Você está na página 1de 36

Faculdade Integrada Tiradentes- Fits

Curso de Engenharia Mecatrônica

Curso de Engenharia de Petróleo

de Engenharia Mecatrônica Curso de Engenharia de Petróleo Ondas, Termologia e Óptica Disciplina: Física de Ondas,

Ondas, Termologia e Óptica

Curso de Engenharia de Petróleo Ondas, Termologia e Óptica Disciplina: Física de Ondas, termologia e óptica
Curso de Engenharia de Petróleo Ondas, Termologia e Óptica Disciplina: Física de Ondas, termologia e óptica

Disciplina: Física de Ondas, termologia e óptica

Profa. Mcs. Nívea Fernanda

Alagoas, 2014

Conteúdo

Conteúdo UNIDADE I 1. Movimentos Periódicos Definição de oscilação; 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 Movimento

UNIDADE I

1. Movimentos Periódicos

Definição de oscilação;

1.1

1.2

1.3

1.4

1.5

1.6

Movimento harmônico simples (MHS);

Energia no MHS;

Pêndulo Simples;

Pêndulo Físico;

Oscilações amortecidas;

Energia no MHS; Pêndulo Simples; Pêndulo Físico; Oscilações amortecidas; 1.7 Oscilações forçadas e ressonância.

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

EQUAÇÕES DO MOVIMENTO NO MHS x  t  A c o s  t
EQUAÇÕES DO
MOVIMENTO NO MHS
x  t 
A
c o s 
t
 
d x
v
 
A
sin
 
t
d t
2
d x
2
a
 
A
cos
 
t
2
d t
k
v

A
A
max
m
k
2
a

A
A
max

m

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

EQUAÇÕES DAS ENERGIAS NO MHS

ENERGIA CINÉTICA

K

1 2 k A

2

sin

2

t

ENERGIA POTENCIAL

U

c o

s

t

1 2 k A

2

2

ENERGIA MECÂNICA

E  1 k A 2 M 2
E
1
k A
2
M
2
U  c o s  t 1 2 k A 2 2   

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Sistemas que possuem uma posição de equilíbrio executam um movimento harmônico simples, em torno desta posição (para

deslocamentos pequenos).

Sistemas que tem grandes acelerações, são osciladores não-

harmônicos, ou seja, as forças de retorno não são mais proporcionais

ao deslocamento. Neste caso o período (T) depende da amplitude (A).

Veremos alguns exemplos de movimento harmônico simples:

Pêndulo Simples

Pêndulo Físico

amplitude ( A ).  Veremos alguns exemplos de movimento harmônico simples:  Pêndulo Simples 

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Simples

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Simples  Consideremos um pêndulo simples, como sendo um corpo de massa
MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Simples  Consideremos um pêndulo simples, como sendo um corpo de massa

Consideremos um pêndulo simples,

como sendo um corpo de massa m suspensa por um fio ou haste de comprimento l e massa desprezível.

A força restauradora é a componente

tangencial da força resultante:

F

  mgsen

para pequenos deslocamentos

sen

logo

F

  mg 

mg

L

x

A força restauradora é proporcional a

coordenada para pequenos deslocamentos e

k = mg/L.

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Simples

A freqüência angular () de um pêndulo simples com amplitude pequena será

k m
k
m

mg L / m
mg L
/
m

g L
g
L

A freqüência (f) e o período (T) correspondente são:

f

2

1 g 2  L
1
g
2
L

2

1

f

L g
L
g

T

2

são: f   2   1 g 2  L 2  1 

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Simples

ENERGIA CINÉTICA

K

1

K  1 2 2 mgLA sin 2   t   

2

2

mgLA sin

2

t

ENERGIA POTENCIAL

U

1

U  1 2 2 mgLA cos 2   t   

2

2

mgLA cos

2

t

ENERGIA MECÂNICA

E

M

1

mgLA

E M 1  mgLA 2 2

2

2

U  1 2 2 mgLA cos 2   t    ENERGIA MECÂNICA

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Simples exemplo 1

Você puxa lateralmente um pêndulo simples de 0,240 m de comprimento até um ângulo de 3,5 ° e a seguir o liberta.

(a) Quanto tempo leva o peso do pêndulo para atingir

a velocidade mais elevada?

(b) Quanto tempo levaria se o pêndulo simples fosse libertado de um ângulo de 1,75 ° em vez de 3,5 ° ?

T

4

 L 2 g
 L
2
g

0.25 s .

simples fosse libertado de um ângulo de 1,75 ° em vez de 3,5 ° ? T

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Simples exemplo 2

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Simples – exemplo 2

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Simples exemplo 3

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Simples – exemplo 3

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico

Ao contrário do pêndulo simples, um pêndulo real, frequentemente chamado de , pêndulo físico. Um pêndulo físico é qualquer

pêndulo real, que usa um corpo de volume finito.

h
h

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico

Pêndulo Simples

h
h

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico

 ( mg )( hsen)

Para pequenas oscilações, o movimento é aproximadamente harmônico simples.

 ( mgh )

h
h

A equação do movimento

   ( mgh )  h  A equação do movimento Segunda lei de

Segunda lei de Newton

para a rotação

   ( mgh )  h  A equação do movimento Segunda lei de

I

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico

A frequência angular () de um pêndulo físico com amplitude

pequena será

mgh I
mgh
I

A freqüência (f) e o período (T) correspondente são:

 1 mgh f   2  2  I 2  1 I
1
mgh
f 
2 
2
I
2
1
I
T 
 2
f
mgh
(T) correspondente são:  1 mgh f   2  2  I 2 

Exemplos de Momento de Inércia

Exemplos de Momento de Inércia Aro ou casca cilíndrica I CM  MR 2 Longa Haste

Aro ou casca cilíndrica

I

CM

MR

2

Momento de Inércia Aro ou casca cilíndrica I CM  MR 2 Longa Haste fina com

Longa Haste fina com eixo de rotação que passa pelo

centro.

I

CM

1

12

2

ML

eixo de rotação que passa pelo centro. I CM  1 12 2 ML Cilindro sólido

Cilindro sólido ou disco

I

CM

1

2

2

MR I

 1 12 2 ML Cilindro sólido ou disco I CM  1 2 2 MR

Placa retangular

I CM

1

12

M a b

2

2

I Placa retangular I CM  1 12  M a  b 2 2 

Cilindro oco

CM

1

2

M R R

1

2

2

2

b 2 2  Cilindro oco CM  1 2  M R R 1 

Esfera sólida

I

CM

2

5

MR

2

 M R R 1  2 2 2  Esfera sólida I CM  2

Longa haste fina

com o eixo de

rotação que passa

pelo fim

I ML

3

1

2

 2 5 MR 2 Longa haste fina com o eixo de rotação que passa pelo
Esfera oca I CM  3 2 MR 2
Esfera oca
I CM 
3 2 MR
2

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico exemplo 1

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico – exemplo 1 T 2   I mgh
MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico – exemplo 1 T 2   I mgh

T

2

I mgh
I
mgh
MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico – exemplo 1 T 2   I mgh

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico exemplo 1

T

2

I mgh
I
mgh

O momento de inércia do pêndulo é obtido por meio da aplicação do teorema dos eixos

paralelos

I I md

CM

2

do teorema dos eixos paralelos I  I  md CM 2 mL 12 2 m

mL

12

2

m

12

I

2

md

2

L

12 d

2 
2
m 2 2  L  12 d  12 T  2  mgh
m
2
2
L
 12
d
12
T  2
mgh

Teorema dos Eixos Paralelos

O teorema dos eixos paralelos estabelece que o momento de inércia ao redor de qualquer eixo que é paralelo e que se encontra a uma distância D do eixo que passa pelo centro de massa é

I = I CM + MD 2

que é paralelo e que se encontra a uma distância D do eixo que passa pelo

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico - exemplo

T

2

I mgh
I
mgh

T 2

m 2 2  L  12 d  12 mgd
m
2
2
L
 12
d
12
mgd

T

2 2  L  12 d  3 gd
2
2
L
 12
d
3
gd
 I mgh T  2  m 2 2  L  12 d 

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

Pêndulo Físico exemplo 2

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico – exemplo 2
MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico – exemplo 2
MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico – exemplo 2

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico - exemplo

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico - exemplo
MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico - exemplo

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico - exemplo

2 O momento de inércia da vara ml I  v 3 O momento de
2
O momento de inércia da vara
ml
I 
v 3
O momento de inércia do disco requer a
aplicação do teorema dos eixos paralelos
 I  md
2
I d
CM

MR

2

2

I I

d

CM

2

M l R I

d

I  I d CM   2  M l  R  I 
I  I d CM   2  M l  R  I 
I  I d CM   2  M l  R  I 
I  I d CM   2  M l  R  I 

M l R

2

2 2 I  I d CM   2  M l  R 

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES Pêndulo Físico - exemplo

2 ml 2 MR 2 I  e I   M l  R
2
ml
2
MR
2
I 
e
I
 M l  R
v
d
3
2
2
2
ml
I 
MR
2
M
l
R
3
2
2
2
ml
I 
R
2
M
l
R
3
2

Substituindo os valores

I 0,0289 Kg m

2

 2  M   l  R    3 2  

Pêndulo Físico - exemplo

Pêndulo Físico - exemplo T 2   I mgh 2 T   I 

T

2

I mgh
I
mgh

2

T

I  m  M gh 
I
m
M gh

T 0,55 s

Pêndulo Físico - exemplo T 2   I mgh 2 T   I 

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

Quando o movimento de um oscilador é reduzido por uma força externa dizemos que o oscilador e seu

movimento são amortecidos.

dizemos que o oscilador e seu movimento são amortecidos. F  b v a Onde: F

F  b v

a

Onde:

F a força de amortecimento

b é uma constante de amortecimento

movimento são amortecidos. F  b v a Onde: F a força de amortecimento b é

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

F  K x

F  b v

a

SIMPLES AMORTECIDO F  K x F  b v a  K x  b

K x

b v

m a

m

2 d x dx  b dt dt
2
d x
dx
b
dt
dt

kx

0

b v a  K x  b v  m a m 2 d x

Equação diferencial de 2º grau

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

m

Solução:

'



x t

2 k b  2 m 4 m
2
k
b
2
m
4
m
2 d x dx  b dt dt b t 
2
d x
dx
b
dt
dt
b t

kx

x e

m

2 m

cos

0

t

'

Frequência angular do oscilador amortecido

b dt dt b t   kx x e m 2 m cos  

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO 2 k b   '  2 m 4 m
AMORTECIDO
2
k
b
 
'
2
m
4
m

Se b=0 (ausência de amortecimento)

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES AMORTECIDO 2 k b   '  2 m 4 m Se

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

Constante de amortecimento

Fator de amortecimento

b 2m

ou

b

m

Q

Q

E

E

ciclo

2  Perda relativa de energia   E E  por ciclo ciclo
2
Perda relativa de energia
 E
E
por ciclo
ciclo

 1

Amortecimento fraco

  E  ciclo 2  Perda relativa de energia   E E 

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES AMORTECIDO

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

A energia mecânica para um oscilador não amortecido é constante, porém se o oscilador é amortecido a energia

mecânica não é constante e diminui com o tempo. Para

amortecimento pequeno, podemos determinar a E (t) substituindo x m em

E

1

podemos determinar a E (t) substituindo x m em E  1 2 kx m 2

2

kx

m
2

1

a E (t) substituindo x m em E  1 2 kx m 2  1

2

2

kx e

m

bt

m

x m em E  1 2 kx m 2  1 2 2 kx e

A energia mecânica diminui exponencialmente com o tempo

MOVIMENTOS HARMÔNICO SIMPLES

AMORTECIDO

Aplicações Amortecimentos: Engenharia civil

A aplicação clássica do amortecimento diz respeito à área de

engenharia civil, no sentido de garantir a integridade das estruturas no

caso de abalos sísmicos.

Verificação da qualidade e resistência de soldas e juntas, análise de

dano a maquinário industrial e motores, ajuste de salas acústicas e

estudo de concretos refratários para a avaliação do dano por choque térmico.

e motores, ajuste de salas acústicas e estudo de concretos refratários para a avaliação do dano
A TIVIDADE R EALIZAR UMA P ESQUISA EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E
A TIVIDADE R EALIZAR UMA P ESQUISA EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E

ATIVIDADE

REALIZAR UMA PESQUISA EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E APLICAÇÕES NA ENGENHARIA

ENTREGA: 01/10

EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E A PLICAÇÕES NA ENGENHARIA E NTREGA
EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E A PLICAÇÕES NA ENGENHARIA E NTREGA
EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E A PLICAÇÕES NA ENGENHARIA E NTREGA
EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E A PLICAÇÕES NA ENGENHARIA E NTREGA
EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E A PLICAÇÕES NA ENGENHARIA E NTREGA
EM FORMA DE ARTIGO SOBRE OSCILAÇÕES FORÇADAS E RESSONÂNCIA E A PLICAÇÕES NA ENGENHARIA E NTREGA