Você está na página 1de 7

DIFERENÇAS ENTRE AMOR E PAIXÃO

A muita diferença entre amor e paixão, a paixão e uma doença
progressiva e muitas vezes mortais onde se pode chegar a suicídio ou
a homicídio, A mídia divulga a paixão como se foce amor e com isso
induz a muitos se acharem normal quando sofre desta doença, isso e
muito serio e com certeza e um dos motivos dos casos de agressões
que ocorrem no dia a dia, abaixo descreverei o Amor e a paixão,
sobre o amor a maior definição dele esta na bíblia, isso e dito pelos
grandes poetas, e a seguir a paixão leia e se for o caso procure ajuda
para se livrar desta doença (Paixão)

O Amor
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não
trata
com
leviandade,
não
se
ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se
irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a
verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor
nunca falha 1 Coríntios 13:4-8

A Paixão
O sentimento exacerbado entre duas pessoas é um exemplo de uma
paixão. A paixão pode ultrapassar barreiras sociais, diferenças de
formação, idades e gêneros. A paixão completamente correspondida
causa grandiosa felicidade e satisfação ao apaixonado, pelo contrário
qualquer dificuldade para atingir essa plenitude pode trazer grande
tristeza pois o apaixonado só se vê feliz ao conseguir o objeto de sua
paixão. A paixão é uma patologia amorosa, um superlativo fantasioso
da realidade sobre o outro, tendo em vista que o indivíduo
apaixonado se funde no outro, ou seja, perde a sua individualidade,
que só é resgatada quando na presença do outro.

Com o passar do tempo, essa intensidade de fusão vai se esvaindo,
tendo em vista que a paixão é uma idealização mítica do outro.
Quando o apaixonado começa a perceber que essa idealização, com o
passar do tempo, foi equivocada, porquanto o outro não se
comportava dentro do perfil de expectativas idealizado miticamente
pelo apaixonado, é gerada uma intensa frustração, que passa a ser
vivenciada com intensa irritabilidade pelo então apaixonado.

Desta forma, o apaixonado vai percebendo o equívoco que cometeu,
pela recorrência das frustrações no tocante às suas expectativas
fantasiosas pelo outro, objeto da paixão e o processo começa então a
regredir, a se inverter, com a paulatina volta e reforço da identidade
do ex-apaixonado, que passa a enxergar o outro como ele realmente
é, o que, via de regra pode até gerar um sentimento inverso de
extrema repulsa, pelos sofrimentos suportados.

Existem pesquisas científicas nesse âmbito, que mostram que a
paixão, apesar de intensa e arrebatadora, é um sentimento
passageiro. Estima-se que a mesma não dure por mais de quatro
anos. Adolescentes estão mais sujeitos a apaixonarem-se, devido ao
pouco conhecimento de mundo entre outras coisas, o que não
significa que pessoas de maior idade não estejam passíveis de tal
sentimento. O que ocorre é que a pessoa adulta, por ter maior
conhecimento de mundo, por ter vivenciado maiores experiências,
não estará tão sujeita a perder a razão e deixar-se dominar pelo peso
do sentimento.
Efeitos
A paixão é um sentimento de desejar, querer, a todo custo "o amor
de outro ser ou objeto". Necessidade de ver e tocar a pessoa ou
objeto por qual se apaixonou, ou ate mesmo saber que aquela pessoa
amada tambem gosta dele e está pensando nele.
Deste modo.pode ser um entendido como um "vício" que debilita a
mente do indivíduo pois este foca somente a pessoa amada ou objeto
artístico nos seus pensamentos sendo todos os outros momentâneos
e irrelevantes.
Amor ou paixão cega — como posso saber?
CERTO OU ERRADO?
● Quando amamos, nós o sabemos imediatamente.

● Quando enamorados, ficamos geralmente deslumbrados.
● É fácil distinguir um verdadeiro amor de uma paixão cega.
A RESPOSTA correta a essas três perguntas é “errado”. Entretanto,
muitos discordarão fortemente. Embora reconheçam que a paixão
cega é uma fixação em alguém, de modo exagerado e doentio,
acham que podem saber quando se trata de um amor verdadeiro.
Essas pessoas muitas vezes consideram o amor como uma espécie de
misteriosa visitação, vinda de lugar nenhum, que subitamente
domina a pessoa. Para tais, ‘apaixonar-se’ é um sentimento tão
deslumbrante de pura êxtase que não há nada igual no mundo. Os
dois querem ficar juntos cada minuto do dia, quase sem tirar os olhos
um do outro. Nenhuma outra coisa na vida parece importante. Cada
um pensa do outro: “Só você, mais ninguém.”
Entretanto, será que essa é uma experiência que a pessoa só tem
uma vez na vida? Pode tal emoção unir duas vidas para uma
felicidade por toda a vida?
‘Enganoso Acima de Todas as Coisas’
Numa enquête, perguntou-se a 1.079 jovens (de 18 a 24 anos)
quantas “aventuras românticas” haviam tido até o presente em sua
vida. A média era sete! Consideravam essas “aventuras românticas”
como paixão cega ou verdadeiro amor? O pesquisador, dr. William
Kephart, declarou que “invariavelmente os que responderam
descreviam o que sentiam presentemente como sendo amor e não
paixão, este último termo sendo geralmente usado no tempo
passado”. — O grifo é nosso.
O idílio em curso era, pois, considerado como sendo “amor”, mas as
experiências passadas eram reconhecidas como paixão cega — uma
emoção passageira e desvanecente. Entretanto, durante essas
experiências passadas, como acha que esses jovens as qualificariam?
É só olhando para trás que compreenderam que se tratava de paixão
cega. Isso ilustra que não podemos fiar-nos no nosso coração. A
Bíblia bem o diz: “Enganoso é o coração acima de todas as coisas.” —
Jeremias 17:9, Versão Brasileira.
O aspecto enganoso do coração pode ser visto claramente pelo
número de divórcios que aumenta rapidamente hoje em dia. Segundo
uma enquête, quase metade dos 69.000 casais que se haviam
divorciado do primeiro casamento se separaram antes de seu quarto
aniversário de casamento. Quase 8.000 — 12 por cento —
separaram-se durante o primeiro ano! Quão trágico é duas pessoas
pensarem que poderiam estabelecer relações por toda a vida — só
para descobrirem depois de alguns meses que não deveriam ter-se
casado!
A paixão cega é considerada por alguns como uma das principais
causas do número elevado de divórcios. “Induz homens e mulheres
insuspeitos a contrair casamentos infelizes, como ovelhas ao abate”,

diz Ray Short no seu livro Sexo, Amor ou Paixão Cega (em inglês). As
pessoas precisam de ajuda para saber a diferença entre amor e
paixão cega. “Quem confia no seu próprio coração é estúpido”, diz a
Bíblia com franqueza. — Provérbios 28:26.
‘Mas, se não se pode confiar no seu próprio coração, em que se pode
confiar?’ perguntarão muitos jovens. O provérbio bíblico (28:26)
continua: “Mas aquele que anda em sabedoria é o que escapará.”
Procure, pois, o conselho sábio dos que se interessam de coração
pelo seu bem, tais como seus pais. Além disso, volte-se para a
sabedoria contida na única fonte infalível de conselhos — a Bíblia.
Desse modo, poderá ‘escapar’ dos perigos e das frustrações que
tantos trouxeram sobre si mesmos. Mas como a Bíblia descreve o
verdadeiro amor — um amor que “nunca falha”? — 1 Coríntios 13:8.

Amor Versus Paixão Cega

A Bíblia descreve o amor como segue:

“O amor é longânime e benigno. O amor não é ciumento, não se
gaba, não se enfuna, não se comporta indecentemente, não procura
os seus próprios interesses, não fica encolerizado. Não leva em conta
o dano.” — 1 Coríntios 13:4, 5.

Relações alicerçadas sobre o amor genuíno, tal como a Bíblia
descreve, passarão vitoriosas a prova do tempo. O amor verdadeiro é
“longânime” e “não procura os seus próprios interesses”. Não é
egocêntrico. Embora envolva fortes sentimentos de ternura, estes são
contrabalançados pela razão e por um profundo respeito pelo outro.

Quando alguém está realmente amando, preocupa-se com o bemestar e o contentamento do outro tanto quanto com os seus próprios.
Um sentimento assim abnegado não tem nada que ver com uma
emoção ardente e irresistível que altera o bom-senso, mas, ao
contrário, é um modo de vida caloroso e bem equilibrado.

“A paixão é cega e quer ficar assim. Não leva em conta a realidade”,
reconhece Calvin, de 24 anos de idade. Kenya, que tem 16 anos,
acrescenta:

“Quando a gente fica obcecada por alguém, acha que tudo que ele faz
é perfeito.” Mas, segundo um jovem, “o amor faz a pessoa refletir”.

O maior contraste entre o amor e a paixão cega é que o amor não é
interesseiro. Leva em consideração as necessidades e os sentimentos
do outro.

A paixão cega é egocêntrica. Pessoas que são vítimas de tal paixão
têm a tendência de dizer: ‘Sinto-me realmente importante quando
estou com ele. Eu não consigo mais dormir.

Não posso crer que uma coisa tão fantástica me aconteceu’, ou: ‘Com
ela, eu me sinto realmente bem.’ Notou quantas vezes aparecem as
palavras “eu” ou “me”? Não esqueça jamais que “o amor . . . não
procura os seus próprios interesses”. — 1 Coríntios 13:5.

Por exemplo, seu namorado ou sua namorada interessa-se vivamente
no sucesso de seus projetos? Respeita seus pontos de vista, seus
sentimentos, sua família e seus amigos? Ou tem a tendência de
querer fazer coisas realmente ‘indecentes’ com você? Quando estão
em grupo, costuma repreender asperamente ou rebaixar você talvez
perante os outros, fazendo sempre com que se crie um conceito
desfavorável sobre você? Isso lhe pode indicar se essa pessoa
realmente ama você ou não.

Um Exemplo de Amor

A história bíblica de Jacó e Raquel é um exemplo vivo do amor
verdadeiro. Jacó enquanto descansava perto de um poço, conheceu a
Raquel. Ele estava procurando uma esposa. Sabendo que Raquel
adorava o verdadeiro Deus Jeová assim como ele, prestou
imediatamente atenção nela.

Depois de ajudá-la a dar água às ovelhas do pai dela, pois era
pastora, ele se apresentou. Entretanto, vencido pela emoção, Jacó
“irrompeu em pranto” depois de cumprimentar essa mulher que era
ao mesmo tempo “bela de figura e bela de semblante”. Mas era isso
simplesmente uma paixão romântica? — Gênesis 29:1-12, 17.

Jacó passou um mês inteiro na família de Raquel antes de revelar que
estava “enamorado de Raquel” e que queria desposá-la. No decorrer
desse mês, ele viu Raquel no seu quadro familiar e como ela se
comportava com seus pais e com outros membros da família.

Ele pôde ver suas excelentes qualidades no serviço como pastora
diligente, que era um serviço duro e perigoso. Sem dúvida, ele viu
seu lado bom, mas também suas falhas. Observou como ela se
desincumbia de suas tarefas diárias. Assim, quando revelou que
estava enamorado dela, não se tratava de uma emoção sem
comedimento, mas era um sentimento ditado pela razão. As
qualidades espirituais de Raquel realçavam sua beleza física.
Realmente, Jacó estava disposto a trabalhar sete anos para o pai
dela, antes de poder tomá-la por esposa.

Jacó teve de esperar até mais do que esses sete anos para poder
gozar da intimidade do casamento com sua amada Raquel.
Certamente uma paixão cega jamais teria durado tanto! Só um amor
genuíno e interesse altruísta por alguém teriam feito com que aqueles
anos parecessem apenas “alguns dias”. Só um amor verdadeiro
poderia torná-los capazes de manter sua castidade durante aquele
período. — Gênesis 29:20.

Significa isso que deve esperar sete anos para saber se o que sente é
amor ou paixão cega? Não, absolutamente. Mas o ponto que
queremos frisar é que o amor não acaba com o tempo. O melhor
modo de determinar se aquilo que você sente é paixão cega ou amor
é dar tempo para pôr à prova seus sentimentos.

Quanto tempo? Isso varia de pessoa para pessoa, mas geralmente
quanto mais jovem for, tanto mais tempo deverá esperar. Entretanto,
como saber se se trata de um amor verdadeiro sem se envolver em
namoro?

Procure observar a pessoa o melhor que puder, mantendo-se à
distância. Que reputação tem essa pessoa? Será que ele, ou ela, se
dá bem com os outros? Com base no seu estilo de vida, que objetivos
tem na vida? A resposta a essas perguntas pode ajudá-lo a decidir se
deseja ou não envolver-se emocionalmente de modo mais profundo.

Seja lembrado que a paixão cega em pouco tempo atinge píncaros
ardentes, mas, daí, desvanece. O amor genuíno fica mais forte com o
tempo e se torna o “perfeito vínculo de união”. — Colossenses 3:14.

Fonte: Estudo e Pesquisa
Jhero
Poderá também gostar de:

O Diabo profetizando em Nome de Jesus!

Brasil um pais pagão!

Edir Macedo é um dos muitos Anticristo!

Produtos que você compra e são produtos de trabalho escravo ...

Domínio Espiritual - Quem são os que habitam no domínio ...