Você está na página 1de 2

3ª sessão - 2ª tarefa – Comentário ao trabalho da colega Mª Teresa Gonçalves

- Mª Jacinta Cordeiro

O trabalho da colega Teresa traduz, de forma simples e objectiva, os pontos cruciais a ter em
conta na aplicação do Modelo de AABE.

Refere o papel integrador da BE e os desafios que se lhe deparam, no novo paradigma de


escola e, consequentemente, no papel do Professor Bibliotecário.

Na verdade, as mudanças significativas surgidas, a nível social e tecnológico, acrescidas de


uma avalanche de informação implicam novas práticas e novos espaços de aprendizagem, num
novo contexto que obriga à redefinição de estratégias e a uma liderança e demonstração de valor
que as integrem nos planos estratégicos e operacionais da escola e na visão e objectivos
educativos da mesma.

Por isso, é urgente desmitificar o conceito do modelo da BE como centro de recursos centrado
na oferta de um espaço equipado, a que é possível aceder e onde é possível aceder a um
conjunto de equipamentos e de recursos de informação.

No entanto, para que a BE se afirme na escola, torna-se necessária a implementação do


MAABE, por forma a criar mecanismos que conduzam a um trabalho de qualidade, que passa
pela reflexão sobre as práticas, pela abertura à mudança e pela criação de uma cultura de
partilha e trabalho cooperativo, entre outros aspectos.

Diversos estudos têm vindo a elencar os factores inerentes a uma Biblioteca Escolar de
qualidade e as acções e intenções que devem orientar as suas práticas.

Estes estudos relacionam de forma directa o trabalho das Bibliotecas Escolares com o currículo
e com as aprendizagens e identificam como essencial o perfil do professor Bibliotecário e do
qual destaco as seguintes características:

• O professor Bibliotecário deve manter uma posição de inquirição constante acerca das
práticas de gestão que desenvolve e do impacto que as mesmas têm na escola e no
sucesso educativo dos alunos.
• Saiba agir e ser líder, demonstrando o valor da BE, através da demonstração de
evidências e da comunicação contínua com os diferentes actores e stakeholders na
escola.
Mas, no nosso país, onde o “recém - nascido” Modelo de AABE está a dar os primeiros
passos, o professor Bibliotecário depara-se também com outros desafios que passam pela
gestão da mudança, pela tentativa de alterar a cultura de uma escola pouco integradora e pouco
aberta à inovação e à mudança e pela criação de uma cultura de confiança .

Maria Jacinta Cordeiro

1
2