Resumo de História – 7º ano As primeiras grandes civilizações 1- Localiza no espaço as primeiras civilizações.

Civilizações dos Grandes rios - Suméria, Egípcia, a do Vale do Indo e a do Vale do Rio Amarelo Surgiram no Mediterrâneo Oriental 2- Refere a importância do Nilo para os Egípcios.  O "Egito é um dom do Nilo"; de facto, a civilização egípcia deve a sua existência ao rio em cujo vale se desenvolve um oásis, ladeado por dois desertos e que desagua no Mediterrâneo, em forma de delta. O Nilo tinha cheias de Julho a Outubro, devido às chuvas que caíam em Maio nas regiões tropicais dos grandes lagos africanos, onde este nasce. As águas das cheias irrigavam as margens depositando detritos aluviais que fertilizavam o solo. Quando o rio voltava ao seu leito normal, as terras eram lavradas e semeadas. O Egito / Os Hebreus / Os Fenícios

3- Refere as principais atividades económicas dos egípcios. A economia egípcia era, essencialmente, uma economia agrária, pois a agricultura constituía a actividade principal dos egípcios: cultivavam cereais (trigo, centeio, cevada), linho, vinha, legumes e frutos e colhiam o papiro, com que fabricavam uma espécie de papel. Praticavam, igualmente, a pecuária, a caça e a pesca e dedicavam-se ainda ao artesanato (olaria, cestaria, ourivesaria, vidro, tecelagem, metalurgia, construção naval) e ao comércio, por exemplo, com a Fenícia, exportando produtos agrícolas e artesanais (trigo, papiro) e importando madeira e metais. 4- Indica os poderes do faraó. O Egito foi governado por faraós sob a forma de uma monarquia teocrática. O faraó era o herdeiro dos deuses e ele próprio considerado um “deus vivo”, filho de Rá, deu s do Sol. A sua autoridade era sagrada e absoluta, era simultaneamente rei e deus. Era sumo-sacerdote, juiz supremo, chefe dos exércitos e tinha o poder de vida ou de morte sobre os seus súbditos. Era ainda o proprietário da maior parte das terras. 5- Distingue os grupos que compunham a sociedade egípcia. A sociedade egípcia pode representar-se como uma pirâmide social: - No cume da pirâmide estava o faraó, o “deus vivo” dos egípcios. - Seguia-se o grupo mais privilegiado da sociedade egípcia, composto pelos sacerdotes, nobres, altos funcionários e familiares do faraó. Era uma minoria rica e poderosa, que recebia dádivas do faraó, nomeadamente terras e outras recompensas.
1

os artífices e os camponeses. tinham uma vida difícil: pagavam pesados impostos ao faraó. 2 .Explica as características da sociedade egípcia . que não tinham quaisquer direitos e eram forçados ao trabalho. Poder sacralizado – forma de oraganização do poder em que este é exercido por um rei ou sacerdote. organizando-se em dois grandes grupos: os privilegiados e os não privilegiados. . Para que os corpos não entrassem em decomposição após a morte. poder e riqueza de cada um . A sociedade egípcia era uma sociedade estratificada e hierarquizada. -Dos grupos não privilegiados faziam parte os comerciantes. caminhos e locais de comércio e tinham também um grande prestígio social. Os sacerdotes ocupavam um lugar especial neste grupo. de acordo com as funções. que eram a maioria da população (cerca de 90%). Os comerciantes viviam melhor mas eram controlados pelo Estado. Os artesãos estavam dependentes das encomendas dos nobres. 7. por exemplo) e tinham ainda direito ao saque durante as conquistas. tinham de entregar aos donos das terras quase tudo o que produziam e ainda trabalhavam para o Estado nas obras públicas. privilégios.Descreve o processo de mumificação. por vezes. Trabalhavam na exploração mineira. prisioneiros de guerra. 6. dádivas do faraó (terras. pelos cargos que ocupavam e porque dominavam a escrita.sistema religioso em que se veneram vários deuses. nos campos e por vezes faziam serviços domésticos. do palácio ou do templo. Participaram também no trabalho das grandes construções egípcias.Define poder sacralizado e politeísmo. cobravam os impostos. os Egípcios desenvolveram a técnica de mumificação ou embalsamamento dos mortos (extrair as vísceras do corpo e de seguida enfaixá-lo com ligaduras de linho). ou representante da divindade. Politeísmo . em geral.Os soldados eram um grupo intermédio na sociedade: recebiam. o cálculo e as leis. 8. formada por vários escalões/estratos sociais. O poder sacralizado está na origem dos “estados teocráticos” em que o poder político se associa ao poder religioso. pois a função religiosa dava-lhes um grande prestígio. asseguravam a conservação dos canais. aos sacerdotes e aos senhores.   .  Os camponeses. considerado deus. Os escribas contabilizavam as colheitas.Na base da pirâmide social estavam os escravos.

o faraó era sempre destacado. a lendas. tais como nobres e funcionários. as quais apresentavam expressividade e naturalismo de movimentos.. 11.9. de forma a tentar evitar os assaltos que se verificavam aos túmulos dos faraós. evidencia a crença na imortalidade da alma e na reencarnação. onde se encontra também a colossal esfinge – a guardiã dos túmulos. rígidas e sem expressão dos faraós e as estatuetas de particulares. Na pintura. no centro. A alma para encarnar deveria ter um corpo. Kéfren e Miquerinos. . 3 . monumentos funerários construídos para guardar os corpos mumificados. A arte egípcia manifestou-se. 10. Os túmulos. eram decoradas com pinturas alusivas aos deuses.no 3º milénio a. tiveram. surgem as pirâmides de faces lisas . Se o morto em vida tivesse sido mau e impuro. tinham no interior divisões decoradas com relevos e estátuas do morto e. O imobilismo é outra das particularidades da pintura egípcia.as pirâmides de degraus.no 2º milénio a. no reino dos mortos. ombros em posição simétrica e o olho visível representado de frente. os egípcios embalsamavam os seus defuntos e colocavam as múmias em sarcófagos. por isso. isto é.Indica os principais monumentos egípcios. . cuja escala (o tamanho das figuras) correspondia à respectiva importância social. Na escultura egípcia destaca-se o contraste entre as estátuas colossais. situada no subsolo. . O Tribunal de Osíris.Explica o que se passava no tribunal de Osíris.. à vida dos faraós e dos grandes senhores. túmulo com a forma de um tronco de pirâmide. na construção de palácios. como que a indicar o caminho que permitia o encontro com os deuses. túmulos escavados na rocha. destinado ao julgamento dos mortos.C. localizadas no vale de Gizé. As pirâmides afunilavam-se em direcção ao céu. Anúbis e Hórus pesavam-lhe o coração. As paredes interiores das construções egípcias. por isso. pondo-o num dos pratos da balança e no outro uma pena de avestruz. Só os bons viveriam para sempre.C. usavam-se cores vivas e as figuras humanas aparecem representadas segundo determinadas regras (lei da frontalidade): a cabeça e os pés de perfil e o tronco de frente. mobiliário. e o seu tamanho colossal traduzia os sentimentos de orgulho e de força dos faraós egípcios. ao longo dos séculos. e a sua alma encarnaria no corpo.Indica as características da arte egípcia..as mastabas. no Império Novo. numa vida para além da morte: o defunto fazia a sua confissão perante Osíris. o coração pesaria mais do que a pena e seria condenado. surgem os hipogeus.destacam-se as de Keóps. etc. templos e túmulos de grande dimensão e está muito ligada ao poder absoluto e divino do faraó. um poço que comunicava com a câmara funerária. numa existência extraterrena. diferentes formas: . em conjunto com objetos pessoais. fundamentalmente.

aquando da fuga do povo hebraico.Explica a originalidade da religião hebraica. Surgiu. em que cada sinal não representava já uma ideia ou um objecto como na escrita hieroglífica do Egipto. Neles foram encontrados numerosos tesouros. os Egípcios também foram originais. criador do Homem e do Universo (MONOTEÍSMO). papiros e flores de lótus.  na vinda de um Messias (MESSIANISMO). representando cenas religiosas e épicas. uma nova escrita de tipo fonético. Javé ou Jeová. necessitavam. 13. que ilustram a vida faustosa da realeza egípcia. 4 . tais como na joalharia. de uma escrita simples e acessível. mobiliário e peças de marfim. ourivesaria. templos e túmulos. As paredes eram decoradas com baixos-relevos. etc. cerâmica. sobretudo. são também importantes vestígios da arquitetura egípcia. vidro. assim. construídos para celebrar o culto aos deuses.. desenhados com uma grafia original. Inventaram então um alfabeto de 22 letras ou sinais (só consoantes). 12. para as suas inúmeras transacções. lembrando palmeiras. O livro sagrado dos Judaísmo é a Tora (Antigo Testamento da Bíblia Cristã). palácios. os egípcios construíram. objectos de cerâmica.Justifica a criação da escrita alfabética pelos Fenícios. no Antigo Testamento e foram revelados a Moisés no Monte Sinai. Nas artes decorativas. Nos templos.Ao nível da arquitetura. os tectos eram suportados por colunas de pedra inspiradas na Natureza. Os hebreus acreditavam:  num só Deus.Localiza no espaço a Palestina e a Fenícia. Palestina – situava-se no Mar Mediterrâneo Fenícia – situava-se numa estreita faixa costeira compreendida entre o Mediterrâneo Oriental e as montanhas do Líbano. mas um som. 14. Os palácios eram o local onde viviam os faraós e suas famílias e eram os maiores e mais ricos monumentos não funerários do antigo Egito. Estátuas colossais (como as de Ramsés II no templo de Abu Simbel) e baixos-relevos. peças de vidro. tal como outros povos que viviam do comércio. Os princípios fundamentais da religião e a história do povo hebraico (OS DEZ MANDAMENTOS) encontram-se na Bíblia. A Escrita Alfabética Os Fenícios.

5 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful