Você está na página 1de 8

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO


1ª UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO
EEEFM PROF.º BOLÍVAR BORDALLO DA SILVA.

EDUCAÇÃO COMO INSTRUMENTO DE JUSTIÇA E PAZ

Projeto elaborado pelo oficineiro Robson de


Sousa Feitosa1, sob a orientação da
multiplicadora Maria da Providência Rebêlo
Pereira2 e da facilitadora Valmira do Socorro do
Rosário e Silva3, na oficina de formação de
professores sobre pedagogia de projetos e
mídias tecnológicas, como requisito de
avaliação.

BRAGANÇA – PARÁ
MAIO – 2009

1 Coordenador Pedagógico da Escola Bolívar Bordallo da Silva.


2 Professora Multiplicadora do NTE – Bragança.
3 Professora Facilitadora do Laboratório de Informática da Escola Bolívar Bordallo
da Silva.
SUBTEMA:

A pedagogia de projetos na prática escolar para a promoção de


valores e para a construção de conhecimento por professores e alunos na
Escola Bolívar Bordallo.

QUESTIONAMENTOS:

Como a pedagogia de projetos pode contribuir para o


desenvolvimento de valores e para a formação dos professores e alunos?

JUSTIFICATIVA:

O contexto educacional das escolas brasileiras ainda hoje


apresenta professores e alunos atrelados à práticas pedagógicas
tradicionais, com a petrificação de imagens de professores como detentores
do saber e a frente de suas salas de aulas baseando-se essencialmente no
livro didático e no quadro-de-giz, e do outro lado verifica-se os alunos
sentados na condição de ouvintes e de receptáculos de conhecimentos.
Além das práticas tradicionais, predominantes em nossas salas de
aula, vivemos em sociedade uma crise paradigmática, que
consequentemente traz para as pessoas um momento de incertezas, de
desconhecimentos, de intolerâncias entre os seres humanos e uma
banalização da vida e do ser. Esse momento de instabilidade configura-se
no aumento da violência, na vulgarização do sexo e várias outras situações
que demonstram uma deterioração dos valores humanos.
Contrariando essas perspectivas, a pedagogia de projetos traz a
possibilidade a professores e alunos de inovarem na aquisição do
conhecimento, uma vez que não concebe esse processo como algo
estanque, mas como espaço de construção, onde ambos aprendem e
ensinam. Por conseguinte, temos um ambiente de sala de aula estimulante
e problematizador da realidade e dos conteúdos na formação dos alunos.
Sob esse prisma a mediação pedagógica do professor torna-se
algo diferente, pois desenvolve o saber a partir da pesquisa e da
capacidade de investigar a realidade e os conhecimentos.
Dessa forma, partindo do tema gerador da escola que é a
“educação como instrumento de construção da justiça e paz”, este trabalho
pretende associar a melhoria do processo ensino aprendizagem e o
desenvolvimento de uma educação pelos valores, através da prática da
pedagogia de projetos, onde professores e alunos sejam construtores de
seus saberes, pautando seus trabalhos por iniciativas que pesquisem,
problematizem e sistematizem conhecimentos, utilizando para isso várias
tecnologias midiáticas disponíveis nos espaços pedagógicos da escola, ao
mesmo tempo em que edificam aspectos relevantes para a formação
humana.
No bojo dessa mudança pragmática a coordenação pedagógica,
percebendo a necessidade de priorizar a aquisição do processo ensino
aprendizagem e a otimização dos espaços disponíveis na escola terá o
papel de estimular e acompanhar os trabalhos desenvolvidos pelos
professores com a pedagogia de projetos junto aos alunos, ao mesmo
tempo em que contribui para a realização das atividades em que se lança
mão o uso de recursos tecnológicos midiáticos como recurso pedagógico.
Portanto, o perfil característico desse projeto da coordenação
pedagógica não é o de realizar atividades diretamente com os alunos, mas
de descrever ações de formação de professores dentro da escola, na
medida em que deve oportunizar espaços de discussão sobre a realização
dos projetos, configurando-se como um suporte pedagógico a prática
docente com projetos de pesquisa, de tal sorte que deve aglutinar todos os
projetos a fim de que possam ser acompanhados e assessorados.

CLIENTELA:

Professores, alunos, voluntários do Laboratório de Informática e


comunidade em geral.
OBJETIVOS:

1. Oportunizar o uso da pedagogia de projetos pelos professores nas


atividades pedagógicas como estratégia motivadora do processo
ensino aprendizagem na Escola Bolívar Bordallo.
2. Proporcionar a discussão dentro das atividades das disciplinas
sobre os valores humanos na escola e na sociedade atualmente, a
fim de desenvolver a reconfiguração e a edificação de novos
valores na vida de professores e alunos.

DISCIPLINA/CONTEÚDO:

Por se tratar de um projeto atrelado aos outros projetos dos


professores participantes do curso, as disciplinas e conteúdos serão aquelas
escolhidas e descritas no corpo dos trabalhos dos professores.
Acrescentando-se apenas as orientações e sugestões aos professores para
que tematizem e relacionem suas atividades ao desenvolvimento e a
valorização de valores entre os alunos.

RECURSOS:

1. HUMANOS: Coordenadores pedagógicos, voluntários do


Laboratório de Informática, professores e alunos .
2. DIDÁTICOS: livros, revistas, jornais, jogos e brincadeiras.
3. TECNOLÓGICOS: Computador, impressora, pen drive, vídeos,
TV, Datashow, aparelho de DVD, internet, máquina digital e
filmadora.

METODOLOGIA:

Seguindo a mesma linha de raciocínio a concepção metodológica


pauta-se na pesquisa participante, onde a coordenação pedagógica será
parte investigadora e investigada, junto com professores e alunos, pois os
mesmos serão objetos e sujeitos problematizadores, utilizando como
técnicas o levantamento preliminar de informações junto aos alunos e
depois em referências, além do uso de entrevistas e questionários, para por
último dentro de cada enfoque realizar a análise e socialização dos
conhecimentos processados.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:

Os encaminhamentos metodológicos se consubstanciarão em


etapas, a saber:
1. Dentro da oficina foi formulado o presente projeto que tem o
papel de se apresentar aos professores como um mecanismo
de suporte por parte da coordenação pedagógica aos
professores.
2. As várias atividades pensadas e sistematizadas pelos
professores em seus projetos dentro da mesma oficina serão
parte deste projeto da coordenação pedagógica, a fim de que a
mesma possa acompanhar o seu desenvolvimento.
3. Os trabalhos elaborados por subtema e professor são os
seguintes:

Projeto Professores
Educação justa para levar o educando a ser um leitor Prof.ª Rosália Souza de
e produtor de textos proficiente. Oliveira
A competitividade como interação e socialização na Prof.ª Lélia Maria Torres
construção da aprendizagem da língua inglesa
A matemática utilizada no comércio de Bragança Prof.º Hugo Vicente da
Silva
Cidadania no município de Bragança Prof. º Jurandir Oliveira
da Silva
Educação matemática usada no cotidiano local do Prof.ª Rosilene Cardoso
comércio bragantino
Dinâmica e leitura Prof.º Cledson Jair
A paz ameaçada pela violência existente em Prof.ª Clara Matos
Bragança
As condições socioeconômicas dos moradores da área Prof.ª Zélia Caxias
de invasão/ocupação do bairro do Cereja em
Bragança
Diversidade Cultural Bragantina: interferências e Prof.ª Margarida
interação Mesquita e Goreth
Mesquita
A leitura como ponte de formação de uma cultura Prof.º Rosângela Melo
baseada na justiça
A importância de se desenvolver hábitos ambientais Profª Kátia Matos
como uma questão urgente de sobrevivência.

4. A coordenação pedagógica juntamente com professores e


alunos, estabelecerá um calendário de encontros de
acompanhamento sobre o andamento atividades e fomentará
espaços de discussão e socialização com outros professores
para divulgar a pedagogia de projeto como uma metodologia
de trabalho inovadora.
5. As atividades desenvolvidas pelos professores serão
documentadas por imagens e filmes que se constituirão num
documentário a ser exposto ao final do projeto.
6. A coordenação pedagógica criará um blog e um informativo
escrito, onde este projeto será divulgado.

PROGRAMAS EDUCACIONAIS:

Linux Educacional – Vídeos da TV Escola – Educação 4 – Aula lá


Fora.
Linux Educacional – Domínio Público – Obras literárias.
Linux Educacional – Objetos de Aprendizagem – RIVED.
Linux Educacional – Programas Educacionais (Ciências – Idiomas –
Jogos – Geografia – Multidisciplinar – Português).
Linux Educacional – Ferramentas de Produtividade.
Linux Educacional – Utilitários.
CRONOGRAMA:

Data Atividade Participantes


Maio Elaboração do Projeto de Pesquisa. Coordenação Pedagógica.
Maio Anexação dos projetos dos professores ao Coordenação Pedagógica,
projeto da coordenação. facilitadores dos
Laboratório de
Informática da escola e
Professores.
Junho Encontro para estabelecimento de Coordenação Pedagógica
calendário de acompanhamento das e Professores.
atividades.
Junho Criação de um blog e do informativo da Coordenação Pedagógica
coordenação pedagógica. e facilitadores dos
Laboratório de
Informática da escola .
Junho a Acompanhamento das atividades com Coordenação Pedagógica,
Novembro registro com máquina fotográfica e voluntário do Laboratório
filmadora, além de sistematização por de Informática,
escrito. Professores e alunos.
Novembro Formatação das imagens e dos registros Coordenação Pedagógica,
e escritos para o lançamento de um voluntário do Laboratório
Dezembro encarte com um documentário sobre os de Informática,
trabalhos e a pedagogia de projetos. Professores e alunos.
Dezembro Lançamento do documentário com Coordenação Pedagógica,
encarte de divulgação. voluntário do Laboratório
de Informática,
Professores, alunos e
comunidade em geral.

AVALIAÇÃO:

A concepção de avaliação que pauta este trabalho compreende


que a verificação de ensino e aprendizagem dos envolvidos no projeto tem
que ser gradual e formativa, baseando-se em critérios auto-avaliativos que
serão discutidos nos momentos de formação, tudo sendo e sistematizados
em documento para se exposto e/ou divulgado.
Outro aspecto que deve ser levado em consideração é o êxito e o
envolvimento das atividades desenvolvidas, avaliado por instrumento de
coleta de dados junto a professores e alunos.

REFERÊNCIAS:

MEC. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA. Integração das


tecnologias na Educação. Brasília: Ministério da Educação, SEED,
2005. Acesso em: 21 de maio de 2009. Disponível em:
www.tvebrasil.com.br/salto/livro/3sf.pdf

PREFEITURA DE SANTO ANDRÉ. Aula lá fora. Vídeos da TV Escola.


Acesso em: 21 de maio de 2009. Disponível em: Software Livre,
Linux Educacional.

MACHADO, Nilson José. Educação: projetos e valores. São Paulo:


Escrituras, 2000.