P. 1
O oligopólio da fé - Análise da estrutura de mercado da concorrência religiosa

O oligopólio da fé - Análise da estrutura de mercado da concorrência religiosa

|Views: 6.358|Likes:
Publicado porGuilherme Cassolato
Monografia apresentada à Faculdade de Ciências Econômicas do Centro de Economia e Administração da PUC Campinas, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Ciências Econômicas, sob a orientação do Prof. Mestre Antonio Carlos de Azevedo Lobão
Monografia apresentada à Faculdade de Ciências Econômicas do Centro de Economia e Administração da PUC Campinas, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Ciências Econômicas, sob a orientação do Prof. Mestre Antonio Carlos de Azevedo Lobão

More info:

Published by: Guilherme Cassolato on Apr 08, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

06/03/2013

pdf

Para caracterizar as situações de estruturas de mercado nas quais tem

relevância certa diferenciação de produtos, Labini empregou o termo “oligopólio

diferenciado” ou “oligopólio imperfeito”, expressão esta última por ele considerada

mais apropriada (LABINI, 1986, p. 35).

Para Andreolli (1999) o oligopólio diferenciado é predominante dentre as

indústrias produtoras de bens de consumo não duráveis e suas particularidades

consistem, basicamente, em (i) elevados custos de comercialização, vendas e

propaganda, explicado pela alta diferenciação de produtos; (ii) concorrência entre

26

J. Galbraith, Monopoly and the concentration of economic power. In: Survey of Contemporary Economics.
Coordenado por H. S. Ellis. Philadelphia: Blakiston, 1948, p. 107. (apud LABINI, 1986).

27

Andreolli (1999) não se refere às barreiras ligadas ao produto final, mas ligadas à técnica de produção.

20

as empresas via publicidade, principalmente, lançando novos produtos; (iii) pouca

diversidade de técnicas utilizadas pelas empresas; (iv) inexistência de liderança

de preços; (v) minimização dos custos de distribuição, de comercialização e de

transporte; (vi) existência de barreiras à entrada de novas firmas, tanto internas

(ligadas ao produto, tal como marca) quanto externas (gastos e investimentos

necessários para instalação de fábricas com capacidade de produção igual ou

superior à capacidade de produção das fábricas já existentes)28
.

O capital requerido das firmas ingressantes nos mercados em oligopólio

diferenciado exige destas firmas a superação das dificuldades de obtenção de

recursos, melhores condições de financiamentos. Terão de captar clientes em

número suficiente para ressarcir o capital investido, ao passo que enfrenta a

reputação de mercado conquistada pelas empresas já instaladas dos clientes

que, no decorrer do tempo, criaram “lealdade” aos produtos que consomem. São

também barreiras à entrada destas empresas no setor caracterizado por esta sub-

estrutura os gastos com publicidade e tecnologia29

.

Andreolli (1999, p. 28) também fez questão de destacar como barreira à

entrada, no oligopólio diferenciado, relacionada com a extensão do mercado, a

imposição de dimensões amplas de mercado, impostas pelas empresas situadas,

exigindo que as novas rivais contem com um volume de vendas relativamente

grandes desde o início.

Podem predominantemente ser qualificados como oligopolistas

diferenciados os setores produtores de cigarros, de produtos farmacêuticos,

perfumes, conservas, licores e bebidas30

.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->