CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE CEEPS MONSENHOR JOSÉ LUIZ BARBOSA CORTEZ CURSO: TÉCNICO EM RADIOLOGIA MATÉRIA

: POSICIONAMENTO RADIOLÓGICO PROFESSOR: VOGÉRIO TURNO: NOITE MÓDULO: II

LIVRO TRATADO DE TÉCNICAS RADIOLÓGICAS E BASE ANATÔMICA, BONTRAGER. RESUMO DO CAPITULO 11 E 12

ALUNO: KERLLYSON MARTINS LOPES SOUSA

TERESINA - PI

Temporal esquerdo. OSSO OCCIPITAL A porção ínfero-superior da calvária ou calota craniana é formada por um único osso occipital. O osso frontal articula-se com quatro ossos cranianos: parietais direito e esquerdo. Cada um dos parietais possui formato irregularmente retangular e uma superfície interna côncava. Esfenóide.LIVRO TRATADO DE TÉCNICAS RADIOLÓGICAS E BASE ANATÔMICA. e a porção anterior e inferior ao cérebro é denominada esqueleto facial ou ossos da face. 4. os dois temporais. situa-se na extremidade superior da coluna vertebral e é dividido em dois grupos principais de ossos: o crânio propriamente dita. O osso frontal é basicamente anterior aos parietais. que forma a fronte e a parte superior de cada órbita. e a porção orbitária ou horizontal forma a parte superior da órbita. consiste em duas partes principais. BONTRAGER. A porção escamosa forma a maior parte da região posterior da cabeça e é essa parte do osso occipital superior à protuberância occipital externa. o occipital é posterior. o temporal. Cada uma dessas duas áreas consiste basicamente em quatro ossos: Calvária (calota craniana): 1. 6. Parietal esquerdo. Occipital. A superfície externa do osso occipital apresenta uma parte circular denominada porção escamosa. que é a protuberância ou elevação proeminente na porção ínfero-posterior do crânio. OSSO FRONTAL Observado de frente. Frontal. . o osso da calvária mais prontamente visível é o osso frontal. OSSOS PARIETAIS As paredes laterais do crânio e parte do teto são formadas pelos dois ossos parietais. o esfenóide e o parietal oposto. ou esqueleto ósseo da cabeça. Este osso. Etmóide. que consiste em 8 ossos craniais. A porção escamosa ou vertical forma a fronte. Parietal direito. ou ínio. 7. Assoalho: 5. esfenóide e etmóide. Cada osso parietal articula-se com cinco ossos cranianos: o frontal. Os oito ossos cranianos são divididos em calvária (calota craniana) e assoalho. 2. os temporais são inferiores. o esfenóide e o Atlas (primeira vértebra cervical).O crânio circunda e protege o encéfalo. 8. RESUMO DO CAPITULO 11 E 12 CRÂNIO E OSSOS DO CRÂNIO O crânio. e as asas maiores do esfenóide são inferiores e anteriores. O occipital se articula com seis ossos: os dois parietais. 3. Temporal direito. o occipital. e 14 ossos faciais.

O osso temporal esquerdo está situado entre a asa maior do osso esfenóide anteriormente e o osso occipital posteriormente. A depressão da sela turca e o dorso da sela são mais bem vistos no perfil. Os dois labirintos laterais (massas) são suspensos a partir da superfície inferior da lâmina crivosa de cada lado da lâmina perpendicular. a hipófise ou glândula pituitária. que ajuda a formar o septo nasal ósseo. forma o esteio para todos os oito ossos cranianos. (O esfenóide também se articula com cinco ossos da face. a porção petrosa. é mostrada na vista superior do osso temporal e representa o osso mais espesso e denso do crânio.) OSSO ESFENÓIDE O osso esfenóide. OSSO ETMÓIDE O osso etmóide é único e situa-se basicamente abaixo do assoalho do crânio. A terceira porção principal de cada osso temporal. (Cada osso temporal também articula-se com dois ossos da face. Os delicados órgãos da audição e do equilíbrio estão contidos e protegidos pelas densas pirâmides petrosas. O etmóide articula-se com dois ossos cranianos: o frontal e o esfenóide. A depressão central no corpo é denominada sela turca. está uma abertura ou orifício denominado meato acústico interno. O osso occipital único fica entre os ossos temporais emparelhados.) O CRÂNIO .OSSOS TEMPORAIS Os ossos temporais direito e esquerdo são estruturas complexas que alojam órgãos delicados da audição e do equilíbrio. o esfenóide articula-se com todos os sete outros ossos cranianos. logo. A porção central do esfenóide é o corpo. Próximo ao centro da pirâmide petrosa na superfície posterior. Deformidade da sela turca é freqüentemente o único indício de uma lesão intracraniana. o occipital e o esfenóide. imediatamente superior ao forame jugular. A porção principal do etmóide situa-se abaixo do assoalho do crânio. Devido à sua localização central. que fica na linha média do assoalho do crânio e contém o seio esfenóide. Projetando-se para baixo na linha média está a lâmina perpendicular. único e de localização central. A sela turca circunda e protege parcialmente uma glândula importante do corpo. que serve para emissão dos nervos da audição e do equilíbrio. (Ele também se articula com 11 ossos da face. Cada osso temporal articula-se com três ossos cranianos: um parietal.). As massas laterais contêm as células etmoidais aeradas ou seios e ajudam a formar as paredes mediais das órbitas e as paredes laterais da cavidade nasal. a radiografia da sela turca pode ser muito importante.

O osso etmóide é localizado anteriormente ao osso esfenóide. através de radiografias convencionais é menos comum hoje em dia devido aos avanços em outras modalidades de aquisição de imagens. Um ângulo maior de 47° ( 54°) é encontrado no crânio braquicefálico. incluem as design braquicefálica e dolicocefálica. O vômer (um osso da face) é mostrado como uma estrutura na linha média entre partes do esfenóide e do etmóide. o crânio mesocefálico possui largura entre 75% e 80% do comprimento.Os ossos esfenóide e etmóide. localizados centralmente. As pequenas cristas galli e lâmina crivosa projetam-se superiormente. localiza-se diretamente posterior ao osso etmóide. 19 cm da eminência frontal até a protuberância occipital (AP ou PA) e 23 cm do vértice até abaixo do queixo (incidência SMV). e um ângulo menor de 47° ( 40°) é encontrado na designação dolicocefálica. as pirâmides petrosas formam um ângulo de 47°. A largura na longa e estreita dolicocefálica é menor que 75% do comprimento. Na cabeça de formato comum. CRÂNIOS BRAQUICEFÁLICO E DOLICOCEFÁLICO Variações do formato comum. A porção escamosa do osso temporal é demonstrada imediatamente inferior ao osso parietal. e a cabeça longa e estreita é chamada de dolicocefólico. As medidas médias do crânio adulto são 15 cm entre as eminências parietais (lateral). mesocefálica. ou crânio mesocefálico. A largura do tipo braquicefálico é 80% ou maior que o comprimento. como as estruturas internas mais obscuras. Radiografar certas partes do crânio. A lâmina perpendicular forma a porção superior do septo nasal ósseo. mostrando suas relações entre si e com os outros ossos cranianos. onde também forma parte da parede inferior do crânio. MORFOLOGIA DO CRÂNIO Crânio Mesocefálico: O formato da cabeça comum é denominado mesocefálico. como a tomografia computadorizada (Te) e a ressonância magnética (RM). Embora a maioria dos adultos possua um crânio de tamanho e formato médios. são bem demonstrados. existem exceções a essa regra. . contendo a sela turca em forma de sela. A cabeça pequena e larga é denominada broquicefólico. Uma boa compreensão da anatomia e relação dos ossos e estruturas cranianas é essencial antes do início de um estudo de posicionamento radiográfico dos ossos cranianos ou faciais. o crânio tem sido uma das partes do corpo mais difíceis e desafiadoras para se radiografar. Em média. RADIGRAFIA DO CRÂNIO Tradicionalmente. O osso esfenóide. O osso occipital é mostrado formando a parede posterior e inferior e o assoalho do crânio. e a lâmina perpendicular maior estende-se para baixo.

nesse exemplo. a junção mais lateral das pálpebras é denominada canto externo. Quando a cabeça está colocada em uma posição lateral verdadeira. O násio é a depressão na ponte do nariz. Partes da orelha que podem ser usadas como marcos de posicionamento são a aurícula ou pavilhão auditivo (porção externa da orelha). dependendo da condição do paciente. é denominado ponto mentoniano. . a linha interpupilar deve estar exatamente perpendicular ao plano do filme. O plano mediossagital (PMS) ou mediano divide o corpo em metades.TOPOGRAFIA DO CRÂNIO Certos marcos de superfície e linhas de localização tem de ser usados para um posicionamento preciso do crânio. o canto interno é o lugar onde as pálpebras encontram o nariz. O ponto médio dessa área do queixo visto de frente. Anatomicamente. Esse é o ponto no qual o nariz encontra com o lábio superior. esquerda e direita. Um exemplo é o verificador angular que indica o número de graus a partir da horizontal. Um exemplo comum desses auxílios de posicionamento é um cartão com bordas retas cortadas em um ângulo específico para posicionamento preciso do crânio. Assim. ou. Cada uma das seguintes estruturas topográficas pode ser vista ou palpada. A posição ortostática permite que o paciente seja rápida e facilmente posicionado e faz com que um feixe horizontal possa ser usado. Esse plano é importante no posicionamento preciso do crânio. O ângulo ou gônio refere-se ao ângulo posterior inferior de cada lado da mandíbula. A linha interpupilar (LlP) ou interorbital é a linha que conecta as pupilas ou os cantos externos dos olhos dos pacientes. o násio é a junção dos dois ossos nasais e do osso frontal. Vários tipos de dispositivos podem ser usados para facilitar a determinação de ângulos precisos necessários para o posicionamento exato dos ossos da face ou do crânio. As junções das pálpebras superiores e inferiores são denominadas cantos. 05 graus entre a LOM é a mesa (filme). O acântion é o ponto da linha média na junção do lábio superior com o septo nasal. Outros tipos de dispositivos ajustáveis podem ser usados para determinar graus variados do ângulo no posicionamento do crânio. Uma área plana e triangular se projeta para frente como um queixo (mento) nos seres humanos. CONSIDERAÇÕES SOBRE O POSICIONAMENTO As incidências do crânio podem ser obtidas com o paciente em decúbito ou de pé. pois em toda incidência AP e PA ou lateral o plano mediossagital está ou perpendicular ou paralelo ao plano do filme.

com ossos semelhantes de cada lado da face. O último e maior dos ossos faciais é o maxilar inferior. há 14 ossos faciais formando o crânio. Cinco erros potenciais de posicionamento relacionados às posições do crânio são os seguintes: 1. Angulação incorreta do RC. Flexão excessiva/ 4. da cabeça. Os dois ossos se unem no lactente para se tornarem um osso por volta de 1 ano de idade. Assim sendo. Extensão excessiva/5. é importante que essas superfícies sejam limpas com desinfetante antes e depois do exame. ou ossos zigomáticos. apenas dois são ossos únicos. que são bilaterais.São eles: 2 Maxilas (maxilar superior). Os principais fatores de exposição para radiografias do crânio incluem os seguintes: kVp média. as cavidades nasais e as órbitas. ou mandíbula. 2 Zigoma. Durante a radiografia de crânio. Dos 14 ossos que constituem o esqueleto facial. Rotação/ 2. Ponto focal pequeno (se o equipamento permitir). 05 12 restantes consistem em seis pares de ossos. com a mA mais alta possível. na realidade se origina de dois ossos separados. 2 Ossos lacrimais. A anatomia complexa dos 14 ossos faciais ajuda a formar várias cavidades faciais. que é um osso único no adulto. Essas cavidades formadas totalmente ou em parte pelos ossos faciais são a boca. . 2 Conchas nasais inferiores. Os fatores de exposição e as doses para o paciente fornecidas nos quadros de ícones nas páginas de posicionamento são calculados para uma distância foco-filme de 40 polegadas ou 100 em. As radiografias do crânio e da face podem exigir que a face do paciente fique em contato direto com a mesa/Bucky vertical. Cada um dos ossos faciais são localizados internamente e não são visíveis em um esqueleto seco a partir do exterior. 2 Ossos nasais. Esse grande osso facial. Os 14 ossos faciais contribuem para o formato da face de uma pessoa. 1-Mandíbula (maxilar inferior).A movimentação do paciente quase sempre resulta em uma imagem insatisfatória. Inclinação / 3. nariz e boca são em grande parte constituídas pelos ossos da face. as cavidades das órbitas. Além disso. CAUSAS DE ERROS NO POSICIONAMENTO Durante o posicionamento da cabeça do paciente. ou ossos maxilares. ou esqueleto ósseo. OSSOS DA FACE Além dos oito ossos cranianos descritos acima. ou cavidade oral. 75-85. 1-Vômer. a cabeça do paciente tem de ser colocada nas posições precisas e mantida imóvel por tempo suficiente para obter uma exposição. 2 Ossos palatinos. é necessário observar vários aspectos faciais e palpar marcos anatômicos para posicionar o plano corporal adequado precisamente em relação ao plano do filme.Tempo curto de exposição. Ele é o único osso móvel do crânio adulto.

A rotina para ossos da face comumente inclui apenas uma única lateral. as pirâmides petrosas têm que ser removidas da área dos ossos faciais de interesse.A boca e as cavidades nasais são primariamente vias de passagem e. no entanto. Essa posição pode ser realizada com uma mesa ereta ou um Bucky vertical. que contêm os órgãos vitais da visão e nervos e vasos sanguíneos associados. ou uma fratura em trípode. osso esfenáide. Cada órbita é composta de partes de sete ossos. são freqüentemente radiografadas. Trípode é uma fratura causada por um golpe na bochecha. não são com freqüência examinadas especificamente por radiologistas. As considerações sobre o posicionamento para os ossos faciais são semelhantes às do crânio. osso zigomático. os sete ossos que constituem cada órbita incluem três ossos cranianos e quatro ossos faciais OSSOS DAS ÓRBITAS Ossos Cranianos:Frontal. Em resumo. Para visualizar o maciço ósseo facial. POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO Imagens radiográficas não-superpostas de vários aspectos do crânio e dos ossos da face são difíceis de serem obtidas devido à forma e às estruturas do crânio como um todo. Ossos Faciais : Maxila.o processo orbitário. Pequena porção do osso palatino. A circunferência ou base circular de cada órbita é composta de partes de três ossos o osso frontal (placa orbitária) do crânio. enquanto a rotina para crânio pode incluir posições bilaterais. osso etmáide e osso lacrimal. resultando em uma fratura do zigoma em três lugares . Essa remoção pode ser feita por angulação do tubo ou por extensão do pescoço. As incidências de ossos da face podem ser obtidas de pé se a condição de o paciente o permitir.Esfenóide e Etmóide . a maxila e o zigoma. como tais. Os Sete Ossos da Órbita Esquerda são: osso frontal (placa orbitária). Zigoma. As órbitas. o processo maxilar e o arco. osso maxilar. . O resultado é um osso zigomático "de flutuação livre". Fraturas e processos neoplásicos/inflamatórios dos ossos faciais. órbitas e mandíbula são mostrados. lacrimal e Palatino.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful