P. 1
Aula 1 - Tecido Epitelial

Aula 1 - Tecido Epitelial

|Views: 741|Likes:
Publicado porTgo Moretto

More info:

Published by: Tgo Moretto on Mar 17, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/05/2013

pdf

text

original

Tecidos  

Histologia  e  Embriologia     Prof  Enf  Lidiane  Dias  dos  Anjos   Biologia  –  3º  Semestre   Centro  Universitário  Módulo  

Tecidos  
•  4  Fpos  básicos:   •  •  •  •  Epitelial   ConjunFvo   Muscular     Nervoso  

•  Além  destes,  estudaremos  carFlaginoso  e  ósseo  

CaracterísFcas  principais  dos  quatro  Fpos  básicos  de  tecido  
Tecido   Nervoso   Epitelial   Células   Longos   prolongamentos   Células  poliédricas   justapostas   Matriz  celular   Quase  nenhuma   Pequena  quanFdade   Funções  principais   Transmissão  de   impulsos  nervosos   RevesFmento  da   superRcie  ou  da   cavidade  do  corpo,   secreção  

Muscular   ConjunFvo    

Células  alongadas   contráteis  

QuanFdade  moderada   Movimento   Apoio  e  proteção  

Vários  Fpos  de  células   Abundante     fixas  e  migratórias  

 o   estroma  é  consFtuído  de  tecido  conjunFvo   .Tecidos   •  A  maioria  dos  órgãos  pode  ser  dividida  em  dois   componentes   •  Parênquima:  composto  pelas  células  responsáveis   pelas  principais  funções  Xpicas  dos  órgãos   •  Estroma:  tecido  de  sustentação   Com  exceção  do  cérebro  e  da  medula  espinhal.

Tecidos   •  Não  existem  sozinhos.  mas  sim  em  conjunto   •  Formados  por  células  e    moléculas  da  matriz   extra  celular   •  Formam  órgãos  e  sistemas  de  todo  o  corpo   .

Matriz  extracelular   •  Complexo  de  componentes  fibrosos  que   preenche  o  espaço  extracelular  unindo  as   células  (animais  ou  vegetais)  formando  os   tecidos   •  Tem  importância  fundamental  para  as  funções   dos  tecidos   .

  ossos  e  derme   •  Escassa  em  tecidos  nervoso  e  epitelial   •  Fornece  condições  adequadas  para  crescimento  e   diferenciação  das  células  dos  vários  tecidos   .Matriz  extracelular   •  A  quanFdade  de  matriz  é  variável  com  o  Fpo  de   tecido   •  Abundante  em  tecidos  conjunFvos:  carFlagem.

Lâmina  Basal   •  é  uma  treliça  de  macromoléculas  importante   para  a  função  das  células   •  É  uma  camada  delgada  formada  pela  matriz   extracelular  (células  basais  do  epitélio  e   fibroblastos  do  tecido  conjunFvo):     •  Na  interface  do  tecido  epitelial  com  o  tecido   conjunFvo   •  Em  torno  das  células  musculares   •  Nos  capilares  sanguíneos   •  Nos  capilares  linfáFcos   .

A  matriz  extracelular  é  consFtuída  por:     •  Complexo  em  proporções  variáveis  de   inúmeras  proteínas  e  polissacarídeos   •  Formam  uma  rede.  funcional  e   patológica  dos  tecidos   .  em  parte  responsável  pela   grande  diversidade  morfológica.

Sobre  a  consFtuição  da  matriz:   •  Basicamente  por  proteínas  fibrosas  (colágeno   e  elasFna)   •  Embebidas  em  um  gel  hidrófilo  de   polissacarídeos  associados  ou  não  a  proteínas   .

 como  elasFna  e  o   colágeno   .Componentes:   •  Dois  Fpos  secretados  por  tecido  conjunFvo:   1. ConsFtuídos  por  moléculas  protéicas   alongadas.  se  agregam  e  formam  estruturas   fibrilares  ou  fibrosas.

2.  mas  não   formam  fibrilas  ou  fibras.  ConsFtuintes  que  se  agregam.  Dois  Fpos:     glicoproteínas  alongadas  (fibronecFna  e   laminina)  com  função  principal  de  realizar   adesão  entre  a  matriz  e  a  célula     glicosaminoglicanas  ou  proteoglicanas  que  tem   como  função    formar  um  gel  hidratado  no   qual  estão  imersos  os  outros  componentes   da  matriz   .

.

Funções  dos  componentes   •  Colágeno  e  elasFna:  responsáveis  pelo   arcabouço  estrutural  e  elásFco  de  vários   tecidos   •  FibronecFna:  responsável  pela  adesão  das   células  não-­‐epiteliais  a  matriz   •  Laminina:  responsável  pela  adesão  das  células   epiteliais  a  lâmina  basal   .

Funções  dos  componentes   •  Glicosaminoglicanas  e  proteoglicanas:  formam   o  gel  hidrófilo.  nos  tecidos  conjunFvos.  de   nutrientes.  semifluido  que  permite  a   circulação.  hormônios  e  outros  mensageiros   químicos   Formam  um  complexo  de  pontes  moleculares   unindo  as  fibrilas  do  colágeno  entre  si.   formando  a  caracterísFca  de  rigidez  e  discreta   compressibilidade   .

Gel  hidrófilo   •  Importante  nos  processos  de:   •  •  •  •  Desenvolvimento  embrionário   Regeneração  dos  tecidos   Cicatrização   E  interação  do  colágeno   .

A  matriz  também  é  importante  em  patologia   •  Sua  viscosidade  retarda  a  penetração  de   microorganismos  nos  tecidos   •  Mas  bactérias  que  produzem  enzimas  capazes   de  digerir  as  macromoléculas  da  matriz   extracelular  se  infiltram  com  mais  facilidade   nos  tecidos.  Ex.:  estafilococos   .

As  integrinas   •  Complexo  de  receptores  celulares  que   prendem  as  células  a  matriz   •  Localizados  na  membrana  plasmáFca   •  São  proteínas  transmembrana   •  Ligam  o  colágeno  e  a  laminina  (extremidade   externa-­‐matriz)    ao  citoesqueleto   (extremidade  interna  –  citoplasma)   .

TECIDO  EPITELIAL   .

•  Os  epitélios  são  consFtuídos  por  células  poliédricas   justapostas.  com  pouca  substância  extracelular   .

•  As  células  epiteliais  se  aderem  umas  as  outras   por  meio  de  junções  intercelulares   •  Assim  elas  se  organizam  como  folhetos  que   revestem  a  super<cie  externa    e  as  cavidades   do  corpo  ou  que  se  organizem  em  unidades   secretoras   .

Principais  funções   •  RevesFmento  de  superRcie  (pele)   •  Absorção  das  moléculas  (intesFno)   •  Secreção  (glândulas)   •  Percepção  de  esXmulos  (neuroepitélio  olfatório  e   gustaFvo)   •  Contração  (células  mioepiteliais)   .

Formas  e  caracterísFcas  das  células  epiteliais   •  Podemos  encontrar  células  colunares  altas  até   células  pavimentosas   •  A  forma  poliédrica  ocorre  devido  ao  fato  das   células  serem  justapostas  formando  folhetos  ou   aglomerados  tridimensionais   •  O  núcleo    tem  forma  esférica    até  alongada.   normalmente  acompanha  o  formato  das  células   .

.

•  PraFcamente  todas  as  células  epiteliais  estão  apoiados  em   tecido  conjunFvo   •  Esta  camada  de  tecido  conjunFvo  recebe  nome  de:   •  Lâmina  própria:  quando  revestem  cavidades  ocas   •  •  •  •  •  Quanto  ao  tecido  epitelial:   Em  contato  com  tecido  conjunFvo:  porção  basal  ou  pólo  basal   Oposto  ao  tecido  epitelial:  porção  apical  ou  pólo  apical    a  superRcie  do  pólo  apical  é  chamado  de  superRcie  livre   E  a  superRcie  em  contato  com  outras  células  é  chamado  de   paredes  laterais   .

respiratório. urinário Superfície livre Porção apical Porção basal Células epiteliais Tecido epitelial Tecido conjuntivo – lâmina própria Paredes laterais .Cavidade oca: digestivo.

Lâminas  e  membranas  basais   Tecido  epitelial   Lâmina basal Tecido conjuntivo A Lâmina basal é formada por uma rede de fibrilas denominada lâmina densa que pode apresentar em seu contorno lâminas lúcidas Componentes: colágeno tipo IV. glicoproteínas: laminina e entactina. proteoglicanas .

•  As  lâminas  basais  se  ligam  ao  tecido  conjunFvo  por   fibrilas  de  ancoragem  formadas  de  colágeno  Fpo  VII   •  Estas  lâminas  aprecem  também  em  outros  Fpos  de   tecidos  que  tenham  contato  com  tecido  conjunFvo   •  Existe  ainda  a  lâmina  reBcular.  formada  de  fibras   reFculares  que  também  ajudam  a  prender  epitélios  ao   tecido  conjunFvo   •  Vistas  ao  microscópio    eletrônico   .

Funções  das  lâminas:   Tem  papel  estrutural   Filtração  de  moléculas   Influenciam  na  polaridade  das  células   Regulam  a  proliferação  e  diferenciação  celular   Influenciam  no  metabolismo  celular   Organizam  proteínas  nas  membranas  plasmáFcas   de  células  adjacentes   •  Serve  como  caminho  e  suporte  para  migração  de   células   •  •  •  •  •  •  .

Membrana  basal   .

 mais  espessas   que  as  lâminas  pois  é:   •  Formada  por  duas  lâminas  basais  ou  por  uma   lâmina  basal  e  uma  reFcular   •  Vista  ao  microscópio  de  luz   .Membrana  basal   •  Camada  abaixo  dos  epitélios.

Especializações  da  membrana   plasmáFca   •  Estruturas  que  contribuem  para  coesão  (adesão).     •  Presente  em  vários  tecidos   •  Mas  muito  abundantes  em  tecido  epitelial   •  Estas  especializações  consFtuem  as  junções   intercelulares   .   vedação  e  a  comunicação  entre  as  células.

 classificam-­‐se  em:   •  Junções  de  adesão:  zônula  de  adesão.   hemidesmossomos.Junções  intercelulares   •  Do  ponto  de  vista  funcional.  desmossomos   •  Junções  impermeáveis:  zônula  de  oclusão   (vedantes)   •  Junções  de  comunicação:  junções   comunicantes  ou  junções  de  gap   .

A  junção  das  células   Zônula de oclusão Zônula de adesão Junção GAP Citoesqueleto .

A  junção  das  células   •  Reconhecimento  e  adesão  celular   Estes processos biológicos acontecem. Formando uniões transitórias entre as células . por exemplo quando temos necessidade de uma resposta imune: • Reparo de uma ferida • Cessação de uma hemorragia Para resolver estas situações é necessário que alguns tipos de células se juntem transitoriamente com outros tipos de células.

  formando  uniões  estáveis.  se  reconhecem.  as  células  se  dividem  formando  várias   outras  células.  as  células  do  sangue  (neutrófilos.:  Desenvolvimento  embrionário.  para  ajudar  no  desenvolvimento  deste  ser.:  nos  casos  acima.  Pois  se   conectando  o  sangue  consegue  chegar  ao  tecido  para:   •  Cicatrizar  a  ferida  ou  cessar  a  hemorragia   •  Ex.  e  assim  aderem-­‐se  umas  as  outras.A  junção  das  células   •  Ex.   .  monócitos.   linfócitos.  plaquetas)  se  conectam  com  as  células  endoteliais  dos  capilares   sanguíneos  para  que  possam  iniciar  a  proteção  do  organismo.

 Tanto  do  ápice   para  a  base  como  da  base  para  o  ápice.   •  .Junções  estreitas  ou  zônula  de  oclusão   •  •  Circunda  a  célula  completamente   Junção  entre  as  camadas  mais  externas  das   membranas  de  células  adjacentes   Função:  Funciona  como  barreira  à  entrada  de   macromoléculas  entre  células  vizinhas.   vedando  o  espaço  intercelular.

Zônula  de  adesão   •  Circunda  toda  a  célula   •  Função:  Contribui  para  a  aderência  entre  células   vizinhas   •  Estas  células  estão  firmemente  unidas  devido  a   uma  rede  (trama  terminal)  formada  por   numerosos  filamentos  de  acFna.  filamentos   intermediários  e  espectrina  existente  no   citoplasma  apical  das  células  epiteliais     .

Complexo  uniFvo  

•  Conjunto  de  zônula  de  oclusão  e  zônula  de   adesão  que  circunda  toda  a  parede  lateral  da   região  apical  da  s  células  epiteliais  

Desmossomos    
Discos  de  adesão  entre  as  células,  presente  na  superRcie  da   célula   Função:  adesão  entre  as  células  tem  grande  resistência  mecânica   e  por  isso  o  número  de  desmossomos  é  proporcional  ao  grau   de  tensão  ou  esFramento  a  que  são  submeFdos.    Ex.  epitélio  da  bexiga,  são  abundantes a  resistência  mecânica  ocorre  devido  a  uma  placa  de  ancoragem   que  fica  entre  a  membrana  e  o  citoplasma  formada  por  12   proteínas  (caderinas),  onde  os  filamentos  intermediários  de   queraFna  se  inserem  ou  formam  alças  

Hemidesmossomos    
Morfologia  semelhante  a  meio  desmossomo,  encontrado  na   região  de  contato  entre  alguns  Fpos  de  células  epiteliais  e  sua   lâmina  basal   Função:  Adesão  das  células  epiteliais  à  lâmina    basal   Os  hemidesmossomos  ou  meio-­‐desmossomo,  é  semelhante  ao   desmossomo,  porém  liga  a  membrana  plasmáFca  de  uma   célula  a  lamina  basal  adjacente,  por  meio  de  filamentos  de   queraFna  que  estão  ligados  à  proteína  de  ancoramento   integrinas  (transmembranas)  

 fazendo  troca  moléculas  como  hormônios.  onde  as  junções  de  gap  são   responsáveis  pelo  rítmo  coordenado  do  coração   .  as   quais  fazem  com  que  as  células  trabalhem  de  forma   coordenada   Ex.  íons.Junções  de  gap  ou  comunicantes   •  PraFcamente  em  qualquer  local  das  membranas  laterais   Grupos  de  proteínas  (conexinas)  das  membranas  plasmáFcas  de   células  adjacentes  que  se  dispõe  formando  canais  (conexon)   que  atravessam  a  bicamada  de  lipídios   Função:  Estabelecimento  de  canais  de  comunicação  entre  as   células.:  células  do  músculo  cardíaco.

Especializações  da  superRcie  das   células   •  Tem  função  de  aumentar  sua  superRcie  ou  mover  parXculas   Microvilos: absorção Esteriocílios: aumentar superfície Flagelo: movimentação Cílios: movimentação .

Tipos  de  epitélios   •  Dois  grupos  principais:   •  Epitélios  de  revesFmento   •  Epitélios  glandulares   .

Tipos  de  epitélios    revesFmento  -­‐  células   .

 prismáFco  e  de  transição   •  Pseudo-­‐estraFficado:    uma  camada  de  células  com  núcleos   em  diferentes  alturas  (parecendo  várias  camadas).   estraFficado  e  pseudo  estraFficado   •  E  conforme  a  caracterísFca  morfológica  das  células   •  Simples:  (uma  camada  de  células)  pavimentoso.  apoiadas   na  lâmina  basal   .Classificação     •  De  acordo  com  o  número  de  camadas  de  células:  simples.  cúbico  e   prismáFco  (colunar  ou  cilíndrico)   •  EstraFficado:  (várias  camadas  de  células)  pavimentoso.   cúbico.

 ductos  de  glândulas.  peritônio   revesFmento  ovariano.  fossas  nasais  e   brônquios   Proteção.  transporte  aFvo   por  pinocitose.  folículos  ovarianos  em   crescimento   conjunFva   Proteção.  secreção.  vesícula   biliar   revesFmento  da  pele  (epiderme)   Função  principal   Facilita  o  movimento  das  vísceras.   pericárdio.  canal  anal   Glândulas  sudoríparas.  distensibilidade   revesFmento  da  traquéia.   folículos  Freoidianos   revesFmento  do  estômago  e  intesFno.  vagina.  secreção  de  moléculas   RevesFmento.  previne  perda  de  água   Proteção  e  secreção   Proteção   revesFmento  interno  da  bexiga  e  das  vias  urinárias   Proteção.  previne  perda  de  água   Boca.  lubrificação.  mediado  por  cílios  de   parXculas  aderidas  ao  muco    nas  passagens    aéreas   .  esôfago.  transporte.  secreção   Proteção.  secreção   Proteção.  secreção.  pleura.  absorção.Tipos  de  epitélios   pavimentoso   simples   cúbico  simples   prismáFco  simples   pavimentoso   queraFnizado   estraFficado   pavimentoso  não   queraFnizado     estraFficado   cúbico   estraFficado   prismáFco   estraFficado   Transição   estraFficado   pseudo-­‐ estraFficado   Exemplos  de  ocorrência  no  corpo  humano   revesFmento  interno  dos  vasos  sangüíneos.

 lipídios  carboidratos   .Epitélios  glandulares   •  Células  especializadas  na  aFvidade  de   secreção:  produção  e  liberação   •  Grânulos  de  secreção:  pequenas  vesículas   envolvidas  por  membrana  que  armazenam  as   moléculas  a  serem  secretadas   •  Função:  armazenar.  sinteFzar  e  secretar   proteínas  .

•  Ex.:  Pâncreas  –  proteínas                        Glândulas  sebáceas  -­‐  lipídeos                                Glândulas  salivares  –    complexo  de   carboidratos  e  proteínas                          Glândulas  mamárias  –  três  Fpos  acima   .

Tipos  de  epitélios  glandulares   •  Quanto  ao  número  de  células   •  Glândulas  Unicelulares:  células  glandulares   isoladas.  célula  caliciforme  no  epitélio  do   intesFno   •  Glândulas  MulFcelulares:  agrupamento  de   células   .  Ex.

Formação  das  glândulas  endócrina  e  exócrina   .

•  As  glândulas  se  formam  a  parFr  de  epitélio  de   revesFmento  cujas  células  se  proliferam  e   invadem  o  tecido  conjunFvo   Formação  das  glândulas  endócrinas  e  exócrinas   •  Podem  ou  não  manter  contato  com  a  superRcie   da  qual  se  originam   •  Quando  o  contato  é  manFdo  (glândula  I)   formam-­‐se  glândulas  exócrinas   •  Quando  o  contato  é  desfeito  (glândula  II)   formam-­‐se  glândulas  endócrinas   .

 onde  será  distribuída   para  todo  o  corpo  aos  seus  locais  de  ação   •  Glândulas  exócrinas:possuem  porção  secretora  consFtuída   pelas  células  responsáveis  pelo  processo  secretório  e  ductos   que  transportam  a  secreção  eliminada  das  células   .Tipos  de  epitélios  glandulares   •  Quanto  ao  local  da  secreção:   •  Glândulas  endócrinas:  as  glândulas  não  possuem  ductos  e  sua   secreção  ganha  a  corrente  sangüínea.

 podem   ter  grande  complexidade   .:  célula  caliciforme  do  intesFno  ou  vias   respiratórias   •  Compostas:  têm  ductos  ramificados.   Ex.Glândulas  exócrinas   •  Simples:  somente  um  ducto  não  ramificado.

 tubulares  ramificadas  ou  acinosas   •  As  glândulas  compostas:  tubulares.  tubulares   enoveladas.  acinosas   ou  túbulo-­‐acinosas   .•  Dependendo  da  forma  da  porção  secretora   podem  ser:   •  As  glândulas  simples:  tubulares.

•  Dependendo  da  forma  como  a  secreção  sai  da  célula.  sem  perda  de  outro   material  celular  (pâncreas)   •  Holócrinas:  o  produto  da  secreção  é  eliminado  junto  com  a   célula  que  é  destruída  cheia  de  secreção  (sebáceas)   •  Apócrinas:  o  produto  da  secreção  é  liberado  junto  com   citoplasma  apical  (mamária)   .  as   glândulas  podem  ser:   •  Merócrinas:  por  meio  de  exocitose.

Biologia  dos  tecidos  epiteliais   •  Polaridade:  diferentes  partes  da  célula  epitelial   podem  ter  diferentes  funções   •  Existe  uma  diferente  distribuição  das  organelas   apoiada  na  lâmina  basal  em  relação  as  organelas   presentes  no  citoplasma  (pólo  apical)   •  Existe  também  composição  diferente  nos  pólos   .

..  a  cada  semana   Pâncreas  e  Rgado:  lenta.....:Inervação  sensorial/inervação  motora   Córnea/aFvidade   •  Renovação  das  células  epiteliais:  conFnuamente   renovadas  por  aFvidade  mitóFca   IntesFno:  rápida.  um  ano  ou  mais.•  Inervação:  inervados  por  terminações  nervosas   provenientes  da  lâmina  própria   Ex.   Ex.:  metaplasia     Biologia  dos  tecidos  epiteliais   .

Biologia  dos  tecidos  epiteliais   •  Controle  da  aFvidade  glandular:  (endócrino  e   nervoso)  ocorre  pela  ação  de  substâncias   químicas  chamadas  mensageiros  químicos   •  Células  que  transportam  íons:  transporte   aFvo.:  bomba  de  sódio  e  potássio   .  uFlizando  ATP  como  fonte  de  energia   Ex.

  podendo  ocorrer  para  os  dois  lados   •  Células  serosas:  Complexo  de  Golgi.:   células  acinosas  do  pâncreas  e  glândulas  salivares   •  Células  secretoras  de  muco:  Complexo  de  Golgi.Biologia  dos  tecidos  epiteliais   •  Células  que  transportam  por  pinocitose:  transportam   moléculas  de  uma  cavidade  para  o  tecido  conjunFvo.  glândulas  salivares   .  Ex.  exocitose.   Células  caliciforme  do  intesFno.  Ex.

 Histologia   básica.  Rio  de  Janeiro.  J.  10  ed.Rio  de  Janeiro.  J.  Guanabara.C.  L.  C.  CARNEIRO.   2004..   •  JUNQUEIRA.  Guanabara.Referências   •  JUNQUEIRA..  l.   2005   .Biologia  celular   e  molecular.  CARNEIRO.  8  ed.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->