Portugal após a 2ª Guerra Mundial (1974

)

Estagnação do mundo rural: - Agricultura pouco desenvolvida; - Baixa produtividade; - Elevada importação; - Assimetrias entre Norte (minifúndios) e Sul (latifúndios); - Estrutura fundiária precária: II Plano de Reformas: Oposição por parte dos latifundiários do Sul. Resultado: - Défice Agrícola.

Emigração: - Europa; - América; - Colónias. Motivos: - Fuga à pobreza; - Fuga ao serviço militar obrigatório; - Ocupação dos territórios ultramarinos. Estado: 1º Impunha entraves à emigração; 2º Os benefícios económicos e financeiros levam o Estado a realizar acordos com os países de acolhimento.

Surto industrial: - Lei do Fomento e Reorganização Industrial. Planos de Fomento: - I Plano: Infra-estruturas; - II Plano: Indústria de petróleos; - III Plano: Exportação.

Urbanização: - Cidades do litoral. Motivo: - Locais onde se encontram as indústrias e os serviços. Resultado: - Falta de estruturas; - Bairros de lata; - Criminalidade; - Condições de vida degradadas.

Fomento económico das colónias: - Investimentos; - Abertura ao capital estrangeiro; - Criação de infraestruturas; - Modernização da agricultura; - Aposta no sector extractivo; - Criação do Espaço Económico Português.

Sobressaltos Políticos: - Salazar quis renovar a imagem do regime; - Oposição criou o MUD. 1949 – Norton de Matos foi obrigado a desistir das eleições. 1958 – Humberto Delgado perde as eleições: os resultados não foram credíveis. - Oposição ao regime aumenta; - Questão colonial e lusotropicalismo; - Salazar mantém as colónias contra as ordens da ONU; - Guerra Colonial; - Isolamento internacional. 1968 – Marcello Caetano sobe ao poder. - Clima de repressão; - Condenação internacionalmente e nacionalmente pela insistência em manter a Guerra Colonial.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful