581 818

- Instituto Zoófilo Quinta Carbone, Queluz: 214 379 903

- Associação de Protecção dos Animais Abandonados do Cartaxo: 917 530 850 -Associação SOS dos Animais, Moura (Alentejo): 285 252 837

Protecção dos Animais Abandonados do Cartaxo: 917 530 850 -Associação SOS dos Animais, Moura (Alentejo): 285