P. 1
Discurso Do Sujeito Coletivo

Discurso Do Sujeito Coletivo

|Views: 13|Likes:
Publicado pordylhi

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: dylhi on Sep 13, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/02/2015

pdf

text

original

Metodologia da Pesquisa Aluna: Dyliane Gomes FA01 TURMA: 01

Discurso do Sujeito Coletivo - DSC é uma técnica de
pesquisa qualitativa criada para fazer uma coletividade falar, como se fosse um só indivíduo.

Foi desenvolvida pelos professores Fernando Lefevre e Ana Maria Cavalcanti Lefevre, da Universidade de São Paulo e do Instituto de Pesquisa do Discurso do Sujeito Coletivo (IPDSC) a qual é uma instituição privada criada em 2005 por pesquisadores provenientes da USP.

Consiste basicamente em analisar o material verbal coletado em pesquisas que tem depoimentos como sua matéria prima, retirando de cada um destes depoimentos as ideias centrais ou ancoragens e as suas correspondentes expressões chave com semelhança, pois através destas que se compõe um ou vários discursos-síntese que são os Discursos do Sujeito Coletivo.

Exemplo 1
Querido Governador Por favor gostaria de merecer um pouco de sua atenção, quem lhe escreve é uma das participantes da frente de trabalho. Antes de vocês criarem esta frente de trabalho, eu estava desempregada e quando vocês a criaram, ela foi a solução dos meus problemas, agora posso comprar o que eu preciso, não tudo, mas o importante. Fiquei muito feliz quando vi meu nome na lista dos selecionados. Sou arrimo de família, tenho 5 filhos e sou separada. Vivo da ajuda de familiares, mas agora que trabalho pela frente aliviou um pouco a barra. Há dez anos que enfrento os obstáculos da vida, pois meu marido se encontra em uma cadeira de rodas devido a um tiro que levou na coluna. Portanto ele não pode dar pensão alimentícia para as crianças. Na minha casa eu não tenho nem uma cama para dormir. Eu durmo no chão, moro no barraco que nem comento tem no chão. Estou muito contente porque antes eu e meus filhos passávamos muita necessidade, mas depois que comecei a trabalhar na frente nunca mais faltou comida e nem material escolar para meus filhos. Eu trabalho no posto da V.A., Zona Leste, e sinto que os meus serviços são bem vistos e bem vindos aqui. Sinto também que sou importante aqui, pois a limpeza que fazemos todos gostam. Gosto muito do que faço, adoro dividir a minha alegria com as minhas colegas de trabalho. Além do mais estou fazendo curso de cabeleireira, estou adorando a oportunidade, pois não tive condições de comprar o material para fazer estes cursos e agora estou fazendo o curso pela frente de trabalho e sem precisar comprar o material que nós aprendamos. Senhor eu não sei o que vai acontecer quando eu voltar a ficar sem emprego no término dos nove meses. Sou ciente do nosso contrato, mas ele é tudo que eu tenho para viver materialmente falando. Só Deus sabe o que pode acontecer com cada um de nós, pois está difícil demais conseguir empregos. Gostaria de pedir a vocês que efetivassem essas pessoas no emprego, pois é tão pouco tempo e todos nós ficaremos desempregados e voltaremos à mesma situação ruim. Obrigada pela oportunidade que me deu para desabafar. Por favor, se for possível, mande-me uma resposta que eu estarei aguardando. Fico aguardando resposta do senhor com o coração na mão, que Deus o abençoe por tudo. Abraço da sua bolsista ....

Exemplo 2
Eu já fui rejeitado pela família, tem discriminação e preconceito na própria família, as pessoas humilham a gente. Eu me sinto oprimido e a gente perde até peso, perde tudo. Da própria minha mãe eu tive essa discriminação, foi terrível prá mim, foi a mesma coisa de eu estar morto. Quando eu contei prá minha mãe eram copos, toalhas separados, um absurdo, ela tirava os lençóis e jogava fora, nem lavava, eu fui proibido de ir na casa dela e isso mexeu muito com a minha cabeça. A minha rua ficou sabendo, o bairro todo, eu passava e aquela rodinha de gente cochichando: ah o cara tá com Aids e tal, foi uns dois anos de calunia e discriminação. A mídia também, ela julga muito, agora nem tanto, mas ela não informa que o HIV não pega assim, ela só coloca a doença como uma doença de morte. Acho que há discriminação também na religião. Comigo aconteceu isso, eu me abri com o pastor da igreja que eu frequentava desde pequeno e isso vazou dentro da igreja e tinha gente que nem na minha mão mais pegava, não cumprimentava, no ensaio do coral começaram a tirar a pasta de mim e eu ficava ali mas não ensaiava; aí eu fui sentindo essa discriminação e resolvi abandonar : a gente sente a discriminação na pele. Eu treinava os filhos dos evangélicos, futebol de salão, e um dia a mulher do pastor falou que eu não podia mais sair com os meninos que eu poderia passar, eu achei um absurdo, chorei, foi o dia mais terrível da minha vida. Então o único problema que eu ainda tenho com a Aids não é com a doença, é a discriminação que a gente sofre. Essa enfermidade, a doença, a discriminação, o preconceito e ainda a medicação que eu tomo, eu me sinto acuado.

 CONSTRUINDO UM DSC
 Como extrair as Expressões Chave e identificar as Ideias Centrais ?

Vamos exemplificar estes processos através de uma pesquisa concreta realizada por Regina Ignarra para sua tese de doutorado realizada na Faculdade de Saúde Pública da USP.

Esta pesquisa foi feita com estudantes de faculdades medicina para se saber porque eles escolheram fazer o curso de medicina!

Observe estas respostas à questão: “Por que voce escolheu o curso de medicina”?

Aluno 1: Eu pretendo ajudar aos que necessitam com o meu conhecimento pretendo aliviar o sofrimento dos doentes

Aluno 2: Porque estou realizando um sonho que possuo desde a infância.

Aluno 3: Porque fazendo o curso de medicina acredito que um dia poderei ajudar as pessoas mais necessitadas e carentes.

Aluno 4: Porque acredito que nesta profissão se encaixam minhas aptidões e meus princípios.

OS TRECHOS DESTACADOS EM NEGRITO SÃO AS EXPRESSÕES CHAVE.
ELAS SÃO AS PARTES MAIS SIGNIFICATIVAS DO CONTEÚDO DA RESPOSTA, ONDE APARECE, DE MANEIRA MAIS CLARA, O QUE O INDIVÍDUO QUIS DIZER.

Já para identificar as Idéias Centrais é preciso analisar detidamente as Expressões Chave e encontrar a forma mais sintética e adequada possível para representar o sentido destas expressões.

Observe estas mesmas Expressões Chave
 Eu pretendo ajudar aos que necessitam; com o meu conhecimento pretendo aliviar o sofrimento dos doentes . (AJUDA)
• Porque estou realizando um sonho que possuo desde a infância. (SONHO) o Porque fazendo o curso de medicina acredito que um dia poderei ajudar as pessoas mais necessitadas e carentes. (AJUDA)  Porque acredito que nesta profissão se encaixam minhas aptidões e meus princípios.(APTIDÃO) ESTES CONCEITOS (DAS PALAVRAS EM NEGRITO) REVELAM, DA MANEIRA MAIS SINTÉTICA POSSÍVEL O SENTIDO DAS EXPRESSÕES CHAVE.

OBSERVE ESTES QUATRO TRECHOS DE RESPOSTAS À MESMA QUESTÃO:

1) Pois nunca quis ter outra profissão … 2) Porque sempre gostei da carreira médica… 3) Porque estou realizando um sonho que possuo desde a infância… 4) Porque é um sonho muito antigo... Veja agora como é possível reuni-los num só discurso que tem o “sonho” como Ideia Central
Por que voce escolheu fazer o curso de medicina?
Por que sempre gostei da carreira médica, nunca quis ter outra profissão, é um sonho muito antigo que possuo desde a infância.

O Discurso do Sujeito Coletivo é isso: coletividades falando como se fossem um indivíduo

Este discurso institui um único Sujeito Coletivo composto com quatro respostas de indivíduos diferentes, que apresentam idéias de mesmo sentido.

 

1. Banco de dados sobre trabalhos com o DSC (www.ipdsc.com.br). 2.Lefevre,F; Lefevre, AMC.; Suarez, E. Collota M. Racionalidad en el uso de servicios y productos de salud en Argentina: un proyecto de marketing de salud,. Parte I e II . OPS/OMS. Buenos Aires 2002/2003. Relatório de Pesquisa 3. Lefevre F; Lefevre AMC; Teixeira JJV. O Discurso do Sujeito Coletivo. Uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul; Educs 2000 4. Lefevre F; Lefevre AMC. O Discurso do Sujeito Coletivo. Um novo enfoque em pesquisa qualitativa. Desdobramentos. Caxias do Sul, Educs 2003.

5. Lefevre F; Lefevre AMC. Depoimentos e Discursos. Uma nova proposta de análise em pesquisa socia. Liberlivro. Brasilia, 2005.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->