Você está na página 1de 38

CENTRO CULTURAL

GASTRONÔMICO DE
PERNAMBUCO

Em mundo globalizado, como o que vivemos hoje, é normal vê a facilidade com
que as culturas de diferentes lugares se fundem, gerando assim novas culturas.
Essa Globalização se da em vários setores inclusive no da gastronomia. Hoje em
dia é comum encontrar na maioria dos restaurantes releituras de pratos típicos de
determinadas regiões. Aqui em Pernambuco não é diferente. Uma pesquisa feita
em cerca de 40 restaurantes mais frequentados na região metropolitana do Recife
revelou que apenas sete dos mesmos apresentavam em seus cardápios pratos
típicos da culinária pernambucana, enquanto os demais apenas releituras ou ate
mesmo não tinham nenhum item que fosse típico da culinária do estado.
Com a expectativa de preservar a rica culinária pernambucana e de difundir entre
a população do estado e os turistas que nos visitam, a história e os sabores
originais de Pernambuco é que surge conceito do Centro Cultural Gastronômico de
Pernambuco. Um espaço pensado e desenvolvido com objetivo de fazer com que
seus visitantes aprendam sobre a origem e como é feita a culinária pernambucana,
apreciem os pratos típicos e se apaixonem ainda mais pela gastronomia do estado.

ESTUDOS DE CASOS

Para se formular o programa de necessidades, foi
realizado dois estudos de casos:
 Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga –
Brasil/Pernambuco - Seu foco é o regionalismo
 Centro Gastronômico Cultural Bellavista Chile/Santiago - Seu foco é a gastronomia em geral.
Além de contribuir para formação do programa de
necessidades, eles também contribuíram para a
concepção da volumetria e para a escolha das
tecnologias e dos materiais a serem utilizados.

 Centro Gastronômico Cultural Bellavista .

LOCALIZAÇÃO   O Centro Gastronômico Cultural Bellavista é um dos edifícios que integram o novo polo turístico de Santiago. situado no centro do bairro da Providência. região Metropolitana de Santiago possui uma localização estratégica: é vizinho ao acesso do Parque Metropolitano. a Casa Museo La Chascona del Poeta Pablo Neruda. e o Pátio Bellavista. o zoológico. Vista aérea do bairro da Providência – Fonte: Archdaily Vista aérea do bairro da Providência – Fonte: Archdaily .

Arquitectos y asociados). tendo como responsáveis Martin Bodas. Alejandro Anger. Martín Bodas Rodolfo Miani Fernando Alvariñas Rodrigo Bóscolo Alejandro Anger Ruben Rodríguez . Fernando Alvariñas.AUTORES DO PROJETO   O projeto foi desenvolvido pela BMA (Bodas Miani Anger. Rodrigo Bóscolo e Ruben Rodrígez. Rodolfo Miani.

. Os arquitetos responsáveis buscaram com um jogo entre cheios e vazios gerar uma relação estreita entre a edificação e o entorno.PARTIDO ARQUITETÔNICO   O terreno utilizado para a construção do Centro Cultural Bellavista foi o ponto de partida para a elaboração do projeto.

PROGRAMA DE NECESSIDADES              Bodega (20) Restaurante (9) Estacionamento (343 vagas) Administração Mercado (5) Banheiro Serviço Vestuário Sala de reuniões Bicicletario Refeitório para funcionários Sala de exposições .

. Dryvit (EIFS). Prodema.MATERIAIS CONSTRUTIVOS        Estrutural Concreto armado tradicional Acabamentos externos Concreto armado aparente. Painéis de vidros térmicos. Pisos externos Pedra natural com grama.

.

.

Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga  .

LOCALIZAÇÃO   O Museu Cais do Sertão Luiz Gonzaga é um dos edifícios que integram o novo polo turístico da cidade do Recife. . no Marco Zero. Recife Antigo. situado na Rua Alfredo Lisboa.

Cícero Ferraz Cruz. Gabriel Guinspum. Fabiana Paiva. colaboradores Anne Dieterich. estagiários Laura Ferraz. Francisco Fanucci Marcelo Ferraz .AUTORES DO PROJETO   O projeto foi desenvolvido pela Brasil Arquitetura. Julio Tarragó e André Carvalho. Gabriel Mendonça. Felipe Zene. tendo como autores Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz. Anselmo Turazzi. Luciana Dornellas e Victor Gurgel. Fred Meyer. Beatriz Marques. coautor Pedro del Guerra.

O galpão estava condenado e precisou ser demolido. . um deles deu origem ao partido arquitetônico. mas logo foi reerguido dando origem a volumetria inicial do projeto.PARTIDO ARQUITETÔNICO   A implantação tira proveito de uma antiga área destinada aos galpões do porto.

PROGRAMA DE NECESSIDADES                  Praça do Juazeiro Acolhimento Sala de espetáculo multimídia Ocupar: a história de ocupação do sertão Viver: Objetos de uso cotidiano e filme sobre comida do sertão Cantar: espetáculo audiovisual Trabalhar: Instrumento de trabalho Migrar: estação multimídia Crer: “mata” de monstros coloridos e relíquias religiosas Criar: cultura material Praça do Mandacaru Administração Galeria de arte urbana para exposições temporárias Instrumentos musicais para experimentação e oficinas Estúdio de gravação experimentação Discografia completa de Luiz Gonzaga .

onde foram utilizados os materiais originais que havia no local:  estrutura metálica de cobertura. .MATERIAIS CONSTRUTIVOS  O centro cultural é composto por uma reconstrução de um antigo galpão do porto.  concreto aparente pigmentado de amarelo buscando uma possibilidade com a luz do sertão. com a cor do solo e a pedra permitindo um vão de 60 metros.  alvenaria com massa.

.

ANÁLISE DO TERRENO .

O TERRENO   O terreno escolhido para implantação do Centro Cultural fica localizado no bairro da Boa Vista.236. Os lotes a serem unificados para a implementação do projeto. .81 m². nº 560 e 540. estão situado na Rua João Fernandes Vieira e possui juntos uma área de 4.

Proximidades: • • • • • Parada de ônibus .17 metros Faculdade IBGM .108 metros Subway .27 metros • Bompreço .ENTORNO DO TERRENO  O terreno encontra-se numa área privilegiada do bairro da Boa Vista.105 metros A maioria das pessoas que circulam a pé pelo local são os moradores e as que trabalham próximo.96 metros Nuce . • Hotel .190 metros .61 metros Hospital de fraturas .

ACESSOS  O acesso ao terreno se dá exclusivamente pela Rua Fernandes Vieira. .

O serviço de drenagem encontra-se um pouco deficiente.ASPECTOS INFRA ESTRUTURAIS  O terreno conta com o serviço de saneamento básico e drenagem urbana. ocorre alagamento no local. tendo em vista que no período em que acontecem fortes chuvas.   .

0  Gabarito de Altura: Livre  Taxa de Solo Natural: 25% (vinte e cinco por cento)  Afastamentos: • Frontal: 5 metros • Lateral: 3 metros • Fundos: 3 metros .PARÂMETROS CONSTRUTIVOS   Coeficiente de Utilização: Básico – 3.

CENTRO CULTURAL GASTRONÔMICO DE PERNAMBUCO  .

PARTIDO ARQUITETÔNICO   A ideia inicial era utilizar o máximo do potencial construtivo do terreno sem que pra isso precisasse verticalizar a edificação. . Foi feito então dois blocos que ocupam quase toda a extensão do terreno. Já o segundo bloco está localizado na parte de traz do terreno e é possível velo quando se transita pela rua ou pela calçada.  No primeiro bloco que fica situado na parte da frente do terreno foi criado um jogo de cheios e vazios com fechamento em vidro entre os quatro pavimentos que compõe o bloco. deixando apenas livre os afastamentos exigidos por lei e as áreas de circulação para veículos. buscando assim despertar. nos que passam pelo o local. a curiosidade e o desejo de entrar para conhecer o interior da edificação. graças a sua forma de trapézio.

ZONEAMENTO  .

ZONEAMENTO  .

ZONEAMENTO .

1 1 3 1 1 AMBIENTE Recepção Salão de exposições fixas Loja BWC Feminino BWC Masculino ÁREA (m²) 100 300 150 30 30 PAVIMENTO TÉRREO TÉRREO TÉRREO TÉRREO TÉRREO USO Público Público Serviço Público Público 1 1 1 Estacionamento Guarda volumes Área de Carga e Descarga   40 75 TÉRREO TÉRREO TÉRREO Público/ Funcionários Público Serviço 1 1 1 Salão Multiuso (exposições/ eventos) BWC Feminino BWC Masculino 500 30 30 1º Pavimento 1 º Pavimento 1 º Pavimento Público Público Público 1º Pavimento Restrito (Funcionários) 1 º Pavimento Restrito (Funcionários) 1 1 Vestiário Administração 30 140 .PROGRAMA  PROGRAMA   Quan t.

AMBIENTE 1 Almoxarifado 15 1 Auditório 140 1 BWC Feminino 30 1 BWC Masculino 30 3 Sala de aula 150 1 Sala dos Professores 30 1 Sala dos Monitores 30 2 Cozinha.PROGRAMA   ÁREA (m²) Quan t.Laboratório 100 1 Biblioteca 130 1 Frigorifico/ Dispensa 20 1 BWC Feminino 30 1 BWC Masculino 30 2 Sala de vídeo 240 2 Restaurante 800 PAVIMENTO 1º Pavimento 1º Pavimento 1º Pavimento 1º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 2º Pavimento 3º Pavimento USO Restrito (Funcionários) Público Restrito (Funcionários) Restrito (Funcionários) Público Restrito (Funcionários) Restrito (Funcionários) Público Público Restrito (Funcionários) Público Público Público Serviço .

SETORIZAÇÃO  .

SETORIZAÇÃO  .

reduzindo assim a sensação térmica dentro da edificação e contribuindo para um melhor micro clima na região.CONFORTO TÉRMICO   A edificação contará com um sistema de ar condicionado central. A torre de refrigeração está situada na parte de trás do segundo bloco e o ar climatizado será conduzido aos demais espaços através de dutos. Toda a coberta da edificação será coberta por vegetação rasteira. .

.

.

.

 Centro Universitário Mauricio de Nassau Arquitetura e Urbanismo Projeto de Arquitetura e Urbanismo VI Docente: Genésio Leão Discentes: Tatiane Lima – 01068746 Thácylla França .01067939 .