Você está na página 1de 7

ESPIRITUALIDADE

© JUPITERIMAGES

O caminho místico
natureza, etapas e objetivo
■ Por FRANCISCO RODRIGUES DE FREITAS, FRC*

próprio do homem o desejo do de realizar a missão que lhe foi outorgada

É
conhecimento. A busca incessan- pelo Criador: dominar a Terra.
te das respostas sobre si mesmo A idéia de dominar a Terra esteve, num
e sobre a realidade que o cerca primeiro momento, associada necessaria-
fê-lo elevar-se, dentro de sua escalada mente à idéia de subsistir. Assim, o homem
histórica, como nenhum outro ser animado cuidou de suas necessidades básicas de
foi capaz. Somente o homem, dentre todas subsistência. No entanto, civilizações mais
as criaturas, foi capaz de ir além daquilo que antigas já registravam feitos humanos
parecia contingente, para laborar no sentido situados numa gradação superior às suas

2 O ROSACRUZ ■ 1º TRIMESTRE 2008


preocupações materiais, voltando-se ao Terra, mas o de alcançar o domínio da própria
plano filosófico do viver, isto é, às indaga- vida, houve um ponto de inflexão na evolu-
ções sobre as causas primeiras e fundamen- ção humana, um redirecionamento de
tais da existência. Pode-se mesmo afirmar esforços e de busca, do qual resultaria a
que, no momento em que o homem lançou imensa herança que chega até nós como um
pela primeira vez o seu olhar para o céu Legado Sagrado.
estrelado, na mais longínqua noite de sua Assim, pode-se considerar o misticismo
história, alguma coisa no seu interior como o resultado do esforço do homem para
questionou silenciosamente o sentido e a reconciliar-se com a Realidade Cósmica. A
grandeza do Universo. escalada mística revelou-lhe que para o
No caminhar das civilizações, desde a caminho místico convergem todas as outras
aurora da vida consciente em nosso planeta, trilhas que a humanidade percorre, pois eis
o homem sempre revelou uma insatisfação que o misticismo é a soma final de todo o
ontológica fundamental. O saber e o fazer, o engenho humano, que busca suas razões e a
questionar e o construir, não conseguiam razão de toda a natureza.
responder inteiramente aos anseios que a Portanto, assumimos, como pressuposto
herança divina faz despertar no interior de básico para o desenvolvimento deste tema,
todo o homem que vem a este mundo. que o misticismo é a suprema realização do
Haveria o desenvolvimento da humanidade homem e resulta do despertar interior da
de fazer mais do que alargar os passos da Consciência Cósmica.
ciência e muito mais que aprofundar as
questões de natureza cognitiva sobre os
fundamentos filosóficos da existência. Natureza
Crescia no interior do homem a necessi- Quando alguém empreende a sua busca
dade de reconciliar-se com a realidade maior mística, o faz geralmente movido por um
da qual ele percebia ser apenas um dos profundo sentimento de inquietação inte-
personagens. Necessidade de reencontrar-se rior. A centelha divina faz despertar em seu
com o Universo, de somar-se novamente ao ser indagações sobre o que seja a Vida no
Todo Uno e Indivisível, de restabelecer o seu sentido mais amplo, sobre o que seja a
contato íntimo com o seu Criador. Verdade na acepção mais exata do termo,
Nesse instante, percebeu o homem que sobre quais sejam a origem e o sentido do
precisava fazer uma nova escalada. Uma Universo. Por que toda a criação segue um
caminhada que extrapolasse os limites da plano definido, em que tudo se assenta,
ciência, da filosofia e das atividades prosai- desde os milagres da natureza, com a sua
cas do dia-a-dia na construção material de generosidade, com o seu equilíbrio, com a
suas mais diversas realizações. O sentido do sua justiça, com a sua sabedoria, até a
mandato divino de dominar a Terra assumia participação do homem dentro deste contex-
novas dimensões. Esse domínio não poderia to indivisível que é a Vida?
estar restrito à realidade material, mas devia São perguntas cuja dificuldade não está
alcançar todos os aspectos da existência, do nas respostas, mas no caminho que se
seu “estar-no-mundo”. escolheu para buscá-las. Dizer qual o
Teve início, nesse momento, a escalada sentido da vida, explicar a perplexidade do
mística do homem. No instante em que ele homem ante a existência, contemporizar as
compreendeu que a sua herança divina paixões humanas com o curso normal e
dava-lhe não apenas o direito de dominar a irreprimível do Universo – são questões que

1º TRIMESTRE 2008 ■ O ROSACRUZ 3


ESPIRITUALIDADE

© JUPITERIMAGES
têm sido objeto da especulação de muitos. E
as explicações se multiplicam: algumas
lamentavelmente falsas e enganosas; outras,
insatisfatórias.
Dessa forma, ante perguntas e indaga-
ções profundas que lhe interessam direta-
mente, pois dizem respeito à sua própria
vida, o homem que inicia a sua busca
mística o faz, quase sempre, cruzando o
portal de uma Fraternidade Iniciática, onde,
submetendo-se às normas e disciplina
próprias, receberá o instrumental necessário
para romper o véu que não lhe permite
vislumbrar as imutáveis Leis do Universo, a
verdade da Vida e a Luz de que precisa para
iluminar o seu caminhar no mundo em que
lhe é dado viver.
Ali, a Senda se apresentará tortuosa, e
cada passo vencerá o inacessível. É necessá-
rio que seja assim. Ante as primeiras dificul-
dades, aqueles que são movidos por simples
curiosidade afastar-se-ão do caminho. Este
se tornará pleno de dificuldades, e nada
haverá a vislumbrar, pois a Senda da Ver-
dade e da Vida só é contemplada pelo A Noite Negra da Alma é o degrau
mais árduo da caminhada…
buscador humilde, de propósitos nobres e
reto de consciência. Este logo verá que
segue o caminho certo, pois, nas revelações Numa seqüência natural do estudo
preliminares das primeiras lições e na místico, o despertar da Consciência Cósmica
participação que tiver nos primeiros rituais, inspirará a Purificação, o idealismo manifes-
sentir-se-á integrado à comunidade iniciá- tado pela profunda compreensão da beleza
tica a qual passou a pertencer. E os seus divina e da perfeição do Universo. E a
exercícios e experimentos estarão respalda- percepção de quanto toda a natureza se
dos pelo peculiar entusiasmo que o moti- mantém em harmonia e equilíbrio fará
vará aos novos estudos. nascer no buscador um agudo sentimento
de sua própria imperfeição. O que fazer
então quando se constata essa dicotomia?
Etapas De um lado, o esplendor das Leis que regem
É o momento do Despertar. É aquela fase em o Universo: eternas, imutáveis, perfeitas. Do
que a consciência gradual de impressões e outro, o homem dominado por paixões
sensações irá brotando das profundezas do subjugadoras, pelo apego aos bens mate-
Eu, ensejando uma compreensão sempre riais, pela incontrolável sede do sucesso,
crescente de uma Realidade Cósmica bem pelo inato sentimento de competição. Então
maior do que aquela que até então fora o estudante de misticismo há que decidir
apreendida. por purificar-se daquelas imperfeições que

4 O ROSACRUZ ■ 1º TRIMESTRE 2008


compreendeu possuir. E isso somente será ascensional ao encontro da face de Deus. É
possível através da autodisciplina, do auto- também o mais árduo, o mais escarpado, o
conhecimento, da sinceridade e da coerência de mais difícil acesso, pois que para trans-
entre o seu pensamento e a sua ação. pô-lo precisaremos de toda a nossa coragem
Nessa fase, que os místicos chamam de e de vigorosa decisão pessoal e íntima para
Purificação, apresenta-se com toda força uma abraçarmos definitivamente os ideais que
das principais exigências da Senda: a coe- nos farão UM com o Cósmico.
rência entre valores assumidos e atitudes de Noite Negra da Alma é uma expressão
vida. Os requisitos da sinceridade e da antiga, usada pelos místicos para caracte-
coerência resultam da Verdade que carac- rizar certo estado emocional e psicológico,
teriza todo o caminho místico. Ninguém bem como uma fase de provas por que
jamais o percorreu sem esses atributos. todos passamos na trilha que nos leva ao
Assim, nessa etapa devemos ser capazes vislumbre total de um ideal acalentado com
de, através do autoconhecimento, libertar- toda a força do nosso ser. São João da Cruz,
nos da influência de tudo aquilo que nos místico espanhol do século XVI, a descreveu
prende e nos limita a um estado de ação em com muita lucidez e propriedade, denomi-
desacordo com a nossa destinação ontoló- nando-a Noite Escura do Espírito.
gica de participantes da beleza e da liber- Thomas Merton, citando Gregório de
dade do Universo. Nissa, teólogo e místico do século IV, nos
Quando somos capazes de fazer calar os adverte que “A vida espiritual é uma cami-
nossos sentidos objetivos, permitindo que a nhada das trevas à luz e da luz às trevas. É a
nossa Essência Divina, o nosso Eu Interior transição de uma luz que são trevas para
se manifeste, e assim estar em harmonia com trevas que são luz. A ascensão da falsidade
o Cósmico, chegamos ao elevado patamar da para a Verdade começa quando a falsa luz do
Iluminação. Alcançamos uma distância muito erro é trocada pela luz que é verdadeira, mas
grande entre o nosso Eu do momento e o Eu insuficiente, das noções elementares sobre
antigo sequioso da beleza de tão sublimes Deus. Essa luz deve depois ser obscurecida,
conhecimentos. No entanto, ainda que seja diz ele. A mente deve desprender-se das
grande e verdadeira a nossa alegria, atingi- aparências sensíveis e procurar a Deus nas
mos também o ponto crucial e de importân- realidades invisíveis que só a inteligência
cia decisiva para a vida mística do buscador: pode apreender”.
o momento em que nos será exigida uma Portanto, até que possamos estar prepa-
coragem maior, uma paciência e determi- rados para contemplar a suprema sabedoria
nação capazes de enfrentar os maiores e os divina, a nossa personalidade-alma deverá
mais difíceis desafios, e a resoluta decisão de ser aperfeiçoada no cadinho da Noite Negra
prosseguirmos em frente. Nós estamos no da Alma, período em que é comum experi-
limiar da Noite Negra da Alma. mentarmos toda a sorte de fracassos; nosso
E o que vem a ser a Noite Negra da Alma? dia-a-dia transcorre numa seqüência de
E por que temos de enfrentá-la depois do frustrações; planos determinados com
nosso despertar para a vida mística, depois de inteligência e perseverança estarão eivados
nossa escolha de Purificação, depois que, de incertezas e obstáculos. A visão e a
pela Iluminação, somos capazes de comandar expectativa do futuro parecerão toldar-se
os nossos sentidos objetivos? nas águas da incerteza e da depressão, e
A Noite Negra da Alma é um degrau que experimentamos um profundo desânimo.
temos de ultrapassar nessa caminhada Somos então tomados pelo desejo de

1º TRIMESTRE 2008 ■ O ROSACRUZ 5


ESPIRITUALIDADE

deixar de lado a busca encetada até o mo- lar de sucessivas etapas do nosso aperfei-
mento. Os mais caros ideais parecerão sem çoamento interior. Até chegar à Iluminação
nenhuma importância, e o perigo iminente, vamos melhorando nossa consciência
que vai pairar sobre nós, é o de interrom- pessoal, mas é enfrentando essa fase angus-
permos nossos estudos místicos, nossas tiante de incertezas e desafios que daremos
atividades culturais e nos distanciarmos do a feição verdadeira ao novo ser que brotará
curso de nossa vida espiritual, sucumbindo dentro de nós, um novo ser que foi capaz de
inteiramente ao pessimismo. E se tal acon- escalar doloroso caminho até alcançar níveis
tece, temos de experimentar a sensação e a mais altos de consciência.
convivência com o Enquanto dure esse
fracasso, pois essa fase estado de conflito temos
© JUPITERIMAGES

realmente negra em de fazer uma cuidadosa


nossa vida acontece por introspecção, um mer-
força de ser tentada, gulho no imenso espaço
medida e pesada a fibra interior de nós mesmos,
de nossa personalidade- empreender um cami-
alma. Nossas convic- nho de volta para o
ções, nossa força de Santuário do nosso ser,
vontade, nosso mereci- um retorno sobre anti-
mento pessoal de maior gos conceitos, sobre a
iluminação são colo- nossa faculdade pessoal
cados a duras provas. E de nos questionarmos
se, para escaparmos sobre a Vida. De nada
desse embate interno, adiantará apenas lutar-
nos deixamos abater por mos contra as inevitáveis
tais conflitos, podere- frustrações que advirão
mos desfrutar uma paz dessa necessidade de
aparente, em nível de reciclagem interior.
nossa mediocridade, Necessário será medir-
mas, no recôndito de mos com humildade os
nós mesmos, nos nossos atos conscientes,
recessos mais profundos na tentativa de torná-los
O homem faz parte de modo
de nosso ser, lá onde integral do Universo.
mais dignos e mais
nos fala a consciência, consentâneos com a
senhora absoluta de nossa missão cósmica.
imaculado silêncio, estaremos certos de que, Agindo com honestidade de propósitos,
deliberadamente, renunciamos ao júbilo de movidos pelas virtudes da paciência e da
realizarmos a conquista da verdadeira Paz, humildade, chegaremos ao ponto mais
daquela Paz de espírito sobre a qual nos elevado dessa escalada, ao cume da monta-
falou o Mestre Jesus. nha de sete patamares de que nos falam os
A Noite Negra da Alma não é em si mesma místicos. E lá, diante de nós, a Vida estará a
uma circunstância cármica, uma purificação nos brindar com um Áureo Alvorecer. Goza-
“imposta” ao indivíduo. É, antes de tudo, remos então de esfuziante alegria. Experi-
um retoque final à obra de arte que vem mentaremos então um período de gratifi-
sendo elaborada dentro de nós, no desenro- cantes realizações. Tudo terá um sentido

6 O ROSACRUZ ■ 1º TRIMESTRE 2008


verdadeiro em nossa vida. Compreendere- zente, começa a iluminar a sua vida, clare-
mos os elos da Vida, aqueles que levam em ando-lhe os caminhos. O retorno, nesses
cadeia todas as manifestações da existência, casos, não conduziria o estudante a lugar
reunindo-as num Todo Único e Indivisível, na algum, mas deixaria um profundo senti-
soma do qual somos parcelas irmãs da Terra, mento de perda, justamente o horizonte
da Água, do Fogo, do Ar e das estrelas. perdido de que nos falam os místicos.
É importante que o estudante esteja
sempre advertido de que essa etapa da
Senda estará à sua espera, em algum ponto Objetivo
da jornada. Ninguém jamais deixou de A última etapa do caminho místico é o seu
experienciar esse momento. Portanto, próprio objetivo, o sentido mesmo da busca
consciente de que ele existe e de que com mística: a União com o Ser Supremo. Melhor
ele se defrontará, ao buscador cabe preparar- seria dizer a consciência dessa União, pois na
se para esse encontro, um encontro, é certo verdade o homem nunca esteve separado do
dizê-lo, que ocorre entre o homem e a sua seu Criador, da Fonte Divina da qual ema-
própria face. Frente ao espelho do conheci- nam todas as manifestações da Vida.
mento ele se vê desnudo, tal qual é, ao O objetivo último dos estudos e expe-
mesmo tempo em que se torna consciente riências psíquicas realizados pelo estudante
do que deve ser, de modo a desfrutar a é o desenvolvimento interior que conduz o
União profunda com o Universo, na contemplação homem à harmonização cósmica, a sua inte-
da Suprema Sabedoria Cósmica. gração no Todo.
É necessário que o buscador se prepare Aqui já é possível compreender-se que o
para esse encontro, a fim de que, pelo caminho místico não visa a um objetivo
desânimo e pelas dificuldades que terá de exterior ao homem. Na verdade, não se está
enfrentar, não seja levado a abandonar o procurando um ponto qualquer onde todos
caminho, pois nada é mais entristecedor do os segredos do Universo estejam à espera
que um estudante abandonar a Senda que do estudante. Ao contrário, o objetivo da
poderia levá-lo à harmonização plena com a busca mística está centrado no próprio
Consciência Cósmica e ao Domínio da Vida e buscador. O estudante de misticismo realiza
tentar, depois da frustração da busca, uma viagem especial pelo seu espaço inte-
recuperar o nível de compreensão anterior rior. Os seus estudos devem torná-lo apto a
ao alcançado nessa etapa. explorar o microcosmo que é ele próprio. As
Isso seria semelhante a um adulto que, Leis que regem o Universo estão indelevel-
ante as dificuldades da vida, decidisse mente escritas na alma do homem, na sua
retornar à condição de criança, fechando os memória, nas suas células, enfim, no seu
olhos à realidade e às exigências que são infinito espaço interno.
próprias de sua condição. Sabemos que esse Assim, o estudo místico é sobretudo um
retorno, na prática, é irrealizável, e a angús- voltar-se sobre si mesmo. É uma atitude
tia do esforço de quem assim agisse só permanente de reflexão, de autoconheci-
poderia resultar em maiores frustrações e mento e de construção de si próprio. O
desânimo, pois ninguém poderá, nesse homem não é um ser perfeito ou imperfeito.
ponto da jornada, passar uma esponja e É simples e completamente divino, criado à
apagar o quadro que começou a delinear. imagem e semelhança do Pai. Na sua essên-
Não será possível negar as evidências já cia, é a própria palavra de Deus, manifestada
conhecidas, ocultar a Luz que, tremelu- numa freqüência vibratória própria. Como

1º TRIMESTRE 2008 ■ O ROSACRUZ 7


ESPIRITUALIDADE

conseqüência, podemos dizer que o homem caminhos seguros, ainda que às vezes difí-
integra, ou seja, faz parte de modo integral, ceis, na medida em que, desvendando-lhe a
do Universo, do Todo, do UM. Por isso, a sua sua face humana, coloca-o frente à sua face
busca de desenvolvimento espiritual na divina, manifestação do próprio Deus. Essa é
realidade é a procura de sua própria face, é a a visão beatífica de que falam os místicos e os
exploração e o conhecimento de sua essência, santos: o encontro da verdadeira identidade,
da centelha divina que, latente em seu a visão da própria face, em Deus.
interior, busca manifestar-se. Como resultante de sua integração na
Com essa compreensão do objetivo do Unidade da Vida, o buscador torna-se um
estudo místico, é fácil concluir-se que as canal da Divindade. Desaparecem os
provas por que temos de passar em nossa falsos valores, as ilusões, as crenças
jornada, ainda que sejam dolorosas, não são errôneas, o negativismo. Sua vida torna-se
voltadas para o exterior, para o nosso eu um facho de luz a iluminar o seu próprio
objetivo, mas radicam-se na profundidade do caminho e o caminho dos seus seme-
ser que busca. E visam primordialmente à lhantes. Seu ser é todo esperança, justiça,
limpeza do Santuário Interior do Homem, de bondade, amor. E essa transmutação
modo que as qualidades e potencialidades interior reflete-se de modo expressivo nos
divinas possam manifestar-se em todo o seu seus pensamentos, gestos, palavras e
esplendor e em toda a sua glória. Essas ações. Não é mais um homem, simples-
provas e testes situam-se no nosso nível de mente, mas o Filho do Homem. Cons-
compreensão e desenvolvimento, realizan- truiu-se a si mesmo com o material que
do-se no dia-a-dia, no contato com os nossos lhe é constante e amorosamente oferecido
semelhantes, nos desafios de nossa própria pela Fonte da Vida, pela Consciência de
existência, nas tentações a que todos esta- Deus que habita o seu coração.
mos sujeitos na aventura da própria vida. Esse instante místico, de infinitas resso-
O sucesso, pois, da caminhada em busca nâncias, é um estado interior, indescritível
da Verdade é o sucesso do próprio crescimen- por quem quer que o tenha experienciado. É
to como homem, encarnado neste planeta, no a consumação, a integração no UM, na
aqui e no agora. Não existe sucesso no totalidade. É o agir consciente e em perfeita
depois. Na realidade, o homem está compro- harmonia com o eterno ritmo cósmico. É o
metido com o “durante” de sua vida, com aplicar, na sua própria vida, as Leis Cósmi-
seus pensamentos, com seus gestos, com cas imutáveis que regem o maravilhoso
suas palavras, enfim, com tudo o que carac- Universo de Deus, a morada do Pai.
teriza a manifestação de sua ação no mundo. Portanto, o sentido da busca mística, o
À medida que compreende que o objeti- objetivo final do caminho místico, é o
vo da sua procura não está fora de si mes- desvelamento do Eu Interior, é o clarificar
mo, mas no âmago do seu ser, o buscador da consciência pessoal, de forma a integrá-la
desvencilha-se de ilusões que atrapalham, na sua fonte perene: a Consciência Cósmica. É,
de crenças e sentimentos negativos, de por fim, a busca nostálgica da unidade com
superstições e da angústia existencial que todos os seres, da harmonia que sempre
lhe tolhe os passos, obstaculizando os seus existiu, para que se possa dizer do mais
melhores esforços na exploração do seu profundo recesso do nosso Ser: “PAI! TU E
espaço interior. EU SOMOS UM!”. ■
A compreensão dessa verdade mística
conduz, amorosamente, o estudante por * Ex-Grande Conselheiro da AMORC-GLP.

8 O ROSACRUZ ■ 1º TRIMESTRE 2008

Interesses relacionados