Você está na página 1de 7

PRÓPTIA

Retalhos do
Evangelho
Escândalos - Cortar a mão. 1

António Martinho Fernandes


Abril 2008

1
Estudo feito no Centro Espírita Joana d’Arc a 01/04/2008.
Escândalos - Cortar a mão. 2

Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo, VIII: 11 a 17.


(Mateus, v: 8 - Mateus, XXIII: 6 a 11 - V: 29-30.

SÍNTESE:

“Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus”. (Mat., V: 8)

Item, 11: “O que escandalizar, porém a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora
que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de atafona, e o lançassem ao fundo do mar. Ai do mundo, por
causa dos escândalos. Porque é necessário que sucedam escândalos, mas ai daquele homem por quem
vem o escândalo. Ora, se a tua mão, ou o teu pé, te escandaliza, corta-o e lança-o fora de ti. Melhor é
entrar na vida manco ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, ser lançado no fogo eterno. E se o
teu olho te escandaliza, tira-o, e lança-o fora de ti. Melhor é entrar na vida com um só olho, do que, tendo
dois, ser lançado no fogo do inferno. Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos
declaro que os seus anjos no céu incessantemente estão vendo a face de meu Pai que está nos Céus.
Porque o filho do Homem veio a salvar o que havia perecido”. (Mat., V: 29-30).

Item, 12: Em seu sentido vulgar escândalo é tudo aquilo que choca a moral ou as conveniências, de
maneira ostensiva. O escândalo não está propriamente na ação, mas nas repercussões que ela pode ter. A
palavra escândalo implica sempre a idéia de certo estrépito. Muitas pessoas se contentam com evitar
escândalo, porque o seu orgulho sofreria com ele e a sua consideração diminuiria entre os homens,
procurando ocultar as suas torpezas, o que lhes basta para tranqüilizar a consciência. Esses são segundo
as palavras de Jesus: “sepulcros brancos por fora, mas cheios de podridão por dentro, vasos limpos por
fora, mas sujos por dentro”.

No sentido evangélico, a acepção da palavra escândalo, tão freqüentemente empregada, é muito mais
amplo motivo por que não é compreendida, em certos casos. Escândalo não é somente o que choca a
consciência alheia, mas tudo o que resulta dos vícios e das imperfeições humanas, todas as más ações de
indivíduo para indivíduo, com ou sem repercussões. O escândalo, nesse caso, é o resultado efetivo do mal
moral.

Item, 13: É necessário que sucedam escândalos no mundo, disse Jesus, porque os homens, sendo
ainda imperfeitos, têm inclinação para o mal, e porque as más árvores dão maus frutos. Devemos pois
entender por essas palavras, que o mal é uma conseqüência da imperfeição humana, e não que os
homens tenham obrigação de praticá-lo.

Item, 14: É necessário que venha o escândalo, para que os homens, em expiação na Terra, se punam a
si mesmos, pelo contato de seus próprios vícios, dos quais são as primeiras vítimas, e cujos
inconvenientes acabam por compreender. Depois que tiverem sofrido o mal, procurarão o remédio no bem.
A reação desses vícios serve, portanto, ao mesmo tempo de castigo para uns e de prova para outros. É
assim que Deus faz sair o bem do mal, e que os próprios homens aproveitam as coisas más ou
desagradáveis.

Item, 15: Se assim é, dir-se-á, o mal é necessário e durará sempre, pois se viesse a desaparecer, Deus
ficaria privado de um poderoso meio de castigar os culpados. É inútil, portanto, procurar melhorar os
homens. Mas se não houvesse culpados, não haveria necessidade de castigos. Suponhamos a
humanidade transformada numa comunidade de homens de bem: nenhum procuraria fazer mal ao
próximo, e todos seriam felizes, porque seriam bons. Tal é o estado dos mundos adiantados, dos quais o
mal foi excluído. Tal será o estado da Terra, quando houver progredido suficientemente. Mas enquanto
certos mundos avançam, outros se formam, povoados por Espíritos primitivos, e que servem ainda de
morada, de exílio e de lugar de expiação para os Espíritos imperfeitos, rebeldes, obstinados no mal,
rejeitados pelos mundos que se tornam felizes.

2
Estudo feito no Centro Espírita Joana d’Arc a 01/04/2008.

2
Item, 16: Mas ai daquele por quem vem o escândalo: quer dizer que o mal sendo sempre o mal, aquele
que serviu, sem o saber, de instrumento para a justiça divina, sendo utilizados os seus maus instintos, nem
por isso deixou de fazer o mal, e deve ser punido. É assim, por exemplo, que um filho ingrato é uma
punição ou uma prova para o pai que o suporta porque esse pai talvez tenha sido um mau filho, que fez
sofrer seu pai, e agora sofre a pena de talião. Mas o filho não terá desculpas por isso, e deverá ser
castigado por sua vez, através dos seus próprios filhos ou de outra maneira.

Item, 17: Se tua mão te serve de causa de escândalo, corta-a: figura energética, que seria absurdo
tomar-se ao pé da letra, e que significa simplesmente a necessidade de destruirmos em nós todas as
causas de escândalo, ou seja, do mal. É necessário arrancar do coração todo sentimento impuro e toda a
tendência viciosa. Quer dizer ainda que mais vale para o homem ter a mão cortada, do que esta ser para
ele o instrumento de uma ação má; ser privado da vista do que os seus olhos lhe servirem para maus
pensamentos. Jesus nada disse de absurdo, para quem souber compreender o sentido alegórico e
profundo das suas palavras; mas muitas coisas não podem ser compreendidas, sem a chave oferecida
pelo Espiritismo.

******

PONDERAÇÕES:

Com a Doutrina Espírita, ou seja, com o Espiritismo, se vê bem claro a preocupação de Jesus na Lei de
Causas e Efeitos, 3 e preocupação do futuro da alma. Eram freqüentemente fortes as suas palavras para
estimular no homem:
A vontade de se melhorar,
A vontade de se disciplinar,
A vontade de se moralizar,
A vontade de se virtualizar,

E, a vontade de se transformar para o bem e a paz que vem de Deus.

E, em suas palavras fortes vibrar as emoções do homem à realidade da vida espiritual na


imortalidade da alma.

“cortar a mão”, diz Allan Kardec, no item, 17: “figura energética, que seria absurdo tomar-se ao pé da
letra, e que significa simplesmente a necessidade de destruirmos em nós todas as causas de escândalo,
ou seja, do mal”.

Diz Jesus, ‘cortar a mão, é melhor do que seja lançado no inferno’, logo, deduzimos, que se o cortar a
mão, não é para literalmente cortar a mão, mas para se extrair o mal de nós, para lutarmos para viver no
bem. Desse mesmo lógico modo de pensar, quando Jesus diz:

‘Para não ser lançado no inferno’, não é literalmente, num lugar circunscrito, que o mito diz existir, mas
os tormentos e angustias em que a alma venha a cair, por não ter tido o cuidado de viver de acordo, com o
seu conhecimento de possuir uma alma imortal, viver de qualquer jeito, sem proveito nenhum, para o futuro
de sua alma.

Esquecendo-se da Lei de Causas e Efeitos, de que se fizer o mal, vem o remorso, fogo que queima a
alma, para que do remorso, venha o arrependimento, que vem como água refrescante que apaga o
sufocante calor intenso da angustia, causa de sofrimento, em que o próprio sofredor é o responsável.

Muitos dos homens do tempo de Jesus, e até mesmo deste nosso tempo, pensam em si mesmos
egoisticamente, pensando em fazer o que quiserem; o mal mesmo que seja, se isso lhes traz benefício, por
isso Jesus tinha que falar rigorosamente e com palavras fortes, para sensibilizar e acordar no homem a
responsabilidade espiritual, perante si próprios, perante Deus, lógico, e, perante o próximo.

3
Evangelho Segundo o Espiritismo. V: 4 a 10

3
A Lei de Causas e Efeitos, pode-se a entender, como diz o povo ou um ofendido: “isto não vai ficar
assim, não”, é porque a Lei de Causas e Efeitos é rigorosa, todas as causas trazem um efeito, se do bem,
para o bem, se do mal, para o mal, isto é, no bem ganhamos virtudes e no mal ganhamos sofrimentos, que
podem ser evitados se todos aceitarem as advertências de Jesus, pois ele na verdade não trouxe castigos,
porém explicou: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundancia”. 4

******

Vejamos no livro “O Céu e o Inferno” capitulo V: itens, 4 a 10:

Item, 4: Em cada existência há ocasião à alma para dar um passo adiante, de sua vontade depende a
maior ou menor extensão do passo: (...), É pois em sucessivas encarnações que a alma se despoja das
suas imperfeições, que se purga, em uma palavra, até que esteja bastante pura para deixar os mundos de
expiação como a terra, onde os homens, em proveito do futuro, expiam o passado e o presente. (...).

Item, 5: Aquele pois que sofre nesta vida pode dizer-se que é porque não se purificou suficientemente
em sua existência precedente, devendo, se o não fizer nesta, sofrer ainda na seguinte. (...).

Item, 6: ... A expiação no mundo dos Espíritos e na terra não constitui duplo castigo para eles, porém
um complemento do trabalho efetivo a facilitar o progresso. (...).

Item, 7: Considerando-se como é grande o sofrimento de certos Espíritos culpados no mundo invisível e
quanto é terrível a situação de outros. Tanto mais penosa pela impotência de preverem o termo desses
sofrimentos, poder-se-ia dizer que se acham no inferno, se o vocábulo não implicasse a idéia de um
castigo eterno e material.

Graças, porém à revelação e dos exemplos que nos oferecem, sabemos que o prazo da expiação está
subordinado ao melhoramento do culpado.

Item, 8: O Espiritismo pois, não nega, mas antes confirma, a penalidade futura. O que ele destrói é o
inferno localizado com suas fornalhas e penas irremissíveis. Não nega, por outro lado, o purgatório, pois
prova que nele nos achamos, definindo-o com precisão e aplicando a causa das misérias terrestres,
conduz à crença aqueles mesmos que o negam. (...).

Item, 9: A palavra purgatório sugere a idéia de um lugar circunscrito: eis por que mais naturalmente se
aplica à Terra. (...).

Item, 10: Mas por que não teria Cristo falado do purgatório? É porque, não existindo a idéia, não havia
palavra para representá-la.
Cristo serviu-se da palavra inferno, a única usada, como termo genérico, para designar as penas
futuras, sem distinção. (...)”,

******

A idéia do inferno como lugar circunscrito, que era aceito na fé cega ou na confiança da palavra dos
dirigentes religiosos, não é mais aceito pelo uso da razão ou da lógica, ou até mesmo por dedução, pois
seja religiosamente ou cientificamente, todos nós sabemos que há as Leis de Progresso e de Evolução, e
até as Leis de Transformação.

Dizem os geólogos que os diamantes já foram carvão, e aí, eu me pergunto: ‘Será que o ouro, sempre
foi ouro?’ (já foi chumbo).
Dizem também os geólogos que o Petróleo nasceu de florestas que teriam sido soterradas há milhões
de anos.

4
João, X: 10

4
Dizem os Espíritos que os Anjos nem sempre foram Anjos, dizem eles, que os Anjos passaram por
todos os graus de ascensão, até o grau em que se encontram; também falam que o diabo de hoje será o
Anjo de amanhã, 5 e acrescentam complementarmente, que assim como os Espíritos ganham progresso,
os Mundos em que habitam, também progridem, e dão-nos exemplo da própria Terra, que já foi primitiva,
que agora é de provas e expiações, porém, que se está a transformar para mundo de regeneração.6

Tudo isso é lógico, porque se vê em nossos próprios olhos, os diamantes, o ouro, o gás, o petróleo e
centenas de outras coisas, e vêem-se homens que eram maus a se transformarem em homens de bem.

******

Vejamos um pouco no livro ‘O Céu e o Inferno’, no capítulo VII - CÓDIGO PENAL DA VIDA FUTURA:

“O Espiritismo não vem, pois, com sua autoridade privada, formular um código de fantasia; a sua lei, no
que diz respeito da alma, deduzidas observações do fato, pode resumir-se nos seguintes pontos:

1°- A alma ou Espírito sofre na vida espiritual as conseqüências das imperfeições que não conseguiu
corrigir na vida corporal. O seu estado, feliz ou desgraçado, é inerente ao seu grau de pureza ou impureza.

2°- A completa felicidade prende-se à perfeição, isto é, à purificação completa do Espírito. (...) .

3°- Não há uma única imperfeição da alma, que não importe funestas e inevitáveis conseqüências,
como não há uma só qualidade boa que não seja fonte de gozo.

A soma das penas é assim proporcionada à soma das imperfeições, como a dos gozos à das
qualidades.

A alma que dez imperfeições, por exemplo, sofre mais do que as que têm três ou quatro; quando
dessas dez imperfeições não lhe restar mais que a metade ou um quarto, menos sofrerá e gozará de
inteira felicidade quando não tiver nenhuma. Também na Terra, quem tem muitas moléstias, sofre mais do
que quem tenha apenas uma ou nenhuma, pela mesma razão, a alma que possui dez perfeições tem mais
gozos do que outra menos rica de boas qualidades.

4°- Em virtude da lei do progresso que dá à alma a possibilidade de adquirir o bem que lhe falta, como
de despojar-se do que tem de mau, conforme o esforço e vontade próprios resultam que o futuro é franco
para as criaturas. Deus não repudia nenhum de seus filhos, antes os recebe em seu seio à medida que
atingem a perfeição, deixando a cada um o mérito das próprias obras.

5°- Dependendo o sofrimento da imperfeição, como o gozo da perfeição, a alma traz consigo o próprio
castigo ou prêmio, onde quer que se encontre, sem necessidade de lugar circunscrito.

“O inferno está em toda parte em que haja almas sofredoras e o céu igualmente onde houver almas
felizes”. (...)”.

******

O código penal da vida futura preparado por Kardec, neste sétimo capítulo do livro, ‘O Céu e o Inferno,
consiste em trinta e três pontos de explicação; o bom seria os lermos em casa com atenção e tirar o
máximo proveito.
Concluímos então, em nosso entendimento, que depende de nós o esforço para ganharmos a
felicidade, diminuindo cada vez mais o sofrimento e os males que nos afligem; de certo modo é cada um

5
O Céu e o Inferno, 1ª parte, 3:6 - VIII: 12.
6
Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo, III: 8-18.

5
por si, pois é: ‘a cada um segundo as suas obras’, 7 embora Deus nos ajude, o nosso progresso e nossa
evolução, tem que ser ganha por nós, e se, melhorarmos numa vida, trazemos esse mérito na próxima, e
assim por diante.8

E, lembremo-nos que Jesus disse que: “Estaria conosco até a consumação dos séculos”, 9 sendo que é
nesta fé e esperança que nos adiantamos de dia a dia.

Pois bem, que Deus seja conosco, assim como outrora, hoje e sempre!.

A idéia do inferno como lugar circunscrito, que era


aceito na fé cega ou na confiança da palavra dos
dirigentes religiosos, não é mais aceito pelo uso da
razão ou da lógica, ou até mesmo por dedução,
Pois seja religiosamente ou cientificamente, todos
nós sabemos que há as Leis de Progresso e de
Evolução, e até as Leis de Transformação.
Dizem os geólogos que os diamantes já foram
carvão, e aí, eu me pergunto: ‘Será que o ouro,
sempre foi ouro?’ (já foi chumbo).
Dizem também os geólogos que o Petróleo nasceu
de florestas que teriam sido soterradas há milhões
de anos.
Dizem os Espíritos que os Anjos nem sempre foram
Anjos,
Dizem eles, que os Anjos passaram por todos os
graus de ascensão,
Até o grau em que se encontram;
7
Mateus, XVI: 27.
8
Livro dos Espíritos, questão, 118.
9
Mateus, XXVIII: 20.

6
Também falam que o diabo de hoje será o Anjo de
amanhã, 10
E acrescentam complementarmente, que assim
como os Espíritos ganham progresso, os Mundos em
que habitam, também progridem,
E dão-nos exemplo da própria Terra, que já foi
primitiva, que agora é de provas e expiações,
porém, que se está a transformar para mundo de
regeneração.11
Tudo isso é lógico, porque se vê em nossos próprios
olhos, os diamantes, o ouro, o gás, o petróleo e
centenas de outras coisas, e vêem-se homens que
eram maus a se transformarem em homens de
bem.

10
O Céu e o Inferno, 1ª parte, 3:6 - VIII: 12.
11
Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo, III: 8-18.
Extrato do estudo ‘Escândalos cortar a mão’, dado por Martinho no Centro Espírita
Joana d’Arc,
Situado à Rua Capitão Salustiano, RJ. a 01/ 04/ 2008.

Interesses relacionados